Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 11-11-2014: Pescarmona diz ter projeto de R$ 30 milhões em reforços “para começar” ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Pescarmona diz ter projeto de R$ 30 milhões em reforços “para começar”

O candidato da oposição do Palmeiras, Wlademir Pescarmona, comentou nesta segunda-feira alguns de seus planos de reforços caso seja eleito. O ex-diretor de futebol afirmou que tem um projeto com investidores para gastar até R$ 30 milhões no início da montagem do time da próxima temporada.

“Nós estamos com um projeto de conseguir R$ 30 milhões em um fundo de três empresas para montar um grande time. Com certeza a gente vai disputar a ponta, esse é nosso projeto principal. A princípio, são investidores que vão colocar o dinheiro para a gente contratar jogadores. A forma como isso vai ser devolvido será analisada pelo departamento jurídico”, afirmou o candidato, à rádio Globo.

O grupo seria reunido pelo ex-presidente alviverde Luiz Gonzaga Belluzzo, que é vice na chapa de Pescarmona. “Esses R$ 30 milhões são de um aporte inicial, para começar a montar o time. Pretendemos chegar a um aporte de R$ 80 milhões”, acrescentou, sem dar detalhes da proposta.

O candidato ainda reiterou o desejo de contratar um diretor profissional para o departamento de futebol. Rodrigo Caetano, atualmente no Vasco, é o favorito para assumir o posto em caso de triunfo da oposição e tem o nome cogitado também na situação.

“Estamos conversando com profissionais. Rodrigo Caetano, Felipe Ximenes (do Flamengo), Eduardo Maluf (do Atlético-MG)… Conversamos muito com o Rodrigo Caetano, mas ele tem um projeto de subir com o Vasco e vamos aguardar, até porque não ganhamos a eleição ainda. Começamos a conversar com ele em maio, mas guardamos em sigilo para não criar uma saia justa”, completou.

Pescarmona disputará a presidência do Palmeiras com o atual mandatário, Paulo Nobre, em eleição que está agendada para 29 de novembro. Pela primeira vez, o pleito será realizado com votos dos associados. 

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Pescarmona promete investir R$ 30 milhões em reforços

Por Daniel Batista

Candidato à presidência do Palmeiras, Wlademir Pescarmona promete investir R$ 80 milhões em contratações caso seja eleito, R$ 30 milhões deles somente para “para começar”. O dinheiro viria de um fundo de investimentos formado por empresários reunidos pelo candidato a vice-presidente e ex-presidente do clube, Luiz Gonzaga Belluzzo.

“Estamos com um projeto para conseguir R$ 30 milhões em um fundo de três empresas para montar um grande time. Com certeza a gente vai disputar a ponta. Esse é nosso projeto principal. A princípio, são investidores que vão colocar o dinheiro para a gente contratar jogadores. A forma como isso vai ser devolvido, o departamento jurídico vai analisar”, disse Pescarmona, em entrevista à Rádio Globo.

O candidato explica que em seguida, mais dinheiro será utilizado. “Esses R$ 30 milhões são de um aporte inicial, para começar a montar o Palmeiras. Pretendemos chegar num aporte de R$ 80 milhões”, explicou.

Sobre Dorival Júnior, após deixar claro em outras entrevistas que prefere outro treinador no comando da equipe, Pescarmona recuou e afirma que vai decidir o futuro do técnico no fim do ano. O contrato de Dorival se encerra no término do Campeonato Paulista. 

Sobre a relação do clube com a WTorre, empresa que ergueu o estádio do Palmeiras, ele critica a postura de Paulo Nobre e acha que é necessário ver a construtora como uma parceira. “A WTorre tem 11 parcerias com o estádio. O Palmeiras não conseguiu sequer um patrocínio master. Aquilo foi feito para dar lucro, e o Palmeiras não está ganhando dinheiro porque brigou com seu parceiro”, completou.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Candidato de oposição do Verdão promete R$ 30 mi para contratações

O candidato de oposição à presidência do Palmeiras, Wlademir Pescarmona, prometeu um aporte inicial de R$ 30 milhões para contratações, caso seja eleito no próximo dia 29 de novembro – o valor pode chegar a R$ 80 milhões, garante. O dinheiro viria de um fundo de investimentos formado por empresários que seriam reunidos por Luiz Gonzaga Belluzo, ex-presidente do Verdão e vice na chapa.

– Temos um projeto de conseguir R$ 30 milhões em um fundo de três empresas para montar um grande time. A princípio, são investidores que vão colocar o dinheiro para contratarmos jogadores. A forma como isso vai ser devolvido (aos investidores) o departamento jurídico vai analisar. O mais importante para o torcedor saber é que esse dinheiro vai entrar – afirmou Pescarmona, em entrevista à Rádio Globo, nesta segunda-feira.

– Nosso principal foco é o futebol. O Palmeiras nasceu com o futebol e temos de resgatar nossa história. Ser campeão é muito difícil no Brasil, mas nós vamos disputar a ponta. Esses R$ 30 milhões são de um aporte inicial, para começar a montar o time. Pretendemos chegar a R$ 80 milhões – acrescentou o candidato.

A respeito da permanência do técnico Dorival Júnior, que tem contrato somente até o final de 2014, Pescarmona disse que terá de avaliar o trabalho do treinador antes de discutir sua renovação.

– Nunca disse que o mandaria embora. Dorival, hoje, é o técnico que mais se identifica com o Palmeiras. Ele é sobrinho do Dudu (ex-jogador do Palmeiras) e está tentando tirar leite de pedra, porque o time deixa um pouco a desejar.

Sobre Valdivia, Pescarmona foi claro: o chileno deve continuar no Palmeiras nos próximos anos.

– Temos de sentar e conversar para ver como o Valdivia está, o que ele pensa. Com certeza, eu gostaria de renovar o contrato dele. Temos, inclusive, de contratar dois ou três jogadores do mesmo nível para tirar toda essa responsabilidade dele – afirmou.

O candidato de oposição se comprometeu a igualar uma das propostas do atual presidente, Paulo Nobre: encontrar um diretor-executivo de futebol. Rodrigo Caetano, cujo contrato com o Vasco termina no fim do ano, é o preferido das duas chapas. 

– Estamos conversando com profissionais. Rodrigo Caetano (diretor de futebol do Vasco), Felipe Ximenes (Flamengo), Eduardo Maluf (Atlético-MG)… Conversamos muito com o Rodrigo Caetano, mas ele tem um projeto de subir com o Vasco e vamos aguardar, até porque não ganhamos a eleição ainda. Começamos a conversar com ele em maio, mas guardamos em sigilo para não criar uma saia justa – disse.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

•• 

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Palmeiras tem lista de dispensas maior do que a de contratações para 2015

Por Danilo Lavieri

A principal mudança para o Palmeiras de 2015 será a reformulação do grupo, com mais dispensas do que contratações. Paulo Nobre já avisou em entrevistas que a espinha dorsal da equipe já está aí e que reforços pontuais virão. E, para evitar perda de dinheiro com multas, a tendência é que apenas os atletas em fim de contrato saiam.

É importante destacar que essa é a visão da diretoria e não necessariamente a de Dorival Júnior. O treinador já disse que evita falar do ano que vem sem antes da temporada estar matematicamente resolvida. 

Bruno César pode ser colocado como o cabeça da lista. O meia tem contrato de produtividade e, mesmo assim, foi avaliado como um custo-benefício ruim. A demora para que ele conseguisse atingir o peso ideal também pesa na balança contra ele.

Bernardo é outro que não vai ficar. O jogador será devolvido ao Vasco após o empréstimo em que ele não honrou a camisa que diz torcer desde criança. Problemas extra-campo, assim como já aconteceu no Rio de Janeiro e também no Cruzeiro, são pesos contra a continuidade do meia.

A lista ainda terá a dispensa de gringos: Victorino e Eguren não ficarão na equipe. O primeiro mais sofreu com lesões do que conseguiu atuar. Não à toa, sua estreia foi festejada pela torcida. O segundo teve um ano regular, não convenceu e não terá seu vínculo renovado, também por algumas lesões que o tiraram de campo.

Nas laterais, Juninho e Wendel não renovarão. O primeiro já chegou a pedir publicamente para deixar a Academia de Futebol. As mudanças de técnico, no entanto, passaram a dar chances a ele. Já o segundo foi completamente esquecido após a aprovação de João Pedro pela direita. O garoto da base subiu com personalidade e não fez a torcida sentir saudades de seu antecessor.

Marcelo Oliveira deixa a comissão técnica interessada, mas a falta de acerto salarial transformou a negociação em complicada. Ele tem propostas da Ásia e, hoje, a tendência é que ele atue no Japão.

Diogo é outro atleta que está com seu vínculo perto de encerrar e ainda não convenceu a diretoria de que merece ficar. As negociações ainda estão longe de estarem em um estado avançado.

Diferente da situação de Henrique, que tem vínculo sendo encerrado em dezembro de 2014, mas já acertou sua continuidade com a diretoria. O que falta é encontrar o investidor que topará pagar R$ 2 milhões. Mesmo que Paulo Nobre não encontre, ele deve bancar a permanência.

Rodolfo, Felipe Menezes e Weldinho são jogadores que dificilmente jogam, que poderiam ser emprestados, mas não podem entrar na listagem por terem contrato mais longo.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

• Palmeiras tem de pagar mais de R$ 6 milhões para segurar Henrique

Por Fellipe Lucena e Thiago Ferri

Paulo Nobre já avisou que busca um investidor para comprar Henrique no fim do ano, quando o contrato de empréstimo do atacante se encerra. Para completar a negociação, que o dirigente considera estar encaminhada, o Palmeiras precisa exercer a preferência de compra – o LANCE!Net apurou que o clube terá de pagar 2,5 milhões de dólares (R$ 6,2 milhões) para adquirir 50% dos direitos econômicos do jogador. O Mirassol, por enquanto dono dos 100% (ficará com a outra metade após a transferência), alega que ainda não foi procurado.

Internamente, o dirigente já recebeu “conselhos” de pessoas próximas a favor da permanência do camisa 19, que tem 17 gols em 34 jogos pelo Verdão. A média de 0,5 gol/jogo é parecida com as de Barcos (0,508) e Alan Kardec (0,52) no clube. A dupla, inclusive, é um fator que pesa para que se renove com Henrique.

Seria o terceiro goleador que sairia do clube na gestão de Paulo Nobre, que no dia 29 tentará sua reeleição. Vacinado, o presidente Paulo Nobre garante que acertou salários com o camisa 19 e procura um investidor para comprar parte dos direitos econômicos do atleta de 25 anos.

A situação é parecida com a de Alan Kardec, que foi seduzido pelo São Paulo antes que se encerrasse o período de preferência alviverde para comprá-lo do Benfica (POR). Nobre diz que tinha um investidor para pagar o valor pedido pelos europeus. A grande diferença é que não houve acerto de salário, como agora.

Em outros casos, o dinheiro necessário veio do próprio Nobre, que já pôs mais de R$ 140 milhões no clube. A renovação de Leandro foi praticamente idêntica: ele estava emprestado pelo Grêmio em 2013 e teve parte dos direitos comprados, com auxílio do mandatário, neste ano.

Embora tire a torcida do sério ao perder chances claras para marcar gols, Henrique tem o apoio dos palmeirenses. Em enquete promovida pelo LANCE!Net, nesta segunda-feira, 63% dos internautas disseram torcer para que ele permaneça em 2015, enquanto só 37% foram contrários.

O “degolador” foi contratado após o Paulistão para ser o substituto de Kardec, que acabou saindo poucos dias depois. Agora, apesar de trabalhar para mantê-lo, a diretoria planeja começar a temporada com mais um atacante para disputar posição com o artilheiro.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ LANCENET

••

NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

• Palmeiras prepara logística para “resgatar” Valdivia da seleção chilena

Por Marina Galeano

Não vai ser fácil, mas o Palmeiras ainda não jogou a toalha. O clube alviverde continua com esperanças de que Valdivia esteja em campo no clássico contra o São Paulo, no próximo domingo (16), na 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O meia chileno, que depois da Copa, chegou a anunciar sua aposentadoria da seleção pelo Twitter, voltou a ser convocado pelo técnico Jorge Sampaoli.

Nesta segunda (10), Valdivia se apresentou ao treinador e foi recebido com festa pelos companheiros. Nos dias 14 e 18 de novembro, a equipe faz dois amistosos no Chile, contra a Venezuela e Uruguai, em Talcahuano e Santiago.

Antes do jogo contra o Atlético-MG, no último sábado (8), Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, reconheceu que será muito difícil contar com o jogador, por se tratar de uma data-Fifa. Porém, afirmou que “não medirá esforços” para ter Valdivia no clássico.

A Folha apurou que o dirigente estuda algumas possibilidades para trazer o meia a tempo, contudo, tanto o camisa 10 quanto a federação chilena e o treinador precisam estar de acordo.

Após a derrota contra o time mineiro, no Pacaembu, o jogador disse que não abriria mão de representar a seleção nacional, “o sonho da maioria dos atletas”.

Por outro lado, em nenhum momento Valdivia cravou sua ausência no Morumbi no domingo e ainda declarou que retornaria para jogar contra o Sport, no dia 19, na inauguração oficial do novo estádio do Palmeiras.

Embora a logística para “resgatar” o meia seja complexa em função das datas, o fato dele não ter forçado o terceiro cartão amarelo diante do Atlético-MG -já que estaria a serviço da equipe chilena e poderia voltar “zerado” para as próximas rodadas- pode ser uma esperança a mais ao torcedor palmeirense.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ FOLHA ONLINE

••

NOTICIÁRIO ❘ IG ESPORTE

• Prestes a ser inaugurado, Allianz Parque pode ter ponto cego das arquibancadas

Por Gabriela Chabatura

Após mais de quatro anos de espera, o novo estádio do Palmeiras será inaugurado. Na próxima quarta-feira, dia 19, na partida contra o Sport, o Allianz Parque abrirá os portões para a torcida, que como já disse o presidente Paulo Nobre, serão ao menos 43 mil pessoas. Apesar disso, as barreiras que separam a torcida podem fazer essa capacidade diminuir e causar alguns pontos cego na Arena. O diretor de novos negócios da WTorre, Rogério Dezembro, reconhece a possibilidade. 

Allianz-Divisao

Mesmo tendo em mãos o laudo da Polícia Militar que libera a capacidade total do estádio, a WTorre alega que, por questão de segurança, as autoridades devem manter inutilizadas algumas cadeiras que dividem a torcida do Palmeiras e a do adversário. “Já tivemos evento teste para 10 mil pessoas, mas o Batalhão de Choque da polícia diminuiu o número por questão de segurança. Com a sequência de jogos e cuidados com a ajuda da tecnologia (são cerca de 300 câmeras espalhadas no estádio), vamos adequando”, admitiu Dezembro em entrevista ao iG.

Outro entrave são as barreiras que deverão ser fixadas entre os setores. De acordo com a construtora, o estádio foi projetado para não ter separação física, como assim determina o Caderno de Especificações da Fifa, e pode vir a ter lugares com visão para o campo prejudicada. “A Arena hoje, como foi projetada, não tem pontos cegos. No entanto, a colocação dessas barreiras pode fazer com que alguns assentos tenham a visibilidade prejudicada. O ideal seria não ter, e cada torcedor respeitar o seu assento. Isso é questão de educação e vamos lidar com isso da maneira mais tranquila possível”, afirmou.

Embora os empecilhos não afetem a abertura, Rogério Dezembro confessa que as burocracias preocupam. “Preocupa um pouquinho essa questão, porque o estádio não tem de ter barreira. A Fifa pressupõe que cada um respeite o seu assento, mas nós estendemos essa necessidade no início. Por outro lado, não vamos abandonar o objetivo final que é não ter separações físicas”.

A WTorre garante que entregará o Allianz Parque concluído no dia 19. Em fase de abamento, a construtora diz que o prédio de mídia está pronto e que estão sendo colocadas as mobílias no auditório que será utilizado para as coletivas de imprensa. Apenas alguns camarotes ainda não foram finalizados porque os proprietários optaram por customizar a arquitetura.

Sócio Avanti terá prioridade na compra dos ingressos

O Palmeiras priorizará os sócios-torcedores na comercialização dos bilhetes para o jogo contra o Sport. De acordo com o presidente Paulo Nobre, o clube deve disponibilizar a carga de 39 mil ingressos e torcedores com mais frequência aos jogos do time terão privilégios.

“Obedeceremos a um ranking de preferência dividindo os sócios-torcedores em grupos de uma a cinco estrelas. Quem tiver frequência nos jogos de 81% a 100%, dos planos mais caros e que forem Avanti e sócios do clube, serão cinco estrelas. Quem tiver frequência de 61% a 80% ou for do plano de R$ 140, serão quatro estrelas. De 41% a 60% de frequência, três estrelas. E assim segue, sem perder a coerência”, disse Nobre em entrevista à TV Gazeta no último domingo.

Sobre a disposição dos lugares, o mandatário sinalizou que os setores atrás dos gols serão as mais econômicas. “Tem um setor mais popular onde imaginamos que as torcidas organizadas vão ficar, atrás de um dos gols. Os dois jogos que teremos lá neste ano serão testes nos quais podemos corrigir qualquer tipo de problema em conjunto com a construtora”, completou.

Acessos

Ainda não divulgado o esquema de segurança e acesso para a partida inaugural, no entanto, já é sabido que a torcida visitante terá acesso ao estádio pelo portão D, localizado na rua Padre Antônio Thomas.  Os lugares , que já receberam grades, ficam na parte superior da arquibancada e não tem contato direto com a torcida do Palmeiras. 

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ IG ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ ESPN BRASIL

• Polícia ‘tira’ 4 mil lugares no novo estádio do Palmeiras

Por Camila Mattoso

Depois da última vistoria, a Allianz Parque perdeu quatro mil lugares. Se antes tinha a capacidade para receber 43 mil pessoas em uma partida de futebol, agora a lotação máxima será de 39 mil, por causa de uma determinação da Polícia Militar.

De acordo com Walter Torre, presidente da WTorre, construtora do estádio, a decisão tem a ver com a preocupação da PM com a torcida visitante. Em contato com a reportagem, ele disse que vai tentar reverter no futuro.

Na avaliação para liberar a arena para a inauguração, os órgão de segurança pública chegaram a conclusão de que deveria haver um maior distanciamento entre os assentos.

“Na vistoria, a Polícia Militar nos tirou quatro mil assentos. Eles ainda carregam a história atual do futebol. Acho que estão certos, inclusive, com tantas brigas acontecendo. Eles pediram um distanciamento maior entre as cadeiras e nós vamos atender”, afirmou Walter Torre.

“Acho que no futuro podemos mostrar que temos condições de ter essas quatro mil cadeiras de volta. Se a gente conseguir mostrar que nosso estádio não dará problemas, temos condições de sobra para isso. Acredito que podemos reverter”, completou.

O primeiro jogo oficial do Palmeiras em sua nova casa será no dia 19 de novembro, contra o Sport, pelo Campeonato Brasileiro. A partida deve contar com a lotação máxima – os ingressos ainda não foram colocados à venda.

“A WTorre me mostrou, na sexta-feira, um alvará para 43 mil lugares, mas a Polícia Militar dosa alguns por questão de segurança e acredito que serão colocados à venda em torno de 39 mil ingressos”, falou Paulo Nobre, em entrevista para a TV Gazeta, no domingo.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESPN BRASIL

•• 

NOTICIÁRIO ❘ ESPN BRASIL

• Secretário de Haddad defende estádios sem visitantes: ‘Vai ver o jogo na TV’

Por Camila Mattoso

Em meio a discussões sobre como resolver o problema da violência no futebol, o Secretário de Esportes de São Paulo, Celso Jatene, defendeu também a sua tese: que os estádios não recebam mais torcidas visitantes e sejam exclusivos para os mandantes.

De acordo o vereador (indicado pelo prefeito Fernando Haddad, do PT), enquanto os torcedores não aprenderem a se comportar, os torcedores deveriam ver os jogos em suas casas, em vez de mobilizar um grande aparato de policiais, que deixam de ajudar na segurança geral da cidade para acompanhá-los.

“Não existe mais isso. Eu defendo a torcida do mandante. A torcida do adversário tem que assistir ao jogo em casa, na televisão. O primeiro jogo do Palmeiras na Arena do Corinthians levou 2200 torcedores do Palmeiras, nenhum santo, porque santo não vai nesse jogo. Foram mobilizados 550 policiais militares para acompanhar esse grupo. Isso não existe”, disse Jatene, em evento no clube Monte Líbano, em São Paulo, sobre o legado da Copa do Mundo.

“A gente mora em uma cidade que tem gente que não sai de casa com medo de ser assaltado, que tem gente que usa carro blindado, e a gente mobiliza 550 policiais para ter torcida adversária no campo do mandante? Vai assistir ao jogo em casa. Hoje em dia, é uma ilusão achar que o torcedor do Corinthians vai sentar ao lado do torcedor do São Paulo, que eles vão no mesmo metrô juntos. Não vão. O futebol de clube tomou outro rumo. Não vai fazer a menor diferença três mil caras no estádio. Os profissionais estão lá, vão jogar do mesmo jeito. Até que as torcidas voltem a se comportar, tem de ser assim”, completou.

Celso Jatene foi presidente da Torcida Jovem em 1979 e, segundo ele, “era uma outra época para o futebol, com clima de festa e não de guerra”.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESPN BRASIL

••

NOTICIÁRIO ❘ TRIVELA 

• O ciclo das novas arenas está terminando, e cinco perguntas que ainda estão no ar

Por Ubiratan Leal

Dia 19, às 22h. Salvo alguma surpresa, é esse o dia e a hora em que terá fim um grande ciclo de construção de novas arenas esportivas modernas do Brasil. Entre 2007, quando o País foi anunciado sede da Copa do Mundo, e a inauguração do Allianz Parque com Palmeiras x Sport, houve uma onda de obras de estádios. Foram 12 arenas para o Mundial (algumas novas, algumas com grandes reformas) e, para citar apenas as casas de times da Série A, novas estruturas em São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte.

Assim, muita coisa que se imaginou e projetou já virou fato. Com partes boas e ruins, sabe-se muito do comportamento do torcedor brasileiro diante de estádios modernos e confortáveis, da política dos clubes sobre venda de ingressos e rentabilidade dessas arenas como negócio. Mas algumas dúvidas ainda estão no ar. Pegamos cinco delas e tentamos responder durante esta semana.

Segunda: Por que pagar pela Arena tem sido difícil para o Corinthians? → Leia AQUI

Cada vez mais surgem notícias de que o Corinthians, clube que mais fatura no Brasil (de longe, aliás), está com problemas para fechar as contas. E que isso teria muito a ver com o início do pagamento da obra de seu estádio.

Terça: Por que o Grêmio sofre tanto para lotar sua nova casa?

A Arena do Grêmio foi um dos grandes projetos de estádios do Brasil, mas tem sido muito raro o estádio ficar completamente lotado, mesmo em jogos decisivos e clássicos.

Quarta: Por que o custo do Mané Garrincha cresce mesmo depois de a obra estar pronta?

O estádio de Brasília era o mais caro da Copa de 2014 desde o início, mas seu custo ainda tem aumentado.

Quinta: Como a Arena Pernambuco tem vencido desconfianças e vivido bem?

Um dos projetos mais criticados da Copa de 2014 pela distância do centro e falta de necessidade de sua construção, a Arena Pernambuco tem sido um exemplo surpreendentemente positivo nesse seu início de vida.

Sexta: O que o Allianz Parque pode fazer pelo futuro do Palmeiras?

Muitos palmeirenses têm tratado a inauguração do novo estádio como um momento de virada. De fato, o Allianz Parque dá uma injeção de ânimo para o clube, mas o que há de concreto em seus efeitos sobre o futebol alviverde?

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ TRIVELA

••

BLOG DO ALBERTO HELENA JÚNIOR ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

• Verdão e o espetáculo do futuro

No papo com o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, no Mesa Redonda do Flavinho Prado, domingo, surgiu-me uma ideia cuja semente deve estar germinando na cabeça do cartola.

Já que Paulo Nobre está inovando nessa linha de produtividade para estabelecer as relações contratuais entre o clube, seus jogadores e técnico, por que não estender esse conceito com vistas à melhora do espetáculo?

Explico: até agora, os incentivos dados a jogadores e técnico é o velho bicho, com outra roupagem, claro, pelos resultados obtidos. Resultados que se traduzem em vitória, empate ou derrota, não importa a forma como eles se produzam em campo. Joga-se mal na vitória e o prêmio vem; joga-se bem na derrota, ciao e bença.

O que se vê, então, no futebol brasileiro nos últimos anos é um jogo chato, defensivo, cheio de passes errados e muitas faltinhas, tudo isso fruto da síndrome do contragolpe. Ninguém quer perder e pouquíssimos jogam mesmo, de fato, pra vencer.

O espetáculo empobrece, empobrecendo os clubes ainda mais, pois um espetáculo pobre não atrai patrocinadores, muito menos estimula a competição pelos direitos de transmissão pela tv, a maior fonte de receita dos clubes.

Claro que esses calendários estúpidos impostos pelas federações estaduais e pela CBF contribuem decisivamente para esse estado de coisas.

Os técnicos não dispõem de tempo mínimo para preparar seus times e ficam se equilibrando na corda bamba do resultado – se ganham, maravilha!; se perdem, rua!

E assim vai se ampliando o círculo vicioso onde, no fim, todos perdem, sobretudo o torcedor (leia-se consumidor).

Então, por que não tentar quebrar esse círculo de desencanto, abrindo uma nova vertente na concepção do prêmio a ser oferecido pelo clube aos seus atletas e treinadores? Como?

Simples: além do bicho por vitória, um extra por gols marcados pela equipe (não especificamente para o artilheiro), além dos proverbiais dois ou três. Isso estimularia técnicos e jogadores a buscarem o gol do início ao fim, conferindo, pelo menos, mais emoção às partidas. E, mais: bicho também em caso de empate ou até mesmo derrota, se o time, na avaliação da maioria dos observadores, jogou um futebol vistoso, agradável de se ver, sempre em busca dos gols que não se concretizaram por vários fatores aleatórios.

Mas, antes de tudo, é preciso que o cartola escolha o técnico com o perfil exato daquilo que deseja, e ofereça-lhe a garantia de que poderá desenvolver seu trabalho do começo ao fim de um contrato longo o suficiente para que dê os frutos necessários.

No caso do Palmeiras, especificamente, há dois fatores interligados na sua gloriosa história: um palco novinho em folha, o Alianza Parque, e a marca que por si só remete à ideia de excelência no seu estilo de jogo: Academia.

Quem sabe, né, passada a turbulência de hoje, o Verdão volte a ser pioneiro como foi no passado, visualizando um futuro que já devia ser o presente para todos os outros clubes brasileiro?

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ALBERTO HELENA JÚNIOR ❘ GAZETA ESPORTIVA NET

••

BLOG DO COSME RÍMOLI ❘ R7

• “Se for para o Palmeiras ter um dono, o melhor é chamar um sheik como fez o Manchester City. O Paulo Nobre é um pseudo mecenas. Ele põe dinheiro, mas vai cobrar e com juros.” Exclusiva com Wlademir Pescarmona…

“Se for para o Palmeiras ter um dono, o melhor é chamar logo um sheik como fez o Manchester City. E ele compra o clube e monta um time de estrelas. O Paulo Nobre é um pseudo mecenas. Ele coloca o dinheiro do bolso porque é milionário. Mas na verdade só estica a dívida. O clube já deve R$ 300 milhões. R$ 150 milhões para ele. Para ter um time que a maior alegria no centenário é não ser rebaixado. Que administração é essa?”

As declarações são de Wladimir Pescarmona. Em entrevista exclusiva ao blog, o candidato de oposição a presidente do Palmeiras, destrincha a administração de Paulo Nobre. Revela que o quanto Mustafá Contursi influencia a administração, insistindo em jogadores ‘bons e baratos’.

Pescarmona avisa que que muita coisa mudará no futebol se for eleito. A começar por Brunoro. Rodrigo Caetano, que está se desligando do Fluminense, já foi contatado. E será só o começo, se for eleito.

Pescarmona, você é conselheiro vitalício. Tem acesso às contas do clube. Quanto o Palmeiras está devendo?

São cerca de R$ 300 milhões. R$ 150 milhões só para o Paulo Nobre. Isso não existe. Aliás, existiu no XV de Piracicaba com o Rípoli. E com o Marcelo Teixeira no Santos. É inadmissível o presidente colocar dinheiro no clube. Por um motivo que vou explicar para você. O Nobre não pergunta onde vai gastar. Põe os seus milhões onde quer, sem perguntar a ninguém. Ele não está resolvendo as dívidas do Palmeiras. Ele está aumentando de maneira assustadora. E não está doando dinheiro. Apenas emprestando. Depois vai receber de volta até com juro. Isso não é maneira de administrar clube de futebol. Ele age como se fosse dono do clube.

Mas ninguém o questiona?

Não porque ele tem o Mustafá Contursi que controla o Conselho de Orientação Fiscal. É o COF que aprova ou desaprova as contas no Palmeiras. Quando o Tirone era presidente, suas contas eram barradas, reprovadas porque ele era brigado com o Mustafá. Mesmo estando positivas. Com o Paulo Nobre é diferente. Com prejuízo em cima de prejuízo, elas são aprovadas. Só porque o Mustafá influencia as decisões do presidente. Ele é responsável pela política dos jogadores bons e baratos. Essa postura acabou respingando até na perda de Alan Kardec por uma mixaria para o São Paulo. Aliás não dá para esquecer a saída de Barcos, a briga com Henrique. A atual gestão perde ídolos, contrata 36 jogadores e não tem um time. Aliás, vou lembrar a todos. Dos 11 titulares atuais são quatro jogadores da base, quatro atletas que de outras administrações e só três dos 36 contratados. É um absurdo essa gestão do futebol.

Como você pode definir o trabalho do Brunoro?

Ele é o primeiro que tem de ir embora. Só deu certo quando tinha o dinheiro da Parmalat por trás. Não deu certo onde passou. Inacreditável ter voltado ao Palmeiras. O Paulo Nobre não se deu ao trabalho de pesquisar qual era o desempenho profissional do Brunoro. Tudo já começou muito errado. A negociação do Barcos foi muito estranha, para não falar outra coisa. O Grêmio iria dar cinco jogadores. Deu quatro. No total, o argentino rendeu R$ 4 milhões. E o Palmeiras vai e gasta R$ 8 milhões pelo Leandro? (O clube ficou com 64% do jogador.) Depois manteve o Gilson Kleina sabendo que depois de três derrotas todos pediriam sua demissão. Aí vai para a argentina contratar um técnico que não conhecia o futebol do Brasil. Chegou no momento errado. No desespero vai atrás de Dorival Júnior. É um improviso em cima do outro. O resultado é este centenário que estamos vivendo. A maior alegria será ficar na Primeira Divisão. E tem mesmo de comemorar. Por que o trabalho foi péssimo.

Se eleito, o novo comandante do futebol do Palmeiras será o Rodrigo Caetano?

Bom…Ele é um excelente nome e sabe muito como as coisas funcionam de uma maneira vitoriosa no futebol. Gosto demais do seu trabalho. Diria que ele tem 70% de chances se as coisas acontecerem nas eleições. Precisamos reestruturar a maneira de trabalhar no clube. Colocar um diretor de futebol estatutário. Não adianta um presidente querer controlar o futebol para aparecer. E investimentos precisam ser feitos de maneira firme. Não adianta quantidade. Trazer jogador com problemas físicos como Victorino. Com problemas disciplinares como França. O prejuízo fica para o clube. São muitos outros erros por pura incompetência. Infelizmente não há outra palavra que posso definir o Brunoro, incompetente.

O Dorival Júnior continuará sendo o treinador do Palmeiras sob sua gestão? Dizem que você ama o Cuca e o Tite…

Olha…O Dorival Júnior tem contrato com o Palmeiras até o meio de 2015. Foi a opção do Paulo Nobre deixar o contrato tão longo. Sua identificação com o clube é enorme. É sobrinho do Dudu. É muito trabalhador. Já até atuou junto com o Rodrigo Caetano no Vasco. É mentira que eu falei que ele será mandado embora. De jeito nenhum. Mas tudo será avaliado com a minha vitória. Quanto ao Cuca e ao Tite são treinadores que eu fui perguntado se gostava. Respondi que sim. E só. Nem toquei no nome do Dorival. Eu quero fazer uma análise mais ampla sobre treinador e jogador depois da eleição. Diria que o Dorival tem chance de continuar. Não quero me comprometer com técnico agora.

E o perfil do Palmeiras em 2015?

Precisamos ter um time forte. Não um limitado que passa vexames e luta para ficar na Primeira Divisão. Isso é pouco demais. O Palmeiras tem de respeitar sua história, sua tradição de grande campeão que sempre foi. Tenho um grupo de pessoas dispostas a investir R$ 30 milhões no futebol. Esse dinheiro será bom para buscar peças importantes à equipe. São pessoas dispostas a ajudar e não comandar o futebol como acontece com o Fundo Gestor do Santos. Foi o ex-presidente Belluzzo quem conseguiu esses investidores.

Como você analisa o Palmeiras não ter patrocínio master na sua camisa, no ano do centenário?

Outro absurdo. O clube tinha patrocínio quando Paulo Nobre assumiu. Mas ele achava que era pouco dinheiro. E desprezou. Depois demorou demais para conseguir a Certidão de Débitos Negativos. E perdeu a Caixa Econômica Federal. Ela bateu na porta do Palmeiras com R$ 25 milhões. Mas faltou competência para o clube conseguir receber esse dinheiro. O Flamengo com R$ 700 milhões em dívidas conseguiu. O Vasco também endividado. O Corinthians. Só nós que não. É muita incompetência. Dinheiro jogado fora. O diretor de marketing que o Nobre mesmo demitiu saiu falando que não conseguiu patrocínio porque o produto que tinha nas mãos era ‘muito ruim’. Ele falava do time. É triste.

Você ficaria com o Valdivia mesmo já tendo um grave problema com ele? Ele chegou até a ofendê-lo quando você trabalhava no futebol do clube…

Eu amadureci. Sou homem suficiente para conversar com ele, olho no olho. E reconhecer que ele precisa ficar no Palmeiras. É um excelente jogador. Se não fosse pelo futebol, o Palmeiras já estaria rebaixado. O que passou, passou. Hoje eu quero o Valdivia no Palmeiras, contribuindo com o time como ele está fazendo. Sei que ele torce pelo Paulo Nobre. Não tem problema algum. É um craque e não vai sair do Palmeiras. E quero que você lembre nesta entrevista. O Paulo Nobre fez tudo para vendê-lo para os Emirados Árabes. Por pura sorte nós não perdemos o Valdivia. É esse dirigente que preside hoje o Palmeiras.

Qual será a sua relação com as organizadas se ganhar?

Não vou dar regalia para ninguém. Vão ter de comprar ingressos, pagar pelas viagens. O Palmeiras não colocará um tostão. Posso, no máximo, pedir para os adversários reservar ingressos quando as partidas for fora. Mas com as organizadas pagando. Se entenderem isso, ótimo. Se não entenderem, não haverá relação alguma.

Qual o primeiro ato como presidente, caso consiga o cargo?

Vou fazer várias auditorias. Precisamos saber qual é a verdade sobre a situação financeira do Palmeiras. Também desvendar todos os contratos dos jogadores, multas. Ver a situação do técnico. E marcar uma reunião com a WTorre e nos acertar me relação ao estádio. Não adianta continuar com picuinha, de cara virada. Somos homens de negócio. Se há uma divergência sobre o contrato, vamos chamar os dois escritórios que o elaboraram. E cortar o problema na raiz. Somos pessoas inteligentes. Temos um estádio maravilhoso nas mãos. Poderemos fazer um acordo e resolver de vez esse problema das cadeiras. Se perde um pouco agora para se ganhar no futuro. Mas se administra. Chega de perder tempo. O Palmeiras é grande demais para ficar travado. A questão do patrocinador ficará a cargo do grupo de pessoas importantes do mercado que o Belluzzo trará ao clube. Chega de perder dinheiro.

Como é que se compete em uma eleição contra um bilionário?

É a campanha do milhão como o tostão, costumo brincar. Sou dono de uma gráfica e ele pertence a uma família de banqueiros. Eu estou fazendo uma campanha de corpo a corpo com os sócios. Frequento o Palmeiras há muito tempo. Tive cargos importantes. Sei como o clube funciona por dentro. Isso é fundamental para poder presidir esse clube. Tenho apoio fundamentais como o do ex-presidente Belluzzo. Há muita gente envolvida, empenhada. Quando comecei a minha campanha tinha 8% de intenção de votos contra 30% do Nobre. Agora tenho 26%. Ele tem 36%. Mas a diferença vem caindo a cada dia. Além disso há 29% de indecisos. A minha esperança é que entre eles há gente demais insatisfeita com o rumo das coisas. Tenho sim toda a esperança de vitória. Não importa se o Paulo tem muito mais dinheiro. Ele já teve a chance de presidir e fez um trabalho muito ruim.

Se o Palmeiras for rebaixado de novo, o que mudará nos seus planos?

Seria um caos. Para mim, para o Paulo, para o presidente que for. O clube não pode estar na Segunda Divisão em 2015. Como atrair investidores? Como ficaria a nova arena? Seria começar tudo do zero. Não é possível que o Paulo Nobre consiga rebaixar o Palmeiras. Acredito que o Palmeiras tem boa chance de não cair. Restam cinco jogos. Uma vitória e dois empates devem bastar. Mas é isso que eu quero que o sócio do Palmeiras entenda. Lembre que clube é o Palmeiras. E tudo o que representa no futebol do Brasil, do mundo. Não podemos nos contentar em ter R$ 300 milhões em dívidas e ficar sonhando em fugir do rebaixamento. Time que é goleado por 6 a 0 para o Goiás. Humilhado pelo Mirassol. Isso não é o Palmeiras. Aliás, esse é o Palmeiras do Paulo Nobre. Não o meu…

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO COSME RÍMOLI ❘ R7

•• 

COLUNA PAINEL FC ❘ FOLHA DE S.PAULO

Por Bernardo Itri 

• Precavido

Aos pedidos para que Gabriel Fernando, 17, seja utilizado no time principal, o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, responde não querer chamar a atenção de outros times.

• Matador

O atacante é considerado a principal revelação das categorias de base do clube e tem 34 gols no Paulista Sub-17. Seu contrato termina no final de 2015 e o Palmeiras quer renová-lo.

••

105 respostas em “VERDÃO NA MÍDIA 11-11-2014: Pescarmona diz ter projeto de R$ 30 milhões em reforços “para começar” ❘ GAZETA ESPORTIVA NET”

Sobre os 30 milhões: pode ser que os investidores queiram colocar o dinheiro pq confiam na administração do Belluzo. Então seria sim uma condição. Eles não investiram (diretamente) no Palmeiras, mas em um cenário que lhes garante uma possibilidade de maior retorno.

O Paulo Nobre assumiu o 3VV também? Tá tudo meio largado, igual ao Palmeiras.

Caríssimos, essa semana o estagiário estava enrolado. Semana que vem devemos voltar à ativa com o 3VV na Mídia. No fim de semana teremos pós jogo no clássico e coluna opinião. Abraços.

Pra mim o lado ruim dessa notícia de 30mi é o fato dela estar condicionada à eleição do Pescarmona, quando ele deveria correr atrás disso mesmo não sendo presidente, se não ele se iguala à escória política do clube que pensa antes em si e na sua chapa e depois no Palmeiras.

Galera do 3VV saiu de férias? Paulo Nobre comprando votos com ingressos da Arena, sócio do clube que nunca vai aos jogos pode comprar ingresso na “primeira chamada”, Avanti cancelado, plano inútil…

Allan kardec disse estar num ambiente “tranquilo, gostoso”, agora está feliz. Tá vendo Paulo Mustaphá até esse cara que era do Benfica B está tirando sarro nosso. E ainda vão votar no cara.

Para quem teve Sampaio, Flávio Conceição, Amaral, sem falar em Dudu, etc., ficar se preocupando com Marcelo Oliveira. É melhor mesmo investir na sauna.

Paulo Mustaphá já avisou; Se Vaidar tirar o Gabriel do Palmeiras, nunca mais olho na cara dele. Apesar de estarmos de “mal”, papai Mustaphá mandou dar o dedinho para ele, convidá-lo para conhecer nossa sauna.
E ainda vão eleger esse cara de novo.

E Fica a pergunta: quantos conselheiros que foram Contra a Arena… irão assistir de graça o jogo da estréia, junto com os filhotes e amigos?

Absurdo! O presidente do STJD já adiantou que, seja qual for o resultado do caso Héverton, não haverá clube rebaixado. Apenas punição para as pessoas envolvidas no caso, mas não para instituição Fluminense. “- O CBJD prevê punição das pessoas envolvidas nesses casos. Dos clubes é um assunto encerrado. O CBJD não tem essa previsão de rebaixamento. Há na Fifa. A aplicação da Fifa em qualquer caso é excepcional. Ainda é tudo muito especulativo. No eventual do eventual, pode ser que a procuradoria queira defender uma tese que se aplicaria no código da Fifa. E a exclusão só se dá em situações de elevada gravidade, tudo vai depender da prova” – explicou Caio Rocha (presidente do STJD).

Lito, esquecemos do jogador que será o substituto do Valdivia; este jogador será o LINCOLN, pois o Palmeiras ainda deve a ele e o FILHOTE DO DROMEDÁRIO com certeza, achará mais negócio chamá-lo de volta do que pagar a dívida.

Sobre o fenômeno e artilheiro Gabriel… o que li foi que segunda-feira terão outra reuniao entre o Palmeiras e seu empresário. Não penso que o Nobre irá fazer outra cagada e perder justamente pros Bambis. Não se esqueçam que hj, o Nobre odeia os Carlos VaiDar e toda essa corja suja bambi. Portanto, duvido que ele perca essa. Caso faça… será desmoralizado frente a todos, e seria o suicídio politico dele. Li tbm que ele (Nobre) não aceitou que empresas bancassem as luvas do Gabriel. Logo… ele (Nobre) esta’ empenhado nas negociações. No mais… seja quem for o presidente…e mesmo o medroso Nobre já sinalizou que irá mudar a mentalidade em relação a contratações… trocando QUANTIDADE POR QUALIDADE. Foi o que cansei de dizer por aqui. Vendam, troquem, doem… uns 20 desse time/elenco medonho de ruim, e contratem uns 5 acima da média, segurando Prass (mas, tbm buscaria o Jefferson do Bota), pois, Prass esta’ velho e claro, se machuca muito tbm. Seguraria tbm o Valdivia (já que ele esta’ se empenhando agora) + os garotos da base que estão jogando (…e muito bem). Subiria urgente o fenômeno Gabriel…e com certeza, ele seria (SERÁ) o nosso 9…e vai ser o artilheiro desse novo Palmeiras em 2015. Anotem!!!

Aldo, com todo o respeito, mas onde você leu tudo isso sobre o PN, na revista Caras? O Nobre está empenhado apenas em três coisas no momento: ser reeleito, mudar os estatutos como seu “pai” fez a fim de se reeleger eternamente e, finalmente, acabar com a modalidade “futebol” na Sociedade Esportiva Palmeiras. Pode anotar.

PAUno NOBRE A MAIOR FARSA DA HISTÓRIA DO PALMEIRAS. NÃO PODEMOS DEIXÁ-LO FICAR MAIS 02 ANOS. O filhote do DROMEDÁRIO não sabe nada de futebol, é incompetente; é inacreditável este indíviduo dizer que sabe de finanças; comprando Leandro, Mouche, Cristaldo, Weldinho, Felipe Menezes.

Sai Brunoro entra Palaia. Volta Leandro Amaro, Maikon Leite, Vinícius, fica Wendel, Eguren, Bruno, Deola, Lúcio, Juninho Pampers, Marcelo Oliveira, Mazinho etc. Volta também Gilson Kleina.
Parabéns Mustaphá, o Sr. é imbatível. E ainda tem gente que vota no Playboy. Beluzzo Já!!!!

PN fez do Palmeiras um Banco de Investimentos com lucro para si. Jogou no lixo o ano mais importante da historia do clube e ainda tem gente que acredita nele…é impressionante

Na última entrevistas o PN disse esse absurdo….”queríamos ganhar tudo no centenário, mas não deu”…..,,,,,alô cara pálida, me responde como vcs queriam “ganhar” tudo com esse time e vendendo os melhores jogadores?????…..com bastidor fraco, arbitragens, CBF e Stjd usando critérios especiais para o Palmeiras????? ….. Pq não te calas MAGDA????

Como ja era esperado o MP tem indicios ( tem é provas) que a Portuguesa vendeu a vaga , ano passado, para o Fluminense. Obvio, diretores e sabe la mais quem. A torcida, pra variar, so sofreu. E vejam agora como caminha a lusa. Pois EU não duvido que o mumu seja capaz de fazer o mesmo com o PALMEIRAS. É so aparecer a OPORTUNIDADE. Se os socios querem oferecer essa OPORTUNIDADE ao mumu votem no PN. Em dois anos estaremos na serie C. O Paulo Cesar sugeriu que eu o chamasse novamente de INCOMPETENTE. É pouco, pois ele é MAIS que isso. Ele merece RITO SUMARIO feito pela TORCIDA DO PALMEIRAS. Eu não rezaria nem um Pai Nosso pela alma deste fdp. Faria festa uns 3 dias aqui no interior. Soltaria rojão ate cansar. Uma carreata de PALMEIRENSES seria facilmente organizada por aqui. ERVA RUIM GEADA NÃO MATA………..

Quando vejo o Vasco elegendo aquele ser repugnante(fumando a po**a de um charuto) para presidente; é impossível não lembrar do Palmeiras. Criatura tosca, sendo eleita pelos míseros sócios de um clube social, mantendo milhares de torcedores reféns.

ALusa vivia da grana emprestada por Manuel da Lupa. O Paulo Nobre da Portuguesa teve que vender o clube para a UNIMED para receber seu dinheiro de volta.
Paulo Nobre emprestou dinheiro ao Palmeiras. Seria essae presidente aquele que deixará o clube cair para a 2a. divisão todas as vezes que não puder pagar as parcelas do empréstimo ao “dono ” do time, aquele que tem o clube dominado em suas mãos ????
ACORDEM, SÓCIOS ALVIVERDES. DEPOIS NÃO CHOREM…. FORA, PAULO NOBRE.

Paulo Nobre sendo reeleito, já definiu os “reforços” do Palmeiras para 2015: retorno dos emprestados: Leandro Amaro, Mauricio Ramos, Pedro Carmona, Ivo, Tiago Real, Maikon Leite, Vinicius. De novidade só o velho zagueiro gambá Chicão.
Onde poderei vomitar ???

Kkkkkkkk… Paulo Nobre foi de calças arriadas beijar as mãos da Mancha Verde, que ele tanto xingou , criticou e perseguiu.
Tudo isso para angariar votos daqueles torcedores da organizada. ainda bem que a Mancha Verde é antenada e vê que o amador e inútil presidente é um enganador e que após eleição, dará um pé na bunda de todos.

Os comentários estão desativados.