Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 30-09-2014: Palmeiras x WTorre: Do contrato do estádio aos rumores de dificuldade financeira ❘ IG

NOTICIÁRIO ❘ IG

• Palmeiras x WTorre: Do contrato do estádio aos rumores de dificuldade financeira

Por Gabriela Chabatura

No último sábado, o Allianz Parque recebeu o primeiro teste com a presença do público. Com 95% das obras concluídas, três mil convidados assistiram a um filme para provar a eficácia da acústica e acessibilidade do estádio. O evento aconteceu em meio à intermediação entre a construtora WTorre e o Palmeiras, que brigam para ver quem tem o direito de comercialização das cadeiras da Arena. Com o evento finalizado com sucesso, o iG explica agora o que motivou o imbróglio entre as duas partes.

A parceria entre Palmeiras e a construtora começou em 2008, quando o Conselho Deliberativo do clube aprovou o projeto para a modernização do antigo Palestra Itália com 163 votos. Depois, houve uma Assembleia Geral e os sócios votaram pela aprovação da “alteração do estatuto para a construção da Arena” e a “cessão de superfície (à construtora WTorre) com mais de 80% dos votos favoráveis.

Dois anos depois houve uma nova reunião entre os conselheiros para discutir alguns pontos específicos do contrato. O episódio é lembrado até hoje já que a oposição resolveu deixar a sala antes da votação para reafirmar o projeto. Após muita confusão, o estádio recebeu 126 votos favoráveis e dois contrários, além de 101 abstenções.

Para entender melhor, o iG abre um parêntesis e explica o que é cessão (ou direito) de superfície, que segundo especialistas, conceitua-se por ser “o direito real sobre coisa alheia”. De acordo com o advogado Marcus Mattecci, da Felsberg, “a proprietária concede à superficiária o direito de construir no imóvel alheio. E, partir daí, um acordo prevê se é ou não uma concessão limitada e se exige ou não uma prestação”.

Um acordo entre as parceiras determina os detalhes. “O Palmeiras autorizou a construir o estádio. Geralmente você concede a um prazo determinado e atribui como vai funcionar. Quanto tempo vai ser a exploração do imóvel e como será a divisão de tarefas”, esclarece outro advogado.

O documento firmado entre Palmeiras e WTorre no item 2.1 diz: “Pela presente escritura e na melhor forma de direito, a proprietária concede, como concedido tem à superficiária, que aceita a superfície da Arena de Superfície na forma do disposto no art. 21 da Lei Federal 10.257/2001 e no Código Civil (a superfície) observado no capítulo XVI, podendo desta forma, a superficiária usar e fruir da superfície sem qualquer interferência da proprietária, na forma da legislação aplicável e observados os termos e condições desta escritura”.  

Mais adiante, no item 2.3, é explicado o modelo de negócio. “A superfície é outorgada, neste ato, pela proprietária à superficiária por um prazo de 30 anos, prazo este a ser contado da data de início do funcionamento da Arena, entendendo-se, como tal data, o primeiro evento destinado ao público realizado na Arena após a expedição do laudo de inspeção das obras”.

A discussão está no “capítulo IV – Da exploração Comercial da Arena”. Apesar da escritura ter sido registrada há quatro anos, foi no ano passado que o presidente Paulo Nobre resolveu abrir um debate por entender que o texto lá redigido era interpretado de maneiras diferentes pelo clube e construtora.  A WTorre tem a responsabilidade de repassar ao Palmeiras um percentual crescente das receitas com patrocínios, camarotes, shows, desde o primeiro dia de funcionamento do estádio. Ao término da cessão de 30 anos, o Palmeiras se torna dono de todo o empreendimento. 

O item 4.9 descreve: “O direito de uso das cadeiras e camarotes será comercializado pela superficiária com terceiros na forma de cessão de uso ou outra forma definida pela superficiária por período não superior a 5 (cinco) anos e com pagamento mensal ou anual, e jamais excedente ao prazo da superfície, devendo a superficiária respeitar as condições relativas aos titulares das cadeiras cativas e vitalícias do estádio de futebol hoje existentes, observando, neste caso o disposto no item 4.7 acima (as cadeiras cativas e vitalícias somas 3.082 cadeiras e serão localizadas no anel inferior – nível hoje existente”. 

Até aí tudo muito claro, mas se recapitular o texto o item 2.2.1 diz que “o projeto prevê capacidade mínima para 40 mil torcedores sentados em lugares numerados, com previsão mínima de 200 camarotes e 10 mil cadeiras especiais, além de 2 mil lugares para a imprensa que poderão , conforme a necessidade, ser destinados ao uso por torcedores”. E é neste parágrafo em que o Palmeiras entende que a WTorre tem direito de comercialização de apenas 10 mil cadeiras, enquanto a construtora alega que a edição deste ponto é apenas na descrição da Arena. 

A briga está no conselho arbitral e, segundo o jornal Lance!, o Palmeiras já entrou com um pedido de liminar para impedir que a construtora realize qualquer evento comercial no Allianz Parque até que o acordo não seja selado. Especialistas confirmam que a manobra é possível, mas a decisão de conceder a ordem judicial provisória cabe ao poder judiciário. O imbróglio pode perdurar até um ano e meio.

WTorre: ‘Briga não estremece relação, mas enfraquece”

Um dos representantes da WTorre, que pediu anonimato ao iG, não acredita que o Allianz Parque pode ter a data de inauguração adiada por conta da briga judicial. O planejamento é que ocorra mais três testes até a abertura oficial no dia 9 de novembro, no jogo contra o Atlético-MG, no Brasileirão. As partes, no entanto, não escondem o desgate. 

“Há aquela turmininha mais radical do clube que diz que o Palmeiras não tem receita. E isso não é verdade. 100% da bilheteria dos jogos é do Palmeiras, e dos shows é crescente que vai de 5% a 20% da receita líquida. A briga não estremece a relação, mas enfraquece. O clube tem dificuldades para fechar com um patrocinador máster, está com um ativo na mão (o estádio) e está questionando uma coisa que é um detalhe”, disse a fonte. 

A construtora também nega os rumores de que estaria com dificuldades financeiras e que por esse motivo teria provocado atrasos nas obras. “Quem fala isso é gente má informada. Nós entregaremos nos próximos meses um prédio de 30 mil m², próximo à Ponte do Morumbi, e estamos entregando a maior torre de escritório do Brasil. Sem citas as outras obras. O pessoal é meio primário. Construíamos o shopping JK, entregamos a sede da Petrobras….Gastamos mais de R$ 20 milhões nas placas de acrílico para a faixada do Allianz Parque, que não era obrigação. Quem está sem dinheiro não faz esse tipo de coisa. Não faz 22 mil m² de obras para o clube”, argumentou. 

O Palmeiras adota o silêncio e diz que não se pronunciará sobre o assunto até que as pendências sejam solucionadas. 

Faltam detalhes para o estádio ficar pronto. Televisões do Centro de Controle Operacional e banheiras dos vestiários já foram instalados. Cerca de 85% dos camarotes também já foram comercializados.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ IG

••

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Baseado em frustração corintiana, Palestra reabrirá sem temer vândalos

Por William Correia

O time montado para o centenário do Palmeiras está brigando para não cair no Campeonato Brasileiro e, de acordo com o planejamento da WTorre, reabrirá o Palestra Itália em 9 de novembro, contra o Atlético-MG. O temor de possível vandalismo em caso de derrota, contudo, não afeta a empresa responsável pela reforma do estádio, até baseando-se na derrota do Corinthians na abertura da arena em Itaquera.

“O Corinthians estreou perdendo do Figueirense no Itaquerão…”, falou Rogério Dezembro, diretor da WTorre. “Quando se entra em campo, está correndo risco. Mas o Palmeiras não pode ter medo de entrar em campo na própria casa. Se acontecer uma derrota, paciência. Não vai ser o fim do mundo. E não acho que vamos perder, vamos ganhar”, prosseguiu o executivo, que já foi dirigente do Verdão.

A ideia inicial era de que a inauguração ocorresse contra um clube do exterior e chegou-se a cogitar o Bayern de Munique como adversário, em ação que seria promovida pela Allianz, seguradora alemã que dá nome ao estádio do clube germânico e rebatizou o Palestra Itália como Allianz Parque. Mas a WTorre nem pensa mais no assunto.

“O calendário internacional não facilita muito isso, e o time também está muito focado na recuperação dentro de campo. Não seria a hora de propor uma coisa dessas”, admitiu Dezembro, ressaltando, porém, que o jogo contra o Atlético-MG não seria o único evento no estádio em 9 de novembro.

“Podemos fazer uma festa bonita. A ideia não é só ter o jogo, pensamos em muitas coisas que vamos apresentar ao clube para inflar o evento e, de fato, a estreia ser em grande estilo”, afirmou o executivo, ainda dizendo não poder revelar o que mais pdoe ser oferecido a quem for ao Palestra Itália.

A dúvida para a inauguração também existe em relação a uma das inovações prometidas no estádio: a fachada em inox inspirada em cesto de vime. “Vemos muitos andaimes do lado externo porque é justamente a instalação da fachada, que não está concluída, mas que não interfere em absolutamente nada para o funcionamento da arena, é um elemento apenas estético”, explicou Dezembro.

“Nenhum estádio em São Paulo tem fachada. O Pacaembu tem uma central, até tombada, mas sem o conceito de fachada no estádio inteiro. O antigo Palestra Itália também não tinha. Então, não interfere em nada”, prosseguiu o diretor da WTorre.

Por enquanto, para a conclusão total da reforma iniciada em 2010, ainda faltam acabamentos nos camarotes e nos vestiários, por exemplo. O gramado, porém, já está completamente instalado e, em uma semana, terá condições de receber uma partida – a primeira deve ser uma despedida oficial para Ademir da Guia.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ MÁQUINA DO ESPORTE

• Palmeiras abre estádio e apresenta parceiros a 3 mil pessoas

Por Erich Beting

Após três semanas de atraso, WTorre e Palmeiras finalmente apresentaram o Allianz Parque, novo estádio palmeirense. O evento-teste, a apresentação do filme “12 de Junho de 1993 – O dia da Paixão Palmeirense”, serviu para que novos parceiros comerciais do estádio fossem apresentados.

A cervejaria Itaipava e os sorvetes Diletto foram as marcas que mais se sobressaíram no evento, naturalmente após a Allianz, detentora do naming right do estádio. As duas empresas serão parceiras oficiais na área de alimentação da arena, que deverá ser inaugurada oficialmente no duelo entre Palmeiras e Atlético-MG, pelo Campeonato Brasileiro, em novembro.

Gestora do Allianz Parque, a agência AEG tentou dar ao evento um tratamento como se fosse uma partida de futebol. Apenas um portão do estádio foi usado para recepcionar os 3 mil convidados para a exibição do filme. Nele, uma pessoa ficou com um megafone dando instruções e boas-vindas ao público, como se fosse uma partida oficial. Houve também revista de bolsas de torcedores, além de marcação de assentos para o evento, que aconteceu numa parte da arquibancada atrás de um dos gols da arena.

Antes do evento, na área VIP, pela primeira vez desde que foi apresentado o patrocínio da Allianz estiveram reunidos publicamente Walter Torre, presidente da construtora WTorre, e Paulo Nobre, presidente do clube. No discurso, ambos ressaltaram a inauguração do estádio como um “presente” à cidade de São Paulo, reforçando o slogan “Um espetáculo à parte” que a AEG tenta criar para o Allianz Parque.

Presidente é vaiado durante filme

O evento era só para convidados, mas serviu para que a impopularidade do presidente Paulo Nobre no Palmeiras ficasse clara. Durante a exibição do filme, em todas as vezes que apareceu a imagem do dirigente, parte dos torcedores vaiou. As vaias só não foram maiores quando apareceu no telão José Carlos Brunoro, CEO do clube. 

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ MÁQUINA DO ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

•Presença de Valdivia é fundamental para o Palmeiras, diz coach

Por Ciro Campos

Mesmo abatido por outra derrota no Brasileirão, o Palmeiras ganhou um alento para lutar contra mais um rebaixamento. Valdivia foi julgado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e, em vez dos temidos 12 jogos de suspensão, o atleta foi punido com duas partidas por ter pisado em um jogador do Flamengo – uma ele já cumpriu. 

A presença do meia para a reta final agrega ao time na parte técnica e na psicológica, pois o chileno é parte importante do trabalho do coach esportivo Lulinha Tavares, contratado pelo clube para ajudar na reação. Com Valdivia em campo, o Palmeiras tem aproveitamento de 41% dos pontos. Sem ele, o índice cai para 29%. As exibições de talento do chileno, porém, costumam se confundir com as ações de destempero, como a ocorrida diante do Flamengo, julgada nesta segunda-feira, no Rio, e cuja pena deixou o jogador aliviado.

“Falaram em pena entre quatro e 12 jogos de suspensão. Mas terminei com dois jogos e arquivado em ato hostil. O saldo, então, não foi tão negativo assim”, disse o meia.

Valdivia foi a julgamento por ter pisado em Amaral, lance que lhe causou a expulsão no jogo. O palmeirense foi denunciado por agressão, artigo em que a pena prevista varia de quatro a 12 partidas. Porém, o relator do processo, Douglas Blaichmann, alterou o caso para ato hostil, cuja suspensão pode ser de até três partidas.

Como já ficou fora de uma rodada, o chileno deve ser ausência somente do jogo de quinta-feira, contra a Chapecoense, no Pacaembu. Apesar disso, o Palmeiras estuda recorrer da sentença. “Um pisão teria gerado piores resultados. O que o Valdivia fez ali não matava uma formiga”, afirmou o advogado do clube, André Sica.

Livre dos tribunais, Valdivia retorna a São Paulo para participar dos encontros do elenco com o coach esportivo contratado pelo clube para ajudar na reação. “O Valdivia exerce uma liderança e é muito importante para o grupo”, disse Lulinha Tavares, ex-jogador e pós-graduado em Psicologia do Esporte. 

Tavares se encontra nesta semana com o time para uma nova sessão de terapia. Nela, o objetivo é estabelecer metas atingíveis em curto prazo para ajudar no resgate da autoestima. “Pensamos no futuro para olhar para frente e esquecer os problemas. Procuro dar o suporte. O coaching não dá a vitória, mas, sim, ajuda o atleta a ter consciência”, explicou Tavares, que pede para não ser chamado de “motivador”.

O trabalho dele com o Palmeiras começou na última semana e foi elogiado pelo grupo. No primeiro encontro, o coach exibiu um vídeo e organizou uma gincana para conhecer os atletas. “O Palmeiras não pode se abalar por eventuais derrotas e entender que não é o momento para evidenciar características negativas.” Tavares já fez trabalho semelhante em 20 clubes e tem entre seus clientes atuais o atacante Aloísio, ex-São Paulo, e o goleiro Paulo Victor, do Flamengo. 

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

BLOG DO FÁBIO SORMANI ❘ TERRA

• Goleiro da Ponte é o alvo do Palmeiras

Goleiro é o grande problema do Palmeiras. O mundo sabe.

Nesta segunda-feira, o clube contratou Oscar Rodriguez, preparador com quem o técnico Dorival Júnior trabalhou no Atlético Mineiro.

Rodriguez terá a missão de melhorar os que lá estão: Deola, Fábio e Bruno. Fernando Prass, que tem uma lesão incurável no cotovelo, ninguém sabe quando volta.

O Palmeiras precisa de um goleiro. E tem que ser rápido.

O clube está de olho em guarda-valas da Série B, pois os da Série A e os que estão fora do país não podem ser contratados. Os da série B o prazo expira nesta sexta-feira.

Roberto, goleiro da Ponte Preta, é o alvo. O time campineiro, no entanto, reluta em liberar seu camisa 1.

O Palmeiras pretende enfiar no negócio um de seus goleiros, para não deixar a Ponte a pé. Acho que tem chance de dar certo. E se der certo, será um grande negócio para o Palmeiras.

Roberto é bom, tem personalidade e experiência.

Ele pode ajudar o Palmeiras a se salvar do rebaixamento.  

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO FÁBIO SORMANI ❘ TERRA

••

BLOG DO JOÃO CARLOS ASSUMPÇÃO ❘ LANCENET

• A saída de Brunoro

No Palmeiras já é dado como certo que José Carlos Brunoro não seguirá no clube em 2015.

Se a oposição ganhar a eleição o nome do dirigente, que tem contrato com o Verdão até o final do ano, nem é cogitado.

Se Paulo Nobre obtiver mais um mandato, Brunoro, colocado de escanteio e até já desautorizado publicamente pelo atual presidente, também deverá procurar novos ares.

No futebol o diretor-executivo não manda muito mais, desgastado pela perda de bons jogadores, entre os quais Barcos e Alan Kardec, e contratações equivocadas, e no marketing pouco fez.

É muito criticado por ter enchido o clube de estrangeiros, sendo que, dos quatro “hermanos” contratados, apenas Cristaldo tem se saído bem. Tobio, Allione e Mouche são considerados fracos inclusive por aliados de Nobre.

Fora os problemas no futebol, no marketing as coisas também não andam boas. A dificuldade para encontrar um patrocinador é gigantesca e a relação com a WTorre, responsável pela construção do estádio Allianz Parque, das piores.

Clube e construtora continuam disputando na corte arbitral a divisão de cadeiras da arena e o Palmeiras não quer eventos no local até que o imbróglio se resolva, o que deixa uma incógnita sobre a data em que o torcedor poderá começar a frequentar a sua nova arena para ver o time jogar.

Dias turbulentos pelo lado do Palestra. E no ano do centenário. Uma pena. Mesmo assim continuo achando que o time não cai. Inclusive porque há piores no Brasileirão, cujo nível técnico, aliás, Cruzeiro à parte, é de dar dó.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO JOÃO CARLOS ASSUMPÇÃO ❘ LANCENET

•• 

COLUNA DO LUIZ ZANIN ❘ O ESTADO DE S.PAULO

• Valdivia é ‘o’ personagem

Nós, cronistas esportivos, deveríamos ser eternamente gratos aos jogadores, técnicos, massagistas e mesmo aos cartolas. São eles que fornecem material diário para a nossa escrita. Bons ou maus, craques ou pernas de pau, são os nossos personagens. Em especial os boleiros. Mas, diferentemente do que acontece com os escritores de ficção, não somos donos dos personagens. Não podemos fazer com eles o que queremos, nem governar seus atos e pensamentos. Vivemos do que efetivamente fazem na realidade. A partir daí, podemos criar.

Digo isso em função do Valdivia. Torço muito por esse moço, mesmo porque, nas raras vezes em que joga para valer, dá um toque de classe ao Palmeiras, que, sem ofensa nenhuma (é só constatação), possui um time incapaz de arrancar suspiros do mais fanático dos palestrinos. Com Valdivia em campo, o jogo anda melhor. Flui. Tem certo encantamento. Sai da rotina e mostra lampejos de criatividade.

Sei também que pouca gente na mídia gosta do Valdivia. Há quase um consenso de que ele representa mal um time tão importante quanto o Palmeiras. Tem fama de chinelinho, encrenqueiro, marrento, criador de casos, tudo isso. Não sou louco para discordar de opinião de gente tão abalizada, e que conhece muito bem o bastidor do futebol, o lado B do que se vê em campo, a intimidade dos treinos e dos vestiários, as conversas e rivalidades entre técnicos, dirigentes e atletas. Eu não o conheço pessoalmente e dificilmente virei a conhecê-lo. Prefiro vê-lo em campo. Quando está disposto a jogar é um dos poucos, em atividade no Brasil, que sabem o que fazer com a bola. Vem daí a minha simpatia.

Mas falava dos personagens. Como qualquer escritor, ou escrevinhador, sei também que quanto mais complexo um personagem, melhor para quem escreve. Quem é muito certinho, ou regular, ou mesmo metódico, não dá boas histórias, mesmo sendo genial. Já disseram que Garrincha ou Maradona são personagens melhores que Pelé, o indiscutível maior jogador de todos os tempos. Não refuto a afirmação. Na vida, Garrincha e Maradona tiveram mais tropeços e oscilações do que o Rei. São ótimos personagens, ao passo que, em relação a Pelé, só nos resta o pasmo diante do que realizou em campo e pequenas implicâncias com as bobagens que, como qualquer mortal, ele comete de vez em quando.

Voltando ao Valdivia. Ele é a estrela solitária de uma equipe em crise absoluta. Ninguém precisa recordar o drama que o Palmeiras atravessa. Na zona de rebaixamento, em pleno ano do centenário, e com um time que, além de fraco, apresenta uma instabilidade. Mais ou menos parecida com aquela fragilidade de cristal exibida pela seleção durante a Copa. Só está faltando no Palmeiras alguém sentar na bola e chorar. O resto é parecido. Inclusive na facilidade com que toma gols em sequência, uma vez aberta a porteira. Na derrota de virada para o Figueirense, tomou três em quatro minutos. Parecia mesmo o Brasil contra a Alemanha. Um castelo de cartas que cai, fileira de dominós em que um vai derrubando o outro.

Nesse panorama é que precisamos avaliar a dimensão do ato de Valdivia. Ele, o craque do time, o bambambã do Parque Antártica, o contestado pela mídia, mas incontestado capitão do time, tem, a seus pés, a chamada bola do jogo. Aquela bola que decide o futuro de uma partida, talvez o futuro do próprio clube. A bola chega num momento crucial, em que o Palmeiras vencia por 1 a 0, e cabia a Valdivia, como matador, não pestanejar e colocá-la dentro, decretando a virtual vitória do time, livrando-o da zona de rebaixamento. E o que faz? Em vez do óbvio, chutar a gol, marcar o tento redentor, para o time e para ele próprio, dá um toque inesperado para o companheiro. Tão sutil e imprevisível que a jogada se inutiliza.

Este é Valdivia. Um personagem trágico. E, portanto, muito interessante para nós, mas talvez nem tanto para o Palmeiras.

•• 

COLUNA PAINEL FC ❘ FOLHA DE S.PAULO

Por Bernardo Itri

• WTorre rechaça remover cadeiras da arena do Palmeiras para organizadas

• Cadeira cativa

Às vésperas de ser inaugurado, o novo estádio do Palmeiras não deve seguir o padrão do Itaquerão e da Arena do Grêmio, que retiraram as cadeiras dos setores mais populares para agradar suas torcidas organizadas. A WTorre, construtora e administradora da arena, rechaça remover os assentos para não descaracterizar o conceito do estádio. Na visão da empreiteira, as novas arenas devem oferecer conforto aos torcedores.

• Divino…

Programado para ser o segundo evento-teste do novo estádio do Palmeiras, o jogo de despedida de Ademir da Guia tem duas opções de data para acontecer. A construtora WTorre planeja realizar a partida no dia 18 ou 25 de outubro. A escolha de uma dessas opções passa pelo próprio ex-jogador, a depender de sua disponibilidade de agenda.

• …jogo

Este evento, o primeiro da arena alviverde a testar o gramado, será para ao menos 5 mil espectadores.

• Dividida

“O time do Palmeiras não precisa de um motivador, precisa de um mágico“ – Ricardo Pisani, conselheiro do Palmeiras, sobre a contratação de Luilinha Tavares, motivador, para tentar tirar a equipe da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro

••

54 respostas em “VERDÃO NA MÍDIA 30-09-2014: Palmeiras x WTorre: Do contrato do estádio aos rumores de dificuldade financeira ❘ IG”

Isso não é de hoje, sempre fomos garfados (ou roubados) pelo STJD, mas é o próprio Palmeiras que aceita isso, o próprio Departamento Jurídico não faz absolutamente nada para pressionar o STJD.

O relator do STJD afirmou que negou o efeito suspensivo para o Valdívia devido à grande repercussão do caso. E o caso do Petros que agrediu o juiz não teve repercussão???? Esse é o tribunal que quer “moralizar” o futebol. O auditor que negou o efeito é….. flamenguista.

Senhores palmeirenses, o auditor gambá que queria suspender o Valdívia por 3 jogos, mas deu só um para a agressão do petros……. comprimentou no julgamento o tal sheik (que tem 2 identidades, já mordeu companheiro de profissão e cobra moralização no futebol tupiniquim)….. pelo último título gambá………E NINGUÉM, seja na mídia palestrina ou em outro lugar se revolta mais com isso. É o mesmo tribunal que tem regras diferentes para o Palmeiras. Melhor é ficar brigando entre si, defendendo os próprios interesses e atacando o clube.

Contratar um goleiro de 33 anos reserva de um time na segunda divisão é a mais ne seu Paulo nobre, vtc seu mimado acabando com o palmeiras de todas as formas. Quando pensamos n tem como piorar me vem essa noticia.

Palmeiras contrata goleiro reserva do Ceará Jailson 33 anos. Salário 5.000,00 mais produtividade.
Vai ajudar a terminar a obra do estádio, se terminar a obra logo ganha a produtividade. Depois tem
gente que ainda acredita que esse time não vai cair.

Em 2012 foram leandro bochecha e correia, para nos salvar do rebaixamento…….. esses 5 mil deve ser o que o PN economizou com o kardec.

E o Allione e Cristaldo sim são bons jogadores…. em 2015 quando a poeira baixar e eles se adaptarem, serão títulares fácil.

Pra que discutir o que o PN é ou deixa de ser, ou o que ele tem, ou então se ele é herdeiro…. EU quero que isso se exploda, pouco importa. O Beluzzo é economista renomado, sua política não deu certo, Tirone é dono de restaurante….sic. Eu quero mesmo é que alguém venha libertar o Palmeiras dos amadores, que olhem para essa marca com olhos de marketeiro e consiga transformar a potencia que é em valores reais! Hoje, somos menor que o Patético – PR, jogadores de lá não querem vir jogar aqui, sabem o que somos. Sinto lhes dizer, mas o que andam falando na mídia é uma verdade, somos um ex-grande que só tem esse “status” pela força da torcida. Olhem de 2010 para cá, qual foi o grande momento nosso? Você vão dizer a Copa BR, ótimo, mas quero dizer o contexto geral, o panorama do clube. – Sem casa à 4 anos e em atrito com a parceira, sem um time digno de ser Palmeiras, um ou dois vexames por ano, rezamos para empatar um clássico, dívidas, política cancerígena e pseudo-políticos vetustos ou neo-vanguardistas “profissionais”. Gostaria de destacar o quão derrotados estamos, vide a forma que perdemos nos dois últimos domingos, nosso alento este ano é terminar a série A em 16º… muito pouco para uma instituição do tamanho da SEP.

Não vislumbro saída. Estamos disputando o Brasileiro do Centenário com a defesa inteira do sub-20. Não há peças, não há postura, não há brio, não há nada. Esse time não ganha de ninguém. Dorival é muito fraco. O grupo está entregue. PN conseguiu superar seus antecessores.

Para vocês verem como esses conselheiros do Palmeira entendem de futebol.
Classificar como “fracos” jogadores jovens e com potencial como Tobio e Allione é uma demonstração clara disso.

Essa gestão é a mais omissa da história, e o PN conseguiu tirar de Tirone o título de PIOR PRESIDENTE DA HISTÓRIA DA SEP. Tamanha a omissão que hoje reflete nas quatro linhas, estamos fadados ao terceiro rebaixamento. Tudo é resolvido de última hora, ou depois que o bonde passou… ações para tapar buraco, egos, brigas, intrigas etc… tudo pelo poder e para acabar com o futebol. Barcos, Henrique, Kardec (O próximo será Wesley) foram rotulados pelo PN de mercenários, Prass se machucou e expôs a ferida da nossa tão famosa escola de goleiros, geração FRACA, ou MAL TREINADA? nada de ação por parte do PN. Quantas e quantas vezes aqui pedimos LATERAIS até hoje pagamos o preço por não ter UM QUE PRESTE. Fora MEIA e ATACANTES que não temos até hoje. Isso vai enchendo o saco do torcedor que vai passar vergonha até o final do Brasileirão com o coração na mão torcendo para OS OUTROS perderem seus jogos para que o Palmeiras se salve na última rodada. SINCERAMENTE, ESPERO NÃO ESTAR VIVO PARA VER O PALMEIRAS IGUALAR OS 8 TÍTULOS BRASILEIROS QUE TEMOS COM 8 REBAIXAMENTOS PARA A SÉRIE B E SENDO CAMPEÃO E TODOS.

Perfeito.!! Eu espero também não estar vivo para ver o Palmeiras com 8 REBAIXAMENTOS se igualando a 8 TÍTULOS BRASILEIROS, no mais, nada a acrescentar.

Paulo Nobre até pode ser herdeiro, mas administrasse tão mal oque herdou já teria quebrado. Até
concordo que tem que saber planejar mas além de tudo isso tem que ter ~paixão e tesão pelo futebol
do clube, tem que querer ser campeão, ser ambicioso, nunca vi isso no Paulo Nobre. Vejam Andres
Sanches, era feirante, fundador de torcida organizada, com seu pequeno conhecimento ganhou liber
tadores, Mundial de clubes e até ajudou a dar um estádio pros gambás, tudo porque tinha realmente
vontade de fazer do seu time um grande conquistador.

Enquanto vamos a todo vapor para a segunda divisão o Paulo Playboy está pensando em reeleição. Agora que acordaram e viram que não temos goleiro, aliás não temos time. Se pelo menos tivessem trazido o goleiro do Ituano que está no Avaí pelo mentos não estaríamos nessa situação ridícula.
Ontem o Tirone, aquele, disse que o Musaphá Maldito é a solução do Palmeiras. É o fim.
Vão todos para o inferno: Mustaphá, Tirone, Frizo, Cipulo, Avalone, Palaia, Del Nero, NOBRE, BRUNORO etc.
Chega vocês acabaram com o verdão.
Terceirizem a diretoria para o Walter Torre.

Novidade. A torcida jah sabia que precisavamos de um goleiro desde do Paulista. Tanto que na ocasiao o goleiro do ituano estava comendo a bola e tinha gente pedindo sua contratação. Agora, si lá qtos frangos depois é que a diretoria descobre o que a torcida jah sabia. Tem horas que bate o desespero… vc vê o carro indo pro muro e o cara acelerando.

Não sou um grande civilista, e não conheço o contrato em sua integralidade, mas por essa cláusula não vejo como a SEP sair perdedora na arbitragem. Pode-se discutir talvez ,se fosse interessante para o clube, compor uma forma de maximizar os ganhos de ambas as partes fortalecendo a parceria. Mas, com todo respeito, quem diz que a constr. tem razão desconhece os princípios que regem os contratos. Pouco importa o quanto foi gasto, trata -se do risco do negócio e se Deus quiset serámuito bem remunerada pelo inestimento. Mas o principal problema que eu vejo com td isso e que ninguem ainda abordou é que na remota hipótese de todas as cadeiras serem vendidas pela construtora, digamos para empresas ou para que está disposto a pagar alguns milhares de reais, o que aconteceria comigo, torcedor comum? Consigo assistir aos jogos? E quanto vou ter que pagar por isso e para quem? Percebem que a discussão não é tão futil ou simples.

se o Palmeiras ou Wtorres ganhar a causa não vai mudar muito, financeiramente, nem pro Palmeiras nem pro torcedor pois qual a diferença de pagar diretamente pro SEP ou pra construtora, uma vez que provavelmente nosso clube vai ter que contratar uma empresa pra comercializar os ingressos, e mais nos campeonatos europeus é feita a compra de ingressos da temporada. O que está em jogo é o ego do mustanobre, que quer ser o melhor presidente da historia do da SEP e acaba sendo o pior.

Paulo Nobre como empresário do sistema financeiro é um sucesso, já como Presidente de clube
é um horror. Sinceramente, pra ser Presidente de clube tem que entender de futebol e ser apaixonado pela instituição< tem que ser ousado e não gostar de perder. O playboy não tem nenhuma dessas características, por isso foi tão mal.

Sergio, PN não é empresário do Sistema Financeiro. É herdeiro. Procure saber o que ele realmente faz. Pra ser Presidente do Palmeiras, não basta ser apaixonado ou ousado, tem que saber planejar, escolher corretamente as pessoas e uma visão clara do que quer fazer. Abraço

Caros, os candidatos à Presidência e Vices devem ser escolhidos pelo que são, pela própria vida pregressa. Como sugestão, verifiquem o que o candidato fez até hoje, em sua vida profissional e na vida política do Palmeiras. É fácil descobrir se ele pode dedicar tempo ao Clube, se tem patrimonio formado… ou se quer apenas utilizar o cargo para uma massagem no ego. Com certeza, todos são palmeirenses. Mas, cada um tem uma maneira diferente de manifestar essa paixão. Toda e qualquer entrevista ou fala terá cunho exclusivamente político, e como bons políticos falarão apenas o que a audiência quer ouvir, sempre tentando agradar o eleitorado. Por favor, não queiram endeusar um candidato pelo que ele fala ou pelo que vcs ouvem ele falar. São Políticos!! Levantem a “ficha corrida” de cada um, é fácil fazer isso. Patrimônios pessoais, empresas (se já quebraram empresas), linha política e administrativa. Quando vcs fizerem isso, conhecerão uma parte daquilo que tento passar pra vcs, tentando ser imparcial. Algumas coisas são realmente difíceis de engolir ou de acreditar. Lembro que o regime do Palmeiras é Presidencialista, quem manda é o Presidente. Basta ter vontade e fazer. Ele pode impor vontades e pensamentos. Se não o faz é porque não pode ou não quer ferir suscetibilidades. Não adianta “falar grosso” antes e dizer que fará reformas depois, Em linguagem de futebol, são “leóes de treino”, na hora do jogo não se comprometem.
Abraço

O Palmeiras anda tao mal que começo a achar que a Wtorre tem razão no que exige no contrato.

Já pararam pra pensar quanta cagada fizeram no Palmeiras nos últimos 10 anos?

Pelos trechos do contrato apresentados na matéria acima, reiterando, apenas por esses trechos, fica difícil dar razão ao Palmeiras (leia-se Mustafá e Paulo Nobre) na briga com a WTorre. A interpretação mais natural do texto é que as cadeiras serão comercializadas pela WTorre, sendo que 10 mil serão do tipo “especial”.
Antes que me chamem de vendido ou qualquer outra besteira, é claro que deve haver mais coisas a se considerar, senão a arbitragem já teria decidido, mas pelo que está escrito, assim é o que parece.

Sergio de Mauro, boa noite, para quem viu ou leu a entrevista do Belluzzo na ESPN fica claro que quem comercializa as cadeiras é a WTorre, quem define os preços nos jogos é o Palmeiras, não tem essa de ser vendido ou estar contra o clube, quem redigiu o contrato foi o presidente do conselho do Palmeiras, isso o proprio Vicente deixou claro aqui, os caras reformaram um clube antiquado, construindo um predio esportivo, um predio administrativo e a MELHOR ARENA PARA EVENTOS DO BRASIL , uma das melhores do mundo.lembram em 2010 eles, alguns conselheiros queriam paralisar as obras, qual foi o pedido, vagas no estacionamento, esses desgraçados só se preocupam com eles e não com o Palmeiras.

Paulo e ainda tem gente no clube que é contra tudo isso, o clube estava sucateado, o antigo palestra dava despesa de 9 milhões ano, o cara precisa ou ser obtuso ou estar com muiiiiiiita má vontade pra meter pau.

Meu caro SERGIO DE MAURO, esse é o intuito da dupla Mustafá/Nobre de ficar inventando essa história das cadeiras. A verdade é uma só: tanto o Mustafá como o PN a intenção desses dois é excluir a WTorre com o Palmeiras, lembre-se que o MUSTAFÁ SEMPRE FOI CONTRA A ARENA E O PN ESTÁ FAZENDO O QUE O MUSTAFÁ QUER!!!

“Torcida do Corinthians protesta com faixa, gritos e até rojão; PM em alerta
Na véspera do primeiro confronto com o Atlético-MG, pela Copa do Brasil, torcedores foram ao Centro de Treinamento para reclamar de jogadores, comissão técnica e diretoria!”…………………….. isso pq são ajudados e mesmo assim correm o risco de n irem para a libertadores……….. já nós torcedores do palmeiras, a beira de um rebaixamento……zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Realmente nossa diretoria é de matar. Brigam com a WTorre por um suposto direito, que a meu ver traz mais prejuízos do que lucro, porque um acordo poderia ter sido feito lá atrás, bom para ambos, e, por outro lado, ainda o Barcos, essa mesma diretoria o entregou, de graça, para o Grêmio. É bom lembrar que o Barcos já era ídolo da torcida e nosso maior artilheiro. Entregue de graça. E agora essa briga incerta. São realmente incompreensíveis e incompetentes. Fora com eles. A eleição tem o dever de por um fim nessa dinastia maligna.

Hoje é visível o resultado de uma gestão que tem como estrutura as velhas e desgastadas mazelas , o feitor mantem a chibata sobre seus vassalos, no dia 22 de Setembro de 1940, marca o nascimento de uma figura que tornou-se sócio da SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS, em 1951, por influencia de parentes maternos , galgando na década de 60 ,inúmeros cargos administrativos estatutários, que lhe proporcionaram observar as ações e posturas de muitos que se tornaram aliados , mais adiante , não pela capacidade , mas pelo ao poder e conchavos, que sempre tiveram o perfil da discórdia, e soberba , ele caminhou a passos firmes e fortes, sempre com os leais aliados, ate que em 1977, torna-se mais um membro do Departamento de Futebol Profissional, para desespero de toda uma nação, o clube já estava vivendo um momento difícil, pois não ser campeão ao PALMEIRENSE, e equivalente a não ter agua potável no deserto, ate que em 1992, por trabalho árduo e iniciativa de algumas figuras estupendas, a melhor e mais premiada parceria esportiva, modifica de forma completa os anseios alviverdes, onde nós PALMEIRENSES, banhamos nossa alma com as aguas da VITORIA, da CONQUISTA , e de momentos que hoje são relembrados com paixão, mas esta figura nunca permaneceu inerte, pois sempre buscou estar atento as inúmeras oportunidades, para que houvessem alterações cirúrgicas na carta magna Alviverde, estas modificações iniciadas nas sombras , das Palmeiras , das alamedas de PALESTRA ITALIA, ofereceram ao nosso luciferiano personagem , uma escalada de poder , que distorceu caracteres, posturas, condutas e atitudes, ressaltadas após a retirada da parceira que ate hoje deixa saudades, já que, o que é visto , lido e comentado, envergonha ate o mais simples torcedor , pela dor e descaso ao qual, o maior CAMPEÃO do Século XX, foi mergulhado, nestes 14 anos , somos uma latente figura coadjuvante , em qualquer competição, vemos muitos devotos de São Marcos, orarem para que não sejamos humilhados , por agremiações que nunca ousaram , em nós atacar, só de goleadas estamos perdendo as contas, de vexames, já estamos utilizando quase todas as 26 letras do alfabeto, mas há uma solução, ela é franca e possível, pois esta em nosso seio , que ainda há inúmeros parasitas mamando , o Conselho Deliberativo, não pode ser mais a casa da mãe Joana, deve ser nossa cardeal, nossa MECA, pois os membros desta grande União, devem por obrigação Deliberarem ações imediatas que modifiquem o que há de mais podre, no clube , a SOBERBA, a INCOMPETENCIA, o FEUDALISMO ANACRONICO, a AUSENCIA DEMOCRATICA, e por fim os tentáculos do nosso mais temido senhor feudal!

E, segundo os portais, o Palmeiras recusou o pedido da Chapecoense para, juntos, denunciarem os gambás pelo Petros irregular……………………….. Vai nessa de “co-irmão”, vai.
………………………………O “co-irmão” não pensou duas vezes para entregar pro Flamengo em 2009…………………….. nem para escolher/comprar o PCO no Paulistão 2011…

Se fosse o contrário, eles não pensariam duas vezes para entrar com a ação. E nós devíamos entrar sim, não seria nunca virada de mesa, seria o cumprimento da regra, que deve valer igualmente para todos.

Então bloqueiros palmeirenses…… o Auditor que votou por 3 jogos para o Valdívia, deu 1 para o petros por agredir o árbitro…É GAMBÀ E AGRADECEU O TAL DO SHEIK POR TÍTULO DELES…… ontem. Aqui a foto e a matéria…..e tem palmeirense que ainda acredita que n~åo existe “teoria da conspiração”, sabe nada do futebol tupiniquim inocente……….http://globoesporte.globo.com/futebol/times/botafogo/noticia/2014/09/emerson-chega-como-reu-e-sai-de-julgamento-admirado-pelo-stjd.html

E esses caras posam de arautas da moral e ética no futebol tupiniquim Gustavo. Lembra de uns 2 auditores torcedores que postavam fotos no face com a camisa do flajuto?

Não podemos esquecer, que 19 ARAUTOS da diretoria e conselheiros, estão sendo INVESTIGADOS por DESVIOS e LAVAGEM de DINHEIRO !!!PELO MP. DE PERDIZES !!!!POR ISSO Não largam o OSSO !!!

Enquanto isso a vênus platinada está às vistas de transmitir a 4ª partida do coisa ruim na tv aberta.se bobear, transmitiram mais jogos deles nesse semestre, que nosso, somados 2010 pra cá. Um absurdo…e a audiência cai a cada dia…e eles continuam insistindo nesse modelo fracassado…só consigo acreditar que tem uma força maior (Lulalá), que ditou essa regra em trocas de regalias confortos de longo prazo…na ótica do negócio, não faz sentido nenhum essa estratégia e política editorial. Como diz um amigo meu “vc pode ser casado com a maior gostosa, mas em dois anos será como comer arroz e feijão todo dia…daí vc vê uma asinha de frango e já quer cair de boca”…ou seja, esse modelo, por mais 10 anos, pode até levar a torcida deles pra 50 milhões, mas a audiência dos jogos brigará com Chaves.

Daniel, enquanto tivermos MUMU, e este atual palhaço na administração, ate na segunda divisão teremos que pagar para assistir os jogos, este é o resultado de termos uma administração mambembe !

Sergio espero que o comentário tenha sido apenas uma brincadeira. Correto?

Esse é o resultado de que o Palmeiras não tem força nos bastidores do clube, ao invés de ajudar o clube, os bastidores do clube simplesmente fazem de tudo para acabar com o Palmeiras!!!

Os comentários estão desativados.