Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 26-04-2014: Alan Kardec é o primeiro desfalque do contrato de produtividade do Palmeiras ❘ LUÍS CARLOS QUARTAROLLO

BLOG DO LUÍS CARLOS QUARTAROLLO ❘ JP ONLINE

• Alan Kardec é o primeiro desfalque do contrato de produtividade do Palmeiras

Na década de 70, em Piracicaba, Romeu Ítalo Ripoli, presidente do E.C. XV de Novembro pagava salário baixo e prêmio alto aos jogadores.

Lembro que em 1976 o time foi vice-campeão paulista e o prêmio era pago em dinheiro nos vestiários.

Sempre foi assim com Ripoli. Portanto o Palmeiras não está inventando nada de novo quando diz que paga pela produtividade ou objetivo, como queiram.

O XV tinha 16 atletas no elenco e ninguém se contundia. Todos queriam jogar, chegavam a esconder contusões porque o dinheiro era muito bom.

Se o time jogasse bem e empatasse era bem possível Ripoli pagar bicho de vitória porque gostou do que viu em campo. Isso aconteceu várias vezes.

O vice-presidente do Palmeiras, Seraphim Del Grande, da época da Parmalat, também instituiu o prêmio por objetivo e não mais jogo a jogo como é o costume.

Isto porque em 1995, aquele timão empatou com o Juventude, em Caxias do Sul, 1 x 1, e perdeu a chance de ir à final para o Cruzeiro de Belo Horizonte.

No dia seguinte os jogadores cobraram o prêmio de um empate que não levou o time a lugar nenhum.

A partir dali mudaram a metodologia. Só ganhava prêmio quem chegasse a algum lugar importante no Campeonato.

O pagamento do prêmio por vitória e empate, ou bicho, como se popularizou na boca pequena, sempre foi pago e nunca muito discutido o seu benefício.

De uns tempos para cá isso é colocado em contrato e serve para pressionar os jogadores para chegar a algum objetivo importante caso não consigam o título.

O Palmeiras reinventou o contrato de produtividade, mas só vale para novos contratos. Os velhos têm que ser respeitados e isso cria uma diferença brutal no elenco.

Se Valvidia, Wesley e outros ganham seus salários inteiros jogando todas as partidas ou não, como você vai exigir que outros façam o mesmo e corram do mesmo jeito?

Alguns aceitam porque é um investimento, outros já se acham consagrados e não topam e outros como Lúcio, já não precisam tanto de dinheiro, e topam também.

Alan Kardec não deu certo no Benfica, de Portugal, voltou ao Brasil por empréstimo para o Santos, mostrou um bom futebol, mas quando voltou para a Terrinha tudo voltou a ser como antes.

Nova saída por empréstimo para o Brasil com dinheiro fixado para uma contratação definitiva. Veio com contrato normal com a diretoria antiga, agora o Palmeiras quer renovar com o novo selo da produtividade.

Kardec até aceitaria, mas a diferença para Wesley, Valdivia e outros é muito grande e não deu negócio.

Ele acha pouco e o Palmeiras acha muito. O São Paulo acha bom e já fez proposta ao Benfica e deve levar o jogador para o outro lado do muro da Marques de São Vicente.

O que fica dessa história? Fica que produtividade é boa até certo ponto, o que vale mesmo é o que o cara sabe que vai receber no fim do mês de preferência recebendo religiosamente.

Fica também que o Palmeiras serviu de vitrine para o Benfica recuperar o dinheiro do investimento feito em Alan Kardec, que se tornou o melhor jogador alvi-verde desde o ano passado.

Fica também que no futebol não há esse negócio de respeitar co-irmão, que a ética não faz parte do jogo. Quem pode mais chora menos. E nesse momento o São Paulo pode mais.

A não ser que Paulo Nobre abra sua carteira particular e empreste mais um bom dinheiro para o Palmeiras contratar Alan Kardec.

Como ele vai receber de volta esse dinheiro, só Deus sabe?

Para ele não há contrato de produtividade. É um negócio arriscado a perder de vista.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO LUÍS CARLOS QUARTAROLLO ❘ JP ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Palmeiras e Fluminense se enfrentam no Pacaembu para seguir no topo

O Pacaembu receberá, a partir de 21 horas (de Brasília) deste sábado, o confronto entre duas equipes vitoriosas na primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Entusiasmado pela vitória por 2 a 1 sobre o Criciúma na estreia, o Palmeiras voltará a utilizar o estádio municipal em um compromisso de Série A diante do Fluminense, que vem de um triunfo por 3 a 0 sobre o Figueirense.

Os jogadores dos dois times estão conscientes de que é importante se manter no topo da tabela até que a competição seja interrompida para a disputa da Copa do Mundo. “Será fundamental jogar em casa. Não podemos deixar escapar esses três pontos, mas o adversário é complicado. Precisamos ter total atenção e cuidado”, advertiu o atacante palmeirense Leandro.

O respeito é recíproco. “O Palmeiras é um dos grandes clubes do futebol brasileiro e certamente exigirá muito da nossa equipe”, previu o técnico Cristóvão Borges, sem tanta pressa para se credenciar à disputa pelo título nacional. “Não considero a próxima partida como definitiva para avaliar o potencial do Fluminense. O time será testado durante toda a temporada”, completou.

Dentro de campo, o Palmeiras não poderá utilizar o meia Bruno César, com a coxa direita lesionada, e os zagueiros Victorino e Thiago Martins, ainda atrás de condicionamento físico. O atacante Alan Kardec não participou do treinamento de sexta-feira, com uma gastrite em meio ao seu difícil processo de renovação contratual, e também não deverá ir a campo.

Sem Kardec, o ataque do Palmeiras terá novamente Leandro, que deixou o banco de reservas e marcou um gol diante do Criciúma – ele atuará ao lado de Marquinhos Gabriel. Outro reforço será o meio-campista Wesley, poupado de parte da partida em Santa Catarina, que terá liberdade para se aproximar de Valdivia.

Para o armador chileno, o Palmeiras precisará ser cauteloso contra o Fluminense. “Eles possuem uma equipe qualificada, com grandes jogadores, de Seleção Brasileira”, respeitou. “Mas queremos ganhar para continuar no nosso caminho. O Brasileiro é muito difícil. Mesmo assim, esperamos alcançar mais uma vitória”, comentou.

Um dos responsáveis pela armação das jogadas ofensivas do Fluminense retribuiu os elogios de Valdivia. “O Palmeiras tem um elenco que vem sendo montado desde o ano passado, de qualidade, e merece o nosso respeito. Teremos um jogo muito complicado pela frente, na casa do adversário, que está embalado. Mas ganhar poderá aumentar ainda mais o nosso otimismo com o Campeonato Brasileiro”, avisou Wagner.

Para justificar a confiança do armador, o Fluminense contará com o retorno do zagueiro Elivélton, que cumpriu suspensão na vitória por 3 a 0 sobre o Tupi, pela Copa do Brasil, e retomará a vaga ocupada por Wellington Carvalho. Já o volante Diguinho, preservado contra os mineiros por ter sentido dores na coxa esquerda, ficará com o posto do colombiano Valencia.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS X FLUMINENSE

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)

Data: 26 de abril de 2014, sábado

Horário: 21 horas (de Brasília)

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA) – Assistentes: Bruno Boschilia (Fifa-PR) e Ivan Carlos Bohn (PR)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Tiago Alves e Juninho; Marcelo Oliveira, Josimar, Wesley e Valdivia; Marquinhos Gabriel e Leandro – Técnico: Gilson Kleina

FLUMINENSE: Diego Cavalieiri; Bruno, Gum, Elivélton e Carlinhos; Diguinho, Jean, Wagner e Conca; Rafael Sobis e Fred – Técnico: Cristóvão Borges

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Ouvindo ofertas, pai de Kardec silencia com disputa de rivais por atacante

Por Thiago Ferri

Durante o arrastado processo de negociação entre Palmeiras e Alan Kardec para definir a renovação de contrato, o pai e agente do jogador, de mesmo nome que o camisa 14, chamou a atenção por suas cobranças públicas diante da falta de acerto salarial neste último mês. Agora, com os representantes do atleta já tendo acertado vencimentos com o São Paulo, Kardec “pai” tem evitado o contato com a imprensa. Ele, porém, admitiu estar ouvindo propostas de outros clubes.

– Tinha dito antes que ia ouvir propostas e é isto que está acontecendo. Não tenho nada para dizer. Que tudo se resolva bem para o Palmeiras, para o meu filho e para todo mundo – resumiu Alan Kardec pai, em rápido contato com a reportagem do LANCE!Net.

Enquanto o estafe do jogador apalavrou na última quinta o acordo com o Tricolor, por R$ 300 mil mensais, o Palmeiras corre para tentar evitar a saída de seu artilheiro no ano com dez gols para o rival, e de CT vizinho na capital paulista. O contrato com Kardec é válido até o fim de junho, e o Verdão tem até o fim de maio preferência na negociação.

Embora tenha dito ao Benfica (POR) – clube detentor dos direitos de Kardec – que cobre os 4,5 milhões de euros (R$ 13,7 milhões) que o São Paulo deseja pagar, um pouco acima dos 4 milhões (R$ 12,5 milhões), antes apalavrados entre o Verdão e lusos, a situação é complicada. Isto porque, ainda que as partes considerassem pequenos detalhes, não houve acordo em algumas cláusulas contratuais.

Ambos toparam o contrato de cinco anos, por produtividade, mas não conseguiram em mais de um mês definir o valor dos recebimentos do atleta – o clube esteve perto de acertar por R$ 220 mil, mas o presidente Paulo Nobre recuou de última hora.

Há na Academia de Futebol uma forte preocupação com a chance de perder o jogador, uma vez que o pai e representante tem sido mais difícil para a cúpula contatar nos últimos dias. Um membro da diretoria do clube admitiu que a situação é “muito, muito complicada”. O São Paulo, por sua vez, aguarda, pois tem seus trunfos bem definidos para seduzir o atleta e fazê-lo deixar o Verdão.

Nos últimos dois treinos, Alan Kardec reclamou de uma gastrite, que o tirou de parte do trabalho de quinta, e o fez faltar na sexta, de acordo com sua justificativa passada ao departamento médico. Ele está na lista de 23 relacionados para o jogo contra o Fluminense, neste sábado às 21h, e dependerá de um teste pela manhã para saber se irá atuar. A expectativa, porém, é de que ele se mantenha fora.

Caso queira jogar em outro clube de Série A, Kardec não pode passar de seis jogos pelo Verdão – ele fez um, na estreia contra o Criciúma, quando fez o gol da vitória. No início desta semana, o jogador havia reforçado que isto não era algo que passava pela sua cabeça.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

• Kardec merecia ter sido valorizado antes!

Por Alessandro Abate

Enquanto o Palmeiras disputava a Série B e os torcedores ainda lamentavam a saída de Barcos, lembro das capas que fiz no LANCE! sobre o desejo de Alan Kardec defender o clube.

Era um momento delicado para o Verdão, com a recusa de jogadores medianos em vestir a desvalorizada camisa. Então o atacante disse que não se importava de jogar a Segundona e queria participar da reconstrução do clube, que almejava ganhar a torcida e virar ídolo no ano do centenário.

Kardec ainda não está imortalizado no Palmeiras, mas foi no caminho certo, porque vestiu a camisa por amor. Pelos valores apresentados nas negociações para a renovação, nunca esteve perto de ser considerado mercenário. Porém, foi desvalorizado pela própria diretoria. Os valores também nos levam a cogitar o ato como mesquinharia.

Muito se fala do profissionalismo da gestão Paulo Nobre, que teve seus acertos. Mas me incomoda saber que essa diretoria não aprendeu nada com a vexatória saída de Barcos.

Eu sinto muito, Alan Kardec! Saiba que grande parte da torcida palmeirense está comigo e te valoriza como você merece por ter sido tão profissional em um grande clube, que muitas vezes teima em ser amador.

Leia aqui a matéria completa → BLOG PITACOS DO PALESTRA ❘ LANCENET

••

COLUNA DE PRIMA ❘ LANCE!

Por Marcelo Damato

• Sucesso pago

O Palmeiras começa a buscar patrocinadores para sua TV, que funciona num canal do YouTube. Em apenas dois meses, a audiência da TV Palmeiras superou de longe as metas de audiência fixadas para o final de 2014. A audiência, que tinha caído um pouco após a eliminação no Paulista, voltou a crescer no Brasileiro.

••

COLUNA PAINEL FC ❘ FOLHA DE S.PAULO

Por Bernardo Itri

• Negócio às escuras

Se informalmente o Palmeiras sabe da concorrência do São Paulo na negociação com Alan Kardec, oficialmente nem o Benfica nem o estafe do jogador dizem ao clube alviverde qual é seu rival no negócio. O Palmeiras, então, fez uma cobrança formal ao Benfica. Enviou ofício anteontem à noite exigindo que os portugueses apresentem a proposta do outro interessado em Kardec, mas, até ontem, não houve resposta

• Duelo…

Dentro do Palmeiras está definido que, caso se comprove oficialmente a interferência do São Paulo na negociação com Kardec, o clube irá comprar uma briga com o time comandado por Carlos Miguel Aidar.

• …de rivais

O presidente palmeirense, Paulo Nobre, sofreu pressão de diretores e conselheiros para que o clube entre em litígio com o São Paulo, se o atacante for para o Morumbi. No Parque Antarctica, cartolas dizem que o São Paulo está entrando em confronto com o Palmeiras nos mesmos moldes da histórica rixa entre Andres Sanchez e Juvenal Juvêncio.

• Linha direta

Kardec sequer conversou com Gilson Kleina ou com a diretoria do Palmeiras ontem para avisar que faltaria ao treino. O atacante ligou apenas para o departamento médico do clube e alegou estar com gastrite.

••

16 respostas em “VERDÃO NA MÍDIA 26-04-2014: Alan Kardec é o primeiro desfalque do contrato de produtividade do Palmeiras ❘ LUÍS CARLOS QUARTAROLLO”

E quanto ao litígio com o SPFC ? Quero mais que o Palmeiras dê declarações públicas de repúdio as maricas do Jd Leonor. Elas estão piores que os Gambás. O Andres Sanches disse na ESPN no prgrama a Bola da Vez “… palmeirense nós não somos inimigos os inimigos estão no Morumbi…” pensei que era retórica, mas na verdade temos várias situações que demonstram ser este comentário
verdadeiro.

Por quê repúdio cara? Se uma empresa oferecer o dobro do seu salário vc não vai? A verdade é que estão apequenando o Palmeiras faz anos. Cagaram no centenário.

Alguém saberia dizer se o Palmeiras “ganharia”alguma porcentagem na venda do Alan Kardec, o tal direito de vitrine? Porque se ganhar 10 ou 15% , sei lá, podemos começar a pensar que não foi incompetência e sim uma tremenda sacanagem com os envolvidos: nós, o jogador e até mesmo as bibas, estas tem mais é que se ferrar mesmo (prá elas não vale a sacanagem). Pode ter uma “lógica” essa embromação toda, a “lógica” do bom e barato, que só tem lógica na cabeça pequena do mustafá e seu novo marionete: deixam de gastar com a contratação, com os salários e ainda recebem uns trocados, ai vão atrás de outra promessa, tipo esse Henrique ou outro por ai, só que ficamos que nem otários achando que vão montar um time razoável e manter alguns bons jogadores nesse time de pernas de pau! Sinto um cheiro ruim nos ares do nosso time! Sinistro esse Paulo Nobre.

E ainda tem torcedor verdadeiros BABA-OVO da dupla MUSTANOBRE !!!Até o site do BRANCAZZO ta dizendo que a diretoria ta CERTA !!!! ELES QUREM MESMO O TRI DA SÉRIE B ……

Fábio e Rafael Sanches, vocês estão certíssimos. O contrato de produtividade servirá, apenas, para que os poucos atletas acima da média que o Palmeiras ainda tem no seu elenco sejam “doados”, a exemplo de Barcos, reforçando rivais em troca de cabeças de bagre e deixando setores da torcida “fãs de rally” revoltados com os “mercenários que não querem ficar no clube apenas por amor”. Queria ver alguém aqui trabalhar numa empresa de quinta categoria, que paga salários baixíssimos e exige até a última gota de sangue do funcionário permanecer em seu cargo caso houvesse um convite de outro lugar, no qual a perspectiva de crescimento, as condições para trabalhar e os ganhos reais fossem muito maiores. A culpa pelo apequenamento do Palmeiras, de fato, não é de jornalistas de fundo de quintal, nem de jogadores que em outras épocas seriam terceiros reservas mas que hoje decidem e não querem ficar, mas de quem se acha acima do poder divino.

Acordo verbal no futebol hoje em dia parece que só a diretoria profissional do Palmeiras acredita. Isso depois da lambanca do 5 jogador verbal (que virou virtual) do Gremio. Prejuizo para o Palmeiras. O Kardec tbém parece um negócio verbal a se acreditar na midia. Péssimo negócio verbal e se ele tivesse sido convocado seria pior ainda. O Palmeiras parece contratar jogadores para que eles nao deem certo. Ai a torcida pega a mao fácil de tachar todo mundo de mercenário, quando infelizmente o que existe é incompetencia da nossa diretoria profissional.

A culpa não é do Quartarollo, não é do Alan Kardec e também não é do SPFW. A culpe é do profissional de Rally que não quer ser refém do centenário, mas tornou nosso time refém do contrato de produtividade e do bom e barato. Esse cara vai terminar o mandato sem patrocínio master e fica reclamando da falta de dinheiro.

Já não leio o Quartarollo há muito tempo (só leio se for transcrito para esta seção do 3VV). Chega um momento em que você percebe claramente a falta de qualidade de certos profissionais, concluindo que não vai encontrar informações ou análises interessantes feitas por ele. Além de Quartarollo, há outros que também fazem textos fracos: Damato, Rimoli, qualquer um que escreva no GE.net, Kfouri, Milton Neves… Mas ainda leio (embora não concorde com tudo): Calçade (quando escreve…), Emerson Gonçalves (embora volta e meia se restrinja muito ao SPFC), PVC, Menon, e alguns outros. Estes, pelo menos, sabem escrever e apresentar idéias, mesmo que eu não concorde com algumas.

Independentemente do caso em questão, Quartorolo, um santista recalcado com o Palmeira por seu time ser freguês tradicional é um velho gaga que fez sua carreira baseada em fofocas.
Exerce uma profissão inútil para a sociedade e se tiver a mão molhada, muda de opinião na hora.
Tem o perfil ideal para trabalhar onde trabalha.

Os comentários estão desativados.