Categorias
Uncategorized

Tia Rô

Por Anônimo Torcedor

Muitos de nós temos na família palmeirenses que nos influenciaram, nos pintaram de verde, nos fizeram palmeirenses. Um tio, um primo, pai, irmão. Tia Rosângela, para seus sobrinhos apenas tia Rô, é uma destas pessoas. Aquela tia que cada um de nós tem, ou gostaria muito de ter.

É dentista em Rio Preto, no interior de São Paulo. Oitava filha numa linha de dez. Sete mulheres e três homens. Não sei desde que idade lembro da tia Rô. Mas tudo que lembro dela tem o Palmeiras como pano de fundo. Palmeirense fanática, adorava o Leão, o Leivinha, o Luis Pereira! Viveu na adolescência e juventude os tempos de glória das duas academias. Sofreu depois, até a Era Parmalat!

Tia Rô é responsável pela catequização e conversão de muitos dos seus sobrinhos. Como sempre foi muito querida, espalhou por eles esta paixão que tem pelo Palmeiras. Mesmo na época das vacas magras, da triste década de oitenta, vibrava assustadoramente. Sim, mesmo com  aquele timeco. Tinha um rádio de 4 faixas, para poder ouvir no meio de chiados os jogos, numa era pré-pay-per-view. Seu rádio tinha até nome, Frederico se não me falha a memória.

Casou-se, e na lua-de-mel estava no Rio quando o Palmeiras de Telê enfiava sonoros 4 x 1 no Flamengo de Zico e Coutinho. Não foi levada ao jogo pelo recém-marido! Mesmo criança, lembro dela reclamando com ele deste pecado mortal.

Apesar de viver o Palmeiras intensamente, de corpo, mente e alma, nunca foi assídua frequentadora dos estádios. Como muitos de nós, mora longe. Até pouco tempo atrás não havia ido a jogo no Palestra Itália. É a prova, viva, do que representa ser torcedor do Palmeiras. Mesmo longe das bancadas.

Qualquer vitória do Palmeiras tia Rô está alegre. Nas derrotas, sofre, chora, briga de verdade com as pessoas, mesmo as queriadas. Todos lembram na família o dia em que abria uma garrafa de 2 litros de Coca-Cola, no exato momento em que o Palmeiras marcava um gol. Pulou tanto para comemorar que, quando caiu em si, pouco restava do refrigerante na garrafa. Agora, o teto, a sala, o chão, e a família…..

Teve três filhos, obviamente todos palmeirenses. Já tem 2 netos, também palmeirenses. Jovem de espírito, muitas vezes chama-os com um carinhoso “vem com a tia!”… até lembrar-se que é avó! Assina seus e-mails e mensagens com os inconfundíveis “beijos verdes”.

Dias atrás, em uma das inúmeras reuniões familiares que organiza, soltou solenemente:

Amo muito tudo na vida! Mas pela ordem:

1)   O Palmeiras

2)   Meus Netos

3)   Vocês todos.

Entre vocês todos, sobrinhos, amigos, genro, noras e, é claro, seus 3 filhos. Que não se importam. Pois sabem a mãe que têm!

PS. Recentemente recebo dela esta foto e mensagem. Dispensa explicação.

“Domingo antes do jogo Pedro chegou em casa com seus filhos para a partida. Lucas veio no meu colo e pela primeira vez falou baixinho no meu ouvido: Palmeiras. … e eu chorei. Olha só que lindo eles ficaram… Mil beijos verdes hoje e bom jogo. Junto com Felipe vou gritar gol por vc tambem. …”

33 respostas em “Tia Rô”

Verdes ventos nas Palmeiras onde canta o sabiá! Ro verde total. Ver de verdade. Verte verde dos poros. Ver mais! Amor verde, beijo verde, verde que te quiero. Saudade verde.

Não foi demora em me manifestar! Eu já havia escrito aqui, mas meu comentário não está na lista! Portanto, repito: ser filha da tia Rô é uma honra e motivo de muito orgulho! O Palmeiras faz parte da nossa vida desde o nascimento! O enfeite de maternidade de quando eu nasci era um uniforme do Palmeiras de linho, com direito a saia verde e tudo!!! A cara da mama Rô!!! Primo Junior, essa homenagem à minha mãe é mais que merecida, não só pela palmeirense que ela é, mas pela mãe, avó, irmã, tia, profissional, MULHER! Obrigada por você dedicar essas palavras tão lindas pra ela! Beijos verdes!!

Como uma das irmãs mais velhas sou testemunha ocular das palavras verdadeiras do Jr. Serbino. Além de palmeirense vibrante a Rô é a generosidade em pessoa. E como todos os beijos ela tem o coração mais verde que conheço. Espalha energia boa, deixa rastros de esperança por anda anda. Grande irmã! Grande pessoa! Valeu Jr.!

Justa homenagem à tia Rô! Belo texto, Jr Serbino! Parabéns aos dois palmeirenses fanáticos!

Tem coisa boas, únicas e decisivas na vida da gente : Júnior, meu sobrinho e Amigo é assim para mim. Obrigada querido pelas palavras verdadeiras e carinhosas…. Mas não repara ser o Palmeiras o número 1 em minha vida. Ele caminha comigo desde que eu era pequenina, ” Boneca Viva” do meu pai, que me deu de presente de 15 anos a ida ao Morumbi assistir um Palmeiras 0 x São Paulo 0. Era esse o presente que eu queria, com direito a bandeira , um bate e volta Botucatu-São Paulo, regado de felicidade plena pela primeira ida ao estádio e na verdade o resultado pouco me importou pois para mim o Verdao tinha saído vitorioso de tão bem que jogou. Deus! Que lembrança boa essa ! Que alegria !!! Amor muito antigo… Realmente Amor primeiro!!!
Obrigada Júnior. Todos meus beijos Verdes pra você… Tia Rô

Parabéns tia RÔ, história linda ! Felicidades… É por pessoas assim que o amor ao time é difundido.

Primeiro Parabéns pela coluna q legal!!!
Segundo, que tia Rô maravilhosa q amor lindo ao PALMEIRAS, nossa Diretoria podia ler histórias como esta para ver o Gigante q está nas duas mãos e tratar o time e Torcida com decência e isto quer dizer bons jogadores, bons campeonatos e títulos ACORDA PALMEIRAS

Toninho, se o Nobre ler uma coluna dessas, vai perguntar se a Tia Rô é sócia-torcedora Avanti, se não for, não vale nada pra eles… O importante é economizar R$1,2 milhões em cinco anos pechinchando o contrato do Kardec até o último minuto ou até uma rasteira dos rivais.

Tia Rô é alegria e generosidade sem tamanho! Lembro-me de que num Natal, na casa de um tio Sãopaulino, ela “convocou” os palmeirenses da família a se apresentarem uniformizados. Entre estes, meu pai, outro palmeirense apaixonado. Ele voltou para casa, vestiu sua camisa verde e, ao retornar à festa, bateu continência orgulhoso para a tia Rô!!!

Merecida homenagem do sobrinho Jú. Essa tia Rô é mesmo Palmeirense roxa, de tão verde que é. E a esperança verde que traz em seu coração faz dela uma pessoa alegre e sempre com alto astral.

Tia Ro quando está feliz grita: palmeiras, palmeiras!!! Kkkk Ela é demais! Por causa dela eu sou palmeirense! Quem não quer ser igual a tia Ro?!

Parabéns Tia Rô pela persistência pois não é fácil fazer novos palmeirenses. Agora mudando de saco pra mala, esse pai do Allan Kardec já está começando a passar dos limites. Até o outro dia, o Kardec estava esquecido em algum lugar na “terrinha”, e graças ao Palmeiras ele está sendo cobiçado por todos. Tá na hora dele começar a baixar a bola e parar de ficar metendo o pau no Palmeiras. Ele tem que criticar é a diretoria, principalmente o Nobre e Brunoro e parar de falar mal da Sociedade Esportiva Palmeiras, que é (e sempre foi) uma instituição séria, diferente daqueles que a comanda atualmente (e nas últimas gestões).

Mas nao foram justamente o Nobre e o Brunoro que resgataram o Kardec da terrinha? agora fiquei confuso…

Adorei a Tia Rô! virei fã! beijos verdes prá ela!

Dói de pensar quantas “tias, tios, avôs, avós, primos e tudo mais” estão por aí nesse mundão de Deus sem que o Palmeiras retribua esse amor gigantesco.

Não podemos deixar estes ratos que acamparam na direção do Palmeiras a quase 40 anos, a roubarem essa palestrinidade de nós torcedores . Parabens Tita Rô. Parabéns Palmeirenses de verdade.

Demais essa nossa tia Rô!!! Somos muito privilegiados… E palmeirenses!
Beijos verdes tia! Amo vc!

Emocionante, Serbino. Me identifico com a Tia Ro, pois o Palmeiras esta na minha prioridade numero 1. PARABENS!

Perfeito Serbino Júnior! É a tia Rô! Assim verde, assim fanática, assim apaixonada pelo seu palmeiras. Ela merece uma crônica desse calibre. Lágrimas emocionadas…verdes também!

Os comentários estão desativados.