Categorias
Arenas

Arenas – Allianz Parque pode ficar obsoleta?

Por Claudio Baptista Jr.

Nosso estádio ainda nem foi inaugurado e já se coloca a possibilidade que fique obsoleto?

Sim, principalmente quando olhamos o tempo de parceira de 30 anos.

Porém, muitos podem dizer que por contrato após este período receberemos um estádio dentro dos padrões da FIFA.

Acontece que os padrões da entidade deixam abertos inúmeros pontos que podem fazer a diferença entre um estádio moderno e um já mais ultrapassado dentro de alguns anos. Instalações tecnológicas, nível de conforto dos usuários, critérios ambientais estão entre aqueles que podem ter grandes variações e mesmo assim estarem dentro dos padrões FIFA.

Entretanto a expectativa da maior parte da nossa torcida é permanecermos sempre com um estádio entre os mais modernos.

Por exemplo, o moderno telão que será instalado pode dentro de alguns anos estar em um nível abaixo em relação a tecnologia do momento. Da mesma forma os sistemas de comunicação e prestação de serviços (bilhetagem, serviços de alimentação e venda de produtos, etc.), segurança, estacionamento, entre outros.

Vejam as imagens abaixo para podermos verificar itens mais visíveis dentro de estádios novos ou reformados, porém como disse acima, tenham em mente que as diferenças podem atingir sistemas pouco vistos, mas que podem interferir na qualidade dos serviços prestados (comunicação, transmissão de dados, conectividade, segurança, vigilância, bilhetagem, controle de acesso entre outros).

 

Arenas-B    Arenas-C

 

Arenas-D    Arenas-E

 

Arenas-F   Arenas-G

 

Nelson Mandela aparece no telão do estádio Soccer City, em Johanesburgo. FOTO: JONNE RORIZ/AE

 

Arenas-I   Arenas-J

A segunda imagem acima mostra um dos camarotes em exposição na Allianz Parque. Vejam que ele se apresenta de forma mais simples, porém, sabemos que na venda e aluguel destes espaços, normalmente o proprietário ou locatário fica responsável pelas instalações internas no que diz respeito a conforto. Assim, dentro do nosso estádio como em tantos outros, poderemos ter uma grande variação no nível destas instalações.

O que pode muito bem contar a nosso favor também é o fato dos parceiros terem o maior interesse em tornar a Allianz Parque um equipamento que se mantenha sempre diferenciado, pois é interesse para o negócio como um todo.

A questão fica em como trabalhar internamente dentro do consórcio para que itens de investimento visando não apenas manter a Allianz Parque com suas instalações e serviços sempre atualizada, mas também buscar o aumento da qualidade das mesmas a fim de durante a vigência da parceria, ainda que não sejam explicitamente obrigados.

Não é fácil. Em momentos os interesses podem não ser comuns entre as partes, pois alguns investimentos podem demandar do envolvimento de recursos financeiros consideráveis.

Enfim, o período de parceria é longo e por isso nada impede que desde já todas as partes envolvidas do consórcio possam analisar em conjunto as possibilidades e se possível traçar algum planejamento em cima de manter a Allianz Parque como uma referência em qualquer momento.

E vocês, o que acham a respeito?

Abraço,

Claudio.

28 respostas em “Arenas – Allianz Parque pode ficar obsoleta?”

SAUDAÇÕES FAMILIA DO GIGANTE VERDE!!!!!
QUANTOS SÉCULOS TEM O COLISEU DE ROMA???
E TODO DIA TEM NEGO VISITANDO A PRIMEIRA ARENA DO MUNDO!!!
RELAXA O QUE EXISTE É O HOJE…
AVANTI PALMEIRAS.

Unica coisa que não vai combinando é as cores da cadeira, tem que ser braços branco ou verde, nada da cor preta, pois os corinthias,,tambem não querem nada de verde…..

Na arena dos Gambás, que não será e nunca vai ser arena, pois lá na Arena Itaipava hehehehe, só terá jogos de futebol. diferente do nosso Allianz Parque, que além de futebol para 46.ooo expectadores, shows para 60.000 e um anfiteatro para cerca de 15.000, não precisa falar mais nda, só lamentar nosso dinheiro indo para uma réplica do Carandirú. Vergonha!!!!

Charles e João Revolta, vou reproduzir abaixo um pequeno trecho do texto:
“O que pode muito bem contar a nosso favor também é o fato dos parceiros terem o maior interesse em tornar a Allianz Parque um equipamento que se mantenha sempre diferenciado, pois é interesse para o negócio como um todo.”
Isso talvez responda algumas questões se nao acredito em um reinvestimento continuo.
Também faço algumas citações sobre um trabalho de parceria a fim de adequar os interesses do clube e dos parceiros.
Enfim, nao existe corneta sobre o equipamento e sim um desejo que tenhamos nao apenas um equipamento moderno, mas sim, o melhor entre os modernos.
Abraço

Olá, Cláudio. Acho que ele quiseram dizer que o assunto sobre o qual você escreveu é um pouco óbvio, já que, para uma arena multiuso, logicamente terão interesse em atualizar o que nela estiver durante a vigência da parceiria.

Abraços

Puta torcida chata e pessimista da gota. Já estão cornetando um estádio que nem ficou pronto ainda.
Tem que ter um saco do tamanho da Lua mesmo para dirigir esse clube.
Meu Deus! Daí-nos paciÊncia!

Desculpe, mas não concordo com seu texto, primeiramente é de interesse da W Torre manter as instalações modernas, afinal, como poderão receber shows, jogos e outros acontecimentos se não disponibilizarem estrutura para tal? Você acredita que em algum momento apresentações de alto nível que exigem qualidade de instalações poderiam ser realizadas na Arena sem um investimento contínuo? Além do mais, perder este espaço e dinheiro para outros locais o maior prejudicado será a própria W Torre.

Boa noite a todos, o ALLIANZ PARQUE, tem sua estrutura pronta, oferecendo modificações inumeradas, de acordo com as adequações a serem ajustadas aos eventos a serem realizados, a cada período, sendo impossível, termos uma situação de sucateamento de instalações , já que a cada momento dirigido aos episódios a serem montados, no empreendimento, evoluções técnicas e físicas, são introduzidas, sem que tenhamos, fatores em aberto que resultem na perda de aspectos , no conforto, segurança, e ferramental disponibilizado a cada evento.
O fator obsoleto torna-se inviável aos investidores e operadores de um empreendimento como o ALLIANZ PARQUE, pelo fato de administrarem recursos individualizados a cada evento, inclusive ao Futebol, que necessita recursos , que atraiam publico de diversas idades, expectativas e recursos, distinguindo de maneira direta e objetiva, quais serão os setores e serviços oferecidos a cada ponto, que segmentado procurara satisfazer as expectativas, que sendo avaliadas a cada exercício , trará de forma competente uma analise fria de tudo a ser realizado com o proposito de corrigir e compor aos interessados e investidores alternativas de adaptar serviços e produtos, aos espetáculos!

Marco, pensar e agir antecipadamente pode ser mais um fator de alavancagem da Allianz Parque.
Afinal, nao queremos que ela seja a melhor?
Para isso as ações podem ser planejadas, tracionar os recursos da Arena.
Abraço

Bha, se ele vai ficar obsoleto, imagina o presidio dos gambás, tecnologia fica obsoleta a casa ano, isso qualquer um sabe, e a Wtorre como em contrato mencionou, a cada período de 4 anos, ele vai anteder os padrões FIFAS, e a cada 10 anos, reforma no estádio, e ao entregar ele ao palmeiras, erá que ter padrão fifa e ser considerado dentro dos padrões internacionais

Considero uma avaliação sem sentido e sem necessidade. Nesse período em que estádios e Arenas estão em construção para a Copa do Mundo, a Arena do Palmeiras é a única que gera essa preocupação. Pensar na possibilidade de ficar obsoleta antes mesmo de ser inaugurada é dar munição para a imprenssinha. Qualquer obra de engenharia se torna obsoleta com o passar do tempo e nada seria construído se isso fosse uma limitação.

Todo estádio ficará defasado ou obsoleto cedo ou tarde. O fato do nosso ser projetado como multiuso nos dá a vantagem das parceiras terem o maior interesse em adequar a atualizar o projeto ao longo dos 30 anos, pois do contrário elas serão até mais prejudicadas que o Palmeiras.

Galela ninguém faz milagre, financeiramente o Palmeiras continuará tendo 100% das receitas com a Renda, se o custo de manutenção durante 30 anos,. Isso esta correto? Apenas isso por si só já é vantagem. Segundo, se não modernizar não terá lucro, então será burrice por parte dos administradores WTorre e AEG não manterem a qualidade do serviço prestado. Acho que é melhor do que a maioria dos clubes tem hoje em dia.

Pra ser bem sincera, depois que a entidade FIFA reconheceu o nosso título de 1951 e depois voltou inexplicavelmente atrás, eu não me importo que o nosso estádio tenha padrão FIFA – até porque o da zona leste não vai ter e foi escolhido como sede dos jogos. O mais importante é termos um estádio próprio e pago – o que efetivamente teremos e sem por a mão no bolso pra nada. Claro que manutenções periódicas deverão ser feitas em todos os aspectos, a tecnológica incluída. Só que eu me preocupo muito mais é com a manutenção das estruturas, para que elas sejam capazes de suportar o peso da torcida pulando sobre ela. Todo o resto é ‘perfumaria’.

Nao concordo pois nos utilizávamos o palestra mesmo ele tendo 80 anos, basta acompanhar as tendências e manter a manutenção em ordem.

Gregório, fica dífícil opinar sobre a Arena do Grêmio sem estar lá e vivenciar a operação. Pelo jeito existem pendências tanto a nível de instalação como na operação.
A Allianz Parque não estará isenta destes riscos, principalmente na parte operacional. Esperamos que seja em níveis bem controláveis.
Abraço.

Não sei se vai ficar obsoleta, mas uma coisa eu tenho certeza, vai ser um dos estádios que vai exercer maior pressão em cima dos adversário. Eu tô vendo a cobertura que tão pondo e parece que vai ter uma espécie de forro, minha nossa, o negócio vai ser um caldeirão dos bravos…

Claudio a arena do grêmio vem apresentando vários problemas após sua inauguração, itens como segurança, iluminação, alimentação constantemente apresentam falhas, o acabamento é ridículo, isso é normal de grandes obras ou a qualidade do material é ruim? Existe alguma possibilidade que a Allianz Palestra-PARK?- apresente problemas como esse?

Mario Luiz,
A essência do texto é:
– Padrão FIFA não é garantia de um estádio TOP.
– Os parceiros têm interesse na manutenção e reinvestimento. Bom, apesar de que aquilo que não está escrito, não é obrigação.
Abraço.

Olha, sabemos que 30 anos muita coisa pode acontecer, muita coisa vai evoluir, mas em termos de design eu acredito que não há como modificar muito e não significa que nossa arena parecera tão antiga assim. Ariel, 5% é a fonte de receita destinada ao Palmeiras de coisas que hoje não existem como show, uso do anfiteatro, etc. Renda de jogos é 100% nossa, claro, tirando a taxa de uso da Arena, mas isso também acontece no Pacaembu. O que pode mudar em termos de tecnologia isso também pode ser modificado na nossa Arena ao longo do tempo. Se temos parceiros como AEG e Allianz, que cuidam das maiores arenas multiuso do mundo, temos a certeza que o que há de melhor será aplicado aqui também. Lembrem-se que o que temos não é a a Arena Itaipava ou Arena Paçoquinha, o nome é ALLIANZ PARQUE.

Isso certamente vai acontecer com nossa arena, pois 30 anos é uma vida falando-se em tecnologia, mas não vejo como impecilho ja que não terá como se manter o empreendimento sem que seja necessario atualizações pontuais. Outro ponto que muito se discute é em relação aos lucros que o Palmeiras terá nos longos anos que a Wtorres ficará há frente do negocio, o Palmeiras não alugou o estadio e nem tem dinheiro para construir, sempre vejo negocios (pequenos) feitos dessa maneira onde quem constroi tem direito de uso sem que seja necessario o pagamento de aluguel, ja que a empreiteira tem que ter lucro no empreendimento (isso é negocio) alem de que mesmo com 5% de participação no inicio o Palmeiras vai lucrar muito mais que lucraria com antigo Palestra.

Cláudio, na boa, baita texto sem nexo…… Todo investimento em imobilizado esta sujeito a obsolescência, e nem por isso o mesmo não é feito. Prece-me mais do que óbvio que este aspecto foi levado em consideração por todas as partes envolvidas, ou você acha que a Alians iria fechar um contrato de 30 anos sem se preocupar com isso.

A manutenção da “modernidade” da arena é fundamental para que esta continue sendo a 1ª opção para a realização de eventos em São Paulo, e com isso garanta o retorno do investimento feito.

Vamos nos preocupar com o que é importante, ou seja, quando ela será inaugurada.

Já ouvi uma entrevista com o Walter Torre, onde ele diz que a Arena será atualizada sempre que necessário porque é interesse dele, inclusive eles já contam com uma mudança de fachada, ele não disse quando, mas imagino que no término de contrato com a Allianz, assim dá pra rebatizar, ou reforçar a imagem em caso de renovação.

Certamente, pela velocidade como a tecnologia se desenvolve, nem precisa esperar 30 anos para que até a arquitetura da Arena esteja ultrapassada, que dirá a infraestrutura.

Mas aí durante os próximos 30 anos os Administradores dela é que poderão alterar, minimizar ou modernizar as coisas.

Acredito que isso é algo previsto por eles.

Obseleto, ele vai ficar ,na hora que o estádio passar definitivamente , nas mãos da velharada italianada !! até capim iremos encontrar na ARENA ……As múmias não aprendem com os próprios ERROS !!!

Obsoletas foram as nossas porcentagens neste negócio, 5% das receitas foi ridículo. Deveria ser algo em torno de 30% no mínimo, mas o pioneirismo na ideia custou caro. Muita gente furou o assoalho do nosso barco, a obra atrasou muito e agora a realidade é esta. Certamente ficará obsoleto em menos de 30 anos, mas o pós gestão profissional poderá ser ainda mais catastrófico; assim como foi o final da gestão Parmalat. Mas sem este negócio o velho Palestra já era obsoleto e não havia nenhuma perspectiva de melhorias, sou extremamente favorável ao que foi feito (mas obviamente teria tentado melhor valores e reduzir os prazos)!!!! Avanti

Certeza mesmo, é que a obsolescência tecnológica chegará antes mesmo dos 30 anos.

Os comentários estão desativados.