Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 25-09-2014: Foi decidido que nove jogadores seriam cortados do Palmeiras; Dorival, no entanto, vetou ❘ ESPN BRASIL

VÍDEO ❘ ESPN BRASIL

• PVC: Foi decidido que nove jogadores seriam cortados do Palmeiras; Dorival, no entanto, vetou

Segundo Paulo Vinícius Coelho, houve uma reunião até 1h00 da manhã na segunda-feira na casa do presidente Paulo Nobre, da qual Dorival Junior participou até por volta das 22h00. Nessa reunião, ficou-se decido que nove jogadores seriam cortados do Palmeiras, entre eles Victorino e Eguren. No final da reunião e no início da manhã seguinte, essa lista foi reduzida para cinco. Depois de tudo isso, Dorival pediu para que não houvesse corte nenhum.

Assista aqui → VÍDEO ❘ ESPN BRASIL

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET 

• Envergonhado na lanterna, Palmeiras recebe Vitória para se reerguer

Por William Correia

A goleada por 6 a 0 diante do Goiás, no domingo, foi a maior derrota da história do Palmeiras em Campeonatos Brasileiros e não só colocou o time em último lugar, como impôs vergonha no elenco montado para a temporada do centenário. É para se livrar desse sentimento que a equipe faz mais um confronto direto para fugir do rebaixamento às 19h30 (de Brasília) desta quinta-feira, no Pacaembu, diante do Vitória.

“É um momento muito difícil e complicado. Naturalmente, existe uma vergonha íntima. Mas não podemos ficar retornando a esse fato. É marcante, aconteceu e temos que ser responsabilizados, mas olhar adiante. A recuperação depende das nossas forças. Tem que saber conviver e assimilar rápido para recuperar. Trabalhamos para recuperar uma nova condição para a equipe”, discursou Dorival Júnior.

O clube ainda depende apenas de si para sair em breve das quatro últimas colocações, mas precisa mostrar poder de reação. Inclusive, para lidar com tantos desfalques. Para esta 24ª rodada, são 13: Fernando Prass, Wendel, Victorino, Tobio, Thiago Martins, Wellington, Marcelo Oliveira, Mateus Muller, Eguren, Wesley e Leandro, todos sem condições físicas de entrar em campo, e Allione e Diogo, suspensos.

O elenco ainda passa por reformulação que já levou Josimar à Ponte Preta e pode ter reforços. Em meio à crise, o técnico, ao menos, pode comemorar a volta de Valdivia, que cumpriu suspensão no fim de semana. E deve manter a estrutura tática usada no Serra Dourada, apenas promovendo a entrada de Nathan na zaga, recuando Juninho para ser volante e, provavelmente, optando por Mouche e Cristaldo ao lado de Valdivia para dar suporte ofensivo a Henrique no ataque.

Mais do que posicionamento, o chefe cobra nova postura diante da torcida para reerguer o Verdão. “Está na hora de o Palmeiras se comportar como uma equipe, a entrega tem que ser bem diferente do jogo de domingo, que foi bem atípico, com condições que fogem do controle possível”, falou Dorival.

O adversário vive momento de alta. Chegou a ser lanterna, mas vem de dois triunfos seguidos e venceu três dos quatro últimos jogos. Para aumentar o ânimo, acaba de derrotar o arquirrival Bahia e iniciou a rodada fora da zona de rebaixamento. Mas o técnico Ney Franco freia qualquer empolgação com o Vitória, que só tem dois pontos a mais em relação ao Verdão.

“Estamos na mesma situação do Palmeiras, não tem diferença nenhuma, ainda é muito complicada. Também estamos sob cobrança e sabemos que o insucesso nos joga de novo na zona de rebaixamento. Mas, apesar de ser uma partida difícil, temos condições de fazer um jogo forte e armamos o time para atuar ofensivamente. Seria importante ter o terceiro jogo somando três pontos e somando nove em três jogos. É o nosso grande desafio”, definiu o treinador.

Como ocorre com Dorival, Ney Franco também lida com uma série de desfalques. Não poderá contar com o volante Luiz Gustavo e o atacante Vinicius, impedidos de jogar porque estão emprestados pelo Palmeiras. Em relação ao time que venceu o clássico do fim de semana, as novidades são o volante Adriano e o atacante William Henrique.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS X VITÓRIA 

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP) 

Data: 25 de setembro de 2014, quinta-feira

Horário: 19h30 (de Brasília) 

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO) 

Assistentes: Cristhian Passos Sorence e Bruno Raphael Pires (ambos de GO) 

Assistentes adicionais: Eduardo Tomaz de Aquino Valadao e Fabricio Nery Trindade (ambos de GO)

PALMEIRAS: Deola; João Pedro, Lúcio, Nathan e Victor Luis; Renato e Juninho; Mouche, Valdivia e Cristaldo; Henrique – Técnico: Dorival Júnior

VITÓRIA: Roberto Fernández; Nino, Roger Carvalho, Kadu e Juan; Adriano, Cáceres, Richarlyson e Marcinho; Dinei e William Henrique – Técnico: Ney Franco

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

•• 

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Para reagir, Verdão conta com a volta de Valdivia, sem saber por quanto tempo

Depois de cumprir suspensão nos 6 a 0 para o Goiás, Valdivia voltou aos relacionados para o jogo desta quinta-feira, contra o Vitória, no Pacaembu. Principal aposta para salvar o time da queda, o meia corre o risco de logo voltar a ser desfalque. Na segunda, o Mago será julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), e pode ficar até mais 12 jogos fora.

O jogador foi enquadrado no artigo 254-A (agressão), com pena mínima de quatro partidas. Ele teria então dois jogos (contra o Vitória, e Figueirense, no domingo) garantidos, caso não seja novamente expulso, e contra rivais diretos. Resolver nestes dois confrontos faria o Verdão ganhar fôlego para os outros dois embates com rivais que lutam para ficar na elite: Chapecoense e Botafogo.

Diante do Flamengo, jogo que marcou seu retorno após um mês fora por conta de uma lesão muscular, o camisa 10 foi decisivo, deu uma assistência, mas voltou a mostrar falta de equilíbrio ao pisar em Amaral, ato que o levará ao tribunal.

Multado, ele deve assumir a vaga que vinha preenchida por Diogo enquanto esteve fora – o atacante está suspenso nesta rodada. Dorival Júnior não quis dizer se o camisa 10 irá começar jogando, mas a tendência é de que ele seja o articulador do meio-campo.

A partida de hoje será apenas a 19ª do chileno no ano, sendo que o time já entrou em campo em 49 partidas. Nas poucas vezes em que participou, o camisa 10 mostrou a técnica que falta para este Palmeiras conseguir evitar a queda no Brasileiro. E nesta quinta Valdivia é mais uma vez visto como a salvação do Verdão. Só que mais uma vez, time e torcida não sabem por quanto tempo poderão contar com ele.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

•• 

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Coaching do Verdão “salvou” o Flu em 2009 e avisa: “O Palmeiras não caiu”

Por Fabricio Crepaldi

A contratação do coaching Lulinha Tavares foi uma das medidas encontradas pela diretoria do Palmeiras para tentar salvar a equipe, hoje última colocada do Brasileirão, a se livrar o rebaixamento. E experiência de sucesso nesse tipo de situação ele tem no currículo, inclusive em uma das mais improváveis da história do futebol nacional.

Em 2009 o Fluminense tinha, segundo os matemáticos, 98% de chance de cair para a Série B. Mas ganhou 19 pontos dos últimos 21 disputados e se livrou na rodada final. Exemplo que, segundo ele, pode muito bem ser usado – e seguido – pelo Verdão em seu atual momento.

– Trabalhei no Fluminense de 2009. A história conta que o time ficou 27 rodadas na zona de rebaixamento, a chance de cair era de 98%, todo mundo dizia que o Fluminense estava rebaixado. Só o grupo de atletas que não. Não tem nada perdido para ninguém. O Palmeiras não caiu. Entendendo isso, ganha tranquilidade. O jogo acaba só quando termina. Melhor terminar bem do que começou. Com essa consciência, você consegue manter a tranquilidade e ter respostas técnicas no jogo – disse ele.

– É o último grande exemplo de volta por cima. O torcedor se recorda que ninguém prestava naquela situação. Quando perde, todo mundo é ruim. Você não é medido pelo trabalho, sim pelo resultado. Mas foi possível. Somente acreditando que tudo é possível que se consegue. Tem de direcionar o pensamento, sair da esfera da emoção… Só a vontade não ganha jogo, mas você precisa ter. Você precisa ter coragem. Coragem é agir com o coração. Nessa hora tem de botar o coração e brilho no olho. Aí o resultado vem e o vento começa a soprar a seu favor – analisou.

Lulinha Tavares trabalha como coaching há seis anos, com mais de 20 clubes e 100 atletas, individualmente, no currículo. Tentou ser jogador de futebol, mas parou no juniores do Flamengo por conta de lesões e, também, por falta de preparação mental. Segundo ele, isso o motivou a estudar – é formado em educação física e pós-graduado em psicologia esportiva – e ajudar atletas a conseguirem ter sucesso na carreira. Recentemente também lançou um livro sobre o assunto.

Um dos últimos trabalhos do coaching foi justamente no Verdão, em 2013, após a goleada sofrida por 6 a 2 para o Mirassol, no Paulistão. Lulinha acredita que aquela recuperação também pode ser encarada como um exemplo para os jogadores.

– Fiz o trabalho com um grupo muito comprometido, e eles conseguiram reverter o resultado. O Palmeiras é o exemplo para ele mesmo. O grupo vinha de uma queda, estava em situação adversa pela goleada que sofreu na quarta. No sábado, eles viraram a página e isso é muito importante. Tem uma página nova em branco à frente e você é protagonista e pode escrever da forma que quiser – contou.

O trabalho no Verdão já começou. Ele esteve na Academia de Futebol na última quarta-feira e conversou com alguns jogadores, entre eles o meia Valdivia. Os papos individuais fazem parte dos métodos do profissional para tentar melhorar a parte psicológica do time. Veja abaixo uma entrevista com Lulinha Tavares, explicando como pretende trabalhar e de que maneira isso ajudará o Palmeiras dentro de campo:

Como é o seu trabalho como coaching?

O trabalho segue o princípio de refletir, planejar e agir para alcançar metas e melhorar os resultados. Coaching não é motivador, não é guru e nem mágico. Ele ajuda a olhar para a frente, esquecer o passado, que não muda mais, e a criar novas perspectivas e pontos de melhora para a frente, que a é a perspectiva de qualquer um que está lá atrás na tabela.

Quais são os seus métodos de trabalho?

Temos encontros grupais, para estabelecermos o desenvolvimento da intimidade com o atleta, ele saber que você está ali para ajudar e a que você se propõe, que é ajudá-lo a alcançar as metas. Temos dinâmicas, vídeos, e, principalmente, se comprometendo a dar passos em direção ao resultado que você quer chegar. Um passo de cada vez, viver um dia por vez. Ajudar nessa tomada de consciência. Isso você faz de maneira grupal, uma vez por semana pelo menos, e de forma individual, que desenvolve mais. Foram mais de 100 atletas em seis anos. Hoje atendo mais de 10, espalhados pelo mundo.

Costuma indicar livros, filmes e outras coisas desse tipo para os atletas?

Eu trabalho com o seguinte conceito: o que eu ouço eu esqueço, o que eu vejo eu lembro, o que eu faço eu aprendo. Se eles simplesmente ouvirem alguém falar, podem fazer em qualquer lugar. Tem de ouvir e fazer. Existem dinâmicas, vídeos e principalmente estabelecimento de ações e comprometimento com elas. Quando eles se conscientizam disso, começam a estabelecer pequenas metas para atingir o objetivo final. Só tem uma certeza sobre o futuro, que ele chega um dia por vez. Tem de viver assim. Não tem ninguém rebaixado. O Palmeiras está na zona, mas não está rebaixado.

No que o seu trabalho pode ajudar no Palmeiras?

Na tomada de consciência e na retirada do olho de cima do problema. O futebol é muita paixão. Ele tem de sair desse contexto e olhar para a frente com equilíbrio. É possível fazer isso, melhorar o nível de concentração. Quanto mais concentrado o atleta estiver, menos ansioso ele fica. E quanto mais ele tem os canais limpos, ou seja, eu vejo, eu ouço, eu sinto, a performance vai ser melhor. Hoje a humanidade sofre com a síndrome do pensamento acelerado, você nunca está no lugar onde você está. E o atleta precisa estar. Sob pena de que, se não estiver, não terá a resposta técnica exigida em segundos. Ele começa a entender, treinar e efetivar isso no dia a dia. Ele será menos influenciado pelo ambiente de fora, será mais concentrado no que precisa fazer.

E o Palmeiras precisa dessa ajuda?

O futebol é afetado por isso. Quem está lá atrás sempre está pressionado. Quem está em cima também, mas é outro tipo de pressão. As pessoas se sentem muitos pressionadas e precisam estar preparadas. E o Palmeiras está, assim como os outros times. É ano do centenário, isso aumenta pressão. Mas o profissional está lá para isso, é o desafio dele e precisa entender isso. Ele vai encontrar forças e direção para passo a passo sair dessa zona de rebaixamento.

Você considera o Palmeiras quase rebaixado, como muita gente diz?

Absolutamente, o Palmeiras não está rebaixado e não há nada que comprove que está. O Flamengo estava sob pressão há dez rodadas e arrancou. Nós vemos muita superação. Tem de olhar para a frente. O passado você não muda, você só muda o futuro. E você só vê algo no futuro quando determina o que vai fazer e o que vai deixar de fazer. Se você não sabe o que quer, ao menos tem de saber o que não quer. O Palmeiras não quer ser rebaixado. Pronto. Muita coisa pode ser feita no grupo de trabalho para a coisa andar, saindo da influência externa. Isso tem de ter o mínimo de participação, para o jogador ter tranquilidade no jogo.

O que espera encontrar agora no clube?

O cenário de pressão é semelhante em qualquer lugar, o importante é saber que só se muda sendo humano. O atleta sofre pressão, fica triste, sente medo, tem ansiedade, são coisas humanas. Aí você dá nome ao problema e começa a tratar dele. Mas vou encontrar pressão, dúvida, ansiedade, medo, coisas de ser humano. Isso sendo tratado, o resultado certamente vem.

Você pode ser um reforço importante para o Palmeiras?

Não me considero um reforço. O trabalho de coaching é importante e ajuda em qualquer circunstância. Existem outras ações que os responsáveis pelo clube vão fazer. Mas cabe ajudar. Vim com a roupa do corpo. Fui chamado, peguei um avião no Rio de Janeiro e vim, nem me despedi da minha filha e da minha mulher. Isso com a expectativa e perspectiva de contribuir. Dentro disso, tenho condição de ajudar.

É um desafio?

Sim, um desafio e uma oportunidade de mais uma vez executar o trabalho e mostrar a que se propõe esse trabalho. Quero implementar o trabalho que faz o olho brilhar. Quando isso acontece, sempre encontramos as soluções para as dificuldades que se interpõem entre nós e o objetivo a ser alcançado.

Seu trabalho também ajuda a saber lidar com a pressão da torcida?

Sim. Tem um princípio que o Japão usa, que a Força Aérea americana usa: espere o melhor, se prepare para o pior. Se você está mentalmente pronto, sabendo que pode dar problema com derrotas, xingamentos, pressão, vai estar preparado para isso. Quando alguém se prepara mentalmente para uma situação, vive antes. Quando ele acontecer já sabe o que fazer, seu cérebro vai lembrar. Por isso é preciso estar mais pronto para a pressão que vem.

Por que não se tornou jogador profissional?

Meu problema foi falta de condição mental, se eu tivesse sido preparado, mais orientado, poderia ter ido mais longe. Eu fui um dos muitos que ficaram para trás, por falta de um planejamento lógico, uma preparação adequada, e isso me motiva a ajudar outros que estejam mais prontos para suportar e vencer nessa atividade que leva um desconhecido a virar um herói nacional.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Situação delicada do Palmeiras preocupa a cúpula da CBF

Por Jamil Chade

A cúpula da CBF está “preocupada” com o Palmeiras e um eventual rebaixamento para a segunda divisão do campeonato brasileiro. O presidente eleito da entidade, Marco Polo Del Nero, confirmou que tem mantido um “contato regular” com o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre. Mas questionado sobre o que tem sugerido, ele foi taxativo que os resultados terão de aparecer. “Vão ter de jogar bola. Não há outro jeito”, disse o dirigente, que nesta semana está em reuniões na Fifa. “É preocupante”, disse.

O Palmeiras foi derrotado por 6 x 0 pelo Goiás no fim de semana e ocupa a lanterna do Campeonato Brasileiro, com 13 derrotas e apenas seis vitórias. A crise ocorre justamente no momento das comemorações dos 100 anos do clube e até do reconhecimento por parte da Fifa do título de campeão mundial de clubes de 1951.

José Maria Marin, presidente da CBF, também lamentou a fase vivida pelo time e descartou qualquer tipo de ajuda ao clube. “É uma pena que estejam nesta situação. Afinal, trata-se de um clube tradicional”, indicou. Ele ainda destacou o “equilíbrio” que conhece o campeonato neste momento. “Está muito disputado”, afirmou. “Os jogos mais difíceis são justamente com aqueles clubes que não querem cair”, completou.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Palmeiras segue sem patrocínio, mas sua arena caminha para fechar com o 10º

Danilo Lavieri

Enquanto o Palmeiras caminha para mais uma temporada sem patrocínio master para o seu uniforme, a Arena soma parceiros e patrocinadores. Antes mesmo do seu primeiro evento-teste, marcado para este sábado (27), o estádio já negocia para fechar com a 10ª empresa que marcará presença na nova casa alviverde.

As negociações são conduzidas pela WTorre, construtora responsável pela obra, e pela AEG, empresa norte-americana que cuida da gestão do local. O mais novo patrocinador é a Citroën, que comprou uma das cotas de patrocínio da arena.

Junta-se à montadora francesa de carros, outros parceiros: Allianz, Dilleto, Vilarta, Burguer King, Instapar, Dog Haüs e Gourmet Sports.

Além desses com os nomes já revelados, os responsáveis pelo palco de jogos já fecharam com uma cervejaria, mas estudam como divulgarão o acordo de uma forma que possa impactar o mercado da melhor forma possível.

Para fechar a lista com os 10 nomes, o Palmeiras aguarda também a assinatura com um banco. Além de patrocinador, essa empresa também fará ativações na arena, como colocar guichês de sua marca e, eventualmente, lançar pacotes de serviços e produtos com o nome da arena.

Vale lembrar que, para cada tipo de parceria firmada, uma porcentagem diferente é repassada ao Palmeiras. No caso da Allianz, que comprou os direitos de naming rights, por exemplo, o clube recebe 5% nos cinco primeiros anos. Depois, a verba vai aumentando conforme o tempo for passando.

Atualmente, o Palmeiras tem como parceiro de camisa a Tim e a Minds. A Brahma, a Coca Cola e a Adidas também constam no site da equipe como parceiros.

Para o patrocínio master, a diretoria espera mais facilidade para negociar com empresas estatais após a obtenção recente da Certidão Negativa de Débitos. No momento, no entanto, não há conversas em andamento com nenhuma empresa.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ ISTO É

• “CBF quer Allianz Parque como sede do futebol em 2016

Em má fase no Campeonato Brasileiro, o Palmeiras teve uma boa notícia. Marco Polo Del Nero, presidente eleito da CBF, anunciou, em Zurique, seu apoio para que o Allianz Parque seja a sede paulista dos jogos de futebol na Olimpíada do Rio, em 2016. Seria uma forma de justificar os investimentos para a construção da nova arena palmeirense, que deve ter sua inauguração em outubro ou novembro.

Em São Paulo, a disputa é política e governador e autoridades pedem ao COI e à Fifa que adiem qualquer definição para depois das eleições para presidente do País e governador do Estado. Além do Allianz Parque, outros dois estádios da capital paulista disputam a realização de partidas nos Jogos.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ISTO É 

•• 

BLOG DO LUCIANO BORGES ❘ TERRA

• Valdívia será julgado na segunda e pode ser suspenso por 12 jogos

O STJD vai julgar Valdívia na próxima segunda-feira. O meia do Palmeiras poderá enfrentar o Vitória na noite desta quinta-feira no Pacaembu e, no domingo, ainda terá condições de jogo contra o Figueirense. Mas a partir daí corre o risco de ser suspenso por 12 partidas.

Valdívia será julgado por ter pisado nas nádegas do jogador Amaral, do Flamengo. Por causa deste gesto, ele foi expulso do jogo disputado na semana passada. O Palmeiras perdia para o Flamengo por 2 a 0 e, com a entrada do chileno no intervalo, conseguiu empatar o confronto.

Leia a nota divulgada no site do STJD:

O STJD marcou para a próxima segunda, dia 29 de setembro, o julgamento envolvendo o atacante Valdívia, do Palmeiras. Denunciado por agressão, o Chileno corre risco de pegar até 12 jogos de suspensão. No mesmo processo, o clube pode ser punido por atraso e terá que responder pela ação de um torcedor e do gandula Giovanni Devechi, expulso na partida. Após desfalcar o Palmeiras por seis rodadas, Valdívia retornou a equipe na 22ª rodada do Brasileirão, mas acabou expulso após 36 minutos em campo. O camisa 10 recebeu o vermelho por pisar nas nádegas de Amaral após cometer falta. Pela ação, a Procuradoria enquadrou o chileno por “agressão” – artigo 254-A do CBJD, que prevê suspensão mínima de quatro partidas, podendo chegar até 12 jogos. Com base no relatório da arbitragem a Procuradoria denunciou ainda os clubes e o gandula Giovanni Devechi. Palmeiras e Flamengo atrasaram para retornar ao gramado e terão que responder ao artigo 206 do CBJD por um e dois minutos de atraso, respectivamente. A multa pode chegar a R$ 1 mil por minuto. Mandante da partida e responsável pela contratação dos gandulas, o Palmeiras foi enquadrado no artigo 191, inciso III, do CBJD, com risco de multa de até R$ 100 mil. Expulso por tentar favorecer o time paulista, o gandula Giovanni Devechi responderá por atitude contrária à disciplina descrita no artigo 258 do CBJD e pode ser suspenso por até 180 dias. Por fim, o Verdão ainda terá que se defender por desordem em sua praça de desporto, artigo 213, inciso I do CBJD. Consta na súmula a paralisação da partida pela projeção de um laser no gramado. O fato foi narrado como tendo partido da arquibancada em que se encontrava a torcida paulista. O artigo pode render multa de até R$ 100 mil ao Palmeiras.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO LUCIANO BORGES ❘ TERRA

•• 

COLUNA DO JUCA KFOURI ❘ FOLHA DE S.PAULO

• À vitória

Vitória, vitoria ou vitória. É só e tudo o que resta ao Palmeiras hoje, às 19h30, no histórico estádio do Pacaembu, palco de tantas e tantas conquistas inesquecíveis da centenária Sociedade Esportiva Palmeiras.

Caso vença o baiano Vitória, o Palmeiras não só deverá sair novamente da zona da degola como, com um pouco de sorte, poderá subir quatro posições.

Daí aquilo que é o mais importante amanhã não ter a mínima importância hoje, isto é, identificar os culpados por mais esta via-crúcis esmeraldina.

Entre outros motivos porque salta aos olhos quem são e nenhum deles atende pelo nome de Ricardo Gareca, Dorival Júnior, Fábio, Deola, Lúcio, ou quaisquer dos jogadores estrangeiros recentemente contratados, embora haja um chileno que brinca irresponsavelmente com a dor alheia enquanto vive de folga com um salário de marajá.

A dupla Brunobre, quer dizer, Paulo Nobre e José Carlos Brunoro, já deu provas irrefutáveis de sua incompetência para dirigir o clube e, se de fato gostasse mais do Palmeiras do que de si mesma, já teria cedido seus lugares para gente mais capacitada em vez de se abrigar sob as asas azaradas de Mustafá Contursi, o “pai de Nobre”, segundo o próprio ex-presidente sempre presente nas quedas do Palmeiras.

Como a dupla não cede e não cederá, e por mais que pareça demais ainda pedir o que for ao torcedor alviverde, não há outro caminho: lotar o estádio, apoiar sem parar, jogar sem a bola fora do gramado o jogo que quem está dentro não é capaz.

Ter paciência com o time se, enfim, Dorival Júnior puser em sua cabeça que nem em casa a equipe tem bola para atacar o adversário, mesmo que seja o rubro-negro baiano que ainda no domingo passado segurava a lanterna hoje nas mãos palmeirenses.

De hoje a dezembro, os palmeirenses, todos, da aflitiva situação à angustiada oposição, têm apenas uma missão: evitar a terceira queda para a segunda divisão.

Depois, na eleição, acertem suas contas com este presente de cara retrógrada e com o futuro fadado a ser melhor, pois pior é impossível.

Mas hoje à noite, repita-se, não é hora de vaiar nem a dupla Brunobre, porque é hora de se juntar num só grito do fundo d’alma: avante, Palmeiras!

•• 

COLUNA DE PRIMA ❘ LANCE!

Por Marcelo Damato

• Fazendo água

A popularidade do presidente Paulo Nobre, ainda o favorito na próxima eleição do Palmeiras, está derretendo diante dos vexames no futebol e do desequilíbrio nas finanças.

Nobre é criticado por comandar mal, não aceitar críticas e não dar satisfação aos associados.

O grupo Muda Palmeiras, de oposição, diz que tem uma pesquisa que atesta crescimento das chances de Wlademir Pescarmona, seu candidato.

Conselheiros de vários grupos pressionam Mustafá Contursi a sair candidato.O caudilho resiste, porque está tranquilo no comando do sindicato nacional de clubes.

E até ele está insatisfeito. Só apoia Nobre por não ver outra opção. A eleição acontecerá junto com a penúltima rodada do Brasileiro.

••

COLUNA PAINEL FC ❘ FOLHA DE S.PAULO

Por Bernardo Itri

Medalhões do Palmeiras se negaram a dar entrevista terça-feira; só Nathan aceitou

• Batata quente

Recém-promovido da base, Nathan, 19, foi o único jogador do Palmeiras que se dispôs a dar entrevista no centro de treinamento, após o time voltar de Goiás, onde sofreu a goleada por 6 a 0. Exceto ele, nenhum dos atletas mais experientes e tarimbados do elenco aceitou se explicar para os torcedores e, por isso, restou ao zagueiro conceder a entrevista na terça (23). O Palmeiras tem no plantel sete jogadores com mais de 30 anos.

• Medalhões

Dos sete atletas acima dos 30 anos, três estavam na goleada ante o Goiás e poderiam se explicar: Deola, Lúcio e Victorino. Bruno, Wendel, Eguren e Valdivia completam a lista dos mais experientes.

• Sem pulso

Conselheiros da oposição culpam a falta de atitude da diretoria de futebol pelo fato de nenhum jogador experiente ter se disposto a dar a entrevista.

• Berlinda

O Palmeiras tem uma lista de dispensas pronta. Diretoria e Dorival Júnior acertaram na segunda-feira, dia seguinte à goleada para o Goiás, uma relação de jogadores a serem liberados pelo clube. No entanto, o treinador da equipe recuou na terça-feira e resolveu que não iria mexer no elenco palmeirense por enquanto.

• Dividida

“Enquanto o Mustafá [Contursi] continuar manipulando o Palmeiras, vamos ter esse time de futebol de botão“ – José Corona, conselheiro do Palmeiras, sobre a ligação do presidente Paulo Nobre com Mustafá

••

20 respostas em “VERDÃO NA MÍDIA 25-09-2014: Foi decidido que nove jogadores seriam cortados do Palmeiras; Dorival, no entanto, vetou ❘ ESPN BRASIL”

Dorival é o mesmo que Neymar & Cia. demitiram do Santos, anos atrás…. Ou seja, é um picolé de xuxu que não vai fazer nada para peitar esses vagabas do Palmeiras.

Sobre Lulinha Tavares , digo que o cara já não traz nenhuma confiança por ter esse nome.
Segundo, ele conseguiu levantar o fluminense, porém se esquece de dizer que 99% do sucesso se deveu aos seus 5 auxiliares que trabalham no STJD.
Se esses 5 ajudantes vierem juntos com esse tal Lulinha (caraca, dá até medo de digitar esse nome com medo de roubar meu notebook…hehe), pode ser que o Palmeiras possa até ser campeão brasileiro 2014.

Ora, o Dorival dirigiu 3 jogos? Ele precisa de mais tempo, para poder formar uma lista de jogadores comprometidos. Depois, sim, dispensar o que não está nem aí. Acho que ele tá certo. Não é hora de punir os jogadores com dispensa, mas, procurar uni-los em torno do objetivo principal. Depois ver quem presta e quem não presta.

leva eles pra casa Dorival…………… S.E.P. 3 X O vitoria, e estaremos presentes.

O cara faz uma gestão – que é mais digestão – desastrosa e ainda quer se reeleger. Se votarem nele eu desisto de vez. Pobre de nós torcedores. tempo faz que não lemos nessa coluna alguma notícia boa? 3 anos, 4 anos, ou mais? TEM QUE MUDAR ESSA MERDA!

Paulo Nobre não tem que obedecer treinador. Jogador grosso e que faz corpo mole tinha que ser afastado definitivamente. Já que o sr. Dorival tomou as dores, que então tire o time dessa situação, ou
então que seja afastado e demitido junte com os lixos que ele quis proteger.

Nobre tá perdido e nem com São Salonguinho, se acha , primeiro tráz jogador que mude o ambiente e tire da zona de rebaixamento, depois negocia os perebas sem desvalorizar o cara, afastar é desvalorizar e ter mais prejuízo, e fora que já afastaram Juninho e Bernardo e voltaram atrás. Nobre deveria mandar primeiro Brunoro e feitosa embora, trazer Juninho Paulista e Rodrigo Caetano ou pessoas desse nivel para aí formar um novo elenco.

Ufa, agora estou mais tranquilo, contrataram um coaching, todos os problemas acabaram… sqn

Deveríamos nos aproximar da WTorre e consequentemente dos seus parceiros.
Mas, o ilustre presidente prefere seguir a cartilha do ex-presidente da segunda divisão, qual seja: não investir com critério e qualidade no futebol e centralizar todas as decisões, não aceitando opiniões e parcerias. Prefere bater de frente com a WTorre. Essas cadeiras nas mãos da WTorre daria mais receitas ao clube do que os planos minguados de sócio torcedor do presidente chorão.

Espero que o Valdívia jogue, e bem, e não faça nenhuma besteira, nesses dois jogos antes da sua provável punição pelo STJD. Precisamos muito dele.

E o árbitro do jogo, hein? Wilton Pereira Sampaio, o mesmo que apitou o jogo do “Caso Aranha – cap. 1” e não viu nada. Apita hoje e será julgado amanhã, pelo pleno do STJD. Todo cuidado com ele é pouco. Como o Wilton vai ficar um bom tempo na geladeira mesmo, a partir de amanhã, não precisa de muito para ele fazer uma trapalhada hoje, e prejudicar a gente.

Então a próxima desculpa é que o patrocínio não foi fechado porque a SEP compete com a Arena e os patrocinadores preferem a Arena à SEP.

Esse Dorivaldo Jr é outro bunda mole pelo jeito. Ficou com medinho de dispensar esse monte de vagabundos que estão no come dorme e que não tem a mínima condição de vestir a camisa do palmeiras. Garanto que se mandássemos embora de 8 a 9 perebas desse elenco, já começaria a melhorar, poi é como o velho ditado: muito ajuda quem não atrapalha . Tem jogadores no elenco que atrapalham o time pois ocupamvagas de juvenis que poderiam estar ” comendo a grama” de vontade e garra. Estamos na roça mesmo, com esse Junior!

10 patrocínios fechados para a Arena.

O PN esqueceu de avisar a WTorre que, com a Copa do Mundo, ninguém iria querer fazer novos patrocínios ligados a futebol. Deve estar querendo prejudicar a WTorre, espertinho.

Mas, no caso deles, há a compensação da venda de jogadores, coisa que não acontece com o Palmeiras. O fato é que a WTorre tem o potencial de agregar parcerias e o Palmeiras não poderia se distanciar dela.

Isso, meu ponto também. WTorre deveria ser para nós uma vantagem estratégica, mas bota aí 10 potenciais patrocinadores que estamos deixando passar devido ao jeito que está sendo conduzido.

Os comentários estão desativados.