Categorias
Verdão na Mídia

Verdão na Mídia 21-10-2013: Marketing faz Palmeiras sonhar alto ❘ Estadão Online

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Marketing faz Palmeiras sonhar alto

Por Daniel Batista

O Palmeiras está a três pontos de garantir o retorno para a elite nacional e acabar com o sofrimento que se tornou jogar a Série B. A matemática na próxima rodada é simples. Se vencer, está na Série A. Caso não consiga cumprir com a obrigação, tamanha disparidade entre as equipes, terá que torcer por uma grande e improvável combinação de resultados se apenas empatar com o São Caetano. Se perder, terá que adiar a festa.

Como o acesso parece favas contadas, a ordem é pensar no futuro. O ano de 2014 será um dos mais importantes da história do clube. Além de comemorar 100 anos de fundação, ainda terá a inauguração de sua nova casa, a Allianz Parque. No meio de tudo isso, as finanças do clube agonizam e o marketing se torna um dos setores mais importantes do clube. Mas também é um dos mais criticados desde a chegada de Paulo Nobre. A reclamação se dá pelo fato do clube passar a maior parte de 2013 sem um patrocínio master na camisa. A ausência de uma marca no setor mais nobre da camisa é lamentado e considerado um erro até mesmo por quem gerencia o marketing. Para minimizar essa falha, o setor tem dado um retorno muito melhor do que o esperado e a ausência de uma empresa no uniforme não está sendo tão sentida assim.

Em apenas seis meses de trabalho da nova diretoria, o clube arrecadou R$ 11,5 milhões de novas receitas, somando valores reajustados de contratos já em vigência e novas receitas. Para se ter ideia, a Kia, antiga patrocinadora master do clube e que ficou até o término do Campeonato Paulista, pagava R$ 18 milhões por temporada, algo em torno de R$ 1,5 milhão por mês. “Estamos trabalhando e fazendo revisão de todos os contratos. Esse é um trabalho difícil, porque o mercado está retraído, mas acredito que estamos no caminho certo”, disse Marcelo Giannubilo, diretor de marketing do Palmeiras, em entrevista exclusiva ao Estado.

O que mais deu certo e é motivo de orgulho por parte dos dirigentes é o Avanti, programa de sócio-torcedor. O time passou de R$ 100 mil mensais de arrecadação para R$ 800 mil, o que dá um aumento de receitas de R$ 4 milhões nos seis meses de trabalho do marketing. E a camisa também gerou lucros. O acordo com a Tim, que anuncia dentro dos números da camisas, passou de R$ 1,4 milhão para R$ 2 milhões. Além disso, logo depois de anunciar o novo nome da arena – Allianz Parque – o clube selou um patrocínio pontual com a Allianz por dois jogos e conseguiu obter R$ 350 mil para exibir a marca em dois jogos.

20131021_Estadao_1

Até mesmo alguns eventos que eram prejuízo na certa, como as festas para comemorar o aniversário do clube, se tornaram algo lucrativo. “Pela primeira vez conseguimos arrecadar com uma festa de aniversário. Conseguimos mais de R$ 400 mil”, conta, orgulhoso Giannubilo. Acordos pequenos que não são divulgados ou representam pouca coisa para torcedores também ajudam a inflacionar os números e diminuir o prejuízo, como acordo com posto de gasolina que vende ingressos dos jogos da equipe ou com empresas de bebidas para a reforça da Academia de Futebol. O presidente Paulo Nobre aponta o marketing como um setor fundamental para conseguir arrecadar fundos que permitam a montagem de um elenco competitivo para o tão esperado ano de centenário.

CAMISA LIMPA

Mas apesar de todo o trabalho, a falta de patrocínio na camisa incomoda torcedores e afeta o caixa do clube. Giannubilo admite a falha, mas acredita que a Copa do Mundo e a Série B afastam empresas que poderiam investir no time. “Este é um ano extremamente difícil, porque tem a Copa do Mundo e alguns patrocinadores optam pelo investimento na televisão, por causa da visibilidade muito maior. Tudo isso dá uma freada no mercado. Outra questão é que o time está na Série B e poucos jogos são televisionados na TV aberta”, disse o diretor, que em seguida admitiu. “Está mais difícil do que eu imaginava.”

Um problema que fez o time ficar para trás na busca por anunciantes foi a demora para abrir negociações. Desde a gestão de Arnaldo Tirone, já era sabido que a Kia não ficaria, mas o clube só foi atrás de parceiros em fevereiro, quando Paulo Nobre assumiu o clube. A maioria das empresas já tinham fechado o caixa, então restou a alternativa de fazer alguns patrocínios pontuais, mas em nome da grandeza da instituição, a ideia foi abortada. “Temos que ter receitas de time grandes”, resumiu Giannubilo. A confiança em dias melhores é grande. A expectativa é anunciar o tão esperado patrocinador até o fim do mês que vem.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Ademir da Guia sugere permanência de Kleina em 2014 e pede reforços

Maior jogador da história do Palmeiras, com 901 jogos e inúmeros títulos, Ademir da Guia tenta não ter uma posição exata sobre a permanência ou não de Gilson Kleina no próximo ano, mas sugere por uma permanência do treinador.

– O técnico ideal para treinar qualquer time é o que tem vitórias. Acho isso importantíssimo. Ele está indo bem, está conseguindo colocar o time na primeira colocação. E é claro que, se ele não tiver time que ajude, fica difícil. Mas vamos esperar para ver. O futebol não é muito previsível – disse o Divino, presente no triunfo palmeirense em Bragança Paulista (SP).

Se no assunto comissão técnica o ex-camisa 10 não opina com convicção, sobre reforços para o centenário ele faz um apelo a Paulo Nobre e à diretoria palmeirense.

– Nós vamos precisar de reforços. É importantíssimo o clube investir em grandes jogadores, porque nós sabemos que o campeonato da primeira divisão é muito mais difícil e complicado. São realmente clássicos tanto em casa quanto fora. Temos de trazer outros jogadores para nos ajudarem em todas as posições. O ataque é importante, o meio de campo, a defesa. Precisamos de tudo – finalizou Ademir, que promete ir ao Pacaembu no sábado.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Valdivia tem somente sete jogos completos no Palmeiras em 2013

A última vez que Valdivia foi desfalque por um bom motivo foi em 11 de agosto de 2011 quando defendeu o Chile em amistoso contra França no dia anterior e não jogou pelo Palmeiras contra o Vasco pela Sul-Americana.

Principal jogador do Palmeiras, o meia Valdivia voltou a desfalcar a equipe na partida contra o Bragantino, no último sábado. Sentindo dores recorrentes de uma pancada que levou no jogo contra o Equador nas Eliminatórias da Copa, ele foi vetado pelo departamento médico alviverde. Seja por lesão ou por convocação para a seleção chilena, o fato é que o camisa 10 só completou 90 minutos em campo em sete oportunidades. Ao todo esteve em campo em menos de 40% dos compromissos do time.

Até o momento, o Palmeiras realizou 61 jogos no ano. Valdivia participou apenas de 23 deles, ficando de fora nos 38 restantes. Destes 23, só jogou os noventa minutos em sete. Nos outros 16, ou foi substituído ou entrou no decorrer da partida. Portanto, Valdivia participou de somente 37% dos compromissos do calendário alviverde até agora.

Se é mais ausente do que deveria, por outro lado sempre que está em campo o time tem um desempenho melhor. Dos 23 jogos em que atuou, foram 14 vitórias, seis empates e apenas três derrotas, um aproveitamento de 69%.

Uma foi para a Penapolense, no Campeonato Paulista, por 3 a 2 e ele entrou no decorrer da partida. A outra foi para o Libertad, por 1 a 0, na Libertadores. Ele também entrou no intervalo. A última foi para o Tigre, também pela Libertadores, em março.

A maior ausência do jogador foi de 20 partidas. Ele ficou afastado desde a reta final do Campeonato Paulista até a sétima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro por conta de uma grave lesão na coxa. A maior sequência em campo este ano foi de seis partidas consecutivas, já durante a competição nacional.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Kardec festeja fim da maratona e admite saudades do Pacaembu

Por Marcelo Hazan

São José do Rio Preto (interior de São Paulo), Natal (Rio Grande do Norte), Londrina (Paraná), Juazeiro do Norte (interior do Ceará) e Bragança Paulista (novamente interior paulista). O Palmeiras passou por essas cinco cidades para jogar as últimas seis rodadas do Campeonato Brasileiro da Série B. Venceu Oeste (2 a 0), Figueirense (4 a 0), Guaratinguetá (1 a 0) e Bragantino (2 a 0), e perdeu para ABC (3 a 2) e Icasa (1 a 0). Depois de 19 dias e 13.008 km percorridos, o Verdão, enfim, voltará a jogar em São Paulo, no Pacaembu, perto de sua torcida.

Depois de toda essa maratona e tanto tempo fora da capital paulista, Alan Kardec comemora a semana cheia para descanso. O centroavante, artilheiro do Verdão na Série B, com 13 gols, admite saudades de jogar no Pacaembu. E o confronto com o São Caetano, no sábado, às 16h20m, na tradicional casa do time na competição, poderá marcar o acesso de volta à elite do futebol nacional, dependendo de uma combinação de resultados.

– É bom jogar em casa (risos), com o apoio da torcida. Todos estão felizes e com saudades de jogar no Pacaembu. Essa será uma semana gostosa de trabalho. Faremos o melhor pela vitória em casa. A maratona de seis jogos que tivemos passou. Agora é hora de descansar e recuperar as energias – afirma.

Único jogador de linha a participar de toda a maratona alviverde – Fernando Prass também atuou em todas as seis rodadas -, Alan Kardec diz que ele e os jogadores vão passar a semana imaginando o Pacaembu lotado.

– A torcida do Palmeiras é apaixonada e enche estádios dentro e fora de São Paulo. Todos vão sonhar em jogar com um estádio completamente lotado, sem espaço, e com a torcida apoiando tempo todo. Contamos com a torcida – diz.

Além dos atletas, o próprio técnico Gilson Klena reconhece alívio em poder voltar a atuar no Pacaembu. Como mandante, o time soma 12 vitórias, dois empates e uma derrota na Série B – a equipe também mandou jogos em outros estádios, como o do Café, em Londrina, por exemplo.

De uniforme novo, o Verdão tentará carimbar o retorno à elite. O time programou a festa para mostrar a camisa verde e amarela, comemorativa ao centenário e feita para homenagear a Seleção, justamente no possível jogo do acesso.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Entusiasmo é primeiro adversário palmeirense em semana decisiva

O Palmeiras pode confirmar no sábado seu retorno à primeira divisão nacional se tiver combinação favorável de resultados e vencer o São Caetano. Mas, até o jogo no Pacaembu, o primeiro adversário ao longo desta importante semana será a sensação de que a festa já está pronta.

É contra isso que o capitão Henrique promete lutar dentro do elenco. “Acho que (a semana) tem que ser a mesma em tudo. Tem que manter essa seriedade que a gente vem tendo para que, no jogo de sábado, a gente possa já decretar nosso acesso”, receita o zagueiro.

Para evitar que isso ocorra, os jogadores têm exemplo ainda fresco na memória. Na semana passada, embora atuasse com uma série de desfalques, o líder da Série B do Campeonato Brasileiro era apontado como favorito diante do Icasa, porém foi derrotado por 1 a 0, em Juazeiro do Norte.

“Todos estão cautelosos quanto a isso. É uma competição com dificuldade imensa, temos que dar continuidade com o pé no chão. Não conseguimos um bom resultado lá em Juazeiro, e eu acho que isso serviu para a gente se alinhar ainda mais, manter a cabeça no lugar e saber que não ganhamos nada”, diz o volante Wesley.

Já no compromisso seguinte, o espírito foi diferente. O Palmeiras se desdobrou para vencer o Bragantino com um jogador a menos. Um esforço valorizado pelo técnico Gilson Kleina, que espera o mesmo no sábado, no Pacaembu.

“Não vínhamos de um bom jogo, e nós conversamos. Não sou treinador só para contar história, vou para levar fatos também. Futebol se faz de erro. Se não incorporar o espírito de Série B, não adianta. Todo jogo é pegado, de contato”, falou o treinador, ao lembrar que, “querendo ou não, o Palmeiras é o time a ser batido” na competição.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

BLOG DO ALEX MÜLLER

• Só falta uma!

No post do dia 3 de outubro (seis rodadas atrás), analisando a situação do Palmeiras na tabela e os jogos seguintes da equipe, dei um palpite sobre em que rodada o Verdão garantiria o acesso matematicamente para a Série A do ano que vem.

A grande maioria dizia que seriam em até três jogos, mas as contas não fechavam. Confira parte do texto ao qual me refiro:

“… agora, a equipe fará seis partidas seguidas fora da cidade de São Paulo.
Além do jogo em que o Palmeiras bateu o Oeste por 2 a 0 em São José do Rio Preto, o Verdão vai encarar o ABC neste sábado em Natal, depois mandará dois jogos seguidos em Londrina, contra Figueirense e Guaratinguetá e, na sequência, enfrenta o Icasa, no Ceará e o Bragantino, em Bragança Paulista.

Somente depois dessas seis rodadas é que o Palmeiras voltará a atuar no Paulo Machado de Carvalho. No caso, dia 26 de outubro, contra o São Caetano.

Até lá, se a equipe mantiver sua média de pontos, acabará mesmo garantindo matematicamente a sua volta à primeira divisão do Campeonato Brasileiro fora da capital paulista. Resta saber em que rodada.

Mas há quem diga que ainda dá tempo de o Palmeiras comemorar a sua volta dentro do Pacaembu, inclusive no próprio jogo frente ao Azulão no dia 26 deste mês.

Um dos fatores que pode ajudar a fazer com que isso aconteça é o fato de Valdívia, o jogador mais talentoso do elenco, estar fora das próximas quatro rodadas. Neste sábado, ele cumprirá suspensão pelo terceiro cartão amarelo e nas outras três partidas subsequentes, o camisa 10 do Verdão estará na seleção chilena.

Isso faz com que o time perca muito na qualidade ofensiva no momento de se criar jogadas e, por consequência, pode dificultar a missão palmeirense nessas partidas em que o “Mago” não estará.

Mas e você, em que rodada acha que o Palmeiras garantirá a sua volta para a Série A do ano que vem?

Deixo aqui o meu palpite: contra o São Caetano, justamente no retorno da equipe ao estádio do Pacaembu….”

De fato, a ausência de Valdívia nesses jogos contribuiu para o Palmeiras não vencer todos eles. Acabou sendo derrotado absurdamente por ABC e Icasa, o que corrobora a minha tese de que o time perderia pontos que normalmente não poderia perder.

Agora a matemática nos fornece a conta na justa medida para reforçar que uma vitória sobre o Azulão, neste sábado, no Pacaembu, devolverá a condição de time de primeira divisão ao Palmeiras.

Hoje, a diferença para o Paraná, que é o quinto colocado, é de 19 pontos. Mesmo que a equipe paranaense vença seu jogo contra o Atlético/GO nesta terça-feira, o que aliás deverá acontecer, o Avaí aparecerá na quinta posição com 18 pontos a menos que o Palmeiras.

Se o Verdão vencer o São Caetano no sábado, obviamente essa distância não tem como cair e aí faltarão seis rodadas para o término da competição ou 18 pontos a serem disputados, com o Palmeiras tendo, pelo menos, sete vitórias a mais do que os clubes que brigam pela quarta vaga, o que na matemática já garante 100% o Verdão de volta à divisão de elite do futebol brasileiro.

Obviamente não deverá ser uma sensação de euforia ou êxtase, mas certamente de alívio e resgate da autoestima de um clube tão mal tratado por pessoas que estiveram à frente dele nos últimos tempos.

Acompanhei todo o calvário verde em 2013 narrando quase todos os jogos da equipe pela BandNews FM e Bradesco Esportes FM e novamente estarei ao lado do Palmeiras neste sábado no Pacaembu, que tem que estar lotado, para o mundo ver que com gigante não se brinca.

Não se pode aceitar menos de 33 mil pessoas no estádio, empurrando o time dentro de campo com sua festa insuperável na emoção e dando o alerta para os dirigentes fora de campo que esse gigante não pode ser mais ferido.

2014 está chegando e claro que um novo elenco, possivelmente com um novo treinador, será esperado pela mesma torcida que viu suas roupas coloridas se tornarem sempre verdes pelo sangue verde que saiu do coração de cada palmeirense enquanto esteve na segunda divisão em 2013.

Está acabando o tormento, torcedor!!! As rodadas foram se sucedendo e agora, SÓ FALTA UMA!!!!

E para celebrar a volta à Série A, nesta semana lançarei aqui no blog um concurso cultural que dará a nova camisa amarela do Palmeiras. Fique ligado na promoção em parceria com a Academia Store, a loja oficial do Verdão.

Enquanto isso, curta a minha narração dos dois gols que deram a vitória ao Palmeiras de 2 a 0 sobre o Bragantino neste final de semana. Clique no link abaixo:

http://radio-esportivo.blogspot.com.br/2013/10/bragantino-0-x-2-palmeiras-brasileirao.html#.UmNjNHC-rTA

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ALEX MÜLLER

••

BLOG DO FABIO SALGUEIRO

• Por que não apostar em Kleina no centenário?

Gilson Kleina não está nos planos do Palmeiras para 2014. Isso é fato. Apesar do discurso diplomático de ambas as partes, o treinador já foi avisado que não seguirá no comando do clube no ano do centenário.

O treinador, que pode garantir o retorno do Alviverde à primeira divisão no próximo sábado, será trocado provavelmente por um treinador de ponta, de “grife”. Esse é o desejo da cúpula palmeirense.

Em julho, o Blog revelou com exclusividade que Brunoro, homem forte do departamento de futebol do Palmeiras, já fazia lobby pela vinda de Vanderlei Luxemburgo. A atitude de Brunoro não agradou Paulo Nobre, o que causou, inclusive, um estremecimento entre ambos.

Fica claro que a troca de kleina é um desejo antigo, sobretudo de Brunoro. É claro que qualquer posição, seja de permanência ou saída do treinador, terá o aval de Paulo Nobre, já que o regime é presidencialista no clube.

O que deve ficar claro é que o Palmeiras tem todo o direito de mudar o treinador. Kleina tem sido importante na Série B e por mais que a campanha seja boa e ela é, Nobre e seus pares têm o direito de rifar o treinador na busca por outro nome.

No entanto, pergunto: Por que não apostar em Gilson Kleina no centenário?

Essa pergunta já foi discutida e argumentada por muitos dentro do Palestra Itália. E chegou-se à conclusão de que a melhor saída seria a troca do treinador. Discordo da decisão, mas respeito o desejo da cúpula alviverde.

Apenas lembro que a decisão do Palmeiras de buscar nos últimos anos técnicos de ponta não tem dado certo. Em 2009, Luiz Gonzaga Belluzzo trocou o comando de forma repentina no nacional, tirando o interino Jorginho e colocando o supercampeão Muricy Ramalho.

O time, que era líder do Brasileirão, caiu de produção, perdeu o título e ficou de fora até mesmo da Libertadores da América do ano seguinte.

O nome cogitado nos bastidores é o de Vanderlei Luxemburgo, amigo pessoal de Brunoro e treinador com história no clube pelos títulos conquistados na época da Parmalat, no início dos anos 90.

Luxemburgo é competente e tem grife, assim como Brunoro exige. Gilson Kleina não tem o estatus de Luxa, pelo contrário. Falta a ele marketing pessoal, o que sobra a Vanderlei, além dos títulos, é claro.

A decisão de trocar o treinador é do presidente. E cada um tem a sua opinião. Eu não trocaria o atual técnico por Luxemburgo e por nenhum outro treinador. Kleina seria o meu comandante no ano do centenário.

Não tomaria tal decisão em cima de gratidão. O futebol não permite isso. O Palmeiras voltar à divisão de elite era obrigação e Kleina e seus comandados cumpriram com o objetivo.

A permanência de Kleina em 2014 seria uma atitude de respeito ao trabalho realizado na Série B e uma aposta na continuidade. O planejamento sairia vencedor. A troca de Kleina será, de novo, uma atitude equivocada do clube, assim como a contratação de Felipão.

O Palmeiras deve apostar em Kleina e fugir das estrelas, que tem custado caro e rendido pouco à beirada do campo. O passado recente prova o que estou afirmando…

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO FABIO SALGUEIRO

••

BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

• Especulações do Mercado da Bola

Um conselheiro do Palmeiras, jovem ainda, me disse que Eguren deve ter a chance como titular no ano que vem, daí a dúvida da renovação ou não do contrato de Márcio Araújo. Confesso que, até agora, não vi nada demais no futebol de Eguren, já veterano e que tem muito mais aplicação na marcação do que talento para sair jogando.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

••

COLUNA DO JORGE NICOLA ❘ DIÁRIO DE S.PAULO

• Pré-candidato

Uma reunião na semana passada deixou as coisas bem encaminhadas para que Wlademir Pescarmona seja lançado como candidato à presidência do Palmeiras pela oposição

••

OUTRAS NOTÍCIAS :

ESPN BRASIL → Comemorar ou não comemorar? Eis a questão no Palmeiras…
 
GLOBO ESPORTE COM → Ademir da Guia pede reforços para todas posições do Verdão em 2014
 
GLOBO ESPORTE COM → ‘Líder’ em cartões, Leandro oscila e é comparado a Neymar por Kardec
 
ESPN BRASIL → ‘Já subiu’ é primeiro adversário palmeirense em semana decisiva pelo acesso
 
LANCENET → Mais indisciplinado do Verdão na Série B, Leandro é comparado a Neymar
 
••

24 respostas em “Verdão na Mídia 21-10-2013: Marketing faz Palmeiras sonhar alto ❘ Estadão Online”

A única mudança de técnico que eu aceitaria, seria a vinda de Dorival Junior . Tivemos vários anos seguidos técnicos de nomes, com dois titulos e muita confusão… O pensamento que tenho é: Ao invés investir em técnico e comissão… investe em jogadores. É só ver o salários desses técnicos de ponta, absurdo. Muitos falam em tirar o Kleina, mas não vi ninguém dar solução para o lugar do Kleina…

O Décio Perin (não o conheço) desistiu? Ele me parece ser melhor candidato. No fundo não importa ser da oposição ou situação, o que importa é que o presidente goste do Palmeiras, coisa que não vmeos desde Paschoal Giuliano.

Eita povo que não tem memória. Já tivemos os melhores técnicos do Brasil nos últimos 5 anos e ganhamos um Paulista uma Amarga Copa do Brasil. Já está mais do que provado que o que faz uma equipe disputar um título é :0-paz no clube, 1-salário em dia, 2-time competitivo e sustentável (=elenco) 3-técnico que tenha um time na mão, 4-um pouco de sorte. Vai me dizer que Cruzeiro, Grêmio, Botafogo e Atlético Paranaense tem técnicos de ponta ? E aonde estão Tite , Muricy e Luxemburgo na tabela ? E o que dizer do jovem técnico do Santos ? Se o técnico for competente e tiver um elenco competitivo, com equilíbrio tanto em campo quanto nos vestiários, que tenha a mescla entre a força dos jovens com a experiencia dos mais velhos. É no campo de treinamento e nos vestiários que um técnico mostra seu valor. No campo ele está de mãos atadas. E o me dizer dos clubes que toda hora trocam de técnicos ? Estão bem ? O SCCP em 5 anos foi da série B a campeão mundial. O Cuca, com aquela cara de perdedor, de tanta insistência ganhou a Liberta. O Fluminense trocou cachorro grande e deu no que ? piorou. Finalizando : na minha opinião SE a diretoria montar um ELENCO para disputar o TÍTULO DA SÉRIE A, eu renovaria com o Kleina. Se for para pegar os meninos da base que estão emprestados, devolver o que não é nosso, e receber de volta aquilo que nos pertence (T.Real, Luan, M.Leite…) e contratar apenas um medalhão, eu também renovaria com o Kleina, mas com a condição de conquistar uma vaga na Sulamericana. Recordando …0-paz no clube, 1-salário em dia, 2-time competitivo e sustentável (=elenco) 3-técnico que tenha um time na mão, 4-um pouco de sorte.

A maior “contratação”, às avessas, seria a dispensa do Kleina, Márcio Araújo, Juninho. Já estaria 50% mais feliz. Me incomoda muitíssimo ver nosso manto vestindo estes dois jogadores e com o adicional negativo mais de 245 jogos o sr. Márcio Araújo. Se ele fosse assim tão fundamental estaríamos com umas 5 propostas de outros clubes para sua contratação .

Pescarmona, Dio mio…
Na próxima eleição os sócios já votam, ainda bem.

Pescarmona se candidatado a presidência do Palmeiras???? É melhor deixar o Paulo Nobre se candidatar a reeleição!!! Pelo menos está investindo no marketing e no programa do Sócio Torcedor AVANTI. É por isso que eu sou totalmente contra do Sócio Torcedor APENAS ter direito a voto e SIM de o Sócio Torcedor SER VOTADO (SER CONSELHEIRO) para poder oxigenar a essa política do atraso que só atrapalha e apequena o Palmeiras. Já não estou botando muita fé nessa reforma estatutária sempre vai ter algo que não favorece ao torcedor e sim os mesmos de sempre.

Poxa.. tava lendo a mat~eria animado.. e termina com o diretor falando que pra 2014 será complciado arrumar patrocínio de camisa, devido à Copa.. Olha, é de dar nojo desse tipo de declaração. TODOS os times grandes tem contratos, pq o Palmeiras não?: A desculpa de 2013 foi: acabou o período das empresas investirem em marketing.. agora já vem com essa?

Olha pode até ser que o Eguren não seja o Cesar Sampaio, mas até ai voltam os moleques que foram emprestados, pra que pagar 250 mil pro Marcio Araujo?

Concordo, Victor.

Quanto ao Pescarmona, os colegas acima já disseram tudo. A oposição não tem ninguém melhor para lançar?

Para 2014, ou contratamos um técnico e uns 4 titulares, ou será mais um ano de figuração.

Kleina para tecnico do centenario…esse Fabio Salgueiro é gambá né, ta pensando q só pq estamos na Seri B somos pequeno. Kleina nunca mais, até o Picerni foi bem na Serie B. Sobre Eguren, ainda não vi nada pq ele nem jogou mas no lugar do Marcio Araujo pode colocar meu cachorro q vai melhor.

Só pode ser, pra pedir a permanência do Kleina, palmeirense é que não é.

Depois de sábado já estou vendo a imprensa abutre colocando intriga, mentira e boatos para o planejamento do verdão para 2014. Por isso seria bom colocar as coisas de forma mais clara para todos, tanto para o Kleina, quanto aos torcedores.
Acredito que o Avanti deva servir de termômetro para a diretoria, se colocarem, para isso precisa mostrar ação trazendo mais patrocínios, trazendo jogadores de qualidade (que tal Juninho, Araujo e Luís Felipe de reservas, não seria um bom elenco?), planos para o Centenário, resolução do imbroglio com a W Torre, enfim só assim para atingirmos o maravilhoso número de 100.000 sócios.

Com base no que?? Em promessas? E Austeridade? Ele está bem pra ocupar cargo público, não um time de 100 anos de glórias! Vamos comemorar o fechamento das contas!! Deixem os títulos para os outros!!!

É, o projeto de poder da turma do Mumu:
1. Campeão da segundona este ano, aliás, a turma do Mumu é bicampeã!
2. Manter o PN na próxima eleição para em pouco tempo estarmos rumo ao TRI!
RSRSRSRS

Aposto um pacote de trakinas que você não tem mais que 25 anos. Abraço!

Os comentários estão desativados.