Categorias
Opinião

OPINIÃO DO CRISCIO: sobre a pesquisa Datafolha

Amigos palestrinos,

Numa semana cheia de eventos pro palmeirense – Fiat x Samsung, vitória sofrida sobre o Atlético GO, affair Diego – vou me atentar sobre o resultado da Pesquisa sobre torcidas do Datafolha.

Segundo a
pesquisa – realizada nos dias 15 e 16 de abril, com 2.600
entrevistas em
144 municípios – Flamengo e Corinthians estariam
empatados tecnicamente em 1º lugar, com 17% e
14% de preferência (respectivamente).

Ainda segundo o Datafolha o
Palmeiras é o 4º na preferência das torcidas. As matérias que cobriram a pesquisa foram tendenciosas pró Corinthians e São Paulo, porque ou você usa o mesmo peso e critério de análise ou você desqualifica a pesquisa. Se 17% x 14% é igual a empate técnico (índices obtidos por Flamengo e Corinthians) o que dizer de 8% x 6% (respectivamente os índices de SPFC e Palmeiras).

Tirando a antipatia e descaso natural de alguns veículos contra o Palmeiras, podemos fazer pelo menos três análises importantes com esse material, ainda que na minha humilde opinião, fraquíssimo do ponto de vista de análise e pouco transparente.

CONCLUSÃO 1: OLHANDO DAQUI DE FORA, NÃO SE CONCLUI PORCARIA ALGUMA

A primeira conclusão é que pouco se pode tirar de conclusão olhando os dados disponíveis. A Pesquisa – por exemplo – apresenta tabelas sem casas decimais. Portanto o Palmeiras (assim como qualquer outro time) pode ter o índice de 5,6% de preferência (e foi arredondado para 6%) ou 6,4%. Nos dois casos o resultado apresentado teria sido arredondado para 6%. E pelos níveis de diferença entre os clubes essa pequena variação causa muito impacto (veja na conclusão 2 o caso Botafogo).

Ainda falando sobre o grau de confiança, pesquisas amostrais são instrumentos relevantes mas não definitivos. Num universo de 190 milhões de pessoas que moram no Brasil, foram entrevistadas 2.600. Os pesos dados aos municípios, só prá ficar nesse exemplo, não são claros.

E só prá por uma pá de cal nessa pesquisa, se você somar os percentuais das respostas apresentadas elas não resultam em 100%. Resultam em 95%. Ou seja, parece que publicaram para que qualquer desocupado num domingo (como eu) analisasse e não chegasse a conclusão alguma.

CONCLUSÃO 2: O GRAU DE INTERESSE IMPORTA

Jornalista não tem tempo (e às vezes, desculpe a aparente arrogância, alguns não têm capacidade) de analisar com mais profundidade certos dados. Vejam a tabela da pesquisa do Datafolha no link do 3VV – Tabelas Pesquisa Datafolha
abril 2010: grau de interesse
.
Da forma como está descrito dificulta o entendimento. Mas vamos a ela.

PERGUNTA DATAFOLHA: QUAL O GRAU DE INTERESSE POR FUTEBOL?

Antes, alguns conceitos. O que faz você torcedor? Seu interesse em acompanhar o time. Vibrar, torcer, e no limite, gastar dinheiro com seu time. Gerar valor.

Quanto mais fanático (ou interesse) você tiver no seu time, maior a propensão a você gerar valor para ele. Lotar estádios, comprar pay per view, ter uma dúzia de camisetas em casa, da verde limão à prateada.

Pois bem, na pergunta do Datafolha sobre grau de interesse, o instituto foi nota 10. O resultado apresentado, nota 1. Por quê?

Primeiro porque disponibilizaram poucas informações. Segundo porque talvez com uma amostra maior poderíamos chegar a conclusões mais importantes. Terceiro porque não fizeram o devido barulho nesta particularidade da pesquisa.

Fazendo uma pequena análise usando uma ferramenta de última
geração,
chamada Excel (apenas uma pequena ironia), você consegue chegar a
algumas conclusões. Veja abaixo o índice de GRANDE INTERESSE por futebol sob outra perspectiva. Analisando-se dentro da torcida. No caso do Palmeirense: 47%!!

Veja abaixo.

GRAU DE INTERESSE PONDERADO POR CLUBE

Apenas Atlético MG (faz sentido, a torcida do Galo é efetivamente
fanática, como a nossa) e do Santos (??) apresentaram este índice. Notem
que a soma do % de grau de interesse por clube deveria dar 100%. Não
dá, exatamente por não termos as casas decimais de cada clube.

Veja outra: 22% dos torcedores que se dizem flamenguistas não têm
interesse por futebol. Como é? quase 1/4 dos torcedores se dizem
flamenguistas mas não acompanham o futebol? Então torcem pela marca
(isso tem algum valor, mas não muito), ou por basquete e ginástica
olímpica?

Quer outra? O SPFC Corinthians! 63% de sua torcida afirma ter interesse GRANDE ou
MÉDIO por futebol. No caso do Palmeiras 76% estão nesta categoria. 13 pontos
percentuais a mais!! Ou seja, na mesma linha do Flamengo, neste caso quantidade não é qualidade.

Como eu havia citado na Conclusão 1, o Botafogo apresenta uma anomalia. Como tem baixo índice de torcida, 0,6% ou 1,4% (arredondando-se para 1%) de torcedores com GRANDE INTERESSE em futebol, implicaria num grau de torcedores fanáticos em 63%. A soma de interesse dos torcedores do Botafogo chega nesta tabela a 153%. Tá errado! Portanto a análise fica frágil nesse caso (mas nos grandes clubes a análise é razoavelmente confiável).

CONCLUSÃO 3: A QUESTÃO DOS JOVENS

O Globoesporte.com fez uma análise bem legal sobre a questão da idade dos torcedores. Isso importa bastante. E importa também a tendência. Veja a análise clicando aqui.

Ali você vê que há uma tendência de aumento de torcedores jovens (dos 16 aos 24 anos) para o SPFC. A pesquisa não foi feita com um público abaixo dos 16 anos, mas seria interessante analisarmos por exemplo na faixa entre 8 e 12 anos e entre 12 e 16. Aí talvez tenhamos uma notícia não tão boa ao palmeirense.

POR QUÊ?

Falamos no drops desta semana: “Nos últimos 10 anos vimos os rivais ganharem títulos e
o Palmeiras estagnar num Campeonato Paulista e uma queda à Série B. Não
conseguimos manter ídolos – exceto Marcos – por um longo período,
seguramente
fazedores de torcida (quem não lembra de garotos esfregando os olhos
como Valdívia?).
Ou seja, a tchurma se esforça em perder “cliente”, mesmo assim nossa torcida é
fiel…
quer dizer, é persistente!”.

É persistente mas não é tola. É difícil torcer sem ídolos. Ainda mais quando não trabalhamos bem a relação ídolo x torcedor (veja casos Love e Diego, para ficarmos só nestes dois exemplos recentes).

Temos ainda as besteiras das vendas de Valdívia e Kléber – ídolos que poderiam fazer torcida, atrair jovens – mas que no caso de um foi vendido para equilibrar o caixa (e hoje estamos piores do que estávamos em 2008) e o outro porque não tínhamos recursos para mantê-lo.

Eventos com garotada é importante, e o Palmeiras e prepara para alguns (visitas mirins, por exemplo). Mas não sairá nada daí se não tivermos ídolos de verdade e títulos. Isso forma torcedor.

AS PRINCIPAIS CONCLUSÕES DESTA PESQUISA?

Nossa torcida tende a ser (relativamente) mais apaixonada que as rivais;
Mesmo assim é difícil concluir-se alguma coisa mais relevante; que tal os dirigentes palmeirenses gastarem dinheiro entendendo o perfil da nossa torcida?
De qualquer forma a tendência de crescimento do SPFC entre os jovens é perceptível e isso é uma ameaça. Se não tivermos ídolos que joguem no clube por alguns anos e ganhe títulos, nossa torcida encolherá.

***

Ufa, é por aí. Tem muito assunto sobre esse tema, mas acho que você pode
falar melhor que eu.

O caminho é esse? Parece que sim, não é mesmo? Então já estamos no caminho certo? Não? O que fazer para mudar essa tendência? Como alavancar valor sobre o torcedor apaixonado?

Bom domingo e boa semana. Saudações Alviverdes!

Vicente Criscio escreve aos domingos no 3VV,
dando sua OPINIÃO sobre os principais fatos
sobre o Palmeiras da semana.

23 respostas em “OPINIÃO DO CRISCIO: sobre a pesquisa Datafolha”

Marcos te mandei o email. Vamos ver como você fez mas eu acho que meu cálculo está certo.

Abs e obrigado,

Na minha opinião torcida é a que “consome” a marca e o futebol. E isso é claramente apontado pelas rendas e públicos que cada time coloca em seus jogos. Uma coisa são “simpatizantes” e outra são os “tocedores”. Os simpatizantes são pessoas que nem acompanham futebol, não sabem a escalação de seus times, mas como o seu tiem está ganhando ou é o time da moda, então ele se diz torcedor de tal time. Como o maior exemplo disso temos os bambis há mais de 30 anos. Estas pesquisas não apontam a real tocida de seus times e sõa sim manipuladas por interesses de seus editores. outro fator que influencia é o momento em que é feita a pesquisa. Vocês repararam que as pesquisas da Revista Placar e Do datafolha são invariavelmente realizadas logo após os nossos fracassos? Por que estas pesquisas não foram feitas em 96 ou 99? Por que em 2002 e agora? A quem vocês acaham que favorece uma pesquisa hoje? Flamerda, Bambis (que acabaram de “ganhar” 3 brasileiros) e gambás que ganharm a copa do brasil. Mas uma coisa é fato; se o palmeiras não separar o clube social do futebol continuaremos sendo uma sociedade “intra-muros”. Precisamos de um palmeiras que pense grande e traga sua torcida para próximo sem privilegiar apenas a gangue de conselheiros que lá manda há 40 anos.

Já ouço falar de pesquisas tendenciosas contra o Palmeiras faz algum tempo.Acho todas deploráveis.

Mas o que a diretoria do Palmeiras está esperando?As pesquisas deixarem de ser tendenciosas e refletirem a pura verdade?

O esforço para diminuir nossa torcida é enorme,o problema é que muito dele vem do nosso lado.

Criscio, o seu cálculo sobre a percentagemde interesse sobre o total de cada torcida está errado. Tome, por exemplo, o Botafogo. São 63% de grande, 43% de médio, 16% de pqueno e 31% não tem interesse. As parciais superam em muito os 100%. Eu atribou o erro ao fato de você ter somado os percentuais da tabela de time de preferência por interesse e ponderado. Isto está errado, pois o 1% do médio corresponde a um universo de 564 torcedores, enquanto o 1% de não tem interesse corresponde a um universo de 795 torcedores. É necessário desfazer os percentuais sobre cada universo para então recalculá-los.

Eu refiz o cálculo e julgo estar correto. Para o Verdão, não deu muita diferença: 46.5% de grande interesse, 28.3% de médio, 16,4% de pequeno e 14,5% que não tem interesse. Mas veja a diferença para o Botafogo: 41% de grande interesse, 28.2% de interesse médio, 10.3% de pequeno interesse e 20.% sem interesse. Se você quiser, envie um email para marcosxu@yahoo.com (o meu login) que eu lhe enviarei um .xls com o meu cálculo. Nâo é rocket science: basta recuperar os números absolutos de cada faixa de interesse para cada time, e então recalcular os percentuais de interesse sobre o universo de cada time.

Um abraço,

Marcos.

#15 Vicente, tem uma comunidade no orkut do pessoal, Palmeiras RJ, conheci e vi a pouco tempo, e ainda não fui assistir um jogo com eles, acho que agora no br-10 vou assistir algum…

Vicente,
Já tocamos neste assunto de pesquisa algumas vezes e minha posição é de que são mal feitas, estampam notícias prontas nos jornais, critérios fracos, etc.
Pra mim continua valendo muito mais o peso de um número DE FATO e não percentual que é a TIMEMANIA. E de fato os números lá são bem diferentes destas pesquisinhas… pra mim trata-se de amostragem muito mais qualificada do que as efetuadas pelos institutos de pesquisas contratados.

De qualquer forma o importante é que o torcedor apaixonado palmeirense continua sendo muito mal tratado por sua diretoria. E isso terá sim consequências, tanto no campo quanto fora dele.

Gde Abraço,
FC

O Palmeiras vai ter dificuldades para formar novos torcedores, pois seus principais adversários regionais (Corinthians, São Paulo e Santos) ganharam muitos títulos nessa década, enquanto o Alviverde Imponente perdeu a capacidade de ser visto como um time de chegada e vencedor.
Nossos adversários aproveitaram muito bem o marasmo palestrino nessa década.
Só para ilustrar a preocupação quanto o futuro da torcida que canta e vibra,, contabilizei os títulos que nossos rivais levantaram nos últimos 10 anos:

SCCP: 3 Paulistas (2001,03 e 09), 2 Copas do Brasil (2002 e 2009),1 Brasileiro Série A (2005), 1 Brasileiro Sério B (2008) ,1 Rio-SP (2002) e 1 Mundial (2000).

SPFC: 3 Paulistas (2000, 2002 e 2005), 3 Brasileiros (2006,07 e 08), 1 Libertadores (2005), 1 Mundial (2005) e 1 Rio-SP (2001)

SFC: 3 Paulistas (2006,07 e 10), 2 Brasileiros (2002 e 04).

SEP: 1 Rio-SP (2000), 1 Copa dos Campeões (2000), 1 Brasileiro da Série B (2003) e 1 Paulista (2008).

Agora que o Palestra será reformado, o Palmeiras deve aproveitar para fazer uma reciclagem completa no departamento de futebol, com vistas a recuperar o espaço perdido no Estado de São Paulo.
Para tanto, a diretoria tem que ser estratégica.
A meta deve ser recuperar a hegemonia estadual na próxima década, pois vencendo os campeonatos do Estado em que o clube está situado, se potencializa o crescimento da torcida que comparece aos jogos no Estádio, compra pacotes de transmissão dos jogos por pay-per-view, compra produtos licenciados na loja do clube, adere a programas sócio-torcedor etc.
O torcedor pode até achar o paulista um campeonato menor, mas, nem por isso deixará de comemorar e gozar os rivais com os títulos conquistados!
Já fomos líderes no Ranking de títulos paulistas, e hoje temos 4 a menos que o SCPC, vimos o SPFC nos alcançar, e o SFC diminuir a diferença para 4 títulos do Verdão, ou seja foi um década muito perdida mesmo!
Se passarmos mais um década nesse marasmo, provavelmente seremos ultrapassados pelo SPFC e alcançados pelo SFC, o que seria uma vergonha para a História vitoriosa da Sociedade Esportiva Palmeiras!
Por outro lado, recuperando a hegemonia no futebol paulista, nos fortalecemos moralmente para vencer esses mesmos rivais nas competições nacionais e internacionais que inevitavelmente ganharemos, mais cedo ou mais tarde!

Saudações Alviverdes!

Valeu Vicente. Tai ai mais uma critica ao Avanti, ele não conseguiu atingir nem 0,02% do tamanho da torcida palmeirense. Não acha isso pouco? Se pegarmos um universo de 826.000 palestrinos, 10% dessa amostragem, como ponta de referencia, continuamos com menos de 0.3% e faltando mais que o dobro que se tem hoje para meio por cento.

È muito pouco para um gasto de R$500 mil não acha? Em qualquer empresa a pessoa resonsavel ja teria sido demitida pelo prejuizo. É o Palmeiras não é uma empresa, mas gostaria de ver um resultado desses na revista do presidente, ou na agencia do responsavel pelo marketing do verdão. Queria ver como eles lidariam com tal prejuizo.

Abraços e boa semana

XXX D. G. XXX

Cassiano (6) como eu posso me juntar a essa “embaixada palmeirense no RJ? Agora estou trabalhando em Niterói (passo a semana toda lá) e se a turma se reúne para assistir jogos juntos, vou acabar me convidando.

DG (11) o link do Globoesporte.com http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/0,,MUL1580389-9825,00-PESQUISA+APONTA+EMPATE+TECNICO+ENTRE+AS+TORCIDAS+DE+FLAMENGO+E+CORINTHIANS.html publicou uma estimativa de número de torcedores acima de 16 anos. No caso do Palmeiras, com 6%, são 8,26 milhões. Deve ser algo como 1,3 milhão para cada ponto percentual.

Mas não há dúvida de que o aumento de torcida depende da conquista de títulos e de ídolos com personalidade.

Ah, Vicente, essa pesquisa é muito zoada!
Veja o caso das meninas mais jovens. Tinham 11% em 2007, ganharam mais dois títulos nacionais (suponho que a pesquisa de 2007 tenha sido feita antes do final do Brasileirão) e… caíram 1% em 2009?! Aí, não ganharam nada em 2009 e… subiram 2%? Será que tanta gente saiu do armário assim?

Concordo com o Cassiano, #6.

Nossa torcida é imensa, ama o Palmeiras… porém é MUITO maltratada.

Vicente fui dar uma vasculhada na net e não achei, voce sabe me informar quanto (numero de pessoas) cada ponto na pesquisa equivale?

Valeu

XXX D. G. XXX

Mais um texto de alto nivel, parabéns.

“Jornalista não tem tempo (e às vezes, desculpe a aparente arrogância, alguns não têm capacidade) …”, o que acontece na verdade sempre tem alguem na redação que sabe interpretar esses dados, uns dois ou tres. O que realmente ocorre, INFELIZMENTE, é que pra se dar bem na profissão de jornalista voce tem que ser politico e jamais contrariar ou se indispor com superiores. Em qualquer redação um jornalista vai ter de dois a tres superiores e se um deles tem uma linha de pensamento pró são paulo, pró bambi, esquece, ninguem vai chegar lá e se indispor com ele.

Vou citar exemplos:

Pvc, não vai abrir uma discussão na espn brasil sabendo que o seu chefe não topa o Palmeiras.

Enquanto quem leu o Jornal Agora, viu que a matéria sobre torcidas foi imparcial, não citou em nenhum momento empate técnico. Disse que o palmeiras caiu um ponto e que o corinthians subiu. La o editor do caderno de esportes é palmeirense então não é a casa da mae joana, mas também ele não pode ir contra sua chefia.

E assim vai por inumeras redações. Sempre vai ter alguem que le e observa tudo que pode numa pesquisa como essa, mas tem la um chefe que lima a matéria.

A composição politica, politica de partido, é muito forte nos veiculos das capitais. E a cupula do PSDB, falo daqueles que atuam nos bastidores não os candidatos em si, são muito ligados a atual diretoria bambi. E esse partido tem livre transito nos principais veiculos de comunicação da capital Paulista.

Pra quem acha que to viajando, basta ver a postura do nosso governador. Tanto é que o Serra, jamais citou a Arena Palestra Italia na Copa do Mundo, por que? Porque quem o elegeu é muito ligado ao São Paulo, e pra ele é mais importante ser presidente do Brasil do que o Palmeiras. Tanto que ao membros da diretoria bambi estão em cargos estratégicos do governo estadual.

Faça a leitura acima pra redações de jornais e tv paulistanas. Sistema Globo, Grupo Folha e Estadão, e editora Abril, são ligadas a essas mesmas pessoas. E queira ou não o futebol faz parte da sociedade e gera prestigio.

De qualquer modo, não vejo perspectiva de melhora no curto prazo para o Palmeiras. Pois acho que nunca o clube esteve tão bagunçado, nem mesmo na era Mustafá. Pois, antes existia uma luz, agora não. Agora, só a Treva.

XXX D. G. XXX

Para mim, há décadas que não há mudança no percentual de cada torcida. Isso é tudo bobageira para vender jornal. Estatística pura.

Ou essa pesquisa é muito direcionada, ou esse Datafolha é muito incompetente. Eu fico com a primeira opção.

Acho que a receita para formar e fidelizar torcida foi bem dita por você Vicente, e pelo pessoal que comentou acima: formar times competitivos e vencedores, ter jogadores carismáticos no elenco, programa de sócio torcedor decente.

Beluzzo, deixa pra ler Sartre depois do mandato. Leia o 3vv de vez em quando. De preferência diariamente.

E acho que o maior serviço que o Vampeta prestou ao futebol foi ter inventado o apelido de bambi para “elas”. Pode parecer que não, mas a molecada pensa mil vezes nesse fardo antes de virar simpatizante do jd. leonor.

Vicente, qdo tocou nesse assunto, no drops passado, eu tinha comentado que em alguns dias, aqui no rj, vejo mais camisas do Palmeiras na rua do que de alguns times locais, acho que a marca PALMEIRAS é muito maior do que nossos dirigentes pensam, ficam restritos ao estado de São Paulo (muitas vezes restritos a capital somente), situação que é nitida nos planos de Sócio-Torcedor, onde quem é de fora do estado praticamente não tem nenhuma oportunidade (ou vantagem) de interação com o clube. Tem uma comunidade (orkut), Palmeiras RJ, esse pessoal se reune em bares e restaurantes para acompanhar os jogos do verdão, vão aos jogos, etc……e a uns dois anos atras eles fizeram uma bonita homenagem ao Marcos, com camisas dos “Devotos de São Marcos”, pelo o que eu li, quem conseguiu que eles fizessem pessoalmente a homenagem (no hotel que o time tava no rj) ao Santo foi o Finelli, da assessoria de imprensa. Na minha opinião isso deveria ser feito por outra area, Marketing, e acompanhada pelo pessoal da assessoria. Eles (comunidade) também estão começando um movimento para o Marcos colocar suas mãos na calçada da fama do Maracanã, o que seria bem justo, mas pelo que vejo não nenhum apoio de dirigente do Palmeiras para que issso ocorra.
Eu particularmente nunca acreditei nessas pesquisas até porque nunca vi um relato de algúém que tivesse participado de uma, imagine quantas pessoas acessam aqui, e ninguém nem ouviu falar de um amigo ou colega que foi entrevistado, somando a isso as analises tendenciosas, como o empate tecnico citado e o 3º lugar absoluto…..
Nossa torcida é a mais apaixonada e bem maior do que nossos dirigentes imaginam……
Abs

Luciano, tem razão. O exemplo era do Corinthians (na verdade 63% e não 64%). Obrigado, já corrigi.

Vicente, trata-se de uma pesquisa oportunista, realizada num momento específico para uma finalidade específica. Atente para os objetivos da pesquisa, não para os números ou as análises em si.
É mais uma armação contra nós.

44+30 = 74 e não 64

De todo modo, achei essa pesquisa bem sem vergonha, não mostrar os decimais mostra isso.

Para o Palmeiras mudar de status temos realizar o seguinte:
1° Votação direta pelos sócios (processo em andamento);
2° Construção da Arena (processo em Andamento);
3° Separar o Social do Futebol (à realizar);
4° Tomar atitudes em relação ao extra-campo, ou seja, a IMPRENSINHA (à realizar);
5° Dar direito a voto ao sócio torcedor mesmo que seja um peso menor (hj quase impossível);
6° Tratar os torcedores como CLIENTES DE UMA EMPRESA;
Essa é a minha opinião.
Abraço

Olha Vicente:

Minha família é quase toda santista, me tornei palmeirense por causa da cor de nostra camisa, sempre gostei de verde e os outros, são todos iguais. Concordo com você que ídolo forma torcida (mais até do que título que é a finalidade de um clube grande como o Palmeiras). Quando venderam o valdivia e não conseguiram manter o kléber, além de perder tecnicamente, o time perdeu a “alma”, pois eram jogadores vencedores, provocativos e, acima de tudo, se identificavam e gostavam realmente de jogar no Palmeiras sendo que, como você citou, sobrando só São Marcos, não teríamos ídolos suficientes para fazer nostra torcida crescer ainda mais. Espero que com a Arena, tenhamos muito mais dinheiro para formar, comprar e manter os melhores jogadores para que estes se tornem ídolos no Palmeiras. Sei que sou exceção, pois a maioria das crianças, torcem pra uma equipe ou pelos títulos, ou por causa dos ídolos, ou por forte influência do pai ou família.

Que Deus ilumine a cabeça de nossas lideranças no futuro e voltemos ao nosso lugar de destaque que é de ser um clube de vanguarda e vencedor.

Scoppia che la vittória è nostra!!!

Os comentários estão desativados.