Categorias
Verdão na Mídia

Verdão na Mídia 31-01-2014: Nobre se decepciona com Henrique e lamenta ‘herança’ de Tirone ❘ Lancenet

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Nobre se decepciona com Henrique e lamenta ‘herança’ de Tirone

As contratações de Wesley e Henrique na gestão de Arnaldo Tirone geraram problemas para a diretoria atual, de Paulo Nobre, resolver. Depois de vender o zagueiro para o Napoli (ITA) e ser acionado na Justiça pelo fiador que ajudou na contratação do volante, o mandatário palmeirense mostrou-se dececpionado com as atitudes do ex-capitão pelo clube, o qual tinha uma dívida de quase R$ 7 milhões por conta de sua compra, do Barcelona (ESP), em 2012.

– Quando ele (Henrique) veio, o discurso era de que vinha de graça, mas a gente arcou com uma dívida de R$ 5 milhões com quem o trouxe, e luvas de R$ 1,8 milhões com o Henrique. O problema é quando tem esta atitude, mas não pagam o jogador, nem o agente, acabam empurrando isto para a gestão futura – explicou Nobre.

– É claro que quando o meu capitão, no meio de uma discussão de parcelamento da dívida com ele, que conversa diretamente com o presidente, e notifica extra-judicialmente o clube em um ato claramente preparatório para deixar o clube de graça, é decepcionante. Mas senhores, estamos no meio do futebol, isto acontece e temos que tratar com naturalidade – acrescentou.

Henrique assinou até 2017 com o clube italiano e havia recebido os quase R$ 2 milhões de luvas no início deste ano, depois de entrar na Justiça contra o clube. O ato gerou mal estar e fez com que o Verdão pegasse o dinheiro que seria destinado à premiação pelo título da Série B – este, porém, foi quitado pouco depois. Antes de ser negociado, o então camisa 3 chegou a pedir um aumento de quase R$ 60 mil mensais.

O caso de Wesley envolve a sua contratação também em 2012, feita por Tirone, tirando-o do Werder Bremen (ALE). Fiador do negócio, o presidente do Criciúma, Antenor Angeloni, acionou o clube no Tribunal de Justiça de São Paulo e a primeira decisão foi favorável ao financiador. Por isso, R$ 21 milhões do contrato de direitos de transmissão pago pela Globo estão bloqueados. O Alviverde já entrou com um recurso.

Sobre o tema, Nobre disse que “o departamento jurídico” pode falar com mais propriedade, mas reclamou da formatação dos negócios com Henrique e Wesley. O dirigente, porém, evitou fazer críticas diretas aos seus antecessores.

– Esportivamente falando, os dois deram bons frutos dentro de campo, mas com relação à parte dos acordos feitos entre clubes e jogador, teria feito de forma diferente, só que foi como as gestões anteriores conseguiram fazer e era política das gestões anteriores. Não podemos falar que só nossa gestão é correta, porque outras tinham outras filosofias e todas tentaram acertar, assim como nós – completou.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Nobre aguarda bom negócio e Kleina já se prepara para saída de Wesley

Por William Correia

Após perder Henrique, Gilson Kleina já se prepara para ficar sem outro titular absoluto. O Palmeiras não pagou nenhuma das parcelas que deveria na contratação de Wesley, não tem dinheiro para quitar a última nas próximas semanas, foi acionado na Justiça pelo fiador da negociação e, por isso, Paulo Nobre está à espera de alguém que queira levar o volante em troca de um valor interessante.

“O Palmeiras pode negociar qualquer jogador do elenco se aparecer uma proposta boa para ele e para o clube. Da mesma maneira que o Henrique foi negociado, outros podem ser”, disse o presidente, em declaração padronizada para não expor tanto a necessidade de abrir mão de Wesley, mas deixando claro que não é só o alto salário do meio-campista que traz problemas no rombo financeiro do clube.

“Não é só o fator salário, é o fator negócio. Se vier uma proposta interessante, não há como o negócio não acontecer. Temos uma política de teto salarial dentro da política financeira do clube e não vamos vender a alma para ser campeão. Minha gestão não é populista, penso primeiro e sempre na instituição”, continuou Nobre.

O Verdão se comprometeu a pagar ao Werder Bremen, da Alemanha, por Wesley em 2012, mas não teve recursos para arcar com a dívida. O fiador da negociação, então, teve que desembolsar mais de R$ 20 milhões e entrou com ação na Justiça que bloqueia a quantia que o clube receberia nos direitos de transmissão das suas partidas.

Wesley tem vínculo até abril de 2015 e, por isso, ficará livre para assinar pré-contrato a partir de outubro e sair de graça. A diretoria sabe que este é o melhor momento de conseguir algum dinheiro com o volante e Kleina está ciente do assunto, embora deva continuar escalando o jogador enquanto sua saída não se torna iminente.

“No Palmeiras, temos que estar sempre atentos. Não conversei com o Wesley nem com a diretoria, então não sei qual é a verdade. Sempre falo que quero focar no jogo e, se eu sentir que a atenção não está no jogo, é melhor conversar e tirar. Temos que ver em que ponto está a situação e sabemos que a instituição é maior que todos nós”, discursou Kleina.

No meio do problema, Wesley diz só pensar em jogar. “Não sei de nada. Tenho que jogar bola e não estou acompanhando nada, não chegou nada diferente pra mim. Tomara que resolva, porque já considero o Palmeiras a minha casa. Estou feliz aqui, encontrei meu futebol e, a cada dia que passa, estou crescendo”, falou o volante.

Nobre, por sua vez, quebra a cabeça para lidar com mais um problema deixado por seu antecessor, Arnaldo Tirone. “Esportivamente, o Wesley deu bons frutos em campo, mas eu teria feito as partes dos acordos de uma maneira diferente”, comentou o presidente, preocupado com o bloqueio de receitas.

“Em uma situação financeira caótica, qualquer bloqueio de dinheiro é bem complicado. Mas o Palmeiras é muito grande, se reinventou várias vezes em 100 anos e vamos dar solução a mais esse problema. Vamos superar qualquer dificuldade”, apostou o dirigente, que tenta negociar um acordo com o fiador da contratação de Wesley.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Wesley evita polêmica sobre contrato e diz estar feliz no Palmeiras

Por Daniel Batista

Sem querer, o volante Wesley se viu no meio de uma grande polêmica no Palmeiras, com brigas judiciais e possibilidade de deixar o clube de graça. Entretanto, o jogador garante que, se depender de sua vontade, ele fica. Avisou, inclusive, só quer pensar em continuar evoluindo na equipe.

“Estou feliz aqui e reencontrei meu futebol. Recebi muitas críticas quando cheguei e sofri a lesão, mas a cada dia que passa estou crescendo. Estou feliz e minha família está adaptada”, avisou o volante, um dos destaques do Palmeiras no título da Série B e na atual temporada.

A empresa Angeloni & Cia foi a fiadora do Palmeiras na contratação do volante e deu uma carta de crédito ao clube para fechar com o jogador em junho de 2012 no valor de R$ 15 milhões, que seriam pagos ao Werder Bremen em três parcelas anuais de R$ 5 milhões. O clube não pagou a dívida, a empresa teve que arcar com os custos e, por isso, resolveu acionar o Palmeiras na Justiça.

“Não sei de nada. Tenho que jogar bola para falar a verdade e não estou acompanhando nada do que está acontecendo. Tomara que se resolva, porque já considero o Palmeiras a minha casa. Não chegou nada diferente para mim. O que me deixa animado é que a equipe está crescendo e posso fazer parte dessa história maravilhosa”, disse o volante, que tem contrato até fevereiro do ano que vem.

Sobre a briga na Justiça, o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, admitiu a dívida, mas disse que não tem o que comentar, já que é um caso envolvendo o departamento jurídico do clube. Mas admitiu que, se chegar uma boa proposta, aceita negociar o jogador.

“É como sempre falo. O Palmeiras pode negociar qualquer jogador do elenco se aparecer uma boa proposta para ele e para o clube. Da mesma maneira que o Henrique foi negociado, outros podem ser”, avisou o dirigente.

Já o técnico Gilson Kleina disse que tenta evitar que o problema extracampo afete o desempenho do jogador. “O Wesley está em um bom momento, começou o ano muito bem e uma coisa que a gente sempre quer é deixar o elenco forte. Temos que ver em que ponto está a situação e sabemos que a instituição é maior que todos nós. Estávamos redondinhos, mas no Palmeiras temos que estar sempre atentos. Se parar para lamentar, aí você realmente reflete”, analisou o treinador.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Kleina diz que procura zagueiro para o Palmeiras, e Brunoro desconversa

Por Marcelo Hazan

No último domingo, José Carlos Brunoro afirmou que o período de contratações do Palmeiras havia se encerrado. Poucos dias depois, a saída do zagueiro Henrique para o Napoli, da Itália, pode fazer com que os planos sejam alterados no clube. Com apenas dois zagueiros à disposição, o técnico Gilson Kleina afirmou em entrevista coletiva que espera por peças de reposição para compor e completar o elenco.

– Com a saída do Henrique abriu uma lacuna para se contratar um zagueiro, mas não precisa se precipitar e contratar qualquer um. Saiu um jogador capacitado, de seleção brasileira, e o mercado é bem restrito. Mas precisamos recompor o setor. Temos apenas Lúcio e Wellington, além do Marcelo Oliveira (volante que pode atuar improvisado). Temos de formar bem a equipe e mexer o menos possível – disse.

Atualmente, Kleina conta com Lúcio e Wellington apenas para o setor. Os dois formaram dupla de zaga na vitória contra o Penapolense na última quinta-feira e tiveram bom desempenho. Tiago Alves, com uma luxação no ombro, Victorino, que ainda trabalha a parte física, e Thiago Martins, que teve uma lesão no joelho direito durante a Copa São Paulo, estão fora da equipe.

– Estamos precisando de jogadores nesse setor. Vamos torcer para Tiago Alves e outros jogadores se recuperarem para termos um grupo coeso e completo – completou.

Apesar do apelo do treinador, Brunoro manteve postura e afirmou que a saída de Henrique não vai fazer com que a diretoria altere o planejamento.

– Não. Não muda nada. A avaliação do treinador é em cima dos jogadores que temos no elenco  – desconversou.

Um dos principais destaques do Palmeiras, o chileno Valdivia lamentou a saída de Henrique, mas fez questão de destacar a importância dos atletas que permaneceram no clube para a temporada do centenário.

– Falar do Lúcio não dá para achar coisa negativa. É um cara líder dentro do vestiário e em campo. Está dando segurança para a nossa zaga. Lamento a saida do Henrique, porque era nosso capitão. A dupla de zagueiro que ele formou com o Vilson ano passado se deu muito bem, mas agora desejo sorte a ele nessa caminhada no Napoli. Temos de dar confiança para quem vai jogar aqui – avaliou.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ TERRA ESPORTES

• Melhor início em 5 anos embala Palmeiras em 1º clássico após 280 dias

O Palmeiras volta a disputar um clássico após “jejum” de 280 dias, uma vez que o clube alviverde disputou a Série B do Campeonato Brasileiro no ano passado e não esteve frente a frente dos seus maiores rivais após o Paulista de 2013. Assim, neste domingo, a equipe do Palestra Itália encara o São Paulo de olho também na série de quatro partidas seguidas com vitórias na atual temporada, fato que não foi alcançado por nenhum dos outros times que disputam o Estadual.

Esse, aliás, é o melhor início do Palmeiras no Campeonato Paulista desde 2009. Na ocasião, a equipe venceu os oito primeiros duelos, embalou na competição e só foi perder na 17ª rodada, curiosamente diante do mesmo São Paulo. Apesar da boa campanha, contudo, o clube alviverde sucumbiu na semifinal com dois reveses contra o Santos, que seria vice-campeão.

“Sabemos que precisaremos de mais intensidade no domingo. É classico, igualam-se as forças. Mas temos que fazer valer o que trabalhamos. É um jogo totalmente atípico. Claro que se você puder ser competente no clássico te dá muito mais confiança. Domingo será um jogo especial que vamos fazer de tudo para alegrar nosso torcedor”, definiu o técnico Gilson Kleina, após o triunfo por 1 a 0 contra a Penapolense nesta quinta, no Pacaembu.

Com quatro triunfos em quatro confrontos, o Palmeiras segue embalado. Entretanto, a equipe precisa se cuidar, já que em quatro dos últimos cinco Campeonatos Paulistas o clube perdeu a invencibilidade em um clássico – contra o Corinthians em 2010, 2011 e 2012, e contra o São Paulo em 2009.

“Estamos nos preparando para jogos importantes e decisivos. Nos preparamos para chegar bem, sabemos o que acontece, não vamos criar um monstro, terão nossos respeito, mas dento de casa vamos tentar fazer nosso melhor. O importante é esse grupo construir o seu valor. Mas temos que vencer de forma respeitosa, organizada, manter a equipe focada no que sabe, pois vamos enfrentar um adversário importante”, analisou Kleina.

No ano passado, entretanto, o Palmeiras não perdeu nenhum dos clássicos que disputou. Mas também não ganhou: empatou contra os três arquirrivais e caiu nas quartas de final contra o Santos após cobranças de pênaltis, depois de 1 a 1 no tempo normal, no dia 27 de abril de 2013 – que completará 280 dias no próximo domingo. Na primeira fase foram igualdades contra Corinthians (2 a 2), São Paulo (0 a 0) e Santos (0 a 0).

O Palmeiras encara o São Paulo no domingo, às 17h (de Brasília), no Estádio do Pacaembu, pela quinta rodada do Campeonato Paulista.

Veja últimos inícios do Palmeiras nas quatro primeiras rodadas do Campeonato Paulista e quando o clube sofreu a primeira derrota:

2009 – teve oito vitórias seguidas, perdeu na 17ª rodada para o São Paulo

2010 – duas vitórias e dois empates, perdeu para Corinthians na 5ª rodada

2011 – três vitórias e um empate, perdeu na sétima rodada para o Corinthians

2012 – duas vitórias e dois empates, perdeu na 15ª rodada para o Corinthians

2013 – duas vitórias, um empate e uma derrota, perdeu na 3ª rodada para Penapolense

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ TERRA ESPORTES

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Palmeiras contém empolgação: não adianta ser 100% se perder Choque-Rei

Por William Correia

O Palmeiras não encantou, mas, no último jogo antes de seu primeiro clássico no centenário, venceu o Penapolense por 1 a 0 e é o único time que só acumulou vitórias nas quatro primeiras rodadas no Campeonato Paulista. Os jogadores, contudo, sabem que nada disso terá valor se o time perder do São Paulo quando voltar ao Pacaembu, no domingo.

“Estamos 100%, mas agora temos um clássico muito complicado. Futebol é momento. Então, não adianta ter quatro vitórias e perder no domingo. Precisamos ter consciência disso. Jogando em casa, no único clássico com nosso mando, temos que aproveitar”, discursou Fernando Prass, novo capitão após a saída de Henrique.

Os atletas mais experientes acompanham o tom de cautela nas palavras. “Com certeza chegaremos bem preparados para domingo, mas clássico é clássico, independentemente se um time estiver na liderança e o outro for o último. Será mais um jogo difícil”, previu Marcelo Oliveira.

A equipe também sabe que precisará mostrar mais do que nesta quinta-feira. “Precisaremos de mais intensidade no domingo. É clássico, igualam-se as forças. Temos que assumir o que queremos dentro desse grupo, mostrar comprometimento e seguir fazendo o que estamos fazendo. É um jogo em que entram tradição e emocional, mas temos que fazer valer a nossa casa”, afirmou Gilson Kleina.

Contra o Penapolense, ao menos, o time mostrou paciência. “É uma vitória que tem que ser enaltecida. Não nos movimentamos porque eles fizeram uma boa marcação, em cima do Valdivia e do Leandro, e encurtar os espaços de quem tem criatividade gera irritação. Mas foi um jogo de paciência, como tivemos”, aprovou o treinador.

“Temos que corrigir algumas coisas, mas trabalhamos bem a bola e fizemos o que tínhamos que fazer: marcamos o gol e administramos a vitória. O torcedor quer ver gols, o time indo para cima, mas temos que ser inteligentes. E todos saem felizes com a vitória”, afirmou Juninho.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Médico vê Valdivia bem para o clássico, e meia diz estar pronto

Por Marcelo Hazan

O departamento médico do Palmeiras põe Valdivia em condições de disputar o clássico contra o São Paulo, neste domingo, às 17h, no Pacaembu. De acordo com o médico Rubens Sampaio, o jogador não sentiu problemas após a vitória, por 1 a 0, sobre o Penapolense, na última quinta-feira, e está liberado para o Choque-Rei.

– O Valdivia está garantido para domingo – disse Sampaio.

Substituído no intervalo do jogo contra o Penapolense, Valdivia deixa a decisão da escalação para o técnico Gilson Kleina, que dá indícios claros de que deve usá-lo no clássico. O atleta, por sua vez, se dispõe a atuar o tempo que for decidido pela comissão alviverde.

– Vou jogar o que tiver de jogar. Se for 20, 70 ou 90 minutos. O treinador é quem manda. Não sei nem se vou ser escalado ainda. Não sou eu que decido – diz o meia.

– O Valdivia segue estritamente o que planejamos. Atuou mais um tempo (contra o Penapolense) para ter mais ritmo para o terceiro jogo. Todas as partidas são importantes, mas se pudermos levar os jogadores especiais com força e qualidade para o clássico vai nos ajudar muito – explicou Kleina.

Em sua estreia no centenário, Valdivia comandou o Verdão na vitória por 4 a 1 sobre o Atlético Sorocaba, no último domingo, quando atuou por 75 minutos e fez um gol. Agora, o meia descansa e treina junto com o elenco em Atibaia, no interior paulista, onde a delegação se concentra para enfrentar o São Paulo .

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ IG ESPORTE

• Allianz Parque quer ter um dos melhores projetos de acessibilidade

Construtora promete 1.405 lugares a portadores de necessidades especiais e apresenta principais benefícios da acessibilidade da Arena na manhã desta sexta-feira

Por Gabriela Chabatura

Enquanto o Palmeiras e a WTorre não decidem a quem pertence a comercialização das cadeiras do Allianz Parque, as obras do futuro estádio continuam. Com cerca de 80% delas concluídas, a Arena vai ganhando forma e promete excelência também em  questão de acessibilidade. Ao menos é o que garante a construtora, que realizará uma visita no local na manhã desta sexta-feira para divulgar os principais acessos e áreas destinadas aos PNE (Portadores de Necessidades Especiais).

Organizado pela própria WTorre, o encontro terá as presenças de ao menos dois torcedores com necessidades especiais, Gilberto Frachetta, presidente do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, e representantes da empresa.

Diferentemente do antigo Palestra Itália, a promessa é que todos os torcedores possam usufruir do Allianz Parque, seja ele PNE ou não. Os acessos especiais irão desde o estacionamento do estádio com vagas específicas, assentos reservados, até bilheterias especiais. As adaptações ultrapassam as exigências da norma brasileira e também da Fifa, entidade máxima do futebol.

Leandro Moreira, de 29 anos, é portador de necessidade especial e relembra as dificuldades que enfrentou no antigo estádio.

“Olha, eu ia muito ao Palestra Itália. Primeiro na arquibancada, e depois no camarote que era disponibilizado para os portadores de necessidades especiais. O lugar ficava embaixo das cabines de imprensa, bem ao lado do camarote da Federação Paulista de Futebol, e era pequeno. Tínhamos de dividir o camarote com pessoas sem nenhuma limitação, que detinham algumas cadeiras. Isso, às vezes, era constrangedor, principalmente para os cadeirantes, que precisavam ficar em suas cadeiras e, muitas vezes, não viam o jogo quando lotava”, disse o palmeirense ao iG Esporte.

De acordo com os números da construtora, a Arena possui rampas de acesso, 66 banheiros acessíveis e exclusivos em todos os pavimentos, 396 espaços para cadeirantes, 754 assentos para pessoas com mobilidade reduzida, 255 cadeiras para obesos e 49 vagas para PNE, além de 15 elevadores e 26 escadas rolantes – que começaram a ser instaladas nesta semana.

“O elevador era arcaico, nada moderno mesmo. Era uma tortura utilizá-lo. Às vezes, ficávamos minutos esperando a cabine esvaziar. Os auxiliares tinham que se desdobrar para dar conta de todos. Era um caideirante por vez descendo, tendo de dividir o mesmo espaço com jornalistas, sócios, diretores”, completou Leandro.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ IG ESPORTE

••

BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

• Time merece ser 100% no Paulista

Por Fabricio Crepaldi

O Palmeiras não é o único time 100% no Paulista por acaso. E a exibição dessa quinta deixou isso mais claro.

Outra vez não foi uma atuação de encher os olhos. Mas ainda não dá para esperar isso do time. Porém, a cada partida o Verdão se mostra mais organizado, consistente, inteligente, eficiente…

A equipe teve dois tempos distintos. O primeiro foi bastante amarrado, sem conseguir criar grandes chances, principalmente por conta da retranca – e também das pancadas – do Penapolense.

E foi na segunda etapa que o Alviverde apresentou outro motivo pelo qual venceu todas: a importância de ter um elenco forte.

Gilson Kleina tem mostrado que sabe o que fazer com as peças que tem à disposição. Não temeu tirar Valdivia, que vinha mal, e colocar Marquinhos Gabriel. O Palmeiras foi totalmente diferente com o camisa 40 em campo.

Não só pelo gol dele, mas pela velocidade, organização e movimentação que deu ao time. Na etapa final, o Verdão tocou a bola, abriu espaços, criou, perdeu chances, acertou a trave… A substituição foi fundamental.

A parte defensiva foi outro bom aspecto. Outra vez o time levou poucos sustos e foi sólido. E novamente Wendel teve grande atuação, assim como Wesley.

Hoje, o Palmeiras é o time mais acertado desse Paulistão. E tem tudo para crescer ainda mais.

Leia aqui a matéria completa → BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

••

BLOG DO MENON ❘ UOL

• Palmeiras fura retranca e está pronto para o clássico

Vencer o Penapolense por 1 a 0 em casa não é um dos 100 melhores resultados da vida do Palmeiras, mas deve ser comemorado. O adversário fico totalmente na defesa, com quatro volantes e quatro zagueiros desarmando com aplicação e também violência. Heleno exagerou e foi expulso, o que facilitou o serviço para o Palmeiras no segundo tempo.

O que ajudou também foi a entrada de Marquinhos Gabriel. Ele, que havia feito uma boa estreia, com dois passos decisivos os, agora fez o gol da vitória. Três pontos garantidos em um jogo que se limitou a um tenso exercício de ataque contra defesa.

Foi a quarta vitória seguida de um time que mostra bastante solidez na defesa e velocidade no ataque. E pode melhorar com a chegada de Bruno César. Evidentemente, estamos perto de muitos questionamentos à Gilson Kleina. Muita gente vai pedir que

Bruno César jogue ao lado de Valdívia. Kleina vai resistir o quanto puder. Manterá dois volantes e Wesley fazendo a transição.

Não importa. Há que se festejar a existência de opções. Pior é quando só se tem onze e eles não agradam.

O Palmeiras 100% tem encontro marcado com o São Paulo 75% no domingo.

E todos aqueles que deteste o Paulistão estarão atentos ao clássico. Talvez até o Paulo André que, fiel às suas ideias, criticou o nível técnico do campeonato que disputa. O baile que levou da garotada do Santos talvez seja o melhor exemplo de mau nível técnico do campeonato até agora.

Voltando ao jogo, será um bom encontro. Alvaro Pereira x Mazinho, Valdivia x Wellington, Lucio x Luís Fabiano.

E, todos nós sabemos que futebol é como pizza: até quando é ruim, é bom.

Que venha o classico.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO MENON ❘ UOL

••

BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

• O Palmeiras continua 100 por cento, o São Paulo contrata: vem aí o Choque-Rei

Com a vitória sobre o Penapolense- ainda que por 1 a 0- gol de Marquinhos Gabriel, o Palmeiras manteve 100 por cento de aproveitamento, com doze pontos ganhos em quatro jogos; o São Paulo praticamente acertou a contratação do bom volante de Souza, do Grêmio, um reforço que se junta ao colombiano Pabón e o uruguaio Álvaro Pereira na lista de novidades do tricolor para a temporada.

A campanha do Palmeiras e a reação do São Paulo são bons ingredientes para o clássico deste domingo, no Pacaembu, em duelo que foi apelidado de “Choque- Rei” pelo Jornalista Thomas Mazzoni, já falecido: Mazzoni chamou assim a este confronto, pois, à época, palmeirense e tricolores costumavam dividir os títulos do futebol paulista.

Depois do jogo contra a Penápolis, Valdivia- que apenas atuou meio tempo, poupado para domingo- rechaçou a ideia de que seu time é o favorito para o duelo: “Clássico é diferente, não tem previsão. Diziam que o Corinthians estava um passo na frente do Santos e ele perdeu de 5”. Foi o que aconteceu, pois não?

Até porque nada teve de encantador o triunfo palmeirense sobre a turma de Penápolis, equipe que veio ao Pacaembu apenas para se defender, com quatro volantes, em verdadeira retranca, vencida só pela estrela de Marquinhos Gabriel, que fez o gol aos 20 minutos de segundo tempo, completando a jogada que ele mesmo iniciou com o passe que deu para Alan Kardec chutar e o goleiro rebater. No domingo passado, Marquinhos Gabriel já tinha ido bem, com duas assistências para gols do Palmeiras.

Por sua vez, o São Paulo vem de três vitórias seguidas- sendo a última por 6 a 3 contra o Rio Claro, três gols de Luís Fabiano-, recuperando-se do mau inicio de Campeonato quando perdeu para o Bragantino por 2 a 0. E com os reforços, deve ficar melhor.

Pois tudo isso talvez seja motivo para casa cheia, ou quase cheia, algo raro até agora neste Campeonato Paulista em que clássico como Santos e Corinthians, na Vila Belmiro, não levou mais do que oito mil pagantes. Reflexo talvez da fórmula estranha da competição, que só terá importância mesmo na fase do mata-mata.

Pelos ingredientes apresentados e por ser o velho Choque-Rei, no Pacaembu, no domingo deve ser diferente.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

••

COLUNA PAINEL FC ❘ FOLHA DE S.PAULO

Por Bernardo Itri

• Futebol clube

Anteontem, em reunião do conselho do Palmeiras, foi sugerido ao presidente Paulo Nobre que todos os esportes do clube –exceto o futebol– sejam extintos para poupar dinheiro. A avaliação interna do clube se contrapõe a essa proposta. O entendimento é que o basquete, por exemplo, dá bons resultados e não causa prejuízo aos cofres alviverdes.

••

23 respostas em “Verdão na Mídia 31-01-2014: Nobre se decepciona com Henrique e lamenta ‘herança’ de Tirone ❘ Lancenet”

Gostaria de sugerir, que o serio e competente 3VV, possa ressaltar em uma próxima matéria, as conquistas e vitorias em diversas modalidades esportivas que não são tão destacadas !

As atitudes de conselheiros , solicitando a exclusão de diversas modalidades esportivas no Palmeiras , denuncia a clara ignorância Histórica dos diversos departamentos de esportes do clube , que trazem quase a toda semana, troféus e conquistas memoráveis, sem o devido reconhecimento e lastro financeiro, que o frágil Futebol Profissional , não consegue conter, com verdadeiras fortunas administradas , pelos amadores que são apoiados pelos menos cultos, resultando nestas sugestões absurdas!

o nome é Sociedade ESPORTIVA Palmeiras, querer acabar com as modalidades esportivas que sempre trouxram troféus ao clube e divulgaram o nome do Palmeiras é de uma idiotice sem tamanho. temos medalhistas olimpicos no judô, Januario d’alessio foi presidente da FIFUSA…
Some com um monte de conselheiro vitalicio ou não de lá que é melhor que acabar com as modalidades esportivas. Tem que acabar é com esses caras.

Sem Wesley e já s/ o Henrique, seremos novamente time de serie B, o Paulo Nobre tem q ser mais ousado parar de pensar equeno e renovar c/ Wesley. Conseguimos montar um time competitivo, não podemos perder esta chanse, mas pelo o que o Wesley também será vendido, assim fica difícil querer ganhar algum titúlo em 2.014.

pq fui para o moderador? não ofendi ninguém, não escrevi palavrão e só expressei minha opinião.

O que é feito certo temos que reconhecer, essa TV Palmeiras no youtube está fera heim!

Nossa diretoria tem o vicio e a cultura de não saber negociar com jogador de nivel, é diego Souza,Vagner love,kleber, Barcos, Henrique , todos mal vendidos e saindo brigado,sempre arrumando um rolinho pra desculpa esfarrapada dos gestores, ta ná hora de apreender a negociar e saber vender.Se tivessem segurado Vilson, a saída de henrique não seria tão sentida e Vilson saiu de graça,logo se sabiam que Henrique poderia sair ,porque não seguram Vilson, se querem ser Campeão porque vendem jogador pela primeira oferta,no Palmeiras é tudo estranho ,mas estamos melhorando lentamente.

Sempre critiquei boa parte dos conselheiros Palmeirenses, acho um bando de atrasados. Depois de tudo que vem acontecendo fica claro que se o PN tivesse ganhando a eleição em 2012 nós não estaríamos passando por tudo isso (segunda divisão, dívidas, decisões patéticas….). Pior, agora vem o tal de Pescarmona!!! Deus pai tem poder……que nós livre de bando de idiotas.

Olha extinguir TODOS os esportes do clube é uma idiotice sem tamanho, quem sugeriu isso não sabe nada, sempre perdeu no banco imobiliario e não sabe o NOME do clube que frequenta. A desculpa para má administração é o social, incompetência é o social, contratamos o boiadeiro, foi o social, contratamos o colombiano que NUNCA jogou pelo Palmeiras foi o social, o Jardel foi o socila, fora os outros 300 (que não são os de esparta) que detonaram as contas do clube. Fora os outros que apesar de jogarem, ganharam ou ganham salários astronômicos. TInha o time B, foi o social quem pediu. Nego tira o sofá mas deixa o cara na cama. é uma porposta pra tirar do sério qualquer um. NÃO SÃO OS 20 CENTAVOS PO. Mudando de assunto, domingo ganhamos de 3, e o meia esquerda estará presente o que aumenta consideravelmente nossa chance de vitória.

Uma semana de notícias boas e agora essa bomba do Wesley, pelo visto B1 e B2 vão sair ilesos de toda essa bagunça. O maior problema será depois da Copa com a provável saída de Wesley e Valdívia (como quer PN), o nível técnico vai cair consideravelmente. Quero acreditar que outros jogadores virão para suprir esses setores, que seja jogadores de qualidade, afinal de contas “cabeça de bagre” temos aos montes. Ah, estava esquecendo, te cuida Prass, provavelmente serás o próximo.

Pois é.. é difícil ficar feliz 1 semana inteira.

Agora.. pensando e repensando, seria ótimo que viesse algum gringo e levasse o Wesley por uns 15 milhões de reais.. Foi um prejuízo, mas seria minimizado e segue a vida..

Ou então.. seria ótimo o Palmeiras arrumar dinheiro pra pagar numa parcela, gastar mais uns 3 mi e renovar esse contrato até 2017, como foi anunciado na época.. e depois de um bom ano de centenário, revendê-lo por um bom preço..

Assim como foi com o Leandro, poderíamos arrumar um “investidor” e pagar o passe dele e renovar! Os damos eternos palestrinos poderiam agir!rsss

Caraca…eu estava pessimista com o centenário e era um daqueles que ficavam reclamando de tudo o que acontecia (e com razão). Daí contratamos algumas peças interessantes (Bruno Cesar, Marquinhos, Lucio, mandamos o Gente Boa embora, etc) e eu comecei a me empolgar denovo. Daí me vem essas noticias de Hanrique, Wesley…será que não dá mais para um palmeirense ser feliz por 2 meses seguidos? É pedir demais?

Tem muitos cornetas , pelo amor de Deus, então é quanto pior melhor para alguns ? Parece que o Tirone, o Mustafá e o Frizzo comentam aqui com codinomes. E olha que não estou defendendo o PN, nem o conheço direito, mas é que estou cansado de ver gente falando de série B, série B …. chega !

Tomara que o Nobre e a WTorre cheguem a um consenso e acabem com a pendenga das cadeiras.
Agora, esses …….. DO TIRONE E DO FRIZZO, deveriam ser responsabilizados criminalmente pelo negócio que fizeram com o Wesley prejudicando o verdão.
Coitado do Nobre não tá sendo fácil arrumar essas cagadas desses …..
Sei que o Henrique nos fará muita falta, mas ele também pisou na bola, tudo bem o verdão devia a ele, mas o Nobre se comprometeu a pagar. Enfim …

NOSSO TIME DE NOTA 7 VAI PARA A NOTA 4 COM AS SAÍDAS DE HENRIQUE E WESLEY.
VOLTAMOS RAPIDAMENTE AO PROJETO TRI-CAMPEÃO DA SÉRIE “B” EM 2015….DIFÍCIL…

Os comentários estão desativados.