Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 23-04-2014: Bruno César sente lesão muscular e não tem data para voltar a jogar ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Bruno César sente lesão muscular e não tem data para voltar a jogar

O reforço apresentado com mais badalação no centenário palmeirense ainda não convenceu em campo e, agora, apresenta novo problema físico. Bruno César reclamou de dores na coxa direita na vitória sobre o Criciúma, no domingo, e foi constatado um problema em seu adutor que pode deixá-lo, ao menos, um mês sem condições de jogar.

Os médicos mantêm a política de não divulgar um prazo de recuperação, mas esse tipo de contusão dificilmente demora menos do que quatro semanas para ser curada. De acordo com a evolução, é possível que o camisa 30 só volte a ficar à disposição após a Copa do Mundo, já que o clube só tem compromisso até 1º de junho.

A lesão é mais um obstáculo na complicada passagem do jogador pelo Verdão até o momento. Emprestado pelo Al Ahli até 31 de dezembro, Bruno César levou mais tempo do que se estipulava para se adaptar aos treinos de Gilson Kleina após passar um ano na Arábia Saudita e ainda não atingiu plenas condições físicas.

O atleta de 25 anos se apresentou na última semana de janeiro acima do peso e ele mesmo admite que não está 100% fisicamente mesmo há três meses treinando. Ganhou a posição de titular, mas ainda está longe de convencer. Foram 11 jogos, com dois gols e uma assistência, com mais críticas do que elogios. Neste ano, já tinha se queixado de dores por pancada na coxa esquerda.

Bruno César foi pedido por Gilson Kleina e abriu mão das dívidas que tinha com o clube árabe, que detém seus direitos econômicos, para acertar empréstimo com o Palmeiras. O meia chegou a ser dispensado do time B do Verdão em 2007 e voltou credenciado pelo sucesso que teve no Corinthians em 2010, mas ainda não mostrou o futebol que se espera dele.

Sem Bruno César, é possível que Mendieta apareça como parceiro de Valdivia na armação contra o Fluminense no sábado, formando um meio-campo mais técnico. Outra opção seria a presença de Leandro e Marquinhos Gabriel abertos pelas pontas, com Valdivia municiando o ataque que terá Alan Kardec como referência no Pacaembu.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Reunião de diretoria não surte efeito, e Kardec faz Palmeiras esperar

Por Danilo Lavieri

A última reunião entre dirigentes do Palmeiras não fez a negociação pela renovação com Alan Kardec avançar. Na noite de segunda-feira, na Academia de Futebol, a diretoria alinhou o que tentaria para renovar com o atacante e, ao apresentar as ideias nesta terça-feira, não teve resposta afirmativa.

Na terça, logo após o treino da tarde, Alan Kardec deixou a sala de musculação após cumprir seu treino ao lado de Marquinhos Gabriel, mas os jogadores caminhos diferentes. O artilheiro foi para o prédio administrativo ao lado do gerente de futebol, Omar Feitosa, enquanto seu companheiro foi para o vestiário.

Segundo o estafe do jogador, nesta conversa houve uma tentativa de acerto com diferentes valores, mas ainda longe do considerado mínimo aceitável pelo jogador. Mais do que isso, após se sentir desvalorizado com a condução do negócio, o camisa 14 passará os próximos dias analisando as opções para o seu futuro.

Kardec quer ficar no Palmeiras, onde já conseguiu alguma identificação, mas sabe do interesse de outros clubes, com propostas financeiras maiores. Ele também não tem encarado bem as seguidas tentativas de Paulo Nobre de reduzir os vencimentos em quantias consideradas irrisória por ele perto do tanto que já abriu mão em relação à proposta original. Esse episódio fez o presidente ganhar certa resistência dentro do próprio clube, inclusive.

A diretoria alviverde começa a se preocupar. Os cartolas receberam a informação durante o feriado de Páscoa que o São Paulo não terá o menor pudor em atravessar as negociações. Já haveria até números acertados com o Benfica: R$ 14,5 milhões para manter o jogador e uma proposta salarial de R$ 350 mil. Os são-paulinos negam essa possibilidade.

Enquanto a notícia não estava no ouvido dos palmeirenses, a diretoria se apoiava no fato de que, até o fim de maio, Kardec não poderia assinar com ninguém.

As conversas com outros clubes ganharam força no fim da semana passada. Neste período, o diretor-executivo, José Carlos Brunoro, e Omar Feitosa se reuniram com os representantes do jogador. Após reduzir a proposta três vezes, eles aceitaram mais uma pequena redução e receberam o “sim” dos palmeirenses. Tudo dependeria de uma assinatura de Paulo Nobre, que não participou da reunião por estar no Rio de Janeiro, na eleição presidencial da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Na quinta-feira, ao voltar para São Paulo, o dirigente não gostou da proposta que havia sido acordada entre as partes. Pediu uma nova redução salarial e desagradou – e muito – o estafe do jogador.

Alan Kardec tem contrato até 30 de junho com o Palmeiras e, se não tiver acordo para ficar, precisaria voltar para Portugal para atuar pelo Benfica. O jogador não quer esse cenário, pois considera que não teve chances no clube português, já que entrava apenas no fim dos jogos.

Além do São Paulo, que já abriu as negociações na visão da diretoria palmeirense, o Corinthians deixou claro ao estafe do jogador que topa negociar. Ao contrário dos são-paulinos, no entanto, eles preferem deixar o contrato de Kardec expirar para, então, conversar com o Benfica. O futebol do Oriente Médio também é uma possibilidade no futuro do atleta.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Após fim de jejum, Leandro se vê em condição de superar 19 gols de 2013

Por Marcelo Hazan

Leandro voltou a balançar a rede na vitória do Palmeiras sobre o Criciúma, por 2 a 1, no último domingo, na primeira rodada do Brasileirão. O gol encerrou um jejum de cinco partidas sem marcar. Antes disso, ele havia deixado a sua marca contra o Vilhena, no dia 12 de março, pela Copa do Brasil.

Agora mais confiante, Leandro acredita ser capaz de superar os 19 gols do ano passado, quando foi o artilheiro alviverde na temporada.

– Dá, sem dúvida. O gol traz mais confiança até para jogar bem. Tenho capacidade para chegar a essa marca, mas estou bem tranquilo. Quero ajudar como for possível. O Palmeiras vitorioso é o mais importante – disse.

Após a vitória sobre o Criciúma, o técnico Gilson Kleina disse apostar em uma recuperação do jogador, pois o vê como peça importante do elenco. Leandro, inclusive, reconhece que as conversas com o treinador foram importantes para o fim do jejum.

– Quando um atacante fica muito tempo sem fazer gols, acaba ficando chateado. O Kleina tem conversado e me tranquilizado muito. Ele tem total confiança em mim e também sei do meu potencial. Sei que, independentemente do tempo sem gols, vou voltar a marcar. Não vou ficar sem fazer gols para sempre – finalizou.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Com oito cartões, Valdivia se vê injustiçado, mas quer melhorar

Valdivia não está satisfeito com o elevado número de cartões amarelos que está recebendo em 2014. Tanto que corrigiu um repórter que o questionou sobre suas sete advertências na temporada avisando que, na verdade, são oito: seis no Paulistão, uma na Copa do Brasil e uma já na primeira rodada do Brasileirão, contra o Criciúma, no último domingo. O Mago admite que precisa se comportar melhor.

– Tenho que melhorar. Você não pode ficar contente com o que faz, sempre tem que melhorar. Daqui para a frente vou procurar tomar menos cartões, até porque a maioria foi por reclamação. Espero reclamar menos, ter menos cartões amarelos e fazer mais jogos, mais gols para ajudar o Palmeiras. E tomara que quando eu tomar um cartão que não seja correto também seja falado que não merecia – disse o Mago, que atuou em 13 partidas no ano e se vê injustiçado em alguns momentos.

Um exemplo é a partida contra o Bragantino, nas quartas de final do Campeonato Paulista. Destaque naquela vitória por 2 a 0, ele sofreu com as pancadas dos zagueiros adversários e saiu com o tornozelo direito inchado, problema que o impediu de ser titular na semifinal contra o Ituano, que o time acabou perdendo por 1 a 0. O meia levou um cartão em sua única entrada mais forte contra a equipe de Bragança e voltou a ser advertido contra o Galo de Itu. Se o Palmeiras fosse para a final, ele estaria suspenso do jogo de ida.

– Sou injustiçado em alguns lances. Para o marcador é muito fácil bater, depois vem outro… É comum essa troca de jogadores, e tem que ser punida – reclamou, mas sem colocar toda a culpa nos árbitros.

– É um pouco de tudo. Fiz uma falta quase na área do Santos, e o árbitro disse que me deu cartão porque cortei um contra-ataque. Cortar um contra-ataque na área do Santos é muito difícil. Contra o Criciúma, o Paulo Baier colocou a bola um pouquinho atrás da marca que o juiz fez com o spray, e eu fiquei um pouco mais adiantado da linha que ele fez, até porque o Paulo estava com a bola mais atrás. Falei isso para ele, acho que não gostou – explicou.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Valdivia coloca Palmeiras na briga pelo título, mas pede reforços

Por William Correia

O jogador mais caro do Palmeiras já se mostrou aliviado por ter outros atletas importantes no elenco para dividir a responsabilidade e, por isso, coloca o time na briga pelo título brasileiro. Mas Valdivia pede contratações para o clube conquistar a taça que não vence há 20 anos.

“Temos jogadores importantes como Mendieta, Wesley, Alan Kardec, Marquinhos Gabriel, Leandro, Bruno César. Nosso elenco é bom. Mas precisa ser reforçado. O Brasileiro é muito longo e, para competir, o Palmeiras precisa de contratações”, disse o chileno, aumentando o alerta se Alan Kardec e Wesley não ficarem.

“O Alan Kardec é um jogador cotado para a Seleção e o Wesley não tem que mostrar nada para ninguém. Se os dois saírem, fica mais difícil porque são dois titulares. O elenco ficaria menos forte. Mas o pensamento de quem ficar vai ser o mesmo: alcançar o maior objetivo e o sonho de conquistar o Brasileiro”, afirmou.

Os principais pedidos de Gilson Kleina após a eliminação na semifinal do Paulista, diante do Ituano, são um lateral direito, já que Bruno Oliveira, reserva de Wendel, mais se machuca do que joga, e mais um atacante para ser uma alternativa a Alan Kardec, além da renovação com o artilheiro.

Quem já está à disposição, porém, desperta confiança em Valdivia. “Brigamos para conquistar o título. Nosso elenco é qualificado com jogadores de seleção, Copa do Mundo, experiência, então brigamos para alcançar os maiores objetivos. Se não der para conquistar o Brasileiro, temos que brigar por uma vaga na Libertadores”, declarou.

Para isso, porém, o meia insiste no pedido por reforços. “No Brasileiro, não tem time pequeno. Isso já foi mostrado no ano passado, quando o Náutico já estava na Série B e complicou quem brigava por vaga na Libertadores ou na Sul-americana. É um dos campeonatos mais difíceis e equilibrados do mundo, até pela quantidade de jogos e qualidade de times e jogadores. O vencedor é quem tem mais elenco.”

A virada na estreia, ao menos, mostrou força. “Não fizemos um jogo bom, mas, por ser o primeiro do Brasileiro, está de bom tamanho a vitória fora de casa. Erramos muito, mas tivemos muita posse de bola, embora com pouca profundidade. O Criciúma é um time rápido e explorou muito bem o nosso contra-ataque, mas fomos valentes e competentes, com paciência para aproveitar os poucos espaços que tivemos”, analisou Valdivia.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

• A coragem de Valdivia

Valdivia deu um chapéu no politicamente correto, jogou para escanteio as frases feitas e encarou de frente a sua verdade: disse para quem quisesse ouvir, em entrevista coletiva, que o Palmeiras não pode perder Alan Kardec e Wesley e que, ainda mais, precisa de alguns reforços para o Campeonato Brasileiro.

A direção pode não gostar de suas declarações? Pode, sim. Mas e daí?

Com sua coragem de dizer o que pensa, Valdivia mostra que além de ser o maior talento da equipe, hoje está muito mais amadurecido, tipo líder sem ser o capitão, sem medo de se expor. E que, ao contrário do que alguns possam pensar, e está mais preocupado com o time e suas exibições do que poderia um jogador mais acomodado, importando-se mais com sua própria performance.

Só falta reclamar menos com os árbitros para que não leve tanto cartões amarelos.

De resto, aos 30 anos, o Mago está no ponto.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

••

BLOG DO MENON ❘ UOL

• Palmeiras e Cuba: as mesmas dificuldades

O Palmeiras e Cuba têm uma dificuldade semelhante para manter seus principais atletas. Dinheiro, é lógico. As soluções tentadas – em Havana, com “abertura” e na rua Turiassu, com “fechadura” – não foram suficientes para evitar um certo êxodo, muito maior na maior ilha do Caribe do que no grande clube brasileiro.

No Palmeiras, o presidente Paulo Nobre é um inovador. Primeiramente, resolveu enfrentar as torcidas organizadas. Mostrou pulso firme, não cedeu às chantagens e consegue, no mínimo, trabalhar em um sistema mais arejado.

Criou também o sistema de produtividade: jogadores e treinador recebem um salário fixo, que é acrescido quando metas pré-determinadas são alcançadas. No frigir dos ovos – essa é nova, hein?- o salário fica igual. Quer dizer, para ganhar os milhões desejados é preciso ganhar títulos também.

É correto? Não sei.  Mas pelo que vejo com muitos palmeirenses, é o certo a fazer. Ou melhor, é o único a fazer. Esse modo de gestão sofre com a concorrência. Por que o jogador vai ficar no clube se pode ganhar o que queria em outro lugar sem a necessidade de comprovar resultados? Grosso modo, seria assim. A oferta do Palmeiras é de R$ 200 mil mensais, que podem chegar a R$ 400 mil em caso de as metas serem alcançadas. Em outros clubes, é de R$ 400 mil sem meta alguma. Muita gente prefere sair até por R$ 300 mil em vez de R$ 400 mil. São números fictícios, que fique claro.

Márcio Araújo saiu. Wesley não aceita a cláusula. É difícil concorrer contra clubes que estão em melhor situação financeira. E com outros que se recusam a colocar os pés no chão.

E Cuba, que tem a ver com isso? Boxeadores e jogadores de vôlei comandam uma diáspora enorme de atletas que buscam dinheiro – muito mais dinheiro – em outras paragens. O governo cubano resolveu agir e aumentou – e muito para os padrões da Ilha – os vencimentos dos atletas. Aqueles considerados de alto rendimento ganham um fixo e também por lá há a cláusula de produtividade, medida em medalhas de ouro, prata e bronze em Olimpíadas, Mundiais, Pan-americanos etc.

Foi permitido também que atletas disputem competições internacionais em ligas de outros países e voltem a ser convocados pelas seleções cubanas. Frederich Cepeda, um dos craques do beisebol vai atuar no Japão. Há uma expectativa enorme pela volta das “Espetaculares Morenas do Caribe” tricampeãs olímpicas de vôlei.

Mas, por mais que se faça é impossível competir. Marcos Forestal, um dos azes do boxe amador juntou-se no mês passado a muitos outros cubanos que lutam nos EUA. Leia aqui:  Deserção leva dúvida aos Domadores de Cuba

Wilfredo León, o garoto de ouro do vôlei não esperou pela regulamentação das novas medidas. E nem parece disposto a pagar uma taxa requerida pelas confederações cubanas para permitir a saída dos jogadores. Deixou o país, vai cumprir um período de punição e passará a ganhar em torno de US$ 2 milhões por ano na Itália.

Por fim, há uma pequena semelhança a mais entre Cuba e Palmeiras: para mim, é mais fácil conseguir uma exclusiva com Raúl Castro do que com Paulo Nobre.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO MENON ❘ UOL

••

COLUNA DO JORGE NICOLA ❘ DIÁRIO DE S.PAULO

• Aparecidinho

A diretoria do Palmeiras está irritada com a frequência com que o pai de Alan Kardec (foto) tem dado entrevistas para falar sobre a demora na renovação do contrato do atacante.

• Ameaça à vista

Já o pai de Kardec, que tem o mesmo nome, promete revelar à imprensa todos os valores oferecidos caso o Palmeiras tente tratar o atacante como mercenário. “Aí, quero ver o que a torcida vai achar.”

••

COLUNA DO ANTERO GRECO ❘ O ESTADO DE S.PAULO

• Vai ou fica?

Inacreditável como o Palmeiras não tem sossego. Alan Kardec é artilheiro da equipe, das escassas esperanças de gol, e há ameaça de pular o muro (São Paulo) ou ir para outro Parque (o São Jorge) por diferença salarial. Só falta virar um novo caso Barcos. Vixe!

••

9 respostas em “VERDÃO NA MÍDIA 23-04-2014: Bruno César sente lesão muscular e não tem data para voltar a jogar ❘ GAZETA ESPORTIVA NET”

Bruno César no Departamento Médico?

Só volta a jogar em 2018, com essa porcaria de Departamento Médico que nós temos. Não recupera ninguém!!!!!!!

Dá a impressão de que o Nobre está louquinho para alguém atravessar a negociação e levar o Alan Kardec embora. Assim ele não tem que desembolsar o dinheiro para contratar o cara. Contrato de produção é para quem está em baixa no mercado e aceita esta condição, não para o principal nome do time, cotado até mesmo para jogar a copa.

Mas o problema não é o contrato de produtividade, tanto que o Kardec aceitou. O problema é a falta de visão… o que adianta economizar 1,2 milhão e deixar de arrecadar 10 vezes mais com um time competitivo, resultando em estadio sempre cheio e produtos oficiais do time vendendo igual figurinhas da Copa?

A verdade é uma só: clube de futebol é uma entidade com tantos mistérios que os torcedores não ficam sabendo nem de 10 % do que realmente acontece , uma podridão imensa

Bruno César configurando-se como mais um mico na mão do Palmeiras. Não conseguiu entrar em forma em 3 meses, e vai ficar pelo menos um parado, mais outro para ter condições mínimas de jogo.
Os dirigentes estão bravinhos com o pai do Kardec? Mas até agora ninguém desmentiu o que ele falou, né?

Se negociassem tão bem teríamos um patrocínio razoável na camisa. Estão ofuscando o centenário do clube com esse atestado público de incompetência e essa verdadeira zona que estão transformando o clube. Contratos assinados sem conhecimento do conteúdo, datas incorretas, mais de um ano sem patrocínio master, devendo dinheiro pro presidente (?) e faz força pra perder os únicos jogadores que podem fazer o mínimo de diferença nos jogos. Em paralelo a isso, como fazer o programa de sócio torcedor dar retorno, se o “carro chefe” do clube vai mal? E isso tanto é verdade que o maior “benefício” pro sócio é desconto no ingresso. Do que me adianta ter desconto no ingresso pra ver o um time com Felipe Menezes na armação e um trio de atacantes poderoso formado por Leandro, Rodolfo e Miguel? Se me der dinheiro na mão assim como querem também consigo contratar. Sei que não sou qualificado pra discutir contratos de patrocínio ou conduzir negociações. Mas o falador presidente contratou um CEO, um Gerente de futebol, um departamento de Marketing… Então, porque as coisas não fluem??? Por que as notícias principais são “fulano pode sair”, ou “futuros incertos” e mesmo a da moda “ninguém aceita contrato de produtividade”. Pelo amor de Deus, o cara faz gol e tem que receber por produtividade, e quem deveria trazer receitas para o clube, leia-se DEPARTAMENTO DE MARKETING não? Aliás, o pagamento desse departamento deveria ser pago exclusivamente com percentuais sobre valores conseguidos, e não ordenados mensais como quem trabalha todos os dias. Peço desculpas a quem leu até aqui, mas esse aqui é o ÚNICO espaço que considero adequado para um desabafo cansado… Precisava contratar o Josimar? O salário dele não pagaria parte do salário do Kardec? Com a resposta, tooooooooda a estrutura do presidente.

Paulo, muito bom.
Coloca aí também o planejamento. O Kardec vem fazendo gols e sendo diferencial desde que chegou. Esperar até o final do empréstimo, momento em que o jogador ganha força na negociação, para negociar e fechar a contratação?
Abraço.

Os comentários estão desativados.