Categorias
Italiano

Campeonato Italiano: Inter como o Palmeiras?

POR CARMINE PACIELLO

* Assim como o Palmeiras,  que perdeu um titulo já ganho perdendo uma ampla
vantagem no final do último brasileirão – para desespero de todos nós
palestrinos – a Inter, com o 4° empate 
realizado nas  últimas 5 rodadas  parece estar 
na  mesma fase involutiva e agora
deve rejeitar  os assaltos da turma de
Leonardo. Contra a aranheira do Genoa,
que havia tomado 5 gols no jogo de ida,  os <nerazzurri>  tiveram uma prestação debochada falhando na
tentativa de ampliar a vantagem sobre os rivais depois que Roma e Milan haviam
empatado no desafio de sábado. Ainda sem Mourinho no banco e Cambiasso no
gramado, suspensos depois o jogo contro a Sampdoria, um time  sem alma, sem garra e sem ideas apareceu no
cenário do S. Siro. Vice-versa o  Genoa,
bem organizado por Gasperini, foi autor de uma partida perfeita com uma fase
defensiva diligente, fechando todos os espaços 
e projetando-se em avante com rápidos contra- ataques. Péssima a prova dos
atacantes <interisti> que nao conseguiram marcar contra a segunda pior
defesa do campeonato,  em particular de
Pandev, substituído por Eto’o ao 58° minuto e de Balotelli apesar de, infectado
por um vírus intestinal e com febre alta o <bambino> (como o apelidou
Mourinho) estava debilitado. 

* Afinal  o jogo que deveria escolher o anti-Inter se
revelou pouco espetacular.  Sem Totti mas
recuperando Pizzarro e Toni (no banco) a Roma teve um início-sprint com De
Rossi e Julio Baptista tentando marcar mas logo o Milan passou a ter  o domínio territorial graças a uma exata
circulação da bola e controlando os empurros laterais dos <giallorossi>
em particular de Riise. Roma em angústia 
também no 2° tempo com Borriello que perdeu uma clara oportunidade de
marcar. Vendo o seu time bastante cansado e sofrendo a superioridade do
Milan,  Ranieri  resolve de tirar Julio Baptista e escalar
Toni que efetivamente conseguiu aliviar um pouco a pressão dos
<rossoneri>; ao 74° a Roma  quase
marca com uma cabeçada de Vucinic mas o Milan retoma a atacar até o fim quando
ao 89°, pressionado por Burdisso, Huntelaar não consegue converter  em gol.

* Três pontos
fundamentais pela Juventus em chave Champions. Já a Fiorentina, com uma posição
na tabela mortificante – caiu no limbo dos Nem Nem,  uma 
estranha  tribo que reúne seja  aqueles times felizes da vida por terem
escapado da Série B (casos do Chievo, por exemplo) e que nada mais querem,  com os times que sonharam com o título (a
Fiorentina mesmo) mas tiveram um duro despertar. Acho que a experiência de
Prandelli como técnico <viola> está próxima a terminar, independentemente
do resultado que o seu time vai levar nessas oitavas de Champions  contra o  Bayern [ nesta
terça-feira a Fiorentina foi eliminada
]. 

* Sem Del Piero a Juve
se apresenta em Florença com um interessante 4/3/2/1 tendo Trezeguet no ataque
e os meias Candreva e Diego em suporte. O brasileiro (que estava impedido) abre
as danças ao 2° min.  Mas  a Fiorentina, comandada por um execelente
Montolivo, reage imediatamente assumindo a supremacia territorial e empata com
o ex Marchionni  depois que Gilardino e
Vargas perderam boas chances. No 2° tempo, enquanto Bolatti substitui a Vargas,
machucado, Grosso sucede a De Ceglie, uma ação vencedora do tecnico Zaccheroni
pois o lateral empurra  forte para a
frente e desempata com um lindo chute cruzado. No final o ritmo cai com a Juve
que controla o jogo e  com a habitual mãozinha
do juiz que nao vê uma presa de wrestling de Chiellini sobre Keirrison!

* Mas por então a 4^
posição é do Palermo que sofreu ao derrotar o Livorno mas, afinal tive êxito
com Miccoli que marcou o gol da vitória no final.
Rubinho
(cuio passe partence ainda ao Palermo) 
foi o destaque do jogo ao fazer boas defesas.
A fanática torcida <rosanero>  está impaciente por ver  o seu time jogar em Europa e confia no
diligente trabalho de Delio Rossi que está desenvolvendo um excelente projeto
com um time que junta a  experiência
(Simplicio, Liverani, Miccoli) com o talento dos jovens Pastore, Sirigu,
Cavani, Kjaer, Hernandez.    

* Comprometida  pelo contrário a presença do Napoli na
Champions League. O time  que
realizou    4 pontos nos últimos 6 jogos não sabe mais
ganhar e agora está a 5 pontos do Palermo. Por sua vez o Bologna que  na 2^ fase do campeonato com 17 pontos
conquistados é o 2° time atrás da Roma (20), teve um inicio explosivo e depois
de 12 minutos já conduzia por 2 a 0 graças aos gols do ex Zalayeta e do
gaúcho  Adailton que está vivendo um
momento de glória pessoal.
A cabeçeada do zagueiro Rinaudo
iludiu os <azzurri> acostumados em virar jogos desesperados  mas desta vez nao conseguiram na tarefa.
Mesmo tendo algumas  opportunidades,  anuladas  pelo goleiro Viviano que confirma  ser um prospecto interessante, o Napoli atual
 mostra limites evidentes  pois, a meu ver, Mazzarri (que é um exímio incentivador
 mas não um tático de primeira) ainda não
soube encontrar a posição ideal para Hamsick, ou seja o melhor jogador do time;
além disso Lavezzi está sem condição e apático enquanto  Quagliarella corre e  luta mas com pouca utilidade. Nas alas Maggio
está cansado e o recém contratado do Liverpool, 
Dossena é ainda lesionado. Ainda mais o elenco é limitado portanto seria
oportuno que o presidente do Napoli em vez de fazer enfáticas proclamações  e usar a demagogia para enganar os
<tifosi> napolitanos tomasse medidas  para reforçar o time trazendo jogadores de
alto nível. 

 * A Sampdoria obteve uma importante vitória e assume
o 6° lugar na classificação. O time foi capaz  de não abater-se quando Floccari, ao 7°,
marcou pela Lazio; com disciplina organizou as jogadas tendo como destaque o
jovem Poli no meio e os alas Guberti (emprestado da Roma) e Semioli. Assim, em
7 minutos os <blucerchiati> antes empataram  com Guberti  e depois viraram o jogo graças a Pazzini que
marcou o seu gol n° 13.

* A pressão da Lazio
que buscava o empate com força na 2^ etapa 
obrigou  a Samp a baixar o
baricentro mas a Lazio fez <harakiri> ao ter antes o técnico Reja expulso
por protestos (pela segunda vez consecutiva) e depois também Zarate deixando o
time com 10 e sem a guia em um momento delicado. Claro que depois dessas
circunstâncias ficou tudo mais fácil para o time genovês que viu Cassano voltar
ao gramado depois de 49 dias de guerra entre ele e o técnico: foram 25 minutes
sem brilho aguardando a fim da campanha onde só um entre ele e Del Neri ficará
no time. 

* Graças a um gol do
bom meia Cossu o Cagliari empatou  (2 x
2) contro um Catania em otima fase. Os sicilianos  antes empataram  com um lindo gol de Lazzari com o pênalti
convertido por Mascara e depois de 4 minutos viraram o jogo com o 1° gol
de  Maxi Lopez. O lateral Izco poderia
ter marcado o terceiro gol mas o forte chute explodiu no travessão. O técnico
Allegri enfim colocou o meia Cossu, recém convocado na Itália e que estava
bastante cansado depois do amistoso jogado contra os Camarões. Com ele
articulando as jogadas  o Cagliari, mesmo
em dez pela expulsão do zagueiro Canini, conseguiu empatar no final com o meia
que sonha em ir à Copa.   

* Seleção da rodada n°
27.

Técnico: Gasperini (3/4/3)  
Rubinho  (Liv) – Bocchetti (Genoa),  Lucio (Int) e Burdisso  (Roma) – Mesto (Genoa), Poli (Samp), Milanetto
(Genoa) e Guberti (Samp) – Biabiany (Par), PazZini (Samp) e Miccoli (Pal).

Ciao! Palmeiras sempre!

***

Classificação após a R27
(Crédito para classificação e imagem: http://www.corriere.it)


2 respostas em “Campeonato Italiano: Inter como o Palmeiras?”

Uma pena que nas duas últimas partidas, em que a Roma poderia muito bem ter somado 4 pontos, somou apenas 2. O título eu vejo distante, mas o vice-campeonato está a apenas 3 pontos e eu acredito!

Forza, Roma!

Os comentários estão desativados.