Categorias
Verdão na Mídia

Verdão na Mídia 18-09-2013: Kleina freia boatos sobre Luxa: “Devemos subir para pensar em 2014” ❘ Gazeta Esportiva Net

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Kleina freia boatos sobre Luxa: “Devemos subir para pensar em 2014

Gilson Kleina acordou nesta terça-feira com uma informação além da busca por dados do Avaí, adversário desta noite. Os rumores sobre a contratação de Vanderlei Luxemburgo como técnico do Palmeiras em 2014, ano de seu centenário, aumentaram e atingiram o treinador na concentração em Florianópolis. Mas, após a virada por 4 a 2, Kleina mandou um recado: o Verdão ainda está na Série B do Brasileiro.

“Não adianta pensar em 2014 e viver uma história sem a possuir ainda. Não podemos deixar equivocar nem se antecipar. O Palmeiras precisa cravar sua volta à elite”, disse o treinador, que completará um ano no clube nesta quinta-feira e está consciente de que pode não renovar o contrato que acaba em 31 de dezembro, mas pede calma nas especulações.

“Respeitamos todos os profissionais. O Vanderlei tem um currículo vitorioso no Palmeiras em uma época muito forte, e profissionais com grandes títulos em grandes camisas são sempre lembrados. Mas essa decisão tem que ser tomada no momento certo. Temos que pensar em 2013”, reforçou.
A preocupação do comandante é com o momento atual da equipe. Nas contas da comissão técnica, basta ao time somar 14 pontos nas 15 partidas que faltam na Série B para se garantir na elite do ano que vem, e qualquer assunto que possa mudar o foco gera tensão.
“Isso chegou muito forte ao hotel, e estamos mobilizados. Ficamos receosos comandamos 40 jogadores que precisam estar motivados até o final. Eles estão muito mobilizados pela filosofia do trabalho, mas a coisa pode desandar e ficar ruim em uma reta final”, indicou Kleina.

Em relação ao seu emprego, o técnico, ao menos, tem certeza de que não ficará sem trabalho até o fim do ano. “Minha tranquilidade é falar com o presidente e vê-lo sempre idôneo, muito transparente e com os pés no chão desde o inicio. Em momento algum houve indiferença ou desconfiança”, apontou o profissional mantido mesmo após o rebaixamento no Brasileiro, uma goleada por 6 a 2 sofrida diante do Mirassol e a eliminação na Copa do Brasil.

“O meu contrato sempre foi pautado pela seriedade e para terminar da melhor maneira possível, deixando o Palmeiras na primeira divisão. Não podemos desfocar e achar que o ano está decidido. Estão todos mobilizados pelo mesmo objetivo. Quem subirá o Palmeiras é a diretoria, os jogadores, a torcida e essa comissão técnica. Depois, cabe a avaliação”, prosseguiu.

Kleina se preocupa em manter seus atletas afastados das especulações por se dizer bastante calmo em relação ao seu futuro, já que pensa só no presente. “Cada vez mais se fala nisso, mas estou com a cabeça muito tranquilo no que faço. O torcedor pode ficar tranquilo porque o foco não vai mudar. Por isso, já posso pensar no Sport. É o que prometo”, afirmou, citando o compromisso de sábado, no Pacaembu.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Sob a sombra de Luxa, Kleina elogia ‘perfil’ de Nobre e foca no acesso

Com contrato até o fim do ano, o técnico Gilson Kleina vê começar a crescer os questionamentos sobre seu futuro – se renovará com o Palmeiras ou não. Após a vitória sobre o Avaí, na Ressacada, o treinador elogiou o progresso obtido no Verdão em 2013, mas reafirmou seu foco na principal meta da temporada: buscar o acesso à elite ao futebol brasileiro.

– Temos de ter pés no chão. Meu marketing é trabalho, não estou aqui para me vangloriar, o mérito total é dos jogadores. Muita coisa boa aconteceu na nossa gestão. Palmeiras está muito próximo de voltar às conquistas, e a primeira tem de ser a da Série B – analisou o técnico após a goleada por 4 a 2 sobre o rival catarinense.

Já na segunda metade do Brasileiro, Kleina convive agora com a sombra de Vanderlei Luxemburgo. O treinador do Fluminense é visto por alguns membros da diretoria como o nome ideal para comandar o Palmeiras no centenário – o presidente Paulo Nobre (que trabalhou com Luxa no Verdão em 2008, quando era vice-presidente), porém, foi categórico ao afirmar que não há qualquer tipo de negociação com ele. Segundo o dirigente, a relação com Kleina é excelente.

De acordo com o mandatário, as análises para 2014 serão feitas mais para frente, e de forma interna. Kleina, por sua vez, elogiou o histórico de Luxa no Verdão, que, entre suas várias conquistas, ajudou o time a sair de uma fila de 17 anos ao vencer o Paulista de 1993, além de ter vencido o último Estadual do clube, em 2008. O comandante, contudo, se diz respaldado pela diretoria.

– Respeito todos os profissionais, o Vanderlei tem uma história vitoriosa aqui e tem nosso respeito. Sei que isso chegou forte no hotel, estamos mobilizados. Temos de pensar em 2013. Não adianta pensar em 2014, começar a viver uma história sem cravar o acesso para a elite. Aqui comandamos vários jogadores e eles sabem que têm de estar motivados até o final. A diretoria já se posicionou, passou confiança. Meu contrato vai pautar sempre pela seriedade – avisou.

Apesar do ala ‘pró’ Luxa, o LANCE!Net apurou que outra parte da diretoria também é a favor da permanência do atual técnico, visto como um cara sério e que conseguiu reerguer o elenco após a eliminação na Copa do Brasil. Para Gilson Kleina, o perfil de Paulo Nobre é um fator para que esta incerteza sobre o ano que vem não atrapalhe.

– Poderia atrapalhar se não conhecêssemos o perfil do presidente. Ele sempre foi muito transparente, desde o início, e agora não está sendo diferente. Em momento algum passaram desconfiança e indiferença. Queremos focar no planejamento e no trabalho. Estou com a cabeça tranquila no que estou fazendo, meu foco não vai mudar. Fico um pouco receoso porque comando 40 jogadores mobilizados na filosofia de trabalho – analisou o técnico, que não considerou certo discutir agora sobre renovação.

– Temos de consolidar esse trabalho. Não adianta renovar se eu não subir o Palmeiras. Tudo tem de acontecer. Eu trabalho sério e forte, se eu falar que não quero ter uma sequência é hipocrisia. A grandeza do Palmeiras requer profissionais de grande nível. Fico orgulhoso de ver o time reagir, vamos ter de manter o foco. Tudo acontecendo, com acesso e título, a avaliação é mais minuciosa. Nesse um ano, a maturidade é nítida e notória dentro de mim. Não tenho como dizer que tenho currículo aqui dentro, mas espero e tenho certeza que ele será muito enriquecido – encerrou.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Kleina respeita Luxa, mas se diz receoso e condena especulações

Por Marcelo Hazan

O técnico do Palmeiras, Gilson Kleina, teve de conviver nos últimos dias com o fantasma do nome de Vanderlei Luxemburgo, comandante do Fluminense. O treinador carioca teve seu nome citado nos bastidores do Verdão, e a especulação sobre uma possível troca da comissão técnica para 2014, ano do centenário do clube, chegou até a concentração alviverde em Florianópolis, onde o time venceu o Avaí na última terça-feira, por 4 a 2, de virada (veja no vídeo ao lado os melhores momentos do jogo).

Esses rumores mexeram com Kleina. Mesmo se dizendo tranquilo para uma renovação contratual no fim do ano, aguardando a avaliação da diretoria comandada pelo presidente Paulo Nobre, com quem conversou e recebeu votos de confiança, o técnico reclamou das especulações nesta reta final do Campeonato Brasileiro da Série B – o Verdão lidera com 52 pontos. Ainda assim, ele pregou respeito a Luxa.

– O Vanderlei tem uma história vitoriosa no Palmeiras. Respeito todos os profissionais. A diretoria se posicionou e me passou confiança. Isso surgiu, mas queremos focar no trabalho e esperar. Estou tranquilo, meu foco não vai mudar. Mas ficamos um pouco receosos, sim, porque comandamos 40 jogadores e eles também estão mobilizados por essa nossa filosofia de trabalho. É uma coisa que pode desandar, e isso fica ruim na reta final – afirmou Kleina.

O treinador reiterou a importância de garantir o acesso logo para, só então, iniciar conversas sobre renovação contratual e planejamento para a próxima temporada

– Temos de ter os pés nos chão. Não adianta falarmos de 2014 sem consolidar a volta para a Série A. Dizer que não quero ser campeão e continuar seria hipócrita. Mas com o acesso e o título aí sim podem fazer uma avaliação minuciosa de todas as transições que tivemos. Depois disso tudo cabe essa pergunta (sobre continuidade no clube), mas não para mim – disse Kleina.

Ligação antiga de Luxa com dirigentes

Nos bastidores do Palmeiras, o nome de Vanderlei Luxemburgo divide opiniões. Há quem defenda o retorno do treinador para o ano do centenário do clube. Mas o presidente Paulo Nobre, ao menos publicamente, diz rechaçar qualquer negociação com o técnico do Fluminense.

O dirigente, inclusive, minimiza a ligação dele com Luxemburgo – em 2008, ano da última passagem do técnico pelo Verdão, Nobre era um dos quatro vice-presidentes. Além dele, o diretor executivo José Carlos Brunoro conhece Luxa da década de 90, quando o time foi multicampeão com o patrocínio da Parmalat.

– É absolutamente infundada qualquer especulação sobre o nome do Vanderlei. Não há nenhum fundo de verdade. Tenho admiração por ele, como também tenho pelo Felipão e por vários outros. E agora tenho por Gilson Kleina, que é o nosso técnico. Temos um relacionamento excelente com o Kleina e ele está tranquilo. Tem total confiança e está focado para subir o time para a Série A, que é o que importa. Nunca houve qualquer conversa para contratar o Luxemburgo na minha gestão – garantiu Nobre.

Por fim, o presidente voltou a dizer que a decisão sobre a renovação contratual de Kleina se dará no fim da temporada, quando haverá uma avaliação do seu trabalho em cima do planejamento realizado no início do ano.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Kleina elogia reação e garante Palmeiras mobilizado

O técnico Gilson Kleina celebrou a vitória do Palmeiras por 4 a 2 sobre o Avaí, na noite de terça-feira, em Florianópolis, pela 23ª rodada da Série B, e destacou o poder de reação do time. A sua equipe esteve duas vezes em desvantagem na partida, mas conseguiu a virada na Ressacada.

“Quando tivemos a bola no chão, tiramos o nosso ímpeto e controlamos mais o jogo. Tivemos condição de finalizar e jogar pelos lados, mas optamos por mais posse sem produzir. Precisamos verticalizar mais o passe”, disse. “Temos um poder de reação forte, mas saímos atrás após um chutão do Wesley. Temos de corrigir essa saída de bola e entrar sempre ligados para não só correr atrás, mas administrar o resultado”, completou.

Com a vitória, o Palmeiras chegou aos 52 pontos, na liderança da Série B e com uma vantagem de 15 para o quinto colocado Sport, exatamente o adversário do próximo sábado, no Estádio do Pacaembu. Kleina garantiu, porém, que o time se mantém mobilizado na luta pelo acesso, que está próximo e parece ser praticamente certo.

“Sempre pregamos para ninguém entrar em uma zona de conforto. Podemos ser líderes, mas ainda não temos o número de pontos suficiente para o acesso. Então temos de nos mobilizar”, disse o técnico, que destacou a importância do triunfo e as dificuldades enfrentadas na etapa inicial, que terminou empatada em 1 a 1.

“Ficamos expostos no primeiro tempo. O Avaí estava se posicionando melhor e levava mais perigo. Depois, controlamos e colocamos a bola no chão no segundo tempo, mas ainda assim tivemos de buscar. Equilibramos com o Charles (no lugar de Mendieta), preenchemos o meio de campo e viramos. Todos estão de parabéns. Foi uma vitória muito importante”, declarou.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

• Com futuro indefinido no Palmeiras, Kleina evita polêmica sobre Luxemburgo

Por Alinne Fanelli

Após a vitória do Palmeiras sobre o Avaí por 4 a 2, o técnico Gilson Kleina foi perguntado, durante entrevista coletiva, sobre a hipótese de Vanderlei Luxemburgo ser contratado para dirigir a equipe em 2014.

Kleina tem contrato com o time paulista até o final desta temporada, mesmo período em que se encerra o de Luxemburgo com o Fluminense.

“A gente respeita todos os profissionais. Vocês podem ter certeza de que o profissional que foi citado tem uma história vitoriosa no Palmeiras e tem o nosso respeito. Mas, temos que pensar em 2013, não adianta pensar em 2014. A gente precisa cravar o acesso à elite porque aqui dentro do vestiário comandamos vários jogadores e eles sabem que têm de estar motivados até o final”, disse o técnico em entrevista coletiva.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Vitória sobre o Avaí deixa Palmeiras com 99,9% de chances de subir à Série A

Com a vitória de virada por 4 a 2 sobre o Avaí, na noite desta terça-feira, o Palmeiras chegou aos 52 pontos na Série B do Campeonato Brasileiro e praticamente colocou os dois pés na elite do futebol nacional. Líder isolado da competição, com quinze pontos à frente do quinto colocado, o time alviverde tem 99,9% de chances de carimbar o acesso, segundo números do site Chance de Gol.

As chances de título do time alviverde, também segundo o site Chance de Gol, são de 82,3%. A Chapecoense, vice-líder da competição, tem 16,2% de chances. Apesar de praticamente garantido na Série A e com o título muito próximo, no entanto, o discurso da comissão técnica e dos jogadores é de cautela.

“A vitória foi muito importante não só pelos três pontos, mas para a administração da tabela. A gente está sempre pregando para não entrar na zona de conforto. Então é buscar, mobilizar, ainda não temos o acesso. Que a gente possa nos próximos dois jogos em casa se aproximar mais do objetivo. Aí em cada rodada a gente consegue se aproximar mais do percentual”, disse o treinador Gilson Kleina.

O próprio Kleina trabalhava com uma conta em que, a partir deste jogo contra o Avaí, seriam cinco vitórias para colocar o time na primeira divisão. Ou seja, atingir a marca de 64 pontos. Uma já foi, faltam quatro. Os próximos adversários do time paulista são Sport e América-RN em casa, e Oeste e ABC fora.

O meia Valdivia afirmou que o time quer alcançar o objetivo o mais rápido possível. “Estamos treinando forte para voltar logo à Série A. Aos poucos estamos encontrando nosso futebol dentro de campo, o grupo é bastante unido e isso é que está nos levando a jogar da maneira que estamos”, definiu.

Faltando 15 rodadas para seu término, com 75% de aproveitamento no torneio, o Palmeiras é líder isolado, com 52 pontos. São 16 vitórias, quatro empates e somente três derrotas. A Chapecoense, vice-líder, tem 46 pontos e um jogo a menos.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Em julgamento nesta quarta, Kleina já conta com punição: ‘Reincidente’

Por Marcelo Hazan

Gilson Kleina será julgado nesta quarta-feira pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por supostamente ter desrespeitado o árbitro mineiro Ricardo Marques Ribeiro durante o segundo jogo das oitavas de final da Copa do Brasil contra o Atlético-PR – derrota por 3 a 0, em Curitiba, no dia 28 de agosto. Com base no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), ele pode pegar até seis jogos de gancho.

Em entrevista após a vitória por 4 a 2 sobre o Avaí, nesta terça, em Florianópolis (veja no vídeo ao lado os melhores momentos), Kleina surpreendeu ao dizer que já conta com a punição, por ser reincidente – já foi julgado e punido após reclamações no jogo contra o Sport. Ele admitiu que precisa de mais autocontrole, mas procurou se justificar:

– Reclamei do lateral do primeiro gol e de dois impedimentos. Em jogo de mata-mata todos têm de diminuir o erro. O Ricardo é um dos melhores árbitros do Brasil. Vou ser penalizado, espero que seja situação mínima, porque sou reincidente. Todos têm de melhorar, e eu também, nessa questão do controle. Fiquei indignado, mas foi algo mais para defender minha equipe. O fato foi consumado e tenho de aprender que também não volta mais.

Segundo a súmula do jogo contra o Atlético-PR, que eliminou o Verdão da Copa do Brasil, o comandante alviverde foi expulso por “contestar de forma veemente as decisões da arbitragem, gesticulando e batendo palmas de forma irônica”.

Outro que será julgado na quarta-feira é o preparador físico Fabiano Xhá, também excluído naquele duelo com o Atlético-PR. Segundo o STJD, ele teria usado um aparelho comunicador no banco de suplentes, algo que está proibido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

• Verdão tem seleção gringa

Por Alessandro Abate

Três estrangeiros marcaram na vitória do Palmeiras, por 4 a 2, sobre o Avaí. E acredito cada vez mais que esse trio precisa ser titular da equipe.

A técnica do uruguaio Eguren ainda é contestada, mas a falta de um cabeça de área segue deixando a zaga exposta aos erros. Nesta partida, mais uma vez o espaço em frente à área complicou Henrique e Vilson. Se Márcio Araújo deve ou não jogar, não é nessa posição.

O paraguaio Mendieta perdeu boas oportunidades antes de balançar a rede, mas sua movimentação ao lado de Valdivia tem deixado o meio de campo um pouco menos previsível. É o falso lento, mas tem habilidade.

Já o Mago chileno dispensa comentários. Quando está inteiro, quando está interessado… é craque. Insisto, é craque mesmo. Acham que um jogador mediano faria aquele belo gol após cruzamento de Juninho? A bola gruda em seus pés e sua visão para dar assistências é de 360º.

Belo trio gringo, que pode dar muitas alegrias aos palmeirenses.

Leia aqui a matéria completa → BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

••

BLOG DO ANTERO GRECO ❘ ESTADÃO ONLINE

• O Palmeiras sobra cada vez mais na Série B

Dentro de mais algumas rodadas, provavelmente muito antes do fim da temporada, o Palmeiras terá consolidado o retorno à elite. O time sobra na Série B, dispara na ponta (52 pontos), e vê de binóculos o quinto colocado, hoje o Sport (37). Está fácil demais a volta, como se viu após os 4 a 2 sobre o Avaí, na noite desta terça-feira, em Florianópolis.

Houve sustos para chegar ao resultado. Duas vezes o Palestra ficou em desvantagem, no 1 a 0 (gol de Márcio Diogo no primeiro tempo) e nos 2 a 1(gol de Luciano, aos 22 do segundo). Mas a turma de Gilson Kleina soube empatar (1 a 1 com Valdivia, antes do intervalo) e sobretudo teve embalo para virar e enfileirar gols com Mendieta (aos 25), Vinicius (36) e Eguren (43).

A diferença do Palmeiras para os demais concorrentes é muito grande. A exceção é a Chapecoense, vice-líder com 46 pontos e que ainda tem de jogar com o Figueirense. De resto, não é ameaçado nem pelo Paraná (42) nem pelo Joinville (41). Nesse aspecto, o projeto da diretoria paulista está muito próximo de tornar-se realidade: ressurgir sem sofrimento.

Kleina precisa aproveitar o restante da competição para ajustar a sintonia fina do time. Há espaço para alterações – uma delas é encontrar lugar para Eguren. O uruguaio entrou aos 40 minutos do segundo tempo, em substituição a Valdivia, e marcou nos primeiros toques que deu na bola. É jogador para aproveitamento melhor e com mais assiduidade.

Retoques precisam ser feitos na defesa – as laterais ainda são postos vulneráveis, assim como no meio-campo. A questão é saber se Kleina fará as mudanças e será preterido na hora de saborear as transformações. Ainda mais se forem confirmados boatos de que Luxemburgo voltaria em 2014. O presidente Paulo Nobre desmente.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ANTERO GRECO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

• A grande vitória do Palmeiras de Valdivia

Já começo com a nota que merece Valdivia, o melhor jogador em campo: 10! E com louvor. Com o olho roxo, com a boca inchada, apanhando só um pouco menos do que na última partida-contra o América mineiro-, Valdivia foi completo, na bela Floripa, e o responsável maior pela vitória. 4 a 2. Valdivia fez um gol, a arbitragem impediu que fizesse outro por assinalar impedimento que não existia, organizou as jogadas de ataque e até combateu com raça.

O que mais desejar de um jogador? Pena que seus músculos talvez não aguentem a sequencia de partidas que seu talento exige.

Quanto à vitória em si, foi grande em função das circunstâncias, dos erros de arbitragem e por ter o Palmeiras saído, por duas vezes, atrás no marcador. Não foi, no entanto, uma equipe perfeita: Márcio Araújo continua sobrecarregado na marcação e o zagueiro Vilson teve, seguramente, sua pior atuação desde que chegou ao Palmeiras. Será ainda reflexo de sua transferência frustrada para o futebol alemão e a ainda não consumada renovação de contrato?

Sei lá. Às vezes, nesses casos o emocional pode ficar abalado.

Mesmo com esses defeitos, o Palmeiras superou as ausências de Luís Felipe, Alan Kardec (suspensos), a perda de Leandro no decorrer da partida e a má pontaria de Mendieta que, depois, enfim, conseguiu fazer seu gol. Depois, Vinicius marcou o terceiro em bela jogada e o uruguaio Eguren encerrou o placar aproveitando o rebote de uma falta cobrada por Wesley, que mandara a bola na trave.

Enfim, a volta à elite parece só uma questão de tempo. E é provável que seja com o título de campeão.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

••

BLOG DO ALEX MÜLLER

• Vitória de time grande

Nunca foi fácil bater o Avaí dentro da Ressacada, mesmo em confrontos pela primeira divisão. O próprio São Paulo foi eliminado recentemente de uma Copa do Brasil pela equipe catarinense atuando em Florianópolis.

E não poderia ser diferente. Foi tudo muito difícil. O Avaí ainda ficou à frente do placar em duas oportunidades, mas o Verdão perseguiu o resultado com muita determinação e acabou virando somente a partir dos 36 minutos da etapa final e goleando por 4 a 2.
Uma situação típica de um time grande prevalecendo sobre outro de porte menor, independentemente do respeito que se deva ter por qualquer adversário. E olha que a arbitragem mais uma vez atrapalhou o Palmeiras em, pelo menos, dois lances importantes. Um em que Valdívia recebeu a bola cara a cara com o goleiro em condição legal e a assistente deu impedimento e numa outra jogada Juninho foi derrubado na grande área e o árbitro nada marcou.

Mas Série B é assim mesmo, a equipe grande é obrigada a enfrentar não apenas a correria dos adversários que sempre veem no Palmeiras a chance de aparecer na competição, mas as arbitragens, também de segunda categoria, que normalmente são designadas pela CBF.

Mas o Verdão vem cumprindo muito bem o seu papel dentro do campeonato, uma autêntica demonstração, a cada rodada, de quem é o grande. Aqui não há Davi que derrube e mate o Golias, afinal, estamos falando de futebol e não de Bíblia.

Faltando ainda 15 rodadas para o término da competição, há quem diga que com mais quatro vitórias o Palmeiras já garanta a sua volta à Série A do ano que vem. Outros acreditam na necessidade de cinco triunfos. De qualquer maneira, o retorno palmeirense é iminente e tido como certo.

O importante é que a equipe mantenha a seriedade para cumprir, com a maior dignidade possível, a sua trajetória dentro da Série B. O famoso relaxamento natural só poderá ser admitido a partir do instante em que a matemática nos falar em alta voz que o Verdão voltou…

Enquanto isso, a diretoria já planeja 2014, embora publicamente isso seja difícil de ser aprofundado por meio dos veículos de comunicação.

Mas já posso antecipar que Vanderlei Luxemburgo NÃO será o treinador palmeirense no ano do centenário. Não estou aqui para confrontar ninguém que tenha alguma outra informação. Eu simplesmente e humildemente dou as minhas notícias e elas vão frontalmente contra à corrente que fala na volta de Luxa ao clube.

De qualquer modo não quero ser o dono da verdade, apenas trabalho com seriedade para buscar as informações e dar minhas opiniões, independentemente de A, B ou C, como diria Felipão.

Eu já comecei a dividir minhas atenções entre o momento atual e a formação do elenco para o ano que vem. Se não chegarem dois laterais, um zagueiro, um ótimo volante, um meia e um atacante,e tudo de prestígio, o Palmeiras correrá sérios riscos de passar o ano de seu centenário bem na média, sem lutar por grandes coisas.

Mas como não combina reivindicar muitas coisas logo após uma bela vitória como a desta terça-feira sobre o Avaí, então aguardemos, por enquanto em silêncio, a movimentação da diretoria sobre o ano que vem.

E por falar nos 4 a 2 sobre o time catarinense, ouça, no link abaixo, os seis gols do jogo na minha narração pela dobradinha BandNews FM / Bradesco Esportes FM. O próximo trabalho com bola rolando será sábado, no Pacaembu, 16h20, para Palmeiras x Sport. Se programe para escutar e conte para os amigos!!!

http://radio-esportivo.blogspot.com.br/2013/09/avai-2-x-4-palmeiras-brasileirao-serie.html#.Ujk2GcaR9-N

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ALEX MÜLLER

••

BLOG DO COSME RÍMOLI ❘ R7

• Dez anos depois, a história se repete. Gilson Kleina sabe que não ficará no Palmeiras após a Série B. Se sente como Jair Picerni em 2003. Clube quer um comandante com currículo melhor. Abel e Paulo Autuori já são citados…

É uma situação cruel.
E lembra demais o que aconteceu com Jair Picerni.
Em dez anos o Palmeiras foi rebaixado duas vezes.
Em 2003 vivia a Segunda Divisão.
Tinha uma equipe combativa, com pouca técnica.
O maior destaque era a revelação Vagner Love.
Além de Marcos, goleiro que venceu a Copa do Mundo de 2002.
O clube com mais recursos financeiros que os demais venceu a Série B.
Simplório, Jair Picerni nunca teve o reconhecimento da diretoria.
Muito menos a confiança para comandar o clube na elite do futebol brasileiro.
Desde que começou 2004 estava marcado para ser demitido.
Ele não era ouvido pelos dirigentes.
Implorou por reforços e eles não vieram.
Os jogadores perceberam sua pouca força e seu comando foi abalado.
Noitadas de atletas foram manchetes dos jornais.
A situação ficou constrangedora.
Até a confirmação da demissão, que veio com a eliminação da Copa do Brasil.
E a história se repete no Palestra Itália.
O clube está em uma luta desigual na Segunda Divisão.
Com R$ 70 milhões dados pela Globo.
A maioria dos clubes recebe R$ 3 milhões.
O time está virtualmente na Primeira Divisão.
Lidera a Série B, com toda folga.
Tem 16 vitórias, quatro empates e três derrotas.
Mas Gilson Kleina não está alegre.
Pelo contrário, sabe que não há entusiasmo com ele.
A diretoria não o quer como comandante no centenário do clube.
Não há conversas sobre planos, reforços, mudanças para 2014.
Está tudo estagnado.
Transparente que o próximo ano do Palmeiras não é problema seu.
Ele que desfrute seus últimos meses na Segunda Divisão.
O Palmeiras já foi vitrine para novos vôos.
Gilson Kleina só tem um título conquistado na carreira.
Foi campeão alagoano pelo Cururipe em 2006.
De 2001 até 2012 passou por 21 times pequenos até chegar ao Palmeiras.
Seu currículo nunca impressionou, agradou essa nova diretoria.
Kleina foi confirmado no cargo por pura falta de dinheiro.
Ele é um treinador barato, competitivo, suficiente para a Segunda Divisão.
Mas 2014 será um ano simbólico na história do Palmeiras.
Além do centenário, a nova arena será inaugurada.
Com o caixa baixa para grandes contratações, os dirigentes querem mídia.
E a presença de um treinador de peso se tornou obsessão.
José Carlos Brunoro queria Vanderlei Luxemburgo.
Insiste com Paulo Nobre há muito tempo.
Tentou fazer de conta que não percebia a decadência.
Só que o dirigente descobriu a força dos ex-presidentes.
Os inimigos Mustafa Contursi e Luiz Gonzaga Belluzzo se uniram.
E se colocaram frontalmente contra a volta do problemático treinador.
Mustafá não suporta a ideia dele trabalhar com manager, vendendo e comprando jogador.
Belluzzo acredita que Vanderlei se acha mais importante que qualquer clube.
Ambos não toleram o séquito que acompanha Luxemburgo.
Paulo Nobre foi avisado por conselheiros ligados às duas alas.
E disse para Brunoro esquecer seu parceiro.
Assim, o Palmeiras está estudando vários nomes no mercado.
Sabe que precisa de um comandante de grande repercussão.
Acredita que ele pode até convencer patrocinadores.
Até agora os planos para o centenários são um fracasso.
O sonho delirante é conseguir R$ 50 milhões para sua camisa.
Empresas têm fugido de Paulo Nobre.
Por pura falta de interesse.
Investidores fazem pesquisa.
E sabem que o Palmeiras perdeu mídia.
Não só com o rebaixamento.
Mas com a violência de suas organizadas.
A lembrança do vandalismo de 2012 ainda é forte.
Com depredações, tocaias e ameaças de morte ao presidente Arnaldo Tirone.
Têm consciência que jogadores importantes recusaram o clube.
As confusões enormes internas, com as várias alas políticas.
Agora mesmo há discussão.
Entre membros do Conselho Deliberativo e a WTorre.
Querem mudar alguns itens do contrato da nova arena.
Depois de tudo acertado há anos.
Executivos sabem que o Palmeiras tem uma história gloriosa.
Mas seu presente é caótico.
Para maior falta de sorte do clube, 2014 é ano de Copa do Mundo.
A atenção da mídia no país estará com a Seleção Brasileira até julho.
A festa do centenário será em agosto, apenas um mês depois.
E o Palmeiras não se classificou para a Libertadores.
Estará fora da principal competição no país no próximo ano.
Outro fator importantíssimo para desestimular investidores.
Por isso Paulo Nobre ficou histérico quando o time foi eliminado.
Não poupou Gilson Kleina com a derrota para o Atlético Paranaense.
Em Curitiba ficou mais do que evidente ao treinador.
Não faz parte dos planos para 2014.
Gilson Kleina repete Jair Picerni.
Destaca ao máximo o seu trabalho.
Usa o Palmeiras como propaganda para outros clubes grandes.
Até porque quer continuar com sua carreira mesmo depois de sair do clube.
As vitórias na Série B não têm a mídia e a torcida que a diretoria desejava.
Os poucos jogos mostrados pela Globo de São Paulo são fracassos de audiência.
A situação é complicada.
A extinção por economia dos esportes olímpicos, futsal, time B repercutiu mal.
Assim como o próprio Paulo Nobre emprestar R$ 29 milhões ao clube.
Pediu empréstimos a banco no seu nome.
O time segue sem patrocinador master desde o final do Paulista em março.
A tendência é o clube baixar bem a pedida de R$ 50 milhões a interessados.
A Seleção Italiana confirmou que dispensa a nova arena para treinar durante a Copa.
O festival de más notícias não termina.
As dívidas do Palmeiras passam dos R$ 240 milhões e travam o clube.
Conselheiros avisam que não vão permitir irresponsabilidades.
Como a contratação de grandes estrelas com a desculpa do centenário.
A saída mais fácil é buscar um treinador de renome.
E descartar Gilson Kleina assim que acabar a Segunda Divisão.
Com Luxemburgo vetado, a atenção se volta para dois nomes.
Ambos desempregados e campeões mundiais.
Abel Braga e Paulo Autuori.
Tudo ainda é embrionário.
Mas as conversas internas já começaram.
Pela busca do melhor substituto de Gilson Kleina.
Ninguém o quer como técnico do Palmeiras no seu centenário.
E ele sabe disso.
Exatamente como Jair Picerni sabia que teria vida curta após a Série B.
A história se repete dez anos depois…

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO COSME RÍMOLI ❘ R7

••

COLUNA DE PRIMA ❘ LANCE!

Por Marcelo Damato

• Economia

A WTorre economizará cerca de R$ 6 milhões na construção do Allianz Parque. Haverá uma redução no número de telas de LED nos camarotes e ao redor do estádio. As obras, previstas inicialmente para serem entregues no final deste ano, devem ficar prontas no primeiro semestre de 2014.

••

COLUNA PAINEL FC ❘ FOLHA DE S.PAULO

Por Bernardo Itri

• Fora do baralho

Apesar de grande pressão interna e do bom relacionamento de José Carlos Brunoro, CEO do Palmeiras, com Vanderlei Luxemburgo, hoje o treinador do Fluminense está fora dos planos do clube alviverde para o centenário. As chances de Gilson Kleina continuar no Parque Antarctica são quase nulas, mas, mesmo assim, recontratar Luxemburgo continua longe do pensamento do presidente Paulo Nobre para 2014.

• Ação…

Em um encontro com dirigentes do Palmeiras, a vice-prefeita de São Paulo, Nádia Campeão, recebeu uma camisa do clube com seu nome nas costas e foi convidada para integrar a comissão de comemorações do centenário alviverde.

• …paralela

Palmeirense, Nádia até já sugeriu uma feira do clube, que poderia ser no Memorial da América Latina, com apresentação das taças históricas, um museu itinerante, shows e barracas com alimentos. O encontro da vice-prefeita foi com Sergio Pellegrini, assessor especial da presidência, e com Hélio Esteves Jr., vice do conselho deliberativo.

• Dividida

“Sempre disse que o contrato era ruim. Só agora estão brigando”, Gilto Avallone, conselheiro do Palmeiras, sobre o acordo assinado com a construtora WTorre para a reforma do estádio do clube

••

COLUNA DO JORGE NICOLA ❘ DIÁRIO DE S.PAULO

• Perigo à vista

“ Se insistirem na vinda desse treinador, o diabo andará solto pelas alamedas do Palmeiras “ – Eugenio Palazzi – Conselheiro do Verdão, sobre Luxemburgo

••

OUTRAS NOTÍCIAS :

TV GLOBO – GLOBO ESPORTE → Avaí tem jogão contra Palmeiras, mas perde de virada
 
GAZETA ESPORTIVA NET → Vídeo: Verdão vira sobre Avaí e fica mais perto da volta à Série A
 
UOL ESPORTE → Kleina diz que seu trabalho no Palmeiras só poderá ser avaliado após acesso e título
 
BAND ESPORTE → Paulo Nobre nega acerto com Luxemburgo para 2014
 
UOL ESPORTE → Valdivia evita falar sobre permanência de Kleina em 2014 e elogia empenho do time
 
FOLHA ONLINE → Após vitória de virada, Kleina destaca poder de reação do Palmeiras
 
ESTADÃO ONLINE → Valdivia é hostilizado por organizada e retruca
 
GAZETA ESPORTIVA NET → Sem Mendieta e Leandro machucado, Verdão pode ter Ananias ou Charles
 
GAZETA ESPORTIVA → Colegas citam cotovelada e culpam árbitro, mas Valdivia vê lealdade
 
GLOBO ESPORTE COM → Kleina vê time melhor no segundo tempo e comemora virada do Verdão
 
LANCENET → Valdivia se vê adaptado com Mendieta no Palmeiras: ‘Dá para jogar fácil com ele’
 
LANCENET → Leandro sofre entorse em vitória do Palmeiras e fará exames em São Paulo
 
LANCENET → Kleina vê vitória com méritos, mas não quer Verdão na ‘zona de conforto’
 
SPORTV → Para Gilson Kleina, Palmeiras mereceu a vitória por ter jogado para frente diante do Avaí
 
SPORTV → Mauricio Noriega: ‘O Palmeiras sobra tecnicamente na Série B’
 
SPORTV → Melhores Momentos de Avaí 2×4 Palmeiras, pela 23ª rodada do Brasileirão Série B
 
••

17 respostas em “Verdão na Mídia 18-09-2013: Kleina freia boatos sobre Luxa: “Devemos subir para pensar em 2014” ❘ Gazeta Esportiva Net”

Olha gente por mais duras que sejam as palavras desse tal cosme sei lá o que! infelismente ele tem razão. Não vamos ficar aqui tampando o sol com a penera! É muito duro admitir, mas o Palmeiras vai pagar pelo que fez de errado nesta decada. Era para o Palmeiras está preparado para este centernário a 4 anos atrás pelo menos, no minimo. Não adianta a gente ficar sonhando com coisas que não vão acontecer, grandes contratações e um timaço, ninguém mais do que eu gostaria que isso acontecesse, mas não vai acontecer, o Palmeiras ta quebrado!
Tirone arrebentou com a instituição, Em lugar nenhum do mundo um time que vai completar 100 cai pra segunda divisão 1 ano antes. Ele destruiu com todas as possibilidades de parceiros investirem nesse momento. O Paulo Nobre coitado, não tem culpa nenhuma, e infelizmente ele apareceu no momento errado! Era para o Nobre surgir a 3 anos atrás, hoje certamente o Palmeiras estaria melhor. Esse momento era para um presidente maluco, ouzado tipo Eurico Miranda, que fizesse loucuras e arrisca-se mesmo! Que monta-se um timaço e que se foda as contas. Mas não esperem isso do Nobre, ele não vai fazer esses tipos de loucuras…

O Nobre não vai gostar das sugestões do Alex Muller. Pedir meio time – e tudo de prestígio – é demais para alguém que já disse que o Centenário não é ocasião para ‘fazer loucuras’.

Nunca leio a coluna do Cosme Rìmole, um pelos motivos já citados, outro pelo fato desse cara não saber escrever. Também concordo que a presença dos textos dele é desnecessária… NUNCA agrega nada

Gente esse Rímoli é do mesmo naipe do Perrone!!
Tem que tirar esse fofoqueiro(travestido de jornalista). Não coloca as notícias
desse infeliz aqui. Qualquer um se enoja com os comentários dele.

tem 2 times da capital com a corda no pescoço…..e esse babaca querendo criar crise no Palmeiras!!!!!!!!!!!!!!

Pra que dar espaço pra esse mané, 3vv?

Alguém me empresta um revolver ? Palmeirenses com baixa auto estima, depressão ou problemas pessoais não podem ler esse ” come risólis “. É suicídio na certa! AHAH
Chega a ser ridículo a perseguição desse cara com o Palmeiras, o pior é fazer de tudo para evita-lo e acabar cruzando com ele aqui, onde menos se espera. Tento não ler, mas a curiosidade é maior, chega a ser cômico, quero ver quando voltarmos a levantar troféus e estar no centro da mídia, qual vai ser a posição desse otário.
E por favor, no Brasil, usamos parágrafo para escrever, alguém avise ele.

Sem contar que é um jornalista que não sabe escrever, lamentável. Entendo que na coluna “Verdão na Mídia” do 3vv se coloca tudo, o bom e o ruim, mas tem coisa que não devia se ver por aqui mesmo. Se não tem Blog do Perrone (esposa do Gilto), não devia ter Cosme…

Concordo! Acho que o 3VV é um espaço pra discutirmos ideias e propostas e esse sujeito não acrescenta nada, a não ser a certeza de que qualquer palmeirense que se respeite não deve perder seu precioso tempo e humor lendo essa coluna!

Independentemente de o Kleina continuar ou não no Palmeiras no ano que vem, considero uma falta de respeito ficarem falando de fulano ou beltrano para substituí-lo. Bem ou mal, ele é o técnico que, mesmo sem apresentar o futebol que gostaríamos de ver, está levando o time à série A. E como a tarefa ainda não está concluída, esse tema pode gerar insegurança ao time e nos prejudicar de alguma forma. Acredito, pela quantidade de matérias falando sobre o Luxa, que o objetivo da imprensa é bem esse. Gente séria, como o Alex Muller, descarta essa possibilidade.

Eu também não suporto esse cara. Acho que ele escreve desse jeito porque não sabe usar vírgulas, nem advérbios, nem verbos de ligação, enfim… Ele não sabe mesmo escrever.

O mais do mesmo… dá nojo ler notícias desse tipo. ##S##E##P## Falta 12 pontos para a Série A. ##S##E##P## Acho melhor prepararmos nosso espírito para o centenário 2014/15… Fé !!!

Boa tarde a todos, as palavras de Cosme Rimoli, espelham o que a mídia predatória projeta ao Palmeiras, em pleno centenário, desta forma o meio correto de alterar os argumentos , são a competência e o profissionalismo, apregoado por Paulo Nobre , no pleito que designou sua presidência.

Os comentários estão desativados.