Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 01-09-2014: Diretoria se reúne para discutir situação de Gareca; técnico pode cair ❘ GLOBO ESPORTE COM

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Diretoria se reúne para discutir situação de Gareca; técnico pode cair

Por Felipe Zito e Marcelo Hazan

O tropeço diante do Internacional, no último sábado, no Pacaembu, pode ter sido o último da era Ricardo Gareca no Palmeiras. A diretoria de futebol do Verdão vai se reunir às 14h desta segunda-feira, na Academia de Futebol, para discutir o futuro da equipe e da atual comissão técnica. A saída do treinador não está descartada. Depois de ser considerado praticamente uma unanimidade nos bastidores do clube, o argentino vive uma forte pressão interna para ser demitido. Gareca passou o domingo de folga na Argentina, e a diretoria o espera na Academia para conversar com ele.

A pressão sobre Gareca por resultados no Campeonato Brasileiro é enorme. No torneio, ele conquistou apenas quatro pontos de 27 possíveis. Em nove partidas na competição, foram sete derrotas, um empate e uma vitória. No total, Gareca comandou a equipe em 13 jogos, incluindo aí um amistoso pela Copa EuroAmericana e três duelos pela Copa do Brasil. Foram quatro vitórias, um empate e oito derrotas – aproveitamento de 33%.

A última derrota de Gareca foi no sábado – 1 a 0 para o Internacional, no Pacaembu. Na ocasião, o treinador levou um tempo maior do que o de costume para aparecer na entrevista coletiva, aumentando as especulações de que poderia se demitir. Aos jornalistas, porém, o treinador garantiu que não pediria para sair.

Bem em frente a ele, misturado aos repórteres, estava Mauricio Galliotte, vice-presidente do Palmeiras que se tornou recentemente o homem-forte do departamento de futebol, em substituição a José Carlos Brunoro, que se encontra numa espécie de “geladeira” no clube. Aquela foi a primeira vez em toda a gestão Paulo Nobre que um dirigente acompanhou uma coletiva de um treinador depois do jogo. Galliotte se sentou na primeira fileira, viu a maior parte do depoimento de Gareca e se levantou irritado, pouco antes de a entrevista terminar.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Ricardo Gareca tem 13 jogos pelo Palmeiras e 13 escalações diferentes

Por Gustavo Franceschini

O Palmeiras de Ricardo Gareca que entra em campo em um jogo nunca é o mesmo que entra em campo no jogo seguinte. São testes, explica o argentino. Só que as 13 escalações distintas nas 13 partidas em que ele esteve à beira do gramado podem ajudar a explicar a crise do clube, à beira da zona do rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

O levantamento feito pelo UOL Esporte mostra que o Palmeiras está perto de fechar o primeiro turno e ainda está longe de ter um time-base. Está, consequentemente, também distante do entrosamento ideal, como se viu na derrota para o Inter no último sábado, a oitava do argentino no banco de reservas alviverde.

O técnico mexe, basicamente, em todos os setores. No meio, por exemplo, Bruno César, Mendieta, Felipe Menezes, Allione, Valdivia e Mazinho ganharam chance de serem os armadores do time, que já teve Renato, Josimar, Wesley, Marcelo Oliveira e Eguren de volantes.

No ataque, Henrique, o nome que mais se repete, divide espaço com Leandro, Diogo, Mouche, Erik e Cristaldo. Às vezes, um homem do meio-campo também pinta na frente em uma variação tática do treinador que só aumenta a rotatividade.

Até na defesa o Palmeiras muda demais. Lúcio e Tobio, a dupla que mais atuou junta, só o fez em quatro oportunidades. Quando estavam fora, deram lugar a Wellington, Victorino e o improvisado Marcelo Oliveira. Nas laterais Wendel e Weldinho se revezaram na direita, enquanto William Matheus, Juninho e, de novo, Marcelo Oliveira, às vezes substituíram Victor Luis na ala canhota.

“Assim eu posso ver os jogadores, que se preparam para serem levados em conta. Tenho de usar o plantel. Senão eu elejo os 15, 16 e só uso eles. Para que você tem um plantel de 35 atletas? Um pode jogar uma partida e na outra o outro”, disse Ricardo Gareca.

A lógica da rotatividade, é verdade, é mais bem aceita em alguns países estrangeiros que no Brasil. O problema é que Gareca faz mudanças bruscas na tentativa de explorar o elenco, e às vezes, a falta de entrosamento pode ser vista em campo.

O Palmeiras que enfrentou o Inter tinha Weldinho na lateral direita, Lúcio e Wellington na zaga e Juninho na esquerda. No primeiro tempo, seguidos erros de posicionamento deram ao time colorado três chances claras de gol. Em uma delas, três dos quatro defensores (além do goleiro Fábio) falharam de uma só vez e Jorge Henrique marcou o gol da vitória.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Com reforços, empréstimos de Nobre ao Palmeiras passam de R$ 115 mi

Por Fellipe Lucena

O Conselho Deliberativo do Palmeiras se reúne na noite desta segunda-feira para, entre outras coisas, votar o plano que o presidente Paulo Nobre sugeriu para recuperar o dinheiro que pediu emprestado em seu nome e injetou no clube. O valor já superou os R$ 115 milhões, e a previsão é que termine o ano em R$ 120 milhões. Em julho, ele ajudou nas contratações dos argentinos Mouche, Allione e Cristaldo.

A ideia é que, a partir de janeiro de 2015, 10% da receita mensal do clube vá direto para um fundo criado especificamente com esta finalidade. Se a medida for aprovada, os próximos presidentes não terão como não pagar a dívida – Nobre tem direito a tentar se reeleger no fim do ano.

O mandatário cobrará juros de 1% ao ano, bem menores que os de mercado. A projeção é de que o clube tenha de desembolsar menos de R$ 200 milhões e que tudo esteja quitado em cerca de dez anos.

Em agosto, Nobre teve reuniões periódicas com grupos de conselheiros para falar sobre o plano. O presidente julga que o saldo das conversas foi positivo, e que a aprovação sairá sem dificuldades.

Apelar a empréstimos pessoais foi a saída que encontrada para conter as dívidas: desde que assumiu, a atual diretoria tem mantido em dia não só os salários dos jogadores como também os impostos do clube. Ainda assim, o clube já deu R$ 12 milhões de prejuízo nesta temporada. A ausência de um patrocinador há mais de um ano pesa contra, assim como o adiantamento de diversas cotas de TV pelas gestões anteriores: a do Paulistão do ano que vem, por exemplo, já está comprometida.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Desconfiado de pré-contrato com São Paulo, Palmeiras ‘investiga’ Wesley

Por Thiago Salata

A diretoria do Palmeiras questionou Wesley sobre um possível pré-contrato firmado com o São Paulo. Há diretores que receberam informações de que um documento já teria sido assinado. O volante, internamente, jurou que não assinou nada.

Mesmo assim, o Verdão tem investigado, acionando pessoas com bom acesso à diretoria rival para descobrir se, de fato, já perdeu Wesley, que tem vínculo na Academia até fevereiro e pode assinar um pré-contrato com qualquer outro clube.

O discurso do estafe do jogador é de que as negociações para renovar com o Palmeiras estão adiantadas. Antônio Bahia, um de seus agentes, diz que não é “leiloeiro” e nega que o São Paulo tenha feito proposta.

O presidente Paulo Nobre tem interesse em manter Wesley no Verdão, principalmente por ter perdido Alan Kardec para o São Paulo neste ano. Por isso, abriu mão da produtividade e avisou que topa manter o salário de R$ 350 mil do jogador, além de oferecer luvas de R$ 3 milhões.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

BLOG DO LUIZ ANTÔNIO PRÓSPERI ❘ ESTADÃO ONLINE

• Gareca, por enquanto, é uma mentira

Gareca disse que joga para vencer, após mais uma derrota, a décima primeira, do Palmeiras no Campeonato Brasileiro. Disse que o Palmeiras é grande e tem de jogar para vencer. Daí ter usado apenas um volante (Marcelo Oliveira) diante do Internacional neste sábado no Pacaembu. Se for jogar só para defender, garante o argentino, ele não é o mais indicado.

O treinador tem lá a sua razão. Não se admite um time da tradição do Palmeiras jogar como um time pequeno, na retranca. A vocação do Palestra é o toque acadêmico na busca do gol, sempre. Está na história do clube. O problema de Gareca é descobrir como fazer desse time um colecionador de vitórias e de gols.

Nos seus quatro meses de trabalho no comando do Palestra, Gareca ainda não fez nada de interessante. Seu time é desorganizado, as escalações não se repetem e falta equilíbrio emocional mesmo nos momentos de mais tranquilidade durante os jogos. É nítida a falta de personalidade e confiança. Trata-se de um time desfibrado, assim como seu treinador.

Gareca paga pelo desconhecimento de como jogam seus adversários. Ele, parece, não tem a menor noção das características de seus jogadores e dos rivais. Diz que é partidário do futebol ofensivo, mas não consegue colocar em sintonia defesa, meio e ataque.

O argentino pode até tirar o Palmeiras do buraco que ele mesmo se jogou. Difícil acreditar que ele terá condições de evitar o naufrágio. Até aqui, o que prevaleceu foi a sua fama de bom técnico na Argentina. Fama injustificável. Para não virar um engodo, Gareca tem de convencer Paulo Nobre que só com essas peças e jogar aberto não vai a lugar nenhum.

Nobre não parece preocupado. O presidente fez aposta no técnico estrangeiro imaginando que seria a novidade no futebol brasileiro. E agora pode pagar caro por esse erro de estratégia. Ou muda o curso do rio antes no início do segundo turno ou vai cair em cascata sem boia para se salvar.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO LUIZ ANTÔNIO PRÓSPERI ❘ ESTADÃO ONLINE

••

BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

• Gareca passa de hoje no Palmeiras?

Não que eu deseje, pois sempre defendi a tese de que o futebol brasileiro andava precisando de um bom técnico estrangeiro, mas ao que parece Ricardo Gareca está com os minutos contados no Palmeiras. Em futebol nunca se sabe, pode acontecer uma reviravolta, um outro pensamento, coisa e tal; só que os números da campanha de Gareca são assustadores, taticamente o Palmeiras foi considerado um desastre frente ao Inter (até o capitão Lúcio reclamou de que o time ficava exposto demais) e o rebaixamento é um risco realmente sério.

Não há mais tempo para experiências.

Tenho a impressão de que Gareca, técnico muito respeitado na Argentina e multicampeão pelo Velez Sarsfield, chegou ao Palmeiras em momento errado; em meio a um Campeonato Brasileiro disputadíssimo, apesar da parada para a Copa, quando o ideal talvez fosse chegar no começo do ano, tendo todo um Campeonato Estadual para fazer suas experiências e conhecer melhor os adversários.

Do jeito que está, em disputa de alto risco, fica realmente difícil.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL

••

BLOG DO JORGE NICOLA ❘ IG

• Aliados de Nobre pressionam e Gareca balança no Palmeiras

Os resultados de Gareca à frente do Palmeiras nunca foram bons, mas o treinador argentino só agora está ameaçado de demissão. A derrota para o Inter por 1 a 0, sábado, acabou com a paciência de quase todos os aliados do presidente Paulo Nobre.

A consequência: o estafe de Nobre já não é capaz de garantir que Gareca será o comandante alviverde até o fim do Campeonato Brasileiro, como havia ocorrido após outros tropeços.

A revolta dos cartolas tem a ver com a forma como o Palmeiras perdeu pela sétima vez em nove partidas no Brasileirão sob o comando do argentino. O fato de ter armado um time muito ofensivo, que nunca havia treinado junto, pegou mal.

Os aliados de Paulo Nobre já elegeram até um nome para substituir Gareca: Dorival Júnior, que foi entrevistado pela diretoria antes de o argentino bater o martelo, em maio.

Ontem, diante da série de telefonemas que atendeu, o presidente chegou a ouvir que este é o momento para a troca, já que o Palmeiras fará quatro decisões seguidas em casa pelo Brasileirão contra rivais diretos — Criciúma, Flamengo, Vitória e Chapecoense — na parte de baixo da tabela.

• Multa salgada

Caso ceda à pressão e demita Gareca, o presidente Paulo Nobre terá de gastar R$ 780 mil apenas com a multa pela rescisão do contrato. O valor equivale à metade do que ele teria a receber até o fim do vínculo, em junho de 2015.

O salário do argentino é de 70 mil dólares mensais, ou R$ 156 mil. O presidente palmeirense ainda tem outro motivo para ignorar a pressão pela dispensa de Gareca: os quatro jogadores argentinos indicados por ele. Mouche, Allione, Cristaldo e Tobio custaram R$ 23 milhões.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO JORGE NICOLA ❘ IG

••

COLUNA DO PAULO VINÍCIUS COELHO ❘ FOLHA DE S.PAULO

• A virada

O rebaixamento de 2012 começou na última rodada do primeiro turno, quando o Palmeiras perdeu para o Santos. Fechou o turno em 19º lugar. Falta um meia de ligação e confiança. Terminar o turno na zona do descenso pode aumentar a descrença. É preciso vencer o Atlético-PR.

••

Os comentários estão desativados.