OPINIÃO DO CRISCIO: E SE?

Nesta febril e cinzenta manhã de domingo de Páscoa tenho que escolher um de três temas que considero interessantes para o palestrino. Optei por gastar mais o seu tempo lendo sobre o imbróglio político do Clube dos 13. Mas faço duas rapidinhas: uma sobre Morumbi e a troca sobre a especulada troca de Diego Souza por Taison/Guiñazu.

Talvez o próprio estado febril e a baixa possibilidade de beber hoje me deixe mais propenso a falar algumas bobagens. Peço desculpas antecipadas…

***

CLUBE DOS 13

O amigo Luciano Pasqualini fez interessante análise sobre o momento político do Clube dos 13. Essa primeira parte copio desavergonhadamente sua análise.

Para quem não sabe, há um início de disputa pela Presidência dessa associação que dentre outras coisas tem o poder de negociar com a Globo os contratos de direitos de transmissão.

Kleber Leite, ex Flamengo, costura aliança para se candidatas à Presidência. Já tem apoio de Sanches (Corinthians), Perrella (Cruzeiro) e Dinamite (Vasco). Sua candidatura é puxada por Ricardo Teixeira (CBF). Que trouxe Marco Polo del Nero para o seu lado da briga.

De outro o eterno Presidente Fabio Koff, 15 anos no poder, que tem como aliado Eurico Miranda (Vasco ??). A dupla fez passeio pela cidade e levou um cano de Sanches. Do Palmeiras não se sabe. Outra estratégia de Koff é antecipar as eleições (de novembro para abril) e não dar tempo de decolar a candidatura de Leite.

O que está em jogo? Coisas banais como a taça das bolinhas. E coisas mais pesadas como apoio ao Morumbi para a Copa 2014 e, mais importante, a negociação dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro.

Lembrando que o Vice de Marketing do SPFC, Julio Casares, é também vice-presidente da Record, de Edir Macedo, que há tempos está de olho no Campeonato Brasileiro.

E o Palmeiras? não se sabe. Cogita-se (notas do Lancepress de 31 de março e 1o de abril) que Belluzzo acende uma vela a Deus e outra ao Diabo (escolham os protagonistas).


Publicada em
31/3/2010 às 13:59

Belluzo na
corda bamba pela
eleição do C13

LANCEPRESS!

Luiz Gonzaga
Belluzzo, do
Palmeiras, faz jogo triplo sobre a eleição do Clube dos 13. A aliados de
Ricardo Teixeira, diz que concorda com o adiamento da eleição, o que
favoreceria
Kléber Leite. A Fabio Koff acertou ser presidente da comissão de TV.
Publicamente, afirma que não se definiu por nenhum candidato.


Publicada em
1/4/2010 às 14:30

Belluzzo
tenta selar paz entre
Koff e Kléber Leite

LANCEPRESS!

O presidente
do Palmeiras, Luiz
Gonzaga Belluzzo, vai tentar promover uma conciliação entre o grupo que
apoia o
presidente Fabio Koff e o oposicionista Kleber Leite. Diz que o pior que
pode
acontecer é um racha entre os principais clubes brasileiros ou um
resultado que
deixe feridas.  Belluzzo elogiou algumas propostas de Kleber Leite, como
o fim
das reeleições ilimitadas e a maior presença da entidade dentro da
Conmebol,
mas também elogiou Koff e reiterou que ainda não tem posição definida

Talvez Belluzzo esteja certo em não definir posição logo de cara. Adota uma estratégia mais cautelosa. Mas nunca se sabe se do lado do Professor é pura estratégia ou é um estado de espírito.

Bem diferente do Presidente do SPFC, agressivo – e com isso já conseguiu muitas coisas para o seu time – mas ultimamente está exagerando. Principalmente na tentativa de emplacar a reforma do Morumbi com grana municipal, estadual, federal, e espacial. Compreensível: não tem projeto aprovado nem na FIFA; não tem parceiro financeiro; não tem financiamento a taxa zero e sem necessidade de garantias.

Mas voltando ao C13: tirando alguns interesses mesquinhos e a importância da discussão com a Globo sobre o contrato para a transmissão do futebol, tanto Leite quanto Koff são farinha do mesmo saco. A indústria do futebol não mudará um milímetro de sua trajetória de clubes quebrados, estádios vazios e bolsos de empresários do futebol cheios.

***

E SE? 

Quando eu transitava como Diretor Adjunto de Planejamento da SEP, eu tinha um sonho: Belluzzo teria um mandato de 2+2 anos (com muitas vitórias e acertos no Verdão) e depois escalaria a Presidência da CBF. A honestidade de princípios do Professor e a sua visão conceitual dos problemas estruturais do futebol brasileiro seriam seus principais trunfos para efetivamente mudar a indústria do futebol.

Muita pretensão? talvez! Mas se a gente não acreditar no nosso taco, quem vai acreditar?

Mas no meio do caminho a maionese desandou e Belluzzo perdeu a mão e a cabeça. A mão, na gestão do próprio Verdão. A cabeça, quando fez declarações sobre Simon e foi gravado em um vídeo na escola de samba. Tomou suspensão (pelo primeiro caso) e arranhou a imagem de gestor diferenciado (pelo segundo). Inviabilizou esse sonho.

Importante dizer que Belluzzo nunca declarou que ELE TINHA ESSE SONHO.

Eu sim.

***

DUAS RAPIDINHAS

A primeira: o SPFC continua bem assessorado na imprensa. No Lance! de ontem Juvenal Juvêncio continua com a cara lavada afirmando que está tudo certo com o projeto do Morumbi. E o diário embarca na dele dando pela enésima vez detalhes de um projeto rejeitado já nem se sabe mais quantas vezes.

Curioso ainda foi a nota de desmentido da Folha dO São Paulo de sexta-feira. A assessoria de Eike Baptista – bilionário empresário, dono de várias empresas no setor de infra-estrutura – desmentiu que ele seria o financiador do projeto do Morumbi, conforme havia noticiado durante a semana no competentíssimo caderno de esporte do imparcial jornal. E dá-lhe ironia…

***

A segunda: Taison e Guiñazu por Diego Souza, por empréstimo, até o final do ano, seria uma mão na roda prá Palmeiras, Inter, Traffic e tutti quanti. Diego entraria na segunda fase da Libertadores, Taison e Guiñazu na Copa do Brasil, Brasileiro e Sulamericana.

Diego está desmotivado. Corre, se esforça, mas tem hora que jogar em outros ares só faria bem para todas as partes.

Porém, ah porém, acho que não sai. Precisaria de uma engenharia e velocidade de ação que infelizmente andam faltando pelos lados do Palestra Itália.

***

E eu não poderia deixar de citar: Armando Nogueira, que era especial, único. Foi embora essa semana, pro céu ou em lugar melhor.

Armando era apaixonado pelo futebol arte. E tinha opinião própria. Em março de 2008 fez um maravilhoso ensaio sobre Valdívia. Enquanto muitos jornalistas formados pelas faculdades da vida embarcavam na geleia geral as críticas (cai cai, mascarado, desrespeitoso), o advogado da arte Armando Nogueira escrevia isso:

__________

Armando Nogueira escreve bilhete para o chileno Valdivia

Colunista do LANCE!
defende a arte do drible e consola meia palmeirense
Publicado originalmente no Lance! em março de 2008
Reproduzido no 3VV no link http://terceiraviaverdao.blogspot.com/2008/03/bilhete-de-armando-nogueira-para.html.

Valdivia
meu caro. Não preciso conhecer-te pessoalmente para tomar a liberdade
de escrever-te este bilhete.

Fiquei sabendo que o pau anda
cantando nas tuas canelas e que tu estarias tomando essas agressões como
coisa pessoal. Talvez alguns jogadores que não vão com a tua cara. Pode
até ser, mas não esquenta. Posso te garantir que a bronca é antiga.
Mas, sou capaz de jurar que a birra é contra o drible. Os medíocres
detestam o drible.

Quando o futebol apareceu no mundo se chamava
“jogo do drible”. Por ai já se vê que a intenção dos inventores era
fazer desse esporte um passatempo cheio de graça.

Acontece que o
drible não é como o sol que nasceu para todos. O drible acabaria se
tornando um privilégio.

Só os eleitos merecem o dom que, por
sinal, os deuses te concederam. O drible é uma invenção que nasce do
coração. O driblador é um poeta.

Quando um brucutu te dá um
pontapé, ele não está agredindo apenas e tão somente o cidadão Valdivia;
ele está afrontando toda uma dinastia que foi canonizada pelas canelas
de Stanley Mattews, de Garrincha, de Zico, de Júlio Botelho, de Maradona
e de tantos outros apóstolos do evangelho do drible.
__________

Vicente Criscio
Saudações Alviverdes!
Feliz Páscoa a todos os amigos…

Posts antigos, Por Onde Anda, e Links Patrocinados