Categorias
Corneta do Cunio

Corneta do Cunio – Devo, não nego. Só não sei se vou poder pagar.

Por Alberto Cunio

Devedores alviverdes, acabamos de ganhar um novo credor: o nosso próprio presidente.

Essa notícia é lamentável por si só. Afinal, além de ter sido um compromisso de campanha de nosso abastado mandatário nunca emprestar dinheiro ao clube, isso demonstra uma coisa simples: incapacidade total e absoluta de gerar receitas para o clube cumprir seus compromissos.

Paulo Nobre está começando a trilhar um caminho perigoso. O ex-presidente do Santos, Marcelo Teixeira, fez o mesmo. E endividou o clube a ponto de ter até bens do time da Vila penhorados para si. O fim da picada.

A pergunta que não quer calar é simples: onde está o trabalho “PROFISSIONAL” tão propalado que geraria rendas ao clube? Onde está o patrocínio-máster, senhor CEO? Onde está o acordo com a W.Torre, pauta de gestão do opositor de Paulo Nobre nas eleições, que geraria renda antecipada ao clube, com sinergia de negócios e que não foi para frente?

O que podemos ver hoje na gestão de Paulo Nobre é um grande confete. A “austeridade financeira” enfiada goela abaixo por Mustafá Contursi a esta gestão está levando nosso clube para ONDE? Por que ao invés de entrarmos no círculo virtuoso estamos nos afundando em mais dívidas? ONDE ESTÁ O AUMENTO DE RECEITAS DO CLUBE CENTENÁRIO, PRESIDENTE?

É lamentável que uma pessoa como Paulo Nobre, que vem do mercado financeiro, não consiga dar respostas ao Palmeiras e sua torcida que não sejam cortes de despesas, economia à base de porcaria e discursos miseráveis com o chapéu na mão.

O Palmeiras, que completou nesta segunda-feira 99 anos, caminha para um centenário melancólico. Nenhum clube que esteve prestes a fazer 100 anos foi tão acanhado em suas ações, nenhum foi tão covarde e ignorou tanto suas instituições, torcida e história.

O ano de 2014 se aproxima como um ano em que veremos muita farofa e poucas coisas práticas. As ações de marketing, que deveriam ser promovidas por uma equipe contratada de nomes caros e famosos, estão no imaginário. E esta equipe incompetente, que não gera receitas para nosso clube é que ganha a CORNETA do dia de hoje.

Quem sabe, um dia, teremos uma gestão que pense com a cabeça do futebol e não como um corretor da bolsa de valores. A modernidade que imaginamos de janeiro para cá é burocrática, mais do mesmo e privilegia apenas uma coisa: a conversa fiada.

A Corneta no Twitter não cansa de perguntar: e o patrocínio máster, hein CEO? Siga! @Corneta3VV

Os comentários estão desativados.