Categorias
Arenas

Arenas – Separação torcida – gramado

Por Claudio Baptista Jr.

Estamos presenciando mudanças em vários novos estádios na concepção da separação entre torcida e campo de jogo de onde passa a vigorar a ausência dos alambrados ou fosso.

Busca-se o “padrão FIFA” que apresenta como maior justificativa a segurança. Em casos de emergência onde o público tenha que ser retirado rapidamente do local abre-se o espaço do gramado para a evacuação da área.

A segregação entre torcida e campo de jogo por barreiras contribuiu fortemente e conjuntamente com a superlotação, a falta de organização e instalações precárias para uma série de tragédias. Algumas delas estão presentes nos vídeos abaixo. Vale a pena revê-los para novamente termos a grandeza da gravidade.

A tragédia do Estádio do Heysel, na Bélgica, ocorreu no dia 29 de Maio de 1985, quando estava para ser disputada a final da Taça dos Campeões Europeus, entre o Liverpool, da Inglaterra, e a Juventus, da Itália e culminou com 38 mortes.

http://www.youtube.com/results?search_query=liverpoll+juventus+1985+tragedy

Já o vídeo seguinte traz uma das semifinais da Copa da Inglaterra da temporada 88/89, no Estádio do Sheffield Wednesday, em Sheffield, entre o Liverpol e o Nottingham Forest, em abril de 1989. Neste jogo, 96 torcedores do Liverpool faleceram ao serem esmagados nos alambrados.

http://www.youtube.com/watch?v=1q47bOtV3-Y

Abaixo a facilidade de acesso ao gramado certamente contribuiu para que o desastre fosse menor apesar do assustador número de 56 mortes e mais de 256 feridos. As imagens são impressionantes e a FIFA hoje especifica que as cadeiras sejam fabricadas com material não inflamável.

http://www.youtube.com/watch?v=svI7AgMFqJY

Em alguns estádios novos a separação ainda está presente e no lugar de ser feita através de grades passou a ser realizada por placas de acrílico ou material semelhante transparente a fim de melhorar a visão do campo de jogo. Contudo ao redor do campo existem várias áreas de escape para o interior do gramado.

A segurança do público é importantíssima e existe outro ponto a ser considerado e que vale de alerta. O potencial de invasões deliberadas.

A separação entre torcida e gramado deve vir acompanhada de legislação a ser aplicada com rigor e eficácia.

Queiram ou não, mesmo com os sistemas e procedimentos de vigilância cada vez mais completos, para maus torcedores basta ter o caminho livre. Mais, o ambiente do estádio é tomado pela paixão, pela euforia, o que pode criar uma atmosfera insustentável em determinadas ocasiões.

Um exemplo simples. Pensem naquele Palmeiras x SCCP de 2011 com o apito do Paulo Cesar de Oliveira. O que uma arbitragem desastrosa pode criar em um ambiente envolvendo os fatores acima mais rivalidade e decisão?

No mínimo algo bem perigoso, não acham?

Por isso, apesar do “acesso livre” ao gramado absolutamente necessário pelo lado da segurança, o torcedor tem que ter na consciência de forma nítida e clara as consequências de um ato de invasão desnecessária.

Vocês acham que apesar dos novos estádios apresentarem como um dos conceitos de segurança a ausência de separação entre torcida e gramado, o Brasil está preparado para lidar com o risco real de invasões?

E não falo apenas em relação a um único torcedor, pois o acesso ao gramado torna-se possível pra uma quantidade grande de público.

Já imaginaram torcidas rivais em lados opostos invadindo o gramado para se digladiarem lá dentro?

Sim, tenho que trazer exemplos extremos justamente para que se possa avaliar os riscos de forma mais abrangente.

Para finalizar, sou completamente a favor deste novo conceito por aqui, mas ciente que atualmente o risco de invasões desacompanhadas do motivo segurança é alto.

Abraço,

Claudio.

6 respostas em “Arenas – Separação torcida – gramado”

A imprensa e por consequência as autoridades não estão considerando as condições de segurança para o estádio público construído para beneficiar um clube paulistano.
Qual será a garantia de segurança para jogadores, comissões técnicas, diretorias e torcidas adversárias naquele estádio?
Qual será a garantia de segurança no trabalho das equipes de arbitragem? Essas arbitragens terão coragem para aplicar corretamente as regras do futebol ou serão pressionadas a beneficiar o time da casa para manter sua integridade física, considerando que o estádio pelo padrão FIFA não possui alambrado ou fosso?

Se não tiver alambrado, precisaremos de muitos policiais e seguranças fazendo as divisões necessárias e dentro de campo, também não podemos deixar de lembrar do que a “nossa” é capaz de fazer num simples jogo de júniores: YOU TUBE
Ainda não temos capacidade, nem civilidade para andarmos juntos (torcidas) – perdemos isso com o tempo. Já cheguei a ver jogo de final de Libertadores no Palestra (1969 acho) e no meio da nossa torcida, bandeiras do Corínthians, torcendo junto, por ser um time brasileiro!!!
Acho q jamais conseguiremos voltar a essa época ou, ao menos, ter parte dessa civilidade
.

Já morei na Europa, e foram instalados meios de controle e policiamento eficaz , mas no Brasil estes fatos são mera falácia, pois não há controle de nada , esta é nossa realidade, já que no ALLIANZ PARQUE, teremos só cadeiras, neste ponto já estou preocupado, pois na primeira fagulha haverá , um sinistro de proporções infinitas perante aos resultados catastróficos , o policiamento é frágil além de incompetente, ou muda o controle, ou forma-se uma corrente de eminentes punições, o resto e papo furado, punir é necessário, e com rigor, fez , paga na hora, não entra mais em lugar nenhum!

Não a mínima condição de termos locais apropriados com cadeiras nos estádios brasileiros, pois não há educação e civilidade, não podemos iludir ao publico que vai ao estádio torcer com civilidade, pois não haverá sobreviventes, em uma guerra campal, que tem como principal combustível a ausência de coerência e opinião correta, de uma mídia que serve apenas como instrumento de agitação, aos diversos conflitos, pela inoperância do domínio e condição de opinar, algo com isenção!

Na inauguração do centro de compostagem de Itaquera, foram registradas a retirada de 138 cadeiras de um estádio, que esta sendo elogiado , pela crônica cômica esportiva, desta forma não esperem civilidade por parte de um grupo de torcedores ávidos em atos de violência, é necessário que sejam confinados em áreas, separadas, e vigiadas, para evitarem agressões e atos que já conhecemos, inclusive sou a favor do sistema sem cadeiras nos locais para “torcedores organizados´´, para evitarmos as depredações!

Os comentários estão desativados.