Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 07-05-2014: Com Kleina pressionado, Palmeiras encara o Sampaio Corrêa em São Luís ❘ GLOBO ESPORTE COM

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Com Kleina pressionado, Palmeiras encara o Sampaio Corrêa em São Luís

Após duas derrotas consecutivas no Campeonato Brasileiro e com conselheiros pedindo a demissão do técnico Gilson Kleina, o Palmeiras entra em campo nesta quarta-feira, para enfrentar o Sampaio Corrêa, às 22h (horário de Brasília), no estádio Castelão, em São Luís, no Maranhão, pela segunda fase da Copa do Brasil, com os bastidores conturbados.

O treinador sabe que esse pode ser seu último jogo no comando do Verdão, caso a equipe perca.

Embora enfrente uma equipe de menor expressão, o do Verdão não terá vida fácil. Desfalcado por jogadores importantes, a equipe vai encarar um Sampaio Corrêa também pressionado.

O time não vence no Castelão desde o confronto diante do Interporto, por 3 a 1, no dia 9 de abril. A intenção é confirmar ao menos o jogo de volta – uma vitória palmeirense por dois ou mais gols de diferença elimina o segundo confronto.

O árbitro Pathrice Wallace Correa Maia apitará a partida, auxiliado por Dibert Pedrosa Moises e Luiz Claudio Regazone. O GloboEsporte.com acompanha todos os lances em Tempo Real, com vídeos.

AS ESCALAÇÕES

Sampaio Corrêa: com o possível retorno de Willian Simões, o técnico Flávio Araújo deverá fazer apenas uma mudança em relação ao time que encarou o Oeste, sábado passado, em São Luís, pela Série B. A provável escalação contará com Rodrigo Ramos; Paulo Ricardo, Edimar, Alex e Jadson (Willian Simões); Jonas, Uillian Corrêa, Arlindo Maracanã e Valber; Waldir e William Paulista.

Palmeiras: Gilson Kleina tem problemas para montar a equipe. O comandante sequer teve como trabalhar taticamente com o time. Na última segunda-feira, os titulares fizeram trabalho regenerativo, e a atividade de terça-feira, em São Luís, foi cancelada, pois o gramado do CT do Moto Club estava encharcado pelas chuvas. Assim, o time fez apenas uma leve atividade no hotel onde está hospedado. O possível Verdão é o seguinte: Bruno; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e Juninho; Josimar, Wesley, Marquinhos Gabriel (Serginho) e Mendieta; Leandro e Henrique.

QUEM ESTÁ FORA

Sampaio Corrêa: os zagueiros Mimica e Paulo Sérgio já estão liberados pelo departamento médico, mas seguem realizando reforço físico. O lateral-direito Tote e o meia Eloir estão machucados.

Palmeiras: Fernando Prass (cirurgia no cotovelo direito), Valdivia (sobrecarga muscular), Bruno César (lesão no músculo adutor da coxa direita), França (faltou a treinamentos e perdeu espaço), Eguren (pancada na perna direita) e Thiago Martins (em recuperação de lesão no ligamento do joelho direito).

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Palmeiras joga por um único remédio contra a crise: vitória convincente

A frase “só a vitória interessa” é normalmente falada pelos jogadores de futebol. Mas ela ganha um sentido especial para o Palmeiras nesta quarta-feira, na partida de ida da 2ª fase da Copa do Brasil, diante do Sampaio Corrêa, em São Luís do Maranhão, no Estádio Castelão. Uma vitória sem convencer, um empate e uma derrota seriam catastróficos e a crise estaria definitivamente instalada na Academia de Futebol.

A pressão em cima do grupo ganhou ingredientes provenientes dos maus resultados do time dentro de campo, mas também do ambiente tumultuado que domina as alamedas do Palestra Itália.

As derrotas consecutivas para Fluminense e Flamengo, a saída conturbada de Alan Kardec e a pressão em cima da diretoria pela demissão de Gilson Kleina são alguns dos aspectos que darão ainda mais peso ao jogo. Isso sem contar os argumentos que já são tradicionais nas fases de abertura desta competição, como a diferença gigantesca entre orçamentos das duas equipes, a obrigação de um time de elite de bater o da Segundona e a possibilidade de evitar desgaste com o jogo de volta.

Como se não bastasse a pressão imposta pela pressão nos bastidores e pelos resultados ruins, o time terá desfalques importantes. Fernando Prass foi operado e só volta depois da Copa. Valdivia será poupado por causa de uma sobrecarga muscular. Bruno César segue no departamento médico. França continua barrado por causa do excesso de noitada. Sobra para Wesley ser um dos líderes do elenco. E ele sabe da responsabilidade que sua equipe tem dentro de jogo.

“É a nossa próxima partida e temos de procurar o resultado de qualquer maneira. Precisamos vencer para voltarmos a ter a confiança necessária para superar os próximos desafios”, disse o jogador.

Do outro lado, o Sampaio Corrêa tenta aproveitar a instabilidade para conseguir um feito histórico e entrar na lista de zebras que derrubaram o Palmeiras. Na Série B, o time tem três jogos, com quatro pontos.

Os palmeirenses já sabem os segredos do adversário. Durante a semana, Gilson Kleina apresentou um vídeo com jogos dos maranhenses para evitar surpresas. Marcelo Oliveira aposta que o Palmeiras terá dificuldades.

“Temos de entrar para fazer um bom jogo. O resultado dependerá do que fizermos dentro de campo. Se tivermos oportunidades, temos de fazer os gols porque o time do Sampaio Corrêa é muito bom também”, disse. “O Gilson já passou alguns vídeos e vimos como o time deles gosta de jogar. Temos de estar preparados para esta partida porque será muito difícil”, completou.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Pela Copa do Brasil, Palmeiras tenta usar Sampaio Corrêa para reagir

Às 22 horas desta quarta-feira, o Palmeiras busca no estádio Castelão algo que não ocorre desde 27 de março: uma atuação convincente. Desde então, o time teve desempenho frustrante mesmo quando venceu, foi eliminado do Campeonato Paulista e Gilson Kleina sofre pressão sob sério risco de demissão. A estratégia é usar a visita ao Sampaio Corrêa, ida da segunda fase da Copa do Brasil, para reagir.

Se vencer por, ao menos, dois gols de diferença, o Verdão já se garante na próxima fase da competição sem a necessidade do jogo de volta, previamente marcado para terça-feira, no Pacaembu. Mais do que mais tempo de trabalho, a ideia é encarar o clube do Maranhão que disputa a segunda divisão nacional mostrando força para se recuperar depois de duas derrotas seguidas nas três primeiras rodadas do Brasileiro.

Kleina sabe que dificilmente sobreviverá no cargo se tropeçar em São Luis. O técnico não tem real alegria por resultados em campo desde os 2 a 0 que o time impôs no Bragantino pelas quartas de final do Paulista, em 27 de março. Desde então, recebeu críticas nas derrotas para Ituano, Fluminense e Flamengo e até quando bateu Vilhena e Criciúma.

Para se reabilitar, o treinador terá que superar um frequente desfalque: Valdivia, que estava relacionado, mas alegou incômodo muscular e nem viajou. O também meia Bruno César e o volante Bruninho são outros vetados por problemas musculares, enquanto o goleiro Fernando Prass operou o cotovelo direito e só poderá atuar em agosto, o volante Eguren trata de pancada na perna direita e o zagueiro Thiago Martins, em fase de recondicionamento físico, jogará apenas no segundo semestre.

Com poucas opções nem condições de ter comandado treino em campo por conta das chuvas em São Luis, Kleina deve trocar Serginho por Marquinhos Gabriel na transição entre meio-campo e ataque e apostar em Mendieta na armação, além de Bruno no gol. O objetivo é esquecer a derrota de virada por 4 a 2 para o Flamengo, no Maracanã, no domingo, e já iniciar a reação.

“É a nossa próxima partida e temos que procurar o resultado de qualquer maneira. Precisamos vencer para voltarmos a ter a confiança necessária para superar os próximos desafios”, indicou o volante Wesley, um dos principais nomes do Palmeiras que entra em campo.

Do outro lado, o Sampaio Corrêa somou quatro pontos na Série B em três rodadas, conquistado no último sábado em empate com o Oeste. Sem o meia Eloir e os zagueiros Mimica e Paulo Sérgio, o técnico Flávio Araújo faz mistério, mas o atual campeão maranhense deve ter como principal novidade entre os titulares a volta do lateral esquerdo Willian Simões.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Bruno ganha chance de conquistar a confiança da torcida do Palmeiras

Por Ciro Campos

A partida desta quarta-feira contra o Sampaio Corrêa, pela Copa do Brasil, é um grande teste em particular para o goleiro Bruno, do Palmeiras. Reserva de Fernando Prass e criticado pela torcida, o jogador ganha a chance de mostrar serviço em compromisso que se tornou importante para a equipe na temporada.

As atuações ruins no Campeonato Brasileiro fazem o técnico Gilson Kleina a ter a permanência no cargo sob dúvida. Uma derrota no estádio do Castelão, em São Luís, pode causar a sua demissão. Para que isso não ocorra, o treinador confia em Bruno, substituto de Fernando Prass, que fraturou o cotovelo direito e ficará três meses parado.

A chegada de Prass, no começo do ano passado, foi a primeira vez em que o Palmeiras contratou um goleiro desde 1994. A tradição em formar nas categorias de base jogadores da posição, como Bruno, ficou em segundo plano diante da necessidade de reforços para a disputa da Série B.

Depois de se tornar reserva, Bruno levou gols decisivos quando substituiu Prass e deixou a torcida desconfiada. Em 2013, falhou em um chute fácil de Riascos, do Tijuana, em jogo que eliminou o Palmeiras nas oitavas de final de Libertadores. Nesta temporada, voltou a entrar em campo em uma partida de mata-mata e contra o Ituano, levou o gol de Marcelinho, já no fim do jogo. O tento desclassificou o clube na semifinal do Campeonato Paulista.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Mendieta se diz preparado para substituir Valdívia no Palmeiras

Palmeiras e Sampaio Corrêa se enfrentam na noite desta quarta-feira, às 22h, no Castelão em partida válida pela segunda fase da Copa do Brasil. Apesar de ainda não ter dado pistas da equipe titular, o técnico Gilson Kleina tem um desfalque certo. Devido a uma sobrecarga muscular, o meia Valdívia não viajou com o grupo. Medieta, provável substituto, se diz preparado para o desafio e quer aproveitar para seguir na equipe titular.

– Ainda não sabemos a escalação e torço para que o treinador Gilson Kleina me escolha. Respeito muito meus companheiros e sei que todos têm condições de jogar, mas estou preparado e espero receber a oportunidade. Caso eu seja o escolhido, farei de tudo para jogar bem, recuperar meu espaço e ter uma sequência na temporada – disse Mendieta.

Segundo o camisa 8, o Palmeiras estudou o adversário em questão e que o objetivo é eliminar o jogo de volta. Para isso, é preciso que o Alviverde ganhe a partida por dois gols ou mais de diferença.

– Nós sabemos que encontraremos muitas dificuldades para vencer o Sampaio Corrêa, principalmente porque eles são muito fortes atuando dentro de casa, diante da torcida. Já recebemos algumas informações sobre como eles jogam e temos que estar muito ligados durante toda a partida para não sermos surpreendidos. Mesmo assim, nós viemos até aqui para ir em busca da vitória. Se ganharmos, será muito bom. Se conseguirmos eliminar o jogo de volta, melhor ainda – analisou o jogador.

Na temporada de 2014, Mendieta entrou em campo 14 vezes, marcou dois gols e deu duas assistências.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Construtora divulga imagens dos vestiários da Arena Palestra

A WTorre, responsável pelas obras do Allianz Parque, divulgou, nesta terça-feira, imagens representativas de como serão os vestiários que estão sendo construídos no novo estádio do Palmeiras.

De acordo com a empresa, os locais de preparação dos times contarão com áreas de aquecimento, armários, banheiras de hidromassagem, duchas e sala de massagem mais modernos possível para os jogadores.

Arena-Vestiario

O vestiário do Palmeiras terá 355 metros quadrados e o da equipe visitante será um pouco menor, com 270 metros quadrados.

Cada jogador do Verdão terá um armário personalizado com foto. Nas imagens divulgadas, curiosamente a empresa coloca a imagem do zagueiro Henrique, que deixou o alviverde no início do ano para defender o Napoli, da Itália.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ ÉPOCA NEGÓCIOS

• As lições do futebol para a gestão de equipes

Por Vinícius Victorino

O futebol e demais esportes têm seus próprios métodos de gestão de atletas, mas alguns conceitos podem ser levados para dentro das empresas e ajudar na administração de talentos.

Selecionamos as principais dicas do diretor executivo do Palmeiras, José Carlos Brunoro, do diretor da Agência Ideal, Fabio Kadow, e do ex-jogador e empresário Oscar Bernardi. Eles debateram o tema “Gestão de Talentos” no Insights Época NEGÓCIOS da última segunda-feira (05/05), no Museu do Futebol, em São Paulo.

Confira:

Liderança

“Ser líder não é querer que as pessoas sejam iguais a você, é fazer com que todos desempenhem seu papel em prol de um objetivo em comum. Cada um com a sua característica”, diz Brunoro, que dirigiu a seleção brasileira de vôlei, a carreira do piloto brasileiro Pedro Paulo Diniz na Fórmula 1 e, atualmente, o Palmeiras.

Lembrando do time palmeirense do final dos anos 90, campeão da Copa Libertadores e bicampeão brasileiro, ele afirma que existia esse conceito: “Todos eram diferentes individualmente. Acabava o jogo e cada um ia pra um lado. Mas, dentro de campo, eram amigos e estavam unidos em busca de um objetivo comum.”

Conhecimento

O segundo pilar apontado pelo dirigente esportivo é a postura exemplar do líder quando o assunto é habilidade técnica. “A primeira coisa que as pessoas que trabalham pra você vão reparar é se você conhece sobre o assunto. Às vezes, naturalmente somos líderes pelo conhecimento, porque as pessoas precisam nos olhar e se sentir seguras das atitudes que elas estão tomando.”

Transparência

Um grupo unido, focado no objetivo principal, precisa de um ambiente transparente: “Caso aquele craque tem algum tipo de ‘regalia’, ele só tem aquilo pelo que conquistou. Então, aquele menino mais novo tem que entender isso, como esse processo funciona”, afirma Brunoro.

Esclarecer a filosofia do clube/empresa

Na mesma linha, Oscar Bernardi garante que todos devem saber claramente quais são as regras: “O jogador que vem pra uma nova equipe precisa saber como as coisas funcionam dentro da organização. A empresa ou o clube devem estar sempre acima de quem trabalha nela. Só assim se consegue o sucesso.”

Rodízio e possibilidade de ascensão

Por outro lado, a possibilidade de crescimento dentro da organização também precisa ser vislumbrada por todos. “Qualquer funcionário pode chegar ao topo da empresa, sempre deve haver uma possibilidade de subir na hierarquia de acordo com um determinado período de tempo”, diz o ex-zagueiro do São Paulo e da seleção brasileira.

Conquiste a confiança

“Uma das maiores dificuldades é pegar o cara que joga pra caramba e convencê-lo de que, sim, é importante também ter um trabalho de imagem. Então, conquistar essa confiança do atleta é um trabalho primordial: eu não estou no campo com você, mas jogo contigo fora dele”, diz o publicitário Fabio Kadow, que trabalha com o craque Neymar, do Barcelona e da seleção, além de nomes de peso como o lutador Anderson Silva e a surfista Maya Gabeira.

Kadow explica que essa resistência é aplicável às empresas, como quando é necessário um treinamento, por exemplo: “As pessoas mostram-se resistentes a ouvir quem sabe mais sobre um determinado assunto por dominarem suas respectivas áreas.”

A melhor publicidade é a performance

Se alguém não joga bem, é metade do caminho na contramão de qualquer imagem positiva externa ou interna. “Esse ponto de equilíbrio é a chave para o sucesso: o primeiro ponto é o desempenho, o segundo é a imagem. O Cristiano Ronaldo, por exemplo, tem esse equilíbrio: está jogando no ápice e trabalhando a sua imagem ao mesmo tempo”, diz Brunoro. Dentro das empresas, é possível ver os funcionários da mesma maneira. É necessário entregar resultados antes de qualquer coisa.

Seja um líder consultivo

Brunoro afirmou que procurava consultar sempre seus jogadores quando técnico de vôlei: “Apresentava todo o plano tático antes da partida e falava: ‘Vocês querem mudar alguma coisa?’. Na quadra, eles têm dificuldades que eu, como treinador, não teria e não enxergaria. Então eu reunia todo mundo e pedia a opinião deles.”

Cuidado para não mimar jovens talentos

Quando um atleta é considerado prodígio, ele pode adotar uma postura “mimada”, segundo Oscar Bernardi: “Jogador no Brasil é muito mimado. Qualquer coisinha que acontece, ele vai à diretoria e reclama. Tem que ter pulso forte do diretor e da comissão técnica, fazê-lo entender como funcionam as coisas no clube e até onde vai o limite dele”.

Muitas vezes, entretanto, o comportamento é influenciado pela forma como ele é tratado na organização. “Alguns [são mimados] sim, mas não sei se nascem mimados. Às vezes, o ambiente o torna mimado. Mas não é culpa só dos atletas: tem gente pagando, passando a mão, fazendo uma porção de coisas para eles”, afirma Kadow.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ÉPOCA NEGÓCIOS

••

COLUNA DO JORGE NICOLA ❘ DIÁRIO DE S.PAULO

• O queridinho

Desde que o processo de fritura a Gilson Kleina começou, não para de ganhar força no Palestra Itália o nome de Dorival Junior (foto). Até Dudu, tio do técnico e ídolo alviverde, tem mexido seus pauzinhos.

• Questão de ordem

Luiz Gonzaga Belluzzo alerta que os R$ 113 milhões de déficit do Palmeiras, em 2010, são resultado da reorganização da contabilidade, que reduziu em R$ 31 milhões o ativo, pela demolição do estádio, e ignorou R$ 23 milhões em luvas obtidas com Globo e Adidas.

••

108 respostas em “VERDÃO NA MÍDIA 07-05-2014: Com Kleina pressionado, Palmeiras encara o Sampaio Corrêa em São Luís ❘ GLOBO ESPORTE COM”

Como essa tranqueira do Brunóquio consegue dar risada em uma entrevista depois de uma derrota dessa?!?!

Mesmo que aquela dupla de portas demitam o Seu Girso, não se enganem, este time é medíocre e lutará na parte de baixo da tabela do campeonato brasileiro.
Claro que se fosse um técnico qualquer, não perderia do Sampaio Corrêa, mas contra os grandes e médios não existe milagre.

Pergunta: Será que alguém ainda tem coragem de dizer que a venda do Henrique (zagueiro) foi um bom negócio? Bom é jogar com Marcelo Oliveira na zaga.

Não dá mais para o Kleina continuar no comando, por mais que eu ache que ele é o menos culpado pela situação. Acho que está na hora de tentar chacoalhar o moribundo, antes da Copa, e antes que seja tarde demais. Por mais que eu tenha restrições ao trabalho do Luxemburgo nos últimos tempos, alguma coisa tem que ser feita, nem que seja sua contratação. Contrato de produtividade, e só até o fim do ano.

Os comentários estão desativados.