Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 04-05-2014: Avanti? ❘ UGO GIORGETTI

COLUNA DO UGO GIORGETTI ❘ O ESTADO DE S.PAULO

• Avanti?

Alguns amigos palmeirenses estão indignados com o presidente Paulo Nobre. Se for pelo caso Kardec não sei se concordo inteiramente com eles. Sim, houve retrocessos, tentativas de ficar com o jogador, hesitações e marchas a ré. Na origem, porém, o presidente talvez não estivesse tão errado.

Alan Kardec foi muito bem no Palmeiras. Não tinha ido nada bem no Vasco, Santos e Benfica. Foi fundamental jogando na Série B, o que não é garantia de que jogaria o mesmo na Série A.

No início a proposta do Palmeiras não tinha nada de insensata. Insensato é o que se tornou o futebol. No fim das contas Nobre ficou sozinho recebendo pressões e ouvindo criticas de todos os lados por ter perdido seu grande centroavante.

Ele não veio a público dizer o que disse, ou seja, que Alan Kardec não pode ser tratado como craque, nem sequer como grande jogador. Ainda. Pode ser que até o fim do Campeonato Brasileiro prove o contrário. Mas é apenas uma possibilidade.

O presidente Nobre não só não defendeu seu ponto de vista como, de uma certa forma, cedeu às pressões e tentou voltar atrás. Aí ficou realmente chato, e acho que sua conduta não foi a mais acertada. Por outro lado, as pressões são para que contrate um outro centroavante, algum grande centroavante, talvez para afirmar a grandeza do Palmeiras.

Muitos palmeirenses não concordam com isso e acham que a situação do time está sendo vista com particular miopia, tanto por dirigentes como por alguns torcedores. De fato, antes de qualquer grande centroavante o Palmeiras devia dar atenção a outros erros recentemente cometidos.

Ninguém acusou Nobre e sua diretoria por ter jogado fora uma zaga infinitamente mais competente do que essa que aí está.

Ninguém disse nada quando Vilson, primeiro, e depois Henrique, saíram como se nada fosse.

Henrique era o capitão do time, convocado até para a seleção, e Vilson foi o único jogador que veio do Grêmio e acertou – com exceção, muito discutível, de Leandro.

Ninguém acusa Nobre e sua diretoria de ter deixado o promissor lateral Luis Felipe sair por erro grotesco na data do vencimento de seu contrato. E o lateral que joga hoje nem é da posição. Isso para não falar do lateral-esquerdo, que definitivamente é um dos mais fracos em atividade. Como nota cômica, foi contratado um outro lateral-esquerdo aparentemente ainda pior, porque não consegue ser titular.

Ninguém acusa Nobre, sua diretoria e sua equipe técnica de terem contratado para o meio-campo, repito, PARA O MEIO-CAMPO!, jogadores como Eguren, bonitão, educado, simpático, mas de bola, nada. E França. E Bruno Cesar. Parece que está se tornando uma tradição a contratação de jogadores que nunca entram em forma. Quem contrata jogadores no Palmeiras? Quem indica? Quem observa?

Claro, Nobre tem de viver com caríssimos erros antigos, como Valdívia e – por que não? – Wesley, transformado, sabe Deus por que artes, em grande jogador. O Palmeiras acreditou e se viu apenas com um bom jogador que custou muito, muito mais do que joga.

Então é isso. A carência está em outras posições. Centroavante não faz milagre. Vejam Barcos. Vejam o Grêmio, que perdeu o Campeonato Gaucho e foi eliminado da Libertadores, com Barcos e tudo.

Mais importante é um time harmônico, com zagueiros e laterais de nível, com um meio-campo de mais nível ainda, capaz de, pelo menos, não errar passe de um metro. Infelizmente o Palmeiras, por incrível que possa parecer, entra na Série A com um time pior do que tinha na B. E, repito, se Alan Kardec foi um erro, foi o menor deles.

Grande parte da torcida sabe disso. Não é possível que uma diretoria e uma comissão técnica profissional não vejam o que meros torcedores veem das arquibancada.

Avanti sim, mas para onde?

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• No Maracanã, Flamengo e Palmeiras jogam para esquecer frustrações

Por William Correia

Às 16 horas (de Brasília) deste domingo, dois grandes clubes do País tentam reagir no Maracanã. Ainda sem vencer no Campeonato Brasileiro, o Flamengo enfrenta o Palmeiras, que busca a reabilitação após perder do Fluminense no Pacaembu e lida com as consequências da frustrante negociação que levou o artilheiro Alan Kardec ao arquirrival São Paulo.

No Flamengo, o técnico Jayme de Almeida não poderá contar com Elano, Gabriel, Léo, Chicão e Hernane, machucados, além de Léo Moura, suspenso. Para piorar, o meia Everton é dúvida, pois ainda sente dores na coxa direita. O treinador trabalhou durante a semana com Luiz Antônio improvisado na lateral. Já no meio, Lucas Mugni é o provável substituto de Everton.

A grande novidade para esta partida será a mudança do esquema tático. Jayme de Almeida escalou um trio de atacantes durante os trabalhos. Paulinho e Alecsandro ganharam a companhia de Nixon, que vem se destacando nos treinamentos e tem entrado bem no time quando acionado.

Mesmo com o pensamento de colocar o Flamengo no ataque, o comandante rubro-negro não esqueceu a parte defensiva e alertou sobre a importância da marcação, principalmente sobre o chileno Valdivia.

“O Valdívia é o principal jogador de armação do Palmeiras. Ele é perigoso, pois tem um excelente passe, faz o jogo fluir para os lados, sabe lançar. Então, não podemos deixar um jogador desse nível atue solto”, disse.

O Palmeiras terá mais um teste de sobrevida sem o seu artilheiro. Na semana em que Paulo Nobre discutiu publicamente com o presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, pela saída de Alan Kardec, Gilson Kleina tentou encontrar uma forma de jogo que não se baseasse na movimentação e na técnica de seu antigo titular.

Na rodada passada, quando o acerto do atacante com o rival ainda era apenas iminente, o Verdão teve três volantes em campo, só Leandro como atacante, alternando-se como referência na frente com Valdivia, e foi facilmente dominado pelo Fluminense, que venceu por 1 a no Pacaembu.

Ainda com Bruno César como desfalque por lesão na coxa direita, o técnico deve retomar a tática que levou o time à semifinal do Paulista, mas com Serginho alternando-se entre o meio-campo e o ataque e marcando André Santos. O recém-contratado centroavante Henrique, autor de sete gols pela Portuguesa no Paulista, já estreia como titular.

Kleina discursa pedindo para que o time jogue no campo do Flamengo e sacou o zagueiro Tiago Alves para recuar Marcelo Oliveira para o miolo da defesa, abrindo mão do trio de volantes. “Em Série A, só tem jogo difícil. Temos que entender que precisamos de movimentação, a equipe precisa ser mais agressiva e ofensiva, se impor dentro e fora de São Paulo. Precisamos chegar muito fortes ao Rio”, avisou.

Internamente, os jogadores se cobram para esquecer Kardec e melhorar imediatamente. “Precisamos ser mais espertos e ter um desempenho técnico melhor do que tivemos contra o Fluminense. Contra o Flamengo, nossa exibição individual e coletiva precisa melhorar em níveis técnicos “, exigiu o goleiro e capitão Fernando Prass.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO X PALMEIRAS

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 4 de maio de 2014, domingo

Horário: 16 horas (Brasília)

Árbitro: Paulo Godoy Bezerra (SC) – Assistentes: Carlos Berkenbrock (SC) e Cristhian Passos Sorence (GO)

FLAMENGO: Felipe, Luiz Antonio, Wallace, Samir e André Santos; Víctor Cáceres, Márcio Araújo e Everton (Lucas Mugni); Paulinho, Alecsandro e Nixon – Técnico: Jayme de Almeida

PALMEIRAS: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e Juninho; Josimar, Wesley, Valdivia e Serginho; Leandro e Henrique – Técnico: Gilson Kleina

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

• Após 4 dias, novato atacante Henrique já substitui Alan Kardec no Palmeiras

O atacante Henrique, 24, se tornou o protagonista de um enredo inusitado, desses que parecem caprichar nos detalhes de ficção.

Emprestado do modesto Mirassol e apresentado na quinta-feira passada pelo Palmeiras, ele treinou como titular já na tarde seguinte.

Hoje, dois dias depois, estreará contra um dos times que ele rejeitou enquanto negociava com a diretoria alviverde, o Flamengo. E simplesmente no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro.

Ao chegar, Henrique descartou a comparação com o goleador Alan Kardec, que acabava de confirmar sua polêmica saída do Parque Antarctica para assinar contrato com o rival São Paulo.

Mesmo assim, o novato será seu substituto hoje. E é inevitável que a expectativa palmeirense seja a de encontrar nele uma solução imediata.

A responsabilidade de que Henrique procura se esquivar é, de fato, pesada.

Artilheiro do Palmeiras no ano com dez gols e referência em campo, Kardec marcou gols decisivos. Seis deles representaram 11 pontos nesta temporada.

Na primeira rodada do Brasileiro, por exemplo, ele decretou a virada de 2 a 1 sobre o Criciúma, fora de casa.

Com Kardec, em 17 jogos a equipe conquistou 70,47% dos pontos disputados neste ano. Nas quatro partidas sem ele, o aproveitamento desabou para 50%.

Henrique também tem lá sua intimidade com as redes. Fez sete gols pela Portuguesa no Campeonato Paulista. Na edição anterior, anotou oito pelo Mogi Mirim.

Sua única passagem por um clube grande, no entanto, foi curta e apagada, no Santos, no ano passado.

Na partida contra o Flamengo ele formará parceria de ataque com Leandro.

O treinador Gilson Kleina deverá apresentar outras novidades no time para corrigir defeitos detectados na derrota por 1 a 0 diante do Fluminense, no Pacaembu.

Recuou o volante Marcelo Oliveira para a zaga e tornou o meio-campo mais ofensivo com Serginho. O meia Bruno César está machucado.

JEJUM

Campeão estadual com dois empates por 1 a 1 nas finais diante do Vasco, o Flamengo não vence há um mês.

Acumulou três empates e duas derrotas desde que venceu o Emelec no Equador, pela penúltima rodada da fase de grupos da Libertadores.

No Campeonato Brasileiro, a equipe carioca ainda não marcou nenhum gol.

Ficou no 0 a 0 com o Goiás, em Brasília, e perdeu para o Corinthians por 2 a 0, no Pacaembu.

O volante Luiz Antônio deve substituir o capitão Léo Moura, suspenso por expulsão, na lateral direita.

O treinador Jayme de Almeida espera a recuperação do meia Everton, que sofreu uma contusão muscular em sua coxa direita.

O argentino Mugni e Nixon disputam vaga no setor ofensivo da equipe carioca.

O atacante Hernane e o meio-campista Elano, que se machucaram, continuam fora do time.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Pressionados, Fla e Palmeiras se enfrentam no Rio em busca de ‘novo rumo’

Por Guilherme Palenzuela e Vinicius Castro

Dois gigantes do futebol brasileiro em busca de novo rumo na temporada. Neste domingo, Flamengo e Palmeiras se enfrentam, às 16h, no Maracanã, pela 3ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ambos entram em campo pressionados pelos recentes acontecimentos e com objetivos de atingir uma trajetória sólida na competição.

O Rubro-negro não vence há cinco jogos e só conquistou um ponto até o momento no torneio. A pressão em torno do trabalho do técnico Jayme de Almeida aumenta timidamente pela ausência de bons resultados. Um novo placar adverso pode tumultuar ainda mais o dia a dia dos cariocas.

O problema é que o treinador segue com opções limitadas para escalar o time titular. Além de Hernane, Elano e Leo, que se recuperam de lesões e nem sequer estrearam no Brasileirão, o comandante não pode contar mais uma vez com Everton, Chicão e Gabriel, vetados por problemas musculares. Expulso na derrota por 2 a 0 para o Corinthians, Leo Moura também está fora e será substituído por Luiz Antonio.

Jayme de Almeida optou pela escalação do jovem Nixon junto com Paulinho e Alecsandro no setor ofensivo. No meio de campo, o argentino Lucas Mugni terá a responsabilidade de armar as jogadas de um time que não balança as redes há dois jogos.

“O time fez gol o ano inteiro e ficou dois jogos sem fazer. A preocupação existe, mas criamos chances. Vamos ter que atacar o Palmeiras, mas não desesperadamente. O jogo tem 90 minutos e não vai ser fácil mesmo no Maracanã. Temos que pontuar. É importante mudar as coisas no Brasileiro”, afirmou Jayme.

Já o Palmeiras tenta se reinventar sem o atacante Alan Kardec, principal jogador do time desde o fim do ano passado, e alcançar a sua segunda vitória na competição. O centroavante Henrique, que veio da Portuguesa e por pouco não parou na Gávea, foi apresentado na quarta-feira passada, pouco treinou e já vai para o jogo.

A tendência é a de que o reforço comece como titular na vaga que era ocupada por Kardec. O técnico Gilson Kleina deixou claro durante a semana que, mesmo com a contratação, o clube ainda precisa repor a perda do ex-artilheiro, autor de 10 dos 34 gols do time em 2014.

Os desfalques do Alviverde para o compromisso deste domingo são o meia Bruno César, que sentiu o músculo adutor da coxa direita, e o volante uruguaio Eguren, com dores na perna direita. Com as cartas na mesa e problemas de sobra, Flamengo e Palmeiras tentam evitar no Maracanã o início de mais uma semana tumultuada.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

COLUNA DO JORGE NICOLA ❘ DIÁRIO DE S.PAULO

• No vermelho

Após fechar 2013 com R$ 22,6 milhões de déficit, o Palmeiras já acumula mais R$ 10 milhões de prejuízo nos quatro primeiros meses do ano — o buraco seria ainda maior se não fosse a venda de Henrique, em janeiro, por R$ 13,2 milhões.

• Erro no balanço

Ex-diretor jurídico do Verdão, Piraci Oliveira acusa a diretoria de ter desconsiderado o fim do Palmeiras B no balanço patrimonial de 2013. “Esse erro causou uma diferença de pelo menos R$ 3 milhões”, avalia.

••

COLUNA DO ANTERO GRECO ❘ O ESTADO DE S.PAULO

• Em busca de redenção

Falar da grandeza de Flamengo e Palmeiras é de redundância elefântica, que me avexa. Não vou tomar seu tempo, neste domingo, para lembrar que os dois clubes já se fartaram de conquistar títulos. Mas agora vivem realidade diferente da maior parte das respectivas histórias. Nenhum atualmente ostenta esquadrões – ao contrário, ambos penam para ter formações ao menos confiáveis e buscam identidade no Brasileiro.

Na base do “é o que temos para o momento”, se enfrentam na tarde de hoje no Maracanã. Andam tão sem charme, largaram suas glórias em algum lugar do passado, e ainda assim são capazes de produzir bom clássico. Pois o futebol tem tantas surpresas, e vai que resolve aprontar mais uma…

••

7 respostas em “VERDÃO NA MÍDIA 04-05-2014: Avanti? ❘ UGO GIORGETTI”

UGO GIORGETTI: Não te conhecia muito bem. Muito prazer. O seu cartão de visita (coluna) é excelente.
Te aplaudo por tudo que falou. UMA VERDADE QUE TODA DIRETORIA, ANTIGA, ATUAL E FUTURA DEVERIAM LER DIARIAMENTE, tipo, aquela Oração matinal antes de entrar no clube para, digamos, tentar trabalhar.

Q vergonha toma 4 desse timinho se cair dessa vez q fique la subir p isso todos presidentes q passaram qrem competir qm monta o pior time o p.n. esta ganhando pois os outros pelo menos tinha treinador fora kleina ja nao deixem virar o turno p contratar um treinador ainda da tempo de pelo menos nos manter na primeira divisao .

“…Grande parte da torcida sabe disso. Não é possível que uma diretoria e uma comissão técnica profissional não vejam o que meros torcedores veem das arquibancada….” No Palmeiras é possível.

Só o jênio do treinador, não sabia que o melhor momento do Marcelo Oliveira foi na zaga e que este foi o melhor momento da defesa, mas ele insiste em escalar o tiago alves, seu pupilo. Só o jênio do treinador, não sabe que qualquer outro jogador(bruninho, o luis felipe, eu você que lê) é melhor que o wendel seu pupilo. Só o Brunoro não precisamos ganhar nada, não sabia que NÃO PRECISAVA ter contratado o Josimar, pupilo do treinador. Nosso time pode não ser uma maravilha, mas o do flamengo meldels, hoje ganhamos lá de 4×0.

Quase tudo ???????? Esse Ugo disse TUDO. E repito: Parece que está se tornando uma tradição a contratação de jogadores que nunca entram em forma. Quem contrata jogadores no Palmeiras? Quem indica? Quem observa?
Essa frase, dentre as dezenas de VERDADES que ele diz, traduz o AMADORISMO do Palmeiras.

Os comentários estão desativados.