Categorias
Resenha dos Jogos

Os números do Palmeiras de Muricy e do Azulão de Antonio Carlos

O Palmeiras nas mãos de Antonio Carlos deve ser ligeiramente diferente daquele das mãos de Muricy Ramalho.

Aparentemente sim. O treinador em entrevista coletiva na sua apresentação nesta sexta-feira falou em jogar com Diego na meia, dois volantes e “bola no chão”.

E como jogava o São Caetano nas mãos de Antonio Carlos? Veja abaixo um quadro comparativo entre o Palmeiras de Muricy e o São Caetano de Antonio Carlos. Os dados são do Footstats até a R09 e a média é por partida.

O Palmeiras driblava mais (média de 15 dribles por partida contra 10 do São Caetano), e era mais pegador. O Palmeiras desarmou em média 30 vezes por partida, contra 21 do São Caetano. Em termos de faltas os dois times se equivaliam (16 Palmeiras, 17 Azulão) e o time do ABC mostrou nas nove primeiras rodadas maior capacidade de finalização: 23 x 20.

Curioso é o número de cruzamentos: apesar de Muricy Ramalho ser criticado por abusar dos chuveirinhos, na média o número de cruzamentos por partida de Palmeiras e São Caetano se equivalem (veja no gráfico): 27 por partida para cada time.

O São Caetano ainda acertava mais os cruzamentos (25% de acerto contra 20% do Palmeiras) sinal que a qualidade dos laterais era melhor lá nos lados do ABC.

O Palmeiras trabalhava mais passes: 403 por partida (com 92% de acerto) versus 317 (90% de acerto) do São Caetano.

E O ADVERSÁRIO?

O time do São Paulo FC, adversário do Palmeiras neste domingo, não apresenta números muito diferentes. Veja o quadro comparativo contra o Palmeiras:

Em 9 rodadas o SPFC finalizou mais (23 do SPFC x 20 da SEP); driblou bem menos (9 x 15); e desarmou um pouco menos (26 x 30).

Cometeu praticamente o mesmo número de faltas por partida (15 x 16). Mas cruzava menos bolas na área (21 x 27).

Nas mãos de Antonio Carlos o Palmeiras terá números diferentes? Veremos…

Saudações Alviverdes!


7 respostas em “Os números do Palmeiras de Muricy e do Azulão de Antonio Carlos”

SEJA BEM VINDO ANTONIO CARLOS. POR FAVOR, NÃO DEIXE NOSSO TIME PASSAR MAIS VERGONHA, PRINCIPALMENTE CONTRA O TIME DOS BAMBIS.

#5 – Cássio Andrade
Concordo plenamente! Foi muito ‘amadora’ a demissão do Muricy, além de ir contra tudo o que pregamos, que é apostar na manutenção do técnicos por longos anos. O Fergusson no Man Utd está lá há mais de 20 anos. Ele não foi campeão todos os anos, mas ficou lá! Eu imaginava que o Muricy ia ficar uns 5 anos na SEP… doce ilusão!
*******************************
AC pode dar certo no Palmeiras! Espero e torço para que dê certo! Os melhores numeros que ele pode ter serão os numeros das várias vitorias e consequentemente dos títulos que virão…

Com números,sem números,mandar treinador embora com 7 meses de trabalho é coisa de várzea e time pequeno.
Principalmente quando o treinador em questão,dos últimos 5 brasileiros,foi campeão em 3,vice em um, e em outro,por mais ridícula que possa ter sido a campanha,brigou pelo título até a última rodada.

Sds.

Porra Cunio, inócua? Estou mostrando números reais de 9 rodadas de 3 times.

Chuveirinho (cruzamento) é recurso de time se jogada. Pelo menos essa é a análise simplista de muitos. Se isso for verdade tanto o Palmeiras como São Caetano não tinham jogadas armadas. Problema da qualidade dos atletas ou problema do técnico.

Claro, se cruzamento for = falta de jogadas.

Agora, aquela jogada em que o volante cai pela direita, recebe a bola do ala e cruza, é tão mortal quanto tabela dentro da área. E o Marcio Araujo cansou de fazer triangulação com Figueroa. E isso não era da época do Muricy. Vinha do Jorginho. Lembra do gol do Obina com cruzamento de Pierre quando o Palmeiras ganhou de 3×0 dos gambás ano passado?

Inócua? Cada uma…

É animador ver o Antônio Carlos falando em toque de bola, jogar bonito, cada um na sua posição. Tomara mesmo que ele consiga isso na prática.

O diferente com Felipão que tinha estes caras pra fazer e bem estas jogadas. Temos laterais fracos e atacantes fracos pra executar esta função.

Pra vc usar a chuveirada vc tinha que ter qualidades. Tomare que Antonio Carlos faça aquilo que falou, pois Cleiton Xavier e Diego Souza funcionam com bola no chão e não com chuverada.

Acredito na vitoria amanhã, mas não venha me falar se ganhar que foi pra derrubar o tecnico, pois eu não acredito nisto. Pq o ano passado a perda do Brasileiro foi pra derrubar o tecnico tambem? Não acredito mesmo!

Parabéns pela análise, mas inócua. Os estilos de jogo se equivalem muito pelas caracterísicas do futebol brasileiro. Os times são impelidos a jogar assim. Dribles e desarmes são marcas típicas de jogadores ou mais habilidosos (casos de DS-7, Neymar) ou mais pegadores (como Pierre). Técnico náo mudaria esses indicadores. Chuveirinhos poderia ser algo a indicar “dedo” de técnico, mas os sistemas defensivos retrancados de hoje em dia obrigam as equipes a este recurso.

O mais engraçado é criticarem esse “alça bolas” dentro da área. Vivemos disso nos anos 80 com Jorginho e seus escanteios dos dois lados, depois com Felipão e Arce, ninguém falava nada de ruim. Era só “jogada aérea mortal”. A diferença talvez é que com os outros surtiam efeitos.

Os comentários estão desativados.