Categorias
Opinião

Opinião: Arena como divisor de águas?

Por Vicente Criscio

Nesse final de semana a Vejinha (Veja São Paulo) publica matéria com o Allianz Parque.

Quem acompanha o 3VV e as colunas de Claudio Baptista ou Luis F. Tredinnick já conhece bem o projeto e o potencial de receitas.

Mas a matéria da Vejinha (clique aqui e leia) populariza o assunto e divulga para um número muito maior e para diferentes perfis de consumidores o projeto.

Allianz-Parque_Capacidade

E que projeto!

Não só pelo “salto” na tão maltratada auto-estima do palmeirense, mas também porque com uma parceria bem gerida, a Arena pode ser um divisor de águas para o Palmeiras. Os colunistas do 3VV já citaram e eu apenas reforço: não há projeto melhor no Brasil. Não há projeto mais promissor do ponto de vista de receitas (para os dois protagonistas: Palmeiras e WTorre), nem tão bonito, nem tão completo.

Não haverá concorrência para shows. Desnecessário analisar Morumbi e Itaquerão. Em termos de futebol, as receitas compartilhadas com a WTorre (e crescentes com o passar dos anos) terá importância fundamental para cobrir as perdas das receitas de TV (negociações sempre feitas com a cabeça baixa pelos últimos gestores, nos diminuindo frente aos nossos rivais). E tem ainda a receita de bilheteria (aí sim, pode comparar com o Itaquerão e os jogos do Corinthians e veremos que essa receita também é importante).

Tudo vai bem então correto?

Não! A potencialização das receitas deve seguir duas lições difíceis de serem compreendidas pela atual gestão:

1. time fraco, sem ídolos, que disputa prá não cair, não potencializa receitas nem de bilheteria, nem de camarote, nem de cadeiras (sem falar que o discurso pequeno só atrapalha a venda de patrocínio; ou estamos sem patrocínio por culpa apenas do mercado?). Ou seja, é MANDATÓRIO time forte. Não apenas porque “aqui é Palmeiras”. Mas principalmente porque time forte, com ídolos, aumenta interesse das empresas e isso vira receitas.

2. brigar com parceiro não leva a lugar algum. WTorre, AEG (operadora da Arena), Allianz, e outros tantos patrocinadores, constituem-se num enorme ativo para ser potencializado. Só que a WTorre é o caminho para isso. E brigar com a parceira, demonizar seu Presidente, hostilizar nas redes sociais seus diretores, não ajuda nesse caminho. WTorre e Allianz querem um Palmeiras competitivo. O torcedor também. Os caminhos são convergentes. Ora, quanto dinheiro temos na mesa se potencializarmos essa parceria?

A mensagem nessa “opinião” de hoje é simples. Mantenha-se na série A em 2015 (obrigatório), reforce o time (pare com essa baboseira de “time mediano”), e coloque senioridade na mesa com a WTorre para conversar de negócios, e não para brigar. Tem que haver alguém dentro dessa atual gestão que consiga enxergar isso.

Todos ganham. E aí sim teremos um divisor de águas.

Concordam?

Forte Abraço!

49 respostas em “Opinião: Arena como divisor de águas?”

Muito obrigado Vicente, mais claro que isso impossivel, já sabia que a WTORRE estava com a razão na questão das cadeiras, mas agora com numeros, é até covardia, se vc autorizar gostaria de colar essa resposta no PTD e no Verdazzo, pois até o Eduardo Luis a quem tenho o maior respeito acha que o PN está com a razão, abraços.

Ainda tenho a esperança de ver o mumu (ratus norvergicus) bem longe do Palmeiras.

O difícil, além do voto cabresto manipulado pelo Mustafá Contursi, sobre os velhos conselheiros, de sues filhos e netos, temos o filhote Paulo Nobre fazendo comício na TV e no rádio.
Nas últimas 2 semanas, ele fez campanhas, algumas pagas, como na TV Record, e outras por favores solicitados aos amigos. Dia sim, dia não, ele tá falando na TV e Rádio.

REPETNDO…. Temos um supersonico que podera ser pilotado por um piloto de rally. Decola?? Obvio que não. De o supersonico para um comandante preparado, estilo VICENTE, BELLUZZO, DEZEMBRO, LUIS FERNANDO OU TODOS JUNTOS, e ele decolara mais rapido que um foguete da NASA. Mas temos que aturar( ate quando???) um PN ( piloto de rally), mumu( ratus norvergicus), Piraci e CIA que não colocam uma pipa no ar. Pobre PALMEIRAS. Pobre brasil. EU SOU PALMEIRAS E PAULISTA…… E MATUTO!!!!!

Pela primeira vez recebi a explicação que precisava! Simples e com números!
O que me assusta são os valores, pois acredito que eu e mais um monte de gente não conseguiria arcar com tanta despesa para ir ao estádio.
Acho válido olhar para modelos europeus e americanos, mas não podemos esquecer da nossa realidade, onde um sorvete Tablito está R$ 4,80! Um Tablito! Indignante, não?rs

Parabéns mais uma vez, esclareceu tudo, inclusive quem perde. Só é contra quem tem má vontade ou deixa de ter benefícios com chapéu alheio. Falta um post para me explicar como seria a separação do clube social com o futebol para eu poder votar em você na próxima eleição. Aliás se vacilar me candidato a conselheiro, vai que..

Criscio, parabéns pela explicação sobre as possíveis rendas que o Palmeiras teria nas duas situações em questão. Espero sinceramente que essa visão de negócio abra a mente do nosso atual presidente e que esse imboglio termine o quanto antes. E concordo plenamente com vc, se não tivermos um time decente para disputar campeonatos almejando o título, nada disso terá sentido.

São 00:10 to esperando as respostas, cadê ?

Na questão das cadeiras quem comercializa é a WTORRE e quem define o valor do ingresso é a SEP, quem assistiu a entrevista do Belluzzo na ESPN sabe disso, e me desculpem ficar do lado de quem brigou para ter vaga em estacionamento é brincanagem.

Calma PC. Cheguei tarde e não tinha internet. Segue a minha visão (para Odair, Maurizio e outros amigos).

O que é fato.

46.300 cadeiras no estádio.

100% da venda do ingresso para o jogo é do Palmeiras.

WTorre vende propriedades do estádio (claro e cristalino no contrato).

Palmeiras define o valor do ingresso. É o dono do espetáculo. Cabe ao Palmeiras definir quanto quer ganhar por jogo (claro e cristalino). A fórmula de cálculo do ingresso – nesse caso sim, POUCO CLARA E PERVERSA no contrato – tem que ser revista e a WT reconhece que há uma falha nisso.

Outro fato (não é opinião): sócio torcedor com desconto no ingresso é anacrônico. É ultrapassado. O modelo de sócio torcedor é outro. É aproximá-lo do time. Dar poder de voto. Dar outros benefícios. Tratá-lo mais do que um “consumidor”. Tratá-lo como “acionista”.

Pense nisso.

Mas vamos em frente: a briga!

WTorre afirma ter direito a comercializar propriedades de marketing de todas as cadeiras.
Nobre afirma que WT tem no máximo 12 mil. Quer potencializar o Avanti.

Em tese não pode vender propriedades de marketing do estádio. Está claro no contrato. Por outro lado quer vender sócio torcedor. Isso pode.

Se Nobre está certo, e a WT tem direito a 12 mil lugares, de quantos lugares estamos falando?

Tire 3 mil lugares de camarotes.

Tire outros 3 mil lugares de cadeiras cativas vitalícias.

Tire ainda 5% do estádio – 2.300 lugares – para visitantes.

Estamos falando em cerca de 8.300 lugares.

46.300 – 8.300 = 38.000 lugares.

12 mil ninguém discute: é da WTorre.

38.000 (lugares disponíveis) – 12.000 (WTorre) = 26 mil lugares.

Essa é a briga. Por 26 mil lugares.

Quantos Avanti podemos vender com 26 mil lugares?

100 mil? Eu duvido.

50 mil? Provavel.

60 mil? Talvez…

Qual o valor do Avanti mais caro? Aquele que dá 100% de desconto no ingresso?

Pacotes variam de R$ 120,00 / ano até R$ 1.680,00 / ano.

Qual o mix (bronze, prata, outo e platinum?).

Quanto custa a operação? Quanto entra de receita pro time?

Faça as contas.

Dependendo das premissas, com 60 mil avantis teremos R$ 30 MM. O número improvável de 100 mil avantis seria de R$ 49,2 MM por ano (improvável porque vc teria 100 mil sócios-torcedores para competires por 26 mil lugares).

Mais R$ 28,6 MM em ingressos.

Por outro lado:

A SEP pode definir o valor do seu ingresso.

Que tal R$ 50,00?

WT negocia por exemplo o “season ticket”. Define que cada cadeira vale R$ 4 mil mais o valor dos ingressos.

São 38 mil lugares (sem contar camarotes, cativas vitalícias e espaço para visitantes).

Se a WT for competente para vender todas as cadeiras o Palmeiras teria: (assumindo que deveria fazer cerca de 40 jogos por ano – 19 Brasileiro, 11 Paulista, 7 Libertadores, 4 numa Copa do Brasil)

– 38 mil lugares vendidos x 40 jogos x R$ 50,00 o ticket = R$ 76 MM.

– Receberia ainda 5% da venda dos “season tickets” nos primeiros 5 anos, e esse valor subiria até 30%. No primeiro ano, se tudo fosse vendido, a esse ticket de R$ 4 mil por cadeira por ano, estamos falando de R$ 7,6 MM, subindo 5pp a cada 5 anos. Nos últimos 5 anos hipoteticamente esse valor seria MAIS R$ 38 MM (valores nominais).

– O potencial SÖ DESSE NEGÓCIO de ingresso, se a WT for bem sucedida é de R$ R$ 84 MM no ano 1. Sem falar nos ingressos dos camarotes e das receitas da venda dos camarotes.

– Nem considero aqui a revenda de ingressos. Esse dá uma receita marginal (aquele dono da cadeira que desiste de ir ao jogo e disponibiliza o ingresso para revenda).

Então é assim:

Modelo WT (100% das 38 mil cadeiras): R$ 84 MM no ano 1.

Modelo PN (12 mil cadeiras WT e 26 mil cadeiras SEP): com 60 mil avantis (cenário base), R$ 55 MM. Mesmo que chegue a 100 mil avantis, R$ 75 MM.

Modelo WT no cenário base: mais valor prá SEP em 29 MM.

Mais?

Quantos patrocínio a WTorre vendeu até agora na Arena? 12?

Desde a Allianz (prá quem não sabe a Allianz é sócia do Bayern de Munique) até fabricante de sorvete, quantos poderiam ter interesse numa parceria com o Palmeiras?

Quanto dinheiro tem nessa mesa? Quanta receita?

Quem tem interesse em ter time forte? Todos!

Quem deveria ter interesse na WT bem sucedida nos negócios da Arena?

Todos.

Quem perde?

Perde conselheiro e diretor que ganha ingresso de graça prá ir assistir todo jogo.

Perde o conselheiro que fica na porta do estádio distribuindo (ou vendendo) ingresso em dia de jogo.

Perde quem hoje está acostumado a “usar” o Palmeiras.

Os números são muito sensíveis às simulações. Dependem de premissas e podem refletir o que cada parte quiser. Mas meu ponto é: o modelo 100% das cadeiras pode funcionar muito bem SE SEP e WT trabalharem juntas, SE o Avanti tiver outro foco, menos ingresso, mais relacionamento e empowerment do torcedor e SE todos deixarem egos e política de lado.

Abs

Será que ninguém dessa diretoria consegue enxergar o óbvio?
Isso que vc escreveu deixa claro que esta briga jamais deveria ter ocorrido.
Tomara que algum espírito iluminado nos ajude nessa empreitada
Abs

De fato, é algo a ser estudado. Minha preocupação é a tal elitização e a impossibilidade de uma família de de palmeirenses, como é o meu caso (+esposa e 2 filhos), ser obrigado a pagar R$ 200/400 para assistir a um jogo da SEP x XV de alguma coisa. Os números são realmente atrativos – mas se faz necessário um estudo de mercado para verificar a viabilidade.
Tem também uma questão que não deve ser relevada, após a Arena deixar de ser novidade qual será a média de público que frequentará a nova casa (por paradigma a nossa média é de 15 K).

O que vc pensa em mudar o foco da renda do ingresso para os serviços (alimentação, venda de camisas e souvenirs, estacionamento) ? Aumentaria-se a frequencia do público consumidor por meio da facilitação da entrada no evento e aí sim todos efetivamente ganham, no global da operação: torcida, SEP, parceiros e W Torre ?

Verdade. Sobre a elitização, eu acredito que seja quase inevitável. Muitos não gostam dessa comparação, mas o futebol será um espetáculo literalmente. Dependendo da partida – uma final de Libertadores seria comparada a um show do Paul ou do Rolling Stones? – cobra-se mais. Uma partida na R02 do Brasileirão contra a Chapecoense, vale quanto? Durante o ano a direção palmeirense deverá definir o valor do “espetáculo” naquela rodada e definir os preços dos ingressos.

E aí os jogos melhores e mais importantes serão oferecidos aos preços mais caros. Mas lembre-se: uma boa gestão do pricing sempre considera: oferta x demanda; importância do espetáculo; estratégia de atrair o torcedor para a cancha.

Sobre novidade, concordo que o fator novidade é um importante motivador. Mas será um espaço aconchegante. Assistir jogos lá será quase um programa “de domingo”. O que vai manter o público médio alto é time competitivo e títulos em disputa.

E sobre aproveitar outras fontes de receitas, já estão no business case. Alimentação e estacionamento está lá. Há ainda o museu e uma loja. Dizem (eu não vi) que o business plan prevê payback em 10 anos. Acho até bastante bom, dado o relacionamento de 30 anos. Mas o que me falaram é que as receitas de venda dos season tickets são importantes para fechar a conta.

Abs

Ai sim vejo viabilidade. Precificação baseada em demanda. Minha preocupação é repetir na nossa casa o que acontece com o maracanã, o que se viu ontem na fonte nova e até com o itaquerão. Ingressos nas alturas, torcida atrás do gols e o meião vazio.Em qualquer cenário, jamais pode-se esquecer que a SEP, somente é a SEP em razão da paixão de seu torcedor. E ele tem que ser tratado com respeito, estar sempre perto de seu time e temos que brigar para que isso aconteça . Que se busque formulas para que todo jogo tenhamos estádio cheio. Criscio, já tomei demais o seu tempo. Valeu pela atenção!!

Mais uma. Concordo com vc. Também acho que os dois estão brigando à toa. Duvido muito que nos primeiros anos a WT (se ganhar a totalidade das cadeiras na arbitragem) venda tudo. Então a construtora TAMBÉM está endurecendo em algo que poderia flexibilizar. Prazo! Essa pode ser a chave de uma boa negociação pros dois lados. abs e eu que agradeço a presença.

Interessante a tese, mas não consigo enxengar com tanta facilidade assim, alguns pontos.
– Sócio torcedor sem desconto de ingresso. O avanti além dos descontos já oferece muitos programas interessantes, além do Movimento (descontos em produtos e serviços). Será que o fato de politizar o programa será um atrativo tão grande assim? Sou cético quanto a isso apesar de concordar com a idéia.
– Não consigo imaginar a WTORRE conseguindo vender a totalidade das cadeiras. É muita cadeira e muito dinheiro e aí entra a elitização. Valor da cadeira + valor de ingresso.

Opa… li seu comentário e comentei em outro. Concordo com vc. Também acho que os dois estão brigando à toa. Duvido muito que nos primeiros anos a WT (se ganhar a totalidade das cadeiras na arbitragem) venda tudo. Então a construtora TAMBÉM está endurecendo em algo que poderia flexibilizar.

Prazo! Essa pode ser a chave de uma boa negociação pros dois lados.

Sobre o programa, não é só politizar. É aproximar também. Não só com benefícios. O maior benefício que um palmeirense pode querer no programa é se sentir parte ativa e influenciadora nas decisões do clube. É ser “mais um” lá dentro também. E pode ter vantagens… quem sabe no futuro, sendo “acionista” (afinal, o que é um sócio?).

Enfim, pode parecer ingenuidade ou utópico nesse momento, mas em outros mercados, com outros grnades clubes já está funcionando.

abs

Estão vendo GOL DE ALLAN KARDEC (o segundo gol das bibas), que o nosso “ilustre” presidente DUOU por causa de R$ 5.000 REAIS!!! FORA PAULO NOBRE!!!

Eu só tenho que agradecer o BELLUZZO, DEZEMBRO E A WTORRE pelo que fizeram esse magnífico projeto a sair do papel e se tornando real e tinha conselheiros que eram contra a arena e sempre contra o Palmeiras. Ainda bem que nos próximos 30 anos será administrado a nossa arena pela WTORRE, AEG E ALLIANZ e que o Mustafá, PN e afins fiquem bem longe da arena!!! FORA PAULO NOBRE!!! PESCARMONA/BELLUZZO PARA PRESIDENTE JÁ!!!

Ah e tinha esquecido de agradecer também o VICENTE CRISCIO que também foi um dos responsáveis que a nossa arena saísse do papel e se tornando real.

Criscio’, qdo se fala em conversar com a parceira, seria em quais termos? Qual o tipo de composição que favoreceria à SEP na hipótese da construtora ter o direito de comercializar a totalidade das cadeiras? Atualmente temos o Avanti, bom ou ruim é um projeto que foi aderido por mais de 40k torcedores. O que fazer nesse caso?

sem o APOIO do Sr. Mustafá Contursi é possível ganhar a eleição?

Victor, eu acho impossível ganhar sem o apoio de Mustafá nos dias de hoje. O grupo dele aumentou em número, tem perto de 100 apoiadores incondicionais.
Mesmo como voto dos Associados, essa influencia se faz notar.
Esta eleição de 29/11 deve ser fácil para PN ganhar. Teremos outras opções no final de 2016 apenas. Como eu havia dito, já tem candidato bem articulado a Presidente e Vice na mesma chapa. Se houver a mudança de estatuto, teremos apenas 2 Vices por chapa, o que torna a coisa mais razoável, e 7 Diretorias principais com as demais em regime de diretorias adjuntas. Outras boa notícia se o novo estatuto for votado, é o Vice-Presidente não ganhar/passar diretamente para Conselheiro Vitalício. Lembro que PN passou a essa condição em 2008, e Mauricio Galiotte conseguirá o mesmo a partir de agora (os demais Vices já são Vitalícios).
Abraço

Então meu amigo Sergio Pinheiro, enquanto ele tiver influência( ou seja estiver vivo, ou afins de dar pitaco no clube) vamos ter que aguentar ele colocar o candidato que ele quiser na presidência

O atual e provavelmente futuro presidente faz somente o que o “dono” quer. Sem a benção do sapo boi, o presidente é uma mera figura decorativa. Se desde o incio o Palmeiras remasse junto com a WTorre, com certeza hoje teríamos um patrocinador máster de excelência. mas como o sapo boi ´por razões óbvias é contra , vai atrapalhar com todas as forças essa relação do Palmeiras e WTorre. Quando todos la dentro perceberem isso talvez ‘caso não seja tarde demais”, as coisas podem mudar. Blogueiros, sócios e quem realmente for palmeirense de verdade, abram já a temporada de caça ao sapo. Esse é o caminho.

Acho engraçado essa frase: “Brigar com o parceiro”, se o Paulo Nobre tivesse dado de bandeja o direito de comercialização de todas as cadeiras para a WT, voces estariam criticando isso…

Concordo, mas isso implica em uma participação minoritária no ingresso, além de inviabilizar o avanti

Odair, desculpe mas você está errado. Como já foi dito inúmeras vezes 100% das receitas da venda de ingressos são do Palmeiras. E é um erro achar que o Avanti será inviabilizado. O erro do Avanti é depender apenas de desconto de ingresso, isto não fideliza cliente ou torcedor. Se queremos dar desconto para quem compra mais ou compra antecipadamente, não precisa ser Sócio-Torcedor. Este erro é básico!!
Desculpem se me adiantei em parte da explicação, mas esse tipo de erro de interpretação em como as coisas deveriam funcionar me incomoda muito.
Fico no aguardo de um panorama mais completo à noite.
Abraço

Dadá, veja bem. Se o foco for apenas o Avanti, ótimo, enquanto temos 30 , 40 ou 50 mil torcedores.
Lamento vc, que suponho seja palmeirense, não saber que o Palmeiras tem quase 20 milhões de torcedores.
Se o amadorismo atual manter foco somente no Avanti, logo, teremos 20 milhões de torcedores “Avanti”, querendo entrar no Allians Parque.
Aí te pergunto: Onde colocar tanto torcedores ??
Pra vc, que se contenta com pouco, aceitaria ficar nas alamedas, assistindo, via telão, ao jogo.
Mas e os demais, que pagaram Avanti e compraram ingressos e também teriam os mesmos direitos daqueles que conseguiram entrar ? Imagina isso e verá que problemão enfrentaremos e enorme perda de dinheiro em caixa.
Com uma Arena moderna como esta e um TIME BOM, metade craques e metade com os João Pedro e Nathan da vida brilhando, TODOS IRÃO AO ESTÁDIO SÓ PRA VER UMA SUPOSTA SELEÇÃO JOGAR.
NÃO PRECISAREMOS PECHINCHAR INGRESSOS como fazem os velhos e INÚTEIS conselheiros cabrestos, que, tal qual seus filhos e netos, lambem o saco do Mustafá e Paulo Nobre, em troca ingressos grátis e carteirinhas para tomar sauna e jogar bocha.
Com isso, seremos um dos times mais ricos e organizados do mundo, podendo ter o mesmo valor que Gambás e Urubus perante a TV Globo.
Até mesmo jogos do Palmeiras pela TV aberta (Globo) vc poderá assistir todos os domingos no lugar dos Gambás que o mundo assiste hoje em dia.

A propósito, gostaria de, novamente, fazer um agradecimento:
Obrigado, Dr. Belluzzo, por esta obra prima.
Se Deus quiser, um dia teremos eleições para todos os sócios, para enfim, colocá-lo na presidência, com Vicente Vice ou seria Vice Vicente ?
Talvez então, Vice Versa …….hehehe……. Abçs.

Luiz, tirando a tentativa patética de iniciar sua resposta com uma piada (dada?), e por alguma razão duvidar do meu amor pela SEP, fez um comentário valido, somente se, não existisse algo chamado lei da oferta e demanda.. se a demanda por ingresso for maior que a capacidade do estádio, com 20 milhões de torcedores avanti.. o preço dos ingressos irião subir até a demanda estabilizar.. PRIMÁRIO!!

como esta escrito na arena, logo na entrada,
capacidade para jogos 46.442 espectadores

Remássemos todos para o mesmo lado, seriamos um dos maiores (senão o maior, porque a torcida é numerosa e fanática) clube do mundo. Mas pra isso acontecer uns e outros teriam que ser chamados pelo homem de vermelho. PALMEIRASSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS FIU FIU FIU hoje detonamos o bahia 3×1

Os comentários estão desativados.