Categorias
Opinião

OPINIÃO DO CRISCIO: Resultados medem sucesso

3.764. Três mil setecentos e sessenta e quatro.

Esse é o número do público pagante no Palestra Itália numa tarde de sábado, onde o Palmeiras não conseguiu vencer o Mirassol. Um recorde negativo. A Mancha fez campanha na porta para o torcedor não
entrar.

Ah, mas tudo bem, Antonio Carlos, o treinador, avisou que a partida era prá fazer testes e que os jogadores entraram desmotivados pela difícil situação no Campeonato Paulista.

Cabe perguntar se a partida contra Ponte Preta, Rio Claro e outras também eram testes.
Justificativa infeliz de um técnico que pode até virar ídolo nesse papel, mas chegou fazendo média com a parceira e com a Diretoria, desdenhou das críticas de Muricy e disse que o Palmeiras “tinha elenco para lutar pelo título nos dois campeonatos que disputava”.

Ok, ok, agora que está eliminado do Paulistão, avisa que não conseguiu treinar e que os jogadores estavam contundidos e blá blá blá. Va bene…

Mas pior foi a justificativa pela derrota dada pelo Vice-Presidente de Futebol Gilberto Cipullo para o resultado. Enquanto na ESPN o Presidente Belluzzo afirmava que realmente as coisas estavam erradas, Cipullo dizia que está tudo bem, tudo sob controle. Dentre as frases do dirigente destacamos algumas (em entrevista à Rádio Bandeirantes após o jogo):

  • “A Diretoria está acompanhando o
    trabalho do Antonio Carlos”;
  • “Pegou o time no meio do campeonato”;
  • “Só
    teve uma semana de treinamento”;
  • “Agora ele terá tempo para implantar
    de vez a filosofia que ele tem no Palmeiras”;
  • “A questão financeira não é
    preocupação, dívida sob controle”;
  • “Não trazer grandes jogadores é um
    problema geral”;
  • “Lincoln, Ewerthon, Edinho e Ivo são jogadores de
    qualidade”;
  • “O Palmeiras precisa de alguns retoques”;
  • “Não é só o Palmeiras que não está conseguindo resultados”;
  • “O Palmeiras já mostrou
    esse ano contra o Santos e contra o SPFC que tem time”;

As duas últimas são as melhores. Quanto aos outros times, que não estão conseguindo resultados (alusão a SPFC e Corinthians), estes rivais estão claramente priorizando um torneio continental, em detrimento de um torneio regional. Nós não temos o torneio continental para priorizarmos.

E dizer que o Palmeiras, quando joga completo já mostrou que pode ganhar do Santos e do SPFC não combina com alguém com tantos anos de futebol. Sabemos muito bem em que condições o Palmeiras venceu o Santos e o SPFC. De que me adianta com time completo ganhar na fase de classificação do Santos ou do SPFC se na soma dos resultados, o time não ganha de Rio Claro, Rio Branco e Mirassol e está em 10o no Paulistão? De que me adianta 11 bons jogadores que ganham com as calças na mão do Santos se não temos um elenco?

***

Meu amigo Geraldo Gualberto, o DG, escreveu nos comentários do pós jogo Palmeiras 1×1 Mirassol, algo que estamos insistindo há algum tempo. Temos tanto medo da volta de Mustafá que decidimos por “poupar” nossos dirigentes de suas atrocidades. Esse sentimento você vê explícito em muitos, dentro das alamedas do Palestra, ou nos blogs e sites de palmeirenses.

Chega!

Todo mundo que tem bom senso e acompanha o Palmeiras já sabe: a atual gestão do futebol palmeirense comanda há 39 meses o departamento de futebol. No profissional ganhou um título paulista e perdeu três brasileiros, três paulistas (considerando o de 2010), perdeu a Libertadores de 2009, não se classificou para a Libertadores de 2008 e 2010. Perdeu ainda a Sulamericana de 2008 quando permitiu que o treinador fizesse o papel de comentarista de TV ao invés de ir ao trabalho. Perdeu ainda a Copa do Brasil de 2008.

Ainda: teve CINCO técnicos no período de 39 meses (Caio Jr, Luxemburgo, Jorginho [ temporário ], Muricy e Zago). Contratou mais de 50 jogadores, mas não conseguiu formar um elenco permanente. Teve nas mãos a parceria da Traffic que anunciou no final de 2007 mais de R$ 40 milhões para investir em jogadores no Palmeiras. Hoje vemos jogadores da parceira no SPFC, no Flamengo, e em outros. Em 2010 não tivemos jogadores da parceira.

Ainda falando de 2010, da mesma forma que nos anos anteriores, chegamos em abril e não temos o elenco completo.

Nas categorias de base, passados 3 anos, somente agora, nas mãos de Marco Biasoto, contratado em 2009, é que apresentamos algumas promessas. Muitas destas promessas contratadas durante o ano de 2009, pelo próprio Biasoto. E o projeto com incentivo fiscal – onde no período o SPFC levantou mais de 14 milhões de reais – não saiu.

O Palmeiras é uma nau sem rumo. Muitos se esforçam e trabalham duro, é verdade. Mas no mundo de onde eu venho, os resultados são os principais indicadores para medir o sucesso e a continuidade dos gestores, e não o quanto a camisa está suada.

***

Vamos levantar o astral: vemos um novo canal de palmeirenses entrar no ar.
Trata-se do A ACADEMIAhttp://a-academia.zip.net/.

O site se apresenta assim: A ACADEMIA é o primeiro “futeblog gráfico” do mundo: 11
artistas gráficos desenhando sobre seu time. São cartunistas,
caricaturistas, ilustradores e quadrinhistas, alguns mais fanáticos,
outros nem tanto, cada um, ao seu estilo, traçando sua relação com o
Palmeiras. Confira nos Arquivos os posts desde Janeiro/2010.”

Vale a pena ver. Entrem no site e vejam as charges bem humoradas e que relatam bem o que passa atualmente o palmeirense, uma delas como essa acima. Não nos lembra certos dirigentes de um certo clube… ??! Bem sacada não?

E vamos em frente. Mas que a vida do palmeirense tá complicada, ah isso tá.

Saudações Alviverdes!

V. CRISCIO

68 respostas em “OPINIÃO DO CRISCIO: Resultados medem sucesso”

Caramba amigos, 67 comentários. Que beleza hein? Parabéns.

Paulo (62) belo texto.

Abs

E o preço da arquibancada baixou.Quanto o time tá mais ou menos eles enfiam a faca no torcedor.Quando a vaca tá indo pro brejo lembram que o preço tá alto.Tá tudo errado.

Dias de acreditar na renovação. Na recuperação. Tempo de esperança – não por acaso verde. Tempo de fé palmeirense.

Tempo de tentar refazer o que não deu certo. Mas não de romper o que já funciona. Mudar só por mudar não vai mudar muita coisa. Uma coisa é fazer oposição à situação. Outra e a oposição ao Palmeiras. Outra tão pior é ser oposição dentro da própria situação. Discutir é sempre saudável. Divergir faz parte do jogo. Jogar contra está fora de campo.
Assim como o clube precisa de todos os tantos segundos (e os tantos primeiros) do torcedor, o Palmeiras está precisando de todos os palmeirenses mais por perto. Afinal, o que de fato une tantos filhos e irmãos de fé? O que há em comum entre tantos tão divergentes? Um passe de Ademir da Guia ou um gol do Evair ou uma defesa do Marcos para quem souber a resposta.

É hora de botar mãos, pés e cabeças à obra.
Como a mamma que espera os filhos no domingo de Páscoa, é hora de deixar as divergências no capacho da porta e dar um grande abraço. O Palmeiras escolheu o palmeirense para o acolher. O ovo de Colombo e de Páscoa a ele é dar um pouquinho de paz para trabalhar.

Concordo em todos os sentidos.
Valeu Mauro!

Que tal um pacto?

Quem vai pagar o pacto é o palmeirense de verdade. Aquele que torce pelo time, não por ser sócio. Aquele que torce pelos 11 em campo, não pela torcida profissional. Aquele que é Palmeiras, não a empresa dele. Aquele que vibra pelos jogadores do clube, não pelos jogadores dele.

Como ganhar dos outros se a gente se perde em casa?

A pergunta eu fiz para alguns palestrinos no fim de ano. Sempre sabendo que palmeirense que é palestrino pode e deve ser corneteiro. Faz tão parte da essência quanto ser campeão. Só não pode é fazer disso uma política de vida. Para não dizer política mortal com p e propósitos minúsculos dentro do clube.
O palmeirense sabe por A mais Série B o que é estar desunido, sem idéias e ideais na situação. Sabe o que é não saber o que deu errado em 2009. E sabe o que acontece quando quem deveria conhecer não sabe nada. O que não é o caso. Nem ocaso.
Faz parte da vida perder – não da morte pela qual muitos parecem torcer. É tempo de paz quaresmal. De reflexão. De fazer festa com amigos e família. Tempos de compaixão. Congraçamento. De dar. De doar. De jogar junto. Como una família. Como um time. (mais um pouco)

Ainda é pouco, quase nada, pelo destempero e despreparo visto em campo. O elenco não é ruim. Mas não é bom. É limitado. Perdeu um título ganho em 2009, se perdeu, e mais que tudo, perdeu a confiança. Também porque nenhum profissional consegue ser o que é ou o que pode ser pressionado como foi Vágner Love. Como está sendo o presidente. Como qualquer um que não caia nas graças de alguns grupos ou facções ou milícias.

A direção de futebol precisa reencontrar o futebol e a própria direção. O time ainda tem como se achar, se reforçado. A “sorte” verde é que, fora o Santos, ninguém está jogando bola no Brasil. Mas o Palmeiras, dentre os grandes, é quem está jogando fora muitas chances.

Não vai se apequenar, não vai virar o que não é, como comentam (sic) muitos urubus, abutres e outros bichos quaisquer da mídia. Aquilo é papo de torcedor dos outros. Aqui é um toque de um torcedor palmeirense, claro, mas de um jornalista que não torce contra os outros – e nem distorce os fatos.

O Palmeiras sai desta. Desde que entre de vez com a ideia de que precisa tratar a cabeça antes do corpo. Desde que todos ajudem e se ajudem. Mais fora que dentro de campo. (tem mais)

continuando…

Por mais que tenha razão e muitas emoções para não querer se decepcionar mais uma vez com o time, com o treinador de plantão, com a direção que tem falhado mais que o esperado, não se pode largar o time. Pior que a má fase, só ficar de mal do time, e de fora do estádio. Tem de discutir. Tem de debater. Tem de conversar. Tem de cornetar. Tem de cobrar. Não pode é deixar de ir ao estádio. Esquecer o time. Aí é que não vai, aí é que não sai. Sei que é fácil falar das frias tribunas para alguém continuar sendo fervoroso fiel e frequente freguês. Mas amar é isso. É na dor do torcedor que um time se alimenta, se agiganta, se levanta.

É o que o próprio clube, e muitos palmeirenses, fizeram na última segunda-feira, elaborando uma pauta de sugestões para melhorar o clube. Iniciativa de Paulo Nicoli. Começo de tantas reuniões que, nos últimos meses, também em iniciativa paralela dos Eternos Palestrinos, têm levado mais luz a um clube que ficou travado e entrevado por práticas medievais. Um clube que precisa ser mais democrátivo. Mais vivo. Menos vitalício como os conselheiros que têm história no clube. Mas neles não podem se perpetuar. (continua)

Vou reproduzir um texto que me emocionou:

Por Mauro Beting
Torcida que canta e vibra

O Santos não via futuro em 2002. Achou no quintal uma geração brilhante e, desde então, virou o jogo, mesmo, agora, pisando em dívidas. O Botafogo parecia ter virado o fio e o caos depois de começar o ano apanhando da bola e do Vasco por 6 a 0. O mesmo rival que hoje está perdido e se perguntando se ainda vai, se ainda cai, se ainda é Vasco, depois da nau ter virado, na final da Taça Guanabara. Por mais que os estaduais não sirvam de exemplo, para cima ou para baixo, é só para reafirmar que tudo vira muito rápido neste mundo acelerado. Quando não celerado.

O Palmeiras entrou em parafuso desde o final de 2009. O que era certo deu errado. O que era falha virou fracasso. O que nem era passou a ser a Era das Incertezas no Palestra. Será que tudo é tão ruim assim? Será que todos não prestam, não prezam, não Palestra?

Falar do inefável empate contra o Mirassol não cabe. O time mesclado errou tudo e mais um nada. O treinador foi infeliz como poucos. Isso, porém, é o menor. Triste no sábado, sombrio em quase todo 2010, é que muito palmeirense tirou a temporada como ano sabático. Pediu licença do sacro ofício de palmeirense. Não vê jogo. Não vai ao estádio. Não vibra. Não teme. Não treme. Não goza. Ñão é gozado.

NÃO!

Luiz,bons nomes existem sim, o problema é que apenas 280 conselheiros votam, um colégio eleitoral totalmente corrupto e pequeno, para a grandeza do Palmeiras, talvez com eleições diretas este processo se altere…

A maioria destes conselheiros vendem seus votos, por vantagens que cobram assim que o presidente assume o cargo, o prof. Belluzzo sofre com isso até hoje, até ameaça de morte já sofreu.

É esta política nojenta e tacanha que esta acabando com o Palmeiras.

Claro que esta gestão tem erros, mas a oposição é contrária ao Palmeiras… vai entender…

pois é, não é possível que dentro de um clube como o nosso não haja um bom nome, senão vamos abrir um edital e terceirizar a presidencia.

Luis,

“um bom nome terá que surgir de nossas fileiras”… este é um problema que vem de muito tempo dentro do Palmeiras, não surgem novas lideranças, os nomes são sempre os mesmos, Cipullo, Mustafa, Frizzo, Tironne, etc…

O Paulo Nobre é um esportista, corre o campeonato de rally, tem muito orgulho de ser palmeirense pois sempre coloca um distintivo do Palmeiras no seu carro de competição, mas é uma incógnita como administrador, vamos esperar…

Raul, o que eu quis dizer foi que um bom nome terá que surgir de nossas fileiras. “nossas”, eu quero dizer que o cara seja palmeiense como nós.
não sei da capacidade desse paulo nobre, mas se for o cara eu vou apoiar.
quanto à muricy ou luxemburgo ou jorginho,etc não adianta imaginar o que teria sido melhor, eu nunca gostei de nenhum dos dois.

Luiz #56

Sem exageros meu amigo, apenas estou falando daquilo que estou vendo, fui um dos que mais apoiei o prof. Belluzzo, mas não sou cego e estou enxergando as c… que esta gestão esta fazendo, mandar o Muricy embora e trazer o ACzago foi uma delas.

Paulo Nobre será um bom nome para as próximas eleições, o prof.Belluzzo pelo que fiquei sabendo apoia o Paulo Nobre.

pessoal, do jeito que vcs estão indo vão acabar propondo André Sanchez ou juvenal Juvencio pra pesidente do palmeiras.

Eu acredito nesta noticia do Paulinho sabe pq?
Pq as pessoas que dirigem o Palmeiras hoje e dos ultimos anos provaram ser muito incompetentes, fora Belluzzo, estamos ferrados, a oposição não presta, e a situação tambem não, o que nos espera?

Sou Palmeirense mas não acredito que vamos longe na copa do Brasil não, se chegar pode ter certeza que sera um grande milagre.

Lourenço, o Pacto é com o Palmeiras e não com quem está no Palmeiras……….

Tudo pelo Palmeiras e nada do Palmeiras…..não é assim?

Não gostei do texto do Mauro Beting, que está no site… e não gostei nada do proposto.. Ora, como fazer pacto com alguém que não merece nossa confiança ? Me dê motivos para acreditar que dias melhores virão… Tragam 6 jogadores de ótimo nível.. ponham as obras da ARENA BELLUZZO pra funcionar… enquanto a mediocridade e a mentira imperarem, eu vou cornetar essa turma que dizia MUDAR O PALMEIRAS…Belluzzo vendedor de ilusões..

Raul, eu já não duvido mais de nada.., mas não custa nada alguém se informar sobre isso.
e ta lá mesmo…
abr

Vicente, o que sinto hoje é apatia. Perdi as esperanças nessa diretoria de futebol. Enquanto ela estiver por aí, sei que nada vai mudar. Não adianta tentar conter um vazamento numa barragem com um band-aid.

Cansei de bancar o “sabido” aqui, como o Belluzzo chamou os críticos. Já falamos tudo o que tinha de ser dito. O Belluzzo que ponha a mão na consciência e continue agindo (ou deixando de agir) da maneira que bem entender. Ele que coloque a cabeça no travesseiro e tente durmir tranquilo, ciente de que fez o melhor que podia.

Tá no blog do Paulinho né???

Só podia ser mesmo… eu não credito!!!

SE ISSO FOR VERDADE……

Vendeu a alma
29 de março de 2010
Luiz Gonzaga Belluzzo, além dos problemas naturais de sua gestão, recebeu uma herança maldita de seu antecessor.

Pouco se fala sobre isso na imprensa, embora, no Parque Antarctica, muito se comente.

Della Monica costurou um acordo indecente com a facção criminosa Mancha Verde.

Paulo Serdan e seus capachos queriam controlar o departamento de futebol do clube.

O ex-presidente insistia em dar a pasta para Cipullo.

Para concordar com a indicação, a facção impôs suas condições.

Teriam apoio da diretoria, em caso de fracasso do departamento de futebol, para que o próximo dirigente fosse indicado pela Mancha.

Della Mônica, de maneira inexplicável, fechou este acordo infernal, com a ilustre presença do Diabo.

Motivo pelo qual a vida do clube nunca mais teve sossego.

A Mancha Verde cobra a promessa e quer o futebol do clube.

Belluzzo resiste, mas sofre as conseqüências por um ato que não cometeu.

No Palmeiras, conselheiros covardes fecham os olhos, elogiam os bandidos pela frente, mas os detonam pelas costas.

Enquanto essa turma não for expulsa do clube, o Palmeiras continuará se apequenando cada vez mais.

ABR

tá certo que foi o paulistão mais patético dos ultimos tempos para nós, mas exceto pelo sonho de uma noite de verão santista ( com dívida de mais de 250 milhões esse time não dura até junho), o resto tá na mesma draga. priorizaram libertadores? vcs já se deram conta do nível desta libertadores? fraquíssimo, um dos piores que eu ví. os bambis perderam todos os clássicos do paulistão, incluindo portuguesa.

estive em são bernardo para assistir pela A2 o eletrizante sbernardo 3 x linense 3, com 11 mil torcedores (tá certo que o ingresso custa 10 contos), a diferença é que lá eu ví jogador suando a camisa porque não está com a cabeça na europa, nem pertence à Traffic,etc,etc os caras estão unidos para o time subir e eles junto.

Concordo com a Vera…

Não se contrata bons jogadores porque o retorno financeiro do paulista não é alto… A copa do brasil também não é assim tão rica, é melhor investir pra chegar em 4 no ultimo semestre do que investir alto agora… Outra coisa, tem a copa em junho/julho, vão contratar jogadores caros pra ficarem parados mais de 1 mes…???

A torcida que espere até lá….

Acho que a diretoria de futebol pensa assim…

Esquece que o palmeiras é time grande, e q time grande não entra em campo em sua casa pra fazer testes, time grande não chega em décimo no torneio regional… Que o Palmeirense gosta de ir ao Palestra sabado a tarde com a família, pagar ingresso e ver um grande time jogando… Gosta de ir ver o time disputando uma final com um rival mesmo sendo um torneio regional… O futebol pros caras é negócio mesmo…!!

Nem revoltado eu estou mais, hoje eu estou triste…

Essa diretoria e a presidencia precisam de uma nova oposição dentro do clube…

Hoje a gente vai fazer o quê?? Se o grupo de oposição é aquele que a gente sabe…

O Palmeiras precisa de uma 3 via, e pra já….

Abandonar o time é uma escolha inteligente de uma torcida não valorizada pela direção. Mas abandonar um time apático, desmotivado.Poderia estar cheio de craques, mas sem esforço, luta, nada se consegue.

A direção do clube precisa sentir no bolso. Não somente os que lá estão agora, mas tem que ficar o recado para aqueles senhores “donos do clube”. Precisam mudar a mentalidade, pensar fazer futebol para o torcedor. Falta isso, na minha modesta opinião.

Concordo plenamente Eduardo, com a reação do time, fui lá e comprei os bonés..
agora os caras fazem uma força gigante pra não irmos ao estádio e não comprarmos camisa etc etcetc
o time ta uma porcaria, os caras tão falando do ano passado ainda……, o Muricy ja foi faz tempo… e ainda falam nele
pra piorar dizem que depois das derrotas o AC se encontra com o presidente do curintia…
abr

Ah, desculpem-me quem falou da torcida… a torcida é reflexo do que é feito em campo. A torcida do Fluminense ano passado, no primeiro turno, abandonou o time porque ninguém corria. No segundo turno, com a molecada e novas contratações, o time passou a apresentar resultados, ir pra cima, vencer, e aí sim a torcida foi lá porque o time REAGIU.

Quando o Palmeiras reagiu no Paulista, vencendo Sertãozinho e Santos de virada, com raça e vontade, o resultado foi casa quase cheia contra a Ponte. Ou eu estou mentindo?

Então é bom parar com essa baboseira de pressão da torcida, abandono da torcida, porque isso só reflete a PORCARIA de futebol que o Palmeiras tem “apresentado”.

Tá ridículo.

Os comentários estão desativados.