Categorias
Verdão na Mídia

Verdão na Mídia 19-07-2013: Verde já aparece no Allianz Parque, e empresas são obrigadas a adotar cor ❘ Uol Esporte

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Verde já aparece no Allianz Parque, e empresas são obrigadas a adotar cor

Por João Henrique Marques

O verde que representa o Palmeiras já começa a aparecer no Allianz Parque. Os primeiros assentos foram colocados em áreas destinadas aos camarotes do novo estádio do clube e são da cor que virou obrigação para o design do local.

A WTorre, responsável pela construção da arena, vetou o uso de outra cor na parte externa dos camarotes mesmo que elas sejam uma característica da empresa que pagar por aquele espaço.

Apesar da imposição, a comercialização dos camarotes é considerado um sucesso. O cálculo passado é que mais de 60% já foi alugado. O número total é de 125, com capacidade para mais de 2.300 pessoas.

A Traffic Sports é a responsável pela comercialização dos camarotes. A empresa vai dividir os lucros originados com o espaço com a WTorre e a conta atual é de que mais de R$ 50 milhões já estão assegurados em pacotes com duração de três a cinco anos.

O valor de cada cadeira custa, em média, R$ 15 mil por ano. Os camarotes têm capacidade para 12, 17, 18 e 21 lugares localizados em diferentes zonas e níveis.

A Traffic iniciou as vendas em dezembro. Bancos, empresas de bebidas, telefonia e siderúrgicas são os maiores investidores. A WTorre orienta o bom senso aos compradores para que evitem cores rivais como alvinegro de Corinthians e Santos e vermelho do São Paulo na decoração do ambiente, já que a parte interna fica a critério do comprador.

O novo estádio do Palmeiras ainda terá outros 70 camarotes que não estão disponíveis para aluguéis a longo prazo. A estratégia é que o espaço possa ser comercializado pontualmente e, assim, gerar maior lucro ao fim do mês.

O Allianz Parque terá média de 35 jogos do Palmeiras e vai receber entre 48 e 70 shows ou eventos por ano, segundo os planos da AEG/Bluebox, futuros administradores do estádio.

O local tem obra prevista para terminar no primeiro trimestre do ano, e já tem na agenda o show da banda inglesa One Direction nos dias 10 e 11 de maio.

Pelo contrato, nos primeiros cinco anos, o Palmeiras ficará com 5% do arrecadado com eventos. Nos cinco anos seguintes, será 10% e assim sucessivamente.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

BLOG DO PAULO VINÍCIUS COELHO ❘ ESPN BRASIL

• Dono de único estádio sem isenção fiscal, Palmeiras também terá de ceder área do clube social à Prefeitura

O Palmeiras terá de ceder uma área de aproximadamente cinco metros de seu clube social para a Prefeitura de São Paulo como contrapartida pela reforma de seu estádio. A obra deve começar no segundo semestre, na portaria das piscinas palmeirenses, situada na esquina da Avenida Antarctica com rua Padre Antônio Tomaz. A esquina tem um estrangulamento de trânsito causado desde que a Companhia de Engenharia de Tráfego decidiu criar ali um cruzamento, em 2005.

A foto ao lado mostra a portaria iluminada bem ao lado da fila de carros que tenta virar à direita para acessar a Avenida Antarctica. Até a reforma da CET, em 2005, todo o movimento da rua Padre Antônio Tomaz era obrigado a virar à direita. A partir dali, pela mudança do itinerário das companhias de ônibus, duas pistas foram destinadas à conversão à esquerda e apenas uma para a direita.

Como a prefeitura introduziu no cruzamento uma ilha para colocação do semáforo e destinou duas das três pistas para conversão à esquerda, o espaço para conversão à direita passou de 100% para 33% da pista de um dia para o outro. Resultado: trânsito pesado para virar à direita que também dá acesso à avenida Sumaré, uma das mais importantes da região oeste da cidade.

Caberá ao Palmeiras resolver a questão do tráfego provocada pela mudança proposta pela Companhia de Engenharia de Tráfego.. A área da portaria será entregue à prefeitura que ampliará a pista para conversão à direita derrubando toda a parte do clube que vai do semáforo à área iluminada da portaria social.

De todos os estádios construídos, reconstruídos ou reformados no Brasil por causa da Copa do Mundo, todos têm algum tipo de isenção fiscal. Atlético Paranaense, Corinthians e Internacional beneficiados por sediarem jogos de Copa do Mundo. O Grêmio beneficiado por incentivos antes mesmo de o Inter conseguir o mesmo tipo de incentivo para reforma do Beira Rio.

O Palmeiras e o São Paulo que reformam seus estádios em níveis diferentes, não têm. O Tricolor faz uma reforma menor em comparação com a construção do Allianz Parque, nome oficial do reformulado Parque Antartctica, sede do primeiro jogo da história do Campeonato Paulista, entre Germânia e Mackenzie, em 1902, antes mesmo da fundação do Palestra Itália.

O Palmeiras também terá de arcar com ampliação da pista bairro-centro da avenida Francisco Matarazzo e pela retirada de árvores do canteiro central da avenida. No domingo, haverá uma manifestação contra a retirada das árvores, proposta pela prefeitura.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO PAULO VINÍCIUS COELHO ❘ ESPN BRASIL

••

NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

• Com Kardec, Palmeiras faz a 21ª estreia na temporada

Por Fabio Leite

Uma estreia a cada duas partidas. Esta é a média do Palmeiras, que deve ter no sábado, contra o Figueirense, em Florianópolis, pela Série B do Brasileiro, seu 21º debutante em 37 jogos na temporada.

Alan Kardec, contratado por empréstimo do Benfica-POR em junho, treinou entre os titulares na quinta-feira e deve entrar na partida que pode dar a liderança do campeonato ao time alviverde.

Para isso, o vice-líder da competição, com 18 pontos, precisa vencer a equipe catarinense e contar com um tropeço da Chapecoense (20 pontos), que recebe o América-MG também às 16h20.

Kardec chegou para substituir o centroavante Kleber, que não conseguiu vingar no time –dois gols em 11 jogos– e não teve o empréstimo junto ao Porto-POR renovado.

Nesta quinta-feira, o técnico Gilson Kleina aproveitou a ausência do volante Márcio Araújo, e testou uma formação com três atacantes: Leandro pela direita, Vinícius pela esquerda e Kardec centralizado.

Araújo foi ao Rio para julgamento no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) por ofensas ao árbitro da derrota por 1 a 0 para o Sport, em junho. Ele e Kleina pegaram um jogo de suspensão, pena já cumprida por ambos.

O 21º estreante palmeirense, que escolheu a camisa 14 inspirado no francês Thierry Henry, que usou o número no Arsenal, expõe o desafio de Kleina para entrosar o time.

O volante uruguaio Eguren (ex-Libertad-PAR), destaque nos treinos, ainda está sem visto de trabalho e só deve estrear no dia 27, contra o Guaratinguetá. O meia Felipe Menezes, ex-Benfica, ainda deve aguardar sua chance.

Além de Kleber, a lista de reforços da temporada que já deixaram o elenco tem Souza, trocado por Ananias com o Cruzeiro, e o atacante Emerson, emprestado ao Oeste.

Os laterais Weldinho e Ayrton, e o zagueiro Marcos Vinícius também pode sair.

Já partiram os pratas da casa João Denoni (Oeste) e Patrik (Sport). Após a desistência da Ponte Preta, o Palmeiras negocia o empréstimo de Maikon Leite e Tiago Real com o Náutico, da Série A.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Após três meses, Vilson volta ao Palmeiras

Por Daniel Batista

O fato de não poder contar com o capitão Henrique – suspenso – na partida contra o Figueirense, não preocupa tanto Gilson Kleina. Ele terá o retorno de Vilson, recuperado de uma artroscopia no joelho esquerdo que o deixou longe dos gramados por quase três meses. Em entrevista ao Estado, ele admite que voltar num momento em que o time está bem serve como força para não sentir a falta de ritmo de jogo.

“Estou muito alegre com esse ‘novo Palmeiras’. Todo mundo está se dedicando muito, tanto os que chegaram agora como os que já estavam no clube. E a gente vê um padrão tático, um time com posse de bola e que envolve os adversários”, comemorou o jogador, que atuou pela última vez no dia 21 de abril, na derrota por 2 a 1 para o Ituano. O jogo foi o último da primeira fase do Paulistão.

Kleina já deu indícios de que sua dupla de zaga titular é Henrique e Vilson. A confiança é fruto do rendimento do ex-gremista que, até certo ponto, surpreendeu muita gente no clube. Quando foi envolvido na transação que levou Barcos para o Grêmio, não se esperava que Vilson fosse dar tão certo na equipe.

Seu parceiro de zaga sábado, André Luiz, é o adversário por uma vaga no time. “Temos uma disputa sadia. Quando ele chegou, eu estava jogando e ele soube esperar a oportunidade. Um bom profissional tem de se comportar assim”, disse Vilson.

A falta de ritmo aparece como o grande adversário neste momento. “Não tem como não sentir. Voltar é muito bom, mas tenho de trabalhar muito forte e conversar bastante com meus companheiros para tentar evitar ao máximo os erros.”

NOVAS CARAS

O Palmeiras pode contar com duas estreias em Florianopólis. O atacante Alan Kardec e o meia Felipe Menezes devem ser relacionados para o jogo.

Na última quinta-feira, o Palmeiras acertou o empréstimo de João Denoni para o Oeste até o fim de 2014. E a Ponte Preta desistiu do empréstimo de Tiago Real, Maikon Leite e Luiz Gustavo ou Wellington (um deles seria escolhido). O time de Campinas não quis arcar com o salário total deles.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Juninho considera Verdão pronto para “enfrentar qualquer adversário”

Por Luiz Ricardo Fini

O lateral esquerdo Juninho está confiante com a fase do Palmeiras na Série B do Campeonato Brasileiro. Depois de duas goleadas seguidas na Segundona, o jogador acredita que o Verdão teria condições neste momento de enfrentar as equipes que disputam a Série A nacional.

“Nosso time está se encaixando e teremos a Copa do Brasil pela frente. Isso vai acontecer (jogos contra times da primeira divisão). O Palmeiras está hoje preparado para enfrentar qualquer adversário”, avaliou.
O torneio de mata-mata será a oportunidade de o Verdão medir sua força com as equipes da elite do País. Atual campeão do torneio, o time de Gilson Kleina entrará direto nas oitavas de final da competição, que, a partir deste ano, passa a receber também os clubes que disputam a Libertadores.

O Palmeiras ainda não sabe qual será o adversário na Copa do Brasil, mas Juninho adverte que o elenco alviverde lutará mais uma vez para levantar o troféu, sem deixar de lado a disputa da Série B.

“O Palmeiras entra em todas as competições para tentar ser campeão e temos totais condições de conseguir o título da Copa do Brasil. Nós vamos buscar, mas tendo como objetivo principal o acesso”, acrescentou.

Antes de chegar ao torneio de mata-mata, Juninho espera aumentar a série de triunfos na Série B. “É o que mais queremos. Estamos em uma sequência muito boa, pois a parada nos fez trabalhar bastante. Além disso, tivemos as voltas de alguns jogadores e as chegadas de outros. Temos tudo para embalar e conseguir as vitórias”, completou.

Durante a paralisação das competições nacionais para a realização da Copa das Confederações, o Palmeiras aproveitou para recuperar atletas lesionados, como Valdivia, Fernando Prass e Vilson, além de ter buscado quatro reforços: Mendieta, Felipe Menezes, Eguren e Alan Kardec.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Ansioso, Kardec admite peso por substituir artilheiros palmeirenses

Por Marcelo Hazan

O Palmeiras procurou intensamente um centroavante até encontrar Alan Kardec. Desde a conturbada saída de Barcos para o Grêmio, em fevereiro, o clube não tinha um nome de peso para a posição. Por isso, o reforço de 24 anos é visto como o cara para assumir a função, tradicionalmente exercida por ídolos.

Ciente da história de artilheiros no Verdão, Kardec admite o peso de substituir nomes consagrados e se diz ansioso pela estreia, que pode ocorrer sábado, contra o Figueirense, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

Após ser testado pelo técnico Gilson Kleina em uma variação tática com três atacantes, no treino da última quinta, ele deve ser relacionado pela primeira vez e pode entrar durante o jogo.

– Quero mostrar meu trabalho. Tenho muita vontade de jogar e espero que tudo ocorra bem. Se estrear, ficarei muito feliz, mas caso não aconteça o principal é a vitória – diz.

– Não é fácil (substituir o Barcos). Não é somente ele. O Palmeiras tem uma vasta história de grandes atacantes, como Evair, Edmundo e outros. A responsabilidade e a cobrança são enormes. Todo clube grande tem um grande camisa 9. Pela confiança depositada em mim, o mínimo que posso fazer é me dedicar – promete.

Depois de fazer sucesso no Santos ao lado de Neymar, Kardec agora deseja brilhar aproveitando os passes de Valdivia no Verdão.

– Ele é o camisa 10 do Palmeiras e da seleção do seu país (o técnico Jorge Sampaoli tem observado o chileno). Tem muita qualidade. Temos de entrar em sintonia. Com o Neymar aos poucos a coisa aconteceu naturalmente e aqui não será diferente – prevê.

Mesmo disposto a ajudar Kleina em outras funções, como meia ou atuando pelos lados, Alan Kardec ressalta: sua função é dentro da área. E é justamente dessa forma que o treinador imagina utilizá-lo quando tiver todo o elenco pronto, com Valdivia e Leandro mais recuados.

– Faço de tudo um pouco, mas a minha função é ser centroavante. Dentro da partida e do que for necessário, posso ajudar – diz.

Apesar da vontade de entrar em campo, o camisa 14, número usado em homenagem ao francês Thierry Henry, reconhece que precisa evoluir fisicamente com calma para não se lesionar. Apresentado no início do mês, ele pediu um tempo para readquirir a forma. Quase 20 dias depois, já se sente melhor.

Ainda assim, Kardec ressalta que precisa de ritmo de jogo. Sua última partida oficial pelo time principal do Benfica, clube que o emprestou ao Verdão até junho de 2014, foi em março. Depois disso, o centroavante pediu para atuar pela equipe B, pois não queria ficar parado.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• ‘No caminho certo’, Gilson Kleina volta ao palco da estreia pelo Verdão

Por Fabricio Crepaldi e Thiago Ferri

Na última vez em que pisou no gramado do Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, o técnico Gilson Kleina ainda era pouco conhecido e assumia um Palmeiras em crise, com a missão de tirar o time do rebaixamento. Neste sábado, quase dez meses e exatos 50 jogos depois daquele 22 de setembro, o treinador reencontra o palco de sua estreia pelo Verdão, mas em situação totalmente diferente: vivendo aquele que considera um de seus melhores momentos após ter acertado com o Alviverde.

Desde então, passou por altos e baixos: teve ótimo início, com três vitórias seguidas, mas não conseguiu livrar o time da queda; fez boa campanha no Paulista, mas com a derrota por 6 a 2 para o Mirassol no caminho; teve ótima primeira fase na Libertadores, mas uma eliminação trágica para o Tijuana, em casa. Hoje, o técnico se vê mais experiente e mais querido pelos torcedores. Muito graças ao bom começo na Série B, na qual a equipe é vice-líder.

– Tive meus grandes momentos na época da Libertadores, da mobilização do time com a torcida, e agora pelo trabalho estar dando certo, com muitas vitórias. Estamos no caminho certo. Mas temos de saber que se houver um tropeço, é preciso sempre se levantar – disse ele, ao LANCE!Net.

Além de já ter conquistado a confiança da torcida, o comandante tem outro trunfo para seguir prestigiado: a aprovação dos jogadores. Mesmo com o elenco inchado, o técnico consegue dar atenção a todos e isso frequentemente é elogiado pelo grupo, assim como a forma de trabalho.

Em Santa Catarina, no reencontro com o estádio da sua estreia, Gilson Kleina espera repetir o desempenho dos 3 a 1 daquele dia para seguir sua caminhada no comando do Alviverde.

– Estreei muito bem naquele dia, tivemos um ótimo jogo. Depois tivemos muitos problemas. Mas espero repetir a boa atuação que fizemos para continuarmos vencendo. A entrega é cada vez maior, trabalho para chegarmos aos objetivos, que é ter o título e o acesso à Série A – falou.

Como a trajetória de Kleina começou:

Para apagar o incêndio


Gilson Kleina foi apresentado no Palmeiras dia 20 de setembro, uma semana depois da saída de Felipão, falando em conseguir a arrancada para tirar o Verdão da zona de rebaixamento.

Começou bem…


Dois dias depois, o treinador já estava com a delegação em Florianópolis (SC), onde enfrentaria o Figueirense, então dirigido por Márcio Goiano. Motivado, o Palmeiras conseguiu a vitória por 3 a 1 no Orlando Scarpelli e se animava para tentar a salvação.



…Terminou mal


Após bater o Figueira, emendou uma vitória sobre a Ponte, ex-time de Kleina, mas o retrospecto piorou e o Palmeiras, junto do time de Santa Catarina, acabou rebaixado à Segunda Divisão.

O melhor momento


Em 2013, o Verdão conseguiu uma sequência de cinco vitórias seguidas, que ajudaram nas classificações do Paulista e da Libertadores.

– Um grande momento nosso foi a vaga contra o Libertad (PAR), pois era um time desconfiado, desmantelado, que virou realidade e se classificou com uma rodada antes – lembrou o comandante.

As piores sensações


Após dar animação na chegada, Kleina não conseguiu tirar o Palmeiras do perigo e caiu à Série B do Brasileiro. Mantido para o ano seguinte, o treinador passou por outro momento bastante complicado: a goleada para o Mirassol, por 6 a 2, no Paulista. O resultado colocou sua permanência em risco, mas Paulo Nobre decidiu confiar no treinador.

Confira um bate-bola com o técnico do Verdão:

LANCE!Net: Qual o balanço que você faz desde que estreou pelo Palmeiras?
Gilson Kleina: O balanço é que ficamos com time irregular muito tempo, com lesões, formação de elenco, transição de jogadores durante competições, adaptação de quem chega, competições importantes… Nunca conseguimos ter regularidade. Em 50 jogos foi muito trabalho. É o clube no qual eu mais trabalhei. Demorei um pouco mais para encaixar, implantar a filosofia. Foi uma época de um plantio muito difícil, mas agora quero desfrutar da colheita.

Qual foi seu maior acerto?
É difícil, sempre acho que quando tudo dá certo que os valores maiores são dos atletas, mas um momento inegável foi quando o Patrick Vieira se machucou, eu chamei o Vinícius (contra o Tigre), não pensei duas vezes, falei pra ele entrar e nos dar a vitória. Ele foi lá e fez isso. Foi um momento iluminado que eu tive.

E o que teria feito diferente?
Também é difícil, você tem de tomar atitudes, pode ser que repense depois, que poderia mudar. Não me arrependo de nenhuma decisão que tomei. Só teve o momento de quando comecei, na derrota por 3 a 0 para o São Paulo, que se eu tivesse um conhecimento melhor das características não teria montado como montei, coloquei um time que não competiu. Entendi que tinha de conhecer rapidamente as características. Tem de agir com a razão e pensar logo

Sua vida mudou muito desde que virou técnico do Palmeiras?
O Palmeiras muda a vida de todo mundo. O que dimensiona comandar o Palmeiras é ter o reconhecimento em todos os lugares. A exigência é forte como o elogio. O Palmeiras me colocou em um patamar por estar com essa camisa de tradição. Você fica mais exposto, deixa de fazer coisas na vida privada para melhorar o lado profissional.

No clube também mudou?
Muita coisa. Estamos qualificando o grupo, ficando mais consistente, os jogadores estão muito mais comprometidos, a seriedade é um ponto muito forte hoje. Sempre evoluímos, mesmo com as dificuldades. Hoje temos uma gestão muito pé no chão, que sabe o que quer, e aos poucos vamos consolidando a confiança da torcida. A Libertadores mostrou nosso nível de força.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Já contestado, quarteto ganha moral no Palmeiras e se destaca na Série B

Antes motivo de irritação da torcida, quatro jogadores do Palmeiras vivem em alta com a comissão técnica na campanha da Série B. Juninho, Márcio Araújo, Wesley e Vinicius já foram contestados pelos alviverdes recentemente, mas têm papel importante na equipe, vice-líder do Campeonato Brasileiro, após oito rodadas – a dois pontos da líder, Chapecoense.

Juninho chegou no começo de 2012 e foi bem durante a campanha do título na Copa do Brasil. Com o aumento da pressão na má fase do Brasileiro do ano passado, o camisa 6 passou a ter atuações apagadas e admitiu que ficou assustado, tendo pensado até em sair. Após amargar a reserva durante parte desta temporada para Marcelo Oliveira, o jogador tem sido o titular e apresenta bons números no Nacional.

Ele é quem mais acerta passes no Verdão – e entre todos os jogadores na Série B – (415 passes), quem mais ficou com a bola no pé: pouco mais de 14 minutos e é o quinto que mais desarma (17 roubadas de bola). Nas duas primeiras estatísticas, o lateral é seguido por Márcio Araújo. Palmeirense desde 2010, o volante nunca esteve entre os mais bem cotados com a torcida, mas é também o segundo maior ladrão de bolas no time.

Dos jogadores mais avançados, Wesley chegou no começo de 2012 com grande expectativa, lesionou o joelho, voltou apenas no final da temporada e neste ano jogou fora de posição no início. Criticado por ser “fominha”, foi para o banco de reservas, voltou a jogar como volante e teve boa atuação contra o ABC, na última sexta-feira. Quinto maior passador do time na Série B e quarto que mais desarma, mesmo tendo atuado em cinco dois oito jogos na campanha, o camisa 11 é importante também por suas assistências: já foram sete na temporada, assim como Vinicius.

O jovem atacante é, com ele, o principal “garçom” palmeirense no ano. Levado à equipe principal em 2010, quando ainda tinha 16 anos, Vinicius não conseguia colocar em prática tudo o que se esperava dele. Começou a receber mais chances com Kleina, mas ainda assim não terminou a temporada passada em alta. Neste ano, o camisa 19 apresentou boa evolução e, além de dois gols na competição, é o principal driblador no torneio.

Embora todos estejam em alta com Gilson Kleina, Juninho é o único mais ‘seguro’ na posição. No meio-campo, o uruguaio Eguren foi contratado para a posição de Márcio Araújo e não será relacionado para o confronto de sábado, contra o Figueirense, por não ter sido regularizado. Mendieta, outro gringo, está em processo de adaptação ao país após vir do Paraguai. Ele coloca em risco a vaga de Wesley, enquanto Alan Kardec, que pode estrear em Florianópolis (SC), é o grande concorrente de Vinicius no ataque alviverde.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

COLUNA DO JORGE NICOLA ❘ DIÁRIO DE S.PAULO

• Status alviverde


O Verdão vem tendo imensa dificuldade em emprestar seus atletas mais jovens. “Eles preferem ficar na reserva do reserva aqui a jogarem em times pequenos”, reclama um cartola. “É que eles usam o status de atuarem no Palmeiras para pegar as meninas.”

• Fora das finais


Pela primeira vez desde 2009, o Palmeiras ficou sem representante na final das seis categorias de base do Campeonato Metropolitano de Futsal. A melhor colocação foi do sub-13, com a medalha de bronze.

••

COLUNA DE PRIMA ❘ LANCE!

Por Pedro Lopes

• Esforço contínuo


A decisão da Caixa de frear os investimentos no futebol não irá parar a busca do Palmeiras pelas CNDs. A última gestão não foi atrás das certidões, mas a atual diretoria, mesmo sem firmar o patrocínio, quer abrir portas para incentivos do governo federal.

• Aniversário

A festa de aniversário de 99 anos do Palmeiras ocorrerá na última semana de agosto, em um espaço fechado para eventos na Vila Olímpia, bairro nobre de São Paulo. Alguns conselheiros, porém, já se assustaram com o preço que vai ser cobrado pelas entradas: R$ 300 reais por casal.

••

COLUNA PAINEL FC ❘ FOLHA DE S.PAULO

Por Bernardo Itri

• Horizonte…

Londrina vai ser a primeira cidade fora do Estado de São Paulo a receber uma loja oficial do Palmeiras. Em parceria com a Meltex, o clube vai lançar o empreendimento no município paranaense em agosto.

• …ampliado

O Palmeiras tem a previsão de lançar também mais cinco lojas oficiais no próximo mês.

••

OUTRAS NOTÍCIAS :

GLOBO ESPORTE COM → Com proposta do Náutico, Tiago Real deve deixar o Palmeiras
 
UOL ESPORTE → Kleina confirma Palmeiras com retorno de Vilson e leva Kardec para o banco
 
AGORA SP > Valdivia volta e Henrique fica fora
 
GAZETA ESPORTIVA NET → Alan Kardec viaja para ficar no banco e já sabe como fará na estreia
 
GLOBO ESPORTE COM → Kleina fala em jogo de ‘seis pontos’ e não vê liderança como prioridade
 
GLOBO ESPORTE COM → Com treino em três etapas, Kleina apronta Palmeiras para sábado
 
ESTADÃO ONLINE → Kleina confirma Vilson no Palmeiras e relaciona Kardec
 
GAZETA ESPORTIVA NET → Palmeiras e Cruzeiro se misturam e trocam abraços em treinamento
 
EBAND → Elenco ‘inchado’ do Verdão é positivo, diz Kleina
 
GAZETA ESPORTIVA NET → Palmeiras aproveita ‘informantes’ Ronny e Juninho contra Figueirense
 
EBAND → Já contestado, quarteto ganha moral no Palmeiras e se destaca
 
••

6 respostas em “Verdão na Mídia 19-07-2013: Verde já aparece no Allianz Parque, e empresas são obrigadas a adotar cor ❘ Uol Esporte”

Fico curioso em qual cartola disse isso, isso se disse mesmo. Sempre desconfio dessas “fontes” pra afirmações deste tipo no mundo do futebol.

Essa história de perder espaço físico do clube, enquanto a Prefeitura doa milhões de incentivo aos rivais, é revoltante.

É por essas e inúmeras outras que odeio políticos!

Mas a história não é bem assim Regina. As adequações da Avenida Matarazzo são muitas e único jeito de fazê-las é tirando área do clube, tirando o canteiro central e etc.
Muita gente tá reclamando dessas alterações mas isso já era necessário há algum tempo. Só foram mais clementes com outros empreendimentos por problemas que vemos nos jornais, pois se todos tivessem contribuído efetivamente o transito da região seria 200% melhor.

Mas pra nós é até melhor contribuir pois quanto melhor a região estiver, melhores os ganhos com eventos.

“É que eles usam o status de atuarem no Palmeiras para pegar as meninas.” Essa foi boa!

Valdivia ta nessa faz tempo kkk

Os comentários estão desativados.