Categorias
Meninos Eu Vi

Até breve Palestra, sonhos e sonhos

POR JOTA
CHRISTIANINI

Eu tinha um
sonho e o Marcos Kleine, músico, tinha outro, ambos tudo a ver com o Palmeiras.

Deixei de ser
jornalista full time em 1974, e desde então queria comentar um jogo em Palestra
Italia. O Kleine, há bem menos tempo, queria apresentar-se no mesmo estádio.

Comentei jogo
no Pacaembu, num outro estádio no Jardim Leonor, até na Rua Javari, mas no
Palestra nunca. Um dia o Paulo Massini da CBN convidou-me, mas inesperado
resfriado impediu minha “estreia”. E assim foi.

Kleine, há 7
anos, depois de um jogo contra o Marilia resolveu fechar-se num
estúdio e regravar o hino do Palmeiras em um solo de guitarra. Ficou
dois dias a pão e água, mas saiu a poesia em forma de hino palestrino.

Este que vos
escreve continuou escrevendo causos, tocando os assuntos do acervo e nada de
voltar ao microfone.

O Kleine vendo
o hino ser tocado no programa do Milton Neves – o que despertou suspeitas
de alguns que achavam que o Kleine, vejam só, pagava para tocar. O
Kleine pagou sim,  multa ao provedor pelo excesso de downloads.

Mas o hino virou
moda; mais que moda, mania de palmeirense.

Festa no
Palestra; o patrocinador da festa  convidou outro guiarrista, nem
palmeirense,  pagando alto e nada de chamar o Marcos Kleine; outra
festa, outros músicos e nada do palmeirense guitarrista..

O tempo passa,
dizia o saudoso Fiori Gigliotti. E o dia chegou.

Despedida –
até breve – do Palestra, chamaram o Kleine para tocar.

Nesse
dia  venho chegando e o Raul Bianchi da Radio Mondo intima com a
delicadeza habitual, na hora de argumentar, do Raul:

— Vai subir
na cabine e vai nos contar todas as estatísticas desse estádio.

Era só para
isso; dizer quantos  gols, vitórias, quem mais jogou, mas já era bacana.

Chego na
cabine, a webradioverdão, ao lado da Sportv e de uma emissora argentina,
encontro o Canuto, Nery e o locutor Gomão; falo das
estatisticas e vem o convite

— Jota! Ffica
e participa comentando.

Era só o que
eu queria ouvir.

Lá embaixo o
Kleine preparando-se no palco e sendo importunado por um fiscal da FPF
que intima  o músico para que não não veja o jogo, fique
escondido atrás da tapadeira do palco.

Talvez seja
essa a função do sujeito “fiscal de tapadeira”.

Começa o jogo
dos veteranos, logo de cara a emoção toma conta. Dudu, sem condição física –
 maldita coluna – fica em campo alguns
minutos, para ser aplaudido e entregar o bastão nada menos para Evair, o
Matador.

O público
delira com os dois, e se era bom demais ver Evair cabecear para as
redes uma bola rasteira e depois marcar um gol de falta espetacular, Reinaldo
Xavier fez dois golaços de cabeça – tenho minhas dúvidas se quando profissional tenha
jogado tão bem quanto na tarde da despedida.

Mais não
precisava, mas ainda assim Evair troca passes com Ademir da Guia e tenho a
honra de comentar o lance.

Por mim
nem teria outro jogo – aliás nem percebi se teve – poderia ir embora
naquele instante.

Acaba o 
jogo dos veteranos, começa um outro, que acaba 90 minutos depois.

Ai começa a
festa, meio desorganizada é verdade, mas enfim é a festa.

Chega a vez do
Kleine, gramado todo prateado com as serpentinas espalhadas.

Na
cabine o excelente narrador Gomão Ribeiro (como que essa cara
não está nas ditas rádios grandonas) chama atenção para nossa emoção que os
olhos demonstram.

Kleine
continua, o estádio em silêncio referencia o hino e o músico do hino.

De repente o
coração sobe na boca, Kleine desce do palco e avança pelo gramado, todo
o campo à frente, espaço que foi o latifúndio das emoções palestrinas
desde 1917. Vê-se que não está sozinho; ao seu lado: Caetano, Heitor,
Bianco, Junqueira, Fiume, Liminha, Lima, Marzo, Ragognetti, Paschoal Giuliano,
Delfino Fachina, riem de alegria e orgulho; é o velho Palestra que vai
ficar mais novo.

Kleine avança,
o povo palmeirense aplaude chorando.

A emoção esta
no ar; enfim vivo o sonho que sonhei.

Kleine vive o
dele.

Chega no
centro do campo, último acorde, chorando beija o gramado agradecendo.

Agradeço também

— Até
breve Palestra obrigado por tudo, estamos com saudades.  

Pedem que eu
encerre; no íntimo eu penso: nesse instante quantos palestrinos e palmeirenses,
estão vivendo o sonho que sonharam,

Olho pela última
vez o gramado prateado e despedindo por uns tempos, do meu
“Campo do Parmera” mal consigo dizer:

— Esta noite
choveu prata.

 

12 respostas em “Até breve Palestra, sonhos e sonhos”

Putz! Que texto maravilhoso! Se seu livro de causos do Verdão sair, pode separar 1 exemplar pra mim, mas vai ter que autografar! Sua narração é sempre emocionante! Acredita que sempre fico emocionado quando leio seus textos? Mas nenhum fez meus olhos ficarem avermelhados “querendo” verter lágrimas ao ler este texto! Mais do que merecido esta realização, tanto sua quanto do Kleine! Inacreditável como um dos maiores conhecedores do Palestra/Palmeiras ainda não havia se realizado nesse sonho! Quis o destino guardar o momento para o momento mais especial do Palestra Itália, quando terá a maior transformação de sua história!
Jota, acho que vc não apenas conta histórias do Verdão; vc certamente FAZ parte da nossa gloriosa história!
Abraço nipônico

Jota,

Outro fantastico texto, parabens cara!

Mesmo aqui dos Estados Unidos onde moro, e todo esse tempo depois do evento, fiquei arrepiado.

Acho que cada Palmeirense tem um sonho e acredite: estou muito feliz pela realizacao do seu e do Kleine.

Simplesmente merecido!!!

Pedro

Jota, texto brilhante e me sinto lisonjeado, obrigado amigo e parabéns pelo texto sensacional.

Jota,

Quando seus ótimos textos vão virar um livro???

Já está passando da hora deste sonho também virar realidade.

Parabéns mais uma vez!!!

Abraço

Sensacional Jota!!!!

Excelente texto! Fico imaginando como esse texto ficaria em um vídeo. Será um sucesso no youtube!!!

Sensacional o texto e a experiencia vivida por estes 2 palestrinos de sangue verde. Parabens a estes 2 parceiros de luta.

Eu acompanhei o primeiro tempo inteiro na WebRadioVerdao porque estava no trabalho.
Os seus comentários eram sempre pertinentes, Jota.
Parabéns por viver o seu sonho e obrigado por nos relatá-lo.

Jota, simplesmente emocionante seu relato!!!! Parabéns!!!

Jota, sensacional!

realizar sonhos não é para qualquer um…. isso está escrito nas estrelas… só para aqueles que merecem… e você faz parte deste seleto grupo… com justiça!!

PARABÉNS!!

tal qual o relato feito pelo Kleine lá no Palmeiras Todo Dia… me emocionei e muito com o seu.

muito bom!!!!

novamente, meus sinceros cumprimentos!

grande abraço em verde e branco.

Os comentários estão desativados.