Categorias
Corneta do Cunio

Corneta do Cunio – Marcos(s)

POR
ALBERTO CUNIO

Entorpecidos alviverdes, deleitem-se pois este é o prazer
proporcionado por esta “droga” lícita e maravilhosa chamada vitória. Momentos
como este é que fizeram a história do Palmeiras. E são deles que desejamos nos
alimentar sempre.

O meu maior questionamento após mais uma noite épica na história
palestrina é simples: será que é tão difícil entender que o futebol é um
esporte coletivo? Por que será que vemos as coisas funcionarem somente quando
todos estão remando para a mesma direção? Vejam: torcida (mais de 22.000
pagantes, ingressos a preços reduzidos), técnico (Felipão, nem precisa de
comentários), ídolos (Marcos dentro de campo, Valdívia e Gladiador nos
camarotes), revelações (Patrik), apostas (Tinga, Rivaldo, Fabrício), experiência
(Assunção, Lincoln, Éwerthon). Este “mix”, associado a infraestrutura, salários
em dia, planejamento, seriedade e UMA FORÇA DE VONTADE INCRÍVEL EM CAMPO,
resulta em uma única coisa: SUCESSO.

Faço um parênteses para mostrar como se pode fazer um trabalho
de médio prazo e pleno de êxitos e conquistas. Vejamos a trajetória do
Internacional:

2003 – Salvo da degola pelo gongo contra o Paysandu em Belém na
última rodada do Brasileirão.

2005 – Título Brasileiro subtraído pela quadrilha
arbitragem/STJD/MSI. Vice e vaga na Libertadores 2006.

2006 – Campeão da Libertadores e Mundial.

2008 – Campeão da Copa Sulamericana

2010 – Bicampeão da Libertadores (e Bimundial? Eu aposto que
sim.)

Ou seja, em 7 ANOS o Internacional saiu do limbo para a glória.
Como? Perguntem ao Fernando Carvalho, presidente colorado: renovação de elenco
(saíram Fernandão, Iarley, entram, Kléber, Guiñazu, D’Alessandro), aposta em
novatos (Renan, Taison, Giuliano, Leandro Damião), aposta em ídolos (Sóbis,
Tinga), investimento (pesado) no sócio-torcedor (milhares de novos
associados)… Precisa mais? Será impossível usarmos este exemplo de sucesso
para termos o mesmo resultado? Temos ou não o mesmo ferramental disponível?
Sim! A mesma diretoria? …Será?

Feita esta digressão, eu retorno para lembrar que nossa noite de
ontem foi brilhante pois era o jogo de número 500 de um ícone. Que ganhou de
presente dois gols do Tadeu, que ele mesmo indicou. E por falta de um Marcos
brilhando, tivemos dois. Parabéns ao(s) Marcos(s)!

Minha CORNETA hoje é transformada em TROMBETAS e saúdam os 500
jogos do Marcão. Comemorados com uma memorável e merecida vitória, VAMOS
PALMEIRAS!!!

Continuem seguindo a Corneta no Twitter!

@Corneta3VV

16 respostas em “Corneta do Cunio – Marcos(s)”

Pessoal, que sigamos sempre os bons exemplos para que nosso caminho também seja de sucesso. Concordo com os que citaram a vaidade e egoísmo de alguns dirigentes e conselheiros como impeditivos para o sucesso, e também concordo que nosso “tempo” deve ser diferente do Inter. Vamos respeitar nossos limites e honrar nossas tradições. Chegaremos lá com certeza! Abraço a todos, galera e que venha o Bugre amanhã!

Muito bom texto e mostra um caminho aparentemente simples de se montar um time para brigar por campeonatos, fidelizar seus torcedores e fortalecer sua marca. Eu imaginava que o Beluzzo faria isso e não fez, pelo menos ate agora foi mais improviso um enorme jogo de acertos e erros.
Parabens Cunio.

Boa, Cunio!
Que a coluna tenha, daqui pra frente, mais motivos para trombetadas do que para cornetadas.

Acho que falta outra coisa também: a torcida do Palmeiras ser “torcida do Palmeiras”.

Reclama-se que o setor Visa destruiu o caldeirão do Palestra. Mas oras, e as uniformizadas isoladas umas das outras, cada uma cantando seus próprios cânticos de auto-exaltação? O hino do clube deveria ser cantado a cada 10 minutos, é a porta de entrada para o torcedor não-organizado participar do movimento de jogar junto ao invés de ser só espectador. Podem notar que as músicas mais populares que ecoam nos estádios e passam a ser conhecidas até por quem não os frequentam são aquelas sem nome de torcida, sem apelo à violência: são canções de amor ao clube e somente isso.

Aquela “Porco da minha vida” é tão simples e bacaninha, gostosa de cantar, mas tem um “sou da Mancha Verde” no meio que não agrega nada. Aliás, impede que outras organizadas cantem junto. Eu mesmo não canto essa frase. Nada contra as organizadas – são fundamentais na festa (mosaicos, faixas, bandeiras) e no apoio quando jogamos longe de casa, algumas fazem um bonito trabalho social com os mais carentes – mas eu não sou torcedor da Mancha, e sim do Palmeiras. E, mesmo que o fosse, o objetivo comum ali é o Palmeiras em campo.

Ontem, por um breve momento, tivemos a rara chance de ver isso acontecer no Pacaembu na já histórica virada felipônica. Geralmente é um clichê, mas ontem a torcida realmente jogou junto e com sua força unida conduziu no ar a bola chutada pelo Marcos Assunção. A imprensa sempre diz que a torcida do Palmeiras joga contra, e desde ontem é consenso que jogamos a favor – e muito a favor, como há tempos não se via.

A vibração de ontem foi fundamental para tirar a pressão dos recém-contratados. Temos que seguir a ordem do comandante Felipão: a gente PRECISA dessa vibração em todo jogo. Não é difícil: basta paixão desenfreada pelo Palmeiras e isso todos nós temos de sobra.

A força motriz do círculo virtuoso tem que partir de nós mesmos!

Boa Alberto! Hoje a corneta é em forma de homenagem, justa e merecida!!! Ótima idéia. E que os pensamento continuem alihados e sempre buscando o sucesso!

O jogo de ontem foi daqueles para entrar pra história. Não foi um time brilhante, mas muito brigador.
Agora, convenhamos… Que falta de planejamento do marketing do Verdão. A sulamericana não autorizou nº 500 (que todo time faz essa homenagem), personalizasse as camisetas com o espaço entre as riscas da adidas na manga, ou no lado direito do peito (pelo menos na camiseta do Marcão), com um simbolo ou mesmo a assinatura dele e um 500 de fundo… Agora vão vesti-lo (originalmente) de 500 no jogo 501.
Isso para não falar da camiseta verde limão… acham mesmo que depois de destruir de tantas vendas da primeira versão, alguém comprará a nova versão e terá duas camisetas verdes limão em casa?? Francamente… deu para ver que as primeiras ações do marketing, que deram certo, não foi nada mais do que um tiro certeio no escuro.

Bom dia Cunio, otima coluna, a unica ressalva é que não conseguiremos aplicar no Palmeiras o que foi feito no Inter por um simples motivo, egoismo, não de nós torcedores ou dos membros da midia palestrina, mas dos conselheiros que são extremamente egoistas e relevam o Palmeiras a um segundo plano, sem pensar que sem o mesmo não são nada, deveriam sim tentar mudar o estatuto do clube para dessa forma maximizar o conjunto torcida, time e diretoria e assim aumentar a força da SEP.

Parabéns Cunio bela matéria. E que o verdão! Consiga seguir o mesmo caminho do Internacional precisamos muito disto.

Cunio, hoje sou “obrigado” a concordar com você.

Mas veja, essa trajetória do Inter muito bem citada por você não foi do dia para noite, levou longos 07 anos.

Trazento para o nosso lado, essa trajetória ainda está no meio, lembre que em 2006 nos livramos do rebaixamento na última rodada, em 2007 essa atual diretoria assumiu o futebol do clube e ainda nesse ano vivemos com salários atrasando quase todo mês.

Em 2008 vivemos algumas melhoras, com a entrada da Traffic e a montagem de um time que deixou de ser coadjuvante e passou a ser protagonista, ganhando uma vaga na Libertadores.

2009 começou com a montagem de um time jovem que segundo o técnico de plantão da época daria frutos apenas no 2° semestre, mas contra tudo e contra todos acabou chegando nas quartas de final da Libertadores e o final dessa história todos nós já sabemos.

2010 começou muito mal, mas penso que agora com as chegadas do Felipão, Kleber e Valdivia as coisas irão se encaixar, ontem foi apenas uma pequena amostra do que somos capazes de fazer, mas tudo na vida leva tempo, não adianta ficar olhando apenas para o jardim do vizinho e achar que o deles é mais bonito do que o nosso.

Cada clube tem sua história, tem a sua cultura própria desenvolvida ao longo de muito tempo, você concorda??

Não podemos nos igualar ao Inter, podemos superar, e muito pois temos uma torcida muito maior e disposta a gastar mais, aí entramos em outro ponto…o marketing! Melhorou? Sim! É o ideal? NÃO!

Qualquer um vê que a imagem palmeiras poderia ser muito mais explorada.

Bela cornetada, sobre o inter…um dos melhores atrativos em ser socio é o PODER DE VOTO!!

Aliada a competencia da diretoria, que sabe diferenciar os giulianos dos EVANDROS. Ou seja…

diretas já!
profissionalização do dp de futebol já!

O nome do sucesso do Inter é estrutura e gente que entende de futebol e ama o Inter mais que suas vaidades particulares.

Cunio, ótimo texto. E que soem as trombetas para agradecer a São Marcos pelos 500 jogos e a São Marcos da Assunção pelo gol aos 44 minutos do 2o tempo!!

Cunio, quando tem tudo isso que vc mencionou é sucesso mesmo, e mesmo com toda a imprensa contra.

Minha nonna dizia que praga de urubu magro não mata cavalo gordo

Cunio, nem combinamos o texto dos posts, hein?

Logicamente o dia de hoje é especial pelo resurgimento dos brios dos nossos jogadores em campo.

Mas também vale a reflexão pelo o que o Internacional fez em tão pouco tempo… não há nada lá que também não podemos fazer.

Sds AlviVerdes

Os comentários estão desativados.