Categorias
Corneta do Cunio

Corneta do Cunio – Bolo sem fermento

POR ALBERTO CUNIO

Reflexivos alviverdes, ainda bem que eram eles. Os lanternas do campeonato. Imaginem se fosse uma equipe razoavelmente melhor. Poderíamos ter amargado uma lavada histórica, muito pior do que os 0x3. Foi a pior partida do Palmeiras no ano em todos os aspectos: passes, conclusões, rebotes… Jogo para NÃO esquecermos. Assim quem sabe, não o repetiremos.

 

Nem sei dizer se é mais difícil perder de um time como o CAG, ou constatar que temos problemas crônicos e inexplicáveis. Outro dia fiz um comparativo dos atuais atletas e agora retomo o assunto para que entendamos: ídolos, com veteranos, com novatos de fora, com pratas da casa… E um técnico de ponta, com psicóloga a tira-colo e tudo. Uma verdadeira salada que, por mais que a intenção fosse de utilizar os melhores ingredientes, não dá liga. Falta fermento nesse bolo.

Vamos ignorar maiores observações do que vimos em campo e nos concentrarmos no que vimos fora dele: 13 mil torcedores, festa do começo ao fim, tapa na cara com luva de pelica numa equipe que beirou o ridículo. E ainda levantaram a lebre de que temos mercenários no elenco… Será?

Ainda bem que a Sulamericana continua lá na frente e temos tempo de fazer qualquer coisa para tentar corrigir. Afinal, o Campeonato Brasileiro está amargo e, para não se tornar um pesadelo, há muita coisa a ser feita. Posso listar algumas aqui:

– Trocar as chuteiras do Tadeu. Por um par novo.

– Trocar as chuteiras do Vitor. Colocar a esquerda no pé esquerdo. E assim por diante.

– Trocar as lentes de contato do Rivaldo. Acertar a bola, não canela do adversário.

– Treino de finalização para o Luan. Começar com um gol de futebol americano e terminar com um gol de futebol de botão.

– Trocar o Mauricio Ramos. De time. 

Como ontem foi aniversário do Palmeiras e o presente que a torcida recebeu foi de grego, minha CORNETA sai de campo em respeito a esta camisa que, aos 96 anos, não merecia tal vexame. Pena que raros são os que dentro de campo sofreram com isso.

6 respostas em “Corneta do Cunio – Bolo sem fermento”

Pessoal, o que vimos quinta foi feio, muito feio… Vamos ver se a vitória de hoje (domingo) recompõe o moral…

#1 Marcos Laveri, perfeito. A coisa est[a feia, muito feia.

#4 Wagner, em uma situação como a atual do time do Palmeiras isso deveria ser evitado.

Cunio,
Texto e audio de Alex Muller da BandAM: http://kigol.com.br/alexmuller/post/uma-das-maiores-vergonhas-da-hist-ria-palmeirense

Ontem levei esposa, irmão, cunhada, cunnhado e namorada, sobrinhos, tios, amigos… sem brincadeira eram umas 15 pessoas que atazanei a semana inteira pra irem ao jogo. E o jogo foi o que foi…

A situação está péssima pq só temos incopetentes na nossa administração e no campo.

O duro é que os jogadores são esses aí mesmo… e o jogo de ontem foi uma facada na auto-estima desses lixos…

Abraço,
FC

Não sei se é só comigo mas só eu fico PUTO quando acaba os jogos, depois de atuações lamentáveis, derrotas vergonhosas, o Senhor EDINHO ao fim dos jogos dando gargalhadas e trocando camisas abraçado com adversários.

Não sei se é implicancia mas isso vem me tirando so serio!!

Esta corneta tem que ser direcionada pra diretoria que nos trouxe um monte de pernas de pau.

Meus Deus!!!! Tadeu e Rivaldo não dá!!!!!

Posso até me arrepender do que digo agora, mas esses dois até serviriam para compor o elenco (ser forçarmos a barra) mas para serem titulares do time!?!?!?!

Cunio, a situação está começando a beirar a negação.

Para a torcida do Palmeiras, criticou, é corneta. Assim, pensam estar resolvido o maior problema, um time que não ganha nada de importante há 11 anos.

Belluzzo tem sido uma decepção completa, e Cipullo vai entrar para a história como o pior contratante de jogadores.

Mas o que importa é viver das glórias do passado, ninguém pode falar mal. Dá-lhe campanhas de marketing, críticas aos rivais… mas do nosso lado há uma Arena que sempre falta “só” um pelino para começar, derrotas em sequência, rivais ganhando tudo, dívidas crescentes, parceiro que não é parceiro, um clube dividido em grupos políticos interessados em derrubar a situação, sempre, mas pouco compromisso com a agremiação.

A situação é grave e não vejo solução a curto prazo. A torcida está sedenta e qualquer um vira ídolo com a camisa verde.

Se marcar, Felipão vira mais um ganhando sem trabalhar… O que seria trágico.

Os comentários estão desativados.