Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 15-03-2014: Por vantagem e vaga, Palmeiras e Ponte Preta duelam no Pacaembu ❘ GLOBO ESPORTE COM

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Por vantagem e vaga, Palmeiras e Ponte Preta duelam no Pacaembu

Buscando uma vitória para continuar na disputa pela melhor campanha da primeira fase do Paulistão e, assim,  ter vantagem no mata-mata, o Palmeiras recebe a Ponte Preta, neste sábado, às 16h (horário de Brasília), no Pacaembu. A Macaca tenta o triunfo para confirmar sua vaga nas quartas de final da competição.

Com 32 pontos, o Verdão divide com o Santos a liderança geral do campeonato. O time da Vila Belmiro, porém, leva a melhor no saldo de gols (22 a 14) e hoje teria a vantagem do empate e de decidir em casa até a final

A Macaca tem certa folga na tabela, mas sabe que não pode bobear. Por isso, poupou todos os titulares da partida contra o Náutico-RR, na quarta-feira, pela Copa do Brasil. Com 24 pontos, a Ponte está na vice-liderança do Grupo C e se classifica com uma vitória, já que o São Bernardo, terceiro colocado, soma 20 pontos. Até um empate é visto com bons olhos por Vadão, já que faria a Macaca jogar por mais uma igualdade na última rodada, contra o Mogi Mirim, no Majestoso.

Marcelo Rogério apita a partida, auxiliado por Daniel Luis Marques e Patricia Carla de Oliveira. O canal PremiereFC transmite a partida para todo o Brasil. O GloboEsporte.com também acompanha o duelo em Tempo Real e com vídeos exclusivos, a partir das 15h30m.

AS ESCALAÇÕES

Palmeiras:  Gilson Kleina esconde a escalação. Depois de afirmar que pretendia poupar alguns jogadores, o treinador relacionou todos os titulares, mas ainda quer ver o resultado de testes físicos antes de definir quem joga. Caso opte por força máxima, o Verdão entrará em campo com: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Tiago Alves e Juninho; França, Eguren e Valdivia; Vinicius (Bruno César), Leandro (Patrick Vieira) e Alan Kardec.

Ponte Preta: ao contrário de Kleina, Oswaldo Alvarez optou por não fez mistério. Nem as baixas de última hora de Alemão e Fernando Bob impediram o técnico de confirmar o time. Alef entra no meio, e Rossi fica com a vaga no ataque. Sem Alemão, Antônio Flávio atuará mais centralizado. Mesmo poupado do treino de sexta por causa de dores na coxa, Bruno Silva deve ficar à disposição. A provável Ponte tem Roberto, Ferrugem, César, Diego Sacoman e Magal; Bruno Silva, Alef e Adrianinho; Silvinho, Rossi e Antônio Flávio.

QUEM ESTÁ FORA


Palmeiras: Marquinhos Gabriel e Diogo (em fase de recondicionamento físico), Marcelo Oliveira (suspenso) e Wesley (lesionado).

Ponte Preta: Fernando Bob e Alemão, lesionados.

ÚLTIMO CONFRONTO

O Palmeiras venceu a Ponte Preta, por 2 a 1, no dia 7 de abril de 2013, no Moisés Lucarelli, em Campinas, pelo Campeonato Paulista.  Luis Ramírez marcou para a Ponte Preta; Tiago Real e Leandro deram a vitória ao Verdão.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Cartões amarelos ameaçam Wellington e Mendieta no Palmeiras

Por Daniel Batista

Classificado para as quartas de final do Campeonato Paulista, o Palmeiras espera chegar na fase decisiva da competição estadual sem ter que se preocupar com possíveis desfalques por suspensões. Por isso, a intenção é fazer com que todos os atletas cheguem para as quartas sem estar pendurados.

Por isso, a tendência é que o zagueiro Wellington e o meia Mendieta forcem um cartão amarelo neste sábado, já que a dupla está pendurada com duas advertências. Assim, eles cumpririam a pena contra o Santos.

No clube ninguém admite a possibilidade de forçar cartões. No ano passado, Valdivia, esbanjando sinceridade, admitiu que recebeu um cartão contra o Paraná propositalmente, pois cumpriria suspensão enquanto estivesse com a seleção chilena, mas acabou sendo punido pelo STJD com dois jogos de gancho.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Patrick Vieira encerra maré de azar e consegue série como titular no Verdão

Por Thiago Ferri

Pensando em poupar os atletas mais cansados, o técnico Gilson Kleina não divulgou o time que enfrenta neste domingo, às 16h, a Ponte Preta, no Pacaembu, com transmissão em tempo real pelo LANCE!Net. Patrick Vieira, porém, não quer saber de descanso agora.

Titular nas últimas três partidas, o camisa 21 considera que só agora seu ano começou. Os primeiros meses de 2014 não foram os ideais para o meia-atacante.

Após voltar da passagem no Yokohama (JAP), o jovem realizou pré-temporada mais longa para corrigir um desequilíbrio muscular e não conseguiu espaço. Além disto, teve seu carro roubado e admitiu ter ficado cabisbaixo.

– O ano não estava sendo bom, complicado… Fiquei treinando parte física para melhorar porque machuquei no Japão, depois teve isto (roubo do carro), mas botei na cabeça que o ano ia melhorar e as coisas iam mudar. Agora, jogando, só alegria – resumiu o atleta, ao L!.

Apoiado em sua família, Patrick fez sua estreia no 11 jogo do Verdão no ano. Desde então, passou a atuar como gosta, pelo lado direito, e até fez um gol, no último domingo. A fase, agora, é outra para ele.

– Tenho feito o que o Kleina pede, feito jogadas, ido para cima, recompondo na marcação. Foi a vontade, determinação, e no momento que apareceu a chance tive que aproveitar da melhor forma – disse o jogador, explicando os motivos para a atual sequência na equipe.
Uma das principais apostas recentes da categoria de base alviverde, Patrick tem como um de seus trunfos o apoio da torcida – sentimento recíproco, segundo ele.

– A relação é boa porque sou um cara que se esforça, me dedico ao máximo, por isto acho que tenho é assim. Só tenho a agradecer. Espero continuar alegrando a todos.

Por enquanto, os palmeirenses assistirão ao camisa 21 ao menos até dezembro, quando termina seu contrato. Em negociações travadas desde o ano passado com o clube, o jogador evita falar sobre o tema, mas mostra sua vontade de continuar por mais tempo no Palmeiras, que ele já disse “amar de paixão”. Ao ser perguntado se era possível imaginar-se no elenco para 2015, o atleta evitou rodeios: “dá sim”.

– Agora não me imagino fora daqui, porque gosto do clube, o ambiente bom, e creio que este time vai buscar coisas boas lá na frente.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Mais jovem da história do Verdão, Vinicius atinge 100 jogos no clube

O jogo deste sábado, contra a Ponte Preta, no Pacaembu, é especial para quem já está na história do Palmeiras. Atleta mais jovem a defender o time profissional, Vinicius fará sua centésima partida com a camisa alviverde.

“É um momento único, tenho que aproveitar. É uma honra muito grande estar na história de um time tão gigante como o Palmeiras. Amo o Palmeiras, cresci e me sinto bem aqui. É a minha casa. Tem dia que chego às 13 horas para o treino das 16. É um ambiente maravilhoso”, disse o atacante de 20 anos, o mais jovem a atingir a marca.

“É uma honra muito grande, nem consigo descrever o tamanho da minha felicidade. Isso é graças a muito esforço que faço desde que cheguei ao clube, aos 12 anos, entrando em todos os jogos como se fosse o último”, completou o atleta, que vestiu uma camisa 100 com seu nome na Academia de Futebol na véspera do duelo contra a Macaca.

Vinicius está no elenco profissional desde 2010, temporada em que se tornou o jogador mais jovem a defender o time por ter entrado em campo no empate por 2 a 2 diante do Rio Branco, no estádio Fonte Luminosa, em Araraquara, pelo Campeonato Paulista, em 24 de março. O atacante tinha 16 anos.

Vinicius também tem seu nome história do clube por ter sido o segundo jogador mais jovem a balançar as redes como profissional do Verdão. O atleta fez gol na vitória por 2 a 1 sobre o Noroeste, em 9 de março de 2011, com 17 anos, 7 meses e 6 dias – só é superado pelo atacante Mazzola, que tinha 17 anos, 6 meses e 5 dias quando marcou seus dois primeiros gols em amistoso contra o Catanduva, em 29 de janeiro de 1956.

Atingir 100 jogos é uma marca até de superação do jogador, frequentemente criticado por torcedores. “Às vezes, as coisas não dão certo. Às vezes, dá tudo errado. Mas nunca deixo faltar persistência e vontade de sempre querer ganhar na vida e no Palmeiras, principalmente”, disse Vinicius, autor de oito gols nas 99 partidas que disputou pelo clube.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

BLOG DO VERDÃO ❘ DIÁRIO DE S.PAULO ONLINE

• Os cestinhas do Verdão se encontram na quadra

Por João Pontes

A camisa 14 está em alta no Palmeiras. Seja na quadra ou no campo, ela virou sinônimo de bola na rede. No futebol, o atacante Alan Kardec é o artilheiro do time na temporada. Já na equipe de basquete, o ala-armador Neto é o cestinha.

Na última segunda-feira, o DIÁRIO promoveu o encontro entre os dois astros no ginásio de basquete do Palestra Itália. E não é que o Kardec mostrou habilidade com a bola laranja?

“Ele está convocado para o nosso time de basquete. Se faltar alguém, vamos chamar o Alan Kardec. Ele já faz parte do grupo”, brincou Neto.

Iluminado, o atacante do time de Gilson Kleina fez cestas de tudo quando foi jeito: com as mãos, os pés e até a cabeça.

“O Neto me passou algumas orientações importantes. Foi uma experiência muito legal jogar aqui. Gosto bastante de basquete”, revelou.

Caso optasse pelo jogo com as mãos, a estatura não seria um problema para o goleador do Verdão. Por incrível que pareça, ele  é até maior do que Neto, que tem 1,86 m e é um centímetro mais baixo.

“No futebol, eu sempre tirei proveito da minha altura. Desde as categorias de base, eu sempre fui maior do que os meus companheiros. No basquete, eu não teria essa vantagem, mas é possível jogar sem qualquer problema”, disse.

Representante do Palmeiras/Meltex na última edição do fim de semana das estrelas do NBB (Novo Basquete Brasil), Neto fez coro às declarações do colega.

“Antigamente, a estatura contava muito mais no basquete. Na minha função, de ala-armador, não precisa ficar  dentro do garrafão. Eu consigo puxar mais nas assistências, nos contra-ataques e nos arremessos. A altura nunca foi um empecilho”, explicou.

• Novo encontro

Durante a brincadeira no ginásio do Verdão, Neto também mostrou desenvoltura com os pés e fez algumas embaixadinhas utilizando a bola de basquete.

“O Neto foi bem. Agora, precisamos marcar para ele ir  na Academia de Futebol treinar com a gente. Vou avisar o Wesley, o Valdivia e o Leandro que vamos ganhar mais um reforço”, brincou Kardec.

• ENTREVISTA: Neto – Ala-armador do Verdão

‘Fiz escolinha de futebol antes de jogar basquete’

DIÁRIO: Na infância, você praticava outros esportes além do basquete?

NETO: Eu  jogava futebol. Comecei no campinho de terra e fiz até escolinha.

Você já passou por vários clubes. Qual a diferença de jogar pelo Palmeiras?

Quando você defende um clube como o Palmeiras, a cobrança é muito maior. Por outro lado, as glórias também são bem maiores. A torcida é diferente.

Por qual motivo você escolheu usar a camisa 14?

Para homenagear minha esposa. Ela faz aniversário no dia 14.

Em qual momento você teve a certeza de que seria jogador de basquete?

Foi após os Jogos Escolares de Rondônia. Eu me destaquei e resolvi me empenhar mais. Pouco depois, vim para o interior de São Paulo e fiz um teste em Riberião Preto. Passei e fiz toda a categoria de base lá.

• ENTREVISTA: Alan Kardec – Atacante do Palmeiras

‘Sempre que tinha uma cesta e uma bola, eu brincava’

DIÁRIO: Na infância, você praticava outros esportes além  do futebol?

ALAN KARDEC: Gostava de brincar de tudo. Não era só futebol. De basquete, por exemplo. Sempre que tinha uma bola e uma cesta, eu brincava.

Hoje em dia, qual é sua relação com o basquete?

Vira e mexe eu acompanho algumas partidas. Porém, como a batida dos jogos é muito intensa, dificulta um pouco saber de tudo.

Por qual motivo você usa a camisa 14 no Palmeiras?

Por causa do  Thierry Henry (atacante da França). Ele jogava com a 14 no Arsenal e sempre fui fã do futebol dele. Essa escolha está dando bons resultados.

• OPINIÃO: Betão, técnico de basquete do Palmeiras/Meltex

O desempenho dele surpreendeu

O Alan Kardec surpreendeu. Foi bem nos arremessos, acertou algumas bolas difíceis e até mostrou habilidade fazendo bandejas. Ele disse que gosta de basquete e costuma acompanhar a modalidade. Na próxima vez, vamos trazer ele para acompanhar um treinamento do time principal. A presença dele aqui é muito importante. Ele é um ícone do clube. O futebol é a paixão nacional e ficamos muito contentes em saber que ele gosta de basquete. Isso, sem dúvida, motiva o pessoal que defende a modalidade pelo Palmeiras. De quebra, chama a atenção da torcida. Se o nosso número 14  faltar a algum jogo ou treinamento, vou chamar o 14 do futebol. Brincadeiras à parte, essa interação foi muito legal!

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO VERDÃO ❘ DIÁRIO DE S.PAULO ONLINE

••

COLUNA DO JORGE NICOLA ❘ DIÁRIO DE S.PAULO

• Primeiro contato

O Palmeiras já procurou o estafe de Wesley (foto) para tentar prorrogar o vínculo dele, que terminará em fevereiro de 2015. A partir de agosto, o volante já poderá assinar pré-contrato com qualquer clube.

• Dificuldade à vista

Na conversa inicial, o Verdão foi informado de que Wesley não aceitará contrato de produtividade. O volante jura que pretende ficar, mas pleiteia um bom aumento e um vínculo de pelo menos quatro anos.

••

3 respostas em “VERDÃO NA MÍDIA 15-03-2014: Por vantagem e vaga, Palmeiras e Ponte Preta duelam no Pacaembu ❘ GLOBO ESPORTE COM”

Cara, dá um tempo! O time jogou bem hoje, teve muito volume de jogo, 41 finalizações contra 10 da Ponte, Bruno César jogando bem e entrando em forma… a Ponte achou o 1º gol e juiz entregou o 2º.

Quem é esse tal de Nicola? Um novo Perrone, Cosme? Só vejo textos dele aqui no 3vv, nunca tinha ouvido falar do “tão bem informado” sujeito.

Os comentários estão desativados.