Categorias
Opinião

Paulo Nobre e o centenário arruinado

Por Rodrigo Barneschi

A Paulo Nobre de Almeida Nobre se podem associar muitos apostos, a título de contextualização e apresentação de sua figura. Alguns, um tanto mais exaltados, eu prefiro guardar para a arquibancada – aquela a qual o referido cidadão alega ter pertencido um dia. Outros, menos passionais, merecem ser devidamente registrados. A eles, pois:

Aconteça o que acontecer até o fim do ano, Paulo de Almeida Nobre ficará marcado para todo o sempre como o presidente que arruinou o centenário da Sociedade Esportiva Palmeiras. Sim, ele fez o possível e o impossível para assegurar que o Campeão do Século XX completasse seu primeiro século de existência em condição destoante de sua trajetória. É assim, senhores, por obra deste cidadão que o gigante Palmeiras adentra o mês de seu 100º aniversário em situação que só não é tão desesperadora quanto a qualidade técnica do time que ele (des)montou.

Ficará marcado, ainda, como o mandatário que mais fez pelos processos de elitização e segregação da torcida alviverde. Se o primeiro ponto se deve a uma política de precificação equivocada e desconectada da realidade (seja para ingressos, seja para a conquista de novos associados), o segundo tem relação direta com sua campanha desmedida para criar um racha entre setores distintos da torcida – e há aqui muito de seu ego se sobrepondo aos interesses de toda a coletividade palestrina.

O nobre presidente, de escassas habilidades gerenciais, passará para a história como o homem que conseguiu desmontar time atrás de time em curtos intervalos de tempo. Será o responsável por fazer o Palmeiras perder quase todos os bons jogadores que teve no último biênio, de maneiras as mais amadoras possíveis: trocas nunca explicadas, vendas forçadas, renovações contratuais desastrosas. Detalhe: sem que isso servisse para sanar as despesas do clube – muito pelo contrário. Será ainda, com todos os deméritos, o gestor que tentou colocar jogadores (Barcos e Henrique, por exemplo) contra a torcida como forma de justificar negociações tão nebulosas quanto danosas ao clube. E será, por mesquinharia e teimosia, aquele que fez Kardec pular o muro por algumas migalhas.

Será também o primeiro presidente da história recente do clube a concluir seu mandato como começou: sem patrocinador máster. À incapacidade de atrair tal fonte de recursos no ano do centenário é necessário dedicar redobrada atenção, porque daí – e da consequente e propalada falta de dinheiro – resultam boa parte de nossas fragilidades. O vazio no uniforme revela muito sobre sua gestão. Não só pelas escolhas erradas – até a dupla de inimputáveis Tirone/Frizzo conseguiu um patrocinador –, mas pela insistência nos desacertos e pelas frágeis desculpas apresentadas.

A verdade é que a obsessão de Nobre e seus asseclas por um discurso derrotista (“não temos dinheiro”) contribuiu para afastar eventuais interessados em fazer tal investimento. Afinal, pensem comigo, que tipo de marca vai querer se associar a uma entidade que se reconhece incapaz de buscar títulos (by CEO) que trariam a necessária projeção para o patrocinador?

Paulo Nobre será lembrado também como o inepto dirigente que, para além de suas deficiências, só fez piorar as coisas ao cercar-se de figuras tão despreparadas quanto ele. Há, em seu corpo diretivo, aqueles que buscam apenas uma boquinha (uma cortesia para o jantar de aniversário do clube, por exemplo). Há quem não disfarce a vaidade de ter o nome estampado no site oficial do clube ou de ter uma carteirinha de “diretor”. Há, por fim, os que se infiltraram na gestão meio que por acidente, só por estarem no meio da corja. Ao longo desses quase dois anos, formaram uma débil e inconsistente tropa de choque, uma canalha a atacar o Palmeiras por dentro, uma claque de aduladores (não vou me esquecer do #deusnobre ou dos que o jogaram para o alto em frente ao Mineirão, durante um mal explicado jogo da Copa do Mundo).

Mas o rentista dirigente não apenas foi mal assessorado; também se escorou em figuras que, em tempos outros, seriam escorraçadas do Palestra Itália. Seu jatinho particular, por exemplo, recebeu proeminentes figuras do lado inimigo, na mesma semana em que ele viria a atacar a própria torcida. Isso sem contar o fato de ter dado guarida a um gambá de quatro costados, aquele a quem foi entregue a comunicação institucional do clube.

Não à toa, foi sob Nobre que o Palmeiras se apequenou ante seus coirmãos, agindo não mais com a imponência que o caracteriza, mas de maneira covarde, por vezes sendo presa fácil das artimanhas inimigas. Foi assim com o rival da zona leste, que camuflou uma crise sua ao inventar certa coletiva da paz pouco antes de um clássico (foi bom ver a recíproca agora, na nossa crise…). Foi assim com os bambis, que não só tomaram nosso centroavante, como viram seu presidente tratar o nosso feito um moleque mimado. Foi assim, vejam só, até contra o Bragantino, com um de seus cartolas enfiando o dado na cara do sempre sorridente CEO em pleno Pacaembu.

A gestão Nobre foi, para ser bem conivente, um fracasso do ponto de vista diplomático – na falta de termo melhor. Para além da reação bovina e subserviente diante das armações orquestradas por graúdos dirigentes rivais, faltou capacidade de relacionamento em todas as esferas: com a emissora de TV (no ano de seu centenário, o alviverde foi completamente alijado da grade de transmissão), com a CBF (para além dos prejuízos decorrentes de erros de arbitragem, o clube coleciona punições absurdas sem que uma medida à altura seja tomada), com a parceira que está para devolver o nosso estádio, com todo e qualquer ator envolvido no mundo e no submundo do futebol.

Contumaz disparador de notas oficiais (sim, presidente, já sabemos que você, por intermédio do assessor gambá, haverá de repudiar peremptoriamente tudo o que não vier dos seus aduladores), Nobre assumiu sucessivos compromissos com o erro: ao manter peças que não funcionaram, ao insistir em contratações sabidamente equivocadas, ao dar sequência à tara de seus antecessores pelos jogos em Presidente Prudente. Como se não bastasse o entreguismo que vitimou a nossa comunicação institucional, temos agora o marketing do clube sendo repassado para um sorridente CEO e para uma figura cujo reacionarismo vai ao encontro de todo o ideário elitista de Nobre.

Com o passar dos anos, ficará a imagem de Paulo de Almeida Nobre associada a um centenário que empalideceu vergonhosamente porque ‘idealizado’ por uma gestão mesquinha e com pensamento limitado. A poucas semanas do 26 de agosto de 2014, este senhor é o responsável por transformar o que deveria ser uma festa popular sem precedentes em um convescote para uma pequena elite disposta a desembolsar R$ 1.200. Em função desta lógica excludente, o 100º aniversário do quarto clube mais popular do país deve deixar como lembranças uma dúzia de novas camisas a R$ 200, a total exclusão das camadas populares e que Deus nos livre de algo pior.

A este cidadão que fracassou em tudo de que tomou parte é possível atribuir todos esses apostos – e outros mais. É ele o responsável por fazer o Palmeiras entrar no mês de seu centenário à beira do desespero. O alviverde imponente de hoje é um gigante que se vê administrado de maneira tacanha. É um clube que não mais se porta como seus semelhantes, é uma instituição que se distancia de seu torcedor, é uma agremiação que abdicou da obrigação de lutar para ser campeão, é um modelo de administração cujos torpes conceitos não mais se sustentam (porque sequer a premissa de austeridade tem mostrado alguma eficácia).

Que as próximas eleições carreguem o lixo para bem longe da rua Turiassu.

###

_Agora, é possível notar que alguns ratos começam a abandonar o navio. Pouco importa. Os nomes de todos vocês, cúmplices, asseclas e bajuladores desta gestão, serão escorraçados para todo o sempre. Vocês arruinaram o centenário da Sociedade Esportiva Palmeiras.

103 respostas em “Paulo Nobre e o centenário arruinado”

Parabéns pelo texto. Vai ao encontro de tudo aquilo que venho dizendo dessa administração nas redes sociais e na Internet, desde o inicio do ano. Brilhante.

Perfeita análise. Pior que isso, só mesmo saber que nada mudará ou até virá a piorar a partir de outubro. Mais dois anos de PN? Não sei se a Sociedade Esportiva Palmeiras resistirá a essa administração, incapaz de gerenciar até mesmo um carrinho de pipocas. Pescarmona como solução? Duvido. Afinal, ele não é mais do que aliado de gente como Bananone e Frizzo. Acreditem: o Palmeiras passará pelos próximos dois anos mais um período doloroso de vacas magras, sofrimento e mais expressões comuns a times médios. Não há qualquer perspectiva de mudança de quadro. Infelizmente continuaremos a ser alvo de sarro dos nossos adversários. Não há esperança. É fato.

Com certeza, por isso que eu sempre comentei que VENDE ESSE CLUBE PARA OS RUSSOS OU ÁRABES, se não conseguir vender o clube, então feche essa mer… de clube!!! O fato é que somos um EX-CLUBE GRANDE E HOJE SOMOS COMPARADOS A UMA PORTUGUESA, UM GUARANI OU UM JUVENTUS-SP!!!!

Concordo em partes. Ainda tenho esperança que o ano sacrificado seja para colher frutos. Se o time for bem a partir dos proximos anos sera por causa desse sacrifício. Sim estou frustrado como todos vcs. Mas o q adianta montar um time com grandes salários ser campeão em 2014 e passar mais 5, 6 anos no vermelho e com times ruins. Vamos esperar. Posso ta errado, mas ainda acredito que vamos nos surpreender.

Para os que acham PN bom presidente, lembro das palavras dele: ” nao existe almoço grátis ” – pergunto: quanto custou , de fato, sua eleição e seus empréstimos de 100 milhões ( ate agora), pensem criticamente, quanto foi essa conta pro Palmeiras ? A SEP e fundamentalmente um time de futebol, Cade o time? O copo esta vazio, completamente vazio! Nao temos meio copo para olhar! Me desculpem a franqueza , mas PN e indefensável ( pelo menos para quem admira o Palmeiras grande)! Nao se trata de dizer o que ele e, mas a certeza de saber que ele nao serve! Simples assim!

E a eleição já começou. Tem site chapa branca lançando enquete de intenção de voto apresentando as opções Paulo Nobre, Pescarmona e a ridícula opção Socorro. Na falta de argumentos para elogiar o grande gênio Paulo Nobre, tenta-se vender a ideia de caos sem ele. Não vai demorar para saírem insinuações de que os empréstimos facilitados por Nobre não serão pagos pela próxima gestão

Isso que você falou é pouco, esse fdp vai é nos deixar na série b novamente. Essa é a atual tendência.

Caspite, tem cara que gosta da “gestação” do PN. Leva de presente pra casa e poe em cima da geladeira. Hj perguntei para um influente palmeirense se o Pescarmona tem chances de ganhar as proximas eleiçoes contra o PN. A resposta….. tem sim!!!! Isso me anima um pouco. Como ja disse o Pescarmona vai ouvir e trazer para o seu lado o Belluzzo, Criscio e outros que poderão ajudar, e muito, nas mudanças que o PALMEIRAS necessita. Fiquei mais animado……..

Com certeza, meu caro PAULO H. FRANCESCHINI, no Palmeiras pelo o que eu vejo ( por falta de opção) prefiro também que o Pescarmona vença a eleição contra o fdp do PN!!! Esse menino mimado não tem nenhuma capacidade de ser presidente de uma instituição que tem clientes com 18 milhões de torcedores que quer sempre um clube que esteja sempre sendo protagonista em todos os campeonatos que disputar!!!

Parabéns Rodrigo! Escreveu o que muitos Palmeirenses gostariam de dizer. Só espero que o pnc do playboy também leia.

Se fosse somente o centenário arruinado estava bom, mas é a mentalidade do clube que esta arruinada. No Palmeiras quanto pior melhor. Esta é a filosofia deles nos ultimos 20 anos.

Olha eu li somente até o 2° parágrafo, posso estar falando algo a mais.. Porém pelo que vi vocês não concordam muito com a política do Nobre. Sei que temos pendências mas vejo o Nobre com bons olhos. Bom presidente.

E nós trouxas demos um estádio para os gambás, quem nem pagaram ainda a Odebrecht. Os mesmos que serão anistiados pelo governo ” do povo” , e recebem a maior cota da emissora-sócia do governo. Estamos a anos-luz deles. Detalhe: não precisamos de presidente ladrão, precisamos de GESTÃO. Abraços.

Parabéns ao texto do Criscio e este do Barneschi. O que mais preocupa é que os verdadeiros e honestos palmeirenses nunca assumem o clube. As feridas estão expostas e cheirando mal, mas …”E agora José?” O que fazer?

Na jugular. Só fatos, de maneira eloquente, lúcida e verídica. Assino embaixo. Sem mais.
Só acrescento q quando começou o ano, contra toda a lógica, tínhamos um bom time. Com um pouco de ambição e 3 ou 4 reforços pontuais poderíamos ter um centenário brilhante. Mas não, as negociatas e a economia de migalhas são mais importantes. O Palmeiras está sendo destruído por dentro. Sofrimento q não acaba.

Só preciso fazer duas observações: O centenário do Palmeiras foi bom sim, para o Sr. Nobre, que tem uma bela poupança acumulada com esses empréstimos pessoais repassados ao clube. E segundo, fez um planejamento brilhante na contratação do Gareca, cujo contrato acabará em junho de 2015, com o Brasileiro do ano em andamento! #CentenárioArruinadoParte2

Confesso que maior que meu medo desse decepcionante presidente se reeleger é imaginar se temos um candidato que não cometerá os mesmos crimes contra a Sociedade Esportiva Palmeiras. Que Deus nos ilumine…

Parabens Barneschi, em Nenhum ato de sua gestão Nobre demonstrou ser Palmerense,apenas fez o minimo possivel para ser um gerente financeiro do clube,não ouviu a torcida que deu seu apoio inicialmente,não trabalhou prà aumentar receita e foi um desastre em negociar jogador,fez um time prà serie B ( o do Tirone) melhor que o prà serie A, e disse que ia ter planejamento,jogador fica 4 meses e sài,outros são afastados e voltam.Enfim tà totalmente perdido e sò trazendo jogador meia boca pro time.Não tem competencia prà ser dirigente do Palmeiras,è pior que Tirone,que jà foi horrivel.

Concordo com muitos pontos do texto, mas discordo de outros. Não é somente graças a ele que o Palmeiras se encontra nessa situação. O Palmeiras vem sendo mal administrado a anos, creio que desde a primeira gestão do Mustafá. Pós esse período o clube deu certo somente durante a co-gestão Parmalat, onde conselheiros e dirigentes eram pouco participativos. No primeiro ano ainda que tivesse cometido alguns erros, por exemplo a troca do Barcos feita as pressas (mesmo o Tirone tendo feito a promessa de aumento retroativo) poderia até ser aceitável. No segundo ano sim se perdeu, faltou o planejamento e o profissionalismo tão defendido. Não poderia ter renovado com o Kleina e deveria ter mantido a espinha dorsal do time reforçando com a contratação de bons jogadores. Romper com as TOs não pode ser considerada uma atitude equivocada, pelo contrário. Sou favorável sim a política do bom e barato para a formação de parte do elenco, mas da forma que é feita no Porto (James Rodriguez, Hulk, Falcão Garcia, etc.), que tem olheiros competentes que acompanham futebol em vários países. As divisões de base do Palmeiras sempre foram tratadas com amadorismo. A seu favor o fato dos salários estarem dia e a coragem de ser avalista do clube para uma quantia tão volumosa e não comprometer as finanças do próximo presidente adiantando receitas. Torço pelo Palmeiras desde a década de 70, já vi grandes times. Por duas vezes achei que o Palmeiras mudaria para melhor, com a eleição do Beluzzo e depois do Paulo Nobre, ledo engano. O maior desânimo é saber que os possíveis presidenciáveis são piores que estes. A única esperança é saber que os conselheiros são vitalícios e não imortais.

O único que tem aproveitado e faturado com o CEMternada esse ano é o amigo gambá do contursi….que ganhou a concorrência para as lojas do Palmeiras….. 5 camisas lançadas no CEMternada. E caras.

este sujeito (pablo nuebre) é o retrato daquela criança rechonchuda, gravatinha borboleta, calças curtas e meia três-quartos, almofadinha, que só participa do jogo por ser o dono da bola, do uniforme e do campinho, que é do pai milionário. no fundo, um coitado. se cercou de marginais além de ser um péssimo administrador. pobre Palmeiras.

Vou fazer um adendo no seu texto!
Qdo vc fala que foi na gestão Paulo Nobre que nos apequenamos, vc erra feio, estamos nesse processos há 14 anos! A gente é igual a brasileiro que acha que temos os melhores jogadores ou seja O Palmeiras está pequeno há 14 anos e não somente agora!
No interior estamos sendo engolidos pelo Santos pode? São Paulo e corinthians esquece ! Nunca mais pegaremos esses dois clubes
Vamos lutar com o Santos para sermos a terceira força ! Seremos um atlético de Madrid por exemplo
Abs

Barneschi, parabéns! Você escreve bem como poucos, tem muita classe e conteúdo.
Infelizmente, seu texto é irretocável!

É o choque de JESTÃO, isso, com J de Jegue. Esse pensamento pequeno de cortar gastos, de se apequenar, de achar que sempre está devendo, de profissionalizar mas beneficiar sempre gente de capacidade duvidosa. Quem não pensa grande não ousa, e quam não ousa se apequena.. Pra mim o Nobre é a cara de ma parcela elitista da nossa sociedade que vai ficar pra trás.

Valdivia reapareceu, foi reintegrado ao elenco, treinou separado e amanhã vai dar coletiva. Independentemente do que mais ele for dizer, gostaria muito que ele se colocasse a disposição pra jogar no fim de semana, entrasse em campo e arrebentasse com o jogo, só pro presidente se tocar do tamanho da cagada que ele tava fazendo. Só não sei o que é mais difícil: Valdivia acabar com o jogo ou o presidente se tocar.

E a cereja do bolo da aventura de PN como presidente vai ser a anistia das dividas com o governo que fatalmente vai ocorrer depois da eleição. Os clubes que pouco se lixaram em quitar dividas, Urubus, Gambas, etc, e continuaram pensando e agindo como time grande vão se dar bem enquanto que o nosso que procurou fazer economia e consequentemente se apequenar vai dar um atestado de clube otário sumulando mais um vexame. Ou vocês acham que foi coincidência os jogadores entrarem com um faixa contra a anistia no ultimo jogo? Para constar, eu sou totalmente contra a anistia pois quem deve tem que pagar. Só que estamos no Brasil, a nao na Suíça, e aqui as coisas funcionam assim, na bandalheira, e nem isso esse idiota conseguiu prever.

O pior de tudo, Roberto, é que o Palmeiras é o clube que menos deve impostos entre os grandes. ou seja, vai ser o menos beneficiado com a anistia.

Caraca… Da medalinha pra cima, sem dó, mas com classe. Como é difícil admitir que o Palmeiras virou tudo isso ai! E que, independente de quem ganhe, composição em torno de um PalmeirAs melhor e viável fica cada vez mais impossível. Esse o maior legado do PN. Destruiu o embrião de uma oposição que se desenhava ao modelo atual. Mas ao menos com isso expôs os aspirantes a Mustafa que enganavam fazendo parte desta oposição! Patifes, baba ovos e pua-sacos ao redor do #Deusnobre ( sim, teve gente escrevendo isso).

Triste. Muito triste!

Bom te ver de volta, Criscio… Ta fazendo falta!

não participo da politica Palmeirense (tenho nojo dela) mas gostaria de entender uma coisa: todos nós quase sem exceção jogamos a culpa da situação calamitosa, desesperadora, vergonhosa, horripilante…etc que o Palmeiras vive no morto-vivo Mustafá. Oque sempre ouço e que ele tras votos pra quem o apoia. Agora me expliquem, ele tem 1 voto. Todos os outros votos são de bundas mole que não tem opinião própria e votam em quem ele vota????? oque esse cara trás de tão bom pra todo mundo ir atras dele? e ainda tem a pior parte, se grande parte dos conselheiros não tem nem opinião própria o que esperar do futuro?? ta duro de manter meu filho de 10 anos usando camisa verde!!!!!!!!!!!!!!!!!!! nunca me senti tão frustrado como palmeirense, nem na série B

Ele tem uns 80 conselheiros vitalícios que foram colocados lá para serem massa de manobra do sapo – boi, o dellamonica tem uns outros 80, essa e o problema , mas só enquanto nao separarem o clube do futebol…

Acompanho esse blog desde o início. Nunca estive tão desanimado com o Palmeiras como nesses últimos 3 ou 4 anos.

Lamentável o que esses caras conseguem fazer. Se colocassem 2 macacos na diretoria o resultado seria melhor.

Que fase interminável……..

Será que foi só o único erro perder o Kardec??? E o Barcos?? O Valdívia?? O Henrique?? E pra finalizar, o patrocinador máster, que está a mais de um ano sem ter um patrocínio na camisa???

Perfeito o texto. E o final foi espetacular …”que as proximas eleiçoes crreguem o lixo para bem longe da Turiassu”. E isso ira acontecer pode acreditar LJTO. Quando os ratos começam a pular do navio ou as pulgas começam a pular fora do seu hospedeiro é sinal de obito chegando. E é isso que ja esta acontecendo com o PN. O cão sarnento começa a perceber que as pulgas estão caindo fora. Mas nos que amamos o nosso PALMEIRAS, de verdade, precisamos fazer a nossa parte. Quem conhecer socios com direito a voto precisa conversar, argumentar, convencer, persuadir ou seja la o que for mas levar o voto a ser contra o PN. O Pescarmona pode não ser a fina flor mas certamente ira ouvir mais o Belluzzo( pode ate ser um dos vice) , o Vicente e outros palestrinos bem intencionados e competentes. Isso faz toda a diferença. Então meus amigos vamos a luta. Quem tiver conhecidos que sejam socios a hora é agora. Vamos ajudar o PALMEIRAS a retomar o seu verdadeiro caminho. Eu ja estou na estrada…………..

Os comentários estão desativados.