Categorias
Corneta do Cunio

Corneta do Cunio – O que fizeram com você, meu Palmeiras?

Por Alberto Cunio

Saudosistas alviverdes, tomo a liberdade de lhes apresentar o depoimento espontâneo e sincero de um dos mais jovens e lúcidos membros do 3VV, ora em retiro sabático, após ver a reportagem exibida domingo passado no programa Esporte Espetacular da Rede Globo sobre os maiores campeões brasileiros de futebol, na qual o Palmeiras foi o “mote”:

Vendo essas imagens, sinto um misto de emoções…

Nasci em 1979, portanto a “Academia” era algo que eu só conhecia pelas histórias do meu pai e pelas revistas “Placar” que ficavam guardadas num canto da estante da sala… Essas conquistas eram quase como uma fábula pra mim… E depois, quando tive oportunidade de ver vídeos, gols, jogos, desses times do Palmeiras dos anos 60/70, ficava ainda mais impressionado. Meu Deus, como o Palmeiras foi Gigante! Em 1973 já era 6 vezes campeão brasileiro, campeão do mundo, maior campeão paulista e, infelizmente por detalhes, só faltava a Libertadores… Tivesse mantido esse ritmo e não teria rivais no futebol brasileiro…

Já daquelas tardes de futebol dos anos 90, lembro-me de tudo. Sou capaz de dar a escalação de cada time do Palmeiras, de um jogo qualquer em um domingo qualquer, porque quando é Palmeiras não é qualquer domingo, não é qualquer jogo.

Lembro-me da família assistindo às partidas, onde eu estava, o almoço de domingo, a vó feliz pelo Parmera e com as bochechas coradas de alegria pelo golaço do César Sampaio contra o São Paulo em pleno Morumbi (quando veremos isso de novo?). Até hoje desconfio que ela estivesse mais feliz pela alegria dos netos do que pelo golaço em si, ainda que fosse uma palestrina de ouvir jogo no radinho de pilha até praticamente seus últimos dias…

É como se eu pudesse apertar um botão e rever uma parte da minha vida num plano paralelo, como um bom e velho filme que a gente gosta de rever toda hora. Nesse caso, sempre com final feliz.

Lembro-me de ter faltado num vestibular, sem que meus pais soubessem, pra ver o Palmeiras campeão brasileiro em 1993 no Morumbi. Ainda posso sentir o calor daquela tarde de Dezembro e do estádio pulsando de festa e de Palestra. Lembro-me da pizza que comemos naquela tarde fria de 12 de junho de 1993, quando saímos da fila. Lembro-me dos corintianos com o rabo entre as pernas, eu chegando altivo na escola e o porteiro santista berrando “aê palmeirense!”, pra cada moleque que chegava com a camisa verde.

São tantas lembranças boas, tantas recordações e faz tanto tempo, que às vezes parece uma obra de ficção.

O que fizeram com você, meu Palmeiras?

Pois eu deixo esta pergunta e minha CORNETA aos incompetentes que, desde os idos anos de glórias, tomaram o clube de assalto e jogaram na lata do lixo nossa história. Basta.

A Corneta no Twitter vai sempre perguntar: “O que fizeram com você, meu Palmeiras?”. Siga! @Corneta3VV

35 respostas em “Corneta do Cunio – O que fizeram com você, meu Palmeiras?”

belo depoimento, como vc tb nasci em 79 e sempre ouvindo meu pai e meu avó falando de Ademir da Guia, Dudu, Leivinha e sempre imaginava como seria se eu tb tivesse vivido essa epoca, pois realmente parecia ficção, graças a Deus aproveitei o maximo a decada de 90 para estraçalhar gambas, e bambis, como eraa bom, kkkkkkkkkkkkkk, e agora tb me pergunto, o que fizerão com vc meu Palmeiras, de obra de ficção, parece que estamos em um pesadelo sem fim!!!!!!!

O Palmeiras como time vencedor morreu. Foi assassinado. Afogado. Asfixiado.

O grande e incomparavel Palestra/Palmeiras vive somente em nossos coracoes e nas paginas e videos da historia.

Texto lindo, fantástico mesmo! Pena Quênia realidade seja tão sombria. Por mais que eu queira queimar a língua, nao vejo perspectiva positivas para o ano que vem.
Mas seguirei torcendo!

E eu que nasci em 1960, tenho 53 anos e antes de voces verem isso, eu já tinha visto a primeira vez no estádio em 1972 um time que considero muito melhor deste da era parmalat. Cantado em prosa e verso era Leão, Eurico, Luis Pereira, Alfredo e Zeca. Dudu e Ademir da Guia, Edu, Leivinha, Cesar e Ney. Técnico Oswaldo Brandão. Depois deste ainda teve outro com Jorge Mendonça, Rosemiro, Toninho Centro Avante. Eram épocas em que os campeonatos regionais valiam muito mais que o brasileiro. Neste tempo os gambás quando nos enfrentavam, já tinham a derrota decretada antes do confronto, eles se borravam de medo. O Rivelino por exemplo, foi escurraçado dos gambas, por que além de não conseguir ganhar do palmeiras, não conseguia jogar contra nós. Isso a imprensinha não conta.

Pessoal, agradeço bastante os elogios, mas só relembro que este texto foi apropriado por mim e o autor é outro membro emérito do 3VV. Um abraço a todos!

Realmente temo que nunca mais o Palmeiras seja o protagonista e o gigante que foi Campeão do Século XX. Estamos MUITO mas MUITO LONGE mesmo de novos rivais e até mesmo de clubes de centros menores como Grêmio, Inter, Atlético e Cruzeiro? Sobra a orgulhosa e linda história, sem precedentes, a ainda numerosa e apaixonada torcida. Mas os passos são de clubes coadjuvantes e não se sobrevive só da gloriosa história. Ta difícil…..

O problema do Palmeiras é que de uma colônia de italianos com sangue na veia e que morreriam pelo clube, como em 1942, virou uma colonia de ratos sanguessugas, que só pensam em como o clube pode melhor servi-los. A culpa é nossa. Os corintianos, assim que descobriram o rato Dualib, deram um jeito de por o cara pra fora. Nós só falamos e não fazemos nada, nem qualquer pressão. Eles estão acomodados, igualzinho aos políticos do Brasil – que roubam, são inocentados, sabem que sabemos que nos roubam, mas continuam roubando, porque falamos muito e fazemos pouco. Os protestos da Copa das Confederações já pararam. E assim o Brasil se afunda e o Palmeiras se apequena. Quem tem que fazer algo somos nós, porque quem está lucrando com a situação não fará nada para mudá-la. “Em time em que eu estou ganhando, não se mexe.”

PQP que História o Palmeiras tem, pena que aqueles MALDITOS dirigentes não dão o devido Valor, imagino se tivéssemos uma Diretoria Competente, realmente Palmeirense, que lutasse por nossos Direitos, quantos TÍTULOS nós teríamos acima dos demais???? Tem time ai que seria coadjuvante a vida toda!!!

Agora nos restará ganhar o bi, tri, tetra, penta, hexa campeonato brasileiro da….Série B.
Estamos muito, mas muito longe dos principais adversários.
Infelizmente é esta nossa realidade e não há no horizonte muitas esperanças. tenho dó de meus filhos e sobrinhos no qual toda a minha família de Palestrinos se esforça muito para mantê-los torcedores do Verdão. Alguns sobrinhos já debandaram para os Bambis e Gambás….até quando ????????

Ótimo texto, obrigado por fazer voltar as lembranças de infância da época sofrida de 1980, da época maravilhosa de 1990… Eu e meu primo saímos a noite nas baladas com a camisa do Palmeiras, para zuar literalmente… nessa época era ROUPA DE GALA !!!!

Boa tarde a todos, nasci em 1960, desta forma vi de perto a segunda ACADEMIA, destruir, todos que pretendiam alçar voo , não é possível mantermos um câncer como MUMU, o luciferiano, manter influencia politica , com tanta força, lembrando que ajudou a eleger Alfonso Della Monica, Arnaldo Banana, e agora Paulo Nobre, desta forma avaliem e somem os 12 anos de seu cajado maldito, e mais seis que seus indicados mantem sob comando indireto!

Quando eu li esse belo texto, confesso que eu fiquei emocionado. Alberto parabéns pelo belo texto, eu nesci em 1979 mas eu comecei a torcer pelo Palmeiras em 1990, já no final da fila, curtir intensamente os anos 90, nós éramos felizes depois que a Parmalat saiu só veio a mediocridade, aliás, se não fosse a Parmalat, o Palmeiras poderia está mais tempo na fila de 1976 até 2008 sem ganhar nada. Os atuais dirigentes estão acabando com o nosso Palmeiras na nossa cara e ninguém faz nada e o pior é que a cada ano que passa nós estamos nos apequenando cada vez mais.

Belo texto. A única coisa estranha é ele dizer que nasceu em 1979 e que faltou no vestibular em 1993.
Precoce o garoto hein? Vestibular aos 14 anos??

Colégio técnico. sou de 78 e prestei um em 92, bem no dia do primeiro jogo da final do Paulistão contra os bambis.

O pior de tudo, é que aqueles que mandam e desmandam no Palmeiras (leia-se Mustaphá e seus aliados), vão nos apequenar cada vez mais.

Pô, sou de mossoro-rn e sou indignado com o q fazem ai com meu verdao, nao sei o q fazer daqui por favor eu quero meu verdao d volta, sou st e nao sei o fazer alem disso. Vcs ai de SP façam alguma coisa despertem o gigante. Obrigado!

Completando. E venderam seus ideais para quem sabidamente não pode ou nao quer dar um chute na porta, coisa que o Palmeiras precisa urgentemente para afastar o que diz o texto:

“os incompetentes que, desde os idos anos de glórias, tomaram o clube de assalto e jogaram na lata do lixo nossa história. Basta.”

Isso se o conselho, usando de seu filtro, não colocar dois candidatos iguais pra concorrer. Isso se já não tiverem a cara de pau de só aprovarem um candidato logo na primeira eleição.

O que nos revolta é perda da identidade que se traduz no conformismo, na falta de pressa e na perda das referências que demonstram os poucos valores que já estão chafurdando na lama dessa política do clube, enfim, já estão “POLITIZADOS” e pensam que sabem os caminhos.

O que fizeram não, estão fazendo, estão matando o clube /time aos poucos, são todos masoquistas, e nós torcedores estamos deixando, esta é a verdade.

Confesso aqui minha emoção, lindo texto, parabéns!
Eu que iniciei meu amor somente no Paulista de 1996 não me canso de assistir, ler e ouvir sobre nossas histórias. Sem dúvidas, a mais linda e bem escrita do Brasil.

Cunio, eu nasci em 70, e também não vi a Academia jogar, minha memória mais recente do futebol é de 78, mas lembro-me mais da seleção brasileira na copa da Argentina do que propriamente o Palmeiras… O amor ao Verdão começou nos anos 80, os terríveis anos da fila mas com times que muitas vezes me encantavam, e foi coroado nos anos 90, com os esquadrões financiados pela “fábrica de leite”, nosso último bom momento no futebol… E aí vem uma constatação que me assombra: o Palmeiras acabou no começo dos anos 70, entre 73 e 74, depois disso nós não conseguimos mais montar nenhum time competitivo, daqueles que entram em qualquer campeonato para ganhar, isso só foi possível nos anos 90 pelas mãos da Parmalat, mas se olharmos exclusivamente para o Palmeiras, desde os anos 70 não somos capazes de montar grandes esquadrões… nos apequenamos de uma tal maneira que não consigo, hoje, imaginar voltarmos a ocupar aquele posto de “Maior Campeão do Século”. Eu acredito que se não fosse a Parmalat estaríamos na fila até hoje, e seríamos um pouco maior que a Portuguesa (ok, tem um certo exagero aqui, afinal a Portuguesa nunca chegou nem perto da glória conquistada pelo Verdão)… algo se perdeu naqueles anos 70, depois veio só mediocridade.

mais ou menos quando o mustafá apareceu como diretor (1978) coincidência?

Foi em 1977…. perguntei uma vez para o Jota (Aqui mesmo no 3VV) para entender toda essa briga política e a resposta do Jota foi simples “Veja, tudo mudou depois de 1977, preciso falar mais alguma coisa”. rssssss.

Assino! Está aqui, acima, um pouco de minha história também… Saudades, Palmeiras… Saudações Palestrinas!

Os comentários estão desativados.