Categorias
Opinião

Opinião: contrato, aluguel, quem vai estender a mão?

 

Por Vicente Criscio

O primeiro post do ano mexe no formigueiro da relação WTorre e Direção palmeirense.

O motivo: vazou a partir de uma reunião do COF que o Palmeiras receberá apenas R$ 59 mil pela participação dos dois shows do Paul McCartney no Allianz Parque.

Alguns mais surpresos, outros mais coléricos, e poucos ainda politizando o tema.

Afinal como podemos receber tão pouco?

Pois bem, sem dados concretos para analisar – uma vez que eu não sei por quanto a WTorre fechou o aluguel do estádio com os produtores e muito menos tenho informação do Palmeiras sobre realmente quanto entrou – vou apenas conjecturar, com o risco de estar errando para um lado ou para outro.

Primeiro, alinhando o entendimento. (e escrevo em outra cor para aqueles que já entenderam o modelo de negócios poderem ir direto ao ponto lá embaixo).

O Palmeiras cedeu à WTorre um terreno (com um estádio velho em cima) e recebeu um estádio novo, padrão FIFA, e dois prédios para o clube social. Nesse contrato – onde a construtora investiu R$ 600 milhões – o Palmeiras recebe 100% do valor dos ingressos dos seus jogos (e tem o direito absoluto de dizer qual o valor desse ingresso, uma vez que o Palmeiras é o dono do “conteúdo” que vai entrar em campo). Tem ainda o direito a receber um percentual crescente das receitas de propriedades de marketing da Arena comercializadas pela WTorre (Supply Rights, Naming Rights, whatever rights).

Quando se tratar de um evento fora do futebol, o Palmeiras recebe um percentual fixo (20%) da receita que a WTorre conseguir quando alugar o estádio. Aí nem Palmeiras e muito menos WT têm o direito a definir valor do ingresso e outras receitas. O “dono” do conteúdo é a banda ou quem quer que alugue o estádio. A receita a ser compartilhada com a SEP é o percentual do aluguel. Ou seja, se o show do Paul gerar 100 mil pessoas a um ticket médio de R$ 200 por pessoa, o Palmeiras NÃO TEM direito a essa receita. APENAS à receita do aluguel.

Pois bem. Imbróglio e arbitragem à parte (a briga é pelo número de cadeiras) o valor que o Palmeiras tem a receber é muito claro. No caso de shows, 20% da receita.

Aqui cabe um esclarecimento. Quando o contrato estava em fase de confecção – e muita gente acompanhou isso, inclusive gente hoje lá dentro da gestão – entendeu-se que era melhor pro Palmeiras um percentual das receitas do que um percentual dos resultados. Por quê? Porque ser sócio no resultado aumentaria o risco da SEP. Então definiu-se uma regra em uma participação da receita. Ou seja, se durante o ano a WT não tiver lucro, azar dela. Ela repassa um percentual da receita pro Palmeiras e acabou. O risco de negócio é 100% da Construtora.

Senso assim deixe-me deixar claros para aquela turma que sai falando que eu defendo a construtora: eu NAO defendo a Construtora. Eu defendo o MODELO DE NEGÓCIOS que é o melhor que podia ter sido feito no Brasil para esse tipo de negócio e defendo uma relação GANHA-GANHA com a Construtora. Deixando claro e  bem entendido que ela ganha dinheiro com a Arena e não com o Palmeiras. 

Muito bem, voltando ao aluguel do Paul. O contrato é objetivo: 20% da receita que a WT conseguir. Se a WT alugar o estádio por R$ 1,5 MM para um show de dois dias, o Palmeiras receberá R$ 300 mil (menos impostos). Se a Construtora alugar por R$ 300 mil, o Palmeiras vai receber R$ 60 mil. Os custos de manutenção da Arena e gastos anuais para mantê-la atraente para esse tipo de evento, é da construtora. O Palmeiras não participa da despesa. Participa apenas da Receita.

Logo, a primeiras conclusão: o contrato não é nem culpado nem inocente sobre os R$ 59 mil. Se for realmente esse o valor repassado ao Palmeiras, cabe saber se o contrato foi de R$ 300 mil.

O ponto é: foi barato? Sim. Parece pouco. Um show num Morumbi tem – se não estou enganado – uma tabela de R$ 1,2 milhão. Claro, vai depender do momento da negociação, pode ser mais, pode ser menos. Se a WT cobrou 25% do valor do que deveria, pode ser por uma estratégia comercial (inaugurar a Arena com o Paul? Fazer um evento ainda em 2014?); pode ser que fosse o último show do ano e melhor colocar 300 mil no bolso do que terminar o ano sem show. Pode ser muitas coisas.

Claro, há sempre os mais entusiasmados que acusam a construtora de fraude. Acho improvável. Começaria assim a relação entre WT e Palmeiras? Com um contrato fraudado? Por causa de 100 ou 200 mil reais? Complicado. Eu não acreditaria nisso. Mas, mas, mas, para quem acredita nisso, o contrato prevê auditoria. Qualquer parte que se sinta prejudicada pode exigir uma auditoria. Mais fácil ainda. Pode ir lá – diretor, presidente, o porteiro – e questionar. Por que esse valor? Qual foi a motivação para alugar a Arena por esse preço?

Mas o que me parece é que há uma predisposição para se encontrar problema nesse casamento de 30 anos. E se parece que o Palmeiras tem que ficar atento a essas negociações, e estar muito próximo da “parceira”, também me parece pouco inteligente atacar a “parceira “, o contrato, a Arena, etc.

Por quê? porque não é assim que gente grande faz negócios. Não é assim que empresas se associam por 30 anos. E principalmente: não se faz esse tipo de barulho na mídia. É contra a nossa instituição. Nenhuma empresa quer associar sua marca a um time de futebol com diretoria e torcida belicosa contra parceiros. Já estou mais careca de falar sobre isso aqui nesse espaço. Isso é um anti-marketing.

Mas e como fazer num caso desses? Simples:

i. Auditoria. Sempre. Até para garantir a governança do relacionamento. É direito do Palmeiras e a WTorre não pode e nem vai querer ser contra. Auditoria e gente competente (mas competente mesmo) do lado do Palmeiras para entender e agregar a esse relacionamento.

ii. Relação cada vez mais próxima entre as partes. Importante a diretoria da SEP acompanhar, estar presente, e a diretoria da WT dar o espaço, para que do lado palmeirense se possa entender as decisões de negócio da construtora, até para sempre estar alinhada e esclarecer ao ilustre COF e demais poderes sobre os valores.

O que NAO SE DEVE FAZER: vazar e dirigir a tropa de choque contra o parceiro nas redes sociais. É pouco inteligente. Já passa da hora das duas partes estenderem as mãos uma para as outras.

E tá na hora de parte da torcida e afins parar de atacar o parceiro sempre que pode. Não parece, mas tem agência de marketing esportivo se divertindo com as pérolas do twitter. E cada vez mais distante do Palmeiras.

Concorda?

Vamos em frente. Mais uma vez, feliz 2015. Make history!

 

 

 

86 respostas em “Opinião: contrato, aluguel, quem vai estender a mão?”

Tecnicamente a Arena, em que pese as condições de contrato, pertence à WTorre. Ela aluga como quer, pelo preço que quer, não é assim? Ao Palmeiras cabe acompanhar a negociação. E receber o que foi combinado. Nada mais, nada menos.

Como sempre, magistral.
Tenho certeza que a WTorre já sabia no que estava se metendo quando assinou com o Palmeiras.
No fundo ela sabe que o Palmeiras é eterno mas seus políticos não, principalmente a velha-guarda.
Por isso esse barulho ainda deve durar mais alguns anos até que:

1- Ou cansem de dar murro em ponta-de-faca, pois os contratos estão aí e a nossa justiça não é das mais rápidas, nem nosso jurídico tão competente assim;

2- Ou literalmente enfraquecerão à medida que o seu contingente for sendo diminuído naturalmente pelas leis da vida.

“Os cães ladram e a caravana passa”

… e seeegue o jogo!

Concordo com praticamente todo texto e com os elogios da maioria dos outros leitores; além da obvia necessidade do presidente e diretoria do Palmeiras passarem a se relacionar com a W.Torre muito melhor (mesmo com arbitragem em andamento).

Mas dois pontos ainda me parecem problemáticos e emblemáticos no caso:
(i) A falta de Transparencia – por sinal marca registrada do Palmeiras em suas diretorias recentes; e pelo jeito também do parceiro. O show já foi faz tempo, esse valor já deveria ter sido divulgado e explicado (ex: a W.Torre dizendo ser algo inicial pra garantir o Paul). Fosse assim evitaria muito do diz que me diz; aí vaza na impressa é fica a polemica; pior, ninguém vem confirmar o desmentir e isso só aumenta a boataria!
(ii) A constatação clara que a politica comercial e de preços para eventos (e shows) é da W.Torre e só dela; como explicado no texto isso já era sabido por quem estava a par do contrato, mas a julgar pela reação era pouco claro para a torcida as reias consequencias disso. Fato é que a parceira poderá definir o valor do aluguel pelo seu interesse comercial e que pode envolver outros beneficios junto ao promotor do show, no próprio evento ou em outros – e isso não terá como nenhuma auditoria esclarecer ou interferir.

A questão da auditoria é só pra confirmar se realmente o aluguel foi só 300 mil, ou se a wtorre recebeu o grosso do valor por fora, pra excluir o palmeiras do rateio. Não confio no walter torre e, pelo que li desde que iniciaram as tratativas há vários anos para a construção da arena, ele me parece ser uma pessoa indigna de confiança. quem acompanha desde o início, sabe muito bem que a construtora negociaria apenas as 10 mil cadeiras especiais, mas o walter torre tá querendo tomar o estádio todo, na mão grande.

Sim, nada contra a auditoria.

Mas se a W.Torre fizer um acordo com uma empresa de eventos que, por exemplo, compre X unidades da W.Torre em um prédio comercial e, por isso tenha condicao melhor para ter Y shows na Arena (só como um exemplo; sabemos que o seu Walter Torre é bem mais criativo).

É algo que está no direito deles fazer comercialmente e a auditoria se conseguir mostrar, pois ela nao terá acesso ao acordo adicional, mostrará o valor baixo do aluguel.

O grande ponto é o que o Palmeiras pode fazer para tentar garantir que a W.Torre pratique preços de mercado (ou prox. dele pelo menos) nos alugueis? Além de contar com a boa vontadade do parceiro.

Tem que fiscalizar, mas infelizmente, pelo contrato, acho que não dá pra fazer muito mais que isso…. realmente dependeremos da boa fé (???) da construtora. De qualquer jeito, mesmo que os shows rendam pouco pro palmeiras, cada evento realizado no allianz parque causará um enorme prejuízo às moçoilas do jardim leonor, que ficarão sem alugar seu panetone.

Vicente, boa noite. Concordo em 100%. Seria muito inteligente por parte do atual presidente se aproximar da WTorre, da AEG e de todos que vão estar na “nossa” casa nos próximos 30 anos. Somo sócios, não inimigos. Como o contrato é de 30 anos, espero que os próximos presidentes ou até mesmo esse que esta aí passe a participar dessa discussão. Quem vai ganhar? O Palmeiras.

É óbvio que a construção de uma moderna arena, sem custo algum, foi um excelente negócio para o clube. Nisso ninguém, nem mesmo aqueles que inicialmente eram contra, discorda. Só que não podemos tratar a construtora como uma parceira que não pode, em hipótese nenhuma, ser contrariada. Se as opções para um show desse porte são a nossa Arena e o Panetone, sendo nossa arena mais atrativa, tendo melhor estrutura e localização, é claro que não podemos aceitar que seja cobrado um aluguel correspondente a pouco mais de 10% do que eles cobrariam (foram duas datas), nem mesmo sob a alegação de que era para apresentar nossa Arena para esse tipo de evento. Concordo plenamente com o trecho que diz “o Palmeiras recebe 100% do valor dos ingressos dos seus jogos (e tem o direito absoluto de dizer qual o valor desse ingresso, uma vez que o Palmeiras é o dono do “conteúdo” que vai entrar em campo”, só acho uma pena a empresa parceira não pensar assim e o caso ter ido ao tribunal arbitral. Não sei como funciona a parceria W. Torre/AEG, se o lucro com os eventos é distribuído entre ambas (nesse caso um aluguel simbólico não afetaria a arrecadação e aumentaria o lucro, sendo o Palmeiras o único prejudicado) ou se a primeira recebe somente pela locação do estádio (recebendo bem menos do que poderia por cobrar um preço tão baixo). Eu, particularmente, não ponho a mão no fogo por nenhuma dessas grandes construtoras que prestam serviços para estados e municípios, recebendo por obras públicas. Devemos sempre defender s interesses do Palmeiras, e não dos grupos que se acham donos do clube. Graças a Deus um dia esses nomes passarão (Mustafa, Nobre, Pescarmona, Beluzzo, Gilto, etc.) e o Palmeiras continuará.

Eu realmente não consigo entender a tática do Mustafá. Ele detona o negócio visando atingir o Belluzzo. O Belluzzo é tão ameaçador pra ele assim lá dentro do clube? Ou seria uma forma de tentar diminuir a pressão em cima de seu fantoche, que não consegue montar um time que sequer lembre o verdadeiro Palmeiras e ainda assim aumenta a dívida? Muito estranho. Com relação ao contrato: O Palmeiras tinha o Palestra Itália ultrapassado, com problemas estruturais e gerando despesa. Hoje É PROPRIETÁRIO (a Wtorre só tem a superfície) de um moderno equipamento multiuso, que gera receita, não exige despesa com manutenção e é um dos poucos elementos (se não for o único) que gera orgulho à torcida e alavanca a imagem do clube como potência do futebol. Qual seria a desvantagem? Rolava corrupção nas despesas de manutenção antes? Ou puro jogo de política para tentar fazer parecer negativo este grande legado que a administração do Belluzzo conquistou para o Palmeiras? Falando com toda a seriedade, tenho sérias dúvidas se esse fão clube do Paulo Nobre realmente torce para o Palmeiras. E tenho muita desconfiança de que muitas “opiniões” são originárias de gente paga por agências de marketing pra fazer isso, como ocorre na política partidária no Brasil…

Peço perdão pelo uso da palavra, mas o Mustafá é um CÂNCER no Palmeiras, é um tumor maligno que precisa ser extirpado definitivamente, como fizeram com o Dualib no timinho.

Caro Vicente Criscio, Parabéns, pelo texto esclarecedor, e realmente, o Palmeiras e a torcida, não devem praticar o anti-marketing, Jamais!

Antes gastavam 200 a 400 mil por mes com o velho Palestra,agora tem lucro,o pior é o vazamento dos numeros prá imprensa,em negocio boca fechada é o melhor negocio.Precisamos apreender é a negociar jogador Henrique fica vice artilheiro do brasileiro aqui e saí de graça,o clube não ganha nada???? Wesley sai de graça,Barcos sai de graça e o gremio hoje quer 12 milhōes por Barcos.O Allianz Parque vai trazer receita de varias formas, engrandece a marca e a estima dos palmerenses.

RAFAEL MARQUES chegando. O tal do Nobre está conseguindo montar um time pioer que o de
2014. Enquanto ele
não rebaixar o time não vai sossegar.

Confesso que gostaria de saber QUEM promoveu os shows do Paul lá no Allianz Parque? Teria sido, por acaso, a AEG que é parceira da W Torre? Me parece um tanto estranho que, em eventos do porte dos citados, a remuneração da W Torre seja, quase que EXCLUSIVAMENTE, o aluguel das dependências da arena. Realmente, melhor seria a contratção de alguma empresa respeitável de auditoria para verificar não só o valor do aluguel como as condicões de contratação e as empresas envolvidas.

Parabéns Vicente, como sempre é muito bom ler suas opiniões a respeito dos assuntos do Palmeiras. Auditoria, sempre. Relação cada vez mais próxima entre as partes. Dois pontos chave para esta parceria funcionar. Espero que o Nobre e seus gestores deixem a vaidade de lado e tenham boa vontade de fazer essa parceria com a WTorre prosperar. E vamos com calma pessoal, não dá para sair cobrando o mesmo que se cobra no Morumbi logo no primeiro show. Com certeza os valores vão aumentar, isso será ótimo tanto para o Palmeiras quanto para a WTorre.

Concordo com tudo o que foi colocado, mas penso também que se for estratégia da WTorre poderia explicar para a SEP, inclusive antecipadamente. Se não conversarem vai dar merd….

Pois é. Daí a importância do que o Vicente destacou no texto, relação próxima entre as partes e auditoria. Com isso não tem erro, é garantia de bons negócios tanto para o Palmeiras quanto para a WTorre.

A essa diretoria continua enganando a todos. Durante as eleições , prometeram (O PAULO MOLE PROMETEU) alguns craques …e o mesmo dizia que teria que mudar a mentalidade de time pequeno o qual o Palmeiras se encontra. Daí …ele venceu !!! E contrataram uma baciada de cabeças de bagres, mas… com os capacitados diretores abonando (assim como o Brunoro fizera). E a desgraça toda ainda não terminou, pois, vem aí o “matador” Rafael Marques. E com a permanência do Maicon Leite, daremos uma boa vitamina…pois, já temos outro “matador” , o Leandro Banana. Só sei que…a torcida já esta’ de saco cheio dessa ncompetencia toda…e o Avanti parou de subir logo depois que a torcida se viu enganada e com esses rumores do PÉSSIMO RAFAEL MARQUES ser o nosso 9. E vai despencar ainda mais…basta começar os jogos e a torcida ver que esses medianos jogadores não servem. Pessimismo meu??? Não!!! Realismo. Pois, essa palhaçada vem há décadas…e nunca aprendem. Na verdade…eles sabem muito bem… mas, pra encherem os bolsos deles, tem que contratar esses perebas de esquemas de agentes, e coloca’-los na ainda vitrine Palmeiras.

Isso para mim meu caro ALDO LONDRES não é novidade é eu sei que a torcida está sendo enganada, más tem palmeirenses (Nobretes) que acreditam cegamente nessa administração Paulo Mole!!!

O Palmeiras é o dono da Arena, mas cabe a administração á WTorre, pelo menos é isso que tem nos passado. Porém se o Palmeiras é o dono, independente do que for acordado , é obrigação do Palmeiras ter a gestão mutua, ou seja, uma co-gestão.

Marcos infelizmente não e isso que diz o contrato. Por trinta anos a Administracão da allianz parque e exclusiva da w torre, com participação do palmeiras nas receitas.

Vicente Criscio, bom dia, sua análise é sempre lúcida, concisa e direta. Eu realmente gostaria de entencder porque este tipo de visão falta do lado dos que hoje estão do lado da diretoria.

Show Vicente, mais uma AULA sobre SEP / WTORRE / ARENA. Realmente é lamentável ver esse tipo de atitude (Gestão PN) usar a mídia bandida para esse tipo de coisa.

E não concordo com essa história do ganha-ganha. Como assim? Vamos aos fatos: 1-Ficou claro agora, que a Wtorre poderá colocar o preço que lhe convém nos shows. 2-Sendo assim, será um baita negócio pra Wtorre empurrar o Palmeiras a jogar sempre fora da arena e ter as datas livres pros shows, pois, o valor repassado ao Palmeiras será ínfimo…mesmo ela pagando a taxa do deslocamento ao Palmeiras, compensaria pra ela. 3-Sobre as despesas da arena em jogos do Palmeiras, ainda gostaria de saber o verdadeiros custos ao Palmeiras, pois, não ficou claro e esmiuçado os tais 420 mil cobrados na inauguração. Pois, a imprensa não se cansa de afirmar que o Palmeiras pagará aluguel pra jogar na arena. E se o Palmeiras pagou pelas caríssimas manutenções da arena (que diziam que não pagariamos) e esses tais 420 mil não foram despesas operacionais (CBF, arbitragens, INSS, etc), pela alta renda gerada, aí sim…não estamos ferrados…pois, será mais vantajoso voltar a jogar no Pacaembu. Digo isso…pelo simples fato do Palmeiras (e tbm os rivais) terem uma média de renda em torno de 500/600 mil (brutos), com exceção aos Gambás, que tem um pouco mais, 800 mil/jogo (bruto). E só compensaria o Palmeiras jogar na arena, caso a renda fosse acima de 2 milhões. 4- E nesse barulho todo…a Wtorre ainda briga pra ter 100% das cadeiras cativas. Portanto, sou muito sincero e estou cabreiro em relação a essa “parceria” , e temo o que estou pensando: da mesma ser GANHA (WTORRE) E PERDE (PALMEIRAS). Espero estar enganado.

Pois é, e no último jogo realizado no Allianz Parque, contra o Atlético-PR, só o item “DESPESAS DIVERSAS”, do boletim financeiro do jogo no site da CBF, tem o valor de R$ 492.061,26. Daria pra pagar um mês de salário para o nosso chileno chinelo.

Aldo a wtorre é a principal interessada em aumentar o preco do aluguel, já que a maior parte do dinheiro vai pra ela. Se ela cobrar barato pra ferrar o palmeiras, ela também estará se auto-ferrando, isso me parece burrice demais, e burro o Walter torre não é. Pode ser safado, mas não e burro!

Se o Walter Torre não quis rasgar $$$ …pq então alugou a arena por 300 mil? Sendo que o privadao bambi custa 1,2 a 1,5 mi? Não esta’ algo errado nisso não? Ele pode até ter feito isso. Mas, o que me deixa intrigado e’ o fato do Palmeiras não se resguardar juridicamente sobre isso. E já temos o problemão das cadeiras cativas… que foi o maior vacilo. Portanto, se o Walter Torre puder colocar os preços que lhe convém, o Palmeiras perderá milhões e milhões em 30 anos.

Concordo com vc, vamos esperar o próximo show pra ver o que acontece! Quanto as cadeiras, o advogado que assinou o contrato pelo palmeiras é juridicamente analfabeto, ou então foi comprado, nem mesmo um aluno do primeiro ano de direito assinaria um contrato tão mal feito. É a mesma coisa que assinar um contrato para construir um prédio sem fixar o número de apartamentos que o prédio terá!

Mas acho que é uma faca de dois gumes. Se cobrar mais barato, a W Torre perde dinheiro, se cobrar mais caro, perde o evento pros Bambis.

Peço licença ao amigo Andrey pra republicar sua resposta, que é um exemplo simples que explica o ganha-ganha:

Andrey Cabral Meira Reply on 05/01/2015
“Testo”?! “Negócio mau feito”!!!!!! Ok, vamos supor que você tem um terreno que você só usa pra jogar bola. Vem um cara e se propoe a colocar grama e deixar tudo ok pra você se divertir desde que ele utilize aquele espaço para alugar pra festas. Quando ele faz as festas você tem direito a 20% do aluguel das festas e não gasta nada. Ele se propoe com toda a manutençao do terreno. Isso é mau negócio?! E mais você ganha 5% das bebidas e alimentos que ele vende no evento. Você tá manjando mesmo, o esquema mesmo era ficar com terreno todo sujo e crescendo mato.

Eu não acho que a WTorre rasga dinheiro e nem ia ser imbecil a ponto de apresentar valores diferentes dos negociados com o aluguel do estádio. Creio que trata-se de uma estratégia de marketing.
Agora o que importa mesmo nisso tudo é o barulho que se faz nas redes sociais por isso, quando deveria ser tratado internamente.
Essa parceira foi rejeitada por muita gente no clube. Gente rançosa e belicosa que por razões políticas dificultarão sempre as relações com um parceiro de 30 anos.
Esse é o Palmeiras.

Acho que o Palmeiras só errou (assim como no caso das cadeiras cativas, que foi pessimamente mal feito) não ter colocado uma cláusula nesse contrato de aluguel de shows. Um valor (teto) mínimo a ser cobrado por grandes shows e eventos. Pois, se a Wtorre quer fazer “promoções”… que desconte na sua parte e não do Palmeiras. Mas, de cara.. essa idéia da Wtorre em cobrar somente 300 mil pelo show (caso se confirme) foi infeliz em todos os sentidos, pois, tanto o Palmeiras tanto a nossa torcida esta’ com o saco cheio dessas possíveis armações do Walter Torre. Pois, esse Walter… de bobo não tem nada!!! E quando e’ conveniente pra ele, o mesmo se “alia” e “joga” pra torcida palmeirense …mas, quando não lhe e’ favorável ($$$) ele some. Sinceramente, eu acho que essa parceria já nasceu falida, morta. E a única saída seria o rompimento (se e’ que seria possível). E rezo pro Walter Torre vender pra outra empresa interessada… ou o Palmeiras (sei lá como…) arrumar um jeito de comprar o empreendimento. E não vai demorar muito pro próprio torcedor palmeirense começar a boicotar a arena. Aguardem!!!

Para mim, errou apenas no que diz respeito a não determinar um valor mínimo para shows (acho que deveria ser R$ 100 mil). Quanto a parceria, num todo, achei ótima.

100 mil? Tá louco? Se for 100 mil/show pro Palmeiras …arrumem uma forma de quebrar esse contrato …que mesmo pagando uma multa absurda, ainda compensaria pro Palmeiras. Vc deve estar zoando.

Pois se só temos direito a 20% do aluguel, e os Bambis cobram R$ 1,2 mi., se alugarmos pelo mesmo preço deles, o Palmeiras só lucrará R$ 240 mil, isso sem descontar os impostos. Também acho R$ 100 mil pouco, mas do jeito que já está acordado, o Palmeiras não ganhará esse valor em nenhum show. E se alugar pelo mesmo valor, ou igual ao Panetone, levaremos chapéu das meninas também fora do futebol.

O contrato não pode ser quebrado, foi feita uma escritura de superfície em favor da wtorre com prazo de 30 anos, isso é mais do que um mero contrato. Não tem como pagar uma multa e enxotar a wtorre. Eles tem direito sobre a área e só saem se quiserem, ou seja, o palmeiras teria que comprar o allianz parque . E certamente não tem dinheiro pra isso. E com certeza a wtorre não tem interesse em vender, já que é uma mina de ouro para eles. Mas o palmeiras não pôs a mão no bolso e já começou a receber dividendos, isso é inegável.

Veja os gambás, terão que pagar 100 milhões de reais por ano, não estão recebendo nem o dinheiro da bilheteria, que vai todo pra pagar a construtora do gambazao. Isso mesmo com a ajuda do boiola kassab que deu mais de 400 milhões pra eles. Vão ficar quinze anos na merda pra pagar aquele lixo, nós estamos lucrando desde já.

Até concordo. Mas como foi o primeiro Show (E coloca SHOW nisso), a Arena foi apresentada ao MUNDO! Isso pode ser auditado pelo Palmeiras. Essa parceria pode ser proveitosa para AMBOS, basta ter boa vontade das partes.

Com certeza isso é picuinha daqueles que não se conformam em ver nosso estádio como está atualmente. Paulo Nobre deverá pedir para o Tirone e o Frizzo cuidarem disso.
Vai verdão!! Cadê o patrocínio, cadê o Alexnadre Mattos, cadê os reforços???

Não poderia ser melhor explanado, parabéns! O modelo é bom, há pontos que poderia ser melhor, más não podemos negar que o Palmeiras em 2015 será o clube com mais receitas graças à sua nova casa!!!! lamentável ver esses abutres da política palmeirense passando esse tipo de informações (e de outros tb) para esses blogueiros carniceiros. Não consigo entender qual é o “ganha-ganha” nisso”!!! Isso como sempre é um “perde-perde” prá SEP.

Mas não é realmente estranho alugar uma propriedade nova e melhor localizada por 25% do valor de mercado (em comparação à segunda opção viável)?
Fui a um dos shows e além do valor do ingresso ser elevado, os produtos comercializados também eram caríssimos (cerveja a R$10).
Não haveria como a construtora dissimular parte do valor do aluguel em maiores participações em outras receitas do promotor do evento? Afinal, para esse ultimo o que interessa é o valor final pago e a w/torre receberia a “outra parte do aluguel” sem ter que repassar ao Palmeiras. Por isso, acho que cobrar explicações é essencial, embora concorde que tornar o fato público e explora-lo politicamente é uma idiotice.

Acredito que seja falta de comunicaçao Léo. É melhor faz um evento por 300 mil do que não fazer. Além do que valeu o teste. O valor é pequeno neste primeiro momento, mas acredito que nos proximos quando o estádio estiver bem divulgado e como um ambiente confiável o valor irá aumentar para um patamar mais elevado.

Cobrou pouco para apresentar a estrutura, além do nivel do show, uma grande estréia, o valor foi estratégia, plantaram para colher em 21015.

Concordo que não deve ser feito nenhum anti-marketing nas redes sociais contra os parceiros. Mas o que você faz de divulgar esses números para a comunidade palmeirense também é uma forma de incentivar essa atitude. Por exemplo, se você não tivesse colocado isso aqui, eu não saberia e acredito que 99% não saberia disso. E pra falar a verdade, só quem deve saber sobre esses números é a diretoria, porque sabemos que bom senso é relativo e cada um tem o seu.

Os números vazarem pela imprensa “comum” é uma coisa, agora vazar pela “imprensa palestrina” é outra. Vocês da mídia palestrina continuam prestando um desserviço para o Palmeiras.

Caso você prefira desserviços da mídia não-palestrina basta sintonizar em qualquer canal de esportes (tv aberta ou a cabo) ou entrar em qualquer portal de notícias na Internet. Por aqui você vai encontrar predominantemente gente que pensa no Palmeiras, mas que antes de tudo pensa.

Ótima análise Vicente, parabéns! Quando essa notícia saiu, acompanhei o barulho que foi (uns xingando o Belluzzo, outros o Barcos, outros a W Torre e por aí vai) e sua opinião veio na hora certa, servindo tanto para acalmar os ânimos e explicar o contrato (de novo!!!) mas também para mostrara situação com olhos mais clínicos e “ponderados”.

Com essa postura não há patrocinador que se atreva a nós apoiar. Eu não associaria o nome da minha a marca Palmeiras. Tudo que fizemos nos últimos tempos (times fracos, organizada violenta, agressões contra jogadores, perda de mandos, vazamentos dos bastidores) só gera distancia entre nomes fortes e SEP.
O blog está correto: está na hora de reverter isso, de se tornar mais profissional e menos passional.

Este testo me parece justificativa para encobrir um negócio mau feito. Quem assinou o contrato é que deveria vir a publico e responder por que que o palmeiras esta sendo aparentemente lesado. Cade o sr Beluzo que se caga por ter feito um “grande negócio” ele deixou o clube afundado em dividas e com um pessimo contrato nas mãos.
Que Deus salve o palmeiras porquê seus politicos são pessimos.

“Testo”?! “Negócio mau feito”!!!!!! Ok, vamos supor que você tem um terreno que você só usa pra jogar bola. Vem um cara e se propoe a colocar grama e deixar tudo ok pra você se divertir desde que ele utilize aquele espaço para alugar pra festas. Quando ele faz as festas você tem direito a 20% do aluguel das festas e não gasta nada. Ele se propoe com toda a manutençao do terreno. Isso é mau negócio?! E mais você ganha 5% das bebidas e alimentos que ele vende no evento. Você tá manjando mesmo, o esquema mesmo era ficar com terreno todo sujo e crescendo mato.

Caro Reginaldo, seu comentário infelizmente é típico de quem quer tumultuar, ou criticar, sem saber do que está falando. Quem assinou o contrato com a WTorre foi o Della Monica, e não o Belluzzo. E quem assinou a escritura de superfície (confirmando o contrato) foi o Tirone, e não o Belluzzo. Ambos filhotes políticos e capachos do Mustafá, criador do “bom e barato”, que nos levou duas vezes à serie B e quase nos fez cair outras três.

Nossa diretoria, quer que um investimento de 630 milhões saia de graça durante 30 anos !!!é isso que da administrar um clube como se fosse a mercearia da esquina !!!!cof–cof–cof– só tossindo mesmo !!!

Achei legal e corretas a colocações. Só pergunto o seguinte a SEP se pronunciou oficialmente sobre o caso? A SEP questionou oficialmente a WTorre? Ou mais uma vez são conselheiros ou mesmo a mídia ‘gambazista’ aproveitando-se do fato de que o Palmeiras, como sempre, vive de ‘crises’ causadas pelos seus próprios conselheiros, membros da diretoria e seguidores.

Enquanto isso, o time está para se reapresentar, algumas perebas foram embora, mais uns 150 volantes foram adicionados ao elenco mas nada das peças-chave (um zagueiro que deixe Lúcio gozar plenamente sua aposentadoria, um meia que nos livre da Valdívia-dependência e um atacante que não tenha apenas canelas) aparecerem. Todo mundo tem dívidas, todos estão com o pires na mão mas o Palmeiras continua colocando as dificuldades na frente de qualquer ação mais ousada. Outro dia no horário do almoço ouvi dois senhores palmeirenses conversando, e enquanto um falava sobre as “porcarias” que estavam chegando, o outro dizia que o importante era não cair. Até quem viu um Palmeiras vencedor está se conformando com a mediocridade que essa gestão moderna quer implantar definitivamente como a cara do clube.

Esta certíssimo no seu comentário, o PN tem que colocar uma pessoa junto com a WTorres e acompanhar tudo de perto e se acharem algo errado ja resolve na hora e sem ficar divulgando na mídia, não ajuda nada ficar brigando na mídia e os torcedores ja saírem detonando por hipóteses sem provas, isso só vai prejudicar o Palmeiras.

Mais uma vez, direto ao ponto. Parabéns Criscio.
Aliás, o Palmeiras é o único com estádio novo tendo lucro desde antes do estádio ficar pronto.

Didatico, claro e direto.

Sera que alguem ainda nao entendeu o que fazer para fazer o Palmeiras maior e melhor?

Parabens Criscio !!!

Boas Vicente, o que dizer…. mais uma vez o post é elucidativo, educativo e explicativo, parabéns. Eu particularmente não sabia que a SEP ficava com 20% da RECEITA, de qualquer forma, contrato como este não existe no país. Se quiser pode somar um terceiro prédio, o da sauna, que encheram o s.a.c.o. para fazerem. O atual presidente do Santos falou que se quiserem fazer uma arena na baixada para eles, só aceita se for nos moldes da nossa. A verdade é que o negócio é ótimo para os dois lados, é só o Palmeiras (principalmente) para de beicinho e se unir com a parceira que ai ninguém segura. O clube estava sucateado, é o que eu sempre digo, quem era contra era porque tinha algum esquema lá. abração, parabéns mais uma vez.. I´m working hard,..

Sensacional Vicente! Se a “deretoria” participasse ativamente do negócio, poderia alavancar muitas receitas. Ao invés de alardear no mídia o “diferencial arena”, acabam prejudicando o parceiro e, como disse, afastar interessados nesse filão. O que mais me entristece é que somos o único clube no estado com essa possibilidade de negócio, mesmo assim, nessa pista sem concorrência o Presidente consegue capotar o carro!

È perfetto! Texto sensacional e opinião tão boa quanto, o nivel ta subindo aqui, gostei…

O Engenhão é um exemplo de como é pesado para um clube manter uma Arena, é caro e os dirigentes brasileiros não tem competencia para isso (vejam os nossos, que nao conseguem um patrocinio master a 2 anos), imaginem como seria DIFICILIMO manter as estruturas, organizar eventos e equacionar valores. O contrato onde a SEP não tem custos para manter a Arena, além de receber pelos eventos que o parceiro consegue é muito bom, não sei de nenhuma destas novas Arenas com contrato parecido para gerar receitas, todos estão fadados a se tornarem como o primeiro que citei. A unica parte que cabe a SEP são sobre os serviços onde ela é a realizadora do evento, os jogos, e ja vemos despesas caras e lançadas como diversas nos balancetes, portanto antes dos suditos da nobreza reclamarem da WT, é melhor eles pedirem explicações para os pares antes que passem vergonha.

Os comentários estão desativados.