Categorias
Meninos Eu Vi

Causos do Jota: Zé Gaiola era um homem justo

Por Jota Christianini

Voltam os causos. Aprendi ler e fazer contas nas páginas de A Gazeta Esportiva. As manchetes ensinaram-me a ordenar aquele monte de letrinhas e aprendi somar com os números das camisas dos jogadores. Foi na edição quinzenal da revista Ilustrada da Gazeta que li o primeiro causo. Eram aventuras do Zé Gaiola, escritas por Silvério de Lellis. Dedico a retomada dos causos aqui, no 3VV, ao criador e à criatura.

***

ZÉ GAIOLA ERA UM HOMEM JUSTO
Adaptação de causo escrito por Silvério de Lellis, na metade dos anos 50.

Zé Gaiola teve passagem curta pelo futebol da capital paulista.

A força de seu chute abreviou a carreira do notável jogador nos grandes clubes.

Chegou ao Palestra com fama, trazida de São Jose do Rio Pardo, de ter o chute mais forte do Interior

Como se verá a seguir não era só do interior que ele liderava o cartel de chute forte. Era do Brasil, América do Sul, Norte, Central e quiçá de toda Europa, Ásia e Oriente Médio.

A princípio a federação proibiu seu chute de pé esquerdo. Não adiantou, continuava fustigando os goleiros com a força que também tinha no pé direito; quanto aos zagueiros nenhum ousava tentar calçar o chute do Zé.

Proibiram também o chute de direita.

Não restou alternativa ao Zé Gaiola.

Arrumou um grupo de colegas e saiu pelo interior fazendo jogos amistosos; um fim de semana em cada cidade.

Chegaram a Martinópolis, e ainda na estação ferroviária souberam que um tal Pezão, vigoroso zagueiro do time local, prometera calçar o chute do Zé Gaiola.

Acostumado com essas bravatas Zé jogou o seu jogo sem preocupar-se com o Pezão.

E as peripécias da partida só permitiram o enfrentamento dos dois no último lance do jogo. Foi uma confusão na área, Zé Gaiola chutou contra o calço do Pezão, foi um reboliço, levantando poeira de todo lado e como o árbitro encerrou o jogo naquele instante, Zé Gaiola, como de hábito retirou-se apressadamente evitando o assédio da torcida.

Hora depois, já no vagão restaurante do trem, Zé Gaiola e os companheiros saboreavam o prêmio pela vitória sem que ninguém se lembrasse do último lance do jogo.

Passa o tempo.

Ano seguinte a trupe do Zé Gaiola voltou a Martinópolis.

Na estação uma família humilde esperava o astro.

— Seu Zé Gaiola, nós somos a família do Pezão, o senhor deve lembrar-se do ocorrido . Há um ano ele teve a ousadia de calçar o seu chute de esquerda. Saiu do campo direto ao hospital e teve a perna reduzida em 6 cm, o que lhe dificulta o andar e impede de trabalhar. Estamos passando dificuldades. O senhor poderia nos ajudar.

— Posso sim madame! Amanhã eu vou jogar no mesmo estádio daquela vez, peça ao Pezão para calçar meu chute com a outra perna, assim as duas ficam do mesmo tamanho. Iguala tudo!

 

7 respostas em “Causos do Jota: Zé Gaiola era um homem justo”

O PALMEIRAS SEMPRE TEVE JOGADORES COM CANHÕES NOS PÉS—-LEMBRO DO JAIR DA ROSA, DO ROMEIRO, DO LARRY,RODRIGUES,LULA E OUTROS ,QUE QUANDO CHUTAVAM, ERA MEIO GOL

O Pezão deveria ter dado graças a Deus. Ja imaginou se ele esta na barreira e a bola atinge “as partes baixas? O Pezão e a familia não teriam o que pedir ao Ze Gaiola. Nem um passarinho. Boa historia Jota

Causo muito bom… Confesso que li 3 vezes a frase “A força de seu chute abreviou a carreira do notável jogador nos grandes clubes” … Segui a leitura achando que tinha algo errado mas a sequência do texto esclareceu tudo…rs

Os comentários estão desativados.