Categorias
3VV Indica Notícias

Hillsborough 25 anos

Por Danilo Cersosimo (@D_Cersosimo)

Neste 15 de abril completam-se 25 anos de uma das maiores tragédias do futebol mundial, o desastre de Hillsborough, que vitimou 96 torcedores do Liverpool.

O acontecimento – além de profundamente triste e irreparável para as famílias – foi um divisor de águas para o futebol inglês. A partir dele, iniciou-se um processo de reformulação, regulação e profissionalização do esporte, dando origem ao que é hoje a English Premier League.

Entre outras coisas, estádios receberam incentivos fiscais para se modernizarem e se adaptarem às novas regras e normas de segurança e conforto (esses incentivos foram pagos pelos clubes em alguns anos) e os temidos hooligans foram banidos dos jogos – processo que já vinha em pauta desde outra tragédia em 1985, a de Heysel, quando torcedores do Liverpool causaram a morte de dezenas de fãs da Juventus da Itália, na final da UCL. Por conta disso, todos os clubes ingleses foram banidos de todas as competições europeias por cinco anos.

O processo que levou o futebol inglês a ser o que é hoje contou também com a chamada “elitização dos estádios”. De fato, o preço de um ingresso de futebol aqui na Inglaterra é muito alto, com exceção de torneios menores, como a Copa da Liga Inglesa. Há uma geração de torcedores que nunca puderam acompanhar seu clube in loco, por não poderem pagar.

A tragédia de Hillsborough também fez com que os estádios passassem a ser totalmente ocupados por cadeiras numeradas, extinguindo aquelas famosas cenas de arquibancadas e “gerais” superlotadas que caracterizavam o futebol inglês.

Naquele 15 de Abril de 1989, a Inglaterra foi tomada pela comoção, como podemos ver nesse MOTD (“Match of the Day”, o “Mesa Redonda” deles, no ar até hoje): http://www.youtube.com/watch?v=ypE5TG2UPNk&feature=youtu.be

Até hoje, famílias lutam na Justiça pela punição ao estado e por danos morais e materiais. Podemos voltar ao tema numa próxima coluna (atualmente há um julgamento em fase final sobre o caso).

Quem quiser saber mais, sugiro também este documentário, que será televisionado hoje na Inglaterra e que deverá estar disponível online dentro de alguns meses: http://www.nytimes.com/2014/04/15/arts/television/30-for-30-soccer-stories-on-espn-revisits-hillsborough.html?_r=0

Até a próxima!

 

 

 

 

 

10 respostas em “Hillsborough 25 anos”

onde está o MARKETING DO PALMEIRAS ??? CADÊ OS PATROCÍNIOS ??? Gambás acabam de fechar mais 2 e o Flamerda outro !!! NINGUÉM DÁ SATISFAÇÃO ALGUMA DOS CUSTOS DESTE DEPTO. X RETORNO ZERO !!! INACREDITÁVEL !! UM VEXAME !!! UM DESPERDÍCIO !!! E AINDA O KARDEC VAI ACABAR NOS GAMBÁS ! ESTÁ NA HORA DO 3VV IR MAIS A FUNDO NISSO !

Esse Brunoro é a maior decepção. Fizemos outra idéia do cara quando estava na Parmalat. Também com o dinheiro que tinha até o Frizo/Palaia/Perscamona/Gilton Avalone/Beluzzo/Paulo Nobre/MUSTAPHÁ traria jogadores.
Estamos ferrados com Bruno, Wendel, Juninho Pampers, Felipe Menezes, Miguel, Caio Mancha, Chico, KLEINA etc.
Segunda divisão ai vamos nós novamente.

A modernização mais inteligente foi conduzida pelo futebol alemão.

Eles modernizaram os estádios, mudaram a liga e hoje tem uma das ligas mais rentáveis do mundo. Criaram formas de manter ingressos a preços populares em setores sem cadeiras (stehplatz). Ou seja, deu opção para todos os gostos e tipos de bolso.

E colhem os resultados. Ano passado a final da Liga dos Campeões foi Borússia x Bayern. Nesse ano o Bayern tá de novo entre os quatro melhores.

Wagner Mancini no Botafogo do Rio. E nós ficamos com esse boca mole do Kleina. Diretoria pequena, esse brunoro é outro enganador. Presidente mão de vaca do caralho.

Hoje o brunoquio estava no terra dando entrevista. Mandei uma pergunta falando o que justificava a permanência do GK até agora. O fdp teve a capacidade de responder que pelo bom trabalho na série b e pela primeira fase do paulista credencia o jenio a fica até o final do ano. Então resumindo, estamos na roça.

Danilo o problema é qualquer melhora na segurança dos estádios obrigatoriamente vai passar pela elitização destes. O problema disto é que no Brasil ao contrário da Inglaterra o torcedor de baixa renda não tem a opção de ver o jogo pela TV (salvo casos esporádicos), pois a o futebol ficou “confinado” a TV fechada e principalmente ao PPV, ou seja, no Brasil o assalariado não vai ter vez.

A torcida do Liverpool até hoje presta homenagem às vítimas nos jogos no Anfield. Como grande admirador do futebol inglês, acho que a tal “modernização” mostrou-se um acerto. Nada está acima da vida humana, mas que o futebol inglês perdeu um pouco da sua essência, perdeu sim. Temo que algo similar ocorra aqui no Brasil. Já pensou ir ao Allianz e ficar sentadinho, sem poder pular, gritar, xingar? Temo por isso.

Em 85 morreu um monte de gente e em 89 outro. Mas aqui no Brasil o pessoal morre de um em um então pra que tomar providências? Pra que prender as pessoas e deixarem elas responderem como criminosos de verdade (que são)? Quando um país vizinho tenta fazer justiça a imprensa, o governo, o time vão lá e soltam os bandidos. Não precisa de mudanças aqui. afinal não tivemos tragédias desse nível, ainda.

Nao fiz a pesquisa, mas acho q se pegarmos as vitimas em jogos ( em especial incluindo os de fora dos estádios) em dias de jogos, devemos ter um número desse parecido todo ano, se nossa imprensa cumprisse seu papel e batesse firme em episódios como a vergonhosa invasão do CT do itaquerao , promovida pela diretoria gambá , já teriam tomado alguma providencia mais seria. Nesse momento o único time que adotou uma postura mais firme contra a violência das organizadas ( o nosso) tem sido sistematicamente ignorado. O presidente do flu admitiu ajudar sua to com milhões , fato seguido por quase todos dirigentes e toda imprensa fica quieta! Vivemos dias complicados!

Os comentários estão desativados.