Categorias
Verdão na Mídia

VERDÃO NA MÍDIA 06-12-2014: Valdivia é relacionado contra o Atlético-PR e dá esperança ao Palmeiras ❘ UOL ESPORTE

NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

• Valdivia é relacionado contra o Atlético-PR e dá esperança ao Palmeiras

O meia Valdivia foi relacionado para o compromisso decisivo do Palmeiras contra o Atlético-PR, domingo, às 17h, no Allianz Parque. Embora convocado, o chileno não tem presença garantida em campo em virtude de dores musculares.

Principal referência do meio-campo alviverde, o chileno treinou normalmente na quinta-feira. O Palmeiras dava como certa sua presença contra o Atlético-PR. No entanto, o camisa 10 voltou a sentir dores na coxa na sexta. Ele não treinou com o grupo na sexta e corria risco de ser cortado da lista de relacionados para domingo.

“Valdivia ainda não está apto, treinou ontem [quinta], voltou a sentir a lesão e pode não jogar. Digamos que teve um incômodo e isso daí fez com que o tirássemos do treinamento de hoje. Amanhã ele fará novamente um trabalho para ver se poderá jogar. Estando em condições ele estará em campo, assim como o Tobio, que também sentiu um pouco”, afirmou Dorival Junior na sexta.

O Palmeiras precisa vencer para não depender de outros resultados na luta contra o rebaixamento. Se derrotar o Atlético-PR, permanece na Série A. Se empatar ou perder, dependerá de tropeços do Vitória e Bahia.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ UOL ESPORTE

••

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Com Valdivia, Dorival relaciona 23 atletas para “decisão” no Brasileiro

O Palmeiras pode contar com Valdivia no último jogo da temporada. Em recuperação de uma lesão muscular na coxa esquerda, o meia foi relacionado pelo técnico Dorival Júnior para o duelo contra o Atlético-PR, que será disputado neste domingo, às 17h, no novo estádio alviverde.

Depois de treinar com bola na quinta-feira, o chileno voltou a sentir dores na coxa e foi poupado da atividade de sexta. Neste sábado, o camisa 10 manteve tratamento no departamento médico e não foi a campo, mas mesmo assim foi convocado pela comissão técnica. A escalação do Mago, porém, será definida momentos antes do jogo.

Quem não se recuperou foi o zagueiro Tobio. Com dores musculares na coxa direita, o argentino vai permanecer fora da equipe, o que deve abrir vaga para o retorno de Nathan, que cumpriu suspensão automática na derrota contra o Internacional, em Porto Alegre, no último sábado. Outro que foi vetado é o volante Marcelo Oliveira, que sentiu lesão muscular na atividade de sexta-feira.

As outras baixas já esperadas são os meias Bruno César e Allione, suspensos após terem recebido cartão vermelho no duelo contra o Colorado.

Na 16ª colocação do Campeonato Brasileiro com 39 pontos, o Verdão entra em campo neste domingo precisando de uma vitória simples para não depender de nenhum outro resultado na luta pela permanência na Série A. Os adversários do Palmeiras na última rodada são o Vitória, 17º com 38 pontos, e o Bahia, 18º com 37 pontos.

Confira os relacionados do Palmeiras:

Goleiros: Fernando Prass e Jailson
Laterais: João Pedro, Wendel, Victor Luis e Juninho
Zagueiros: Lúcio, Victorino, Nathan e Gabriel Dias
Volantes: Bruninho, Renato, Washington e Wesley
Meias: Valdivia, Patrick Vieira, Mazinho, Fernandinho e Felipe Menezes
Atacantes: Henrique, Diogo, Mouche e Cristaldo

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

•• 

NOTICIÁRIO ❘ ESPN BRASIL 

• PM avisou organizadas do Palmeiras que terá tolerância zero em jogo decisivo

Por Camila Mattoso

A Polícia Militar se reuniu com as torcidas organizadas do Palmeiras nesta semana e fez um aviso para o jogo contra o Atlético-PR, em duelo decisivo na luta contra o rebaixamento, neste domingo: a tolerância será muito baixa em casos de indisciplina. Toda a equipe de segurança que vai trabalhar na partida tem uma só orientação: levar para a delegacia qualquer pessoa que tentar cometer atos de desordem, especialmente no que diz respeito à invasão de campo.

Cerca de 500 homens e mulheres estarão dentro do Allianz Parque para agir, caso seja necessário. Desses, 250 são particulares, contratados pelo clube, e 250 são da PM. Nos arredores do estádio, mais 300 policiais estarão à postos, contando com a cavalaria e com dois pelotões da Tropa de Choque.

“Eu já me reuni com eles (torcedores organizados) e avisei que não terá tolerância. Quem tentar invadir o campo ou fazer qualquer coisa vai ser preso na hora. Eles estão avisados. Estamos monitorando tudo e com um efetivo muito grande para garantir que tudo saia muito bem. Vai depender deles também”, afirmou o Coronel Balestiero, responsável pela operação deste domingo, em contato com a reportagem.

“Vamos ter a cavalaria e a tropa de choque para nos ajudar. Outra grande preocupação nossa é com o lado de fora, na rua Turiassu. É justamente onde a cavalaria e a tropa vão ficar. A aglomeração ali é muito grande, difícil de controlar”, completou.

De acordo com o coronel, a PM vai tentar fazer uma triagem para evitar a concentração de um grande número de torcedores na rua em frente ao estádio. A ideia é permitir que só aqueles que tenham ingressos em mãos possam entrar no local – vale lembrar que há um shopping na esquina do estádio, além de diversos prédios residenciais ao lado.

O Palmeiras depende apenas dele mesmo para continuar na elite do futebol brasileiro. Com uma vitória, o time de Dorival Júnior está garantido na Série A de 2015, independentemente de outros resultados da rodada.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ ESPN BRASIL

•• 

NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

• Verdão terá patrocinadores pontuais para último jogo do Brasileirão

O Palmeiras vai lucrar mais que o previsto na última rodada do Campeonato Brasileiro. A diretoria do Verdão acertou com dois patrocinadores pontuais para o duelo contra o Atlético-PR, que será disputado neste domingo, às 17h, na arena, pela última rodada da competição nacional.

A Cimed, indústria farmacêutica, vai estampar sua marca nas mangas da camisa, enquanto a ConstruJÁ, empresa do varejo de material de construção, terá seu nome posicionado na parte de trás do uniforme palmeirense.

Além dos acordos pontuais, a expectativa no clube é de faturar alto com a bilheteria. No jogo de inauguração, as mais de 35 mil pessoas que acompanharam a partida contra o Sport deram ao Verdão uma renda de R$ 4,9 milhões. Apesar do valor do ingresso ter diminuído em alguns setores para o duelo deste domingo, o Palmeiras espera por uma arrecadação milionária.

Leia aqui a matéria completa → NOTICIÁRIO ❘ GLOBO ESPORTE COM

••

BLOG DO VALDOMIRO NETO ❘ LANCENET 

• Palmeirense não quer nem imaginar a altura de novo tombo

O palmeirense não quer nem imaginar a altura de um eventual tombo no domingo. Sua alma já está por demais perfurada, castigada pelas amarguras dos últimos anos. Um terceiro rebaixamento em pouco mais de dez anos soará como sadismo da cartolagem alviverde. Claro, se acontecer o desastre no novíssimo estádio lotado e diante de um adversário desinteressado, a passeio, não será o fim do mundo, a grandeza não se esvai assim. Vimos neste ano, o do centenário,  a força da torcida verde-e-branca em diversos momentos. E torcida é o maior dos patrimônios de um clube. Mas terá sim um sabor de Allianzzazo, parodiando o logo mais famoso das dores nacionais. A moderníssima arena, erigida no exato espaço do antigo Palestra, vai apenas para seu segundo jogo e deve ser o palco do soerguimento, não de mais um solavanco.

Tudo esta posto para o Verdão escapar, mas gato escaldado… Depois de ver o time começar 2014 com vigor, aparecendo como candidatíssimo ao título paulista, o palmeirense praguejou contra a sina maldosa que o tem acompanhado. Ela veio em série: perda para o Ituano na semifinal, saída de Kardec para rival, passagem-relâmpago de técnico argentino e um time dependente de Valdivia, jogador que saiu sem nunca ter saído  em atrapalhada negociação com time árabe. Para o apaixonado pelo Palmeiras, foi excessivamente salgada a trajetória dos últimos meses.

Em 2002, a queda veio no último ano do Brasileiro de turno único, sendo que no primeiro semestre a equipe havia feito bonito papel no Torneio Rio-São Paulo e perdido a vaga na decisão por conta do número de cartões (!!!) contra o São Paulo. Em 2012, o abismo deu as caras na sequência do título mais relevante que o clube conquistou em uma década: uma Copa do Brasil. Se o azedume instalar-se no domingo será por simples acúmulo de azedumes. Depender das próprias forças tão-somente dá a sensação de alguma segurança. Ainda mais com a especificidade de jogar em casa diante de time da zona morta da tabela. A goleada que o Vitória sofreu para o Flamengo foi, nesse ponto, abençoada. Ela entregou ao time a responsabilidade por seu destino.

O que deixa torcedor e crítica encafifados é que na partida de abertura do novo estádio o rival estava também já pensando em 2015 e o time perdeu. Pior, sem marcar um mísero gol – o Verdão ainda é virgem em sua linda nova casa. Ajuda a aumentar o receio a quantidade de vezes em que o clube afundou diante de evidente favoritismo, desde a Inter de Limeira na final do Paulista de 86 até eliminações para ASA (ALA) e Santo André na Copa do Brasil. O palmeirense lotará o estádio por razão de vida ou morte, por amor, por atração pelo novíssima casa, por devoção clubística… Ele vai ao jogo com o coração ansioso e a alma calejada. Roerá as unhas com a boca cheia de amargor por infelicidades recentes mas também conhecedora da grandeza do clube. Ele só não quer ter que imaginar a altura de um eventual tombo.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO VALDOMIRO NETO ❘ LANCENET

••

BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL ESPORTE

• Palmeiras: um domingo de tensão, mistério e reflexão

A impressão que se tem, mais de 30 mil ingressos antecipadamente, é a de que a torcida do Palmeiras prepara a celebração de uma grande conquista. Que irá ao seu novo estádio com prazer. Como nos tempos de glória.

Heroica torcida. Que, na verdade, vai a campo mesmo aflita. E não pelo prazer das épocas de Academia, mas por sentir-se obrigada neste difícil ano do Centenário, a gritar e ajudar o time para evitar o pior- o rebaixamento, que seria o terceiro em 12 anos, no mais pífio desempenho de quem já foi um grande Campeão:

“Vou lá, não aguentaria ficar em casa. Mas tenho medo”- disse-me um palestrino velho de guerra, que confessa estar preocupado com a lesão de Valdivia e nem um pouquinho animado com a história de que o Atlético Paranaense virá com uma equipe quase toda reserva, pois se lembra que o mesmo aconteceu na derrota para o Atlético Mineiro só com um (o goleiro Victor) como titular.

Outro palmeirense que conheço muito bem, também acostumado aos grandes times do Palmeiras que viu jogar, rechaça esse tipo de adrenalina. Em homenagem às conquistas: “Se o Palmeiras ganhar, vou festejar o que? Que escapou do rebaixamento?”- argumenta,

No fundo, este outro amigo também está nervoso.

É a tensão.

Tensão que os mistérios- Valdivia joga ou não? Como jogam os meninos do Atlético? Como se sairá o Santos  contra o Vitória sem Robinho, Arouca e Mena (todos machucados)?- só fazem aumentar, pois a campanha do Palmeiras neste Campeonato é de assustar.

E vem a reflexão, diante de tantos sustos: mesmo que se salve da degola- e essa, em minha opinião, é a tendência-, é preciso rever conceitos e métodos, promover uma Cruzada para que o Palmeiras retome a sua condição de vencedor. Fazendo justiça à sua História. Como se fosse um perdão pelos últimos anos de insucessos e à aflição de um Centenário melancólico.

Leia aqui a matéria completa → BLOG DO ROBERTO AVALLONE ❘ UOL ESPORTE

••

COLUNA DO ANTERO GRECO ❘ ESTADÃO ONLINE

• Corações valentes

Lia a reportagem dos amigos Ciro Campos e Daniel Batista, nesta edição, a respeito do punhado de rapazes que, de uma hora para outra, foi jogado numa fogueira bem ardente no Palmeiras. Nem todos serão escalados por Dorival Júnior para iniciar o duelo decisivo contra o Atlético-PR, no domingo, numa tarde para não esquecer no novo Palestra. De qualquer forma, o grupo significa quase meio time. E não é moleza a missão que lhe caberá.

Victor Luís, Nathan, Renato, João Pedro e Gabriel Dias são verdes, ainda, na profissão, em média têm baixa rodagem. Trocadilho tosco à parte, em situação normal ganhariam espaço discretamente, de leve. Sabe como é? Uns minutos no fim de partidas, outros a partir do intervalo, uma substituição de titular suspenso ou machucado, etc. O procedimento padrão, paulatino, para que se acostumassem com as exigências da equipe principal e para que a torcida também os conhecesse. Sem pressão, sem pressa.

Mas, como se trata de Palmeiras, não há como imaginar o amadurecimento por etapas. A situação desandou ao longo da temporada, a queda na tabela foi pior do que a do nível do Cantareira, o clube fez água. Por isso, a saída foi recorrer aos jovens das categorias de base. O garoto é bom? Então, vem pra cá, pega a camisa, entra no time de cima e seja o que Deus quiser. O processo foi mais ou menos esse.

Por sorte, e por competência, todos mostraram qualidade e nenhum se escondeu nos momentos agudos – que, na verdade, são todos aqueles em que o Palmeiras está em campo. Sem craque em vista, o potencial de crescimento existe e ficou claro que podem render muito, desde que ocorra reviravolta. Quer dizer, tendem a jogar mais se toparem com fase serena e para cima.

Pena que se exija o que talvez não estejam em condições, ainda, de mostrar. E, se a tragédia do terceiro rebaixamento se confirmar, entrarão no rolo junto com os mais experientes. Em todo caso, há aspectos positivos e negativos na jovem tropa de choque palestrina que encara a fúria do Furacão.

O lado bom: parece que finalmente o trabalho de garimpagem de talentos surte efeito lá pelas bandas da Academia. Faz tempo que o Palmeiras não lembra do gosto de colecionar pratas da casa. Concorrentes vira e mexe tiram peças de valor da algibeira, enquanto do lado alviverde só se fica a chupar dedo e com uma interrogação no rosto. Qualquer um que conheça o bê-á-bá do futebol sabe que um elenco diversificado se constrói com jogadores de fora e, sobretudo, de dentro.

A parte ruim: se os moços foram convocados na emergência, sinal de que os que estavam à disposição não deram conta do recado. Exato. O Palmeiras economizou ao fazer com que um ou outro – Alan Kardec e Henrique, o zagueiro – escapasse e investiu num pacote enorme, de profissionais daqui e de fora, que não deu em nada. Ou pior: desembocou no drama atual. A enésima demonstração do que já escrevi aqui: contratar de baciada nunca é sinal de ousadia, mas de falta de perspectiva e de planejamento.

Ao palmeirense, agora, resta torcer para que Valdivia esteja minimamente inteiro, que Henrique volte a acertar o gol. E que a nova geração mostre que tem coração valente. (E faça umas promessas. Não custa…)

Leia aqui a matéria completa → COLUNA DO ANTERO GRECO ❘ ESTADÃO ONLINE

••

23 respostas em “VERDÃO NA MÍDIA 06-12-2014: Valdivia é relacionado contra o Atlético-PR e dá esperança ao Palmeiras ❘ UOL ESPORTE”

Considerações sobre o Aliianz Parque: Agora no domingo, às vésperas do jogo (12h30) acessei o site do futebol card para ver as cadeiras ainda disponíveis no estádio. Percebo que todos os setores estão esgotados, exceto os setores mais caros (oeste e leste inferior), que ainda têm muitas cadeiras vazias (certamente pelo preço cobrado). Em virtude disso, teremos um estádio semi-lotado (deve dar uns 33 mil) mas com a impressão de um vazio no meio (logo onde a TV capta a imagem ao longo do jogo – leste inferior). A minha angústia é saber se o Allianz Parque vai pegar o exemplo nefasto do Mineirão e simplesmente inviabilizar a lotação das cadeiras leste e oeste inferior cobrando preços abusivos. Se isso acontecer será uma lástima… Alguém tem a mesma preocupação minha?

Caindo ou não, hoje lá pelas 20:00 já tem que encostar um ônibus na Turiassu e levar embora pelo
menos uns 20 pseudo jogadores que vestiram nossa camisa nesse ano tão importante, e que até
sexta-feira se apresente pelo menos 5 jogadores que tenham a mínima condição de vesti-la.

É hoje……. o mico do século 21, no ano do centenário e motivo de chacota por mais 100 anos……………ou escapar da degola. Espelho do profissionalismo instalado no clube. E os contratos por produção fantásticos….. se paga “prêmio”, para n cair.

No fim do jogo mesmo ganhando eu vou vaiar todos, principalmente os jogadores.

Sei lá, eu estou com dúvidas se o Palmeiras cai ou permanece na série-A do brasileiro? Se cair é por merecimento por tudo que o Palmeiras deixou de fazer durante a temporada de 2014. AQUI SE PLANTA AQUI SE COLHE.

Falta total de planejamento, que começou no exato
momento da confirmação do retorno à série A
e manutenção absurda do GK como técnico,
aliada à politica de se contratar muita gente ruim
a um custo elevado, certamente beneficiando pessoas
físicas em detrimento da SEP.
E não vejo, infelizmente, perspectivas de melhoras
no curto prazo, ainda que o presidente tenha percebido
que, sem a máquina, não teria sido reeleito.

Só resta pedir a San Genaro e Nossa Senhora Achiropita uma ajuda divina.
O time do Palmeiras é muito ruim e fraco e pelo que foi visto hoje , o time do Criciuma engrossou o jogo para os gambás e como o Atlético-PR é muito melhor que o Criciuma , então só nos resta rezar.

small club ajudado mais uma vez e o tal casagrande e pco, como gambás comentando e relativando o gol anulado do crisciuma……. MAS QUEM É AJUDADO SEGUNDO ALGUNS PALMEIRENSES…… é nosso time, afinal se o time é ruim, n se pode reclamar de arbitragem. Nem Freud explica isso.

E o Santos vai jogar sem Robinho e Arouca, Sérgio….. e nessa hora nenhuma kfuro ou jornalista “ético” fala nada. E n tem 1 homem nesse clube chamado Palmeiras para rebater isso.

Há anos, décadas não há dirigente palmeirense que honre as calças que veste. Todos têm sido omissos e covardes diante das maldades e mentiras que os “jornalistas” perpetram contra o Palmeiras. De Mustafá a Belluzzo.

Já estou em São Paulo, direto de Londrina
. Amanhã será dia de conhecer o Allianz Parque e ver o Verdão permanecer na primeira divisão.

Luís Fernando Tredinnick , sou palmeirense desde 1980 , quando eu tinha 7 anos de idade. Hoje com 41 anos , eu vejo o pior Palmeiras desde então. Não iremos cair. Não pelos nossos méritos em permanecer na série A , porque merecemos a queda. Dessa vez , iremos permanecer em razão do que não será licito , em razão do que é errado. O Atlético-PR vai entregar o jogo. E isso , no âmbito competitivo é errado e feio. Uma pena. A nossa apaixonada torcida não merece tal sofrimento. Só deixo uma pergunta. Quando será que iremos ver o Palmeiras no topo da tabela ? Conquistando títulos importantes como Campeonato Brasileiro ? Taça Libertadores ? Mundial ? Grande abraço

Tenho algo a dizer. Todo mundo confia demais no Valdívia, sendo que esse joga muito QUANDO QUER mas, toda vez que o Palmeiras precisa fundamentalmente dele, ele está sempre AUSENTE, seja por estar machucado, seja suspenso por cartões amarelos, seja servindo a Seleção do país dele, seja não jogando NADA, como já demonstrou nos clássicos, sendo que nesses casos sempre arruma uma contusão ou um cartão, para NÃO jogar o jogo seguinte, se for um jogo ou um adversário importante.

Eu NÃO acredito no chinelinho.

Evidente que Valdivia está sem condições de jogar, pelo tom das reportagens. Se atuar, será no sacrifício, o que nunca deu certo no caso dele. Paulo Lixo, já providenciou a mala bem branca pro Santos?

Os comentários estão desativados.