Categorias
Futebol com Números

As Finanças do Palmeiras – 3

Endividados Alviverdes, depois de vermos diversos estádios sendo construídos com o nosso dinheiro, hoje é a vez de falarmos daquele tema que costuma causar calafrios para os Palmeirenses: a nossa dívida!

Os gráficos que iremos compartilhar aqui ajudam a explicar porque tem sempre alguém da diretoria do Palmeiras reclamando da nossa “situação financeira”.

Observem no gráfico abaixo o que os balanços dos clubes apontam como dívida total (notas explicativas para quem gosta de detalhes estão no final do post), em milhões de reais:

Dívida Total

Olhando o gráfico parece que a nossa situação não é assim tão ruim, não? Os clubes do estado tem mais ou menos o mesmo patamar de dívidas: pouco mais de R$ 300 milhões! E a boa notícia é que o Palmeiras deve um pouco menos: “apenas” R$ 280 milhões!

A nota importante fica para o comportamento do São Paulo, cuja dívida total foi a que mais aumentou entre 2010 e 2012. Esse tipo de crescimento vertiginoso costuma apontar algum grave problema de caixa. A queda de 2012 para 2013 tem uma explicação bem simples: a venda daquela farsa chamada Lucas. A venda por um valor exorbitante de um jogador de qualidade bem mediana foi utilizada para saldar parte das dívidas do clube.

O grande problema é que quando lidamos com dívida e outros quesitos financeiros temos que olhar o peso relativo das coisas. O gráfico abaixo compara a evolução da dívida como porcentagem da receita:

Dívida porcentagem receita

Agora fica mais fácil entender porque estamos em uma situação tão complicada.

Devemos mais do que um ano e meio de receitas! Enquanto o Santos soube utilizar o “efeito Neymar” até 2012 e aumentar as receitas e trazer suas dívidas para um patamar um pouco mais administrável, o Palmeiras não soube fazer nenhuma das duas coisas.

Depois de 2012 o Santos já mostrou que vai voltar a se endividar e ficar esperando que alguma outra geração Diego & Robinho apareça.

Já São Paulo e Corinthians conseguiram manter suas dívidas “estáveis” em porcentagem da receita. Essa certa estabilidade faz com que o clube pareça “confiável” e “bem administrado” e – por essas qualidades – encontre parceiros dispostos a emprestar dinheiro.

Como sempre cabe a pergunta: se tem sempre alguém do Palmeiras dizendo que o clube está endividado, por que não tem alguém cobrando o aumento de receitas?

Para aqueles que tem estômago, teremos mais detalhes na próxima semana!

Saudações AlviVerdes

* Luís Fernando Tredinnick escreve às sextas-feiras no 3VV explicando a quem conhece, e a quem não conhece, os números do futebol

Dívida total, ou seja, a parte do balanço que se encontra sob a denominação “passivo”, sem considerar o que o clube tem a receber. E desse total eu excluí um item chamado “receitas a realizar”. Esse “receitas a realizar” costuma ser o adiantamento de cotas de TV ou de patrocinadores.

Dívida como % da receita: é a divisão do valor da dívida total do ano pela receita daquele mesmo ano. Portanto, se a receita aumentar, o tamanho da dívida diminui proporcionalmente

10 respostas em “As Finanças do Palmeiras – 3”

Quando Sai os próximos detalhamentos? E como podemos fazer para mudar esse panorama?

Infelizmente nossa diretoria atual jamais tentou equacionar o problema da dívida sob o prisma do aumento de receitas. O Sr. Nobre e seus parceiros só pensam em diminuir despesas, porém já passamos do limte aceitável desta redução de despesas. A única solução viável seria o aumento das receitas, atitude esta totalmente utópica em um clube que não tem nem patrocínio master há mais de um ano e, por falhas ridículas na negociação/contratação de atletas, acaba de perder mais de 10 milhões de euros só na valorização do passe do zagueiro Henrique e na frustrada renovação com o Kardec.

gostaria que vocês comentassem a intensão do mustanobres de fazer empréstimos pra paga impostos que podem ser negociados direto com o Estado em vez de usar todo financiamento pra pagar dividas de curto prazo.
Sem contar as promessas de renovação com a adidas e de um patrocínio master,

Luis, bom dia, sem uma abertura do quanto do nosso endividamento está no curto prazo e o quanto deste está no longo prazo, como também sem uma abertura da composição do mesmo (quanto é bancos, quanto são impostos, etc.) é impossível estabelecer uma comparação com os outros clubes. Analisar a dívida puramente pelo seu valor total é falho no sentido de que um passivo de curto não é igual a um passivo de longo prazo, bem como dever para bancos não é o mesmo que dever para o governo.

Mário, como já disse antes: esta é uma série de artigos. Teremos vários ainda pela frente. A cada semana, iremos detalhar mais e mais os dados. Caso contrário, a maioria dos leitores iria dormir antes mesmo de se chegar à metade do artigo….rsrsrsr

Saudações AlviVerdes

Daniel, esse é um dos temas dos próximos posts. Já posso adiantar que nesse quesito o Palmeiras está bem pior do que os demais clubes, com a nossa dívida concentrada no curto prazo!!!!
Como eu já disse muitas vezes, se o governo federal perdoar as dívidas, nós estamos perdidos!

Saudações AlviVerdes

Com esse desenho, ate eu que sou da área de biológicas , consegui entender : nosso maior problema nao sao as dividas e sim a falta de receitas, esta falta de recursos entrando no clube faz com a divida se torne um problema maior que apenas a divida pura ! E depois ainda temos que ouvir que o patrocínio Master nao e a prioridade ! Observo que neste cenário apresentado ele e muito mais importante que o valor absoluto do dinheiro, ele poderia representar uma situação mais administravel do todo! E impressionante o amadorismo das gestões colocadas no poder via mumu, sendo que a atual apresenta , ou tenta, uma fachada de profissionalismo que consegue enganar um monte de gente inocente!

Luis, eu não tenho acesso às infos, e talvez você as tenha.
Sabes informar qual o % das dívidas relativas à curto e longo prazo? E diferenciar quem tem mais dívidas com o fisco e com instituições financeiras?
Me lembro que os gambás têm boa parte de suas dívidas relativas a tributos devidos. O Palmeiras era o que tinha menor dívida com o governo. Por outro lado, tínhamos muitas dívidas de curto prazo e oriundas de empréstimos bancários, com juros muito maiores. O SPFW tb tinha altas dívidas neste quesito.
Bom, se o PT ficar no poder vai perdoar as dívidas dos clubes, e aí, o patamar de dívidas do Small Clube vai lá pra baixo.
Abs.

Os comentários estão desativados.