Categorias
Verdão na Mídia

Verdão na Mídia 24-02-2014: Árbitro relata ofensas e xingamentos de Bruno César em súmula ❘ ESPN BRASIL

NOTICIÁRIO ❘ ESPN BRASIL

• Árbitro relata ofensas e xingamentos de Bruno César em súmula

Expulso durante a derrota por 3 a 1 do Palmeiras para o Botafogo-SP, no último domingo, o meia Bruno César pode se encrencar no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). Na súmula do jogo, o árbitro Robério Pereira Pires relatou que foi ofendido e xingado pelo jogador alviverde após mostrar o cartão vermelho.

“Expulso diretamente com o uso do cartão vermelho por depois de cometer uma infração e ser advertido com cartão amarelo, dirigir-se a mim em elevado tom de voz, proferindo as seguintes palavras: ‘vai tomar no c*, filho da p*'”, escreveu Pires.

A expulsão de Bruno César, que entrou em campo no intervalo, aconteceu aos 29 minutos do primeiro tempo. Após fazer falta e levar cartão amarelo, ele reclamou e, segundo relato do árbitro, usou palavras de baixo calão. Robério Pereira Pires, portanto, expulsou o meio-campista.

Agora, o reforço alviverde terá que sentar com Gilson Kleina para explicar o ocorrido. “Conversei rapidamente, perguntei o que aconteceu e ele disse que foi por reclamação mesmo. Agora temos que conversar com ele, para que ele se preocupe apenas com o futebol. Sabemos que os ânimos ficam mais acirrados, então a gente falou para se preocupar em jogar”, afirmou o treinador, após a derrota em Ribeirão Preto.

A conversa com o meia não deve demorar. Nesta segunda-feira, quando o elenco alviverde já volta aos treinamentos, Kleina já deve falar com Bruno César.

“Ele sabe do valor que tem no elenco, o que ele representa, então temos que conversar, já que é muito importante ter um jogador como ele. Agora vamos nos apresentar nesta segunda-feira e ver como vai ser. Espero não perder mais jogadores”, concluiu o técnico.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESPN BRASIL

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Gilson Kleina promete conversa com Bruno César sobre expulsão

Por Marcelo Hazan

O técnico Gilson Kleina promete conversar com Bruno César, expulso aos 29 minutos do segundo tempo da derrota do Palmeiras para o Botafogo-SP, por 3 a 1, no último domingo, em Ribeirão Preto. Após entrar no intervalo do jogo, o meia se irritou com a demora na reposição de bola dos gandulas e também reclamou do árbitro Robério Pereira Pires, que lhe deu cartão vermelho.

Kleina se mostrou preocupado com o nervosismo do atleta, que se mostrou “pilhado” desde que entrou em campo.

– Nós conversamos rapidamente e perguntei o que aconteceu. Ele disse que foi por reclamação mesmo. Vou conversar com ele, porque é um jogador muito importante. Precisa se preocupar só com o futebol. Todo mundo reclamou muito da arbitragem. Temos de ter equilíbrio. Ele tem seu valor e está entrando gradativamente, de acordo com nosso planejamento – disse.

Bruno César estreou na vitória por 1 a 0 sobre o Ituano, na última quarta-feira, quando entrou no segundo tempo e gerou a expulsão de um adversário. A ideia inicial do jogador e da comissão técnica era que ele atuasse durante pelo menos 35 minutos diante do Botafogo-SP, mas o tempo em campo foi abreviado pela expulsão.

Por conta disso, o meia está fora do confronto com o São Bernardo, nesta quinta-feira, no Pacaembu. França é outro desfalque por suspensão, mas por acúmulo de amarelos. Já Alan Kardec retorna ao time, depois de ter recebido vermelho diante do Ituano. 

No momento, o Verdão lidera o Grupo D, com 23 pontos, e só perde no geral para a campanha do Santos pelo critério de saldo de gols: 11 contra 9.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Gilson Kleina vê ‘jogo atípico’ e reprova atuação palmeirense no interior

Ao cair por 3 a 1 diante do Botafogo, na noite deste domingo, em Ribeirão Preto, o Palmeiras perdeu a sua invencibilidade no Campeonato Paulista em um jogo que o técnico Gilson Kleina qualificou como “atípico”. Entretanto, o treinador criticou a atuação da equipe palmeirense e disse que o revés serve como aprendizado para a continuidade do torneio estadual.

“Temos a preocupação de fazer sempre o melhor, o que não fizemos hoje (domingo), principalmente em um primeiro tempo que não existiu. Se a gente pontuar, continuamos líderes, estamos no caminho das metas estabelecidas, mas precisamos tirar lições dessa derrota”, ressaltou o comandante, para depois lamentar a etapa inicial muito ruim do time no confronto realizado no Estádio Santa Cruz.

“Jogamos abaixo do que vínhamos apresentando, não conseguimos equiparar as ações, tanto técnica quanto tática. No primeiro tempo, aceitamos um pouco a estratégia do adversário. Tivemos dificuldades em fazer jogadas de infiltrações. Estávamos pecando nessa bola. Tomamos três gols no primeiro tempo, o que dificilmente acontece conosco. A gente nunca gosta de perder, mas faz parte. Melhor que aconteça agora do que lá na frente”, completou.

O treinador também enfatizou a importância de o Palmeiras exibir reação nesta quinta-feira, contra o São Bernardo, a partir das 19h30, no Pacaembu. “Todo resultado ruim preocupa. Não quero tirar o mérito do adversário, mas tivemos erros que não estavam acontecendo. Precisamos nos recuperar o mais rápido possível para mostrar ao torcedor que foi um jogo atípico”, projetou.

O treinador ainda aproveitou a entrevista coletiva que concedeu após o duelo para apoiar o lateral William Matheus, que falhou no lance que resultou no segundo gol do Botafogo neste domingo.

“É um jogador que simplifica, e estava bem na partida. O que temos de passar é que a confiança passa pela simplicidade do jogo, e ele tem a nossa confiança. A torcida pode ficar tranquila porque é um jogador que evoluirá. Cabe a mim passar confiança, o William tem o nosso respaldo. Se ele tiver de ir para o próximo jogo, fará um grande jogo dentro de casa. Ele é merecedor disso”, enfatizou.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Verdão leva três gols pela 1ª vez no ano, e Valdivia alerta: ‘É preocupante’

Por Marcelo Hazan

O Palmeiras não perdeu apenas a invencibilidade de nove partidas do centenário, na derrota por 3 a 1 para o Botafogo-SP, no último domingo, em Ribeirão Preto. O resultado também fez o bom desempenho defensivo do time cair. Pela primeira vez no ano a equipe sofreu três gols no mesmo jogo. Até então, o time só havia sido vazado no máximo uma vez por partida e somava cinco bolas na rede contra, número que subiu para oito em dez rodadas.

Tal dado liga o sinal de alerta para Valdivia. O meia reconhece que isso precisa ser corrigido, mas evita dar responsabilidade a um jogador específico pelo problema.

– É preocupante. O time não tinha tomado três gols, ainda mais em um primeiro tempo. Mas agora não adianta eu falar bobagem e jogar a responsabilidade em algum jogador. É momento de se unir mais, porque todos somos responsáveis por essa derrota – afirmou.

O zagueiro Lúcio, que sofreu com o ataque do Botafogo-SP, pensa de outra forma. Apesar de admitir o rendimento ruim do time no primeiro tempo, quando o placar foi construído, ele não se mostra aflito pelos inéditos três gols sofridos em um mesmo jogo.

– Não preocupa, porque o mais importante é que temos consciência de que fizemos um primeiro tempo abaixo do normal. Depois mudamos a postura, mas o resultado já estava quase definido. Jogamos fora de casa e também temos de dar méritos ao Botafogo-SP, que concluiu bem as chances. Não é nada que vá tirar o nosso sono – disse.

A linha de raciocínio do defensor é parecida com a do técnico Gilson Kleina. O comandante alviverde ameniza o peso da derrota e dos gols sofridos pelos oito desfalques do Verdão: Juninho, Wesley, Josimar (poupados por conta de dores musculares), Victorino, Wellington, Diogo e Leandro (lesionados), além de Alan Kardec (suspenso). Por conta disso, a escalação inicial do Verdão foi a seguinte: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e William Matheus; Eguren, França, Mendieta, Valdivia e Marquinhos Gabriel; Miguel.

– Falei para eles: nós não vínhamos tomando gols e tivemos erros que não cometíamos. Mas é natural pelo processo de ritmo de jogo. Pegamos um time líder do seu grupo e que faz um campeonato atípico em casa, onde ganhou todas e é muito forte. E também pegaram muitos desfalques. Não justifico. O entrosamento cai, mas nosso elenco também tem qualidade e precisamos nos superar quando isso acontecer – analisou.

Após a primeira derrota do Paulistão, o Palmeiras se reapresenta na tarde desta segunda-feira, na Academia de Futebol. O time vai iniciar a preparação para encarar o São Bernardo, quinta-feira, no Pacaembu.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

• O alerta de Valdivia

Entre uma ou outra declaração após o jogo em que o Botafogo de Ribeirão Preto acabou facilmente com a invencibilidade do Palmeiras (3 a 1), Valdivia surpreendeu: “Vou ter de falar: perder agora pode nos fazer bem”. Como nada mais falou sobre as razões do benefício- e nem lhe foi perguntado, pelo menos que se tenha visto e ouvido pela tevê- dá margem a interpretação e dedução:

a) Teria El Mago alertado sobre o estado de espírito atual da equipe, que talvez pudesse estar confiante além da conta, iludida pelos resultados que nos últimos jogos não refletiram a realidade? Sei lá. Sei que o Palmeiras vem caindo de produção há algumas partidas, salvo muitas vezes pelo goleiro Fernando Prass, aconteceu diante do XV de Piracicaba, do Corinthians, do Ituano… Ah, aí veio o Botafogo, e mesmo com o desconto de amargar sérios desfalques, o Palmeiras levou um baile no primeiro tempo, contou com a atuação horrível de Willian Matheus- e pronto: lá se foi a invencibilidade de 9 jogos e a liderança geral do Campeonato, agora nas mãos do Santos.

b) Ainda na base da dedução sobre o alerta e sem que Valdivia tenha falado nada sobre isso, pergunto: é possível um candidato (que parecia o favorito) ao título jogar com esse Willian Matheus na lateral-esquerda, Eguren como volante (não marca, não dribla, não lança, não chuta) ou esse jovem Miguel como centroavante? Ou ter apenas Wendel, esforçado e limitado como lateral-direito? Pode ser falta de percepção do técnico Gilson Kleina, pode ter havido erro de planejamento.

c) Já saindo do alerta de Valdivia e partindo para o futuro, minha opinião: o Palmeiras só terá chances reais se jogar completo e no limite, sem o direito de poupar Wesley, aproveitando Valdivia ao máximo, formando a dupla ofensiva com Leandro e Alan Kardec (que não puderam enfrentar o Botafogo, é verdade) e desculpando a falha de Bruno César que foi expulso, pois ele tem bola para fazer parte do time.

d) Isso para o Campeonato Paulista. Para o Brasileiro, ah, para o Brasileiro será preciso qualificar bem mais o time.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

••

BLOG DO DANIEL BATISTA

• Palmeiras perdeu. Sem motivos para caça às bruxas

Com diversos desfalques, principalmente no ataque, o Palmeiras perdeu para o Botafogo de Ribeirão Preto por 3 a 1 e não está mais invicto no Campeonato Paulista. Sabe o que isso significa, né? Nada. Derrota normal e que não cria motivos para dar início a uma nova crise no time alviverde.

Uma hora o Palmeiras perderia. As chances de um time ser campeão invicto em uma competição em que ele vai jogar mais de 20 partidas é quase nula nos tempos atuais. Além disso, o Palmeiras tinha muitos desfalques, tanto que precisou apelar até para jogadores muito fracos tecnicamente, como o atacante Miguel.

O Botafogo é líder do grupo do Corinthians e se serve de consolo aos palmeirenses, o resultado atrapalhou bastante o maior rival.

O que essa derrota não pode causar é uma mudança tão radical de opiniões, como por exemplo:

– Gilson Kleina é fraco. Fora do Palmeiras (Se o técnico fraco comandava o time de melhor campanha, imagino o que são os treinadores de outras equipes)

– William Matheus é horroroso. Fora do Palmeiras (Mas esse William Matheus não é o mesmo que jogou contra o Audax e todo mundo disse que era infinitamente melhor do que o Juninho e era um absurdo ele estar fora da equipe?).

– Eguren é lento. Fora do Palmeiras (Outro que a torcida idolatrava antes mesmo de vê-lo jogar. Pelo o que eu acompanho nos treinamentos, não vejo nada demais nesse jogador, mas é curioso a mudança de opinião em cima de um jogo).

– Mazinho é ruim. Ele que atrapalha o Palmeiras. Se sair do time, as coisas melhoram (Contra o Botafogo ele não atuou um minuto sequer).

Enfim, essas são algumas das opiniões que li e ouvi que mudaram drasticamente depois do jogo. No calor da emoção, é claro que a gente pensa ou fala coisas que não fazem sentido e depois nos retratamos, mas o fato é que o palmeirense não pode achar que a equipe do Palmeiras é imbatível e perfeita. Existem sim, muitas deficiências, tem um elenco numeroso e de qualidade, mas nada sensacional e estar em um dia ruim faz parte de qualquer trabalhador.

Podemos criticar a escalação da equipe? Talvez. Eu acho que seria melhor começar com Tiago Alves na zaga e Marcelo Oliveira no meio, no lugar do Eguren. Mas de resto, não tinha muito o que mexer. Tirar o Miguel e colocar o Vinícius? Ok, mas não acho que faria tanta diferença assim. Na verdade temos a cultura de quem está de fora é sempre a melhor opção para entrar.

Palmeiras perdeu, mas continua sendo um dos grandes favoritos ao título. E bola para frente.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO DANIEL BATISTA

••

BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

• Kleina e a arte de perder um jogo antes de começar

Por Caio Carrieri

Gilson Kleina começou a construir a primeira derrota do centenário do Palmeiras antes mesmo de a bola rolar. O tiro no pé foi dado ao escalar Eguren e França à frente da zaga e recuar Marcelo Oliveira, volante mais regular de 2014, para a linha da defesa ao lado de Lúcio.

Com esta escolha, o treinador matou o poder de saída de bola do Verdão na transição da defesa para o ataque e também diminuiu o poder de combate na marcação.

Wellington Bruno e Mike ficaram soltos demais entre os volantes e zagueiros palmeirenses.

Não que Marcelo Oliveira se destaque pela capacidade de inversões de jogo e passes precisos à la Xavi. Pelo contrário. Quem faz o trabalho para a bola chegar redonda aos meias é Wesley, principal jogador na campanha da Série B do ano passado, mas que estava fora pela segunda partida consecutiva devido a dores musculares.

Uma opção mais inteligente seria a permanência de Oliveira ao lado de França no meio e Tiago Alves como substituto de Wellington, desfalque por lesão muscular.

A manutenção da disposição tática ofensiva também merece críticas. Um cenário é colocar Valdivia como centroavante ao ter Alan Kardec, suspenso, para sair da área, atrair a marcação e ainda ter capacidade para pensar o jogo, incomum para centroavantes. Outro, o de Ribeirão Preto (SP), é deixar o “duro” Miguel na linha criativa.

A armação melhorou no segundo tempo, com a parceria entre o chileno e Bruno César, expulso por indisciplina. Mas para ter essas duas cabeças pensantes, Kleina não pode sair derrotado já na escalação.

Leia aqui a matéria completa → BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

••

BLOG DO VERDÃO ❘ DIÁRIO DE S.PAULO ONLINE

• Invencibilidade do Verdão vira cinzas

Por João Pontes

Com Valdivia em campo, o Palmeiras não perdia  desde março do ano passado. Neste domingo, no entanto, o Mago não conseguiu evitar o primeiro tropeço do time na temporada. Sem vários jogadores importantes como Alan Kardec, Leandro, Juninho e Wesley, o Alviverde perdeu para o Botafogo, por 3 a 1, em Ribeirão Preto.

Apesar de lamentar o fim da invencibilidade, o Palmeiras, ao menos, conseguiu atrapalhar a vida do Corinthians. O arquirrival está no mesmo grupo do Botafogo e ficou mais distante da zona de classificação.

• Péssima arbitragem

Invicto no em casa neste ano, o Botafogo começou o jogo pressionando o Palmeiras e não demorou para tirar o zero do placar.

Em cruzamento na área do Verdão,  Mike antecipou a marcação de Marcelo Oliveira e tocou no contrapé de Prass: 1 a 0.

Enquanto a torcida da casa ainda celebrava o gol,  o árbitro Robério Pereira Pires errou ao marcar pênalti para Verdão. Na cobrança, Valdivia bateu no cantinho: 1 a 0.

Apesar do gol, o Botafogo não ficou abatido e aproveitou vacilo de William Matheus para marcar o segundo. Camilo roubou a bola do lateral e bateu no canto. A bola ainda desviou em Marcelo Oliveira e enganou Fernado Prass: 2 a 1.

Pouco depois, o árbitro  errou ao marcar pênalti para o Botafogo em lance semelhante ao do Verdão. Ele interpretou mão na bola – em ambos as jogadas, William Matheus e Henrique Mattos estavam com o braço colado no corpo. Melhor para Macelo Macedo que ampliou a vantagem: 3 a 1.

Na etapa final,  Kleina promoveu a entrada de Bruno César. Além de jogar mal, ele ainda foi expulso. Para piorar, Valdivia levou o terceiro amarelo.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO VERDÃO ❘ DIÁRIO DE S.PAULO ONLINE

••

21 respostas em “Verdão na Mídia 24-02-2014: Árbitro relata ofensas e xingamentos de Bruno César em súmula ❘ ESPN BRASIL”

Temos um elenco enganador!!Por isso Valdívia disse que é preocupante SIM !!! Mas pela declaração do nosso PAULO MOLE,tá tudo muito bem,tá tudo muito bom !!! Ainda falta um lateral direito, um reserva pro KARDEC e pelo visto , ainda não temos lateral esquerdo !!!

O Palmeiras vem jogando mal, e não é de hoje. A derrota já deveria ter vindo bem antes, mas graças ao Prass e Kardec o Palmeiras conseguiu sustentar essa longa invencibilidade. No último domingo, não deu. Tá certo que o time estava cheio de desfalques, mas tomar olé do Botafogo de Ribeirão Preto é o fim da picada. Wendel, Willian Matheus, Eguren, Vinícius e Miguel não sei o que lá, não dá. O Valdívia nunca joga o que esperamos dele. A desculpa da vez é porque o Kleina colocou ele no ataque. No próximo jogo vai ser porque a barba tá grande, e assim vai. E o Walter? Ah, desculpe, o Bruno César. Tá com uma pança, que parece que bate duas feijucas por dia. Aliás, o time todo Palmeiras parecia que tinha comido uma feijoada mesmo. Uma cambada de morto-vivo em campo. O Botinha jogando bola, e nossos jogadores parados, estáticos, se arrastando em campo. O Paulo Pobre é que deve estar feliz, pois escolheu os caras certos para fazer contrato de produtividade. Desse jeito só vai precisar pagar o salário-base mesmo, nada mais, nada de premiações. Outra coisa. Por que os árbitros que apitam nossos jogos não marcam faltas pra gente no segundo tempo? Estranho, né? E se o nosso presidente não se mover nos bastidores, vamos ser garfados mais uma vez no mata-mata, pode esperar. Que o pênalti que o Sr. Robério Pereira Pires marcou para o Palmeiras não foi nada, tudo bem, pode até não ter sido. Mas o pênalti que ele deu contra nós além de ser absurdo (o jogador estava com a mão praticamente atrás do corpo), foi nítido que foi uma compensação de seu próprio erro anteriormente. O Palmeiras que se cuide!

A bipolaridade da nossa torcida é algo tremendo !!!!!
Nosso time não é tão exuberante quanto o que achamos após cada vitória nem tão medíocre quanto mencionamos a cada revés.
É um time igual a qualquer outro time do Brasil.
Não é nem melhor, nem pior que bambis, gambás, sardinhas, urubus, florminense, etc…
O técnico é fraco ? Sim, é fraco, mas nos últimos 5 anos tivemos três dos mais badalados treinadores do Brasil e de nada adiantou.
A atual diretoria, entre erros e acertos (na minha humilde opinião com mais acertos que erros), vai saneando o clube e queira ou não, montou um elenco que, se não é exuberante, é capaz de enfrentar e vencer qualquer time do Brasil.
A linha de trabalho tem de ser mantida e nós, torcedores, temos de cornetar menos e apoiar mais. É isso que vai fazer a diferença a nosso favor, assim como aconteceu na Copa do Brasil de 2012.

Concordo. Hoje no futebol brasileiro, de nível técnico e tático ridículos, vence quem tem mais vontade, porque os times são nivelados por baixo. Não há um time que se destaque, tanto é que o Cruzeiro, com vários refugos dos grandes times do país, conseguiu ser campeão com os pés nas costas ano passado.
Enfim, o jeito é trabalhar, escalar cada jogador em sua posição (Mendieta e Wesley, por exemplo, não são meias armadores, mas segundo volantes) e entrosar o time o mais rápido possível. E torcer muito para o nosso estagiário de técnico escalar os melhores em cada posição.
Hoje meu time titular seria: Prass, Bruno Oliveira, Lucio, Wellington e Willian Matheus; Marcelo Oliveira, Wesley, Bruno Cesar e Valdivia; Allan Kardec e Leandro.

Sem dúvida, e tem mais com esse estagiário de meia tigela vamos passar vergonha, a tempo ainda de dispensar o “Jirson Kleina” o aprendiz de técnico e vamos ver se o Paulo Nobre caia na real e contrate um técnico bom que seja altura do Palmeiras. O time no papel é bom só falta o técnico e os laterais que não temos.

Concordo! A única coisa que eu reclamo eh o GK que insiste em inventar um time e depois tenta arrumar no intervalo. Eu estou de saco cheio dessa invenção, uma hora a casa dele cai! E caiu já.

Pense a mesma coisa, na foto o Bruno César está mais para Daniel Barriga de Cavalo, rsrsrs!!!, mas para o nossa felicidade é o Bruno César e com o passar dos jogos ele vai conseguir ficar em forma.

Temos bons valores, porém ainda nem todos estão 100%. Estranhei muito a atuação do William Matheus e vou torcer pra q ele entenda q aquilo foi um ponto fora da curva e q só trabalhando vai superar aquilo, potencial ele tem, vamos ver se a personalidade é sufuciente pra jogar no Palmeiras..
Bruno Cesar é bom, mas se não entrou com aquilo premeditado pra ser suspenso e usar esse tempo pra entrar em forma, é um verdadeiro idiota.
E qto ao Kleina, tá vacilando em não botar esse time pra jogar no 3-5-2…lucio, m.o., e william matheus, eguren, frança, valdivia, bruno cesar, diogo e kardec

Março já esta ai, é onde esta o patrocinador máster da SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS, que tem um patrimônio físico espetacular, e um patrimônio esportivo invejável?
O ALLIANZ PARQUE não traz interesse, ou os remunerados “profissionais´´, blindados, pela gestão competente, são deficientes mentais?

Este é o time do presidente Midiatico, que come pizza com os gambas, ou alguém ainda se ilude, com o plantel que foi formado, pela politica do bom e barato?

Já disse anteriormente. O “JÊNIO DO JILSON KLEINA”, vai pipocar no mata-mata como foi domingo contra os gambás. E mais, cadê o lateral direito??? Para jogar o Wendel coloca um cone. Bruno, Wendel, Juninho Pampers, Vinícius, Kleina não dá mais.

Os comentários estão desativados.