Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 30-08-2014: Nobre baixa a guarda contra WTorre e amplia esperança de dispensar arbitragem ❘ LANCENET

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Nobre baixa a guarda contra WTorre e amplia esperança de dispensar arbitragem

Por Fellipe Lucena e Thiago Salata

O clima de guerra entre Palmeiras e WTorre não é o mesmo de dez meses atrás, quando Paulo Nobre e Walter Torre praticamente cortaram relações. O palmeirense está aberto ao diálogo.

Passada a primeira etapa da arbitragem, que foi a apresentação de documentos, Nobre sentou-se com Paulo Remy, CEO da parceira. Em alguns meses, foi a primeira conversa entre as partes fora de uma audiência judicial. O vice Genaro Marino também trata do tema. Pessoas envolvidas na arrastada discussão creem que a postura mais branda do presidente pode fazer a WTorre buscar um acordo que encerre a arbitragem.

Não significa que Nobre tenha a intenção de ceder para ter o Allianz Parque aberto logo. Para que o uso comercial da arena (shows e jogos) seja permitido durante a disputa judicial, é preciso haver um acordo sobre os pontos conflitantes do contrato – a maior discussão é sobre o percentual de cadeiras que clube e construtora têm direito a vender.

A WTorre fez uma proposta de acordo temporário que não agradou e foi recusada. Nobre está orientado pelos especialistas que escolheu para auxiliá-lo a não ceder, mesmo que isso signifique esperar de oito a 12 meses, prazo que ainda deve durar a arbitragem, para jogar em casa: se houver um acordo, ele tem de ser definitivo, encerrando a briga de vez.

A construtora ficou surpresa porque imaginava que o presidente não admitiria encerrar o ano do centenário – e seu mandato – jogando no Pacaembu. Mas Nobre não tem pressa e topa esperar até 2015 para a inauguração. “É a última das preocupações dele”, diz um de seus pares.

A WTorre pode perder a chance de lucrar com shows de Paulo McCartney e Rolling Stones, previstos para novembro e março na arena e que não acontecerão sem o acordo.

ENTENDA O ATRITO:

A WTorre diz:

Julga ter direito a comercializar todas as cadeiras, repassando porcentagens crescentes ao clube: 5% do valor arrecadado nos cinco primeiros anos, 10% nos cinco anos seguintes e assim por diante – o contrato tem 30 anos de validade. O Palmeiras não teria autonomia para definir o preço dos ingressos.

O clube diz:

Na visão do Palmeiras, a WTorre pode vender só 10 mil cadeiras especiais. As do clube não seriam vendidas, mas reservadas para sócios-torcedores (hoje são cerca de 42.428, sendo que a capacidade do estádio é de 43.700). A construtora sugere envolver os sócios-torcedores na venda de cadeiras coordenada por ela.

A escritura diz:

Revelado pelo LANCE!Net em outubro de 2013, o documento cita “10 mil cadeiras especiais” em seu item 2.2.1. Segundo o Palmeiras, são esses os assentos da WTorre. O item 4.9, porém, informa que “o direito de uso de cadeiras e camarotes será comercializado pela WTorre”, sem o termo “especiais”. Aí está o conflito.

Renda dos jogos

As duas partes concordam: é 100% do Palmeiras. A comercialização, pivô da briga, não muda o fato de que até mesmo donos de cadeiras terão de comprar ingressos por jogos.

Naming rights

A WTorre vendeu o nome do estádio para a Allianz por R$ 300 milhões, divididos em 20 anos, com cláusula para renovar por mais dez. Nos cinco primeiros, a construtora repassa 5% ao clube, e o valor cresce 5% a cada cinco anos.

Camarotes

WTorre comercializa os camarotes e repassa 5% do valor nos primeiros cinco anos. O valor cresce na mesma proporção do item anterior.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• No Pacaembu, Verdão e Inter jogam entre si e contra crise para ter paz

Por William Correia e Vicente Fonseca

Na penúltima rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, Palmeiras e Inter jogam contra suas más fases às 18h30 (de Brasília) deste sábado, no Pacaembu. Em busca de tranquilidade para a segunda metade do torneio, o Verdão precisa vencer para não ter chances de voltar à zona de rebaixamento, enquanto o Colorado busca manter o sonho de título colocando fim a uma série de três derrotas.

Os anfitriões tentam evitar que a paz trazida pela vitória sobre o Coritiba, no último sábado, não seja passageira. O triunfo pôs fim a uma sequência de dez rodadas sem vitória na liga nacional e levou o clube da última colocação para fora da zona de rebaixamento, mas apenas nos critérios de desempate. Na última quarta-feira, pela Copa do Brasil, a derrota para o Atlético-MG no Pacaembu voltou a deixar a torcida desconfiada.

“A equipe está fazendo boas partidas, mas falta um pouco de sorte. Fomos muito bem contra o São Paulo e não finalizamos as jogadas. Contra o Sport, jogamos um primeiro tempo muito bom. Contra o Atlético-MG, pela Copa do Brasil, fomos bem e não tivemos sorte ao terminar as jogadas. Está faltando lastimar um pouco os adversários”, analisou Cristaldo, uma das novidades do time.

A equipe terá 12 desfalques: o zagueiro Tobio e o atacante Henrique, suspensos, o volante Josimar, impedido de enfrentar o clube gaúcho que detém seus direitos econômicos, e o goleiro Fernando Prass, o lateral direito Wendel, os zagueiros Gabriel Dias, Victorino e Thiago Martins, o lateral esquerdo Victor Luis, os volantes Wesley e Bruninho e o meia Valdivia, todos sem condições de entrar em campo.

Ricardo Gareca não comandou nenhum treino técnico ou tático para armar o time, baseando-se só na conversa. O mais provável é que coloque Weldinho na lateral direita, Wellington na zaga, Juninho pela esquerda, Renato como volante e Allione, Leandro e Mouche formando um trio para levar a bola a Cristaldo, pela primeira vez como titular.

Assim, o Palmeiras se arma para ganhar confiança e manter o adversário próximo da crise. “Será uma partida importante tanto para eles quanto para nós, que também estamos vindo de derrota. Será um bom dia para dar uma alegria ao torcedor, a quem temos que agradecer pela maneira com estão nos ajudando e apoiando”, falou Cristaldo.

Depois de obter cinco vitórias seguidas no Campeonato Brasileiro e emparelhar com o líder Cruzeiro, o Internacional vive momento de baixa. A equipe já perdeu duas seguidas pelo Nacional, sequência que, somada à derrota na Sul-Americana para o Bahia, é a maior do clube neste ano. Sem ver seu time marcar sequer um gol há três jogos, o próprio técnico Abel Braga admite que a fase não é das melhores.

Em relação à escalação que perdeu na quarta-feira, o Inter deverá ter três mudanças: Juan, Fabrício e Rafael Moura retornam após terem sido poupados, com Paulão, Alan Ruschel e Wellington Paulista deixando a equipe. O meia D’Alessandro não poderá enfrentar o Palmeiras por suspensão e o lateral Wellington Silva, lesionado, desfalca até a segunda quinzena de setembro.

Quem pode retornar, ao menos para compor o banco de reservas, é o volante Willians. Recuperado de lesão, ele faz o alerta: se o objetivo colorado é o título, perder pontos passou a ser proibido.

“Infelizmente a equipe está atravessando uma sequência negativa de resultados. Aconteceu por uma série de problemas que enfrentamos. Quero voltar com tudo para ajudar na recuperação. Estou à disposição como uma das peças do grupo. Não temos como voltar no tempo para corrigir. Agora é hora de levantarmos a cabeça e buscarmos as vitórias, não podemos deixar o Cruzeiro tirar uma vantagem ainda maior”, explica o centromédio.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS X INTERNACIONAL

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 30 de agosto de 2014, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Assistentes: Marcio Eustaquio Santiago (Fifa-MG) e Guilherme Dias Camilo (MG)
Assistentes adicionais: Felipe Gomes da Silva (PR) e Cleisson Veloso Pereira (MG)

PALMEIRAS: Fábio; Weldinho, Lúcio, Wellington e Juninho; Renato e Marcelo Oliveira; Allione, Leandro e Mouche; Cristaldo – Técnico: Ricardo Gareca

INTERNACIONAL: Dida; Cláudio Winck, Ernando, Juan e Fabrício; Ygor, Wellington, Aránguiz, Alex e Valdívia; Rafael Moura – Técnico: Abel Braga

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ BAND ESPORTE

• Dirigente nega interesse em Wesley e Bruno Peres

O Vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, negou veementemente qualquer interesse no meia Wesley, atualmente no Palmeiras, e no lateral Bruno Peres, ex-Santos e que está na Itália. Segundo o dirigente, esses boatos só podem ter sido criados para tumultuar o ambiente no clube.

“Acho que isso é só para criara animosidades. Não tem absolutamente nada nesse sentindo. Quando vi a notícia do Wesley e os números que envolviam pensei que só poderia ser alguém querendo tumultuar por causa do problema que existe entre o Paulo Nobre e o Carlos Miguel Aidar (presidentes de São Paulo e Palmeiras). Não há necessidade nenhuma de falar uma coisa dessas”, garantiu ele em entrevista ao programa Esporte em Debate, da Rádio Bandeirantes.

A mídia chegou a publicar que o São Paulo, que já tirou Alan Kardec do rival Palmeiras, teria oferecido a Wesley o mesmo salário do atacante, de R$ 350 mil, mais luvas no valor de R$ 3,8 milhões.

Sobre o lateral, que viria para o lugar de Douglas, que foi para o Barcelona, Gil Guerreiro disse que conversou com Muricy Ramalho e ele não viu necessidade de reposição de peça para o elenco.

“O Bruno não foi oferecido e não fomos atrás dele. Quando falei com o Muricy sobre a ida do Douglas, ele não manifestou desejo de uma reposição imediata, porque ele tem o Luis Ricardo, o Auro e o Paulo Miranda para a posição. É só especulação”, disse ele.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ BAND ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Palmeiras caminha para ter quatro chapas à presidência no fim do ano

Por Thiago Ferri

O Palmeiras passará no fim do ano pela primeira eleição à presidência com votos de sócios do clube e, aos poucos, o clima político começa a crescer. Além da chapa de Paulo Nobre, que ainda não confirmou, mas deve ser candidato à reeleição, ao menos outras três chapas devem tentar passar pelo filtro de conselheiros em outubro para que, caso aprovadas, estejam no pleito de novembro: de Wlademir Pescarmona, Luiz Carlos Granieri, além da possibilidade de uma opção com Roberto Frizzo.

Pescarmona já se põe como candidato há alguns meses, e conta com o apoio, por exemplo, de César Maluco, ex-atacante do clube, que deve ser um dos vices em sua chapa. Granieri, de 66 anos, é membro eleito do Conselho de Orientação e Fiscalização (COF), e decidiu sair como candidato. Seu discurso, porém, é de não entrar em choque com o atual mandatário.

– Estamos reunindo um grupo de conselheiros, e queremos fazer um trabalho para o clube de médio a longo prazo. Não vamos nos indispor com o Nobre, não queremos falar mal de ninguém, é apenas uma nova força no conselho – disse Granieri, ao L!Net.

Frizzo, candidato derrotado por Luiz Gonzaga Belluzo, em 2009, e vice na gestão de Arnaldo Tirone entre 2011 e 2013, também estuda ser uma opção no pleito, mas trata o tema com delicadeza, diante do complicado momento da equipe no Brasileiro, torneio no qual luta para não cair.

– Estamos conversando, tem um grupo de companheiros que acha que a gente deva fazer, mas temos que pensar em não prejudicar. Vamos ver com prudência e cuidado. Não queremos sacudir muita coisa, a preocupação é grande. Temos que nos juntar para fortalecer – falou Frizzo.

Neste ano, a candidatura primeiro precisa ser aprovada por, pelo menos, 15% dos membros do Conselho Deliberativo, que hoje conta com cerca de 280 pessoas. Assim, para que a chapa passe pelo CD, precisa de cerca de 40 votos. Além da novidade de liberar o voto para sócios, pela primeira vez será feita a escolha de chapa fechada, com presidente e quatro vices no mesmo grupo. Até 2013, era possível escolher presidente de uma chapa, e vices de outras. A projeção dentro do clube é que até oito mil sócios participem da votação.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

COLUNA PAINEL FC ❘ FOLHA DE S.PAULO

Por Bernardo Itri

• Paradoxo

Mesmo amargando as últimas posições no Brasileiro, o Palmeiras viu seu programa de sócio-torcedor, o Avanti, crescer consideravelmente em agosto. O clube saltou de 38 mil sócios-torcedores em junho para mais 42.300 neste mês.

• Paradoxo 2

Só na semana que antecedeu o aniversário do clube, foram mais de 2.500 novos cadastros. No dia 26, data dos 100 anos, 600 palmeirenses aderiram ao plano –o normal para um único dia varia entre 150 e 300 novos cadastros.

• Chamariz

O Palmeiras avalia que, além do centenário, os benefícios oferecidos aos sócios contribuíram para este crescimento. Os associados têm direito a participar de eventos oficiais e de conhecer ex-jogadores e atuais atletas do elenco.

••

COLUNA DE PRIMA ❘ LANCE!

Por Francisco Loureiro

• Derrota pode gerar crise no Palmeiras

A cúpula do Palmeiras pode pedir reforço policial para a próxima reunião do Conselho Deliberativo, caso o time perca hoje para o Internacional e volte para a zona do rebaixamento. A reunião será na próxima segunda-feira. A Mancha Verde, adversária da diretoria desde que o presidente Paulo Nobre suspendeu a ajuda à torcida, ameaça invadir a reunião. A reunião é essencial para Nobre, que quer que o Conselho avalize os quase R$ 120 milhões que fez em empréstimos ao clube.

• Cenário verde

A diretoria do Palmeiras, segundo conselheiros da situação, não fez homenagem ao ex-centroavante César Maluco na festa do centenário porque ele, além de ser conselheiro, é potencial candidato a vice na chapa de oposição na eleição de novembro. O objetivo foi evitar clima político na festa. Mas o presidente Paulo Nobre, que é candidato à reeleição, discursou –brevemente– durante a festa.

• De Letra

“Dos piores, ele é o melhorzinho” – Gilto Avallone, conselheiro do Palmeiras, explicando por que pretende votar na reeleição de Paulo Nobre

••

9 respostas em “VERDÃO NA MÍDIA 30-08-2014: Nobre baixa a guarda contra WTorre e amplia esperança de dispensar arbitragem ❘ LANCENET”

Gareca! Tente este time
Prazz
Wesley
Lucio
Tobbio
Marcelo Oliveira
Renato
Josimar
Allione
Valdivia
Cristaldo
Henrique

Essa é a escalação menos pior para esse elenco ! Podem apostar que não cai

Prass ainda demorará pra voltar, Wesley “quebrado”, Valdívia bichado… Impossível esse time ai

Primeiro titulo do centenário, Em torneio realizado no Clube A HEBRAICA, a S.E.P. sagrou-se campeão categoria futsal 2004, 7×1 na Hebraica, 1×1 como São Luis e 6×0 no pentágono. Agora a noite vamos ganhar de 4×0

“Depois das vergonhosas declarações do Mano Menezes, em cujas entrelinhas ele sugere/dá a dica/pede que as imagens que compliquem o Curintia não sejam mostradas, que desapareçam com elas, ficou ruim para o cartel CBF + TV + Comissão de arbitragem, hein?………………….Passar o Parmera, não pode, porque todo mundo vai ver o quanto ele é garfado……………..Passar os gambás, que ganham uma tonelada de dinheiro da Globo, também não, senão, a juizada não pode roubar, descaradamente, para eles, não pode deixar de colocar na súmula as agressões cometidas pelos seus jogadores… não pode sumir com as imagens que os complicam…
XEQUE MATE NA TV!!!……..by Tânia Clorofila.

DEPRIMA………Nada de novo……………A reunião do Bom Senso com a Globo foi classificada por membros do movimento de “amigável” e “sem novidades”. As partes concordaram quanto à criação de um órgão fiscalizador regulamentado na CBF e na LFRE e a necessidade de melhorar o espetáculo. Mas a emissora não aceita nem conversar sobre mudanças no calendário e o horário dos jogos……………QUEM MANDA NO FUTEBOL MANDOU CALAREM A BOCA. VAI TER PROTESTO CONTRA A GLOBO, IMPRENSINHA TUPINIQUIM?

DEPRIMA………A voz do dono…….Diretores da Globo têm dito a clubes e interlocutores nas reuniões sobre o futuro do futebol brasileiro que o horário das 22h para os jogos é benéfico aos clubes, porque permite que os torcedores passem mais tempo consumindo nos estádios. Dizem também que, se os jogos fossem às 21h, ir para os estádios seria muito desconfortável para o público. Entretanto, poucos concordam, mas quase todos ficam calados………..E AGORA BOM SENSO, VAI PROCURAR QUEM COMO BOI ESPIATÓRIO?

DEPRIMA………Cinco dos 12 maiores clubes do Brasil – todos com grandes dívidas fiscais – Atlético-MG, Botafogo, Corinthians, Flamengo e Fluminense – refinanciaram suas dívidas com a União e podem implodir o projeto da Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte. Esses clubes refinanciaram pelo Refis da Crise a dívida que bloqueava suas receitas e agora tiveram um desafogo. No Refis pagam juros TJLP, de 5% ao ano. A LRFE usará a Selic (11%) e exige contrapartidas. Vilson Ribeiro, da comissão de clubes, ainda mostra otimismo……….LEGAL, NÃO?

Os comentários estão desativados.