Categorias
Verdão na Mídia

Verdão na Mídia 22-09-2013: Kleina vislumbra acesso em Pacaembu cheio daqui quatro jogos ❘ Gazeta Esportiva Net

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Kleina vislumbra acesso em Pacaembu cheio daqui quatro jogos

Por Tossiro Neto

Pode se dar daqui a quatro rodadas – nas contas da comissão técnica, que projeta o acesso com 66 pontos – a certeza do retorno do Palmeiras à primeira divisão nacional. Na ocasião (8 de outubro), o time encara o Figueirense, em um palco que, para o técnico Gilson Kleina, seria perfeito para atingir o objetivo: o Pacaembu.

“Seria um grande momento, não há a menor dúvida. O torcedor mais uma vez compareceu, apoiou. Espero que seja assim nos próximos jogos aqui”, disse o treinador, ao fim da vitória de sábado sobre o Sport, acompanhada por 21.054 pagantes, a qual levou a equipe a 55 pontos, 17 a mais do que a primeira fora da zona de acesso à elite do Campeonato Brasileiro.

A projeção, no entanto, baseia-se em anos anteriores e pode não ser exatamente a confirmação matemática da volta à Série A. Até porque, caso vença seus próximos quatro jogos, o Palmeiras pode abrir, na melhor das hipóteses, 29 pontos de distância para o quinto colocado, sendo que, na sequência, ainda restariam 30 pontos em disputa.

Mas não ficar com uma das quatro vagas é impensável – o matemático Tristão Garcia dá 99% de probabilidade -, embora Kleina ainda evite dar a classificação como certa, para manter os jogadores concentrados, e até em respeito aos demais concorrentes.

“Nós não estamos tratando dessa maneira, mas sim jogo a jogo. Se chegar um momento em que estivermos muito próximos do objetivo, podemos até mudar o discurso, mas o foco é manter os pés no chão e tentar as vitórias para que, quem sabe, no Pacaembu possa acontecer esse grande momento”, falou o treinador, cujo contrato se encerra em dezembro.

Antes do Figueirense, o Palmeiras enfrenta, pela ordem, América-RN (no sábado, em casa), Oeste (em 1º de outubro, em São José do Rio Preto) e ABC-RN (em 5 de outubro, em Natal). A preparação para o próximo compromisso começa na manhã de terça-feira, na Academia de Futebol, quando o elenco se reapresenta aos trabalhos depois de dois dias de folga.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Em semana livre rara, folga dupla “oxigena” elenco palmeirense

Por Tossiro Neto

Passada a vitória por 2 a 1 sobre o Sport, que encaminhou ainda mais o retorno à Série A, o Palmeiras voltará a jogar no próximo sábado apenas. Sem compromisso no meio de semana pela primeira vez após muito tempo, a comissão técnica deu dois dias de folga ao elenco.

“Sem sombra de dúvida, essa folga veio em boa hora. Estamos há muito tempo jogando de terça e sexta ou sábado. Ainda tivemos os dois jogos contra o Atlético-PR. Estamos jogando direto. Vai ser importante para oxigenar, sair um pouco da rotina”, explicou o técnico Gilson Kleina.

A última vez em que a equipe teve uma semana livre foi de 20 a 27 de julho, entre os duelos com Figueirense e Guaratinguetá, também pela Série B do Campeonato Brasileiro. Depois disso, engatou 16 partidas (duas delas pela Copa do Brasil) em 53 dias (média de uma a cada três dias, praticamente).

Além disso, alguns atletas atuaram em quase toda a Série B. O volante Márcio Araújo ficou fora de apenas uma das 24 rodadas da competição, por ter sido expulso diante do Sport, no primeiro turno. O lateral esquerdo Juninho e o Henrique vêm logo atrás, tendo disputado 20 partidas cada.

Como a maioria deles não é de São Paulo, é muito provável que aproveitem a folga dupla justamente para deixar a capital paulista e “sair um pouco da rotina”, como disse Kleina. A reapresentação do grupo na Academia de Futebol está marcada para a manhã de terça-feira (quatro dias antes da partida contra o América-RN, no Pacaembu).

O Palmeiras soma 55 pontos e, nas contas da comissão técnica, depende de mais quatro vitórias (em 14 rodadas restantes) para selar de vez seu retorno à primeira divisão nacional.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Após jogos nervosos, Wesley exalta paciência do Verdão contra o Sport

Depois de se envolver em confusões contra América-MG e Avaí, o Palmeiras foi um time paciente na vitória por 2 a 1 sobre o Sport, nesse sábado. Mesmo que os pernambucanos tenham feito algumas faltas mais duras – Tobi foi expulso -, os palmeirenses não buscaram o revide como nos jogos anteriores, fato exaltado por Wesley, autor dos dois gols do confronto no Pacaembu.

– Quando o time fica pilhado, a gente acaba se prejudicando. Às vezes acontecem coisas que não dá para se controlar, mas procuramos manter a paciência – opinou o camisa 11.

O técnico Gilson Kleina havia alertado antes da partida contra o Sport que os adversários do Palmeiras vinham exagerando na violência e nas provocações. Por outro lado, reconhecia que o time não estava sabendo lidar com esse cenário.

Para Wesley, qualquer mudança que ajude a equipe a continuar vencendo na Série B será benéfica. Apesar dos nove pontos de vantagem para a vice-líder Chapecoense e dos 17 pontos a mais que o Icasa, quinto colocado, ele garante que o time deve ter cautela e evitar qualquer contagem regressiva pelo acesso.

– Futebol muda muito rápido, não podemos dar brechas. Enquanto não estiver garantido, temos que continuar lutando. O importante é fazer sempre nosso papel, é bom abrir vantagem. Não podemos parar, temos que dar continuidade – completou io volante.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

• Kleina reluta em falar sobre planos do Palmeiras para 2014

Por Marina Galeano

Quando o assunto é planejamento para 2014, o técnico do Palmeiras, Gilson Kleina, evita respostas mais assertivas.

No sábado, após a vitória alviverde por 2 a 1 sobre o Sport, pela 24ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, o treinador afirmou que sua única preocupação no momento é com o acesso à primeira divisão.

“Nosso objetivo é manter o foco para a próxima partida, contra o América-RN. Temos que pensar jogo a jogo, não podemos entrar em uma zona de conforto. Não vamos mudar esse perfil”, disse Kleina em entrevista coletiva no Pacaembu.

“Como vou planejar 2014? Meu pensamento agora é deixar o Palmeiras na elite do futebol brasileiro. Vamos deixar 2014 para o homem lá de cima resolver o que for melhor”.

O comandante alviverde também é cauteloso ao falar sobre o acesso à Série A. Com o resultado do sábado, o Palmeiras, isolado no topo da tabela, chegou aos 55 pontos e abriu nove de vantagem sobre a Chapecoense (46), vice-líder da competição.

“Não fizemos um grande jogo, mas conseguimos uma grande vitória. A Série B é um campeonato difícil, equilibrado. Precisamos viver jogo a jogo. O mais importante é que a gente mantenha esse ambiente de vitórias”, ponderou.

O Palmeiras volta a campo pela Série B no sábado, às 16h20, quando recebe o América-RN no Pacaembu.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Valdivia apoia Kleina, mas deixa futuro do treinador para a diretoria

Por Carlos Augusto Ferrari

Apesar de elogiar, o meia Valdivia evitou fazer campanha para a permanência do técnico Gilson Kleina no Palmeiras em 2014. O chileno jogou para a diretoria a responsabilidade de decidir quem vai dirigir o Verdão na temporada em que o clube completará 100 anos.

Na semana passada, Vanderlei Luxemburgo, atualmente no Fluminense, surgiu como o favorito a comandar o Verdão no ano do centenário. O presidente Paulo Nobre e o próprio treinador do Tricolor carioca, que possuem boa relação, negaram contato.

– Quando você tem carinho pelo treinador é claro que vai querer sempre o melhor para ele. O importante é que estamos com o treinador. Mas quem vai decidir não vão ser nem vocês (imprensa), nem nós, os jogadores. Vai ser a diretoria – afirmou.

Gilson Kleina tem contrato com o Palmeiras até o fim da Série B. O treinador também vem se esquivando do assunto dizendo que prefere aguardar o fim da competição para decidir o que fazer. Por enquanto, ele e a direção ainda não conversaram sobre o que será feito.

– Têm pessoas que decidem, que acham que precisa haver mudança ou não para o time melhorar. Na medida em que o time está ganhando, isso fica em segundo plano – acrescentou Valdivia.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

• A ressurreição dos três volantes

Por Fellipe Lucena

Seja qual for o esquema tático escolhido por Gilson Kleina, o Palmeiras conseguirá o acesso e será campeão da Série B. Mas isso não quer dizer que, na prática, todas as opções deem o mesmo resultado.

No 4-4-2 clássico, com dois meias (Valdivia e Mendieta), um atacante de velocidade (Leandro) e um centroavante (Alan Kardec), o volume de jogo no ataque vinha sendo grande, mas a defesa estava muito desprotegida – esta parece ser a formação ideal na cabeça de Gilson Kleina.

Neste sábado, contra o Sport, sem o suspenso Mendieta, ele mudou. Escalou três atacantes, com Ananias ao lado de Vinicius e Alan Kardec (Leandro está machucado) e abriu o placar logo com um minuto, mas tomou muita pressão. Márcio Araújo e Wesley não são grandes marcadores e deixam espaço no meio. Como Luis Felipe também não estava em tarde inspirada no sistema defensivo, o sofrimento foi dobrado. Prass salvou.

No segundo tempo, voltaram os três volantes. Charles entrou na vaga de Kardec, que passou mal, e o time mudou da água para o vinho. Passou a primeira metade da etapa final quase sem correr riscos, marcou mais um gol e foi muito bem no contra-ataque. Depois, com as saídas de Valdivia e Wesley, diminuiu o ímpeto e tomou um gol.

O torcedor costuma torcer o nariz quando vê o time escalado com três volantes, mas a alternativa, que Kleina parecia ter deixado para trás, ressuscitou neste fim de semana. Com marcadores tão inofensivos no meio de campo, parece ser melhor congestionar o espaço. Vale para jogos contra equipes minimamente mais qualificadas, como era o caso do Sport.

Leia aqui a matéria completa → BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

••

BLOG DO FABIO SERÓDIO ❘ JP ONLINE

• Wesley desabrocha com a camisa do Palmeiras

O Palmeiras desfila na série B do Brasileiro. Desfila porque não tem adversário e apresenta boas soluções para o ano do centenário. Verdade que ainda vai precisar de ajustes, a defesa não convence para jogos mais difíceis. Outra verdade, o time não tem só Valdivia como estrela maior. Aos poucos vão surgindo bons jogadores e o mais promissor é Wesley.

Contra o Sport no Pacaembu, Wesley jogou muito. Armou, levou o time ao ataque em jogadas individuais, segurou a bola quando preciso e fez os gols da vitória verde. O primeiro uma pintura logo no primeiro minuto de jogo, merecia moldura. O segundo, outro belo gol. Valdivia foi coadjuvante. Quem tomou conta do time foi mesmo Wesley.

Hoje até eu entraria na vaquinha ensaiada para a sua contratação pelo Palmeiras. Na época correram a sacolinha, o dinheiro não chegou e um empresário resolveu a questão. Por puro azar, ainda com trancinhas, veio uma contusão e o afastamento longo. Um grande mico, a interpretação da época.

Wesley nasceu no Santos, mas teve seu melhor momento no Atlético Paranaense, com gol de titulo estadual e reconhecimento. Voltou ao Santos e virou coadjuvante de um belo time. Foi lateral, volante e uma peça promissora. Negociado com a Alemanha, foi até convocado para a seleção brasileira, mas perdeu espaço.

No Palmeiras foram sete meses de espera devido à contusão. Demorou para se encontrar em campo. Despertou o interesse do Atlético Mineiro para o Mundial de Clubes e como resposta reencontrou seu futebol. Wesley é o típico jogador brasileiro. Gosta da bola nos pés, sabe criar espaço e dribla com facilidade. Encanta quem gosta de futebol.

Pelo que anda jogando, Wesley é candidato à ídolo no Palmeiras. Finalmente deve ocupar o espaço que era previsto nos tempos do Atlético Paranaense e considerado promissor no Santos. É a grande esperança do elenco atual para o ano do centenário. Joga muito. Valeu à pena esperar. Como o Palmeiras, caiu para se erguer. Tomara desabroche de vez com a camisa verde. Pelo potencial, justifica a esperança e dias melhores na carreira.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO FABIO SERÓDIO ❘ JP ONLINE

••

BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

• Palmeiras, agora só resta encomendar as faixas

Depois da vitória diante do Sport, 2 a 1, com dois belos gols de Wesley só resta agora ao Palmeiras cumprir a tabela e já encomendar as faixas. Pode não ter sido fácil a vitória, especialmente no primeiro tempo quando, jogando aberto demais, o Palmeiras permitiu ao Sport ataques perigosos e fez do goleiro Fernando Prass o melhor do time- ao lado de Wesley, claro.

Na segunda etapa, no entanto, com a saída de Alan Kardec- com dores na cabeça- e a entrada de Charles, o Palmeiras recompôs o meio -campo, tomou conta do jogo e só levou um gol de cabeça, depois de bola parada, de Rithely, não oferecendo o tradicional adversário, que estava com 10 em campo, por conta da expulsão do violento Tobi, nenhum grande perigo.

Quer dizer: se pela matemática o Palmeiras ainda não subiu, faltando pelas projeções mais seis pontos, na prática já voltou à Série A, sim, sem nenhum risco de frustração. Já pode encomendar as faixas.

E quando digo encomendar as faixas, não me refiro somente ao ato de comemoração; quero dizer que deve ir, preparando, desde já, o planejamento para 2014, com os reforços necessários engatilhados para que o Ano do Centenário seja disputado com equipe ainda mais qualificada, pois os adversários serão outros de ,técnica superior.

Se no dia 20 de setembro, o clube comemorou o Dia do Palmeiras, pela Arrancada Heroica de 1942, quando morreu o Palestra líder e nasceu o Palmeiras campeão, um dia depois, a festa foi muito mais humilde, é claro. Mas pode ter marcado o  recomeço de um Palmeiras grande.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

••

COLUNA DO PAULO VINÍCIUS COELHO ❘ FOLHA DE S.PAULO

• Plano de metas

A diretoria do Palmeiras teve reunião com Gilson Kleina depois do treino de quarta-feira. Deixou claro que não há nem houve contato com Vanderlei Luxemburgo. Paulo Nobre e Brunoro dizem a verdade, mas não disseram a Kleina nenhuma palavra sobre o interesse do clube em renovar seu contrato para o centenário.

Há mais pressa fora do que dentro do Palmeiras para definir o treinador de 2014. “Não adianta pensar no ano que vem sem alcançar o objetivo deste ano”, diz Kleina.

Pura verdade.

Brunoro é a voz da sobriedade. Pensa no efeito positivo de manter o trabalho no ano que vem. Mas há vozes demais próximas aos ouvidos do presidente, gente sedenta pelo anúncio de uma grife.

Pela vantagem atual na tabela, é provável a confirmação do acesso em 19 de outubro, em Bragança Paulista, ou em 26 de outubro, contra o São Caetano, no Pacaembu.

O passo seguinte será definir a permanência ou a substituição de Kleina. É justo pensar que sua chance diminui se estiverem no mercado as mesmas grifes disponíveis hoje –Mano Menezes, Abel Braga, Paulo Autuori, Vanderlei Luxemburgo… Talvez até Tite!

Há coincidências deste ano de Série B com a primeira passagem pelo inferno, dez anos atrás. O Cruzeiro campeão em 2003 está perto do título deste ano. O Corinthians campeão paulista de 2003 pôs a faixa no peito neste ano. E os três outros grandes não têm o que comemorar hoje –também não tinham dez anos atrás. Dezembro pode ser mês de festa só para os palmeirenses, entre as quatro grandes torcidas de São Paulo. Foi assim há dez anos.

Em 2004, o Palmeiras voltou do inferno pensando em estabilidade. No ano que vem, também. Ninguém vai pagar R$ 500 mil de salário por técnico no Palmeiras. Mas tem de haver certeza.

O técnico do acesso dez anos atrás era Jair Picerni, mantido até maio do ano seguinte. Para mudar no meio do caminho, como com Picerni, melhor trocar em janeiro.

O discurso continua sendo de reestruturação, o que é justo desde que haja visão estratégica. Não é preciso ser gastão como Belluzzo nem sovina como Mustafá. Para viver no meio termo, há dois pilares fundamentais ainda não cumpridos.

Um deles é o refinanciamento da dívida, que ainda não saiu do papel. O Palmeiras arrecada perto de R$ 230 milhões por ano e tem dívida na faixa dos R$ 170 milhões –com os adiantamentos chega-se a R$ 260 milhões. Não há motivo para estrangulamento.

A outra premissa é resolver a disputa com a WTorre e marcar a inauguração do novo estádio. Paulo Nobre e Walter Torre conversaram rapidamente na visita do COL à Arena. Brunoro mediou a relação com a Parmalat por cinco anos. Deveria receber a missão de ser o mediador do novo acordo.

••

COLUNA DO JORGE NICOLA ❘ DIÁRIO DE S.PAULO

• Só um tempo

Algumas centenas de palmeirenses perderam a primeira etapa do jogo com o Sport, ontem. Tudo por causa da demora da revista policial na entrada principal do Pacaembu.

• Por tabela

A sindicância que será aberta contra Arnaldo Tirone devido à reprovação de suas contas pode sobrar para Luiz Gonzaga Belluzzo. É que o presidente de 2009 e 2010 também viu seus balancetes rejeitados pelo conselho alviverde.

••

OUTRAS NOTÍCIAS :

ESPN BRASIL → Kleina diz ter tirado Valdivia para não o ‘pegarem’ após chapéu
 
BLOG PITACOS DO VERDÃO – LANCENET → Torcida do Verdão reaparece no Pacaembu
 
ESPORTE INTERATIVO → Com dois gols de Wesley Palmeiras garante a vitória diante do Sport no Pacaembu
 
ESPN BRASIL → Melhores momentos de Palmeiras 2 x 1 Sport
 
SPORTV → Ovacionado por torcedores, Valdivia festeja momento ‘feliz’
 
TERRA TV → Wesley faz golaço e Palmeiras bate o Sport
 
LANCE TV → Com dois chutaços de Wesley, Palmeiras vence o Sport
 
••

4 respostas em “Verdão na Mídia 22-09-2013: Kleina vislumbra acesso em Pacaembu cheio daqui quatro jogos ❘ Gazeta Esportiva Net”

Uma pergunta: A Gambazada não era para estar jogando sem torcida ou à 100km da capital??? Por que estão jogando no Pacaembu e com torcida????? Por que essa diferenciação de penalidade para eles e para nós sempre tem que cumprir…FUTEBOL BRASILEIRO LIXO!!!!!! VENDIDO….F%&¨** D¨ *P&*(¨&¨(

Continuidade no trabalho? Se tá ruim como eu acho que tá, o procedimento correto é exatamente o contrário, a interrupção. Não acredito que se deixam enganar por uma boa campanha na Série B mais fraca da história dos pontos corridos. Se nos outros campeonatos a projeção não era de título, também não precisavam ser participações tão pífias com resultados ridículos e eliminações relâmpagos. Não vale a pena começar o ano com um treinador que todos acham que não vai se aguentar até o final.

Mais uma vitória no estilo me engana que eu gosto Palmeiras. Esse time do meio campo pra trás é fraco demais. O único que salva é o Prass, que nos salvou de levar uns 5 ou 6 ontem, sem mais.

Estava ouvindo ontem o pós-jogo da Rádio Globo e o Oswaldo Paschoal praticamente garantiu que Gilson Kleina não permanecerá no comando técnico para o ano que vem, baseado em algumas conversas que ele teve com pessoas de dentro do clube.

Não duvido que anunciem o novo treinador logo após a confirmação do acesso.

Os comentários estão desativados.