Categorias
Opinião

Carta aberta ao presidente

Por Rodrigo Barneschi, do blog Forza Palestra

Caro Paulo de Almeida Nobre,

Cá estava eu, tranquilo, aproveitando meu recesso e acompanhando, a partir de estudada e saudável distância, as infinitas atrocidades cometidas pelo senhor e por seus asseclas contra a Sociedade Esportiva Palmeiras. Uma atrás da outra, elas se somam dia após dia, em uma escalada interminável e por demais nociva. Eis então que, não contente com as más práticas na gestão do clube, o senhor nos presenteia com esta carta aberta logo no primeiro dia do nosso centenário.

Ora, ora, nobre presidente, cartas abertas, ainda que com retórica descuidada e mesmo que desprovidas de conteúdo, abrem espaço para outras cartas, igualmente abertas, em devolução a esta inicial. O senhor, portanto, não me deixa escolha e, ao menos por ora, me sinto no dever de publicar um documento que se pretende atemporal. Na sequência, uma vez que não vivo de renda, me permito retomar os afazeres cotidianos.

Começo por dizer, caro presidente, o seguinte: a infelicidade da carta que chega até a “torcida que canta e vibra” demonstra ou o seu distanciamento em relação aos 16 milhões que somos o Palmeiras ou, ainda pior, que o texto pode assim, de maneira um tanto desavisada, ter saído da lavra de seu fiel (pois gambá) assessor, aquele a quem o senhor dá guarida em detrimento de palmeirenses de quatro costados. A escolha foi e é sua.

Tomo para mim, em que pese o risco de estar sendo demasiadamente ingênuo, que um palmeirense alçado ao posto de presidente do Campeão do Século XX jamais permitiria que um gambá escrevesse uma “carta aberta à torcida que canta e vibra”. Isso posto, me sinto impelido a atribuir a desqualificação deste documento ao já apontado distanciamento do senhor em relação à massa alviverde e em relação a tudo aquilo que fez o Palmeiras ser o que ele é – e continua sendo, apesar do senhor e dos seus.

Tal distância se revela em cada pronunciamento oficial e em cada nova demonstração de desapego às nossas tradições, bem como de pertencimento a uma realidade alternativa que nada tem a ver com aquela que vivemos dia após dia. É o distanciamento que já foi apontado tantas e tantas vezes (sugiro conferir as muitas publicações acerca disso lá no Forza Palestra) e que só faz piorar à medida que o senhor se envolve com a sua questionável rede de aliados.

Foi o senhor, presidente, que cunhou, em sucessivas entrevistas, o termo “refém do centenário”. Fazendo um bom esforço, consigo até entender o que se passa pela sua cabeça quando diz isso. Mas, presidente, eu nem sei como te dizer isso e espero que você não se assuste muito, mas esses tais 16 milhões da sua carta aberta não temos muita opção: somos reféns do que sentimos pelo Palmeiras. Não de um Palmeiras administrado – de maneira tacanha – como se fosse uma pequena empresa (ou, vá lá, um tosco fundo de investimento), mas de um Palmeiras que se notabilizou por ser o mais vencedor entre todos os clubes de futebol deste país. Sei que isso pode te chocar, mas é assim que funciona uma torcida de futebol – não apenas a que “canta e vibra”, mas qualquer outra.

Se é um tanto inconsciente este processo, o mesmo não se pode dizer de quem que se torna refém voluntário de uma política covarde e também de figuras como as que o cercam: um CEO que, um ano passado, nada fez de diferente a não ser insistir nos mesmos erros e repetir as mesmas desculpas; um departamento de marketing que se mostra incapaz de, no ano do centenário e com a Copa do Mundo por aqui, arrumar um patrocinador que até mesmo figuras débeis de outros tempos conseguiram; um fiel assessor que vive tropeçando nas próprias mentiras. Isso sem contar o débil exército da austeridade, esta claque de indigentes mentais que aparentemente o sustenta.

De tal forma, nobre mandatário, que suas desculpas esfarrapadas e suas grosseiras tentativas de eximir de responsabilidade a sua gestão se tornam inconsistentes à medida que contrapostas às equivocadas decisões tomadas exclusivamente pelo senhor. Sim, porque, entre outras, é sua a decisão de manter como CEO, sabe-se lá a que custo, um profissional que se mostra incapaz de apresentar quaisquer resultados minimamente positivos.

A não ser que abandone o compromisso com o erro que pauta esta sua administração, será eternamente lembrado como o homem que distanciou o Campeão do Século XX de sua finalidade única. Pior ainda: como o homem que escolheu fazer isso logo no ano de seu centenário.

Lamento, ainda, que o senhor tenha se prontificado a escrever uma carta aberta com o propósito de, já nas derradeiras linhas, evocar o discurso derrotista e vazio que já caminha para o seu primeiro aniversário. Aproveito para sugerir ao senhor que vá ao dicionário procurar o significado de autossuficiência. Faça esse favor a si mesmo.

Por fim, de nada adianta conclamar a torcida a transformar o estádio em caldeirão, a cantar alto, a se doar ou a empurrar o time à vitória. Porque isso tudo é o que fazemos ano após ano, quaisquer que sejam os dirigentes de plantão a destruir o Palmeiras e sejam lá quais forem os jogadores, o treinador, o adversário e o campeonato de que tomamos parte. Isso tudo é o que faz o Palmeiras ser o que é – apesar da mentalidade tacanha de quem o dirige hoje. Isso tudo nós fazemos por conta própria, sem precisar que alguém que vive em outra realidade nos venha ensinar. Não queira se apropriar do que não entende. Em vez disso, o senhor deveria se preocupar em conduzir o Palmeiras como o gigante que ele é, entrando em campo não para passar vergonha e fechar o balanço no azul, mas para ser campeão, superando, como de costume, todos os seus rivais.

Faça-nos um favor, portanto: não venha querer ensinar o palmeirense a torcer. Não venha querer dizer como devemos nos portar no estádio, como devemos empurrar o time, como devemos fazer a diferença na arquibancada. Disso, meu caro senhor, entendemos nós.

Rodrigo Barneschi, do blog Forza Palestra

Palmeirense, sócio do clube, sócio Avanti e defensor eterno da arquibancada e de um Palmeiras que tem apenas e tão somente um propósito: ser campeão

***

Nota da Administração do 3VV: a Coluna Opinião passa a ser chamada de Opinião do Torcedor, publicada às 2as feiras e sem um colunista fixo, mas com a colaboração de parceiros e amigos do 3VV e seus colunistas. Como sempre informamos em nossas colunas, a opinião é do colunista e não necessariamente reflete a opinião do site.

 

239 respostas em “Carta aberta ao presidente”

Torcida mais chata do Brasil é isso aí.
.
Gestão Paulo Nobre/Brunoro tem inúmeros pontos a serem criticados mesmo. O grande problema é que, geralmente, quem adora criticar toda vírgula nunca abriu a boca pra elogiar o que vem fazendo de bom.

Caro Barneschi,
Na minha opinião de Palmeirense, que começou a ir ao estádio em 76, portanto viveu todas as mazelas dentro do campo, não é mais possível acreditar em papai noel. E a meu ver é isto que faz quem acha que presidente de clube de futebol tem varinha de condão. Acorda nego! Não entraremos mérito da aberta ou dos atos do atual presidente, motivo da tua resposta. Deixe pra la. Vivemos em 2014 numa draga de país em que o mal maior é acreditar que o governante vai resolver tudo e dar bolsa isto ou bolsa aquilo. A transição para o antro que é a política da SEP para algo melhor vai levar no mínimo uma década! Uma hora tem que começar, ou vai dizer que vc é Tironete ou Beluzzete?

Há anos não tínhamos tanta contratação (de razoável para boa) no time do Palmeiras. Olho para os rivais e não vejo nenhuma contratação.
Me parece que depois da pisada de bola do Barcos a diretoria faz um bom trabalho. INFINITAMENTE superior ao DESGOVERNO de Tirone e à gastança INOCUA de BElluzzo.
Confio na Gestao do Nobre: Reduziu os gastos e compôs um elenco minimamente decente (Mandou Márcio Araújo embora).
(Valdívia, Bruno Cesar, Wesley e Eguren no meio-campo é o melhor que tivemos nos últimos 5 ou 6 anos).
Creio que o Palmeiras está no caminho certo: bom elenco e saúde financeira

Caros palestrinos. vou expressar aqui minha opinião. acho q o palmeiras não deve fazer contratações absurdas, acredito q a diretoria esta no caminho certo, saneando as contas, buscando jogadores que querem realmente jogar no palmeiras e, e um futuro próximo montar uma grande equipe.

Sabe o que é realmente engraçado? A maioria dos que estão vislumbrados com as atitudes do P.Nobre ao que parece estão só a par das noticias que a mídia comum e o staff do presidente estão mostrando. É triste, pois é dificil explicar para os mesmos o real status das situação. Aí ele me leem a carta escrita pelo Barneschi e enxergam ódio…. ódio?! Será que se esqueceram do que somos ou nunca souberam e já se acostumaram com a mediocridade que vivemos a seguidos anos? Já vi varios comentarios a respeito da situação do clube em diversos sites da MP e os que tomam posturas criticando as atitudes da diretoria atual ( não estão contra, estão criticando!) são sempre achincalhados pelos meninos chapa branca, como se fossem terroristas. A conclusão que chego é que o PN está de parabéns por mediocrizar uma boa parcela da torcida alviverde… eles(os que defendem) não entendem que torcer, gastar, sofrer é o que fazemos anos após ano, independente de divisão , campeonato ou jogadores… e leem essa carta safada do P.Nobre e vislumbram… sai fora! Esse plano de sócio torcedor é uma porcaria ainda , pra quem mora fora do estado não serve de nada praticamente, e mesmo que sirva a unica vantagem pra quem mora fora é a mesma que qualquer outro clube que tem sócio torcedor pode utilizar… aí eu me lembro da época do Beluzzo que ao menos tentos pensar como presidente e tentou dar vantagens pra quem pagava o sócio como desconto em viagens pela azul… isso sim é diferencial não algo que é comum pra todos, soa até reduntante, porque é! Grande abraço !

Achei que o texto é um puta desabafo por um lado, mas carrega alguns juízos de valor pelo outro. Nada mais normal, é a opinião do autor, ainda que não concordemos com ele. Apenas gostaria de ressaltar o quanto estamos divididos, apoiando ou fazendo oposição ao Nobre. Não acredito que estejamos nesse inferno que o autor descreve. Temos um monte de problemas sim, a diretoria errou, mais de uma vez. Tem uma galera que só joga amendoim, sim. Enfim, lendo os comentários, pois me importo e quero meu Palmeiras campeão, não posso deixar de ressaltar a quantidade de agressões de uns a outros apenas porque discordam. De novo, essa divisão só indica que há uma polarização. Seria bacana não ver tanto esculacho, assim como seria bacana não ver tanta gente querendo opinar por todos.

Bom… visto a quantidade imensa de comentários com o mesmo tema, vocês me convenceram… PN não tem NENHUMA responsabilidade sobre o estado em que se encontra o Palmeiras, apessar de 12 meses quase completos de sua gestão. Ele é um messias vindo dos céus para nos salvar da lama e podridão que nos assola, ano após ano. E trouxe consigo um anjo Gabriel chamado Brunoro, e vários santos do tal grupo vanguardista, que compõem sua diretoria.

Saudamo-nos Paulo Nobre!!! Nosso abnegado Salvador que tirou milhões do próprio bolso para ajudar seu clube de coração!!!

Saudades do tempo em que nossa torcida torcia para o Palmeiras, e não para presidentes e diretores.

* E, de acordo com o nível, necessita-se dizer que essas parcas linhas são irônicas.

Sinceramente, aprendi a AMAR o Palmeiras aos 7 anos de idade, e infelizmente tenho aprendido a ODIAR parte da torcida Palmeirense aos 28 anos de idade.
Um conhecimento simples que passo pro meu filho, e creio que teria um enorme valor junto à esta parte da torcida que hoje eu ODEIO: “Se não puder ajudar, não atrapalhe!”
Simples, né ?
Como tudo na vida, a Internet tem seus “prós” e seus “contras”, e um destes “contras” com certeza é dar voz pra quem tem pouco a ACRESCENTAR. Veja bem, não disse “dizer” ! Disse acrescentar.
Você Rodrigo, tem coisas a dizer, e escreve bem. Mas de que serve essas suas palavras ? Qual a finalidade desta carta ?
Marcar território ? Conquistar espaço ? Público ? Reinar entre os pessimistas descontentes ?
Indepentende do motivo que seja, bem ao Palmeiras sabemos que não faz! E pra quem se diz tão Palmeirense, esta deveria ser a sua preocupação número 1, fazer bem ao Palmeiras.
O atual presidente do Palmeiras NÃO é responsável pelas falhas administrativas que ocorreram desde o fim da “era Parmalat”. Costumo dizer que nascemos em 1914 e tivemos tempo de ser o Campeão do Século XX, e que demos estes anos de vantagem aos nossos adversários, pra ver se dão mais arrocho no Século XXI. Partiremos de 2014, destinados a ser os Campeões deste Século, APESAR dos “Cornetas”.
Erros e acertos foram cometidos por esta gestão, o que é normal ! Quem exige a perfeição, escancara sua ignorância !
O Paulo Nobre assumiu o Palmeiras em meados de Janeiro, com 70% das verbas de 2013 já gastas, vários contratos à cumprir, alguns com valores acima da realidade, com o clibe rebaixado à Segunda Divisão Nacional, e pra piorar, com o Patrocinador Máster comunicando que vai deixar o clube !
Tivemos resultados esportivos ruins em 2013 ? SIM !
É responsabilidade do Paulo Nobre ? NÃO !
E em meio à mediocridade dos resultados esportivos, há coisas boas ! Não perdemos nenhum clássico ! No Paulista caímos em um clássico apenas nos pênaltis, na Libertadores caímos por uma fatalidade (frango do Bruno) e pra um time que esteve a um pênalti aos 45 do 2o tempo de eliminar o Campeão, e na Copa do Brasil caímos para o Vice-Campeão. Na série B provamos que aquele não é nosso lugar, DEFINITIVAMENTE !!!
O que será de 2014 ?
Eu não sei, e tenho certeza de que você também não sabe !
Se você acha que 2013 foi um ano ruim e que a culpa é do Paulo Nobre, tudo bem… mas não fale de um 2014 que você desconhece !!! Este ano não está perdido… perdidos estão uma boa porção de Palmeirenses !!!

Os comentários estão desativados.