Categorias
Verdão na Mídia

Verdão na Mídia 24-10-2013: Impasse deve deixar entrega do estádio do Palmeiras apenas para 2015 ❘ Estadão Online

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Impasse deve deixar entrega do estádio do Palmeiras apenas para 2015

Por Ciro Campos

O maior presente do Palmeiras para a torcida no ano do centenário do clube, em 2014, poderá chegar atrasado. As obras da Allianz Parque estão em um impasse entre diretoria e construtora sobre a definição do uso das cadeiras e, caso o imbróglio não se resolva logo, uma corte arbitral terá de ser convocada para decidir o assunto, processo que pode levar cerca de um ano. O Estado teve acesso a uma cópia do contrato assinado entre o Palmeiras e a construtora WTorre no dia 15 de julho de 2010. Nele, a divergência está no entendimento dos direitos de exploração das cadeiras do novo estádio. Para o clube, a empreiteira tem direito apenas a 10 mil cadeiras especiais presentes no projeto. Do outro lado, a interpretação é que todos 0s mais de 40 mil assentos podem ser negociados, conforme um repasse de porcentagens ao clube a ser feito anualmente.

Em casos de divergência, está previsto que um acordo será mediado pela Câmara de Comércio Brasil-Canadá. O processo de arbitragem, porém, pode ser lento. Embora ambas as partes estejam interessadas em uma saída amigável para o conflito, a relação está desgastada e o tempo para resolução é curto. A previsão de entrega do estádio é para abril do ano que vem e no mês de maio já está marcado o primeiro evento no local, um show da banda One Direction. O centenário do Palmeiras é em agosto e o grande sonho do clube e da torcida é de jogar as partidas da próxima temporada já no novo estádio.

No mesmo contrato está escrito que durante o período de vigência da parceria entre as partes, ao longo de 30 anos, o direito de exploração comercial cabe à construtora. “A exploração da Arena, bem como todos e quaisquer direitos correlatos à Arena (…) serão de exclusividade da Superficiária (WTorre)”, diz o texto. Apenas estão fora disso as 3.082 cadeiras cativas que já existiam no antigo Parque Antarctica.

A nova polêmica entre as duas partes foi reacendida na última terça-feira. O dono da construtora, Walter Torre, afirmou que “a arena é inteira nossa” e admitiu diminuir o ritmo da construção até que o desentendimento termine. O presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, rebateu no mesmo dia.

“A Allianz Parque é a casa do palmeirense e que nenhum terceiro venha se julgar dono da casa palmeirense”, comentou. O próprio dirigente admitiu que se o caso precisar de arbitragem ficará difícil evitar um atraso. “Pode atrasar um pouco mais a obra, mas é muito melhor conter a ansiedade nesse momento, porque estamos decidindo o futuro do Palmeiras em 30 anos. É melhor ter um atraso e iniciar como se deve, do que sofrer 30 anos por algo que não começou de forma adequada”, explicou.

CONTRATEMPOS

A obra começou em 2010 e já foi paralisada duas vezes pelo Ministério Público. A primeira foi em 2011, por suspeitas de que a concretização da área construída era maior do que a permitida. O problema foi resolvido com a readequação do projeto. No ano seguinte, a alegação foi a suspeita de notas frias para a liberação de alvarás. As obras foram retomadas após ter sido comprovada a veracidade dos documentos. Também em 2012 o operário Carlos de Jesus, de 38 anos, morreu após ter sido atingido pelo desabamento de vigas. A obra ficou parada por dez dias.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• WTorre acionará arbitragem contra o Verdão e não garante entrega do estádio no prazo

Por Caio Carrieri

A WTorre decidiu acionar a Câmara de Comércio Brasil-Canadá para definir o impasse com o Palmeiras por conta do número de cadeiras de cada um no Allizan Parque, o preço dos ingressos e outras questões sem acordo entre as partes.

Segundo o LANCE!Net apurou a decisão da empresa aconteceu nesta quarta-feira e o documento necessário para acionar a arbitragem já está pronto. Agora, a construtora aguarda definir apenas os últimos trâmites jurídicos para validar a ação e iniciar o processo na Câmara.

Por conta do impasse, a WTorre não garante mais que entregará o estádio pronto no dia 30 de abril do próximo ano, data estabelecida no contrato da parceria. Inclusive, cogita desacelerar a velocidade das obras por contra do imbróglio, mesmo com shows da banda One Direction marcados para os dias 10 e 11 de maio.

No contrato assinado no início da parceira ficou definido que, em caso de indefinição entre as duas partes, o caso seria levado à Câmara de Comércio Brasil-Canadá. O Palmeiras tentou não chegar a esse ponto, mas não houve acordo.

A briga entre o clube e a empresa ficou ainda mais explícita no início da semana, quando Walter Torre, presidente da construra, deu entrevista ao L!Net chamando o clube de mentiroso, admitindo que poderia diminuir o ritmo das obras, que o estádio era da WTorre, entre outras declarações.

Essa postura irritou Paulo Nobre, que convocou uma coletiva para responder o empresário. Ele classificou as críticas como “infelizes e lamntáveis” e disse que “ninguém passaria o Palmeiras para trás”. Após a troca de farpas, a chance de um acordo entre as duas partes sem chegar à arbitragem já era visto como quase impossível.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• WTorre revela proposta para ampliar arrecadação do Palmeiras com Arena

WTorre e Palmeiras estão em crise por divergências no contrato de parceria pela Arena, e Walter Torre, dono da empresa responsável pela obra e administração do Allianz Parque pelos próximos 30 anos, voltou a se pronunciar. Por meio de uma rede social, ele diz ter entregado ao presidente Paulo Nobre uma proposta para ampliar a arrecadação do clube com o estádio na semana passada. Os dois trocaram farpas públicas nesta semana, por conta de discordâncias das partes sobre a divisão do número de cadeiras do estádio e pela definição de quem vai estipular o preço dos ingressos.

– Por um Palmeiras forte, entregamos a Paulo Nobre na semana passada proposta para ampliar ainda mais a arrecadação do clube com a arena. A arena já sofreu outros ataques, e mostramos sempre que esse é o melhor contrato de clubes firmados para construção de uma arena. A casa do Palmeiras será de longe a melhor arena multiuso do país e vai gerar recursos para a montagem de um time muito forte. Além da quantia bilionária que o Palmeiras receberá pela operação da arena, ele deixa de gastar com custos de manutenção e operação. O Palmeiras vinha gastando R$ 10 milhões nesta manutenção, agora a WTorre é que se encarregará, sobrando mais dinheiro ainda para os jogadores – disse Walter Torre, por meio do twitter.

Apesar do discurso de Walter Torre, Nobre defende que o Verdão não pode abrir mão de estipular o preço dos ingressos, além de ser o responsável por comercializar 35 mil das 45 mil cadeiras previstas da capacidade total da Arena. O dirigente calcula um prejuízo entre R$ 300 e R$ 700 milhões ao clube, caso o Palmeiras não comande essas operações nesses moldes.

Disposto a resolver o impasse em última instância na câmara de arbitragem da Fundação Getúlio Vargas (FGV), indicada no contrato para solucionar situações como esta, Nobre diz estar tranquilo e seguro da interpretação jurídica do contrato. A WTorre, por sua vez, entende que tem direito a comercializar 100% dos assentos. Esta é apenas uma dentre várias divergências entre as partes no documento, visto como mal redigido pelo Verdão.

Caso não haja solução amigável, o Palmeiras indicará um árbitro, a WTorre outro, e os dois, juntos, nomearão um terceiro árbitro para ouvir os argumentos de ambas as partes e decidir quem está certo. Entre o início do procedimento na câmara de arbitragem e a sentença, o prazo previsto na lei é de seis meses e pode chegar até um ano. Ou seja, o prazo de entrega da obra, inicialmente previsto para o primeiro trimestre de 2014, certamente seria atrasado.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Falta bom senso a Palmeiras e WTorre

Por Luiz Antônio Prósperi

O risco de o Palmeiras celebrar seu centenário sem casa própria para fazer a festa é real. É bem provável que o clube tenha de alugar um salão, assim como fez para acomodar sua história traduzida nas valiosas taças apinhadas em um pequeno edifício em Pinheiros, desde 2010, quando o velho Palestra Itália veio abaixo vítima das retroescavadeiras da WTorre.

Sem casa, o Palmeiras vai passar vergonha ao apagar as cem velinhas diante de sua gente e dos convidados. Há ainda a chance de a festa acontecer no Allianz Parque, nome de rebatismo do Parque Antarctica. Desde que, é claro, se chegue a um entendimento entre o clube e a empreiteira. Acordo este quase impossível de ser fechado tamanha turra dos palmeirenses em uma questão tão fácil de se resolver. Basta uma conversa desprovida de paixões e ajustes no contrato assinado pelas partes em 15 de julho de 2010. Se o impasse é o número de cadeiras que cabe a cada um ou o direito de comercialização dos assentos, que se faça um novo acordo. E pronto. Nada de bravatas.

O que parece não é esse o caminho a ser seguido. Do lado do Palmeiras há quase uma tradição de se jogar fora boas parcerias. Da redentora Parmalat, dos títulos e façanhas na década de 1990, aos negócios com a Traffic em 2009.

Agora a rusga é com a WTorre. Sem entrar no juízo de valor de quem está certo ou errado, a empreiteira construiu um novo clube dentro da área do velho Palestra, deu ao Palmeiras um novo estádio, sem nenhum custo nas obras e ônus na manutenção do equipamento, e, em troca, exigiu o direito de explorá-lo por 30 anos.

O Palmeiras entrou com o terreno e sua rica história. Ganhou um presente inimaginável para os difíceis dias de hoje e agora corre o risco de não poder desembrulhar o pacote na festa do centenário. É muito orgulho e falta de bom senso.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

• Marcos: Comemorei para caramba o acesso do Palmeiras à Série A em 2003

Marcos – Especial para a Folha

Comemorei para caramba e adoro colocar aquele título no meu currículo.

Se a Série B é mais fácil? Tecnicamente, é bem mais fácil, mas fisicamente não. Você viaja, joga em campo ruim, tem de correr muito para vencer os jogos.

E os jogadores de hoje não têm nada a ver com o time que caiu [em 2012]. Eles têm de comemorar bastante porque correram, suaram, viajaram.

E têm de colocar no currículo. Para o Palmeiras, é só uma Série B; para eles, é uma prova de sucesso.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Palmeiras evita ‘oba-oba’ com acesso, mas atletas prometem festa

Por Marcelo Hazan e David Abramvezt

Subir à Série A, com seis rodadas de antecedência e sem sofrimento, é pretexto para festa ou apenas uma obrigação para um clube da grandeza do Palmeiras? No Verdão, caso o acesso seja conquistado no sábado, quando basta um empate com o São Caetano, no Pacaembu, não há motivos para uma celebração escancarada e com pompa. A ordem dos dirigentes é evitar o “oba-oba”.

Apesar de o sentimento nos bastidores do clube ser esse, os jogadores, que são quem entram em campo, não vão deixar de festejar – fato que a direção promete tolerar, sem contestar. Segundo os principais jogadores do elenco, ter ralado a Série B inteira merece que o retorno à elite do futebol brasileiro seja comemorado – e muito – no gramado do Pacaembu.

Ao contrário de outros clubes, o Palmeiras não preparou nenhuma ação pensando na conquista do acesso, como, por exemplo, aquelas camisas comemorativas que são usadas após a obtenção de um título ou meta. O time até vai estrear o novo terceiro uniforme, uma camisa amarela em homenagem à seleção brasileira. Mas, de acordo com dirigentes, tal iniciativa se dá para aproveitar o fato de que, no sábado, o Verdão vai voltar ao Pacaembu após seis rodadas (quatro como visitante e duas em Londrina, por conta de uma punição imposta pelo STJD).

A começar pelo presidente Paulo Nobre, a ideia principal no clube é que recolocar o Alviverde na Série A é uma obrigação da atual comissão técnica e dos jogadores. Tanto que a conquista do acesso, mesmo que antecipada, não é um elemento determinante para a decisão sobre a permanência ou não do técnico Gilson Kleina em 2014. O contrato dele vence no fim do ano, e, até agora, o treinador não foi procurado para discutir a situação. Questionada sobre o assunto, a alta cúpula palmeirense sai pela tangente.

Do outro lado da pirâmide, os jogadores não escondem a alegria que será a obtenção da vaga na Série A. Muitos já se expressaram publicamente sobre a importância de se comemorar o acesso após uma longa e cansativa disputa do Brasileiro da Série B. Até o capitão Henrique engrossou o coro dos que prometem muita festa já no sábado, caso o time empate ou ganhe do Azulão. E, de certo modo, ele quer que a torcida celebre junto.

– Eu vou comemorar. Só nós sabemos das dificuldades que enfrentamos, longe de familiares, amigos. Nós vamos comemorar sim. E quem é palmeirense e está junto com a gente também – afirmou o zagueiro.

Por enquanto, mesmo que seja por iniciativa dos atletas, não há nenhum evento marcado para comemoração do acesso. Entretanto, é possível que os boleiros combinem algum encontro para “quebrar tudo”, como prometeu o volante Wesley durante a semana.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Henrique faz campanha para Kleina permanecer no Palmeiras em 2014

Por Helder Junior

O zagueiro Henrique não quer perder em 2014 o comandante que liderou o Palmeiras em uma boa campanha na Série B do Campeonato Brasileiro em 2013. Ciente de que a diretoria poderá dispensar Gilson Kleina no final da temporada, quando vencerá o vínculo do profissional, o capitão passou a discursar em prol da permanência do treinador.

“Ele foi homem para assumir o time em uma situação crítica. Passamos dificuldades juntos. O nosso grupo se formou também por méritos dele, que soube lidar com as situações adversas. É um técnico que tem o respeito de todos os jogadores. A gente gosta dele. É claro que a diretoria deve pensar nisso aí”, avisou Henrique.

Quando é questionado sobre o assunto, Kleina adota respostas evasivas. O técnico não disfarça o seu desejo de prorrogar o contrato que tem com o Palmeiras, apesar de se conformar em seguir outro caminho se não for procurado pela diretoria.

Até mesmo os defensores de Gilson Kleina adotam um tom pessimista ao falar sobre o futuro do comandante. “A gente fica triste porque ele é uma pessoa que trabalhou pelo Palmeiras, que quis o bem do clube”, disse Henrique, como se a saída do treinador já fosse algo definido.

De qualquer forma, o capitão não desistiu da possibilidade de ter Kleina ao seu lado na próxima temporada. “Como já conhece o grupo, pois ficou mais de um ano aqui, ele nos ajudaria muito. O ambiente é bom, e o Kleina conta com o respeito de todos. Além disso, alguns jogadores chegarão para somar. Tomara que todos aqui se resolvam e sejam felizes”, sorriu Henrique, atualmente contente com a chance de o Palmeiras ascender à Série A contra o São Caetano, no sábado, no Pacaembu.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

BLOG DO ERICH BETING

• O que a Allianz deve pensar da briga entre Palmeiras e WTorre?

A disputa entre Palmeiras e WTorre começa a ganhar ares de tragicomédia italiana. Aquela mesma que ajudou bastante o Palmeiras a cair para a Série B pela segunda vez e que, parece, não consegue nunca deixar de dar uma passadinha pelo clube. O contrato que pode estar mal redigido, as pressões ocultas dos dois lados, os interesses que quase nunca são aqueles que estampam as manchetes jornalísticas.

Vários são os fatores ocultos nessa queda de braço. Pode ser que o Palmeiras tenha percebido, com as novas arenas já em funcionamento, que ganharia mais se tivesse direito a 100% de parte dos ingressos. Pode ser também que a WTorre tenha mudado de opinião pelo mesmo motivo, e decidiu reler o contrato e mudar a história.

O fim dessa discussão só na Justiça ou, então, publicando-se o contrato assinado entre as partes, numa não-necessária transparência de Palmeiras e WTorre nessa história.

O que mais me intriga, porém, é saber o que se passa na cabeça dos executivos da Allianz.

Uma empresa de seguros, com sede na Alemanha, que assinou contrato de 20 anos com a WTorre para dar nome ao Allianz Parque. Para quem trabalha com análise de risco, de todas as variáveis que foram analisadas, sem dúvida não haveria uma que preveria uma rota de colisão entre Palmeiras e WTorre nos meses finais de negociação do estádio.

É bem possível que a Allianz já tenha, nos bastidores, pressionado a construtora, que é quem vendeu o patrocínio, para que seja tomada uma decisão.

O que mais me impressiona é que, nessa briga entre Palmeiras e WTorre, ambos esquecem que já existe um cliente da arena antes mesmo de ela estar em pé. E que ele desembolsará R$ 15 milhões por ano no espaço por, pelo menos, 20 anos. Não seria prudente conversar com o patrocinador para não correr o risco de também perder esse negócio?

O futebol brasileiro já é um ambiente absolutamente imprevisível para as empresas investirem, tanto que é cada vez mais raro achar patrocinadores que invistam altas quantias. Os novos estádios, que precisam necessariamente ter lucro, pareciam para o mercado um investimento mais seguro, tanto que três arenas já conseguiram acordos de naming right.

O estrago que essa briga entre Palmeiras e WTorre pode gerar é muito maior do que se imagina para o futuro do futebol no Brasil.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ERICH BETING ❘ UOL

••

BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

• Negócios à parte

Por Alessandro Abate

No mundo dos negócios, ninguém é bonzinho! Pior para os mais pobres, que se endividam muitas vezes ao parcelar as compras, ficando na mão dos poderosos investidores. Todos sabem que a situação do Palmeiras não é das piores entre os times brasileiros, mas para construir uma arena e modernizar o clube, totalizando um investimento de R$ 630 milhões, foi preciso entregar tudo nas mãos da construtora WTorre.

E quem tem a grana geralmente dá as cartas. Por mais que o devedor seja precavido, as letras miúdas dos contratos vão sempre abrir brechas para os maquiavélicos, bem mais acostumados com o jogo do lucro. Claro que no caso do Allianz Parque, o antigo Palestra Itália, a construtora tem todo o direito de ganhar dinheiro, porque correu o risco do negócio que o clube nunca teria condições de bancar.

Porém, o ataque de Walter Torre, presidente da empresa, ao mandatário do Verdão, Paulo Nobre, a este LANCE!Net, confirmando a diminuição no ritmo das obras por causa do imbróglio da venda de cadeiras, me parece uma manobra para pressionar os palmeirenses.

Tivemos acesso ao contrato, e mesmo um leigo pode apontar trechos que está mal redigido. O torcedor não quer saber, afinal, os advogados responsáveis ganharam bem para que essas distorções não ocorressem. Mas quem vai ser prejudicado caso as obras parem ou se todas as cadeiras ficarem na mão da WTorre? O coitado do torcedor comum.

Não acredito que vai ser péssimo para o clube deixar a comercialização das cadeiras com a empresa, a grana vai entrar da mesma forma. O que não concordo é com a mudança de regras agora. Acuar o Palmeiras para ganhar um dinheiro que não estava previsto – se estivesse essa questão não seria levantada só agora – me parece injusto. Mas quem se endivida sabe que nem sempre é justo.

São negócios, apenas negócios!

Leia aqui a matéria completa → BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

••

COLUNA DO JORGE NICOLA ❘ DIÁRIO DE S.PAULO

• Multa a favor

O Palmeiras garante ter um trunfo na queda de braço com a WTorre. Caberá à construtora pagar multa de R$ 10 mil por dia em caso de atraso na entrega do Allianz Parque.

• …do Palmeiras

De acordo com a diretoria alviverde, a multa diária está inclusa no contrato. E a WTorre tem até o final do mês de abril para finalizar as obras e fazer a inauguração do estádio.

••

COLUNA PAINEL FC ❘ FOLHA DE S.PAULO

Por Eduardo Ohata

• Revés

Conselheiros palmeirenses viram na última reunião do conselho deliberativo fazer água seu pedido de convocação de Affonso Della Monica e Luiz Gonzaga Belluzzo, para falar sobre o contrato com a WTorre.

• Persistentes

Porém um grupo de conselheiros ligados à gestão de Arnaldo Tirone, presidente anterior a Paulo Nobre, responsabilizam Della Monica e Belluzzo pela situação atual e pretendem voltar à carga.

• Dividida


”Quem sabe o Rogério Dezembro poderá explicar o contrato [entre Palmeiras e WTorre], pois ele já esteve dos dois lados” – Ricardo Pisani – Conselheiro do Palmeiras, sobre o diretor da WTorre e ex de marketing do clube

••

COLUNA DE PRIMA ❘ LANCE!

Por Marcelo Damato

• Pechincha

O preço mínimo dos ingressos do Allianz Parque poderá ser de R$ 12,50 durante os 30 anos de parceria. O valor previsto em contrato. O acordo não prevê nem mesmo correção monetária, o que pode levar a uma perda do valor real superior a 85% nesse período.

••

OUTRAS NOTÍCIAS :

EXAME ONLINE → Palmeiras x WTorre: estádio não fica pronto para centenário?
 
LANCENET → Walter Torre cutuca ‘grupo’, defende contrato e pede Palmeiras forte
 
GLOBO ESPORTE COM → Ex-promessa do Palmeiras disputará Paulistão de 2014 pelo Rio Claro
 
GLOBO ESPORTE COM → Longe de ser unanimidade, Kleina se prepara para ‘último ato’ pelo Verdão
 
LANCENET → Marcos quer a permanência de Gilson Kleina no Palmeiras
 
ESPN BRASIL → Marcos defende Kleina e cita Muricy e Luxemburgo para dizer que Palmeiras não precisa de ‘medalhão’
 
ESTADÃO ONLINE → Palmeiras x São Caetano já tem 9 mil entradas vendidas
 
GAZETA ESPORTIVA NET → Capitão rejeita férias antecipadas para os titulares do Palmeiras
 
GLOBO ESPORTE COM → Henrique descarta férias antecipadas após acesso do Palmeiras
 
ESPN BRASIL → Henrique faz campanha para Kleina permanecer no Palmeiras em 2014
 
LANCENET → ‘Sofrendo’, Marcos quer acesso para encerrar prejuízo no bolso da Série B
 
FOLHA ONLINE → Torcida, jogadores e dirigentes do Palmeiras divergem sobre festejar o acesso à Série A
 
LANCENET → Com o joelho operado, Mendieta avisa: ‘Quero ir com o time no sábado’
 
IG ESPORTE → Clubes cariocas são campeões em dívidas no futebol brasileiro nos últimos 6 anos
 
UOL ESPORTE → Teste seus conhecimentos sobre o Palmeiras na Série B do Brasileiro

••

49 respostas em “Verdão na Mídia 24-10-2013: Impasse deve deixar entrega do estádio do Palmeiras apenas para 2015 ❘ Estadão Online”

Desculpe, mas o Paulo Nobre tem razão sim de buscar um entendimento com a WTORRE de forma amigável e, se não for possível que vão a arbitragem, afinal de contas, 30 anos não é 30 dias. E o contrato como foi feito deixa dúvidas. Sobre a questão da boa adiministração ou não do Paulo Nobre, na minha opinião, só farei quando estiver na Primeira divisão onde a pressão é mil vezes mais forte e ferina… vamos ver como vai se sair tendo uma faca no pescoço… principalmente sem um time para brigar para ser campeão ainda mais no centenário.

Essa empresa de Marketing do verdão está trabalhando muito bem e utilizando grandes ferramentas para lançar produtos ou mesmo relançar.
O Marketing de Guerrilha está muito ligado aqui, estão utilizando de forma genial o famoso Marketing Viral. O marketing viral é uma forma de disseminação da mensagem visando um aumento exponencial de conhecimento da marca, muito utilizado nas redes sociais na internet. Telmo (2012). recorre ao sentido estrito da palavra para explicar a relação que o termo obtém com “vírus”, “causado por vírus”, “da natureza de um vírus”. A relação estaria, dessa forma, ligada ao movimento de expansão e multiplicação da mensagem/vírus num espaço e tempo. A base de planejamento para se aplicar essa estratégia deve conferir um sentimento, um desejo de compartilhar uma mensagem com outras pessoas, para que se efetive essa idéia de disseminação e compartilhamento de conteúdos naturalmente.

Na nossa nova camisa foi utilizado o já também conhecido Marketing Invisivel: O marketing invisível é geralmente utilizado no lançamento de produtos, no sentido de se prever e conhecer a reação do target, segundo Ucella (2009). Santos e Athayde (2008) dizem que essa estratégia permite que uma ideia seja repassada entre as pessoas, sem que elas estejam cientes da exposição da mensagem e da persuasão a qual estão submetidas.

O Prósperi diz não julgar quem está certo ou errado, mas é o Palmeiras que está errado? Jornalismo isento é isso.

Huahuahua isso é muito “marketing sujo”! Tá muito na cara, igual foi em 2011, quando começaram, só para por o nome da construtotra do estádio na mídia, tudo armado. Brasileiro não gosta de polêmica? Então, esse é o melhor marketing possível.
Não vai atrasar e eu acho até que vai sair antes do previsto. Pode ser que entrem nessa comissão de arbitragem, sem dizer que atrase, mas para levar mais a fundo esse chamado “marketing sujo” de intrigas, confusão, polêmica.

É o que se parece, esse é o Brasileiro, marketing certeiro para o consumidor.

Mas como tem jornalista burro e mal intencionado hein… Nego não sabe do que ta falando mas se for pra denegrir o Palmeiras ta valendo.

E esse papo que só a WTorre entrou com dinheiro é mentira. O Palmeiras entrou com itens importantíssimos no acordo: sua marca de valor inestimavel e um terreno de aproximadamente 200 mil metros quadrados num dos bairros mais caros da América Latina. Ou seja, creio eu que de valores investidos estamos pau a pau…

200 mil metros quadrados a 12 mil o metro quadrado, que é o preço do m2 na Pompéia hoje.. dá 2bi e 400 milhões. Mas temos que considerar a área do estádio, que é onde de fato eles tirarão os lucros.. Se o campo tem 100×50.. adicionamos para cada lado 150 metros.. 250×50= 37.500 metros. Some ai mais uns 10 mil metros de estacionamento (considerando todos os andares). São 47.500 metros quadrados. Vendendo por 12.. daria 570 milhões de reais. Ou seja, grosseiramente, esse é o valor de investimento do Palmeiras. Fora a Marca.

Rapaz… A Ronda desse post tá forte… Tem gente concordando com todos que querem briga, sendo que o momento exige serenidade, competência e bom senso… Dos dois lados.

Um litígio, na altura do campeonato, trará prejuízos incalculáveis para todos. Portanto Sr. Paulo Nobre e Sr. W. Torre, parem de melindres, sentem a bunda na cadeira e resolvam essa pendência. Mas por favor, só os dois… Chega de diretorzinhos mimados e deslumbrados com o cargo, que não sabem de cazzo nenhum.

Quero a porra do nosso estádio de volta, pronto no prazo estabelecido. Se virem!!!

A gente tá só discutindo, ninguém quer briga com ninguém nem o Palmeiras x WTorre. O que a gente defende é o ponto de vista de cada torcedor ou não-torcedor pois também é possível a existência deles por aqui. A gente se espernear berrar ”quotar”ou sugerir elogiar não vai adiantar nada no fim das contas… Também quero a ”porra” do estádio e sem mais atrasos!

Esse sacana quer nos desafiar, Palmeiras em primeiro lugar o resto é resto, já basta em 42 que tentaram nos tirar o bem mais precioso depois da nossa torcida, e essa torcida vai defender como sempre fez os interesses do que mais nos afeta, o Verdão, já não basta a imposição dos dias modernos de mudar o nome de nossa casa tão amada e chamada de Palestra Itália ou velho Parque Antártica, o Palmeiras é nosso e ninguém desmembra nada, nossa soberania será imposta a qualquer custo e qualquer ultraje será rebatido de forma veemente, essa é minha posição, a união faz a força, vamos nos unir nobres alviverdes! Somos uma nação, pátria amada Palmeiras, e espero de coração que wt se retrate de sua irresponsabilidade, não se pode querer tirar lucro de tudo,

Se soubessemos negociar essa briga não iria parar na imprensa Bambi e Gambá, só de discutir o assunto via midía ,mostra nosso despraro em saber negociar, e o caso Barcos, Souza e Luis Felipe mostra nossa fraqueza em negociaçōes.Até agora só vejo Fanfarrão em nossa admnistração ,gostam de falar e brigar, mas time elenco forte e que empolgue ou pelo menos de confiança a torcida até agora não vi, porque vão apreender a negociar bem com a Wtorre agora??? E em tribunais só perdemos,até para CBF e juizes nunca nos favorecem.

Má fé. Isso que o Walter Torre está fazendo é má fé. Além da distorção de lugares pra cadeiras, ele declarou inúmeras vezes que os jogos do Palmeiras seriam totalmente administrado pelo Palmeiras.

Bom este negócio de querer ser mais esperto que o outro ta me deixando doido, ainda mais que como eu não estava presente a negociação e quem esteve e frequenta este forum não quer dizer nada fica difícil dar razão a alguém , mas por tudo que já aconteceu neste ano e nesta administração eu só posso dizer que eu não acredito no Paulo Nobre e eu acho como no caso do Barcos ele e sua trupe estão mentindo , porque estes mesmos conselheiros não se manifestaram na assinatura do acordo com a WTORRE ? ele estava correndo o rali? Porque só agora com o sapo boi dominando o COF e o tal do Nobre pedindo a benção em tudo o que faz eles resolveram entrar em litigio contra o parceiro WTORRE….não houve tempo para analisar os documentos ? eu só via o sapo boi e seus cupinchas falar que o contrato não era bom , mas não vi nenhum deles apontar algo irregular , sinceramente eu custo crer que exista alguma interpretação errada para mim é mais um passa moleque que estão dando em nossa torcida pois quem realmente é dono do time é nossa torcida e não estes velhas raposas felpudas.

essa foi boa passar vergonha no centenário se não tiver a Arena, que se dane!!!!
Resolva as pendências e depois jogamos……
quanta asneira que leio!!!

Conseguiram o que queriam: endemonizar a WTorre para obter dividendos políticos. O problema é que não têm a menor ideia do custo disso para a instituição. Agora serão 30 anos de guerra. A parceria acabou. O Allianz Parque já era. O que era para ser um ano de festa será um marco negro de vergonha na história clube. Daqui a pouco vão passar a falar das vantagens de jogar no Mané Garrincha, no Castelão, etc.

Serão, no mínimo, 40.000 LUGARES que abrangem os CAMAROTES e 10.000 CADEIRAS especiais. A W TORRE comercializará os CAMAROTES e as CADEIRAS (Entendeu CADEIRAS)” . Portanto, Sr. Jorge, apesar de achar que a melhor solução é o ACORDO, a construtora não tem o direito de comercializar os LUGARES que não são constituídos por CAMAROTES e CADEIRAS.

Acho que faltou malandragem ao PN.
Se ele sabe que o contrato é favorável ao Palmeiras e não corre riscos então deveria ter sido malandro e ter ficado quieto AGORA, porém guardando a resposta para 2014.
Deveria agir dizendo ao WTorre “entrega essa porra aí no prazo que as 700 mil cadeiras serão suas” Depois de entregue, isto é, a ‘casa pronta’, aí sim partiria pra briga.
Pensem:
O estádio está pronto, as cadeiras estão no lugar e já tem show de abertura agendado para 2014 (show medíocre, é verdade, mas está agendado. Se fosse Rolling Stones…rs).
Desta forma a WToree não iria de forma alguma quebrar o que construiu ou colocar a placa de ‘proibido entrar’.
Eu faria de tudo, na surdina e sem alarde, para o WTorre terminar a obra.
Depois de terminada, inaugurada, e lotando em todo jogo e/ou evento aí sim ficaria muito mais fácil dialogar com o ignorante do outro lado.

Eu vejo que a turra e a ganância está mais do lado do WTorre que se acha dona de todo o Palestra. O Paulo Nobre falou certo, o estádio é do palmeirense e o grêmio tem enfrentado inúmeros problemas pq a empreiteira que coordena e estipula dos valores para venda dos ingressos.
A solução eu também acho q é simples: Acrescentar as cadeiras móveis atrás dos gols, aumentando a capacidade (+ou- 10.000), dividir o total (+ou-27.500 p cada um) e permitir q nos jogos do Palmeiras, o Palmeiras estipule o preço e as promoções dos ingressos

O pior de tudo isso é que por conta das péssimas administrações que já tivemos, há quem defenda a WTorre.

As péssimas administrações continuam. A atual gestão é a maior prova disso.

O fato de termos um histórico de péssimas administrações não condizem com o tema discutido. Nessa o Sr. Walter esta tentando jogar a imprensa e a torcida contra a diretoria, mascarando a incompetência de sua empresa em cumprir prazos usando como desculpa a briga pelas cadeiras. Pelo pouco acesso que tivemos ao contrato fica bem claro a diferença citada no termo assinado entre “lugares” e “cadeiras”. Se é isso que ele quer, vamos para a arbitragem, essa causa é nossa! Alguém precisa avisar aquele ganancioso que o objeto por trás de todo investimento que a empresa dele fez atende pelo nome de SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS e quem sem esse objeto os mais de 600 milhões investidos ficam seriamente ameaçados. O PALMEIRENSE precisa parar de criticar e começar a jogar junto, do contrário, nada sai do lugar realmente. Ou alguém dúvida que o sucesso desse empreendimento não esta ligado aos 18 milhões de consumidores que frequentarão o local ? Acorda Waltinho, você acaba de ganhar alguns milhões de inimigos!

Sempre disse que não há dentro do Palmeiras gente qualificada para administrar nada. Ok, ok, talvez tenha alguém, mas esses poucos certamente não vão ter estômago para lidar com a corja peçonhenta que habita o clube, e além disso precisam trabalhar para ganhar o próprio sustento, não têm tempo para gastar com politicagem rasteira de clube. Não conheço o Perin, mal ouvi falar dele. Vi um vídeo no youtube e me passou a nítida impressão de que não mudaria grande coisa se ganhasse. Mas do Mustafá, pilar de sustentação da gestão atual eu ouvi falar muito! Está feliz da vida com o bicampeonato. E pelo visto já deve estar planejando o Tri…

Coloco ainda que o texto de Luiz Antônio Prósperi é um absurdo!
Fala como se o Palmeiras estivesse ganhando de presente um estádio e que portanto deveria parar de “brigar com os outros”. O Palmeiras já teve muito problema de relacionamento com parceiros, mas neste caso, o Sr. wt está tentando passar a perna o Palmeiras e o presidente Paulo Nobre está cobertoo de razão por brigar pelo que É NOSSO.
O que o estádio tem de especial é justamente o posicionamento estratégico. O Palmeiras nao está entrando com nada??????? Quanto custa o terreno mais bem posicionado para uma arena da América Latina???? P Palmeiras tem que ser MUITO BEM recompensado por isso!

Completo dizendo que acho que o comportamento do presidente Paulo Nobre vem sendo perfeito nesse caso. Mostrou uma postura firme, já que temos razao e ganharemos em uma disputa arbitral, mas se manteve calmo e respondeu a altura.

Matérias absolutamente tendenciosas que colocam a falsa ideia de que o contrato está a favor da wT.
Quem leu a matéria do Lance, ve claramente que o CONTRATO É FAVORÁVEL AO PALMEIRAS.

O contrato coloca que que a arena terá 45 mil LUGARES, destes, 10.000 CADEIRAS ESPECIAS e camarotes e que a wT será responsável pela comercialização das CADEIRAS e camarotes.
Apesar da omissão da palavra ESPECIAIS, é claro que a palavra “CADEIRAS” se refere a cadeiras especiais, já que para o resto do estádio não é usado o termo cadeiras.

Paulo Nobre X Walter Torre? Paulo Nobre que tem sido firme mas respeitoso e uma caixa de agua ao contrario do tal Torrinha. Uma pena que uma parceria (negócio) longa e milionária tenha tantos furos juridicos na sua estruturacao. Acredito mais em má fé e ganancia da construtora cujo presidente perdeu o senso bom e ficou com o ruim. Muito arrogante (a Arena é minha) e realmente, até onde entendo, nas condicoes que ele quer, vai ser mesmo. Eles querem para si todas as cadeiras (na verdade todos os lugares) e vai colocar o preco no futebol para pagar um ano depois (sem correcao?- outra brecha juridica). O ponto de vista do Marcelo Damato é pertinente sim. A construtora ta chantageando ao falar em atraso da obra, corte arbitral, etc. Se mandaram bem com a construcao (que parece de bom padrao), AEG e com a Allianz (ativos significativos para a WTorre e tomara que ela fature bastante no que lhe é de direito), pronunciamentos e adulacoes anteriores com a massa verde hoje parecem jogo de cena e mentiras desmascarando o lobo. Tbem acho que foi mal o Prosperi. Concordo com o Cleiton Leal Brito. E, nessa, parabéns Paulo Nobre.

Não é só bom senso que falta. Ao Palmeiras falta competência e inteligência, desde 1978, quando o coisa ruim assumiu um cargo chave e já tratou de jogar o primeiro título descarga abaixo naquele mesmo ano. De lá para cá só conseguiu alguma coisa digna em termos de títulos no período em que não pôde decidir nada sobre futebol, por força do acordo com a Parmalat.
O Palmeiras não tem condições de administrar nada, não tem gente competente para isso. Se as cadeiras da controvérsia ficarem na mão da gente que lá está, será uma farra do boi. Vão criar inúmeras mamatas para conselheiros e cupinchas políticos para continuar se perpetuando no poder.
B3 e B4 vão conseguir o inimaginável: fazer uma gestão mais trágica que a de B1 e B2.

Concordo com vc, esses carcamanos são idiotas. Péssimo exemplo essas brigas com os parceiros. Essa gente do Mustafá tá contra porque ficaram sem poder nas falcatruas. O Palestra estava caindo os pedaços, podre devido a péssima administração. Sinceramente sou muito cético em relação ao futuro do Palmeiros. Enquanto essa doença ( Mustafá ) não for erradicada não tem solução. Pode ter certeza, se esse problema for resolvido, esses canalhas vão arrumar outro.

Boa tarde amigos. Me desculpem alguns mas, após o Walter Torre dar entrevista dizendo que a Arena é dele e que nossa diretoria é formada por mentirosos, qual é o bom senso que vocês esperam do presidente ? Até hoje reclamam que, como dizem alguns, “tomamos um passa moleque do Gremio” e agora que o presidente enfrenta e responde as bobagens ditas por esse cidadão, defendendo os interesses do Palmeiras, vocês acham que ele está errado ? Qual solução vocês propõem ? Lembrando que dizer pra “resolverem tudo em uma sala fechada, sem envolvimento da imprensa” é uma coisa que não depende somente do Palmeiras, quem mandou recados pela imprensa, foi o Walter Torre, dessa forma entendo que a resposta deva ser da mesma forma, afinal de contas, quando não respondem assim, alguns também dizem que falta transparência. Abraços.

a Wtorre nao vai parar as obras porque tem que pagar multa perdera shows etc e a Allianz nao iria depositar a grana ate estiver pronta… ou seja o Palmeiras pode jogar no Pacaembu com um baixissimo aluguel sem problemas quem se ferra mesmo e a WTorre e a AEG

A Wtorre tem razão. Somente o despreparo e a incompetência explica a assinatura de um contrato dessa forma. Com relação a multas, atrasos, tudo que se especula é bobagem; quem vai decidir isso é a corte arbitral. Não vai sair acordo. Há um grupo no Palmeiras que não quer a Arena, nunca quis e infelizmente é quem tem poder de manobra no clube hoje

E outa: a AEG não perde nada; não investiu nada. Basta acenar a mão e aparece um monte de alternativa para os shows que eventualmente tenha marcado.

Bom senso, senhores… essa é a palavra chave. Mas que infelizmente, hoje no Palmeiras não anda sendo muito utilizada… Triste!

Perfeito o texto do Luiz Antonio Prósperi! Falta mesmo bom senso e amor ao clube!

Também não vi nada errado no texto do Prósperi, Regina. Não fosse o orgulho e o “abnegado desejo” de sempre lutar pela “soberania” do Palmeiras (que nobre discurso, hein?), nossos dirigentes não teriam destruído uma estrutura que hoje tornaria o clube um Bayern de Munique tupiniquim. Maaaaas… Aí sim eu digo: “tsc tsc”, afinal tem gente que não aguenta ler ou ouvir umas verdades que se coça todo…

O contrato não precisa ter correção monetária pois o valor do ingresso é o da média do ano anterior, assim se em 2013 o valor médio foi 12,50 em 2014 esse será o repassa da Wtorre ao Palmeiras, mas… ela vai “vender” o ingresso por quanto ela bem entender, digamos aqui 20,00, em 2015 o valor do repasse passa a ser 20,00.

Pra mim a WTorre estava jogando verde pra ver se o PN abaixava as calças, e ele foi BEM nessa em peitar a malandragem de tentar roubar a renda de 35.000 lugares por 30 anos, vale lembrar isso só se refere aos 30-40 jogos que o Palmeiras jogar como time mandante.

Fiquei contente agora por não ter aceito trabalhar lá, eu não queria estar no meio dessa fedentina toda.

Isso é tudo marketing para por o nome da construtora, assim como da SEP e todos envolvidos na mídia. Brasileiro gosta é de polêmica, intrigas, esse é o chamado “marketing sujo ou de guerrilla”.
Isso não está denegrindo imagem de ninguém, pelo contrário, vejo que essa semana e até o fim do ano, nosso time é o que vai estar nos holofotes da mídia. Tem gente que diz que não precisava disso tudo, mas pensem bem, antes mídias como a globo tentavam da melhor forma não falar WTorres, assim como Allianz Parque, o que é rídiculo. Mas assim ela tem notícias que dão ibope e ainda coloca o nome das empresas na matéria, por não ter como não por.

Os comentários estão desativados.