Categorias
Opinião

Opinião: lucros e dividendos

Por Vicente Criscio

Saio momentaneamente do meu exílio profissional para falar de Palmeiras.

Não, nada sobre o jogo de ontem. Relaxem… o assunto é outro. Já falei outras vezes mas vale a pena repetir numa ótica do torcedor.

Durante a semana li aqui no 3VV a chamada do post do Rodrigo Barneschi no site Forza Palestra (http://forzapalestra.blogspot.com.br/2013/08/pfs.html).

Primeiro cabe um depoimento pessoal: conheço pouco o Barneschi, já o encontrei em jogos e no Palestra, e algumas vezes tivemos divergências de opiniões sobre futebol, negócios, arenas, etc. Mas sempre com enorme respeito mútuo. E mais: julgo o Forza Palestra um dos poucos sites que realmente fala a língua do torcedor da arquibancada. Dá a visão do torcedor que se acostumou a viver no chão do cimento e que repudia a elitização dos estádios (sim, já está ocorrendo a elitização do futebol brasileiro com as novas arenas).

Além disso o Barneschi escreve muito bem. E consegue passar com enorme facilidade seus conceitos, suas ideias. Com a vantagem de ter horas e horas de estádio, em vários deles.

Ou seja qualquer um que milita no futebol – profissional, dirigente, curioso, aventureiro ou picareta – pode até discordar (às vezes seu jeito de colocar suas ideias é mais arquibancada e tem menos verniz, o que deixa alguns leitores enfurecidos) mas tem que refletir sobre o que o Barneschi escreve.

Dito isto vamos em frente. No artigo em questão Barneschi questiona o futebol dos “lucros” e a postura dos atuais dirigentes do Palmeiras e o apequenamento do clube em cima de um discurso “pobrinho” e sem dinheiro. Sobre a postura dos dirigentes, já criticamos aqui o excesso de chororô público dessa gestão e concordo em gênero, número e grau com o post.

Mas vou pedir licença à distância ao Barneschi para comentar seus parágrafos finais e trazer uma discussão racional – sem juízo de valor à gestão atual.

Vamos a eles.

***

“A torcida não quer saber de austeridade, de balanços financeiros ou de fluxo de caixa. A torcida quer saber, isso sim, de um time capaz de suplantar não os provisórios adversários da Série B, mas sim os inimigos que teremos pela frente na Copa do Brasil.

Acreditem, senhores dirigentes: é bem mais fácil conduzir as coisas desse jeito, respeitando a vocação da Sociedade Esportiva Palmeiras, do que buscar uma saúde financeira que não vai nos levar a lugar algum – tomem como base, por favor, os 13 anos anteriores. 

Clubes de futebol definitivamente não são empresas (pois não visam lucro) e não devem ser conduzidos como tal.

Não se deixem levar pelas normas que regem o mercado financeiro: o Palmeiras não tem acionistas que querem ganhar dinheiro sem fazer porra nenhuma; o Palmeiras tem torcedores que querem empurrar o time à vitória simplesmente porque essa é a única finalidade possível (para o clube e para a sua torcida).”

Fonte: Forza Palestra – P.F.S.

***

A tal “austeridade financeira” é – claro, na minha opinião – um elemento importante na gestão do clube de futebol. Importante porque ciclos repetidos de despesa maior que receita vão abrindo um grande buraco que no limite enfraquecerá o futebol. E o enfraquecimento levará ao círculo vicioso que hoje vivemos e que o artigo citou muito bem em certo ponto.

Logo, é necessário ter um orçamento, com uma visão das receitas fixas e variáveis – aquelas que acontecem em função de avanço nas competições – e a partir daí fechar a conta nas despesas. Ou seja, definir algumas metas, estabelecer a linha de corte de receitas e a partir daí estimar as despesas com o futebol. E fazer caber. Com o tempo  com desempenho bom dentro de campo e receitas crescentes, as despesas podem aumentar e o time se fortalecer.

Academicamente perfeito. Entretanto até hoje a imensa maioria dos grandes clubes fecham as contas no meio do ano, nas janelas de transferência, vendendo os direitos econômicos dos seus ídolos para pagarem as dívidas. E isso é prática comum. Alguns têm sucesso (esse ano foi o Galo; anos atrás o Corinthians deu essa alavancada e está onde está).

Por outro lado qualquer um que convive com o futebol sabe que jogador bom é caro. Ele pode até ser “barato” enquanto ainda é desconhecido. Mas bastou meia dúzia de boas partidas e seu contrato tem que ser reajustado, caso contrário alguém vem e paga a multa rescisória. O Bernard (ex-Atlético MG) é o exemplo mais recente. Quem conhecia o menino até o ano passado? Kalil vendeu o jogador e isso vai ajudar a pagar as contas do Galo.

Tem até um jogo de palavras que faço com isso.

Tudo que é raro é caro. 

Jogador bom é raro. Então jogador bom é caro.

Mas e o jogador bom e barato?

Esse também é raro. Logo, ele ficará caro.

Mas segue o jogo…

Onde está o elo de ligação que amarra tudo isso? é necessário um “orçamento financeiro” equilibrado. Mas é preciso jogadores bons. Que são caros.

Está na receita. Óbvio.

É preciso alavancar as receitas. Crescê-las.

Como? Cumprindo a principal missão de um grande time de futebol: disputando e ganhando títulos.

Mas eu preciso ter jogadores bons, que são caros… e voltamos ao loop.

 

Mas vamos além. E o lucro? somos um banco? E o acionista? Quer lucro ou quer dividendos?

No cenário de hoje, um time de futebol como o Palmeiras já possui “acionistas”. O torcedor gera valor pro time. E quer seu retorno, em termos de… títulos.

E o gestor que estiver sentado na cadeira que se vire em atender as demandas de seus “acionistas”.

Mas e se o futebol for profissionalizado? E se um dia tiver “acionistas” de verdade? Que esperem retorno esportivo e financeiro?

Acredito que um dia esse modelo vai chegar. Mas qualquer investidor com um mínimo de inteligência esportiva vai saber que é melhor o time que ganha títulos (isso aumenta seu valor, o que deveria aumentar proporcionalmente os lucros, e assim aumentar o investimento) do que o time que busca apenas maximizar o lucro.

Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Na Alemanha já está no ar (ou vai entrar em breve, nem me lembro) o modelo que o clube que der prejuízo por certo período vai cair automaticamente para a 2a divisão. Bayern e Borussia (com um time muito bom, de operários, sem os investimentos enormes de seus pares europeus, como Real Madrid e outros tantos) se ajustaram ao modelo. Por outro lado, no dia 2 de junho, falei sobre o caso do Arsenal (http://3vv.com.br/2013/06/opiniao-exame-austeridade-palmeiras-futebol-marketing-gestao/). Dá lucro a sei lá quantos anos e não ganha títulos. Vive em sua mediocridade (no sentido literal da palavra) enquanto Manchester, Chelsea e agora o Manchester City dividem os títulos importantes no país e no continente.

Qual dos modelos é o melhor? Do Real e Mancheser e Chelsea? Do Bayern e Borussia? Do Arsenal?

Não há uma resposta certa ou errada. Só me parece que o Arsenal é o único que abandonou suas origens.

Mas é preciso ter caixa para garantir que o time desempenhe. Gastar demais sem planejamento acaba gerando o “ruim e caro”. É só lembrar do Flamengo com Romário, Edmundo e Sávio; ou um Palmeiras recente que pagava muito a Gladstone e dispensava Henrique; ou contratava Mozart e Jumar e Chico e sei lá mais quem e não valorizava Pierre.

Não tenho conclusão. Mas austeridade demais – como já falei tantas e tantas vezes – é ruim. Ser perdulário, também. A profissionalização e natural atração de investidores vai demandar modelos onde dividendos deixam de ser títulos e passam TAMBÉM a ser grana. Mas o modelo atual é claro e nesse caso o Barneschi acertou: torcedor que títulos como dividendos. Logo, o caminho é buscar receita. Falar é fácil. Fazer é difícil. Mas quem assumiu a cadeira foi porque achava que podia fazer.

Concordam? Discordam? Independente das concordâncias ou discordâncias, deixe seu recado. Mas com educação a todos os atores desta peça. Senão vai parar na moderação.

E Parabéns ao Palmeiras! 99 anos de muita história, paixão, loucuras e títulos. Que os próximos 99 anos sejam uma repetição daquele Palmeiras vencedor.

Saudações Alviverdes!

39 respostas em “Opinião: lucros e dividendos”

REBELO- Vc tem razão… ate a pagina 3. Para chegarmos aos 50 mil( eu acho que poderiamos chegar aos 100mil) um ponto importante, na minha opinião, que deveria ser olhado no AVANTI é o de olhar para o torcedor do interior e de outros estados com mais carinho. Digo isso porque sou do interior e conheço os usos e costumes do torcedor interiorano.Por ex… quantos torcedores(em %) entram no site do PALMEIRAS para conhecer os planos e se filiar. Poucos. E se isso fosse feito atraves de uma rede bancaria presente em todos os cantos desse pais. Posso garantir que muitos ,mas muitos mesmo, ficariam socio. É o tal de usos e costumes a que me referi. O torcedor do interior, regra geral, vai muito pouco ao estadio. Ele ficaria socio para ver o time bem. So isso.Eu ja sou socio e por esse motivo. Assim como meu filho tb. Mas garanto a vc que se so esse aspecto fosse observado ja teriamos ultrapassado a casa dos 30mil. Com um mkt adequado chegariamos aos seus desejados 50mil. E com açoes mais arrojadas ( jogos dos veteranos pelo interior levando o AVANTI junto) chegariamos aos 100 mil. O torcedor ajuda o clube sim mas a diretoria tem que fazer a sua parte. Potencial nos temos. Precisa ser explorado.

Alguns cobram medidas que incrementem o Avanti. Tá ai. Planos a partir de R$ 9,90 , inclusão de dependentes, pontos. O que não vejo é a Torcida Incrementar o Avanti. Não chegamos a 30.000 sócios nem que a vaca tussa. Vamos aproveitar o aniversário e refletir : Quer ver o Palmeiras do Passado ? Então veja o que HOJE é necessário um clube de futebol fazer. O Pelé não ganhava nada comparado aos jogadores de hoje. Um clube hoje é uma empresa, e precisa ser administrado como tal. E uma empresa sem grana fecha. Podem falar que a diretoria isso ou aquilo, mas sem grana não vamos chegar aonde queremos. Eu não pago o Avanti pelas INÚMERAS VANTAGENS, mas apenas pelo fato de poder contribuir com meu time. Pago a mensalidade, pago o ingresso e compro pelo menos uma camisa por ano. Todos Podem ? Claro que não. Mas em 15 milhões de Palmeirenses, deve ter uns 50.000 que podem. Apenas um fato : tenho acompanhado o tabelódromo dos sócios-torcedores desde o início deste ano. Já fomos 5º, quase 4º, caimos para 6º e agora 7º. O que significa ? Que enquanto estamos chorando o leite derramado, os outros estão ficando mais fortes, quando Nós deveríamos estar nos fortalecendo mais do que os demais, pela nossa condição de segunda divisão. Retrovisor é pequeno porque só serve como referencia. o futuro tá no para-brisa.
Torcida que Canta e Vibra.

Concordo com a analise do Criscio plenamente. Alias ele tem nas mãos o “case” de cada clube de futebol que deu certo. E, tenho certeza, sabe como fazer dar certo no PALMEIRAS tb. Agora, com todo respeito aos amigos PALMEIRENSES, os que acham que esse time é bom não acompanharam TIMES BONS DO PALMEIRAS. Hj, somo o 21 time do futebol brasileiro. Ou não? Alguns podem dizer… somos o 1 da serie B. Exatamente e bem por isso somos o 21. Obvio e olulante. Quem esta contente em ser o 21 time do Brasil? Eu nunca estarei. Eu quero o nosso VERDADEIRO PALMEIRAS de volta. Disputanto todos os titulos e ganhando ALGUNS. O resto é perfumaria.

Se os Conselheiros do Palmeiras estivessem preocupados com Balanço Financeiro Positivo no Clube, todos já teriam se unido e mesmo que INFORMALMENTE já teriam anunciado que a Reforma Estatutária seria PRA VALER!
Voto do sócio torcedor para Presidente do Clube em votação DIRETA.
Desmembrar o Futebol do Social e de outros esportes, com receitas e despesas independentes.
Estatuto de direitos dos sócios torcedores.
Vantagens para os sócios torcedores que moram fora de São Paulo, etc…
Resultado IMEDIATO = 100.000 sócios torcedores arrecadando dinheiro mensalmente para investir num time pra disputar títulos.
MAS… vai ver se as MÚMIAS FARAÔNICAS estão realmente preocupadas com o Palmeiras?

Pra finalizar:- Sou totalmente favorável a que o clube tenha sim LUCRO EM CADA FINAL DE EXERCÍCIO, para que esse lucro no final de um ano, seja aplicado na melhoria do elenco para o próximo ano.
Pensar o contrário, prejuízo ano a ano, só serve pra TORCEDOR ALUCINADO ficar falando um monte de besteiras ou digitando um monte de BESTEIRAS nas redes sociais!

Não observei ninguém até agora criticando o equilíbrio financeiro pretendido, a grande questão e objeto de discussão e COMO fazer? Temos dois caminhos, um que investe no time e colhe os dividendos de títulos e afins , outro caminho deixa de lado um time da altura Palmeiras e corta despesas, fica minha duvida: será que nesse caminho de cortes existe coerência na1. Dispensa de jogadores com potencial (base) para aposta em jogadores que não nossos(empréstimos), 2 porque compraram/ pegaram emprestados tantos jogadores? , 3. Porque, NESSE momento contratar tantos altos executivos, talvez um time com mais algumas estrelas favorecesse um novo patrocinador Master do que um monte de gestores bem qualificados, 4. Nosso maior ativo que sao os torcedores, esta diminuindo, tenho filhos pequenos, todos palmeirenses, mas vejo cada vez menos pequenos torcedores, criança só entende uma linguagem, TIME VENCEDOR e já estamos há 13 anos sem isso, ou seja já perdemos uma geração , quantas mais vamos perder, 5. Por ultimo e mais importante, de que adianta o nobre fazer tudo isto e daqui um ano e pouco entrar um B1 da vida? Todo seu ajuste terá ido por água abaixo e o movo presidente ainda vai agradecer, pois poderá ” gastar” sem responsabilidade, uma vez que as contas estarão ajustadas!

O Palmeiras esta longe, distante e muito do Arsenal, no Brasil o Atlético PR é o que mais se aproxima do perfil do Arsenal um clube que escolheu dar lucro e ser pequeno. O Palmeiras não precisa não e nem deve ser gerido como uma empresa para dar lucro, e sim como uma ONG sem fins lucrativos visando o resultado, agora todos sabemos o que acontece se não administrar com sensatez uma empresa ou uma ong, fecha!

Tivemos nos últimos 10 anos mesclas de times medíocres montados as pressas CAROS ou BARATOS que só deram prejuízos, o Palmeiras soube como nenhum outro desvalorizar seus ativos (Jogadores e modalidades) a ponto de ano passado até matéria de vitória no basquete ser usada para pressionar o time de futebol.

Assim gosto de algumas posturas dessa diretoria, de blindar o elenco, de sanear despesas, só vejo que continuaram a fazer um discurso pequeno de dividas, de problemas, o absurdo de um dia contratar o Mendieta por U$4m e no outro dizer que ainda tem 2 meses de direito de imagem atrasado. Vemos o que foi feito com o Pierre sendo repetido com Denoni, Dybal e outros, é o Palmeiras desvalorizando seu próprio ativo como no caso do Ayrton que foi afastado e emprestado ao Vitória.

O atual dep. de Mkt esta sendo pífio, as poucas promoções que fazem mais lembram clubes de bairro e não um gigante com 21 milhões de torcedores.

Ainda assim esta melhor que nos últimos dois anos onde os dirigentes fizeram do Palmeiras o menor Palmeiras de todos os tempos, nunca nesses completos 99 anos o Palmeiras foi tão ridicularizado pela própria administração como no biênio maldito 2011-2012.

Enfim, hoje o sr. Nobre deu uma entrevista ao Estadão dizendo que “não pede 2 milhões” de patrocínio e sim o valor da marca Palmeiras, ora… convenhamos que para a situação falimentar que ele próprio declara, 2 milhões é muito mais que zero, um mês de patrocínio economizaria o equivalente ao corte do futsal por um ano.

Concordo com o Texto.
O pensamento da diretoria é muito a cara do Arsenal, quando na verdade podemos ser um Real Madrid, Chealse, ou melhor ainda um Bayern.

O que gostaria de ver dessa diretoria é a mudança de discurso, é para de falar da divida, que não tem dinheiro. Falem que está havendo um aumento da renda, que projetos estão colocando em prática, que graças ao torcedor que ajuda no avanti, com as lojas novas, $$ estão entrando, e que agora a diretoria vai brigar pela reforma no estatuto e voto para o torcedor associado (promessa de campanha). PN e Brunoro MUDEM O DISCURSO.

Abraços

O problema da atual gestão não é a austeridade, pois esta além de correta, é necessária. O que incomoda é o fato de que não temos um horizonte de quando as coisas irão melhorar. Ele faz o discurso de descamisado à 6 meses, já está na hora de mudá-lo. Ao finalç de 2006 quando o Cipullo assumiu o futebol para salver o time de voltar a série B (com sucesso), ele disse que 2007 seria o ano da reconstrução, ou seja, um ano em que não haveria investimentos e que estes só iriam acontecer a partir de 2008. E foi isso que ocorreu, 2007 foi um ano que se não ganhamos nada, também não passamos sufoco, e em 2008 além de um campeonato paulista conseguimos uma vaga para a libertadores de 2009.

Esse elenco com BRUNO, MÁRCIO ARAÚJO, JUNINHO, ANDRÉ LUIS, WENDEL, PATRICK ETC. E PRINCIPALMENTE GILSON KLEINA, PELO AMOR DE DEUS NÃO DÁ. Acorda Nobre, esquece o seu mentor MUSTAPHÁ MALDITO. Nei Franco já!!!!!

Boa noite a todos, ao ler os diversos comentários tenho a certeza que só haverão respostas no final deste ano, pois é visível as divergências de postura e opiniões quanto a atual gestão, mas sempre deve ser lembrado que o maior legado de um clube são seus torcedores, que mantem uma certa esperança de conquistas desde que o clube mantenha uma linha de conduta e postura , perante ao mercado ao qual esteja inserido , sim mercado, pois o futebol de hoje esta longe do que meu pai e meus tios , viram com certo romantismo, já que atletas eram patrimônio de um clube por décadas, mas hoje os contratos não tem data correta, pois os empresários são responsáveis pela vida dos mesmos e formação de um plantel equilibrado, em qualquer equipe , desta forma é visível a opinião de Barneschi, quanto a busca insana de títulos dos mais apaixonados torcedores, mas e a conta como sera paga ?
Por tudo isto é que devemos cobrar sim de Paulo Nobre a conduta e experiência de um homem de negócios bem sucedido , com estratégias adequadas, respostas rápidas e reações imediatas, mesmo sabendo que temos um luciferiano, manipulando de forma maquiavélica interesses, que comprometem a paz ate nos quintos do inferno, lembrando que hoje temos um staff , bem remunerado, para que possamos avaliar a cada momento todos os passos a serem percorridos, sendo provável recolhermos os resultados apenas ao suplicio de uma serie B, que mantem interesses e interessados , afastados das nossas expectativas em termos dinheiro para aumentarmos nossa chance de conduzirmos o Palmeiras a seu lugar .

Resumindo, os acionistas são os sócios torcedores, o melhor caixa são os bons jogadores que se valorizam e rendem dividendos, e para valorizar são os títulos, que fazem essa roda girar. Me parece que esta diretoria ainda não percebeu isso. O pensamento ainda é o velho bom e barato, que rende um time barato, fútil sem respeito, mas pelo menos garante a conta de luz em dia no final do mês. Ma s para a mentalidade deles isso é que vale.

Vicente, concordo com muita coisa do que você escreveu. Entendo que é necessário mesclar as duas situações, e pelo que entendi, você também discordou do que escreveu o Sr. Barneschi.

Vamos lá.

“A torcida não quer saber de austeridade, de balanços financeiros ou de fluxo de caixa. A torcida quer saber, isso sim, de um time capaz de suplantar não os provisórios adversários da Série B, mas sim os inimigos que teremos pela frente na Copa do Brasil.

Meu posicionamento: Ora, sócio que sou, constantemente presente em jogos do Palmeiras, seja em situação difícil, ou sangrando desgosto, porque infelizmente vem sendo assim, não poderei me considerar torcedor por que, quero sim, E MUITO, saber da austeridade, balanço financeiro, DRE e tudo relacionado? Dizem por aí, que torcedores de organizadas, não representam a torcida no geral. Eu vou mais além, digo que torcedores de uniformizadas E TAMBÉM torcedores que tendem a opinar em artigos relacionando o público palmeirense em geral não representam a torcida. Falem por si.

“Acreditem, senhores dirigentes: é bem mais fácil conduzir as coisas desse jeito, respeitando a vocação da Sociedade Esportiva Palmeiras, do que buscar uma saúde financeira que não vai nos levar a lugar algum – tomem como base, por favor, os 13 anos anteriores.”

Meu posicionamento: Aí eu te pergunto. Em 6 meses e 15 dias, onde foi que a atual diretoria desrespeitou a vocação da Sociedade Esportiva Palmeiras? Em pagar os salários em dia? Priorizar a Série B? Fazer diferente do que as outras diretorias fizeram, dando enfase no lado financeiro? Ora, lembremos aqui o que o cotado a presidente do Banco Central, Sr. Belluzzo fez com as finanças do clube, inclua o Sr. Tirone também. E o Palmeiras deu orgulho aos Palmeirenses nesses mandatos? De forma alguma. MINHA opinião, que arrumem a casa de dentro para fora, sendo mais claro, comecem debaixo do colchão, sendo mais claro ainda, olhem primeiro o lado financeiro.

“Clubes de futebol definitivamente não são empresas (pois não visam lucro) e não devem ser conduzidos como tal.
Não se deixem levar pelas normas que regem o mercado financeiro: o Palmeiras não tem acionistas que querem ganhar dinheiro sem fazer porra nenhuma; o Palmeiras tem torcedores que querem empurrar o time à vitória simplesmente porque essa é a única finalidade possível (para o clube e para a sua torcida).”

Meu posicionamento: Essa o Vicente respondeu, sou sócio torcedor, e invisto mensalmente no clube, quero como resultado títulos, podemos então fazer a analogia com empresa e acionista. Fora que também acredito que no futuro, e no futuro próximo, times de futebol com grande potencial de marketing entrarão com o IPO.

Se compreendi corretamente, esta é minha opinião, se não, desconsiderem tudo.

No mais, é isso.

Abraços!

BOM: 26/08/2013 – Parabéns a um dos maiores clubes do mundo, no qual eu tenho uma paixão fanática e trás momentos que somente quem faz parte destes 15 milhões de Palestrinos espalhados pelo Brasil consegue sentir!!! Ser Palmeirense não é para qualquer um, é ir contra tudo e contra todos (dentro e fora de campo), é sentir orgulho de dizer que “amor não tem divisão” e ter orgulho de vestir o manto sagrado verde, o verde da academia de futebol! Parabéns Sociedade Esportiva Palmeiras, o maior campeão Nacional do Brasil!!!!

Infelizmente o futebol se tornou negócio e no embalo que vai quem não investir não ganhará títulos logo não ganhará mais torcedores que é quem dará o retorno do que foi investido. Tenho saudades do tempo em que futebol era paixão e diversão, hoje isso está sucumbindo e daqui a pouco nada disso existirá mais e se tornará algo monótono – igual os programas da plimplim (num dou o menor valor), ou seja, não demorará muito para que o futebol seja deixado de lado.

Pessoal, parece muito bonito “meter o pau” na diretoria atual mas sinceramente é a única que vejo em muitos anos pensando no futuro do Palmeiras. TODAS as anteriores olharam só o curto prazo, ganharam um titulo aqui e outro ali, contrataram craques e ferraram o clube com dívidas absurdas.
Apenas para esclarecer: dizer que o clube não precisa ser saneado, que não precisa fazer as despesas baterem com as receitas, que não precisa passar pela reestruturação atual, tudo porque tem nome, tem tradição, é o mesmo que dizer que qualquer pessoa boa que teve pai rico e tem um nome famoso, mas não ganha para pagar suas contas, pode sair por aí comprando carro zero, importado, frequentando restaurante caro, badalando e fazendo dívida para todo lado sem nenhuma responsabilidade. Afinal, “ele tem história”, “tem nome”, “tem família” então pode gastar sem ter como pagar… t
Todos nós sabemos quem paga nossas contas em casa, pois bem, o clube não é diferente, não adianta ter nome, ter tradição, ter torcida, ele também tem que ter como pagar suas contas. Nome ajuda mas não põe dinheiro no bolso, não paga as contas. O que traz dinheiro é trabalho, profissionalismo e responsabilidade administrativa. O Palmeiras vai voltar a ser grande, tenho certeza disso, mas não existe atalho, tem que resolver o grave problema financeiro, e isso vai levar alguns, ou vários anos. O estrago tá feito, agora tem que sanear, o resto é mero discurso de torcedor apaixonado que não entende nada sobre um clube de futebol fora das quatro linhas…

Perfeito… estou batendo Palmas para seu Post… muito bom!!!!! Aqui eu DUVIDO que vai comprar um carro, ir num restaurante caro sem ter condições…. é a mesma coisa…. tem que ter paciencia e conquistar aos poucos… não vira a chave de um dia pra outro!

Essa lógica estaria correta para um cidadão comum mas não para um negócio, uma empresa não segue essa regra de poupar dinheiro em baixo do colchão. É difícil compreender isso mas aplique essa sua lógica a mais simples empresa, uma padaria. Um cidadão pode cortar tudo que gasta, manter o mínimo pra viver e continuar trabalhando pra se reestruturar pois sua renda depende APENAS de seu trabalho (tempo) que independe desses cortes . Já uma empresa precisa investir para gerar valores, seja comprando matéria prima, melhorando processos, gerando conhecimento ou, no caso do futebol, gerando jogadores. O que acontece com uma padaria que pra cortar custos compra farinha ruim, vende equipamentos, contrata mão de obra mais barata, reduz expediente e etc? Haverá uma queda das vendas, uma desvalorização da marca e perda de clientela. É uma situação pior que antes. Austeridade em empresas é muito perigoso quando se mexe no processo que gera receitas e isso está ocorrendo no Palmeiras.

E aliais, estamos indo na contramão da geração de receitas com jogadores pois estamos investindo mais em jogadores emprestados que darão pouco retorno ao clube (se derem retorno), afastando jogadores de primeiro esquadrão com bom potencial da base (Denoni, Patrick Vieira), perdemos jogadores que poderíamos vender valorizados (Souza e de certa maneira o Barcos também) e contratando jogadores sem potencial para venda com contrato longo (Weldinho, Tiago Alves, Felipe Menezes, Vilson).

Tiago Alves e Vilson sem visibilidade de venda? o Weldinho é ruim mas é novo… é uma aposta… o Felipe Menezes querendo jogar vai se destacar no time!

Jogador sem potencial de venda não tem nada haver com visibilidade. Quer dizer apenas que o jogador não é fácil de vender ou se vender não vai gerar receitas suficientes pra valer a pena o investimento. Cicinho é um exemplo de venda sem retorno favorável que no fim vira apenas uma redução de prejuízo. Os dois zagueiros pra mim são medianos então nem vislumbro uma venda futura mas supondo que melhorassem até chegar ao nível do Danilo, que é um bom zagueiro, ainda assim são renderiam valores que superem nossos gastos assim como Danilo foi vendido com um lucro bem baixo. Não é com jogadores assim que se faz receitas. Weldinho é o tipo de jogador que faria receitas SE tivesse potencial mas o motivo da gambazada ter dispensado ele e aqui ter sido isolado é justamente porque não tem.

Augusto Lovo, você foi perfeito em tudo que escreveu….
Tem muita gente que se esquece, ou não querem entender, que o Palmeiras hoje esta quebrando e devendo, e não tem receitas para antecipar de nenhum lugar, sendo que sua unica fonte de receita a curto prazo para manter em dia suas despesas é a bilheteria e o Avanti, e é por isso que não sou contra os R$ 40,00 para serie B.
Ao contrario do que esta sendo dito, o Palmeiras não esta deixando de fazer investimentos no futebol, mesmo por que na Serie B o Palmeiras esta sobrando, e não precisa mais do que isso, e na Copa do Brasil, o Palmeiras tem condições de enfrentar de igual para igual qualquer time da serie A, a diferença é o tecnico.
Não estou aqui defendendo os nomes, mas sim as atitudes dessa diretoria, na qual vem fazendo um bom trabalho aos olhos do torcedor, fazendo com que o conceito do Palmeiras até cresça na Imprensa e nos Bastidores.

Ok. Diga 3 investimentos em jogadores que a diretoria fez e seu potencial ganho para o Palmeiras. Pode ser qualquer jogador que contrataram mas os valores tem que ser dentro da realidade.

Concordo com teu post. Claro que como torcedor é difícil ter paciência, esperar a reconstrução quando a gente sofre agora, quando a gente vê os adversários montando grandes elencos e ganhando títulos hoje. Mas acredito que essa base que vai ser construída vai dar a estrutura necessária para o Palmeiras se reerguer e conseguir se manter no patamar alto que irá atingir. E sobre as contas é isso aí mesmo que você disse, na minha opinião. Parece ter uma cultura de o “o certo é fazer o errado.”

Eu acho que devemos usar a sabedoria de Buda,ou seja,o caminho do meio,temos a marca Palmeiras vinculada a titulos e Vitórias,logo temos que fazer um time Vitorioso e que conquiste titulo,mas prá isso não precisa ficar devendo sem ter noção de que deve haver equílibrio entre receita e despesa,os gambás antes de Pato,não tinham jogador fora de serie e com salario absurdo,o caminho é equilibrio de elenco,com escolha de jogadores que tenham nivel da tradição do Palmeiras e lógico que Nobre agora na serie B ,ia falar que vai trocar todo o time no ano que vem, hoje temos Prass, Henrique, Vilson, Ergurem, Wesley ,Mendieta e Alan Kardec e Valdivia (jogando) jogadores de serie A, Luis Felipe, Leandro,Vinicius e Ananias possiveis promessas a realizar, Geralmente 1 ou 2 devem vingar. Então temos que reforçar com 5 jogadores de nivel, 2 laterais , 1 volante, 1 meia e 1 atacante só que todos com nivel de titular,pois aí havendo disputa de vaga
Teremos empenho e banco prá conquistar titulo,vejo exemplo do Cruzeiro, não tem craque e Souza é titular e Luan consegue jogar, mas tem elenco prá alterar o jogo a qualquer momento.
Sem grandes gastos.

É preciso equilibrar as contas sim, mas com competência, que é o que falta em nosso Palmeiras hoje. Qualquer pessoa que entende mais ou menos de futebol entende que o nosso elenco é prá lá de muito fraco. Porque ganhamos do Atlético-PR? Passamo um baita sufoco e só não perdemos por questão de sorte, mas fomos dominados quase o jogo todo. É preciso competência para gerar receita – nossa marca é Gigante, e não temos sequer um patrocinador… É preciso inteligência para saber contratar jogadores bons, que não custem muito, mas que também não medíocres como vários deles que vestem a nossa gloriosa camisa hoje. Sim, caros palestrinos, nosso elenco atual é formado na base da mediocridade e da incompetência plena, a começar pela comissão técnica, que não condiz com a nossa história. Um técnico ruim, de time pequeno e que não possui um currículo à altura do Palmeiras. Um técnico bom para um time de interior e que não almeja muito além do que algumas posições intermediárias. E o Ananias? O que dizer de Felipe Menezes? Fernandinho? Charles? Se tem alguém feliz com esse monte de lixo, sinceramente, nosso Glorioso Gigante merece muito, mas muito mais mesmo!

sufoco???? Eu nao vi o mesmo jogo então…. o jogo foi igual, os dois times perderam gols…foi jogo de 2×2, 3×2, 3×3….. Não desvalorize o time atual…. também não gosto do Marcio Araujo, Charles, e outros que estão ai…. mas até o momento é um time que tem mostrado valor, e tá ai firme…. completo, estaria hoje entre os 6 primeiros do BR sim…..

Sufoco? eu vi o time do Patético dando chutão… tiveram sim algumas chances… mas o jogo foi igual… e estávamos desfalcados…

Nosso elenco é bom! Bom goleiro, bons zagueiros, bons volantes, carente nas laterais (quem não está hoje?)m bons meias, e bons atacantes! e tudo isso sem jogar dinheiro no lixo…

Se você sente saudades dos times históricos do Palmeiras, também sinto… mas, olha a série A… mesmo com jogadores caros e apoio de globo, cbf, caixa, etc… não tem nenhum time despontando….

e o melhorzinho é o cruzeiro… que se for ver… é um catado arrumadinho…

Valcir, concordo com você quanto ao jogo contra o Atlético-PR e também quanto às limitações da comissão técnica.
A despeito de alguns outros comentários aqui, eu assisti o mesmo jogo que você (à excessão do gol do Palmeiras, que não vi, pois entrei no Pacaembú já com uns 8 ou 10 minutos de bola rolando – maldito horário das 19:30 e maldita PM que fechou a Rua Itápolis e me fez dar a volta no estádio todo para entrar!). Perdemos umas três oportunidades de gol muito claras, mas o Atlético-PR perdeu umas cinco na cara do gol, só não fizeram por incompetência dos seus atacantes. Ou seja, mesmo jogando boa parte do tempo atrás, eles criaram mais que nós.
Por outro lado, discordo quanto a noção de que o elenco é muito fraco, até porque não vejo nenhum elenco brilhante no futebol brasileiro, Série A ou Série B. Em termos relativos não é tão fraco assim. Enfim, fato é que o futebol brasileiro está num nível sofrível.
Por fim, gostaria de apontar que você não merece ser chamado de gambá por ser crítico ao atual estado das coisas.

Só tenho uma coisa a dizer: mais uma vez temos uma diretoria incompetente, que está vivendo à sombra do sinistro Mustafá Contursi (sempre ele). Não temos patrocinador, não temos time (ou vocês acham mesmo, senhores, que porque dicamos doze jogos invictos podemos chamar esse grupo de time? O Boa Esporte que o diga)… Enfim, o que mais angustia é a falta de perspectiva. Lamentável. A permanecer esse quadro, (PN disse em entrevista que esse elenco será a base em 2014), não teremos outro destino a não ser “comemorar” uma mísera conquista de série B. Mais do que isso, sinceramente senhores, não há perspectiva. Se alguém duvida, basta esperar a resposta do tempo.

sinceramente pra mim esse texto está sem nexo nenhum!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
hoje temos um bom time que ganhou do atlético-pr que hoje ganhou do lider!!!!!!!
qual grande jogador o autor pensa para um time que joga a série B???????????
O que o Inter ganha gastando tubos de grana em jogador consagrado?????????
O nosso rival ganhou com bons jogadores como Danilo, Alex,Sheik e jogadores desconhecidos como Ralf,Castan, Paulinho,William!!!!!!!!!!!Comprou o Pato fugiu de tudo que foi feito até………
Mendieta custou 4 milhões é jogador muito mais decisivo que Wesley que custou uma fortuna!!!!!!
Aqui foi elogiado várias vezes a diretoria do Flamengo que jogador trouxeram de nome?Ninguém a primeira coisa que fizeram foi se livrar do Love………………
Sou a favor de equilibrar as contas sim, Sr Beluzzo a quem respeito gastou fortunas e a conta está aí para pagar!!!!!!
Futebol é cheio de utopia….torcida paga a conta, mkt, sócio torcedor,etc…….o futebol não é ciência!!!!

Continuação – e tudo voltará a ser como antes), trazem um quê de sombrio. Como as nossas questões internas estão longe de serem resolvidas! Triste, muito triste!

Ou ninguém comentou ou todo mundo parou na moderação – rsrs. Bela análise! Realmente, vivemos um momento de transição forte e até aqui, mesmo com a Arena, estamos perdendo espaço para os concorrentes. Não acompanho futebol europeu, mas pelo que foi escrito aqui, o Palmeiras está mais para se tornar um novo Arsenal, que visa apenas o equilíbrio financeiro, do que qualquer dos outros, que buscam firmar a marca com a conquista de títulos. Claro, isso se as atuais influências perniciosas continuarem dando as cartas no clube. O mais esquisito é que essas projeções feitas para o Palmeiras, em vez de serem um alento (calma, que essa fase terrível é provisória e tudo voltará a ser cimo

Regina, o Palmeiras está bem longe de se tornar um Arsenal e aqui quem fala é alguém que ama o Palmeiras e gosta muito dos gunners. O Palmeiras nunca vai se tornar um Arsenal porque tem uma torcida apaixonada e que joga junto. Os grandes problemas do Arsenal (além de não quererem abrir os cofres) são a mentalidade de apostar em promessas e jovens jogadores e a torcida “coxinha” que nunca ergue a voz pra apoiar o time. Dessa forma, nenhum jogador vai querer dar um gás a mais no campo. Isso nunca vai acontecer com o Palmeiras.

Acredito que um clube de futebol não deve ser tratado como uma empresa que vise apenas lucro, mas sim ser tratado como uma empresa que vise a austeridade financeira, e ainda no caso de um clube com a grandeza e tradição do Palmeiras esta austeridade tem que está ligada a títulos. Uma vez que o valor de uma empresa do mercado econômico está ligado ao quanto de lucro que ela gera, enquanto o valor de um clube como o Palmeiras está ligado à quantidade de títulos que ganha e disputa.
E toda vez que vejo as entrevistas do PN, me vem a memória a história da Americanas, que estava quase falindo vendeu a maioria de suas lojas e apostou em algo novo como a internet, pois ele tenta se desfazer de nossos melhores jogadores mas aposta em jogadores de outros times, já que ele visivelmente acha que a SEP é uma empresa que está dando prejuízo e que deveria dar lucro. Mas ele deveria perceber que o Verdão não vive diretamente da venda nem produção de produtos, e sim da paixão de sua torcida que somente irá aumenta e consumir mais produtos ligados a marca com títulos e novos ídolos.

Concordo, com algumas e pequenas coisas que disse. Mas aceitar o que essa diretoria está fazendo é ser consumidor e não torcedor. Pois, consumidor compra a marca e literalmente Fo#!-@! o resto, torcedor vive aquilo. E pra quem acha que, o senhor PN, está arrumando as contas da SEP. Me respondam mandamos os jogadores embora e o quanto aumentamos nossa folha salarial com executivos e diretores? O gambá, que comanda o inexpressivo marketing que não aproveitou nem a homenagem a nosso ídolo, Djma Santos, para sim vender camisas com seu rosto estampado (claro até agora co-relação a fofocas estão trabalhando bem.), ganha seus R$200MIL e querem ainda mandar o Wesley embora!! Parabéns aos defensores desse chororo.

O Marketing do Palmeiras é uma piada. Cadê o patrocinador master e as medidas que incrementarão o AVANTI. Confesso que aguardo novidades para hoje (26/08/2013). E parabéns a todos nós.

Os comentários estão desativados.