Categorias
Notícias

Retrospectiva 3/4 – terceiro Trimestre

É possível que esse deve ter sido o melhor período do ano para o palmeirense.

Junho havia encerrado com a eliminação da Libertadores, a perda de Keirrison e a saída de Luxemburgo do comando do time. O time começava a arrancada para o Brasileirão e estava na terceira posição. Porém não jogava bem.

Jorginho assumiu o time de forma inesperada. Treinou o time no sábado, quando foi informado da saída de Luxemburgo e no domingo pegou o Santos. O mesmo Santos que havia eliminado o Palmeiras no Paulista das semi-finais com duas vitórias pelo placar de 2×1.

Logo no primeiro treino antes do jogo contra o Santos um estilo “novo” para os jogadores: um treinador sorridente, bem humorado, e que treinava posicionamento nas bolas paradas.

A torcida – por uma dessas coincidências no sábado do anúncio da saída de Luxemburgo o treino era aberto para a torcida com a presença de sócios remidos – acompanhava atentamente o treino. Claro, alguns palestrinos um pouco mais debochados brincavam: “pô ele pensa ser o Rinus Michel? Não avisaram que ele é interino?”.

Brincadeira não muito elegante. Jorginho estava fazendo a parte dele. Mas o Palmeiras não venceu. O jogo foi 1×1.

Entretanto, após o jogo contra o Santos (dia 28/6) o treinador emplacou uma sequência de 4 vitórias em 4 jogos, 10 gols marcados e apenas 3 sofridos. Venceu os seguintes jogos:


5-jul-09

Avaí

0

3

Palmeiras

12-jul-09

Palmeiras

4

1

Náutico

15-jul-09

Flamengo

1

2

Palmeiras

18-jul-09

Palmeiras

1

0

Santo André

Nesse período a diretoria tentou a contratação frustrada de Muricy Ramalho. O treinador avisava que precisava de um tempo para descansar e decidir o rumo. E a Diretoria se enrolava nos discursos sobre a permanência ou não do treinador interino:

3/7: Jorginho diz que Palmeiras precisa de técnico experiente (Estadão.com.br);
5/7: Marcos revela desejo do elenco ver Jorginho efetivado (globoesporte.com);
16/7: Palmeiras admite que pode efetivar Jorginho como treinador (Lancenet e Folha Online);
17/7: Diretoria sinaliza para efetivar Jorginho como treinador (Gazeta Esportiva);

Até o Presidente L. G. Belluzzo cometeu tremenda gafe quando falou claramente em entrevista na Globo que Jorginho seria efetivado como treinador do time principal:

“O Jorginho já está efetivado. Ele é uma peça importante e que está treinando o elenco neste momento”, afirmou Belluzzo.

Horas depois, a assessoria de imprensa do Verdão entrou em contato com a Glovo e disse que o Presidente foi
mal-interpretado. Segundo ele, quando falou que Jorginho já estava
efetivado, referia-se ao fato de o técnico já ser funcionário do clube
hà dois anos.

“Talvez eu não tenha sido claro. Foi uma ironia, uma
brincadeira… Falei até dando um leve sorriso. Eu não disse que ele
seria o novo técnico do Palmeiras, mas sim que ele estava efetivado por
já ser do clube”.

E não é que na noite de 21 de julho a Diretoria anuncia a contratação de Muricy Ramalho? O time e a comissão técnica, viajando para Goiânia, praticamente foram surpreendidos com a notícia.

Naquela noite o Palmeiras foi garfado pelo árbitro Evandro Rogério Roman e perdeu para o Goiás por 2×1. Ainda dava tempo para Jorginho dirigir o Palmeiras contra o Corinthians e aplicar uma goleada de 3×0 sem contestações.

Terminava aí o trabalho de Jorginho como treinador alviverde. Em pouco menos de um mês (de 28 de junho a 26 de julho) foram 8 jogos, 6 vitórias, 1 empate e uma derrota. Aproveitamento de 79% dos pontos disputados. 15 gols pró e 5 contra. O Palmeiras estava na vice-liderança do Brasileirão no final da R14, com o mesmo número de pontos do Atlético mas ficava atrás no saldo de gols (13 x 12).

Muricy assumiu em 29 de julho no Palestra Itália na R15 contra o Fluminense. O Palmeiras venceu por 1×0 e assumiu a liderança do Brasileirão. Na mesma rodada o Flamengo vencia o Atlético MG.

Dia 1o de agosto o Palmeiras foi à Ilha do Retiro. Mais uma vitória. O Palmeiras, depois da saída de Luxemburgo, tinha feito 10 partidas e vencido 8. Era cada vez mais líder, agora com 4 pontos de vantagem sobre o Atlético MG, segundo colocado.

Agosto começou com problemas. Pierre recebia proposta para sair do Verdão. Numa ação rápida a diretoria conseguiu manter o volante. Recomprou parte dos direitos federativos e deu aumento salarial.

Mas com a entrada de agosto – a tal janela europeia – muitos esperavam as propostas por Diego Souza e Cleiton Xavier.

Belluzzo novamente retorna à imprensa e investiu sua palestrinidade e sua imagem na manutenção dos jogadores do elenco na janela de transferências: “Só sai por cima do meu
cadáver!” foi a frase dita em entrevista na ESPN.

E em seguida Belluzzo, Hawilla e Cipullo fazem coletiva de imprensa na Academia e garantem que o Palmeiras não perderia sequer um jogador na janela de transferência.

No campeonato brasileiro o Palmeiras teve uma péssima sequência de 4 partidas sem vitória. Empatou em casa com o Grêmio (1×1), foi para BH e empatou com o Atlético MG (1×1), teve um péssimo empate na última rodada do turno contra o time reserva do Botafogo no Palestra (outro 1×1) e começou o returno perdendo um jogo fácil para o Coritiba em Curitiba. 3 pontos em 12 disputados.

A torcida começava a ficar preocupada.

Enquanto isso em 11 de agosto a primeira notícia oficial: Belluzzo afirmava no Redação Sportv que o Palmeiras estava interessado em V. Love.

Duas notícias ainda em agosto. Robert foi definitivamente anunciado como novo reforço. E Marcos completava 450 jogos pelo Verdão.

Em 17 de agosto a camisa azul do Palmeiras vazava na internet.

Em 21 de agosto Mozart deixava o Palmeiras, sem deixar saudades. O Palmeiras em seguida vence novamente, contra o inter, 2×1, e confirma a posição na liderança da tabela. Ainda em agosto deu tempo para falar sobre zagueiros. Maurício Ramos quase foi para um clube belga. E David – aquele que saiu na marra do Palmeiras e foi para o Panatinaikos, teve autorização da Presidência para jogar no Flamengo.

E no dia 28 de agosto uma grande notícia: Love era confirmado como atacante do Palmeiras.

Love ainda assistiu o jogo Palmeiras 0x0 São Paulo nas tribunas. Em seguida o Palmeiras venceu o Barueri – na estreia do artilheiro do amor.

E enquanto Love chegava o Palmeiras perdia Pierre. No início de setembro o jogador contundiu-se no tornozelo e desfalcou o Palmeiras por várias rodadas. Mal sabíamos que esse desfalque seria mortal para nós.

Ainda em setembro tivemos uma sequência de vitórias que nos encheu de esperança e otimismo. O Palmeiras após a vitória sobre o barueri perdeu para o Vitória. Mas conseguiu 3 vitórias consecutivas. Cruzeiro (2×1) no Mineirão, Atlético PR (2×1) em casa, e Santos (3×1) na Vila (esse jogo foi no dia 4 de outubro). Nesse jogo, em exibição primorosa, Diego fez gol, participou na jogada de outro e Love também deixou o dele.

O time era líder ao final da R27, 5 pontos à frente do SPFC e 6 pontos à frente do Atlético MG. Teria ainda um jogo contra o Avaí em casa e contra o Náutico fora. Faltando 11 rodadas e dois meses para o fim do campeonato, o palmeirense começava a contagem regressiva.

E também começava um drama.

Fim do terceiro trimestre. Nesta quinta-feira encerraremos a retrospectiva.
Saudações Alviverdes! 

5 respostas em “Retrospectiva 3/4 – terceiro Trimestre”

# 2 – Eduardo Carraro Milagre

Eu, e acho que 99% dos Palmeirenses, achávamos que seriamos campeoes!!

Foi o momento em que eu estava certo que venceríamos o campeonato, maaaas…

O ano podia ter acabado por aí. Depois disso só teve tragédia.

Os comentários estão desativados.