Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 18-09-2014: Árbitro relata ‘pisão nas nádegas’ e pode complicar Valdívia no STJD ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Árbitro relata ‘pisão nas nádegas’ e pode complicar Valdívia no STJD

O árbitro de Palmeiras e Flamengo relatou na súmula da partida o pisão de Jorge Valdívia em Amaral, no qual o chileno do Palmeiras acabou expulso, e pode complicar a situação do jogador no STJD.

“Expulsei, diretamente, aos 37 minutos do segundo tempo, o atleta número 10, Sr. Jorge Luis Valdívia Toro, do Palmeiras, por pisar na nádega do adversário, numero 40, Sr. Mauricio Azevedo Alves, do Flamengo, enquanto o mesmo estava deitado no solo e a partida estava paralisada para uma falta à favor do Flamengo. O atleta atingido não necessitou de atendimento médico e prosseguiu normalmente a partida. O atleta expulso saiu de campo normalmente”, relatou Anderson Daronco.

O relato pode complicar a volta do atleta ao clube alviverde, que pode ser denunciado no Artigo 254 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, no qual está prevista a punição de quatro a doze jogos por “Praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente”.

Após a partida, o chileno pediu desculpas e implorou para o STJD: “Agora é só esperar a punição, que não seja tão dependente de tudo que envolve o meu nome. Não sei o que vai acontecer, mas peço desculpas e espero voltar a jogar muito em breve”, disse.

Valdívia voltou a jogar após ficar exatamente um mês longe dos gramados por conta de uma lesão. A última partida do atleta tinha sido em 17 de agosto, no clássico diante do São Paulo. Antes disso, o chileno disputou a Copa do Mundo e não jogava pelo alviverde desde o início da preparação para o Mundial.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Após início promissor, Valdivia “trava” e acumula polêmicas na temporada

A comemoração do primeiro gol de Valdivia no ano do centenário foi emblemática. O chileno avisou à torcida com um gesto de mãos: “O primeiro de muitos”, durante a goleada por 4 a 1 sobre o Atlético Sorocaba, no dia 26 de janeiro, pelo Paulistão. Motivado pela Copa do Mundo no Brasil, em que defendeu o Chile, ele teve início de temporada promissor. Chegou aos quatro gols em apenas sete jogos, começo de ano mais produtivo pelo Verdão. Mas depois do Mundial o chileno “travou” em campo, não marcou mais e acumulou polêmicas.

A expulsão aos 36 minutos do segundo tempo, no empate por 2 a 2 contra o Flamengo, na última quarta-feira, no Pacaembu, foi a mais recente delas. Valdivia pisou em Amaral no chão e depois admitiu o erro, que ele mesmo classificou como “idiota”, e pediu desculpas aos torcedores. Por conta disso, o técnico Dorival Júnior e o clube vão avaliar internamente se há necessidade de punição.

É certo que Valdivia não vai sequer igualar a temporada em que mais jogou pelo Palmeiras na sua segunda passagem, de 2010 a 2014. O Verdão tem mais 16 jogos até o fim do Brasileiro, mas o Mago está suspenso do confronto com o Goiás, domingo, no Serra Dourada. Dessa forma, restam no máximo 15 apresentações para o meia, que tem 18 jogos no ano do centenário, quatro gols e três assistências. Ou seja, no limite, ele chegaria a 33 atuações, número abaixo de 2012, quando fez 35 partidas, três gols e foi fundamental no título da Copa do Brasil, mas também participou do rebaixamento para a Série B.

O episódio do cartão vermelho se junta a outras polêmicas recentes envolvendo o Mago. O de maior destaque foi a transferência acertada e depois cancelada para o Al Fujairah, dos Emirados Árabes. Valdivia se despediu da torcida alviverde, posou para fotos no novo clube com dirigentes, mas depois soube que o acerto de R$ 16 milhões não se concretizou.

Depois disso, ficou incomunicável na Disney, complexo de parques dos Estados Unidos, e demorou a se reapresentar ao Palmeiras. Ao se explicar, concedeu longa entrevista, na qual disse não ter acessado a internet para saber as notícias do acordo e também afirmou estar sem celular. O jogador, por fim, se disse ridicularizado e prometeu acionar os árabes judicialmente.

Livre das dores no começo da temporada, Valdivia voltou a sentir uma lesão no dia 17 de agosto, no clássico contra o São Paulo. Essa contusão gerou controvérsia internamente. O jogador levou uma pancada no rosto em um treinamento durante a semana do Choque-Rei, mas trabalhou normalmente nos dias seguintes. No jogo, Valdivia foi substituído aos 13 minutos, após disputa com Kaká, reclamando de tonturas e dificuldade para respirar. Posteriormente ele foi diagnosticado com uma fratura no nariz, mas em seguida também foi constatada a lesão na coxa que o tirou de combate por um mês. Por isso, houve desconfiança de que o problema tivesse sido disfarçado. Nos bastidores, o episódio causou descrença no atleta por parte de alguns funcionários.

Por conta dessa lesão, o chileno não pôde ajudar o Verdão na eliminação do time na Copa do Brasil para o Atlético-MG, nas oitavas de final. A queda mais traumática do Palmeiras no ano, diante do Ituano, na semifinal do Paulistão, teve a participação do Mago só durante o segundo tempo e em más condições, pois ele estava com o tornozelo direito inchado – fruto das pancadas sofridas nas quartas de final, contra o Bragantino.

Enquanto se recuperava desta última lesão, o chileno se enfureceu com uma brincadeira do apresentador Tiago Leifert, do Globo Esporte, e o atacou com xingamentos em uma rede social. Por fim, Valdivia também se envolveu em uma polêmica com o goleiro reserva Bruno. Os dois discutiram, trocaram xingamentos e tiveram de ser contidos por companheiros, durante treinamento da sexta-feira passada, na Academia de Futebol. Pouco depois, os dois atletas, que são amigos pessoais, correram juntos no gramado e fizeram as pazes.

Antigo treinador do meia no próprio Verdão, o técnico Vanderlei Luxemburgo, do Flamengo, disse na última quarta-feira que é “complicado lidar” com o jogador, mas também elogiou o seu futebol. Os dois se abraçaram e conversaram antes do início da partida. 

Sem Valdivia, o Palmeiras segue a sua luta para fugir da zona de rebaixamento. O time agora ocupa a 18ª posição, com 22 pontos, um a menos do que o Bahia, 16º colocado e primeiro time fora do Z-4.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

•• 

NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

• Foi uma reação idiota e infantil, diz Valdivia sobre sua expulsão

Por Marina Galeano

Valdivia classificou como “idiota”, “infantil” e uma “reação absurda” o lance que resultou na sua expulsão no fim da partida contra o Flamengo, nesta quarta-feira (17), pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Aos 36 min do segundo tempo no Pacaembu, o meia chileno deu um pisão em Amaral e levou cartão vermelho direto. Com um a menos, o time da casa, que perdia de 2 a 0 até o intervalo e havia conseguido empatar o placar, quase sofreu o terceiro gol.

“Tive uma reação absurda, idiota. Foi um lance infantil, no qual fiz cagada, desculpa a palavra”, disse Valdivia na zona mista após o confronto.

Na versão do camisa 10, ele teria se enroscado com Amaral e, na sequência, “deixado a planta do pé” nas costas do adversário.

Valdivia ainda negou que estivesse irritado com a arbitragem. “Eu não estava nervoso. Foi um lance isolado”, acrescentou o chileno, torcendo para que a punição não seja tão grande.

O meia estava fora da equipe há um mês, devido a uma lesão muscular na coxa direita. Esta noite, entrou em campo no lugar de Mouche, no início da etapa complementar.

Em entrevista coletiva ao término do confronto, Dorival Júnior afirmou que irá conversar com o jogador no momento oportuno.

“O erro aconteceu. Foi ruim para a equipe, para ele [Valdivia]. Vamos conversar internamente. Até porque, a expulsão dele poderia ter significado um prejuízo muito grande para o Palmeiras.”

Apesar do empate, o time alviverde entrou na zona do rebaixamento -com 22 pontos, é o 18º colocado da competição.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ IG ESPORTE

• “Fiz cagada”, se desculpa Valdivia após expulsão. Dorival cogita punir o chileno

“Fiz cagada. Desculpa a palavra, mas fui mal.” Foi assim que Valdivia definiu o pisão que deu nas costas de Amaral, do Flamengo, que o fez ser expulso aos 37 minutos do segundo tempo, deixando o Palmeiras com um a menos e levando até chute na trave. Após se machucar há um mês depois de 15 minutos em campo, o chileno voltou a ser decisivo positivamente, mas também negativamente em 37 minutos de atuação.

“Nós nos enroscamos e depois, quando ele estava no chão, tive uma reação absurda, idiota e deixei a planta do pé nas costas dele. Não chegou a ser um pisão, mas deixei o pé nas costas dele”, disse o chileno, garantindo que não estava nervoso.

O jogador mais caro do elenco não entende a razão de ter prejudicado o time. “Não perdi a cabeça. Nem eu sei o que fiz, tanto que o pisão foi muito leve. Mas é claro que eu não tinha que ter feito aquilo. Tem que punir, o juiz está certo”, falou.

Aparentando tranquilidade, e mostrando raciocinar cada palavra, o camisa 10 pediu desculpas. “É lógico que peço desculpas, senão nem daria entrevista, sairia correndo. Deixo o estádio triste por não ter ganhado o jogo. E também por ter cometido um erro infantil, que eu não podia ter cometido, pela experiência que tenho e pelo momento que vivemos.”

Decisivo na busca pelo empate depois de o time ir para o intervalo perdendo por 2 a 0, Valdivia deu bela inversão para Victor Luis no segundo gol do Palmeias do empate por 2 a 2. Mas evitou dimensionar o prejuízo do cartão vermelho que recebeu em meio à pressão do time sobre o Flamengo no Pacaembu.

“Futebol é tão dinâmico que você não sabe o que vai acontecer. É capaz que o jogo tivesse acabado 2 a 2, ou vitória nossa, ou mesmo uma vitória do Flamengo. Mas é logico que, quando você fica com um a menos, prejudica 100% todo o funcionamento da equipe”, limitou-se a analisar.

Além de correr risco de punição interna no Palmeiras, o meia será julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), órgão que considera estar mais disposto a exagerar na aplicação de penalidades a ele.

“Só peço para não exagerar muito. Todos sabem que, quando sou eu que estou envolvido, tudo parece mais complicado e difícil”, afirmou o jogador mais caro do elenco que, no ano passado, chegou a ser punido por ter admitido que forçou o terceiro cartão amarelo para cumprir suspensão em jogo no qual já seria desfalque por estar com a seleção chilena.

“Espero que a punição seja normal e não seja como já aconteceu outras vezes comigo. Toda vez que me vejo em uma polêmica de terceiro amarelo ou vermelho, é tudo mais do que o normal”, queixou-se o camisa 10, se sentindo sempre vítima de polêmicas.

Brunoro culpa arbitragem “ridícula”, mas Dorival cogita punir Valdivia

Por deixar o pé intencionalmente nas costas de Amaral, Valdivia foi expulso e o Palmeiras, com um a menos, levou até bola na trave, sofrendo para segurar o empate por 2 a 2 com o Flamengo. O próprio chileno assumiu seu erro, pediu desculpas e Dorival Júnior cogita puni-lo. Mas o diretor executivo José Carlos Brunoro preferiu inocentar seu jogador mais caro para culpar só a arbitragem comandada pelo gaúcho Anderson Daronco.

“Quem merece uma multa e uma advertência é o árbitro”, disse Brunoro, rebatendo qualquer acusação contra Valdivia, dizendo que o meia “só teve parcela de responsabilidade na melhora do Palmeiras”. “Precisa ver o que o adversário fez com ele. Ele é um jogador o tempo todo visado, procurado, revezavam pancada e não davam cartão. Às vezes, perde a cabeça mesmo”, afirmou.

“Todos vão falar que sua expulsão prejudicou o Palmeiras. Mas, até o momento de ele entrar, o Palmeiras estava em desvantagem. Prefiro ver as coisas boas, as coisas ruins são por conta da arbitragem”, prosseguiu o dirigente, em discurso completamente diferente do próprio Valdivia.

“Eu não estava nervoso, não. Particularmente, não tive nenhum problema com o juiz. Foi um lance isolado, em que fui mal. Mas nós, jogadores, estamos aí para jogar, tentar fazer o melhor possível. Deixamos para a nossa diretoria falar da arbitragem, dos lances. Só que, quando tem erros, sempre tem a favor e contra. Isso aí é normal”, minimizou o chileno.

Dorival também discorda do diretor. “Não foi culpa do árbitro. O Valdivia vinha sofrendo uma sequência de faltas e isso desequilibra, mas temos que assumir que o erro foi nosso. E foi um erro considerável, até porque poderia ter proporcionado um prejuízo grande depois de ele ter ajudado. Espero que não volte a acontecer”, falou o técnico, cogitando punição.

“É uma típica situação que resolveremos internamente. Isso vai ser conversado lá dentro e garanto que será resolvido. O erro aconteceu, temos que reconhecer que foi ruim para equipe e para ele. Senti que o Valdivia se arrependeu, ele sabe que errou, e o próprio grupo cobra uma posição nesse sentido. Isso é um fato nosso que precisa ser solucionado entre nós”, alegou.

Mas Brunoro não consegue esquecer Daronco e seus assistentes. O diretor está irritado com arbitragens que considera rigorosas demais com o Palmeiras jogando em casa, embora recuse ajuda. Nesta quarta-feira, não se conformou com o toque da bola na mão de Eduardo Silva, admitida pelo próprio jogador, no segundo gol do Flamengo. E também com pênalti que enxergou em choque de Henrique com João Paulo, ainda no primeiro tempo.

“Até o jogador do Flamengo disse que pegou na mão, e foi na cara do juiz de linha. E o pênalti no Henrique foi na linha do bandeirinha e do juiz, foi muito claro”, irritou-se. “O Palmeiras nunca reclama publicamente da arbitragem, sempre tem postura ética, mas hoje escancarou. Foi uma arbitragem ridícula, escandalosa, com papel preponderante no resultado. Não há jogador que se mantenha tranquilo com uma arbitragem dessas”, continuou Brunoro, aparentemente sozinho em sua opção de só culpar o juiz.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ IG ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Brunoro defende Valdivia no Palmeiras e ataca árbitro

Por Ciro Campos

O diretor-executivo do Palmeiras, José Carlos Brunoro, saiu em defesa de Valdivia, declarando que o meia é vítima de perseguição da arbitragem e, por isso, foi expulso no jogo desta quarta-feira contra o Flamengo, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro. O dirigente evitou falar em possíveis punições do clube para o jogador e culpou o árbitro Anderson Daronco por ter dado o cartão vermelho ao chileno após pisão no volante Amaral.

O lance foi aos 36 minutos do segundo tempo, quando o jogo já estava empatado em 2 a 2. “Todos vão falar de Valdivia, que sua expulsão prejudicou o Palmeiras. Mas, até o momento de ele entrar, o Palmeiras estava em desvantagem. Prefiro ver as coisas boas do que as coisas ruins. As coisas ruins são por conta da arbitragem”, afirmou em entrevista logo após o término do jogo. O chileno entrou no intervalo, quando a equipe perdia por 2 a 0. Depois, ajudou o time a reagir e deu o passe para o gol de empate, marcado por Victor Luís.

Para Brunoro, Valdivia é perseguido também pelos adversários. “Precisa olhar com calma antes de analisar a situação de cada jogador e ver o que aconteceu antes do jogo. Ele é um jogador o tempo todo visado, procurado. Às vezes, perde a cabeça mesmo”, afirmou. Ao ser questionado se a diretoria vai punir o meia, Brunoro disse que o mais urgente era discutir sobre a arbitragem e negou que o chileno teve culpa em sua expulsão. “Ele teve parcela de responsabilidade na virada do Palmeiras”, comentou.

O Palmeiras reclamou bastante do lance do segundo do Flamengo, quando Deola saiu da meta para afastar a bola de carrinho e ela bateu na mão de Eduardo da Silva. Logo depois, o atacante cruzou para Alecsandro completar de cabeça. “A arbitragem foi ridícula e com papel preponderante no resultado. Vimos claramente que favoreceu com lances muitos claros. O Palmeiras raramente se manifesta sobre arbitragem. Mas foram são dois lances capitais”, criticou Brunoro.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

•• 

NOTICIÁRIO ❘ BAND SPORTS 

• Brunoro erra feio ao inocentar Valdivia

Por Fábio Salgueiro

As declarações de José Carlos Brunoro, homem forte do futebol do Palmeiras, sobre a expulsão do chileno Valdívia na partida desta quarta-feira, contra o Flamengo, no Pacaembu, são estarrecedoras e explica muito dos desmandos praticados pelo chileno dentro do clube.

Depois de pisar de forma proposital no jogador do Flamengo e ser expulso de forma justa pelo árbitro da partida, Valdívia contou com a absolvição de Brunoro, que inocentou o atleta de qualquer culpa no episódio e abriu guerra contra a arbitragem.

“Todo mundo vai falar do Valdivia, que a expulsão prejudicou o Palmeiras, mas a culpa é da arbitragem”.

Dois pontos merecem ser destacados e explicam o equívoco de Brunoro na luta por inocentar o jogador: no momento da expulsão, o Palmeiras estava melhor no jogo e contava com um bom desempenho do chileno em campo.

Após a partida, o próprio Valdívia admitiu que não estava irritado com o árbitro, como Brunoro afirmara, e que havia errado ao pisar no rival. “Tive uma reação absurda, idiota”.

Vale lembrar que o técnico Dorival Junior também não engoliu a expulsão do jogador, absolvendo o árbitro de qualquer culpa.

O desrespeito de Valdivia é enorme com a instituição Palmeiras. No entanto, fica claro que as atitudes do jogador contam com o aval da cúpula alviverde. Antes de cobrar mais profissionalismo do jogador é preciso condenar a atitude dos dirigentes.

A expulsão merecia ser condenada em público e o jogador punido pelo clube. Não falo em afastar o meia, já que prejudicaria o Palmeiras, mas cobrar de Valdivia mais responsabilidade através de uma multa no salário, no mínimo.

Num grupo de mais de 30 jogadores, a diretoria pode dar aval para um jogador desrespeitar a torcida e a instituição, mas os companheiros de campo não engolem tal atitude. Tenho certeza que o clima está muito ruim para os lados de Valdivia.

O chileno entra agora na mira do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). A tendência é que seja punido com mais de um jogo até pela imagem que por si só condena o jogador.

Desta forma o chileno seguirá prejudicando o Palmeiras, que tenta reagir na busca por evitar mais um rebaixamento para a segunda divisão. A omissão da diretoria do Palmeiras joga contra o clube e ajuda o time a se manter nessa areia movediça que é a zona do rebaixamento do nacional.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ BAND SPORTS

••

NOTICIÁRIO ❘ ESPN BRASIL

• Quando mais precisa, Palmeiras tem que se virar sem Valdivia desde 2010

De volta ao Palmeiras depois de um mês afastado, Valdivia foi decisivo para o empate em 2 a 2 contra o Flamengo. Em campo por 36 minutos, o meia liderou a reação do time, que perdia por 2 a 0, mas sabotou a própria atuação ao ser expulso, por um pisão em Amaral. O resultado recolocou o time alviverde na zona de rebaixamento, e o chileno nada poderá fazer na próxima rodada.

Desfalque para o duelo contra o Goiás, no Serra Dourada, Valdivia revê uma sina que vem se repetindo desde seu retorno ao clube, em 2010. Sempre que o Palmeiras mais precisa do toque diferenciado de seu camisa 10, ele é desfalque, seja por suspensão ou por alguma lesão.

Neste Campeonato Brasileiro, o Palmeiras esteve na zona de rebaixamento por três rodadas. A primeira aparição no Z-4 aconteceu na 15ª rodada, justamente aquela em que Valdivia aparecera pela última vez. Enquanto o time tentava fugir da degola, ainda sob o comando do técnico Ricardo Gareca, o chileno se recuperava de uma lesão na coxa direita.

Voltando um pouco mais no calendário, o meia também foi desfalque para o Palmeiras na tentativa de ser campeão paulista no ano do centenário. Nas quartas de final, contra o Ituano, Valdivia atuou por apenas 24 minutos, com dores no tornozelo direito, e viu o time ser eliminado.

Em 2013, o jogador ficou fora das três partidas que definiram o destino palmeirenses em torneios de mata-mata: no duelo com o Santos, que tirou o time nas quartas de final do Paulista; contra o Tijuana, na queda nas oitavas da Libertadores; e nos dois jogos diante do Atlético-PR, na Copa do Brasil.

Em outro empate com o Flamengo, mais emblemático, por ter selado o rebaixamento no Brasileiro de 2012, Valdivia não esteve em campo por um problema no joelho esquerdo. Pelo mesmo motivo, também não foi usado na derrota para o Millonarios-COL, que eliminou o clube da Copa Sul-americana do mesmo ano, nas oitavas de final.

Mesmo na conquista do título da Copa do Brasil há duas temporadas, o camisa 10 foi desfalque. O meia abriu a vitória por 2 a 0 contra o Coritiba no jogo de ida da final cobrando pênalti na Arena Barueri, mas foi expulso no início do segundo tempo e, na partida de volta, no Paraná, cumpriu suspensão.

Antes da semifinal contra o Ituano em 2014, o último duelo decisivo do Palmeiras com Valdivia em campo também durou pouco tempo. Voltando de lesão na coxa esquerda, o meia começou no banco e participou de pouco mais de meia hora da derrota por 3 a 2 para o Guarani, que tirou a equipe do Paulista de 2012 nas quartas de final.

Em 2011, quando o Palmeiras poderia estragar os planos do rival Corinthians de ser campeão brasileiro, em clássico na última rodada, Valdivia também foi expulso. Ainda nesse ano, estava com a seleção chilena quando a equipe caiu na Sul-Americana; e se lesionou nas eliminações do Paulista (contra o Corinthians) e Copa do Brasil (no fatídico 6 a 0 para o Coritiba).

Já no ano de sua volta, em 2010, o chileno teve uma fibrose na coxa esquerda e, por isso, não participou tanto da reta final do Brasileiro quanto da derrota para o Goiás que derrubou o Palmeiras da Sul-Americana nas semifinais. 

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESPN BRASIL

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• “Quem nunca errou, pelo amor de Deus?”, diz Juninho após falha decisiva

Por William Correia

Juninho despertou a ira da torcida do Palmeiras logo aos 12 minutos de jogo, quando não conseguiu dominar nem dar chutão em bola cruzada na grande área e acabou ajeitando para Canteros abrir o placar para o Flamengo. No segundo tempo, porém, o time alcançou o empate após estar perdendo por 2 a 0. E o lateral apelou para a condição humana de falhar.

“Cometemos erros que não podem acontecer, não há mais tempo para erros. Mas quem nunca errou na vida, pelo amor de Deus?”, disse o camisa 6, que passou alguns minutos abaixado após amortecer para o rival um cruzamento de João Paulo. Tentando entender o que fez.

“Fiquei p…, lógico. Nossa equipe está correndo para caramba e batalhando muito para acontecer uma bobeira daquela. Ele cruzou para trás, não cheguei a ver a bola e, quando vi, já estava em cima de mim. Mas infelicidade acontece com todos, né? Acontece”, insistiu.

A sequência do lance foi desastrosa. Frequentemente contestado pela torcida, a ponto de já ter solicitado para sair do clube, Juninho não acertou quase nada depois do erro no primeiro gol. Só foi ter algum êxito quando o Verdão se encaixou com a entrada de Valdivia e Allione, no intervalo, e passou a encurralar o Flamengo.

“Consegui dar uma respirada, colocar a cabeça no lugar e ajudar minha equipe. Se você não tem paciência, prejudica ainda mais. Não é o erro que vai me deixar abalado”, falou o jogador que, claramente, é um dos que mais sentem a má fase do time, como ficou claro na queda de rendimento na campanha do rebaixamento no Brasileiro de 2012.

Juninho, contudo, tem a confiança de Dorival Júnior. Tanto que o técnico o escolheu para atuar como meia em seus três primeiros jogos e, nessa quarta-feira, o improvisou como volante. O discurso do jogador é de disposição, embora só não tenha ido para o Fluminense há algumas semanas porque a diretoria resolveu tentar lucrar com a negociação mesmo com seu contrato acabando em dezembro e com poucas chances de renovação.

“Já joguei assim várias vezes no início da carreira. Joguei praticamente um ano de volante no Figueirense, comecei assim quando subi ao profissional. O Dorival sabe que jogo bem ali e tenho confiança. Onde o Dorival quiser me utilizar, estou à disposição”, garantiu.

Assim, o atleta, que já contou se ajoelhar e rezar diariamente para não cair de novo com o Palmeiras, se apega a esforço para sonhar em salvar o time que, hoje, está em antepenúltimo lugar. Até somar ponto em casa contra o Flamengo serve de ânimo. “O time lutou, um correu pelo outro, e temos que levar isso. A equipe se dedicou ao máximo e conseguimos pontuar. Um ponto pode mudar tudo”, analisou.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Volante na base, Juninho diz que ficou ‘p…’ após errar em gol do Fla

Quando o Palmeiras era até melhor do que o Flamengo, Juninho não conseguiu dominar uma bola dentro da área, e facilitou a vida de Canteros, para abrir o placar aos 12 minutos do empate entre Verdão e Rubro-Negro, em 2 a 2. Improvisado como volante, o lateral-esquerdo diz que ficou ‘p..’ com sua falha, que colocou o ameaçado Verdão em situação delicada no jogo do Pacaembu.

– Fiquei p…, lógico, nossa equipe está correndo pra caramba, batalhando muito para acontecer uma bobeira daquela. Ele cruzou para trás, eu não cheguei a ver a bola, quando vi já estava em cima de mim, infelicidade, acontece com todo mundo, né? Quem nunca errou, pelo amor de Deus, a equipe se dedicou ao máximo, saímos com um bom resultado. Lá na frente este um ponto pode mudar tudo – afirmou.

Desde a chegada de Dorival ao Verdão, Juninho atuou como meia aberto pelo lado esquerdo, e agora como volante. Embora não tenha a marcação como sua principal característica, o camisa 6 explicou que quando subiu para os profissionais, no Figueirense, jogando como volante. Segundo ele, esta é uma função que ele gosta de fazer, e o erro não o fará pedir para deixar d e fazê-la.

– Já joguei assim várias vezes no início da carreira, o Dorival sabe que jogo bem ali, tenho confiança, e não é o erro que vai me deixar abalado. Onde o Dorival quiser me utilizar, estou à disposição. Subi ao profissional como volante. Me sinto bem, gosto de jogar por dentro. Se (o erro) fosse no começo da carreira, ou meu primeiro ano aqui, ia sentir muito. Lógico que senti, mas pelo tempo aqui, consegui dar uma respirada, colocar a cabeça no lugar, ajudar minha equipe, se você não tem paciência, prejudica ainda mais – completou.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

BLOG DO RENATO MAURÍCIO PRADO ❘ O GLOBO ONLINE

• Valdívia: herói e vilão diante do Fla

Ao final do primeiro tempo, o Flamengo vencia por 2 a 0 (Canteros e Alecsandro) e o Palmeiras, desarticulado e desprovido de talento, como de hábito, parecia absolutamente incapaz de uma reação. Foi quando Dorival Júnior fez entrar em campo o chileno Valdívia, que modificou por completo o panorama da partida. 

Graças a ele, o Verdão tomou conta do meio-campo e marcou logo o primeiro gol  aos dois minutos. A partir daí, a pressão aumentou até que o empate veio aos 23 e, tudo indicava, a virada era questão de tempo, tamanha a superiodade dos paulistas e o nervosismo e a desorganização dos cariocas.

Foi aí que o mesmo Valdívia que comandou a reação palmeirense se encarregou de encerrá-la. Num lance com Amaral, o chileno foi desarmado, fez a falta e pisou, propositalmente, no adversário. Cartão vermelho imediato e sem discussão.

Com um a mais, o Flamengo voltou a se impor mas não conseguiu fazer o terceiro gol, que lhe garantiria a vitória, que parecia tão certa no primeiro tempo. Alecsandro chegou a mandar uma bola na trave, Everton marcou, no rebote, mas estava impedido.

No final das contas, o 2 a 2 não foi de todo ruim e acabou sendo o melhor resultado dos cariocas na noite.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO RENATO MAURÍCIO PRADO ❘ O GLOBO ONLINE

••

BLOG DO LUIZ ANTÔNIO PRÓSPERI ❘ ESTADÃO ONLINE

• Valdivia, amado maldito

Valdivia tem clara noção de que é um bem e um mal para o Palmeiras. Às vezes, o bom e o mau. Sabe que o time apequenado depende, e muito, do seu talento. Com ele em campo, os problemas são resolvidos com uma sequência de passes. Sem ele, a equação não tem solução.

Essa dependência não é de hoje. Remonta a temporada de 2008 e continua em 2010, após um hiato de dois anos de “férias” no futebol árabe. Não há um técnico que dê jeito, um dirigente, um presidente. Todos são reféns do chileno. Nenhum deles, seja de alta patente ou não, fez Valdivia honrar seus salários.

Há sempre uma desculpa no vestiário. Uma explicação por mais descabida que seja para justificar a permanência do meia no grupo. É comum ouvir que o número sem fim de lesões, feixes e feixes de músculos desalinhados atrapalham o craque e valorizam a resposta de que Valdivia tem importância e é fundamental ao time.

Tudo isso se encaixa perfeitamente para provar que o Palmeiras é muito pequeno diante do chileno. É o ídolo no deserto. É a salvação sem pátria. É adorado e odiado ao mesmo tempo. Isso fica claro quando se debruça sobre o que ele fez no jogo desta quarta-feira diante do Flamengo. Jogo que ele mudou o destino a favor do Palmeiras e depois despejou na latrina ao ser expulso.

Valdivia é um amado maldito entre os palmeirenses. Edmundo, nos anos de 1990, também era um amado maldito. Irascível, vivia uma vida de polêmicas, colecionava desafetos dentro e fora de campo com expulsões, brigas memoráveis e confusões.

Edmundo, porém, tinha a solução certa para os problemas imediatos do Palmeiras. Valdivia nunca teve, nunca vai ter. Valdivia não sabe somar, só sabe subtrair.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO LUIZ ANTÔNIO PRÓSPERI ❘ ESTADÃO ONLINE

••

BLOG DO MAURO BETING ❘ LANCENET

• Palmeiras 2 x 2 Flamengo – Dívidas e Valdivida 

Luxemburgo e Dorival Júnior foram os últimos treinadores do Fluminense na campanha que só não deu rebaixamento por motivos extracampo.

Luxemburgo não assumiu o Palmeiras antes de Gareca também por não gostar de ser entrevistado por Brunoro. Do modo como ele mesmo havia sido sabatinado 21 anos antes, quando chegou ao Palestra pela primeira vez.

Na Gávea, WL deu uma ajeitada no sistema defensivo, organizou um tanto mais um elenco limitado como tantos, e vai, com a força da camisa e da torcida, conseguindo mais pontos que o imaginado.

Foi assim também no primeiro tempo no Pacaembu. Fez um gol com Canteros em falha defensiva de Juninho (pleonasmo), e ampliou com Alecsandro, em lance discutível de mão na bola de Eduardo da Silva (que eu não marcaria toque – e quando escrevo “mão na bola” não escrevo “bola na mão” por já estar entendido). Poderia marcar o empurrão de João Paulo em Henrique, dentro da área, no final do primeiro tempo.

Mas o 2 a 0 foi o retrato de mais um tempo ruim do Palmeiras. Um time que, quando joga direitinho, perde feio do Fluminense. Quando joga mal, perde ainda pior.

Parecia ser o caso de mais um pesadelo até a entrada de Allione no lugar de Mouche (com o bravo Diogo mudando de lado) e Valdivia no de Henrique. Do 4-4-2 exposto e que não funcionou para o 4-2-3-1 com Valdivia sendo a solução para a falta de criatividade. E problema pela falta de equilíbrio do chileno, expulso por ato impensado (redundância) depois do empate alcançado. Muito pela presença dele no belo lance para o gol de empate de Victor Luiz. Muito pelos melhores lances do Verdão além do primeiro gol, que nasceu de um chutão de Lúcio para a raça de Diogo e a falha juvenil de Léo Moura ajudar.

Luxemburgo tirou um atacante e enfiou mais um volante quando o Palmeiras melhorava depois do gol de Diogo. O Flamengo melhorou. E, ironia, levou o empate quando estava mais fechadinho e mesmo assim mais contundente contra um Palmeiras que marcava no meio com Renato e marcava bobeira com Juninho de volante. Luxemburgo botou mais gente na frente depois, aproveitando a tolice de Valdivia. E o Fla só não desempatou por falta de sorte.

No frigir das bolas, placar justo para o Flamengo que se ajeita e deve ficar nas posições intermediárias da tabela. Justo também para o Palmeiras que evoluiu. Mas ainda deve pontos além de muitas coisas e contas para credores e torcedores.

ADENDO – Só considero “injusto” um placar quando a arbitragem interfere no placar provável. Mas, de fato, pelo pênalti não marcado em Henrique, há como dizer que o Palmeiras foi prejudicado. Que o resultado foi injusto. Faltou escrever.

Mas é tudo subjetivo. Tanto quanto alguns dos comentários que dizem que eu só falo mal do meu time.

Como a regra do jogo, toda opinião é válida. Até a mais absurda.

Mas aqui é um espaço livre e, dentro do possível, democrático. Tanto que dá espaço a quase todo o tipo de manifestação a meu respeito. A meu respeito. Mesmo que com desrespeito

ADENDO 2 – Revendo o lance por ângulo diferente, eu agora vejo mais claramente o braço esquerdo de Eduardo da Silva indo em direção à bola. Lance rápido e de reflexo que pode ser interpretado como mão na bola intencional. Havia como marcar a falta em lance discutível.

Mas jamais o impedimento quando a bola é lançada a Eduardo. Ele está em posição legal. Alecsandro, no primeiro momento, não. Mas a bola não vai a ele.

Quando a bola é tocada de Eduardo para Alecsandro, o autor do segundo gol está atrás da linha da bola. Não existe impedimento. Não importa se há um, dois ou 11 rivais à frente dele.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO MAURO BETING ❘ LANCENET

••

BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL ESPORTE

As polêmicas razões que levaram o Palmeiras à zona da degola

Foi um jogo com contornos dramáticos, como já se sabe. O Flamengo abriu 2 a 0 no primeiro tempo (gols de Canteros e Alecsandro), o Palmeiras reagiu na etapa final e chegou ao empate de 2 a 2 (com os gols de Diogo e Victor Luís) e insinuou que teria uma vitória em virada histórica. Mas depois da expulsão de Valdivia o time “murchou” e agora está na terrível zona do rebaixamento.

Em minha opinião, eis as razões:

a) Valdiivia fez, Valdivia desfez. Responsável direto pela reação do Palmeiras, ao dar criatividade ao meio-campo dede a sua entrada, Valdivia também foi o responsável pelo encolhimento do time por sua expulsão infantil. Aliás, depois do jogo, além de reconhecer que errou feio no lance da expulsão, o próprio Valdivia classificou a sua reação de infantil e idiota. Está fora do próximo jogo e sabe-se lá por quantos jogos pode ser suspenso pelo STJD.

b) O Palmeiras foi prejudicado -e muito- pelos erros da arbitragem por Edson Daronco. Em lance claro, indiscutível, Henrique foi derrubado na área por um “tranco” de João Paulo, no finzinho do primeiro tempo. Pênalti! E em lance já mais polêmico, à primeira vista me pareceu normal o segundo gol do Flamengo, quando  Eduardo da Silva disputou a bola com Deola e serviu Alecsandro marcar, discordando da opinião de Deola que dizia que Da Silva levara a bola com a mão. Ao rever a imagem, várias vezes, no entanto, fico com a opinião do comentarista de arbitragem, Arnaldo Cezar Coelho: o gol foi irregular, pois só bateu no peito do flamenguista por antes ter tocado em sua mão esquerda.

Num jogo como esse, dois erros em lances capitais, é muita coisa. Na expulsão de Valdivia, a arbitragem acertou.

c) A péssima atuação de Juninho, especialmente no primeiro tempo, quase levou o Palmeiras à derrota: jogando de volante, ele  escapou por pouco da expulsão logo no começo do jogo, errou feio no lance do primeiro gol do Flamengo- marcado por Canteros-, foi o pior do time. Na etapa final até que melhorou um pouquinho. Mas, creio, não pode mais jogar de volante.

São razões suficientes pelo resultado que não livrou o Palmeiras da volta à zona da degola, pois não?

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL ESPORTE

••

BLOG DO PAULO VINÍCIUS COELHO ❘ ESPN BRASIL

• Dois perdidos numa noite suja. Palmeiras e Botafogo vão parar na zona de rebaixamento

O mesmo jogador capaz de enfiar a bola para o segundo gol e mostrar que o elenco do Palmeiras tem a solução para sua maior carência — o passe — é o mesmo expulso no final: Valdivia. Fica difícil. Assim como quase impossível é vencer o Bahia com dois jogadores a menos, casos de ‘Cachito’ Ramírez e Emerson ‘Sheik’. Sem os dois, o Botafogo levou a virada dentro de casa, diante de público pequeno.

Palmeiras e Botafogo padecem de males semelhantes. A necessidade de montar o time durante o campeonato é o maior pecado. O time montado para a Libertadores não era forte e perdeu Dória, Lodeiro, Jorge Wágner e Marcelo Mattos em comparação com a partida com o Deportivo Quito-EQU, que se classificou para a fase de grupos, em janeiro.

No caso do Palmeiras, enquanto ainda se pede reforços, fica a lembrança das mudanças. Da estreia no Braisleiro, em abril, só foram titulares na quarta Lúcio e Juninho — e este em outra posição.

A noite de terror começou justamente com Juninho errando o domínio no gol de Canteros. Seguiu com Deola saindo do gol estranho para dividir com Eduardo da Silva, antes do gol de Alecsandro. E não terminou pior porque Lúcio salvou a bola que ia entrar.

Botafogo e Palmeiras caíram juntos em 2002 e entraram juntos na zona de rebaixamento nessa quarta. A solução é planejar a temporada que vem. Remendo é vencer os jogos da próxima rodada. Difíceis. O Botafogo enfrenta o Criciúma no Heriberto Hulse, o Palmeiras vai ao Serra Dourada pegar o Goiás.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO PAULO VINÍCIUS COELHO ❘ ESPN BRASIL

••

 

59 respostas em “VERDÃO NA MÍDIA 18-09-2014: Árbitro relata ‘pisão nas nádegas’ e pode complicar Valdívia no STJD ❘ GAZETA ESPORTIVA NET”

Tudo o que o Valdívia quer é pegar 16 jogos de suspensão para não ter que jogar mais nesse Brasileirão e não afundar junto (pelo menos dentro de campo) com a Barca do Nobre, capitaneada pelo Almirante Mazjoub.

“Ignorou………..Nos três dias do fórum de debates sobre melhorias para o futebol carioca, organizado pela Ferj, a Globo não mandou representante. Alguns participantes dizem que a emissora previu as críticas que receberia em diversos assuntos, como o horários dos jogos e cotas de TV. O encontro vai até novembro e conta com presenças de profissionais da Ferj, jornalistas, dirigentes de clubes, entre outros.”…………….. é……. quem manda no futebol está interessado em mudança.

Quem é um pouco mais velho, sabe que quando havia clássicos regionais numa ÚNICA rodada, o Palmeiras sempre enfrentava o Curica, clássico que representava o maior de SP, assim como é FlaxFlu no Rio, Grenal no Sul, AtleticoxCruzeiro em Minas, BaVi na Bahia,
Hoje percebo que com a nossa queda de importância (grandeza) no futebol, oSPFC tomou nosso lugar.
16h – Corinthians x São Paulo
Transmissão: TV Globo para SP, RS, SC, PR, MG (Uberlândia e Ituiutaba), GO, TO, MS (menos Corumbá), MT, BA, PE e PB (com Cleber Machado, Casagrande, Caio Ribeiro e Paulo Cesar Oliveira) e Premiere e PFC HD (com Odinei Ribeiro e Belletti)
16h – Flamengo x Fluminense
Transmissão: TV Globo para RJ, MG (Juiz de Fora), ES, MS (Corumbá), SE, AL, RN, CE, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF (com Luis Roberto, Junior, Juninho Pernambucano e Arnaldo Cezar Coelho) e Premiere e PFCI (com Luiz Carlos Jr e Roger Flores)
16h – Cruzeiro x Atlético-MG
Transmissão: TV Globo para MG menos Juiz de Fora, Uberlândia e Ituiutaba (com Rogério Corrêa, Bob Faria e Márcio Rezende Freitas) e Premiere (com Jaime Junior e Carlos Eduardo Lino)
16h – Vitória x Bahia
Transmissão: Premiere e PFC HD (com Pedro Canísio e Jorge Allan)

Tem uma matéria no UOL sobre pênaltis polêmicos. Se o texto diz que o Vitória foi o mais favorecido, deveriam as imagens acompanhar o texto, certo? Apesar de ter o Palmeiras ter apenas um lance mencionado a seu favor, adivinhem qual o vídeo em destaque na matéria? Claro, o do Verdão, destacando o favorecimento da arbitragem ao clube. Muitos podem achar paranóia isso, mas nada em uma reportagem é por acaso.

Atenção: para quem fala que a SEP está virando Lusa e coisas parecidas. As duas maiores audiências no campeonato brasileiro são respectivamente Gamba x SEP e Flavela x SEP. Realmente, mesmo nessa draga ainda assim somos fortes e atraimos o interesse até dos rivais.

O Palmeiras é grande demais para virar uma Lusa, mas nosso ataque conta com dois jogadores que eram reservas da Lusa há pouco tempo atrás (Diogo e Henrique)…

Depois de não punir o petros que é do time da Globo, o STJD pode punir o Valdívia suspendendo até o final do campeonato. Em se tratando de palmeiras e de seu poder de influência no STJD, já podemos dar como certo que estamos sem ele até a série B de 2015. Ainda mais que tem time do Rio (Botafogo) com perigo de ser rebaixado.
Caso aconteça essa suspensão, o palmeiras deveria imediatamente multar o jogador em 40% do salário e emprestá-lo para algum time da Série C do Brasileirão até o fim da punição. Ele fez de propósito para poder ficar na night. FDP

´É tudo o que Valdívia sonha, ser suspenso até o fim do campeonato…

Qual deveria ser a puniçao do Valdivia?
Ah, simples. Pelo periodo que nao puder jogar, tambem nao ganha salarios.
Se for uns 8 jogos, da mais ou meno 1 mês. Entao, 1 mês sem salario.
FDP, fazendo todo mundo de otario. Faz de proposito, para ficar de fora, pois nao quer jogar. FDP
Ta na hora de dar sequencia ao Bruno Cesar ou ao Bernardo. Os dois tem condiçoes de vingar, ja mostraram bola em outros times no passado, entao sabem jogar bola! Vamos dar oportunidades para reais meias, nao pro Juninho carvaaaalho

Valdívia conseguiu ainda mais desviar o FOCO do corintiano PETRUS !!!o SHEIK do BOTA vai pegar 2 jogos e Valdívia 5 kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkaaaaa !!! A bandalheira no futebol continua !!!continuem votando no PT !!!

Sinceramente não aguento jogador que ganha tubos de dinheiro e não tem nada na cabeça tira a camisa para comemorar gol e sabe que vai levar cartão, pisa no adversário sabendo que está rodeado de câmeras e com total consciência de que é um jogador visado pelos adversários, imprensa, arbitragem e tribunais.
Esse cara já deu, esgotou a paciência da torcida faz horas e a cada dia que passa só aumenta o prejuízo que o clube tem com ele. Demoraram muito para negociar essa merda pelo o que tiveram de oferta, com certeza o quanto antes tivessem fechado uma negociação o prejuízo seria menor, pq no caso dele a única certeza é essa prejuízo na operação. Então realiza logo (tardiamente) esse prejuízo e coloca um ponto nesse negócio.

O pior de tudo é que o Mustaphinho vai ser eleito novamente. Não temos ninguém para disputar com ele. Mustaphinho e Sorrisinho tragam o goleiro do Avaí ou da Ponte, pois nós não temos jogador para essa posição. No resto estamos tranquilos: Felipe Menezes, Juninho Fraldinha, Eguren, Josimar etc….. Excelente time para a segunda divisão. E mais é já que a W Torre desmancha o campo e transforma em capo de bocha. Mustaphá vai até gozar nas calças.

O que eu acho engraçado é que ninguém se apercebe do cinismo do Valdívia ao se desculpar e reconhecer seu erro depois da expulsão. Ele simplesmente está zoando com a torcida, pois não quer mais jogar no Palmeiras e faz de de tudo (há muito tempo) para não jogar partidas inteiras e muito menos sequenciais: me digam quando é que ele jogou 2 partidas inteiras em seguida. O STJD devia suspender ele por 12 jogos (é o que ele quer) e, assim pararia de encher o saco e o Palmeiras se conscientizaria finalmente (ufffffaaaa) de que não pode contar com essa tralha.

Em tempo: o Dorival vai punir o Valdívia? Duvido!

Não era o Dorival que foi xingado violentamente pelo Neymar em campo e não deu em nada? O Dorival naquela ocasião afinou igual palito de dentes.

Roberval, o Dorival foi o único técnico que peitou o Neymar no Santos! Chegou até a afastá-lo do time certa vez. Acontece que a diretoria do Santos protegia Neymar e passou por cima das ordens do técnico: ordenou que o mesmo fosse reintegrado e repreendeu Dorival.

Nos próximos 4 jogos( Goiás, Vit, Fig e Chap), que é a sequência mais fácil que teremos, faremos no máximo 5 pontos, 1 v e 2 e.
Vamos cair com umas 4 rodadas de antecedência.

Sinceramente, o Valdivia precisa de um tratamento psiquiatria ou uma psicóloga urgente, não é possível de como esse chinelinho só prejudica o Palmeiras, ele é um jogador diferenciado, porém, o Valdivia precisa colocar os miolos no lugar!!!

Precisa nada. ele nao é louco nao. Fala pra ele rasgar dinheiro…
Ele é safado mesmo, faz de proposito pra ficar suspenso e nao jogar

Galo ganhou do Goiás lá, sem chororô. Acabou com o jogo ainda no 1º tempo. Mas tem um bom time. Se não ganharmos, já sei quem será o culpado. Igor Junio Benevenuto (CBF-MG). O que terá no rodízio desta vez contra a gente? Uma expulsão mal-passada? Ou seria um impedimento no alho? Mas Juninho, Mouche, Henrique, Lucio, Alhoeóleo ops!, Allione, esses são Friboi, estão sempre presentes.

Alex Lia, melhor nao espalhar que esses jogadores são muito bons. No primeiro grande aumento que pedirem, nossa diretoria vai dizer que deve respeitar uma política de austeridade financeira

Já falei: achamos dois batias laterais e zagueiro interessantíssimo que é o Natan! Vejam bem, temos uma defesa pronta por muitos anos!
Agora falta o resto do meio para frente

Opa! Tem o Gabriel Fernando chegando aí, SE a diretoria não fizer merda nesse meio tempo. Mas pra mim, esse mlk promete e muito, futuro seleção

Ué, mas o apoio do Mustafá não foi aceito por essa diretoria e por muitos defensores convictos de Paulo Nobre, sob a alegação de que isso poderia ajudar o clube nos bastidores? Mas no próximo mandato com certeza tudo será melhor no mundo mágico do Palmeiras

Acho que quando o Mustafá chegou no tal dos “bastidores” viu uma “molecada” 30 anos mais nova e perguntou por onde andavam seus amigos Ricardo Teixeira e João Havelange. Ali ele caiu em descrédito com a nova geração, sobretudo aquelas de sobrenomes recheados de consoantes, como os Schmidts e Zweiters.

Ao invés de repetir os xingamentos pro Valdívia, prefiro exaltar a participação dos garotos da base. Nathan foi convocado pelo alexandre Gallo pra seleção sub 21, pra ratificar o bom desempenho. Meu palmeiras é muito f.: mesmo em situações constrangedoras nos últimos anos, botamos o zagueiro Henrique, o Kardec, o Barcos e o Leandro como selecionáveis, sem contar o Valdívia e o Eguren! Meu time ainda é grande….

O Palmeiras deveria brigar nos tribunais, na CBF, na FPF, para mostrar, inclusive com videos, os lances em que é prejudicado pela arbitragem, e mostrar que o mesmo acontece à outros times, mas a punição não é igual e na mesma medida.
Dizia diretores anteriores, que brigar nas esferas juridicas pode prejudicar ainda mais o Palmeiras.
Mas então, te pergunto ? O Palmeiras já não está sendo prejudicado continuadamente, e pior, além de ridicularizado, vem sendo humilhado, desrespeitado, execrado. Então, vamos brigar nos tribunais, mostrar na imprensa, enfim, abrir a boca, mostrar as garras, enfim, fazer barulho.

Pelo menos, para a torcida, mostraria que está disposto à resgatar um pouco do respeito que um dia já teve !!

É de dar vergonha o comportamento de “palmeirenses” como Mauro Beting e PVC, mais conhecido como tubo de esgoto.
O primeiro, para falar alguma coisa que possa ser vista como favorável ao Palmeiras, pede mil desculpas e faz outras mil justificativas. O segundo, foge pela tangente e nunca toca em assunto que possa parecer desvio de foco para a arbitragem, por mais parcial que tenha sido.

Já em relação ao Valdívia, o grande prejuízo da sua infantil expulsão foi que ela serviu de desculpa para alienados de plantão ignorarem o assalto praticado ontem no Pacaembu.
Devem estar agradecendo o Valdívia a todo momento por ter proporcionado a camuflagem perfeita para a sua covardia.

Mauro besta e PVC são os famosos Palmeirenses de MERDA !!!Um é oportunista pra vender livros que os tolos torcedores compram !! o outro , morre de mêdo de perder o emprego !!! Assim como o Palmeirense ALEX MULLER !!!!

E na tal “mídia palestrina” em geral, o negócio e reclamar de tudo no Palmeiras……..MENOS das arbitragens. E de pontinho em pontinho e de rodízio de erros individuais……………..a vaca vai indo para o brejo. Sergio Correia voltou a comandar as arbitragens….pela 3. vez….durante a copa, levando pelo “conselheiro vitálicio e presidente da cbf, del nero……….. AÍ, é que passamos a ser roubados mesmo. Mas os inocentes e bobinhos palmeirenses da torcida não acreditam em teoria da conspiração.

Eu apelidei o tal d “palmeirense” mauro betting de…”vendedor de livros”. Só aparece falando bem e sorridente defendendo o Palmeiras….para vender os livros sobre nossa história….e faturar em cima. Nada mais. Palmeirense, era o seu pai, o grande JOELMIR BETTING. Defendia o Palmeiras em qualquer lugar e tinga orgulho do time.

concordo com vc e tive a mesma impressão. Mas logo, logo ele aparece em algum blog da mídia palestrina, sorridente….querendo vender livro sobre o Palmeiras.

Mauro Beting morre de medo de que mídia bambi e gambá deixem de acompanhar seus péssimos
comentários, tem pavor que pensem que é parcial por ser palmeirense . Os jornalistas palmeirenses são todos assim não defendem o clube de maneira nenhuma, no fundo são palmeirenses de m.

O procuradorzinho do STJD já está babando, vai tentar enquadrar o Valdivia por agressão ou jogada violenta. Vai pegar um gancho maior do que o do Petros, que “empurrou” – segundo o UOL – o árbitro.

Ler o Mauro Beting deu um profundo asco. Que sujeito pusilânime. Palmeirense, sério? Se enrolando com as próprias palavras, desmentidas pelas imagens que qualquer um acessa pela internet. Prefiro ler até o Chico Lang, é menos pernicioso.

Concordo com Mauro Beting: “mão na bola” e não “bola na mão”.

Igualzinho o pai dele, o Joelmir Betting. O homem se dizia palmeirense e elogiava o São Paulo e o Corínthians, só para puxar o saco do José Paulo de Andrade e do Salomão Ésper na Rádio Bandeirantes. Outro “palmeirense” que fazia a mesma coisa era o tal de Nelo Marques, que já saiu há muito tempo daquela turminha anacrônica do rádio brasileiro.

A levada de bola com o mão no segundo gol foi ABSURDA. Sr. Mauri Betting me surpreendi com o seu titubeio neste caso. Não seja falso, só para agradar os torcedores de outros clubres!!!!

Nobre e Brunoro acharam um meio de aumentar a receita ràpidamente, vão lançar bonequinhos ” Craques do Centenàrio” . Nobre jà comprou de Josimar e Wendel, Brunoro ficou com Weldinho e Felipe Menezes, e estão sorrindo com o sucesso.

N’ao vejo a hora desse mal carater chinelinho sumir do Palmeiras… 6 milhões de reais por ano pra este safado não jogar. O cara simula contusões, força o cartão em todos os jogos, e joga quando quer. Quantas partidas este pilantra jogou desde que voltou? O cara [e pilantra, faz todos de otario e ainda tem gente que o considera idolo.

Com a expulsão do Mago, ficaremos novamente sem um meia. Se somássemos os salários de B. César, Felipe Menezes e Mendieta, daria um total de no mínimo uns R$ 700.000,00. Poderia contratar um meia de ponta com esse valor. Uma gestão “profissional” e “inovadora” certamente faria isso.

O presidente MENDIGO é o responsável por uma eentual queda do Verdão. Ainda dá tempo, tem que contratar um resrva para o mago e um titular para deixar o Henrique no banco. Qualquer jogador, mesmo da série B, é melhor que o Henrique e que o reservas da aramação do Palmeiras. Mexa-se MENDIGO maldito.

Pois é, todo mundo ve isso, menos a diretoria. De terceiro suplemte, coloca os garotos da base. Mas não, vão até a casa do judas pra trazer uns perebas já cotados à aposentadoria ou vaárzea, e continuam com esses caras até todo mundo querer parar de ver esse time… Aí o Juninho começa a armar o jogo, toma de três e ainda a gente é obrigado a ouvir que o time jogou bem

Os comentários estão desativados.