Categorias
Verdão na Mídia

Verdão na Mídia 30-11-2013: Palmeiras se despede do ano e da Série B com garotos das categorias de base ❘ Folha Online

NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

• Palmeiras se despede do ano e da Série B com garotos das categorias de base

Por Diego Iwata Lima

O Palmeiras que entra em campo neste sábado, no último compromisso oficial do time na temporada, contra a Chapecoense, vai mesclar jogadores que vivem momentos bem diferentes.

Titulares absolutos, como Juninho e Alan Kardec, desgastados, vão para o último esforço de 2013 na companhia de atletas que recebem as primeiras chances como profissionais da carreira, tais como o goleiro Fábio, o lateral Bruno Oliveira, o zagueiro Thiago Martins e o volante Renatinho.

Fábio, que já havia sido titular na derrota por 1 a 0 para o Paysandu, ganha nova chance devido a lesão no tornozelo do reserva imediato Bruno e aos dois dentes do siso que Fernando Prass teve extraídos anteontem.

No total, Gilson Kleina levou sete jogadores formados nas categorias de base para Santa Catarina. O goleiro Vinícius, 17, e os meias Bruno Dybal, 19, e Edilson, 20, completam a lista.

Bruno Oliveira, 20, que esteve em campo na partida que deu o título da Série B ao clube alviverde –3 a 0 sobre o Boa, há duas semanas–, deve ser reserva de Wendel. Mas, do quarteto, é quem tem mais chance de ser titular em 2014.

“É, o Luis Felipe,que jogou nesse ano, deve mesmo sair, o que acaba sendo bom para mim”, diz o jogador, que treinava com os profissionais na gestão Felipão, em 2011 e 2012, mas voltou ao time Sub-20 no começo deste ano.

“Foi estranho voltar [ao time sub-20], mas entendi, trabalhei e hoje retornei”, disse Bruno, destaque na Copa São Paulo de 2013.

Thiago Martins também está na equipe sub-20, mas não foi formado no Palmeiras. Com 18 anos, o zagueiro de 1,85 m veio do Mogi Mirim em junho. Pelo porte físico e qualidade técnica, acredita-se no Palmeiras que Thiago terá sucesso. Em janeiro, o defensor vai disputar a Copa São Paulo. Será sua terceira –a primeira pelo clube alviverde.

Dos três, Renatinho, 21, é quem teve menos espaço em 2013. Volante, ele teve a concorrência de sete jogadores pela posição. Tendo o poder de marcação como sua principal característica, Renatinho está no Palmeiras desde junho, após passar um ano atuando pelo Moreirense, de Portugal.

Natural de Caieras, da Grande São Paulo, Renatinho é chamado pelos colegas de “Assunça”. O apelido faz referência a Marcos Assunção, 36, atualmente no Santos, conterrâneo do jovem jogador e responsável por abrir para ele as portas do Palmeiras B, há dois anos.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Cheio de reservas, Verdão dá adeus à Série B em festa da Chapecoense

Por William Correia

Um campeonato que muitos torcedores preferem esquecer se encerra neste sábado para o Palmeiras. Com um time quase inteiro de reservas, o campeão antecipado da Série B do Brasileiro participa da festa armada pela Chapecoense, que conseguiu pela primeira vez uma vaga na elite nacional, no jogo da última rodada do torneio, às 16h20 (de Brasília), na Arena Condá.

Dono do título desde a antepenúltima rodada e com o acesso garantido há mais de um mês, o Verdão já pensa na temporada de seu centenário, no ano que vem. Será o primeiro jogo desde a renovação de Gilson Kleina, que assinou até 31 de dezembro de 2014, e atletas que mal foram usados terão a chance de provar que merecem ficar no clube.

Com limitações físicas, Fernando Prass, Vilson, Wesley, Valdivia, Leandro e Vinicius já estão de férias, assim como os reservas Mendieta, Marcelo Oliveira, Bruno e André Luiz. A situação é a mesma com Henrique e Márcio Araújo, que serão poupados, e Luis Felipe, que negocia a sua saída do clube.

Os únicos nomes frequentes na escalação que começarão o jogo deste fim de semana são Wendel, Juninho, Eguren, Serginho e Alan Kardec. O resto do time terá o goleiro Fábio, o zagueiro Tiago Alves e o volante Renatinho, nomes raramente vistos até no banco, o defensor Thiago Martins, que estreará como profissional, e suplentes que foram mais usados, como o volante Charles e o meia Felipe Menezes.

“O ano ainda não acabou, temos este jogo contra a Chapecoense”, comentou Eguren, que chegou ao clube em julho e já serve como modelo para os jovens que terá ao lado na equipe. “Por já sermos campeões e já estarmos na Série A, a pressão dá uma amenizada”, aliviou-se o estreante zagueiro Thiago Martins.

Do outro lado, a Chapecoense tem até a vice-liderança garantida, mas atuará em casa diante de sua torcida, presente durante toda a histórica campanha. A esperança é de uma festa antes da primeira temporada do clube entre as principais equipes do futebol nacional.

A expectativa maior é pela permanência do técnico Gilmar Dal Pozzo, que pode se despedir neste fim de semana. O clima de satisfação, contudo, é claro. “Tenho muito interesse em continuar no clube, mas não falo sobre isso antes do término do campeonato. Pela visibilidade que o jogo contra o Palmeiras dá para nós, profissionais, vou manter a linha, o critério e a postura. Na semana que vem deve haver definição, o importante que as duas partes querem uma continuidade”, disse o técnico.

Em campo, a oportunidade de receber o maior detentor de títulos da história do futebol brasileiro é uma espécie de homenagem para os principais jogadores da Chapecoense, a começar pelo artilheiro Bruno Rangel, que dificilmente continuará no clube, mas deixa como marca a artilharia da Série B, com 30 gols.

“É um momento especial por vários motivos. Vão estar em campo dois times de Série A, o campeão e o vice-campeão da Série B, portanto, as duas melhores equipes. Então vamos jogar da mesma forma, com intensidade, força, marcação, qualidade e organização dentro de campo”, prometeu Dal Pozzo.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE X PALMEIRAS

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)

Data: 30 de novembro de 2013, sábado

Horário: 16h20 (de Brasília)

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)

Assistentes: Edilson Frasão Pereira (TO) e Marco Antônio de Mello Moreira (GO)

CHAPECOENSE: Danilo; Alemão, Rafael Lima, Dão e Tiago Saletti; Wanderson, Paulinho Dias, Diego Felipe e Danilinho; Potita e Bruno Rangel – Técnico: Gilmar Dal Pozzo

PALMEIRAS: Fábio; Wendel, Thiago Martins, Tiago Alves e Juninho; Eguren, Renatinho, Charles e Felipe Menezes; Serginho e Alan Kardec – Técnico: Gilson Kleina

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET 

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Em duelo dos líderes, Chapecoense misteriosa encara Verdão de garotos

O confronto entre Chapecoense e Palmeiras, segunda colocada e líder da Série B, respectivamente, não terá o ar decisivo esperado. Com os dois times garantidos na primeira divisão do Brasileirão de 2014, a partida deste sábado, às 16h20m, na Arena Condá, em Chapecó (Santa Catarina), pela última rodada da Segundona, não mudará nada na classificação. Mas isso não tira o valor do jogo para as equipes, distintas no modo de encarar o compromisso final neste ano.

Mesmo com o acesso garantido, o técnico da Chapecoense, Gilmar Dal Pozzo, faz mistério não só sobre sua permanência para a próxima temporada, mas também com relação aos titulares. Ele trabalhou a portões fechados na semana e não deu indícios da escalação. Segundo melhor time da Série B, o Verdão do Oeste espera manter a invencibilidade contra os paulistas, já que no turno as equipes empataram em 0 a 0. Para isso, deve utilizar força máxima e aposta em intensidade e força na marcação para surpreender o adversário e terminar o ano agradando à torcida.

Já o Palmeiras usará o jogo para fazer testes. Com quase um time inteiro de reservas, a equipe de Gilson Kleina viajou com sete garotos revelados na base, entre os 20 relacionados. Campeão com duas rodadas de antecedência, o Verdão também não tem mais pretensões na competição.

Wagner do Nascimento Magalhães (RJ) apita a partida e será auxiliado por Edilson Frasao Pereira (TO) e Marco Antônio de Mello Moreira (GO). O duelo será transmitido ao vivo para todo o Brasil pelo canal PremiereFC 1 ,por meio do sistema pay-per-view. O GloboEsporte.com também acompanha todos os lances da partida em Tempo Real e com vídeos exclusivos.

AS ESCALAÇÕES

Chapecoense: mesmo com o acesso, Gilmar Dal Pozzo deve usar o que tem de melhor e mandar a campo a equipe com Nivaldo; Fabiano, Rafael Lima, André Paulino, Fabinho Gaúcho; Wanderson, Augusto, Paulinho Dias, Athos; Potita, Bruno Rangel.

Palmeiras: Kleina usará a partida para testes. Dos titulares absolutos, apenas Juninho e Alan Kardec devem atuar, além de Charles, Eguren e Serginho, peças constantemente acionadas. Sete jogadores da base foram relacionados para a partida: Fábio (goleiro), Vinicius (goleiro sub-20), Bruno Oliveira (lateral-direito), Thiago Martins (zagueiro), Renatinho (volante), Bruno Dybal (meia) e Edilson (meia). Assim, a escalação alviverde deve ser a seguinte: Fábio; Wendel, Tiago Alves, Thiago Martins e Juninho; Eguren, Renatinho, Charles e Felipe Menezes, Serginho e Alan Kardec.

QUEM ESTÁ FORA

Chapecoense: ninguém. O time vai com força máxima.

Palmeiras: Fernando Prass, Henrique, Márcio Araújo, Wesley e Valdivia foram poupados e nem viajam para Chapecó. Leandro, suspenso, já está de férias. Os desfalques da lista por lesões são Bruno (joelho direito), André Luiz (pé esquerdo), Vilson (joelho esquerdo) e Mendieta (joelho esquerdo), enquanto Marcelo Oliveira e Vinicius estão em estágio de recondicionamento físico e também não foram relacionados.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Valdivia diz que aceitaria contrato de produtividade no Palmeiras

O meia Valdivia afirmou que aceitaria um contrato por produtividade no Palmeiras.

“Não é incomum no mundo os contratos de produtividade com treinador e jogador. Não vejo problema nisso. Para ficar no Palmeiras no ano do centenário, eu assinaria por contrato de produtividade”, disse o meia à TV Estadão.

O novo modelo de contrato foi oferecido ao treinador Gilson Kleina em sua renovação e também será implementado para os atletas. Isso significa que a intenção é oferecer um salário que seja complementado e possa ser aumentado de acordo com o rendimento do time e do atleta especificamente. Com os bônus, eles teriam um aumento em seus respectivos vencimentos.

Valdivia comentou também sobre a série de lesões que enfrentou neste ano. “Sou o primeiro cara a desejar zero lesões. Infelizmente, trabalhamos no futebol sabendo que isso pode acontecer, mas espero, torço e peço a Deus para que me deixe tranquilo no ano que vem. Espero poder jogar tudo que quero para, de uma vez por todas, não se falar mais de lesão minha ou que estou no departamento médico. Até parece que gosto de ficar no departamento médico”, afirmou.

Por fim, ele comentou sobre a expectativa de disputar a Copa do Mundo no Brasil, em 2014. “Estou muito ciente do que vai significar 2014. Na pré-temporada, vou trabalhar para o corpo aguentar o resto do ano. Tudo que eu fizer no Palmeiras vai refletir na seleção. Você ver seus amigos jogando pelo seu país te faz repensar. Tive muito apoio do treinador Sampaoli e isso foi fundamental. Fiquei com muito medo de ficar fora da seleção, de ver meu país indo a mais uma Copa do Mundo e eu não poder participar desse acontecimento”, comentou.

Sem Valdivia, o Palmeiras entra em campo pela última vez neste ano no próximo sábado, em Chapecó, contra a Chapecoense. O time garantiu o acesso à Série A e o título da segunda divisão nacional com antecedência, e agora apenas cumpre tabela.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

BLOG DO ERICH BETING ❘ UOL

• Camisa amarela do Palmeiras acaba. E não deve ser reposta!

Em meio à polêmica sobre o uso de uma camisa muito similar à da seleção brasileira, Adidas e Palmeiras celebram o sucesso de vendas do modelo amarelo, lançado no jogo em que o clube comemorou a volta à Série A do Campeonato Brasileiro, contra o São Caetano, dia 26 de outubro.

Só que o estouro das vendas está próximo de causar um problema para a fabricante e o clube.

Em diferentes movimentos nas redes sociais, torcedores reclamam que não conseguem mais ter acesso ao modelo. Nas principais lojas de comércio eletrônico, apenas o tamanho P da camisa está disponível para adultos. Já no site oficial da Adidas, não há mais a camisa amarela à venda, apenas algumas modelagens infantis e feminina.

Oficialmente, a Adidas informa que o estoque de camisas acabou. A empresa diz que não há, por enquanto, previsão para que novas camisas sejam produzidas.

Procuradas pelo blog, duas marcas poderosas de e-commerce no mercado brasileiro confirmaram ao blog que solicitaram à empresa novas remessas do uniforme. Nos dois casos, a Adidas não informou se haverá mais camisas para serem vendidas.

O caso revela o quão amadora continua a relação do clube com o fornecimento de material esportivo para o mercado.

A menos de um mês do Natal, um produto é sucesso de vendas, a demanda pela compra continua a existir e simplesmente o fabricante não planeja colocar novamente o produto à venda. Nessa equação, fabricante, clube e torcida saem perdendo.

Se ainda estivéssemos no período em que Adam Smith escreveu “A Riqueza das Nações”, tal comportamento seria aceitável, apesar de já condenável por alguns olhares mais atentos do que foi o berço do capitalismo. Como já se vão 237 anos desde que Smith começou a lançar esse conceito, é um tanto quanto surreal acreditar que isso ainda exista. Ainda mais quando envolve a marca esportiva líder do mercado de futebol no mundo e o clube com a quarta maior torcida do país.

Como sempre falamos aqui no blog, há um problema grave na indústria do futebol brasileira de falta de conhecimento do mercado.

Quem são, de fato, os consumidores de um clube? O quanto eles consomem? Em que épocas? A quais valores?

Essas respostas simplesmente não existem para um clube de futebol no país. Afinal, quanto dinheiro a Adidas e o Palmeiras deixam de ganhar por não ter o produto disponível para o consumidor? O sucesso das vendas é ótimo, sem qualquer dúvida. Mas o fracasso do planejamento da demanda de compra é muito mais assustador.

No Brasil, o fornecimento de material esportivo não é um negócio. A marca está num clube apenas para a exposição na camisa. O que os clubes ainda não perceberam é que isso é péssimo para eles.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ERICH BETING ❘ UOL

••

BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

• Exigência será muito maior no centenário

Por Thiago Salata

Paulo Nobre caminha para a metade de seu mandato. Menos de um ano à frente da presidência, num mandato que termina em dezembro de 2014. O tempo é curto para quem tem planos de grandes mudanças após uma das piores gestões na história recente do Palmeiras.

Assumir um clube rebaixado dá a Nobre uma justa “desculpa”: as cobranças não podem ser excessivas diante dos inúmeros problemas. Mas ter pego o Verdão na Série B, que é uma moleza, ofereceu oito meses de calmaria em campo em 2013: tempo para trabalhar e tentar organizar a casa.

O ambiente político do Palmeiras não é moleza. Não é fácil lidar com o sangue quente palmeirense. Quem viveu o clube, seja como jogador, dirigente, conselheiro, ou jornalista, sabe bem disso. Nobre tem um grande mérito de ter minado alguns “agitadores”, blindando o departamento de futebol de algumas turbulências.

Mas não há reconstrução sem um bom time em campo. Ao menos não na Sociedade Esportiva Palmeiras, que vive, sim, de títulos. A escassez de grandes taças (aliviada com a Copa do Brasil de 2012) jamais pode ser vista como normal. Se acharem normal, o futuro do alviverde será comprometido. A Série B tornou as coisas mais fáceis para Paulo Nobre.

A partir de janeiro, a exigência será outra. Não dá mais para seguir sem patrocínio. E a tranquilidade na Academia de Futebol só irá continuar com resultados, agora na Série A, lugar do Verdão. Para isso, o elenco, que tem uma base razoável, necessita de reforços. De investimento, mesmo que o dinheiro seja pouco. Nobre tem muito trabalho pela frente!

Leia aqui a matéria completa → BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

••

BLOG DO ROBSON MORELLI ❘ ESTADÃO ONLINE

• Valdivia tem apostas altas para 2014

Desde que chegou ao Palmeiras nesta segunda passagem pelo clube, Valdivia está na boca do torcedor. Ora para revenciar sua categoria, ora para condená-lo por ficar fora da equipe por causa de suas lesões. Bem ou mal, o jogador chileno nunca desistiu do Palmeiras.E sabe também o tamanho e o peso da cruz que carrega por usar a camisa 10 e ser o principal jogador do time. Depois de ajudar o Palmeiras a voltar para a Série A, o Mago não esconde tampouco teme sua responsabilidade para 2014 e tenta reverter essa pressão natural com objetivos claro e importantes: erguer uma taça pesada na nova Arena do Palmeiras e se garantir entre os 23 da seleção do Chile – de quebra ir o mais longe que puder na Copa do Mundo.

Os desafios, grandiosos tanto para Palmeiras quanto para o Chile, mas sobretudo para sua carreira, fazem de Valdivia um jogador animado com a próxima temporada. Ele não esconde também que a permanência de Gilson Kleina o deixa mais à vontade sobretudo pelo fato de o treinador conhecer suas condições, não técnicas, mas clínicas, e saber exatamente do que ele precisa para jogar mais vezes, porque bem ele sempre joga.

Nem o fato de poder assinar uma cláusura contratual de produtividade o assusta ou tira seu entusiasmo. A ideia é do presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, a quem Valdivia respeita muito, e até credita sua nova fase no futebol brasileiro. O Mago diz que esse tipo de acerto entre clubes e atletas é comum no futebol mundial, embora reconheça ser uma novidade no Brasil. Aqui, contrato de produtividade geralmente é feito para jogadores em fim de carreira ou que atuam sob a desconfiança de todos. O Flamengo, por exemplo,  fez isso com Adriano Imperador porque não levava fè que o atacante fosse jogar de fato.

COPA DO MUNDO

Valdivia aposta alta no sucesso do Chile no Mundial de 2014, e acredita que o time sul-americano tem condições de se juntar aos campeões mundiais. Bota muita fé na sua seleção. Mas se o Chile cair pelo caminho, o Mago não tem dúvidas para quem vai torcer. “Para a seleção do Felipão, que soube montar uma defesa sólida e tem jogadores muitos bons do meio de campo para frente. Vou torcer para o Brasil.”

CONTUSÕES

O jogador do Palmeiras torce para não se machucar em 2014. Pede a Deus para ter contusão “zero”, e assim ajudar o time a voltar em grande estilo para o lugar de onde nunca deveria ter saído: a elite do futebol brasileiro.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ROBSON MORELLI ❘ ESTADÃO ONLINE

••

BLOG DO CLAUDIO PORTELLA ❘ FOX SPORTS

• Santos atravessa Palmeiras e faz proposta por atacante Leandro

O Santos está negociando para ter o atacante Leandro, que está no rival Palmeiras. O Alvinegro fez uma proposta de 5 milhões de euros (aproximadamente R$15,8 milhões) para adquirir 100% dos direitos econômicos do jogador, que tem 55% ligados ao Grêmio e 45% a um grupo de empresários.

Emprestado ao Verdão até o fim do ano, Leandro já manifestou interesse em permanecer, mas o Tricolor de Porto Alegre gostou da oferta recebida pelos santistas. Nos bastidores, a diretoria do Palmeiras tenta, agora, levantar a quantia para não perder o atleta.

É bom o Palmeiras abrir o olho…

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO CLAUDIO PORTELLA ❘ FOX SPORTS

••

COLUNA DO JORGE NICOLA ❘ DIÁRIO DE S.PAULO

• De saída

A comissão técnica do Palmeiras já dá como certa a perda de Vilson para 2014. É que o presidente Paulo Nobre ofereceu ao zagueiro bem menos do que havia prometido em abril. E ele tem várias ofertas.

••

OUTRAS NOTÍCIAS :

UOL ESPORTE → Palmeiras e Chapecoense se enfrentam em duelo antecipado da Série A

ESTADÃO ONLINE → No Sul, Palmeiras testa garotos na despedida da Série B

GLOBO ESPORTE COM → Aos 18 anos, Thiago Martins estreia no Verdão e já sonha em ser capitão

GAZETA ESPORTIVA NET → Zagueiro faz estreia profissional com sonho de ser capitão no Verdão

ESTADÃO ONLINE → Na despedida da Série B, Kleina aposta em Fábio contra a Chapecoense

GLOBO ESPORTE COM → Fã de Thiago Silva, zagueiro estreia pelo Palmeiras de olho no centenário

••

10 respostas em “Verdão na Mídia 30-11-2013: Palmeiras se despede do ano e da Série B com garotos das categorias de base ❘ Folha Online”

Vilson é bom jogador, mas acho que o Palmeiras não deve fazer loucuras para mantê-lo. O mesmo se aplica ao Leandro. Acho que esse contrato de produtividade proposto pelo Nobre, além de inovador, muito coerente com a realidade do futebol palmeirense. Jogou, ganha bem. Chinelinho fica com menos, como deve ser.

O aproveitamento da molecada ja deveria ter acontecido em outros jogos desse campeonato mas o Kleina…. No jogo de hoje nao entendo o Wendel titular. O Bruno Oliveira deveria jogar, como também o Dybal no lugar do Charles. Torco por eles. Palmeiras 2×1 Chapecoense.

Imagina. Podem ir embora o Vilson (que não acho grande coisa, mas hoje ainda serve fácil pra titular) e o Leandro, que salvaram um pouquinho a péssima negociação com o Barcos. Daí só faltaria pedirem ao Grêmio pra continuar com o Rondinelly e o Léo Gago. Renovaram com o Kleina e parece que permanência da íngua Márcio Araújo está encaminhada. Só podem estar fazendo pra contrariar o torcedor.

Deixa o Leandro ir, è igual a Luan ou Maikon Leite,jogador vagalume,fica aceso em uma partida e apagado em 4, ganha os 15% que tem direito +- 2 milhões e contrata alguem de peso prà titular ou traz Barcos de volta com o dinheiro.

Os 15% são válidos apenas para o primeiro ano de empréstimo. Se o Palmeiras renovar com ele perde esse direito.E, se o Grêmio quiser fecha o negócio com o Santos e aguarda dia 31.12 pra sacramentar deixando o Palmeiras numa sinuca. Se quiser ficar com o Leandro terá que comprá-lo. E, se isso já não for uma jogada justamente pra pressionar o Palmeiras não digo nada.

Os comentários estão desativados.