Categorias
Resenha dos Jogos

Paulistão 2010: análise da arbitragem Palmeiras 2×0 SPFC

POR
DANILO CERSOSIMO

Na
estreia de Antonio Carlos Zago o Palmeiras venceu o SPFC por 2×0 e se recuperou
no Campeonato Paulista – uma boa seqüência de vitórias pode colocar o time no
G4, já que estamos somente a 2 pontos do 4º colocado.

A
arbitragem de Rodrigo Cintra foi boa, apesar das reclamações do adversário, que
nunca perde porque o adversário foi melhor.

Logo
a 1 minuto de jogo Diego Souza finaliza pro gol jogada corretamente invalidada
por impedimento. Ainda no 1º tempo o zagueiro Xandão fez falta no próprio
Diego, que arrancava em direção ao gol, e foi punido com cartão amarelo de
forma justa.

Na 2ª
etapa, logo aos 6 minutos de jogo o mesmo Xandão puxa a camisa do
lateral-esquerdo Eduardo, cometendo falta que parou um contra-ataque do
Palmeiras. O árbitro o pune com o segundo cartão amarelo e assim o zagueiro
adversário é expulso. O lance causou polêmica, por ser bastante interpretativo.
Pela velocidade do lance, no calor do jogo, pode-se aceitar qualquer decisão
tomada pelo árbitro. Eu teria dado o 2º amarelo ao jogador sãopaulino, pois
entendo que ele visou apenas cometer a falta, ainda que esta não tenha sido
violenta.

Logo
em seguida, Robert escora de cabeça e marca o primeiro gol do Palmeiras na
partida. Rogério Ceni, imediatamente gesticula para a arbitragem sugerindo que
o gol fora marcado com a mão. Apenas ele e o “craque Neto” tiveram essa
opinião. A bola é cabeceada e de fato resvala no ombro de Robert, mas nada que
configure um ato ilícito, que tente ludibriar a arbitragem. Talvez o “craque
Neto” esteja querendo dar uma força pro Rogério, seu chapa; ou talvez esteja
querendo puxar o saco do patrão para salvar o emprego no programa que sofre com
a audiência na hora do almoço…

O
adversário ainda reclama um possível pênaltI em Marcelinho – eu não daria,
achei que o atacante deles se jogou tentando cavar. Os palestrinos reclamam um
pênaltI em Robert, numa disputa de bola com Renato Silva – que eu também não
daria, pois entendi que ambos vinham se puxando desde o início do lance fora da
área.

Pierre
ainda levou o 3º amarelo e está fora do jogo contra o Rio Claro – terá um
merecido descanso.

No
geral achei a arbitragem boa, os auxiliares estavam atentos aos lances de
impedimento e o árbitro dessa vez não inventou, apesar da habitual travada no
jogo  com faltinhas no meio campo. Nota 7
pra ele.

Por
fim, fica meu registro de boas vindas ao novo e jovem treinador Antonio Carlos
Zago – creio que tem tudo para dar certo no Verdão, se lhe derem condições de
trabalho e tempo.

Gostaria
também de lamentar a maneira como Muricy foi demitido – ele parecia ser um
sujeito bastante honesto e acredito que a forma como o trataram
profissionalmente não foi legal. Acredito que no longo prazo seu método de
trabalho, visando a valorização do patrimônio do clube nos traria grandes
benefícios. Desejo sorte ao treinador em sua nova empreitada.

 

11 respostas em “Paulistão 2010: análise da arbitragem Palmeiras 2×0 SPFC”

Impressionante a cara de pau dos bambis! Eles SEMPRE são ajudados… o time mais ajudado da história! Ganhou os ultimos 3 Brasileiro na mão grande. E toda vez reclamam da arbitragem! Impressionante! Nojento! Mesmo SE o Palmeiras tivesse sido beneficiado, elas não tinham que falar nada…
* Quanto a nota pro juizão, eu não vi o jogo. Prefiro não opinar… hehe

Nota 8 pro juiz. Só de ter expulsado o tal Xandão já valeu. E concordo com o Yzquierdo #8, esse juiz vai pra geladeira.

Concordo com relação ao Muricy, levando-se em conta o que sabemos. O que ocorria nos bastidores poderia talvez mudar nossa opinião. Achei lamentável que tenha feito comentários que depuseram contra tudo o que pensamos dele – “com esse time não dá… ” e telefonar para a dfiretoria pedindo vitoria sobre o Palmeiras. Não pe digno e não corresponde a sua fama. Se forem veridicos esses fatos podemos ou não questionar o caso “gas de pimento”?

Nota 10 pro Cintra! Expulsar o zagueiro bambi numa falta de jogo, tem que ter coragem mesmo!

Uma coisa é certa, este árbitro sairá de cena em pouco tempo, não somente para jogos delas, mas de quaisquer jogos importantes, logo o veremos na A-2 e A-3 do paulista.

E por falar em sumiço, onde anda aquele arbitro que deu três pênaltis a nosso favor contra elas no paulistão/08?

Marcio#2

“Achei que o único lance bizarro do Rodrigo Cintra foi marcar uma falta do Marquinhos no Jean, no 2o. tempo”.

Concordo interalmente com você, este lance muito provavelmente acabaria em jogada de gol, pois o Marquinhos seguiria livre para dentro da área, na minha opinião erro grave do juizão.

No resto ele apenas inverteu algumas faltas sem importância.

“Em terra de cego, quem tem um olho é rei”. Com um monte de arbitro porcaria por aí, um que não invente pras bibas já merece nota alta. 8,5.

Não via nada além dos melhores momentos. Mas imaginando a bucha que é apitar um clássico destes, o cara foi bem. No lance do segundo cartão amarelo ao Xandão, para mim, ele viu o puxão de camisa e correu para amarelar o cara. Quando viu que era ele, pensou: “Xi, ferrou… Agora tenho que expulsar.”

O trio de arbitragem foi bem, nota 8. O maior erro foi esse relatado pelo Márcio acima.

O trio de arbitragem foi bem, nota 8. O maior erro foi esse relatado pelo Márcio acima.

O 2o. cartão amarelo aplicado ao Xandão, tomando como parâmetro os critérios de arbitragem nacionais, foi justo. Porém, eu não concordo com esse critérios. Aqui, qualquer faltinha é punida com cartão amarelo. Aí, quando nos defrontamos com a arbitragem européia ou da vizinhança sulamericana, é aquele espanto com a diferença.
Achei que o único lance bizarro do Rodrigo Cintra foi marcar uma falta do Marquinhos no Jean, no 2o. tempo. Nosso jogador tomou o empurrão, não revidou e entraria livre com a bola na área. Erro grotesco!
Nota 7

Só discordo em relação ao lance do Robert. Para mim, penalti, sem maiores discussões. Ambos vinham no jogo de corpo, legal, até que o sãopaulino o agarrou, dentro da área.

Os comentários estão desativados.