Categorias
Corneta do Cunio

A Corneta do Cunio – Reflexões em frente ao espelho (1/2)

POR ALBERTO CUNIO

Natalinos alviverdes,
chegando o final de ano temos sempre aquela necessidade de fazer um “balanço”
em nossas vidas. O que fizemos, o que deixamos de fazer (esta lista é sempre
enorme), acertos, erros, êxitos, reveses… O mais importante é que TEMOS que
fazer isso.
Faz bem
e nos ajuda a crescer mais fortes, a não incorrermos nos mesmos equívocos do
ano que passou e também nos encoraja e renova o espírito.

Belas palavras, mas
eu tive uma ideia melhor em se tratando do Palmeiras. Precisamos literalmente
“deitar no divã”. Isso mesmo.
Como para a maioria absoluta de nós mortais, minha sugestão é clara e
objetiva: nosso clube precisa de TERAPIA.

Antes que os mais céticos
critiquem a inusitada ideia, posso lhes lembrar que mesmo sabendo que fazer
terapia é algo muito contestado (já que ninguém acha que precisa ou pensa que é
uma grande bobagem), a verdade é inconteste: terapia nos auxilia, e muito, a
resolver nossos próprios problemas. A NÓS MESMOS resolvermos nossos problemas.
Terapeuta nenhum tem soluções mirabolantes para nenhuma enrascada pessoal, seja
ela recente ou da infância. Ele apenas abre nossos olhos para o que está
acontecendo e nos orienta a pensar uma solução viável. Detalhe: os problemas mais
complexos, mais incrustados em nosso íntimo, levam tempo. Muito tempo para
serem rediscutidos, redesenhados e trabalhados. Em suma, é um processo de LONGO
PRAZO.

Acabada a explanação
freudiana ou junguiana, como queiram, voltemos à vaca fria. O Palmeiras precisa
de terapia, porém, evidentemente não há um terapeuta clubístico, ou coisa
assim. Como uma instituição, há até algumas boas consultorias que podem nos
auxiliar, mas não antes de fazermos o principal dever de casa: a autoanálise, a
REFLEXÃO. E em frente ao ESPELHO.
Temos que ACEITAR que temos problemas crônicos e que devem ser tratados.

Antes que eu exponha
o resultado provável destas reflexões, na minha humilde opinião, gostaria de
ouvir todos vocês, ilustres e iluminados comentaristas do 3VV.
Assim posso acrescentar seus
pensamentos na coluna de Natal (2/2), onde literalmente radiografaremos as
entranhas do nosso amado clube, seu ID, seu EGO e seu SUPEREGO.

Como é de praxe,
mesmo sendo tempo de recesso e ressaca, temos que mandar a CORNETA em alguém,
não é mesmo? Pois bem, não vamos polemizar, mas apenas cornetear de forma
hilária: que tal o MURIQUI? Que preferiu ouvir o Lero-Lero dos empresários e do
PROFEXÔ ao invés de vestir uma camisa com as glórias do nosso Verdão? Com todo
respeito ao Galo e sua história, que não teve nada a ver com essa decisão,
tenham certeza. Mas daí, para quem foi esnobado por Carlinhos Bala, Somália,
Ilsinho, Deivid, Richarlyson… Quem é MURIQUI? Melhor mesmo nos livrarmos de
um cabecinha de ostra destes antes que ele venha para cá e vire mais uma
encrenca. Porque solução ele está a anos-luz de ser uma.

Até a próxima semana com a segunda parte desta corneta.

16 respostas em “A Corneta do Cunio – Reflexões em frente ao espelho (1/2)”

Com relação ao item 1, você tá certo, xará. Contudo, aponto que lá eles tem toda uma estrutura que, de fato, observa/utiliza/valoriza a base. Aqui, como não temos isso, acho que aproximar a base do principal seria benéfico, pois teríamos mais olhos sobre os nossos jovens. E volto a repetir: David, Gabriel Silva, Gualberto e Felipe, no mínimo, servem pra compôr elenco. Não podemos perdê-los nem desvalorizá-los!

Sobre o item 2, concordo plenamente com você. Acho que deixei de ser específico que me referia a jogadores tipo Mozart, Edmilson, Jumar, Jefferson, Gladstone, Jéci, Tiago Cunha, etc, etc, etc…

Sobre os itens 9 e 10: aonde eu assino?

Cunio: valeu, venho cornetar aqui semana que vem então!

Abraços, colegas palestrinos!

#2 Lucas, vi os vídeos do McNelly Torres no seu blog e comentei no Post de ontem. Valeu pela dica do site.

#9 Rogerio, lógico que vc tem razão. Por isso que foi uma CORNETA hilária. Não há dúvida que ele escolheu o melhor para ele e não tenho dúvidas de que nesse momento o até o Galo pode ser uma alternativa mais atraente.

#12 e #13 aos xarás Milagre e Forastiero, obrigado pelas sugestões. Vão para a coluna da semana que vem.

Mas eu queria entender do comentário #10 do Forastiero, que “revolução” foi essa que passamos e não resolveu… Entendo seu ceticismo, mas acho que a única coisa com jeito de revolucionária que passou pelo Palmeiras nas últimas décadas foi a cogestão com a Parmalat.

Deu vontade de comentar alguns pontos que me xará levantou.

1- Parece que a distância não é la um grande problema. Os bambis tem CT Jr longe do profissional e agora tem 3 ou 4 jogadores que eles dizem ser bons de bola. O importante é o PALMEIRAS usar os 3 assistentes técnicos para levar as informações dos Jrs para o Muricy.

2- Realmente contratamos sem um critério bem definido. Mas no ano passado fomos ágeis, contratamos as revelações do campeonato e contratamos um cara que não era grandes coisas, mas era bonzinho. O tal cara virou o CX-10. Esse ano eu tenho certeza que ja tinhamos jogadores pré acertados. Antes de um jogador ser espancado e o time perder até a vaga na Libertadores.

3- Definitivamente eu nao entendo a dificuldade de entender e realizar um projeto como o que vc falou e eu ja tinha dito a algum tempo. Eles inventaram umas camisetas legais até, OITENTA paus é o preço. Mas tb, nao da para ter mtos itens se só temos uma lojinha mínima na porta do estádio.

8- É realmente inacreditavel ver o Toninho Cecílio dando entrevistas. Não é possível que ninguem o obrigue a fazer um curso para aprender a se portar diante das câmeras. É lamentavel ver um sujeito que parece estar sempre a beira das lágrimas.

9- Já estão a um ano planejando esse hotel no CT. O problema é que no começo e no final do ano os jogadores preferem é ir pra longe de Sampa, fugir de torcedores imbecis como os q protestam antes do 1o treino do ano e espancam jogador.

10- Sócio torcedor não tem prioridade na compra de ingressos. Mas, torcedor d organizada entra na faixa… com a desculpa de afzer a diferença e cantar o jogo todo, como vimos no Engenhão. ¬¬

E acrescento… o PALMEIRAS passa uma vergonha dessas e a promoção do site é camisas com frete grátis, não baixaram um centavo sequer no preço da camisa. Não resolveria o humor do PALMEIRENSE, mas ja seria um “pedido de desculpas” diminuir 10-15 reais no preço de uma camisa marcada pela derrota (Paulista-Libertadores-Brasileiro).

“Temos que ACEITAR que temos problemas crônicos e que devem ser tratados.” – Perfeito.

Bom, vou colaborar:

1 – Damos mesmo atenção às categorias de base? Montar toda a estrutura em São Roque, longe do time principal e dos olhos da nossa comissão técnica é o correto?

2 – Temos critério e agilidade para contratar? Contratamos jogadores com experiências vitoriosas, bem fisicamente e determinados a defender o Verdão?

3 – Exploramos bem o nosso departamento de marketing? Porque não criamos camisetas a custo popular (40 reais, mais ou menos. Público alvo que ganha salário mínimo, ao contrário do sócio-torcedor) com imagens de grandes ídolos antigos, atuais, mascotes, símbolos, etc? Entre outras tantas ações de marketing que fica até difícil enumerar.

4 – O preço do nosso ingresso é justo? Pagar no mínimo 40 reais para ver um time que acumula um Paulista e uma Série B nos últimos 9 anos é justo?

5 – Tratamos bem nossas revelações? Gabriel Silva é pior que o Armero? David não tem condições de ser pelo menos reserva do Figueroa em um time que jogou o ano todo sem lateral direito? Gualberto não pode compôr o elenco por ser pior que Jumar e Edmilson? Felipe não poderia ser relacionado mais vezes num time que jogou o ano inteiro com 3 meias? Não mesmo?

6 – Precisamos rever os discursos. “Tá difícil”, “vamos ver”, “não depende da gente” é coisa de perdedor. Dificuldades tem que ser internas, externamente o discurso precisa ser confiante, absoluto, cheio de si. “Sim, vamos montar um elenco muito forte para 2010, queremos Paulista, Sul-Americana e Copa do Brasil” ao invés de “ano que vem teremos um time modesto”. Visão otimista meu povo, falta visão otimista.

7 – Força nos bastidores. Só sei que precisamos tratar melhor a Comissão de Arbitragem, a CBF, precisamos nos envolver melhor nos bastidores, porque o Palmeiras é bastante prejudicado e, na dúvida, costuma ser contra o Verdão. Mesmo se for no Palestra Itália.

8 – Media Training. Alô, povo do Palmeiras. Contratem um especialista em Media Training e recebam aulas de como se portar diante das câmeras, diante dos repórteres. A maioria já joga contra e a gente ainda vive dando combustível…

9 – Estrutura. Um “hotel” no CT não diminuiria drasticamente nossos gastos com viagens durante o ano?

10 – Cortar relações com torcida organizada. Se querem ir ver jogo, vão por conta própria, sem ganhar dinheiro algum. Sem facilidade pra entrar no clube. Já falei aqui no 3VV que já vi bandido organizado entrar no clube na carteirada…

Bom, acho que são esses pontos.

Cunio, se nos olharmos no espelho veremos algo feio. Muito feio.

Veremos um time que se apequenou, e onde perder é normal. No imaginário do brasileiro não-palmeirense já nao somos um gigante.

Se nós, palmeirenses, ficarmos nos ancorando em ‘Campeão do Seculo’, ‘aqui é Palmeiras, porra’ nada conseguiremos. Porque isso nos faz como os italianos de anedota, que bufam, bufam, mas se o outro reage, fica quietinho…

Ai vc me pergunta o que fazer e eu respondo ‘não sei’. Porque o Palmeiras nesses ultimos anos se especializou em contrariar expectativas de torcedores nos piores momentos e, alem disso, passou a contrariar tambem a logica de seus torcedores.

Pare e pense nos ultimos 2 brasileiros. Em 2008 o gremio empatou em casa conosco com um gol roubado. Todos nós – imprensa e torcedores – vimos. Mas ninguem em campo esboçou reação na hora. tudo bem, aguas passadas, vamos dar o troco neles no segundo turno. eio o segundo turno e perdemos em casa, sequer demos um chute a gol. Que moral eu tenho para discutir roubalheiras de jogo com um gremista?

Posso dizer o mesmo este ano, quando todos os esforços foram feitos para manter o time e fortalecê-lo. Mas o fortalecer despertou ciumes, e ai ninguem reage. E ai ficamos com cara de bunda reclamando do simon sendo que nosso time entrega todas.

entãoa verdade é que nossa torcida é fanatica, cobra demais, mas tem se sentido esquisofrenica porque o time jamais corresponde à realidade que dele se espera.

Abraços (e camisas de força) a todos

Desculpa mas mostrar o quão pequeno é o Muriqui só mostra o quão incompetentes nós somos. Um craque preferir outro clube eu entendo, mas um qualquer sem passado e sem futuro achar que o PALMEIRAS não é o bastante pra ele? Aí é um chute num par do objeto central do jogo.

E… se uma “revolução” não salvou o PALMEIRAS, imagina se uma terapia vai funcionar. Ah minhas esperanças, pobres sonhos de um time gigante até 2014 (centenário + Copa).

O Muriqui não merece esta corneta, ele escolheu o que era melhor pra ele, e com certeza hoje o Palmeiras não é o melhor pra ele, parabéns ao Muriqui, não podemos esnobar o cara pq ele não veio, ele viu o que era melhor pra ele. Esta cornetada tem que ir pra quem não conseguiu contratar ele. Abraços!

Cunio texto foi perfeito precisamos urgente cuidar da cabeça voltar a ter o pensamento positivo, inclusives o jogadores, pena que o Muricy não acredita que psicológo funciona, pois acredito que muitos dos jogadores que tiveram infância pobre se iludem com os salários astronômicos pagos pelos clubes mas esquecem que podem para en Donetsk (Ilsinho), o pessoal tem que jogar com vontade por serem profissionais para terem seu ganha pão pois jogador tem prazo de validade curto.
Quanto aos torcedores acredito que nós também devemos fazer terapia par aparar de sempre achar que depois de um campeonato perdido o mundo irá acabar, o Palmeiras e os Palmeirenses precisam lembrar que a história mostra que para perceverar temos que acreditar em trabalho bem feito e com um certo prazo para a coisa dar certo, a partir de 2010 começo a cobrar a atual direção técnica do Palmeiras antes quem mandava estava preocupado com as cartas do crupiê agora é que eu quero ver o trabalho na montagem do elenco.

Antes de mais nada, nosso problema é interno. Devemos reconhecer que sómos um clube dividido e muito mal administrado. É imprencidível reconhecer que estamos perdendo nossa grandeza. Se não houver união e remarmos na mesma direção, vamos nos tornar a nova Portuguesa. Nosso passado é grande e temos de lembrar e nos orgulhar da nossa história. Entretanto, não sómos museu que vive do passado. Apenas um detalhe: nesta década ganhamos apenas UM campeonato paulista. É muito pouco para quem foi e quer continuar sendo grande. Concordo inteiramente com a idéia da terapia, antes de todos, nós devemos recenhecer e admitir nossa realidade. Senão em breve teremos que roubar uma frase do hino inimigo: “as tuas glórias vem do passado” (que no caso deles é mentira, porque não é exatamente glória que tem no passado deles).

Que bom seria se as pessoas que decidem as coisas no Palmeiras pensassem como você Cunio, e reconhecessem que o Palmeiras perdeu sua grandeza. Talvez diretoria, conselheiros, sócios, não sejam os únicos culpados. Mas por que eles não fazem algo para dar um rumo para o Palmeiras? Parece que quem se envolve na política do Palmeiras é cegado de alguma forma que não enxerga o mal que causa ao clube. Só dá para pensar que querem o poder por satisfação própria, por vaidade, ou para obter vantagens para si próprios, ou sei lá o que mais. Será que ser palmeirense é tão complexo a ponto de se formarem 4 ou 5 grupos políticos (se não forem mais) dentro do clube? É tão difícil alinhar as idéias, sendo que o objetivo de todos é (ou deveria ser) o melhor para o Palmeiras?
É saudável que não exista unanimidade, que existam opiniões diferentes, mas o que acontece no Palmeiras é caso para terapia mesmo.
Eu vejo torcedores “comuns” debatendo coisas como por exemplo o papel da torcida no estádio, até reconhecendo que somos talvez a torcida mais corneta do Brasil, que atrapalha o time muitas vezes por vaiar no primeiro erro. Mas adianta debatermos à exaustão coisas relativamente pequenas se quem “manda” não faz a mesma coisa? É um grupinho boicotando o outro. Traindo. Informações internas vazando para a imprensa.
Dá a impressão que se todos ali estivessem preocupados em primeiro lugar com o bem do Palmeiras, a coisa aconteceria de outra forma.

Talvez o Muriqui mereça a cornetada, mas aí eu penso no que o pessoal debateu muito aqui mesmo no 3vv. Depois daquela agressão imbecil (e política) ao Vagner Love, que jogador iria querer jogar no Palmeiras?

MAS TAMBÉM COM UM DIRETOR QUE SE CHAMA TONINHO CECÍLIO, ESPERAR O QUE???

Num ano de tantas decepções, acho que a corneta deveria ir para quem mais desprezou nosso manto sagrado…
Alô, KEIRRISON!!!! Cornetas e vuvuzelas na sua orelha… seu orelha!!!!!

Concordo com você! O Palmeiras precisa mudar! E o problema está lá dentro! E sobre a Corneta: boa; perfeita a análise! Se olharmos os que nos ‘esnobaram’, olha onde eles estao agora… hehe

Os comentários estão desativados.