Categorias
Futebol com Números

Felipão e a lógica financeira

Amigos, vamos interromper um pouco a série de artigos sobre as finanças do Palmeiras para discutir um assunto que veio à tona sobre a contratação do nosso novo técnico:  o custo do Felipão não irá debilitar ainda mais as finanças do clube?

A situação do clube antes da contratação do Felipão:

O lado sombrio: a situação do Palmeiras em 2010 já era realmente preocupante não só em termos futebolísticos, mas também em termos financeiros: (i) temos que pagar as rescisões dos técnicos que foram sendo substituídos (Muricy e Zago), (ii) o pífio desempenho esportivo fez baixar drasticamente a receita de bilheteria tanto no Paulistão quanto na Copa do Brasil, (iii) temos uma baixa/nenhuma perspectiva de venda dos direitos econômicos de atletas que possa gerar uma receita significativa e (iv) não havia perspectiva do clube lutar pelas premiações dos títulos do campeonato Brasileiro e nem da Sulamericana e muito menos de se classificar para a Libertadores 2011.

As boas notícias: com a quebra de contrato da Samsung e a Fiat sendo a nova patrocinadora do clube, além do aumento dos valores de patrocínio, também temos a perspectiva de fechar novos acordos de patrocínio para as mangas e mesmo para o calção.  Os valores especulados por aí variam em torno de R$ 7 a 12 milhões a mais por ano (vou tentar apurar melhor os valores).

O dilema dos dirigentes do Palmeiras

Os dirigentes do Palmeiras tinham então o seguinte dilema: usar o dinheiro extra para equilibrar as finanças do clube (mesmo sabendo que o time que estava aí certamente não alcançaria a Libertadores e, talvez, tivesse mesmo alguma dificuldade para obter a classificação para a Sulamerica) ou usava o dinheiro para investir novamente no elenco e comissão técnica e tentar uma melhora esportiva que talvez também rendesse uma melhora esportiva.

A opção pelo risco

Como todos vimos os dirigentes do nosso clube optaram pelo risco!  Vamos buscar jogadores e contratar o líder de nossa maior conquista: Felipão! 

E não é que com essa decisão, até a Traffic parece mais animada a buscar mais reforços para o clube (reforços de verdade, bem entendido)

Como a conta fecha?

Primeiro, o Palmeiras conta com a ajuda de patrocinadores para pagar parte do salário do Felipão.  Como oficialmente não sabemos o quanto será pago, podemos apenas especular.

Segundo, com um time melhor, certamente teremos mais público no estádio. Como teremos cerca de 3 jogos como mandante por mês, podemos estimar que a renda desse novo time “sob nova direção” em comparação com o time que terminou o primeiro semestre, seria cerca de R$ 130 mil maior por jogo (lembrem que na Libertadores a rende por jogo foi de quase R$ 1 milhão), ou cerca de R$ 400 mil por mês.

Então, em teoria, com o dinheiro adicional do patrocínio e com a renda extra da bilheteria (em comparação com o que teríamos com o time do primeiro semestre, vale frisar) é possível pagar a nova comissão técnica e os novos jogadores.

Adicionalmente, pode ser que as finanças do clube ainda melhorem, com eventuais premiações por algum título conquistado.  Com o Felipão o título da Sulamericana seria bem factível, não?

Ou seja?

Na minha opinião os dirigentes do Palmeiras tomaram a decisão correta!

Evidentemente existe o risco de não jogarmos a Libertadores  ano que vem, e isso comprometeria profundamente as finanças do clube.  Mas como ser Palmeirense é lutar sempre contra as adversidades, tenho certeza que nos veremos na Libertadores ano que vem!  E olha, que ainda podemos gritar “É CAMPEÃO” este ano!

Saudações Alvi-Verdes

* Luís Fernando Tredinnick escreve às sextas-feiras no 3VV explicando a quem conhece, e a quem não conhece, os números do futebol

13 respostas em “Felipão e a lógica financeira”

#11 Marcio
A informação é do próprio Depto FInanceiro do Clube.

Abraço

Caros, mto bom o texto!
Acho que desta vez o Belluzzo tomou a decisão final e mais correta! Finalmente ele despertou.
Só faltou mencionar no post q alem das renas o Palmeiras lucrará horrores com o lançamento da nova camisa!!
Abs

Sergio (#10),
13 milhões? Essa informação está confirmada? Putz, é dinheiro pra caramba…

Fiquei muto contente com a contratação d Felipão, como já tinha sido apontado há vários meses neste Blog.

Mas, temos que ficar preocupado demais com a situação financeira do clube. Neste exato momento de efetuar novas contratações, temos um atrso de mais de R$13milhões em direitos de imagem dos jogadores. Ainda não completamos o acerto da compra do jogador Lincoln. Estamos adiantando o recebimento de metade do patrocinio da Fiat (que vai até final de 2011. Recebemos as novas cotas de transmissão do Campeonato Paulista, da Globo.

Vai faltar receita para 2011 assim, e não sei se teremos condição de ver um time vencedor ainda em 2010, para alavancar mais receitas (Libertadores de 2011 e premiações da Sulamericana).

Desculpem o pessimismo, embora saiba que temos o melhor e mais importante técnico, nosso futuro próxmo não é dos melhores. Talvez, seja melhor apenas rezar que 2010 acabe sem mais problemas.

Abraço

A contratação do Felipão foi um golaço do Palmeiras, já que esportivamente falando se trata de um dos melhores técnicos do mundo, com a experiência de ter vivido 05 anos no centro do futebol mundial, ou seja a Europa, vendo como treinam os melhores times do mundo, será um Felipão reciclado que veremos a partir de julho.

Quanto ao lado financeiro penso que o carisma do Felipão só agregará valores neste aspecto, já que acredito que muitas empresas vão querer associar sua imagem a de um vencedor como o Felipão.

Sem contar que o Palmeiras não é banco, LÓGICO que tem que sempre ter $$$ em caixa, pagar salários em dia e contratar os melhores profissionais a disposição no mercado, mas no futebol quanto na vida devemos correr riscos.

Acompanho o relator: tínhamos que assumir o risco. E com mais um ou dois jogadores de nome, as rendas, ao menos nas primeiras partidas da retomada do campeonato, certamente aumentarão muito.

Quem não quer assumir riscos pode se contentar com as atividades medianas. Quem assume riscos acupa a cadeira de Capitão. É o espírito Palmeirense de volta…..
Tredinnick , por favor corrija a frase que inicia o lado sombrio……Esta é uma “previsão” que não vai acontecer em 2019……kkkk

Tenho a mesma opinião do Felipe, a vaga na libertadores 2011 é o maior objetivo deste ano, se vierem títulos, seria uma grata surpresa.

Exatatamente. E com a vinda do Eduardo Maluf, que é um profissional será melhor ainda. Vicente, com a desistência do Ricardo oliveira, quem será nosso 9. Tadeu não sei não …..Felipão neles.

O título Brasileiro deste ano pode ser meio difícil devido à dificuldade de composição do elenco, se bem que agora a situação ficou inversa: se antes ninguém queria o Palmeiras, agora todos querem por causa do Scolari (e alguns se arrependem de terem negado…)

Já a Sulamericana é uma boa possibilidade, um título de vulto, internacional e agora com a vaga na Libertadores. Mata-mata se ganha mais na vontade e garra do que na técnica, e não existe incentivador melhor do que o Scolari para esse trabalho.

Estava vendo no Sportv que em Portugal o ânimo do povo está muito menor que na Copa passada. O motivo alegado por mais de um português é que falta o Felipão para animar a nação! Por isso ninguém compra camisa, pendura bandeira e nem mesmo interrompe o dia para assistir aos jogos.

É por aí mesmo. O Palmeiras novamente adota um modelo de gestão arrojada, onde o risco é maior, porém é a única opção para conseguirmos bons resultados no curto prazo.

Eu não concordo com demissão de técnico no meio do caminho (fui contra a saída do Luxa e do Muricy), mas no final das contas, embora tenhamos tido prejuízo com a perda do BR-09 e da vaga na Libertadores, agora estamos com o que se pode ter de melhor em termos de comissão técnica. Felipão é melhor que Muricy e muito melhor que Luxemburgo, indiscutivelmente.

Espero que ele e todo o depto. de futebol tenham tempo (pelo menos até dezembro de 2011) para mostrar trabalho.

Sinceramente, com ACZago e o time fraco e sem identidade que tivemos no primeiro semestre, corríamos sérios riscos de rebaixamento. Agora, com as voltas de Kléber e Felipão, começo a ver pelo menos a perspectiva de beliscar uma vaga na Libertadores. Acho que, a princípio, nossa meta neste ano tem que ser essa. Se vir algum título ainda neste ano, estaremos MUITO no lucro, tanto no aspecto esportivo quanto financeiro. Erramos tanto de 2009 pra cá e estamos consertando a casa meio tarde em 2010. Se ganharmos algo, será além das nossas expectativas (minhas, pelo menos).

Abraços.

Os comentários estão desativados.