Categorias
Drops

Drops 16-10-2013: Cruzeiro, duas situações; e o 4-3-3

Redação 3VV

Leiam esse texto do UOL falando do Gerente de Futebol do Cruzeiro Alexandre Mattos. Depois volte aqui para comentar.

→ Cartola revoluciona futebol celeste e cai nas graças de elenco e torcida

***

Leu? Pois bem, vamos ao debate: duas opiniões.

1. Alguns defensores da atual gestão palmeirense defendem que o Palmeiras, a diretoria, seu Presidente, e José Carlos Brunoro estão nesse caminho. Os que defendem isso afirmam que o clube estava em situação financeira calamitosa e esse ano (2013) era o ano de arrumar a casa. Comparável ao ano de 2011 do Cruzeiro. E afirmam que em 2013 o Cruzeiro (e Mattos) puderam trazer Dedé e J. Baptista exatamente por conta da política implementada em 2011.

2. Os que não concordam com o atual modelo de gestão, afirmam que nos falta exatamente o ponto da “ambição cruzeirense”, onde uma somente com uma “política agressiva de contratações [ … ] e com grandes equipes obteria grandes arrecadações e brigaria por títulos”.

E aí. Onde está o Palmeiras na opinião do leitor? O copo está meio cheio (ou seja, estamos no caminho do Cruzeiro) ou meio vazio (estamos parados)?

***

Mais uma pitada: outros ainda afirmam que esse modelo do Cruzeiro foi pura sorte, como a que teve outros clubes recentemente, e não é o modelo a ser seguido.

E aí?

***

Sensacional post sobre a Série B no site 4-3-3.

Copio apenas um parágrafo: o restante recomendo a leitura no link abaixo.

A Segundona (que nome sonoro) mostra o Brasil que nos esforçamos em ignorar, em fazer de conta que não existe: desorganizado, cheio de improviso, no vamos que vamos até onde der. A Série A também é o Brasil desorganizado, cheio de improviso, no vamos que vamos até onde der – mas com uma baita de uma camada de verniz [ … ]. O melhor jogo da Série A é incapaz de repetir, como experiência humana, com o melhor da Série B. Falta alma – ok, é metafísico, mas você me entende.

Por que a Série B deveria ser ensinada nas escolas

***

Essa deu no Turiassu1840. Vale a leitura.

Autores brasileiros apresentam suas obras em evento literário futebolístico

Saudações Alviverdes!

33 respostas em “Drops 16-10-2013: Cruzeiro, duas situações; e o 4-3-3”

Com relação a matéria vinculada ao dirigente Cruzeirense.
Primeiro não dá pra fazer uma análise simples Dirigente x Dirigente. Os resultados de um dirigente não levam em conta apenas o seu trabalho. O clube empregador pode influenciar e muito nos resultados. Cruzeiro é um clube mil, mas mil anos luz mais empreendedor do que o verdão. Veja Palmeiras (sem Parmalat) vs Cruzeiro de 1990 pra cá. É um clube com mentalidade progressista, jovem, moderna. Isso faz muita diferença nos resultados do dirigente em questão. O Cruzeiro só não ganhou mais títulos nesse período porque está fora do eixo Rio-SP, onde os clubes são protegidos por CBF, TV, etc… O mesmo vale para Inter-RS e Grêmio.
Ao contrário o Verdão tem uma das mentalidades mais retrógadas do futebol hoje. Talvez um pouco melhor que a dos clubes do Rio.
Não adianta Guardiola, Sir Alex Ferguson, Paulo Nobre, Brunoro, se existem outras 150 pessoas vitalícias lá dentro pensando como se fosse a década de 50.
Se pegarmos os últimos 10 anos (Della Monica 05-06, Della Monica 07-08, Belluzzo 09-10, Bananone 11-12), o Paulo Nobre é o presidente que mais tem tentando mudar a mentalidade lá dentro. Talvez não seja de uma forma que agrade a todos (sua ligação com Mustafá), mas infelizmente ou ele se alia a Belluzzo, a Mustafá, a Della Monica ou não faz nada, a política é assim.
Eu penso da seguinte forma, que venha mais uns 3 presidentes em seguida com o mesmo pensamento que o Nobre, que saíremos dessa draga.
Acredito que 8-10 anos de admnistração mais moderna amenizaria sobremaneira os seguidos fracassos que passamos. O Palmeiras precisará dar 5 passos pra trás, para dar 10 pra frente.

A administração do Paulo Nobre me passa a impressão de estar no caminho certo. Existem erros e acertos nessa caminhada, porém sigo confiante. Minha única ressalva seria a posição de manager do futebol, acho que o Brunoro está mais pra um admistrador do que para o papel que exerce. Ainda precisaríamos de um cara mais experiente nesse ramo, alguém con caracteristicas que muitos chamam de ” boleiro” .

Ainda acho que o Cruzeiro deu é muita sorte. Contratou um monte de jogadores duvidosos, refugos de outros times. Teve, sim, um grande mérito: contratou o Marcelo Oliveira, que realmente é um TÉCNICO no sentido exato da palavra, pensa moderno e consegue implantar um bom sistema de jogo. Quanto ao nosso Palmeiras, não temos técnico e nosso plantel é ruim, a coisa caminha para sermos tri da B em 2.015. Nossos dirigentes pensam muito pequeno e não se cercaram de grandes profissionais do mercado. Nosso marketing é caro e inútil, não conseguiu nem patrocínio master e nem patrocínios eventuais como Nobre chegou a citar. Estes profissionais, regiamente remunerados, não conseguem nem ler as sugestões da torcida para o AVANTI. E, presidente, um dia teremos votos para o sócio torcedor? Será?

A lista conta com Leandro, Ananias, Márcio Araújo, Vilson, Léo Gago, Marcelo Oliveira, André Luiz, Bruno, Fernandinho, Rondinelly, Roni e Wendel. Estes são os ????? jogadores????????? com contrato vencendo no final do ano. Se passar um caminhão da Comlurb, naõ fica um.

em 2009 éramos esse Cruzeiro. Mas acabou o gás e a casa caiu. Até hoje não levantou mais. Estão tentando levantar. Tomara que seja do jeito certo.

Não acabou o gás, não. Contrataram um técnico covarde que encheu o time de volantes e zagueiros e conseguiu perder para todos os rebaixados no segundo turno.

Não há dúvidas de que o Palmeiras já subiu para a primeira divisão do futebol brasileiro, seja como primeiro ou quatro colocado da série B, o que, por sinal, é absolutamente irrelevante perto do objetivo já alcançado.

Razão pela qual, de maneira única, o clube, se tiver dirigentes inteligentes – e competentes, pode iniciar já sua pré-temporada para 2014, ano do centenário.

Seriam meses para treinar, entrosar e definir a equipe de futebol.

Ninguém no Brasil terá essa moleza, principalmente em ano de Copa do Mundo.

Por isso é essencial que se defina, agora, a permanência ou não do treinador, para que se possa, também, montar o elenco que representará o clube num ano tão importante.

O Diferencial do Cruzeiro é o técnico, que já tinha feito um ótimo trabalho no Coritiba.
Analisem a queda livre do time do Parana!
Como eu gostaria de ver um tira teima entre o Cruzeiro do Marcelo e o Palmeiras do pseudo-aprendiz de estagiário de técnico Gilson Kleina.
Seria um placar histórico!

São líderes do campeonato. Fica difícil eu dizer que gastaram mal, mas gastaram/gastam demais com jogadores como Júlio Baptista, Dagoberto, Dedé, Borges, Diego Souza. A melhor contratação foi, sem dúvidas, a do treinador, que num campeonato mediano é um dos poucos que escala o time correndo pra frente e fazendo gol

Exatamente, Bruno.
Não acho que o “modelo” tenha sustentabilidade financeira.

Eu vejo como meio cheio: o problema é que estamos na fase de reestruturação, e nossa reestruturação não se deu com um time na metade da tabela da série A, mas sim na série B. Continuo acreditando na presidência, mesmo com os erros já apresentados (o que, covenhamos, não é nada perto do que já se cometeu por aqui, mas também não dá pra deixar passar batido de todo).

Eu nem ouco falar do nosso gerente de futebol. Mas vale a pena ressaltar pontos importantes na materia publicada, ele cerca familiares, empresarios e jogadores. Outro ponto positivo que a nossa diretoria finalmente vem fazendo sigilo e rapidez (claro que engatinhando) nas negociacoes. Num universo de um jogadores de futebol de um grande clube se passam inumeras realidades, na verdade um jogador sao 3 pessoas (empresario,familia e ele mesmo) portanto e preciso fechar esse ciclo de forma harmoniosa. Recomendo aos colegas tambem assistirem o filme MONEYBALL, de um time de baisebol no Estados Unidos que mudou sua administracao e alcancou grandes resultados. Obrigado pela indicacao do texto.

Penso que o Palmeiras esta no caminho certo , estamos com a casa em ordem e no ano que seremos mais agressivos nas contratações que fortalecerão nosso Alviverde para ganhar títulos em 2014 !!!!, Vamos confiar gente Palestrina abs a todos.

Tragam o Maxi Lopes, o Manoel e o lateral esquerdo do Atlético que no momento me esqueci do nome, o Marlone do Vasco.Olha o time do Goiás tem bons valores, mas o B3 e B4 comem não mão do câncer e não vem ninguém.
Olha o sonho: ABEL BRAGA.
Nosso técnico deverá ser o Jair Picerni.

são jogadores que não devem custar muito caro e que eu traria tb, como já falaram tentaria o Vargas do gremio, pois das duas uma: ou ele e o Valdivia arrebentam no paulista, ou as casas noturnas arrebetam com a presença deles. Amanhã tem olimpiadas no clube.

Olha a força que os bambis tem na mídia: Bastou ganharem do poderoso Náutico e são os melhores do mundo.
O boca “muxa” do Murici que conseguiu fazer o verdão perder um campeonato brasileiro com 11 pontos na frente, está enchendo a bola do narizudo eterno reserva do Marcos para ele continuar jogando, pois sabe da força do cara no time da moda.
E infelizmente estão trazendo o Cavaliere que vai ser outro Zetti, o Luis Ricardo da Lusa etc.
E nós?
Eu sempre defendi a volta do Brunoro, mas sinceramente estou decepcionado. Em relação ao Nobre digo o mesmo.
Pelo andar da carruagem o ano que vem cairemos de novo.
Não dá mais para aguentar KLEINA, BRUNO, WENDEL, ANDRÉ LUIZ, LÉO GAGO, JUNINHO PIU-PIU, CHARLES, MARCELO OLIVEIRA, VINÍCIUS, MÁRCIO ARAUJÓ, MAIKON LEITE, LEANDRO AMARO, PATRICK, FERNANDINHO ETC,
Isso sem falar em MUSTAPHÁ, TIRONE, FRIZO, PIRACI, AVALONE, DEL NERO ETc.
Não sei não, estão acabando com o verdão.

Dando minha opinião. Acho que, finalmente, temos um presidente pensante, palmeirense de fato e não da boca pra fora e despreocupado com sua sequência política. Buscou, no mercado, profissionais gabaritados (com algumas estranhas exceções), que começou seu mandato sem caixa e com uma dívida enorme. Divida enorme é problema, mas “sem caixa” é um problema ainda maior, pois impede o equacionamento do primeiro problema.
Sem dúvida, alguns erros foram cometidos (não somos cegos), mas estão muito longe dos cometidos pelas últimas gestões.
Por incrível que possa parecer, não me lembro de oposição tão ferrenha, sobretudo porque tem a anuência (não significa, necessariamente, apoio) do “coisa ruim”.
Eu acredito na atual gestão e acho que o palmeirense vive, e não poderia ser diferente, momentos de aborrecimentos e esperam “contratações de peso”. O que e quem são elas?
1) Treinador? Tivemos Murici, Luxemburgo e Felipão. TODOS fracassaram! Tivemos um fortuito CAMPEONATO PAULISTA e uma casual COPA DO BRASIL. O atual não teve campanha pior do que eles e as perdas de títulos são plenamente justificáveis, ou não?
2) Elenco? Passaram por nós dezenas de jogadores e, alguns deles, se consagraram em outros clubes (Dodô, Leandro (CA), Alessandro, “He Man” entre outros.
3) Campeonatos? Acho que está muito claro que os elencos anteriores, se não qualificados, foram “tremendamente” prejudicados pela nossa fraqueza nos bastidores. Seríamos rebaixados se não fossem os erros de arbitragem? Saímos da Libertadores também por erros de arbitragem e uma infelicidade do Bruno. Saímos da Copa do Brasil por passar por uma incrível fase do Atlético PR, cuja vencibilidade de 14 jogos foi quebrada por nós.
4) Tirone? Não lembro, ao longo de meu meio século de existência, de alguém tão ruim na administração do clube. E o que é incrível. Não foi tão criticado, em sua administração. Foi mais ridicularizado pela sua peruca e por suas trapalhadas. Inacreditável que não se via o “jogo político” da atualidade. LAMENTÁVEL!!!

Enfim, creio que o Palmeiras tem jeito e esse jeito passa pela “limpeza das gavetas” que, por sua vez, passa por dores e aborrecimentos. Muito sapo a ser engolido, Até mesmo O SAPO BOI.

Amigo, anuência = apoio = concordância = Paulo Nobre = Mustafá…

Mas respeito a sua defesa do Paulo Nobre e tampar os olhos com a peneira para não enxergar o sapo boi mandando no clube, como mandou no Tirone, tal qual Paulo Nobre, foi com as ordens de Mustafá que ambos foram eleito.

Mas enfim, espero e torço para que este ano seja o 2011 do Cruzeiro, e em 2015, estejamos brigando para sermos campeões da Série A , e não campeão do 3o. retorno da séria B.

Anuência está no sentido de consentimento e não é o mesmo que apoio. Paulo Nobre está muito longe de ser Mustafá . Por exemplo: A administração de Paulo Nobre não mostrou o suficiente para ter o meu apoio mas tem, da minha parte, consentimento para procurar fazer o melhor para o clube que torço. Jamais a falta de consentimento tem como resultado o apoio. Este só pode ser obtido após o nosso consentimento, Hai capito!!

Gaetano, com todo respeito, discordo de você. Vamos lá:
1. Tenho sérias dúvidas quando ao PN ser “despreocupado com sua sequência política”.
2. Não dá mais para engolir o sapo boi. Alguns diriam: “Ah, mas ele é um player importante na política do clube”. Ok, então a estratégia deveria ser a de procurar maneiras de eliminar sua influência e não de dar tanto espaço a ele, como tem feito PN.
1 + 2 = 3. Se o PN fosse mesmo descpreocupado com sua sequência política, não veria problema algum em peitar o Sapo e tentar fazer uma gestão realmente moderna.

Sobre ele ter trazido profissionais gabaritados, eu afirmo: (i) o marketing continua muito fraco e foi incapaz, por quase 10 meses, de conseguir um patrocínio master. Tem que melhorar e muito!, e (ii) Brunoro é passado. Para não dizer que ele não teve sucesso em nada do que fez depois da “Era Parmalat”, tenho que reconhecer que ele tem o mérito de ter feito o Abílio Diniz um dos empresários que mais ganharam dinheiro comprando e vendendo jogadores nos últimos anos (no Audax). Mas isso é a antítese do que é moderno no futebol (entenda-se futebol como negócio). Moderno é vender o jogo e não os jogadores (que são quem possibilita tanto um fluxo de conquistas esportivas, quanto um fluxo de recursos financeiros para funcionamento do clube). Com bons jogadores a torcida se empolga, empurra o time e gera receitas para o clube.
Saudações alviverdes,
Jorge

Como a discussão está sendo sadia e respeitosa, estou dando continuidade a ela:

1) Paulo Nobre não pleiteia a próxima eleição. Pelo contrário, sua maior preocupação é mudar o estatuto e para isso precisa de apoio maciço, inclusive de opositores, senão não será possível.
2) Bater de frente com o SAPO BOI, significa bater de frente com a velha-guarda que, pra nossa desgraça, é a grande maioria do clube. Que o contem administradores anteriores: Della Monica, Belluzzo e o intragável Tirone. O Palmeiras, hoje é um “covil” onde se dão mais força aos interesses do que ao clube. Se não puder combater os inimigos, una-se a eles, com inteligência. É nisso que acredito no Nobre e é nisso que tenho esperança nas mudanças. Caso contrário, isso não é possível. A história nos mostra que o confronto de mártires com o poder só deram resultados com o apoio das massas e estamos fazendo justamente o contrário. Acho justamente que o “jogo” atual é eliminar seus interesses, comendo pelas beiradas. Não tem outro jeito, na minha opinião.
3) Com relação a profissionais qualificados, concordo com você. Acho que foi um grande erro colocar a atual administração de marketing, até por ter em seu titular, um corintiano fanático e, nesse ponto, não gostei da posição do Nobre, porém a falta de marketing não é um problema só do Palmeiras. Os investidores querem alocar seus recursos no ano de Copa. Veja que, tirando o patrocínio da Caixa em mais de 50% nos grandes clubes (Flamengo, Vasco,Coritiba, “gambás”, entre muitos), os patrocinador cativo dos clubes do RS (Banrisul) e da Unimed no Fluminense, os outros clubes tem dificuldades semelhantes a nossa. E temos um agravante: não temos fluxo de caixa para assegurar que os compromissos sejam pagos e, com isso, não temos a CND (Certidão Negativa de Débitos). Os responsáveis pelo Marketing não remunerados são especialistas no assunto, como não eram em administrações anteriores. Ocorre o mesmo com o Depto. Jurídico, com profissionais competentes (quem não se lembra do Piraci?)
4) Com relação a Brunoro, não tenho opinião formada, porque o que nos é passado é muito pouco com relação ao seu trabalho de bastidores, mas tem um ótimo currículo como administrador de clubes, tendo, inclusive, livros publicados sobre Marketing e Administração esportiva que são modelos que estão sendo seguidos. Eu não morro de amores pelo Brunoro, mas acho que o negócio com o Barcos não foi tão ruim, como alardeado. Também não sei se, face as GRAVES problemas financeiros, teríamos um grupo melhor do que temos.
Outro fato: não temos grandes jogadores acessíveis no mercado, incontestáveis. Isso é evidenciado pelos recentes fracassos nas “grandes” contratações: Deco, Renato Augusto, Luis Fabiano, entre os tais. E os que são verdadeiras promessas estão saindo para o exterior sob altos valores e riscos.
Enfim essa é minha linha de raciocínio, mas acima de tudo, é minha torcida porque se derrubarmos Nobre, mandarmos embora meio mundo e desacreditarmos em tudo, teremos só um único vencedor MUSTAFÁ CONTURSI.

Ontem…assistindo o jogo do Vasco X Goiás, tive a sensação estranha de ver alí, nesse time do Vasco, o Palmeiras de 2013 (e pelo que se ouve e lê, será o time de 2014 tbm + o craque do centenário: CLEITON XAVIER). E pelo que percebí, o Vasco vai cair novamente. Pois, a mentalidade PEQUENA do Vasco assemelha com a Palmeirense, pois, acham que camisa, história, torcida e blá, blá, blás…vencem jogos. O time do Vasco é fraco/mediano, nível série B, igual ao time do Palmeiras atual (digo: quando o Palmeiras joga completíssimo é mediano), e com esse time, não chegaremos a lugar algum, ou melhor, chegaremos sim…na segundona novamente.

Cara, me passa essa sua fonte de informações porque eu rodo a internet e não vi em lugar nenhum que esse será exatamente o time do ano que vem, no máximo achei declarações do presidente que essa será a base pro centenário, mas também queriam o que? Que o cara dissesse no meio do ano que vai trocar todo o time assim que o campeonato acabar?

Concordo plenamente! E não acho o time do Palmeiras (COMPLETO) tão ruim assim. É lógico que precisamos de jogadores e tenho certeza que a Diretoria está pensando assim.
O nível da série A está horroroso! Eu duvido que alguém, no começo do campeonato diria que esse time do Cruzeiro iria ter uma folga dessas… agora fica fácil falar!

Está ficando na cara que pra ganhar brasileirão tem que ter elenco elenco e elenco.. e dentro desse elenco 3 a 4 personagens em que a torcida confia nas horas difíceis, os “cracks”. E a questão dinheiro é importante, mas não é a mais. Jogadores comprometidos, com vontade de mostrar futebol são mais importantes que medalhões. No caso partícula do nosso Alvi Verde acho que a atual diretoria fez uma bom papel este ano, praticamente não investiu em jogadores e conseguiu montar um bom elenco para a série b. Agora no final do ano boa parte destes jogadores tem seu contrato encerrado e não deveriam ser renovados, devem ser substituídos por jogadores que requerem um certo investimento, seja na compra do passe ou em salários atraentes. Temos a nosso favor nossa Arena e centenário, isso aliado com um bom plano financeiro atraí qualquer jogador. Em fim, o ano de 2014 começa do zero para o Nobre e sua staff. A torcida teve paciência este ano, mas ano que vem um bom time deve ser montado. E isso já deveria estar sendo planejado, começando com a escolha do nosso novo técnico.

Em menor grau isso ocorre até em outros esportes como a NBA, quando algum time propositalmente vai mal (tanking) para pegar um melhor lugar se escolha no draft ou pra ter bala na agulha pra investir em um free agent….mas no futebol brasileiro isso chegou ao extremo

O problema é a regulamentação do futebol brasileiro que não exige nenhum tipo de responsabilidade orçamentária e permite que os times de tempos em tempos usem da alavancagem para concentrar alto investimento em 1 ano apenas. A chance disso dar certo não é tão alta também, vide palmeiras em 2009, mas com certeza a probabilidade do time ganhar algo naquele ano é MUITO maior do que a de um time que consistentemente investe dentro de seus limites ao longo de vários anos. Isso acaba por tornar o futebol ciclico, por que no ano seguinte o time de alto investimento acaba por cortar os gastos e vender jogadores, ou acaba até sendo rebaixado, enquanto que outros times entram em fase de investimento. Qual é a lógica final? Nem sempre o time de melhor gestão vence…. Que vence é o time que além da concentracão de investimentos conta com sorte, ajuda da arbitragem e maus momentos dos rivais. Infelizmente, salvo algumas exeções, o futebol brasileiro se tornou aletório e mais se assemelha a um cassino do que qualuqer coisa.

Eu acho que temos que olhar a montagem do time de uma forma ampla. Iniciando pelo esquema tatico.

Se voce quer jogar um futebol intensivo, como o bayern, voce tem que ter jogadores de bom preparo fisico.

Se voce quer um futebol de posse de bola daí pode contar com jogadores mais velhos.

O que não pode é sair contratando por contratar, esse foi o problema dos bambis, eles sairam contratando bons jogadores e depois tentaram montar um sistema de jogo, mas aí eles viram que tinham jogadores que nao podiam jogar juntos, metade dos jogadores se adaptam melhor a um sistema de jogo, outra metade se adapta melhor a outro. No fim das contas eles não conseguem montar um time coeso e estão lutando pra não cair.

O segredo é esse. Aqui no Palmeiras nós tivemos uma situação dessas.

Quando o Felipão chegou ele montou um sistema muito moderno, utilizava os jogadores priorizando o sistema de jogo. Tinhamos uma boa distribuição em campo e o time todo marcava o adversário. Só que tinhamos problemas pq os jogadores eram muito ruins e por isso não conseguiam fazer gols.

Então a torcida ficou em cima para trocar os jogadores, por exemplo, todos queriam que valdivia jogasse junto com o Tonel de Carvalho. Claro que o Daniel era melhor que os que estavam jogando, mas isso sacrificava o sistema de jogo.

Estavamos bem até que jogamos com o Corinthians, eram os 2 times com melhor esquema tatico. Mas como nós perdemos o Felipao nao aguentou e acabou mudando como queria a torcida, a partir daí foi uma bola de neve e deu no que deu.

Enfim. Temos que montar um time como se monta um carro, não adianta um carro ter dois volantes ótimos mas não ter uma roda.

Perfeito. Tudo ressalta interesses e desorganização neste país do futebol.
Em agosto/2014, saborearemos a realidade.

Os comentários estão desativados.