Categorias
Verdão na Mídia

Verdão na Mídia 18-12-2013: Palmeiras vendeu Barcos por R$ 4,5 milhões a menos do que a proposta inicial ❘ IG Esporte

NOTICIÁRIO ❘ IG ESPORTE

• Palmeiras vendeu Barcos por R$ 4,5 milhões a menos do que a proposta inicial

Por Gabriela Chabatura

Em fevereiro de 2013, o Palmeiras vendeu o atacante Barcos, então seu principal jogador, ao Grêmio. Hoje, dez meses depois, o negócio continua repercutindo nos corredores do Palestra Itália e registra uma “perda” de R$ 4,5 milhões. A transferência, ainda não esclarecida pelo presidente Paulo Nobre, interfere até na montagem do elenco para a próxima temporada.

No início de 2013, Nobre aceitou negociar Barcos por um valor 59% abaixo dos R$ 11 milhões oferecidos pelo Grêmio em novembro de 2012. Naquela ocasião, o então presidente Arnaldo Tirone recusou a proposta porque estava em fim de mandato, e depois chegou até a prorrogar o contrato do argentino.

Porém, 18 dias depois de assumir o Palmeiras, no dia 8 de fevereiro deste ano, Nobre incluiu Barcos numa troca por um “pacotão” de jogadores do Grêmio. Na oportunidade, ele alegou ter dívidas com a LDU, clube anterior do jogador, e com o próprio atacante. Sendo assim, o Palmeiras recebeu cerca de R$ 4 milhões pelo atleta e repassou aos gaúchos duas dívidas: a de R$ 1,5 milhão com a LDU e a de R$ 1 milhão com o profissional. No fim, o negócio foi sacramentado por R$ 6,5 milhões.

O prejuízo poderia até diminuir com os quatro atletas emprestados pelo Grêmio. Entretanto, apenas o atacante Leandro tem chances de permanecer, embora as conversas não tenham evoluído. O motivo: o pedido salarial do atleta foi considerado alta pela cúpula alviverde.

Apesar de o Palmeiras ter a prioridade no negócio, à reportagem do iG Esporte, o executivo de futebol do clube gaúcho, Rui Costa, afirmou que recebeu diversas sondagens pelo jogador.

Outro desvantagem palmeirense no negócio é o “quinto jogador” que nunca chegou à Academia de Futebol. Há dois meses, o diretor executivo José Carlos Brunoro chegou a dizer que havia desistido de envolver mais um atleta na troca, porém, a “desistência” teria outro motivo: a ausência de documentação que comprove tal débito gremista.

Palmeiras e Grêmio jamais documentaram a necessidade de incluir um quinto atleta na troca, tampouco acertaram uma eventual compensação financeira. Desta forma, o clube paulista não teria como exigir do Grêmio mais nenhum jogador.

“Isso não está em contrato. Nós fizemos até um esforço para o Palmeiras ter mais um atleta, mas não temos esse compromisso. Todavia, isso não nos impede de negociar outros jogadores. Temos uma boa relação, de respeito”, disse Costa ao iG.

O Palmeiras precisará demonstrar agilidade no mercado se quiser reforçar o elenco no ano do centenário. O tempo, a falta de dinheiro e a concorrência são adversários difíceis de serem vencidos.

Veja os jogadores envolvidos na troca de Barcos entre Palmeiras e Grêmio:

Vilson – zagueiro

Titular absoluto na defesa do Palmeiras, ele chegou a ser negociado com o Stuttgart, da Alemanha, mas o negócio melou e ele acabou voltando ao Brasil. É o único que pertence ao Palmeiras, mas tem vínculo até o fim do ano, e o empresário vê dificuldades na permanência para 2014.

Léo Gago – volante

Fez 13 partidas pelo Palmeiras e marcou um gol. A diretoria manifestou interesse em contar com ele para o próximo ano, mas as negociações estão travadas. O Grêmio pediu para ele se reapresentar caso o negócio não vingue.

Rondinelly – meia

Foi pouco aproveitado pelo técnico Gilson Kleina nesta temporada, tendo realizado apenas três jogos pelo Palmeiras. Já retornou ao Grêmio.

Leandro – atacante

O melhor do pacote oferecido pelo Grêmio. Entrou em campo em 42 jogos e marcou 19 gols. Pediu um aumento salarial de cerca de 300% para continuar no clube e pode ir embora por isso.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ NOTICIÁRIO ❘ IG ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Kleina pede a contratação de Rafael Sobis e Carlinhos no Palmeiras

Por Caio Carrieri e Thiago Ferri

Rafael Sobis e Carlinhos, do Fluminense, são dois dos pedidos de contratação feitos por Gilson Kleina à diretoria do Palmeiras para 2014.

Autor de dez gols no Campeonato Brasileiro, o atacante de 28 anos foi o artilheiro do seu time. Os cariocas terminaram a última rodada rebaixados, mas o STJD puniu a Portuguesa, e o Flu está salvo em primeira instância – a Lusa recorre.

A queda do Fluminense seria um triunfo para o Verdão conseguir a liberação do atleta.

Pessoas ligadas a Sobis admitem que interlocutores palmeirenses já procuraram seu empresário. Os direitos econômicos do atacante estão divididos em 80% da Unimed, patrocinadora do clube, e 20% do Flu. O contrato do jogador vai até julho de 2015 e a multa rescisória gira em torno de US$ 10 milhões (R$ 23 milhões).

O rival São Paulo também tem interesse no goleador e avalia como difícil uma transferência.

Alecsandro, do Atlético-MG, e Lins, do Criciúma, também são cotados no Palmeiras, que só contratou do Rio Claro o jovem Rodolfo, de 20 anos de idade, para a posição.

Com relação a Carlinhos, o ex-atacante Luizão, representante do lateral-esquerdo, também já foi contactado.

– Foi só uma consulta. O Palmeiras quis saber a situação dele e quanto ganha. Depois disso não houve mais contato – declarou, em entrevista ao LANCE!Net, em alusão à conversa que teve com José Carlos Brunoro há cerca de dez dias.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Marcelo Oliveira prioriza Palmeiras, mas renovação segue indefinida

Por William Correia e Helder Júnior

As dificuldades do Palmeiras em, ao menos, manter jogadores que participaram da campanha do título da Série B do Brasileiro aparecem até mesmo com reservas. O clube tem o direito unilateral de renovar com Marcelo Oliveira, apesar de o volante pertencer ao Cruzeiro, e conta com a prioridade dada pelo jogador, mas sua permanência ainda não está garantida.

“Ainda não está nada definido”, disse Nick Arcuri, empresário do jogador, à Gazeta Esportiva.net. As negociações entre o agente e a diretoria do Verdão se mantêm com o desejo de ambos na prorrogação do vínculo, mas o acordo não está próximo.

“O Palmeiras fez uma proposta, a gente fez uma contraproposta, o Palmeiras fez uma contraproposta da contraposta, a gente fez uma contraproposta da contraproposta da contraproposta… Por aí, vai. Estamos esperando”, contou Arcuri, sorrindo.

Apesar da dificuldade, Marcelo Oliveira quer continuar no clube e o técnico Gilson Kleina solicitou a sua permanência, já que considera bastante útil a capacidade do atleta em atuar no meio-campo, na lateral esquerda e até como zagueiro.

Diante da situação, os representantes do jogador, por enquanto, só conversam com o Verdão. “Apalavrei com o Palmeiras. Enquanto a gente não definir, seja pelo sim ou pelo não, não vou conversar com outros clubes. Se fizer isso, faria um leilão desnecessário”, explicou Arcuri.

Mesmo na reserva ou machucado em boa parte da temporada, Marcelo Oliveira atuou em 28 dos 68 jogos do clube no ano. O volante chegou em fevereiro ao lado de Charles na negociação que levou Luan ao Cruzeiro e assinou contrato até o próximo dia 31. Para permanecer com ele por mais um ano, basta o Verdão acertar seus salários.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Palmeiras aumenta arrecadação em 78% na Série B, aponta estudo

O Palmeiras teve um aumento de 78% em relação ao ano passado em sua arrecadação líquida nos jogos como mandante na Série B do Campeonato Brasileiro. É o que diz um estudo realizado pelo Centro de Pesquisas Aplicadas da Trevisan Gestão do Esporte. Em média, o time alviverde arrecadou R$ 139.751 a mais por partida.

“Nos jogos em casa, a média de público pagante do Verdão foi de 14.974 torcedores, superior em 25% em relação à Série A em 2012“,  explica José Gabriel Leiva, pesquisador e consultor da Trevisan Gestão do Esporte.

“Os números mostram que o torcedor foi ainda mais participativo no momento difícil do clube”, complementa.

Segundo ele, inclusive, essa é uma tendência de clubes grandes que caem para a Série B. Esse fator, aliado ao fato de que a equipe tende a vencer com facilidade, são atrativos para o torcedor, o que aumenta a arrecadação.

“Por mais que seja Série B, o desempenho acaba sendo melhor, e leva mais torcida. Tem goleadas etc. O segundo ponto é abraçar o time em um momento difícil, esses fatores combinados servem para todos. Podemos chamar de tendência”, comenta Leiva.

É preciso levar em consideração também que o Palmeiras aumentou o preço dos ingressos no início da competição. O bilhete mais barato chegou a custar R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia-entrada). Desconto somente para idosos, crianças e participantes do Avanti, programa de sócio torcedor do clube.

Em 2013, a Série B gerou uma arrecadação bruta para os clubes de 78% a mais do que em 2012. O aumento de público pagante nos estádios foi de 18%.

“A arrecadação líquida total foi de R$ 22.965.456, sendo que a renda obtida pelo Palmeiras representa 26% desse valor”, explica Leiva.

Ainda segundo o estudo, o Palmeiras teve um impacto significativo na arrecadação geral do torneio. Isso já havia acontecido em anos anteriores com grandes times na disputa e deve seguir ocorrendo.

“Das 380 partidas disputadas, o Palmeiras esteve presente em 38, representando 10% do total. Porém, esses jogos geraram R$ 10.939.078 aos clubes, representando 48% da arrecadação líquida da Série B. O clube teve a maior renda líquida, ficando em segundo lugar quanto ao total de público como mandante, atrás do Sport Recife”, diz o estudo.

Na Série A deste ano, o campeão Cruzeiro liderou a bilheteria, levando uma média de 26.955 torcedores aos seus jogos. Já o Corinthians, líder do ano passado, sofreu com perdas de mandos de campo e uma campanha ruim e viu a sua média acumulada de público cair para 24.846.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ BAND ESPORTE

• Oposição quer Ratinho contra Paulo Nobre

Por Fábio Salgueiro

Se o presidente Paulo Nobre prefere o silêncio sobre uma possível reeleição no Palmeiras, a oposição alviverde trabalha firme de olho nas próximas eleições no clube, que acontecerão no fim de 2014.

Até o momento, três frentes aparecem como oposição a Paulo Nobre. Uma delas, a União Verde e Branca (UVB) é a mais atuante, trabalhando com estratégia de partido político. O grupo já tem até candidato definido: Wlademir Pescarmona. 

O nome de Pescarmona foi escolhido depois de Luiz Gonzaga Belluzzo declinar do convite para concorrer novamente à presidência do clube.

No entanto, Belluzzo deverá sair como vice de Pescarmona, o que fortaleceria à chapa, já que o ex-presidente é nome forte dentro do Palmeiras.

Na busca por encorpar a chapa oposicionista e ganhar a simpatia principalmente dos sócios, os quais terão direito a voto no próximo pleito, a UVB trabalha para ter o apoio do apresentador Carlos Massa, o Ratinho, que é palmeirense declarado e já foi sondado pelo grupo liderado por Pescarmona e Belluzzo.

Por falar em eleições diretas, as redes sociais revelam outros dois nomes de possíveis candidatos para as próximas eleições do Palmeiras: a advogada e conselheira Rita Cosentino seria candidata. Ela já trabalhou em outras gestões do clube e conhece a fundo os bastidores do Palmeiras.

O nome de Rita ganha a simpatia dentro do Palestra Itália, pois traria uma grande inovação de postura e de ideias ao clube.

Já a terceira opção à presidência seria Roberto Frizzo, conselheiro também com longa história no clube e que trabalha para formar a sua chapa.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ BAND ESPORTE 

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Atraso nas obras tira shows do Allianz Parque e evento será no Morumbi

Os shows da banda One Direction, marcados para os dias 10 e 11 de maio de 2014, não acontecerão mais no Allianz Parque, estádio palmeirense, e foram transferidos para o Morumbi. Em meio à disputa entre Verdão e WTorre, que pode parar na corte de arbitragem, a Times For Fun, realizadora das apresentações, informou em sua página no Facebook que a decisão foi tomada “em função da abertura e funcionamento da arena do Palmeiras não estarem definidas”.

A previsão era de que a reforma no Palestra Itália fosse completada em abril, mas clube e construtora passaram a discutir pontos divergentes no contrato que valerá por 30 anos, especialmente a divisão do número de cadeiras para cada um – o Palmeiras considera que tem direito a cerca de 35 mil e a WTorre, 10 mil cadeiras especiais. A construtora, por sua vez, alega que pode comercializar todas as cadeiras do estádio. O documento assinado por eles tem uma cláusula confusa sobre o assunto.

Dentro da própria WTorre, não havia a confirmação de que o show seria no Allianz Parque, por conta do atraso nas obras. De acordo com o que o LANCE!Net apurou, havia conversas com membros da Times For Fun, para avisar que a construtora não poderia garantir ainda o estádio pronto para esta data – como não tinha sido assinado um documento garantido a realização do evento no estádio, este agora ocorrerá no estádio do Morumbi, nas mesmas datas. A previsão é de que a nova arena palmeirense, que deverá ter cerca de 43.700 lugares, fique pronta no primeiro semestre de 2014.

Cerca de 70% do estádio já foi concluído. Mas no dia 22 de outubro, o presidente da construtora, Walter Torre, declarou ao LANCE!Net que a diretoria do clube estava mentindo em relação ao impasse das cadeiras, e que iria mandar o ritmo das obras diminuir por conta disto – a WTorre, porém, alega que aumentou a velocidade dos trabalhos para terminar a arena o quanto antes. Como resposta, o presidente palmeirense, Paulo Nobre, convocou uma entrevista em que considerou “lamentavéis e infelizes” as declarações do “parceiro”. O Alviverde ainda quer definir o preço dos ingressos em seus jogos – toda a renda da bilheteria será do clube.

Diante da falta de acerto entre as duas partes, a WTorre decidiu pedir a mediação do caso para evitar a ida à corte arbitral. Já ocorreram reuniões entre os mediadores, mas ainda não conseguiu se chegar a um consenso. Com isto, crescem as chances de a disputa ir para a arbitragem, algo que as partes ainda tentam evitar. Este último parecer tem peso de sentença judicial, é definitivo e irrevogável. A esperança é de que ocorra uma definição ainda neste ano.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

BLOG DO VERDÃO ❘ DIÁRIO DE S.PAULO ONLINE

• Salário dificulta renovação de Leandro

A diretoria do Palmeiras está encontrando muitas dificuldades para renovar o contrato do atacante Leandro.
Artilheiro do clube nesta temporada, com 19 gols, o camisa 38 recusou uma proposta para estender o vínculo de empréstimo até dezembro de 2014.

Atualmente,  o atacante tem um dos menores salários do elenco alviverde: R$ 40 mil por mês. Ao menos 20 atletas à disposição de Gilson Kleina ganham mais do que Leandro.

Palmeirense na infância e filho de um torcedor fanático do clube, o atleta não esconde o desejo de permanecer na equipe do Palestra Itália. Porém, para isso, exige receber pelo menos o triplo (R$ 120 mil).

Ciente da dificuldade do Verdão na negociação com Leandro, o Grêmio já começa a admitir a possibilidade de ele retornar na próxima temporada — o atacante tem contrato com o clube gaúcho até o fim de 2016.

“O retorno do Leandro é uma possibilidade. São três situações. Na primeira, existia a opção de compra, mas esse prazo passou. A segunda é pedir a prorrogação do empréstimo. E a terceira é  voltar ao Grêmio”, comentou Rui Costa, diretor executivo do Grêmio.

Para contratá-lo em definitivo, o Palmeiras teria de pagar R$ 13 milhões ao Tricolor gaúcho. Porém, como o clube não possui  condições de arcar com o valor, a diretoria alviverde optou por tentar a renovação do empréstimo do atacante.

De acordo com Rui Costa, Leandro acabou ficando valorizado pela boa campanha do Palmeiras na Série B e entrou na mira de outras equipes.

“Ele está  sendo muito assediado. É um jogador com passagem e gol pela seleção brasileira. Pode ser que o Leandro não fique nem no Palmeiras nem no Grêmio”, explicou.

• Elano liberado

Dono da maior folha salarial do futebol brasileiro (cerca de R$ 10 milhões por mês), o Grêmio avisou que aceita liberar o meia Elano ao Palmeiras. Para fechar o negócio, o clube gaúcho estuda pedir um jogador em troca.

“Houve um contato do Palmeiras sobre o Elano. Nós sabemos que há uma série de acertos que precisam ser feitos entre eles e o jogador. Ainda está longe de um acerto, mas pode ser que venha um jogador em troca”, comentou Rui Costa.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO VERDÃO ❘ DIÁRIO DE S.PAULO ONLINE

••

COLUNA DO ANTERO GRECO ❘ O ESTADO DE S.PAULO

• Viva a Série B!

Até dias atrás, fazia ressalvas impiedosas à festa de times grandes que conquistavam a Série B. Considerava a manifestação de alegria uma prova de apequenamento recheada de hipocrisia. Em minha avaliação, peixes graúdos como Palmeiras, Corinthians, Atlético-MG, Grêmio, Vasco deveriam fingir-se de folha nessa hora e colocar na penumbra das salas de troféus o prêmio erguido na Segundona. O sinal de incompetência não poderia ficar à vista de todos.

Pois aproveito o espírito natalino e me penitencio com os gentis leitores que têm a paciência de me acompanhar quatro vezes por semana neste espaço nobre. Eu estava errado, e muito. Cometi tal equívoco baseado em soberba pessoal e na tradição de todos os clubes que citei acima.

Agora constato que a Divisão de Acesso tem poder de purificar, aprimorar, engrandecer os gigantes que a disputam. Num primeiro momento, representa castigo duro pelas derrapadas bruscas que deram na temporada anterior. Se foram rebaixados, mereceram, por aquilo que deixaram de mostrar. Que tratem, então, de resgatar autoestima e lugar na elite. Dentro de campo.

Salvo exceções, as equipes aprendem a lição e se fortalecem. O Palmeiras, após amargar o primeiro descenso, jogou o suficiente para participar da Libertadores de 2005. O Grêmio, idem, anos depois. O Corinthians caiu em 2007, regressou em 2008, ganhou em seguida tudo a que tem direito. O ponto alto foi o Mundial de 2012. O Galo Mineiro está em caminho semelhante.

Eles pagaram o preço imposto por falta de planejamento prévio, vagaram pelo purgatório, suaram em deslocamentos por ônibus e por apresentações em praças mais distantes. Cresceram, tornaram-se dignos – e, com eles, seus respectivos fãs. Alguns, como os palestrinos, passaram pela provação uma segunda vez. Não houve desconto na punição. Merecida, portanto, a comemoração quando veio a certeza do retorno e, depois, a taça, símbolo do aprendizado, da dedicação, da redenção.

Vasco e Portuguesa terão de encarar a fase de expiação em 2014, desde que não surjam fatos e recursos novos nas próximas semanas. O primeiro dos representantes lusos caiu por sucessão de vexames, o último deles com os 5 a 1 para o Atlético-PR e com briga de torcidas. Esboçou apelo ao tapetão, e foi tiro n’água. A segunda teve confiscados quatro pontos obtidos com suor, numa campanha de reação emocionante no returno. Mas, o que adversários não conseguiram na bola, um grupo de auditores lhe tomou no carpete de uma sala de tribunal. Com justificativas de condenação bem redigidas, aparentemente sem improvisos.

Não houve apelação para a Lusa. A justificativa dos senhores de paletó e gravata para a execução sumária foi a de que se tratava de questão técnica, sem margem para interpretações e atenuantes. O ladrão de galinha condenado à cadeira elétrica, sem a alternativa de pena mais branda. O regulamento não previa brechas, afirmaram doutos frequentadores do local.

Triste sina da Lusa. Deprimente, porém, a euforia de outra torcida, que comemorou cada voto dos jurados como se fosse gol da própria equipe. Gols que não marcou durante o Brasileiro, pois seus astros não tiveram capacidade para tanto.

Sem se darem conta, essas pessoas se comportaram como seguidoras de um clube menor, salvo pela toga e não por dribles. A permanência na Série A parece uma vitória, e não é; ao contrário, mascara deficiências de uma agremiação tradicional e aturdida. Não por acaso sofreu a quarta queda em década e meia. Retrospecto preocupante.

A Lusa voltará robustecida; e, se for campeã, que festeje muito. Como os demais. Viva a Série B.

••

COLUNA DO JORGE NICOLA ❘ DIÁRIO DE S.PAULO

• Presidente palmeirense esperava alcançar 40 mil sócios-torcedores ainda neste ano

Se o futebol do Palmeiras cumpriu a meta em 2013, ao voltar à elite do Campeonato Brasileiro, o mesmo não foi alcançado pelo departamento de marketing em relação aos sócios-torcedores.

Assim que assumiu a presidência, em janeiro, Paulo Nobre estabeleceu como objetivo fechar 2013 com 40 mil integrantes do programa.

O problema é que o Verdão estacionou na casa dos 36 mil associados desde outubro — hoje, o número está em 36.942.

••

30 respostas em “Verdão na Mídia 18-12-2013: Palmeiras vendeu Barcos por R$ 4,5 milhões a menos do que a proposta inicial ❘ IG Esporte”

Mas pelo menos esse RATO (Ratinho) é Palmeirense de verdade, ele mostra a cara pra bater, não tem medo de ninguém. Agora Frizzo candidato??? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Pescarmona candidato??? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Desse dois VELHOS CARCAMANOS, donos de pizzaria e botecos estamos fadados e fudidos!!!!

estou Cansado e decepcionado com esta diretoria de Fachada, com o Perfil de Profissionais, não conseguem nem no Ano do Centenário que tem um apêlo fortissimo junto a sua apaixonada torcida, um Patrocinio Master, uma ação de Marketing Efetiva, e as Negociações Obscuras como o Caso Barcos, o Vilson, o Contrato mal Redigido de Luiz Felipe, tudo isto cheira amadorismo, será ? Vejo um despreparo total, o Torcedor impaciente e Desiludido, com Tanta incompetência, o discursinho Politiqueiro do “Me Engana que Eu Gosto” passa por gestão há 30 anos desde a Parmalat, e Nada Muda, e o Nobre Hein, quem diria ……A Tartaruga Já subiu No Poste e desceu 100 Vezes e eles continuam dormindo, cadê a tal Produtividade do Financeiro, Marketing, Futebol e etc……….

Frizo …
Palmeiras o time “CEM: CEM TÉCNICO; CEM JOGADORES (exceto Prass, Henrique, Leandro, Mago, Wesley), CEM DIRETORIA, CEM CAMPO, CEM PRESIDENTE.
Socorro Beluzzo

O que essa diretoria está fazendo na renovação do Vilson e com o Leandro, é ridículo e patético. Vilson não temos números, mas com certeza vai sair mais barato do que o Lucio, sem falar q o Vilson está jogando muito mais que o véio.

Sobre o Leandro é o cumulo do amadorismo. O cara não é nenhum craque, mas mostrou qualidade, pelo oq o cara fez ele merece um aumento, e se pagam mais de 200 pro marcio araujo pq não pagar 120 pro Leandro? Palmeiras doa jogador e perde vários…. PN e Brunóquio são uns paus mandados do Musgambá. VSF, é de dar raiva.

Sobre o caso do Leandro. Mesmo considerando o interesse da diretoria em baixar salarios; modelo de produtividade, etc.

Será que algum lunatico no Palmeiras imagina que poderemos pegar algum jogador jovem e promissor (qualquer um que seja) e esperar que o cara não queria valorização? O negócio com o Leandro é de outra natureza: é apostar que o cara se valorize e lucrar com eventual venda futura pro exterior!

Ou se tem essa visão pro jogador ou nem adianta querer ficar com ele, isso devia ser óbvio a todos faz tempo! E se não se pode ampliar salários para esse tipo de jogador é melhor nem trazer apostas jovens que passaram pela selecao brasileira de base (por exemplo).

O Barcos deve ser muito ruim de grupo pois no gaymio ele foi um bosta e só não virou reserva pq pagaram por ele. ele só se destacou em 2012 pq o nosso time não tinha nenhum jogador com um pouco mas de qualidade.

Só a torcida alvi verde pra chegar a um número tão grande de sócios. Tendo que ver o tesudo do Brunoro trabalhar pra caralho, arrumando patrocínios, fazendo grandes negociações, aumentando significativamente as receitas, etc,etc,etc,etc…..

Negociação com o Grêmio foi amadora ao extremo, perdeu $$$, o quinto jogador ficou APALAVRADO sem estar em contrato (Ou nunca existiu realmente, só na cabeça do FOFO LINDO e do BRUNÓQUIO), e dos 4 que vieram aproveitamos somente 2 jogadores, Vilson e Leandro. Não sairia mais em conta emprestar DOIS JOGADORES e vender o Barcos por R$11 Milhões???? Sendo que o Vilson vai sair pois não aceita o tal de contrato por produtividade, esse jogador em dois anos (Centenário e sendo muito otimista uma vaga na libertas em 2015) poderá ser valorizado ainda mais. Agora chega o Lúcio por R$250 mil por mês e não duvido que o Henrique será negociado. Falta competência para p LINDO FOFO e seu CEO. —- Em relação ao ST Avanti, sem um Elenco digno de série A, quem vai querer ir ao estádio? ver esse Elenco Campeão da série B levando uma surra atrás da outra… lamentável !! E ainda fala para o torcedor ter paciência.

Deveriam ter deixado a WTorre comercializar todas as cadeiras.
Esse ST do Palmeiras é uma piada e com o time que estão montando (ou não estão montando) vai começar a ter cancelamentos.

Deveria ter uma regra q caso o ST cancelasse o plano, ele só poderia voltar em uma categoria acima numa carencia de 6 meses, depois estaria livre pra escolher o melhor plano pra si. Além disso, tb deveria sofrer algum tipo de “punição” no rating de distribuição de ingressos.
Talvez essa medida não gere tanta receita, mas ajudará e muito a não perder a que já se tem.
Ao invés de reclamações, convença um amigo q ainda não é sócio a contribuir e diga para ele fazer o mesmo com outra pessoa, não é nem um pouco trabalhoso isso, e gera uma cadeia endemica de adesão, maiores receitas, melhores contratações. Quer ajudar o Palmeiras? Faça isso.

As noticias, são verdadeiros marcos da mediocridade administrativa alviverde, não há como negar o quanto estamos atrasados perante aos concorrentes, são inúmeras falhas que acumulam aspectos cômicos e trágicos, o atual presidente é uma figura midiática propensa a ser um astro do HIP-HOP, como gestor, há uma forte Constatação na primeira medida que ofereceu o atletas Barcos, por um valor inferior ao de mercado , que validou uma operação caduca, sem que tenhamos em pleno ano de disputas importantes os mesmos atletas em caráter de empréstimo, ávidos a permanecer no Palmeiras, eu só posso denominar esta situação como um fracasso completo , parabéns as chapas modernistas, que sempre rotularam as demais como demagogas, a realidade é crua, o senhor das trevas alviverdes, MANDA, mais que imaginamos!

GOSTEI DA IDÉIA DE PAGAR O SÓCIO TORCEDOR POR PRODUTIVIDADE:

SE FOR CAMPEÃO, PAGAREMOS (COM MUITO PRAZER) O DOBRO.

SE CHEGAR BRIGANDO PELO TÍTULO, FICA COMO ESTÁ. (VICE-CAMPEÃO)

CASO CONTRÁRIO DEVOLVE 10% A CADA POSIÇÃO ABAIXO DO SEGUNDO LUGAR…

PARABÉNS AO IDEALIZADOR…

36 mil guerreiros. O meu ST está por um fio. É renovar com araujo e o ST vai ser cancelado. A torcida do Palmeiras é a melhor que existe. Pois mesmo tendo um time, técnico, presidente, diretoria pífios ainda sem perspetiva alguma de melhora. Ainda continua pagando o ST.

Como já disse antes, se separar o futebol do resto, tenho certeza que o número de sócio-torcedor aumentará consideravelmente, visto que os recursos serão direcionados exclusivamente para o futebol. Mas até lá, com essa diretoria soneira, ficamos no aguardo.

Sobre o presidente palmeirense querer atingir a meta de 40.000 sócios, sem comentários… como ele quer conseguir se não mostra serviço??

Mas como não vai contratar ninguém e ainda vai manter uns perebas que a gente não gostaria de ver batendo recordes de permanência com a nossa camisa, vai perder alguns milhares que conseguiu… Concorda??

Os comentários estão desativados.