Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 03-04-2014: Palmeiras tem 18 dias sem jogo. O que o time vai fazer até lá? ❘ UOL ESPORTE

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Palmeiras tem 18 dias sem jogo. O que o time vai fazer até lá?

O Palmeiras passou do Vilhena depois de suar e ver até sua trave ser tocada na última quarta-feira no Estádio do Pacaembu. No fim, o placar de 2 a 0 classificou a equipe do Palestra Itália para a segunda fase da Copa do Brasil e trouxe paz aos 18 dias de paralisação até a próxima vez em que a bola rola. O que o time vai fazer até a estreia do Campeonato Brasileiro, diante do Criciúma, fora de casa?

Planejamento. Serão quase três semanas para que Gilson Kleina e comissão técnica façam análises e peçam nomes para completar o elenco para o restante do centenário. Resta saber se Paulo Nobre e sua diretoria aceitarão as indicações.

O mais óbvio de tudo, para o treinador, é a lateral direita. A carência para a posição ficou evidente justamente no momento mais crucial, na fase final do Campeonato Paulista. Com o titular, Wendel, e seu reserva imediato, Bruno Oliveira, machucados, sobrou para o treinador usar Tiago Alves e Serginho na posição. Não deu tão certo.

“É óbvio que vamos precisar de um lateral direito. Vocês viram nos últimos jogos”, disse Kleina.

Mas mais do que a lateral direita, o treinador reconhece que precisará trabalhar bastante em cima das dificuldades expostas nestes três primeiros meses de trabalho. Um reserva para Alan Kardec e um nome que chegue para assumir a titularidade do ataque ao lado do artilheiro. Essas são as prioridades.

O nome comentado na última coletiva de imprensa foi de Douglas Tanque, hoje no Penapolense. Ele impressiona Kleina desde os tempos de Guaratinguetá, no ano passado. Seu contrato com o Corinthians acaba no próximo dia 19 ele ficará livre para assinar com uma nova equipe.

O dinheiro, no entanto, é curto. O comandante sabe disso e reconhece que também precisará trabalhar com o que já tem no elenco e até com os jogadores que voltam de empréstimo, como Deola e Bruno Dybal, por exemplo.

O ponto fundamental para ele, enquanto não conta com reforços, é recuperar os que já estão na Academia de Futebol.

“Agora, vamos lapidar. A reunião que vamos ter amanhã (quinta-feira) é para recuperar todos os atletas até o Brasileiro, exceto os de lesão grave. Vamos dar o tempo necessário a todos. Temos de voltar a ter a equipe competitiva. A gente sempre pede tempo para trabalhar e agora vamos ter. Vamos dar só as folgas que é justa e vamos trabalhar duro. A palavra chave agora é zerar, deixar a equipe rápida, dinâmica para atingir os objetivos”, disse o comandante.

O trabalho para isso será longo. No departamento médico atualmente estão Valdivia, Wesley, Juninho, Alan Kardec, Fernando Prass, Thiago Martins, Diogo, Wendel, Bruno Oliveira e França. Quase todos já entraram como titulares em 2014. “Se tivermos que aumentar o tratamento, é a hora”, decretou Kleina.

Além do Criciúma, antes da pausa para a Copa do Mundo, o Palmeiras enfrentará Fluminense, Flamengo, Goiás, Vitória, Figueirense, Chapecoense, Botafogo e Grêmio. São 27 pontos em jogo.

“O início é fundamental até a primeira parada. Nosso nível técnico precisará se manter alto e vamos fazer tudo para estrear bem. Precisamos estudar bastante o planejamento agora”, finalizou Kleina.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Após dois gols, Bruno César lamenta ‘parada obrigatória’ do Palmeiras

Por Marcelo Hazan

Bruno César teve a sua melhor atuação pelo Palmeiras na vitória por 2 a 0 sobre o Vilhena, na última quarta-feira à noite, no Pacaembu, pelo jogo de volta da primeira fase da Copa do Brasil. O meia fez os dois gols, sendo um deles de pênalti sofrido por ele próprio. 

Por isso, o jogador gostaria de já ter outra oportunidade para atuar nesse fim de semana, mas o Verdão está fora das finais do Paulistão, após ser eliminado pelo Ituano, nas semifinais – o time do interior decidirá o título contra o Santos.

Sem compromissos pelos próximos 17 dias, o Palmeiras só vai treinar até a estreia no Brasileirão, contra o Criciúma, em Santa Catarina, no dia 20 de abril. A “parada obrigatória” alviverde é motivo de lamentação para o meia.

– É ruim, porque agora estávamos com um ritmo bom de jogo, principalmente eu. Atrapalha todos os jogadores, porque estávamos atuando quarta e domingo, mas também é bom para dar uma descansada, botar a cabeça no lugar e ir bem no resto do ano – analisou.

Classificado para a segunda fase da Copa do Brasil, o Palmeiras agora espera o ganhador do duelo entre Interporto, do Tocantins, e Sampaio Corrêa, do Maranhão, que empataram por 2 a 2 no primeiro jogo e se enfrentam no dia 9. Após vencer o Vilhena, o time se reapresenta na tarde desta quarta-feira, na Academia de Futebol.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Pior público do Verdão no ano tem ironia da Mancha e gozação do Vilhena

Por William Correia

Os 4.430 pagantes da noite desta quarta-feira, no Pacaembu, formam o pior público do ano no Palmeiras, mas chamou atenção além do recorde negativo. A Mancha Alviverde usou o jogo seguinte à eliminação no Paulista para protestar com ironia, chegando a elogiar Valdivia e Paulo Nobre. E os palmeirenses ainda tiveram que ouvir gozações da torcida do Vilhena, apesar da derrota por 2 a 0 dos rondonienses.

Antes do jogo, a principal organizada gritou “Não é mole, não. Cadê a verdadeira torcida do Verdão?”, “Paulo Nobre, seu imbecil, pega esse time e vai para p… que pariu” e “Paulo Nobre, vai se f…, sou palmeirense e estou cansado de sofrer”. Depois, em tom de reprovação ao time atual, entoou cânticos especiais a ídolos campeões da Libertadores de 1999, como Galeano, Zinho, Arce, Júnior Baiano, Paulo Nunes e Oséas.

No intervalo, com a partida empatada sem gols e uma pífia atuação dos comandados de Gilson Kleina no primeiro tempo, a Mancha começou a gritar “Olê, lê, olá, lá, se prepara Barcelona que o bicho vai pegar”. Ao longo da etapa final, mesmo com os dois gols de Bruno César, a organizada intensificou na ironia.

Além de relembrar o Barcelona, cantou que “o campeão voltou”, que Paulo Nobre é o “melhor presidente do Brasil” e, após anos, entoou “Valdivia é um terror”, em ação bastante irônica, já que o chileno, desafeto da Mancha, mais uma vez não estava em campo em um jogo de mata-mata.

Os torcedores que não estavam no setor da Mancha fizeram o possível para abafar os protestos. Chegaram a aplaudir a saída de Marcelo Oliveira, apoiando o volante, e também a equipe ao final do jogo, apesar de a organizada chamar a vitória de “obrigação”.

Os poucos que estavam no Tobogã tiveram uma atitude curiosa. Mostraram-se irritados com os torcedores do Vilhena, gritando até “eliminado” com o apito final. Os fãs da equipe rondoniense, por sua vez, cantaram que “Lúcio é Seleção”, gozando a atuação do zagueiro, que cometeu seguidas falhas que quase viraram gol dos visitantes.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

• Torcedores do Palmeiras gritam nomes de ex-jogadores em protesto

Por Diego Iwata Lima

O Palmeiras está classificado para a segunda fase da Copa do Brasil. Venceu o Vilhena por 2 a 0, no Pacaembu, com gols de Bruno César –já havia vencido a primeira por 1 a 0, em Rondônia.

Mas não jogou bem.

Diante de seu pior público na temporada (4.430 pagantes), o clube alviverde, ainda desanimado com a eliminação no Paulista, ganhou o jogo em dois lances isolados.

O retrato do Palmeiras na partida veio logo na entrada do time. Cabisbaixos, os jogadores eram praticamente puxados para o campo pelos garotos que entraram como mascotes. O torcedor uniformizado não deixou barato.

Em protesto, em vez dos nomes dos jogadores que estavam em campo, festejou Oséas, Arce e Paulo Nunes, heróis da conquista da Copa Libertadores de 1999. E, em tom de ironia, gritou o nome do ausente Valdivia, com dores no tornozelo direito.

Aos poucos, o Palmeiras foi deixando o marasmo de lado. Mas o substituiu por nervosismo.

O time não conseguia se articular e errava passes. Pior: ainda deixava espaço para contra-ataques.

No banco de reservas, o técnico Gilson Kleina alternava o desânimo com reclamações com o quarto árbitro.

O melhor lance do Palmeiras na primeira etapa veio aos 35 min. Após bom passe de calcanhar de Mendieta, Marcelo Oliveira driblou um zagueiro e bateu forte, para defesa de Dalton.

O segundo tempo começou parecido com o primeiro. Com a diferença de que o Vilhena mostrou mais coragem.

À medida que o Palmeiras ficava nervoso com o zero no placar, os visitantes cresciam.

O time da casa só acordou aos 25 min, quando Tayron acertou a bola na trave após cabeçada. Vendo o perigo, o clube alviverde acordou.

O gol veio no lance seguinte. Marquinhos Gabriel fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Bruno César fazer o seu primeiro.

O 1 a 0 trouxe alívio à torcida. Cientes de que a vaga estava assegurada, muitos foram embora e nem viram, aos 32, Bruno César cobrar pênalti e fechar o jogo em 2 a 0.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Kleina elogia Douglas Tanque e diz que busca por lateral é ‘óbvia’

Douglas Tanque, atacante revelado pelo Corinthians e que se destacou no Paulistão pelo Penapolense, é um dos favoritos de Gilson Kleina para uma das posições mais carentes do elenco do Palmeiras: a de centroavante, que hoje conta apenas com Alan Kardec e Miguel – o primeiro está emprestado até o meio do ano e não tem a permanência assegurada e o segundo fez apenas seis jogos como profissional.

– Douglas é um jogador que desde o ano passado nos chama a atenção, fez a Série B muito bem no Guaratinguetá. Ele é canhoto, o Miguel é destro. Ele tem muita força, gira, chuta forte. Temos algumas avaliações, alguns nomes, tem que conversar com a diretoria. Agora é corrigir essas carências e ter todo mundo à disposição – disse o treinador, lembrando que o Verdão tomou um gol de Douglas em empate por 1 a 1 com o Guará, em 2013.

A diretoria aprovou o nome e já buscou informações sobre o jogador, que não terá seu contrato renovado pelo Corinthians e poderia vir de graça. Ele faz parte de uma lista de atletas que agradaram durante o Paulistão.

Kleina também quer com urgência um reforço para a lateral direita. Wendel, volante improvisado, tornou-se titular da posição, mas está lesionado. Bruno Oliveira, seu substituto imediato, sofre com problemas físicos, e o técnico teve de se virar com o volante Bruninho, o zagueiro Tiago Alves e o meia-atacante Serginho pelo setor. Daniel Borges, do Botafogo-SP, também agradou durante o Paulistão. Moreira, do Libertad (PAR), é sonho antigo.

– É óbvio que nós vamos precisar de um lateral. Fizemos as decisões com o Tiago, hoje o Serginho. O Wendel vinha bem, infelizmente o Bruno Oliveira se lesionou e ficamos sem opção. A partir de amanhã, uma das minhas prioridades é zerar as lesões, lapidar. Se tiver que aumentar o tratamento agora, é hora. Se tiver que ser por um tempo maior, é hora. Esses nove jogos são 27 pontos, e o início é fundamental, e trata-se de Série A. Temos que manter o nível técnico alto, porque não tem refresco. É fazer de tudo para estrear bem – completou Kleina.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

BLOG DO VITOR BIRNER ❘ VIRGULA

• Palmeiras joga futebol deprimente e elimina o Vilhena; Kleina erra e continua na mira da torcida

Por Vitor Birner

Desfalques, ressaca após a derrota para o Ituano, time escalado de forma errada, com erros de posicionamento e atuação individual ruim de vários jogadores…

Eu poderia fazer uma lista de problemas do Palmeiras contra o Vilhena.

O time se classificou porque o esforçado adversário é muito inferior tecnicamente.

Mesmo assim, chegou a correr riscos.

Lúcio errou duas saídas de bola. Uma delas dentro da área, que Jaílson, centroavante da zebra no confronto, finalizou de frente para o goleiro Bruno.

Na jogada anterior a do gol de Bruno César, Tayron, de cabeça, acertou a trave. Subiu entre dois palmeirenses, um deles o Lúcio.

No 1° tempo Tiago Alves atuou na lateral-direita. Na verdade ficou sem função, pois o Vilhena só atacou pelo outro lado e o zagueiro tem dificuldade na hora de apoiar.

A distância entre as linhas do meio e da defesa foi maior que a correta. Os atletas do sistema ofensivo, que teve Bruno César na direita, Leandro na esquerda, Mendieta entre eles e Miguel de centroavante, também precisavam se aproximar mais uns dos outros para as tabelas acontecerem.

Marcelo Oliveira, volante ao lado de Eguren, foi o melhor da equipe antes do intervalo, pois aproveitou a liberdade para ajudar na criação.

Ele tentou e conseguiu alguns dribles interessantes, enquanto seus companheiros, parados cada um no espaço do gramado como se tivessem montado acampamento e precisassem protegê-lo, nada interessante faziam com e sem a bola.

A movimentação melhorou um pouco após o período de descanso, quando Bruno César apareceu de vez em quando na esquerda e Leandro, que parece acomodado, se mexeu um pouco em busca de espaços.

A verdade é que Kleina escalou a equipe defensiva demais nem assim ela foi consistente na marcação.

A entrada de Serginho na lateral, o deslocamento de Tiago para a zaga e a saída de Wellington deram à equipe mais força ofensiva na direita.

A troca de Mendieta por Marquinhos Gabriel, que gosta de jogar mais perto que o paraguaio dos atacantes e investe mais nos dribles em velocidade, também aumentou o repertório ofensivo, mas não o fez jogar, de fato, bem.

O árbitro acertou ao apitar o pênalti em Bruno César, que próprio meia-atacante cobrou com força e quase no meio do gol.

A vitória palmeirense foi justa.

Desconfio que não servirá para diminuir as críticas de boa parte da torcida ao trabalho de Kleina.

Sob pressão, ele tem tomado decisões ruins.

E se pretende vencer em times gigantes, precisa acertar nos momentos mais importantes dos campeonatos.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO VITOR BIRNER ❘ VIRGULA

••

BLOG DO LUÍS CARLOS QUARTAROLLO ❘ JP ONLINE

• Palmeiras ainda chora a eliminação do Paulista

É claro o desapontamento do Palmeiras nesses dias que se seguiram a eliminação do Campeonato Paulista para o Ituano. Parece não se conformar que tudo tenha terminado assim.

Ontem contra o fraquíssimo Vilhena sofreu muito no Pacaembu. Os jogadores estavam abalados e o primeiro tempo foi ruim.

Melhorou no segundo com Sérginho na lateral-direita e Marquinhos Gabriel no ataque. Bruno César desencantou e fez dois gols dando a classificação à próxima fase da Copa do Brasil.

O Palmeiras terá que esquecer, superar a eliminação e voltar a ser feliz. Isso só o tempo para ajudar.

Agora tem ainda a Copa do Brasil que é uma boa competição para se jogar e vem o Brasileiro onde não pode ficar abalado com qualquer coisinha, tem que jogar para valer e buscar pelo menos uma vaga lá em cima.

Trabalho para Gilson Kleina, para os jogadores mais experientes e também para a diretoria. Creio que a parte boa dos torcedores, os verdadeiros torcedores palmeirenses, tem consciência disso tudo.

A parte Organizada quer ver o circo pegar fogo para dizer que tem razão em criticar o presidente Paulo Nobre que teve coragem de enfrentar uma situação difícil e rompeu com os seus integrantes dando um basta a uma relação promíscua de anos a fio.

Que o Palmeiras saiba se reerguer e use a sua própria história para mostrar que ainda sabe ficar de pé e se impor aos demais.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO LUÍS CARLOS QUARTAROLLO ❘ JP ONLINE

••

BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

• Triunfo e vaga com ressaca

Por Thiago Ferri

A tristeza pela inesperada queda na semifinal do Paulista pôde ser sentida durante a semana na Academia de Futebol. Na noite desta quarta-feira, contra um time fraco, era a chance de começar a se esquecer o Estadual com uma boa vitória. Não foi o que aconteceu.

A falta dos seis titulares atrapalhou o entrosamento, e o Palmeiras teve imensas dificuldades. O primeiro tempo foi sofrível, com poucas jogadas de movimentação. Bruno César foi quem mais criou, mas ainda assim foram poucas chances de perigo criadas ante o Vilhena.

Alan Kardec e Wesley fizeram falta, especialmente porque seus substitutos, Miguel e Marcelo Oliveira (que não foi mal, porém, tem características diferentes às do camisa 11), não conseguiram dar mobilidade ao Verdão.

Foi, portanto, uma equipe engessada, mais uma vez com Leandro em baixa, e que sofreu até sustos (!!!) do time de Rondônia. Só que a maior qualidade do Verdão, e a parte física pesaram na etapa final, quando os comandados pelo técnico Gilson Kleina definiram o resultado.

Serginho na lateral direita e Marquinhos Gabriel também aberto por aquele lado deixaram o time mais perigoso, em comparação com Tiago Alves (deslocado para a zaga) e Mendieta nas mesmas posições.

Foi com jogada da dupla que saiu o primeiro gol, marcado por Bruno César, que concluiu o placar de pênalti. Estes foram prêmios ao camisa 30, quem mais se apresentou, e sofreu com a atuação desencontrada dos companheiros de frente.

Diferentemente de domingo, o Palmeiras espantou a zebra, mas a ressaca ainda atrapalhou em boa parte do jogo. A vaga veio, mas o futebol precisa melhorar. O retorno dos titulares deve ajudar para isto.

Leia aqui a matéria completa → BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

••

BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

• Incertezas do Palmeiras. E o alívio de Bruno César

Não quero ser arauto de maus presságios e, acredite, não torço nem um pinguinho para que o Palmeiras viva novas agruras. Mas a sensação que o time passou na vitória contra o modesto Vilhena, por 2 a 0 (dois gols de Bruno César- um de pênalti) em um Pacaembu quase vazio (menos de cinco mil pagantes) foi a de que o baque pela derrota frente ao Ituano, em momento decisivo do Campeonato Paulista, ainda pode demorar muito a ser assimilado.

O primeiro tempo do Palmeiras foi sofrível!

Ainda com Tiago Alves na lateral-direita, tendo a incógnita Miguel como centroavante, o mistério Leandro na meia (como caiu de produção esse jogador!), Wellington inseguro na quarta- zaga e coisas do tipo, o Palmeiras deixou preocupação, muita preocupação. Tudo bem que os três pilares da equipe- Fernando Prass, Valdivia e Alan Kardec- não estavam em campo, mas um time não pode depender apenas de três ou quatro jogadores para um Campeonato tão longo e difícil como o Campeonato Brasileiro que aí vem: precisa ser equilibrado em todas as posições, pois neste torneio a distância entre o céu e o inferno pode ser pequena, quase nada.

No segundo tempo, com a ida de Thiago Alves para o meio da área (com Serginho quebrando o galho na lateral) e a entrada de Marquinhos Gabriel, o Palmeiras melhorou um pouco. E fez os dois gols, com Bruno César.

É preciso, no entanto:

1- Nem pensar em perder Alan Kardec, cujo  contrato termina em junho. Além disso, é preciso contratar um bom lateral-direito para ontem, sem esquecer de pelo mais um zagueiro (a não ser se Gabriel Dias, da base, resolva o problema) e no mínimo um centroavante reserva para Kardec.

2- Ficar na torcida para que surja, finalmente, o patrocínio máster, o que daria mais respaldo financeiro para o futebol do clube. Até agora, nada.

3- Que seja resolvido o mais rapidamente possível o impasse da Arena- o que parece difícil- antes considerada como a grande arrancada palmeirense rumo à modernidade e futuras gordas receitas.  Como ficará a questão?

Enfim, são incertezas que preocupam a torcida do Palmeiras, na noite desta quarta-feira mais desanimada do que preocupada, pois o Pacaembu estava quase vazio para o duelo contra o Vilhena, menos de cinco mil pagantes.

Como boa notícia surgiu o alívio de Bruno César, a mais esperada contratação palmeirense do ano, autor dos gols do triunfo, o primeiro deles, inclusive, com bom chute a desviar o centro de Marquinhos Gabriel pela direita. Pode ser que Bruno comece a jogar.

Já é alguma coisa, pois não?

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

••

BLOG DO ALEX MÜLLER

• Uma triste Classificação

O Palmeiras obteve uma de suas classificações mais baixo astral de sua história. Ainda sob efeitos do abalo emocional pela eliminação do Campeonato Paulista, o mistão verde não conseguiu convencer os quase 5 mil heróis que estiveram no Pacaembu e nem os milhões que assistiram pela TV ou acompanharam pelo rádio o jogo contra o Vilhena/RO.

Inclusive, a partida em si ofereceu riscos para o Palmeiras. Até bola na trave do inseguro goleiro Bruno teve quando o placar ainda era 0 a 0.

A proposta do técnico Gílson Kleina, mesmo com os 9 desfalques, foi muito “respeitosa” pela evidente diferença técnica entre as equipes. Jogar em casa contra o Vilhena com dois volantes era extremamente desnecessário e, sem alguns de seus principais atletas, o time ficou com muita dificuldade de criar boas jogadas.

Apesar dos seus primeiros dois gols com a camisa do Palmeiras, o melhor jogador do time, Bruno César, não fez uma grande partida. Tentou, lutou, mas errou muito. Entretanto é claro que sua reação ao aparecer nos lances que deram a vitória ao Palmeiras foi positiva e quando estiver mais magro poderá ser ainda mais útil.

Vale destacar também a entrada do meia Marquinhos Gabriel, que deu um outro dinamismo à equipe, criou a jogada do primeiro gol e foi um dos principais responsáveis pela vitória por 2 a 0.

O desastre, pela minha observação, fica por conta de Leandro mais uma vez. Um zero à esquerda em todos os sentidos, mesmo tendo ao lado um companheiro de ataque sem muitos recursos técnicos, no caso o centroavante Miguel. Conseguiu até manter a média de seu desequilíbrio costumeiro levando um cartão amarelo por reclamação.

É inegável que desde que o Palmeiras o comprou em definitivo do Grêmio por cerca de 5 milhões de euros não jogou mais nada. Cabe ao treinador ter personalidade para montar um esquema sem precisar colocá-lo como titular, pelo menos para baixar a bola um pouquinho. Uma pena que o atacante Diogo, que é bom jogador, tenha uma predileção pelo departamento médico. A hora em que estiver 100% pode ser titular do Palmeiras tranquilamente.

Agora é esperar a recuperação de quem está em tratamento e esperar que a diretoria consiga encontrar no mercado peças que qualifiquem o elenco palmeirense, principalmente um lateral direito e um substituto para Alan Kardec.

Diretoria esta que está fazendo aniversário de primeiro ano sem conseguir um patrocínio master. Está na hora de alguns dirigentes também ganharem por produtividade hein……

Concorda Brunoro?

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ALEX MÜLLER

••

BLOG DO FÁBIO SALGUEIRO

• Allianz Parque: vídeo da obra e homenagem ao ídolo Oberdan

A Allianz Parque acaba de lançar o nono episódio da série Intervalo, intitulado “O Novo Palco”. O vídeo apresenta a laje que está sendo construída para sustentar o palco para os dias de shows na arena. Atualmente quase finalizada, a área é uma das mais importantes, já que caracteriza o Allianz Parque como uma real arena multiuso.

O vídeo também mostra o início dos trabalhos do sistema de drenagem do gramado e conta com a presença ilustre do ex-goleiro Oberdan Cattani, que jogou no Palmeiras de 1941 a 1954 e atuava pelo time quando o Palestra Itália passou a ser chamado de Palmeiras, na Arrancada Heróica, em 1942.

Assista aqui → O Novo Palco – Intervalo 09

Oberdan também foi homenageado pela Academia Allianz Parque de Imortais, onde poderá assistir a todos os jogos e eventos na arena da cadeira que leva o seu nome. O ídolo deu depoimento emocionante da época em que jogou no Palestra Itália e sobre sua impressão na primeira visita ao Allianz Parque.

Atualmente a obra tem mais de 85% de conclusão e entra em fase de finalização com a colocação do gramado, instalação das estruturas das cadeiras e montagem da fachada, por exemplo. O Allianz Parque proporcionará uma experiência inédita para os amantes dos grandes espetáculos, com mais de 43.500 lugares cobertos, anfiteatro com até 12 mil lugares, espaço para shows com até 55 mil espectadores, camarotes para cerca de 3 mil pessoas, restaurante panorâmico, lanchonetes, lojas, centro de convenções e estacionamento para até 2 mil veículos.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO FÁBIO SALGUEIRO

••

35 respostas em “VERDÃO NA MÍDIA 03-04-2014: Palmeiras tem 18 dias sem jogo. O que o time vai fazer até lá? ❘ UOL ESPORTE”

Raphael Sanches perfeito o seu comentário.
Só faltou dizer que o Palmeiras esta arcando com os custos total ou Parcialmente de Luiz Felipe, Ayrton, Luiz Gustavo e talvez até do Weldinho.
Palmeiras o PARAÍSO MARAVILHOSO DOS EMPRESÁRIOS!

Gabriel dias base tem que ser titular, cristopher meia base merece uma chance, o goleiro bruno tem que trabalhar na limpeza do banheiro, douglas tanque seria bom no iraque, diogo, Victorino, valdivia tem que trabalha no hospital …o gk não e técnico, ele e humorista ta na profissão errada, pior ganhando din din, tem que chama o dal pozzo, Argel fucks, ou o técnico do audax, lucio, Thiago Alves , wellinton, não tem condições , no máximo reserva…

Os três na foto com a mão no bolso, já não passou da hora de tirar e trabalhar? Ou demite o Kleina e contrata reserva Kardec, substituto Leandro, lateral direito e treinador, ou bem vindo 2015!

Volta luxa! Mercenário mas é técnico e não um projeto de possível técnico.

Fora Jênio Kleina, Bruno mão de alface, wendel, Juninho Pampers cone, Vinícius, Serginho etc.
Aliás o Vinícius tem contrato até 2017, poderia colocá-lo como servente na construção da Arena . Ele e os demais acima. Brunoro também deve ganhar por produtividade. Cadê o Patrocínio??? Dorival Jr, Mancini, Nei Franco já!!!!!

Airton, Weldinho, Luis Gustavo , Luis Felipe, Serginho, Bruno Oliveira, Bruninho, Tiago Alves e Wendel tem em comum o fato de já terem ocupado a lateral direita do Verdao (na era G.K), que até se machucar pertencia ao improvisado Wendel. Airton, Weldinho e Luis Gustavo foram emprestados: Airton e Weldinho sao laterais de oficio e Luis Gustavo de improviso e os tres, até o Weldinho, sao melhores laterais que o Tiago Alves. Luis Felipe, o ingrato, poderia estar na final com o Verdao. A situacao do Serginho, outro improvisado, mostra um dos defeitos do Kleina: nao das sequencia as suas idéias e os seus improvisos continuam improvisos. O Serginho fez apenas uma partida na lateral direita (porque?) e nunca mais foi testado: poderia ser uma alternativa melhor que o T. Alves: mais rápido e bem melhor no apoio. Bruno Oliveira, da base e da posicao, parece ter potencial de jogo, mas até agra tem tido bom potencial para lesoes e problemas fisicos ( e o Rosan tá mesmo no Palmeiras? o cara era um mestre da recuperacao nos bambis. Será que pipocou no Verdao como vários jogadores? Mais uma inovacao verde: a pipocacao dos preparadores), qdo aparece chance nao está apto fisicamente. Bruninho, o ultimo dos improvisados de uma só oportunidade, longe de ser Brastemp me pareceu melhor na lateral que o T. Alves. To postando isso para mostrar o quanto sao amadores e sem planejamento a diretoria (Brunoro) e o técnico Kleina.

O Palmeiras não vai cair pra série B. Quem vai cair é o Kleina. Lá pela sexta ou sétima rodada, com o time rondando o Z4, a pressão sobre a dupla dinâmica Brunoro/Nobre será insuportável e a contragosto mandarão o estagiário de volta pra Ponte que o pariu. O contratado deve ser outra “promessa” baratinha, afinal o Sapo Boi está de olho e “não podemos fazer loucuras”, não é mesmo? No final do ano, a garantia de permanência na série A com uma rodada de antecedência e a décima quarta posição na classificação geral serão comemoradas pela diretoria: “atingimos os objetivos do ano”, dirão eles.

Com o time titular vamos disputar vaga para a sul-americana. Com Bruno “mão-de-alface”, Vinicius, MIguel, o Palmeiras será o lanterna do campeonato brasileiro.

Pior é que o GK só deve sair quando faltar menos de 10 rodadas para acabar o Brasileirão, e nosso time estiver nas profundezas da zona de rebaixamento. Aí vão querer trazer um “salvador da pátria”, mas já será tarde. Acorda em quanto é tempo PN. Ouça os torcedores. Traga um técnico de verdade amanhã, e em 16 dias estaremos melhor preparados para encarar o Brasileirão.

A diretoria nao quer demiti-lo, ele e baratinho, e, melhor economizar a multa…

Então vão jogar fora mesmo esses quase vinte dias, mais o número de rodadas necessárias no Campeonato Brasileiro pra situação ficar mais alarmante ainda?

O único problema do Kleina é a parteira que arrancou o indivíduo! rs. Mas, de boa a hora que cair pra série B ele sai. Ou fica pra subir pra série A de novo.

O Palmeiras joga mal faz um tempo. Já estava na hora de apresentar um futebol decente.

O jogo de ontem foi horrível. Cheguei a imaginar que perderíamos, principalmente no primeiro tempo.

Vendo o vídeo de como está ficando a arena, só resta uma pergunta: O time do Palmeiras(quando houver a inauguração), estará a altura de desfilar neste palco moderno e monstruoso?

A TO não gosta do Valdívia pq ele se recusou a contribuir para um churrasco. A TO ironiza Paulo Nobre, mas jamais……. protestou contra o Mustafá. Interessante não? Afinal, o Palmeiras só vai mudar quando o Mustafá sair de lá. O pior mal do palmeiras é a desunião de toda sua torcida e dirigentes. Bambis vão eleger um novo presidente agora e nnao se lê absolutamete nada negativo. Gambás ficarão parados 30 dias depois da eliminação e….e só se lê que o Palmeiras vai ficar 17 dias parados. As arbitragens quebram todo sonho do Palmeiras de alcançar algum resultado positivo e nos rebaixaram em 2012, mas 99% da torcida se recusa a ver isso…em vez de se unir para que essa gente tenha medo e respeito pelo clube. Del nero agora vai assumir a CBF, isso significa que tão cedo o Palmeiras não ganhará titulos, afinal… ao contrário do Sanches e Marin, torcedores declarados de seus times, ele é “NEUTRO”. E no clube enquanto Mustafá e Della Monica continuarem com as rédeas na mão, nada mudará. O sr. Paulo Nobre, assim como o Belluzzo, poderiam dar uma canetada e separar o clube do social. Mas isso ninguém tem ou teve coragem. Ou seja…feliz 2014 palmeirenses.

Não é bem assim Danilo, não existe isso de “time pra cair”. Time fraco tem maior probabilidade mas pra cair depende muito mais da organização, emocional e disciplina do time, tanto que em 2002 caímos com um time bom. Nós temos um time mediano com emocional facilmente abalável e jogadores covardes no meio, como o Juninho. Com a diretoria querendo vender as peças chaves, uma fagulha pode sim fazer esse time desandar ao ponto correr risco.

Miguel, Douglas TANQUE(?????!!!!), Leandro, Vinicius, eu com meio joelho direito e meu moleque com 9, metemos mais medo e somos mais eficientes que esses caras. Que show de horror, e pra esses caras ta tudo bem, tudo bom, você vê o Brunoro e ele ta rindo, parace uma hiena.

Penso como voce Victor: o Douglas Tanque é o Miguel, que é o Dinei, que é o Tadeu, que é o Fernandao, que é o Max, que é o Betinho, que é o Ricardo Bueno, que é o Adriano Chuva, que é Jorge Prea, que e o Alex Afonso, que é o…………… Esse é o padrao Kleina Ponte Preta com todo respeito a Ponte.

Obs: Mencao honrosa ao Fernandao pelo gol da vitória sobre o Corinthians, ao Jorge Preá e seu unico gol determinando uma vitória contra a Portuguesa e ao Betinho pelo gol histórico.

pois é temos centroavantes pra um gol só, o vinicius tem mais de 100 jogos e menos de 10 gols…. (isso sem falar no Wendel NUNCA, NEVER, fez gol com a camisa verde….), custo benefício zero dos centroavantes que contratam, o curintia contratou o guerreiro baseado nos números dele, e o cara fez o gol do titulo mundial.

Não dá pra continuar com Vinicius, Miguel, Gilson Kleina, Bruno entre outras porcarias que nos custaram a dor da eliminação, milhoes em renda e premiações e a volta da baixa estima da torcida novamente. Acorda PAULO POBRE.

parece que só a torcida vê isso. Esse Kleina é fraco, poderia ter recuado o tiago pra zaga, jogava com 3 zagueiros, liberava o juninho e o wesley(que ia pra lateral) contra o Ituano… colocava o Marquinhos Gabriel que é LIDER EM ASSISTÊNCIA DE GOLS… o cara não da continuidade nem no trabalho dele… Começamos com mazinho, depois Gabrile, depois sei lá quem e ai o cara não joga nunca mais, ais mais se for bem. Ai é riscado do mapa.

Esqueceu de incluir o pipoca do Leandro este é uma outra historia bem mal contada, a negociata do Barcos esta mais viva do que nunca. Leandro é jogador mediocre de serie B.

Os comentários estão desativados.