Categorias
Italiano

Desculpa pelo atraso!

POR CARMINE PACIELLO


* Noite de sonho para os torcedores do Genoa que no anticipo da 14^ rodada massacrou uma Sampdoria em regresso com um inapelável 3 x 0. Como todos os derbis foi uma partida nervosa que teve 12 amarelos e 3 expulsos. Foi a vitória  do técnico Gasperini (3° derby consecutivo ganhado) que como de costume escalou o seu time no 3 / 4 / 3. Bem organizado, rápido em ataque quanto sólido em defesa o Genoa humilhou a Sampdoria que não conseguiu levar perigo a Amelia não obstante estar em superioridade depois da infantil expulsão de Biava no final do 1° tempo. Na 2^ etapa foi a vez de 2 “blucerchiati” serem expulsos mas a partida estava já definida. O experto Milanetto que comandou o meio-campo e Palladino no ataque foi os melhores dos “rossoblù” junto ao suíço Ziegler, que apesar ser jogador da Sampdoria sábado era o 12° jogador do Genoa ao cometer 2 pênaltis e a fazer quase um gol contra (a bola bateu na trave). Insuficiente a prestação da dupla Cassano – Pazzini que muitos querem em Nazionale.


* A fraca prova da Inter contra o Barça que mostrou ser de outro planeta (os nerazzurri só viram a bola nos vestiários, com o jogo encerrado) não teve nenhuma reverberação no campeonato que o time continua a liderar legitimamente. Sem Snaijder Mourinho escolheu o 4 / 3 / 3 propondo do início  Quaresma que não jogava titular há 1 ano e que havia sempre decepcionado: desta vez o ala lusitano encantou (o título  da coluna é  dedicado a ele, que após 15 meses de espera finalmente mostrou o seu valor) sendo o melhor em campo produzindo um futebol veloz, objetivo e sem firulas antes de sair, machucado. Partida intensa decidida da uma falta bisonha de Comotto, punido com o pênalti convertido por Milito (9° centro). Apesar do placar reduto a Inter dominou impedindo a Fiorentina de jogar e poderia ter feito outros gols porém Milito e, sobretudo Eto’o, desperdiçaram muitas oportunidades. Agora, com 35 pontos em 14 jogos (com essa média a projeção final seria de 95 pontos) e com 8 pontos de vantagem, a Inter, na véspera do jogo contra a Juventus, sábado, está tranquila pudendo concentrar-se pelo jogo da Champions contra o Rubin Kazan onde necessita de vencer para chegar às oitavas de final.


* Contemporaneamente na linda ilha de Sardegna a Juve fazia naufrágio ao perder (2 x 0 com uma bomba do brasileiro Nenê) contra o brilhante time de Allegri, um técnico em ascensão. Ferrara alterou novamente o time ao propor o velho 4 / 4 / 2 com Amauri e Diego no ataque: uma tragédia! Cannavaro foi a imagem desse amontoado impotente quando foi driblado fácil do centroavante Matri na ocasião do 2° gol. Diego faliu outra vez dando razão a quem acham o brasileiro não adequado ao ser o farol da renascida juventina. A 3^ derrota abateu os jogadores bianconeri que queriam chegar ao big match com um mínimo destaque, vencer e assumir a liderança. Agora não só o destaque aumentou quanto eles foram ultrapassados em classifica do Milan. Assim a prioridade não é tanto vencer sábado contra a Inter mas, depois da derrota (2 x 0) contra o Bordeaux, é  fundamental vencer contra o Bayern no jogo vale-tudo de Champions. Sorte que o atual Bayern Mônaco é  só uma pálida lembrança daquele timaço da época de Franz “kaiser” Beckenbauer e sucessivamente de Kalle Rumenigge, portanto a qualificação será conseguida.   


* Ainda outro insosso empate da Lazio (0 x 0 contra o Bologna) que termina o jogo sob as vaias da torcida. O paradoxo é que teve de agradecer a Udinese e ainda mesmo a inimiga Roma que, vencendo contra Livorno e Atalanta permitiram à Lazio não ter uma classificação ainda pior. No entanto o início foi ótimo com o time “celeste” que teve 3 oportunidades de marcar; depois disso uma melancólica confusão no fim. Ballardini sabe que o seu futuro depende da próxima seqüência de jogos: derby com a Roma, jogo de Europa League, Inter e Genoa. No derby tradicionalmente o time pior faz a “partida da vida”. Será ainda desta vez?  


* Do outro lado o entusiasmo é elevado pois a recuperação de Totti e a boa forma de Vucinic deixam os torcedores da “mágica” já degustar a vitória  no derby. Contra a Atalanta (1 x 2) Ranieri mantém o esquema 4 / 2 / 3 / 1 com Menez, Perrotta e Vucinic mais Totti. Desta vez o herói foi Vucinic que empatou de cabeça e lançou Perrotta que marcou o gol da vitória. Assim a Roma continua na corrida para obter o 4° lugar, target fundamental pelo seu futuro: se conseguir o clube poderá ter a ambição de lutar pelo título, caso contrário, sem o dinheiro da participarão na próxima Champions League, a sociedade terá pela frente anos tristes como mero figurante no campeonato nacional.


* As estréias dos 2 novos técnicos foi negativa: o Palermo de Delio Rossi foi derrotado da um Chievo sempre atento e dinâmico; já Malesani esperava de ganhar com o seu Siena graças a vantagem conseguida pelo gol do capitão do time Vergassola, mas o seu sonho acabou no final quando o Bari, de virada, venceu com mérito.


 * Também nos acréscimos o Milan conquistou a vice liderança ao vencer (2 x 0) o fraco Catania. Em um jogo onde teve uma modesta exibição o herói foi o holandês Huntelaar (chegado suntuosamente do Real e imediatamente relegado à reserva da reserva) que ao 93° (com a cumplicidade do argentino Andujar, ex Estudiantes, o time onde seria ótimo para este psicologicamente frágil Palmeiras prelevar um líder como o meia Veron) e ao 95° marcou 2 gols pela felicidade do sortudo Leonardo que, desesperado, no final buscava a vitória com 4 atacantes no gramado.


 


       


 

Uma resposta em “Desculpa pelo atraso!”

Carmine, como estão as conversas sobre a venda da Roma? Furou mesmo? Não vai dar em nada? Ou ainda falam sobre essa possibilidade e sobre um eventual interessado?

Abraços.

Os comentários estão desativados.