Categorias
Opinião

A dívida dos clubes; ou então, vocês do fim da lista vão ficar quietos?

 

Por Vicente Criscio

A semana teve como destaque a medida provisória que trata da renegociação das dívidas dos clubes de futebol com a União. Nada mais nada menos que R$ 3,7 bilhões em dívidas com a União. Doze grandes clubes de futebol devem R$ 1,59 bi em dívidas fiscais (veja quadro abaixo de matéria da Folha de SP de 21/01/2015).

Captura de Tela 2015-03-22 às 10.11.37

A renegociação é de pai para filho. Pagamento de 2% a 6% nos primeiros 36 meses e o restante da dívida a ser paga entre 10 e 20 anos.

Como contra partida um monte de coisas que deveria ser obrigação de um clube, e não moeda de troca para um alongamento de dívida desse porte.

Minha opinião sobre isso? Absurdo.

Mas não é um absurdo só porque o Governo toma uma atitude paternalista e financia com dinheiro público ineficiências e desmandos dos clubes.

É também um absurdo porque o Governo – aí sim deveria ter um papel fundamental – faz vistas grossas contra os atuais problemas do “sistema futebol” como um todo.

Primeiro, permite que uma emissora de TV funcione como um monopólio para a transmissão de jogos de futebol do campeonato brasileiro, ofendendo qualquer princípio da livre concorrência e livre escolha do cliente (no caso, o torcedor, que quer opções para assistir os jogos do seu time).

Permite ainda uma concentração de renda em dois clubes de futebol baseado em critérios superficiais de pesquisas pouco confiáveis e dados de audiência que podem ser impulsionados em função de escala de jogos. Populista e aleatório.

Segundo, o Governo não aplica a lei. Se o clube deve impostos, cobra! É o método mais eficiente de fazer qualquer um pagar sua dívida. Há que se ter a mesma regra que se usa para uma empresa. Por exemplo, se uma empresa deixa de recolher alguns meses o ISS ela é proibida de emitir Nota Fiscal, asfixiando qualquer possibilidade dessa mesma empresa gerar receita para pagar funcionários ou mesmo tributos. Se não recolhe FGTS, seus diretores podem ir preso.

Por que no futebol não é assim?

O que quero destacar aqui é que não vai se atacar a causa se o Governo financia as dívidas dos clubes e pede contra partidas (que sabemos nunca serão cumpridas). Estão dando Novalgina prá febre, mas não estão atacando a infecção.

A causa se ataca se e somente se alguma mente iluminada mostrar que o futebol brasileiro tem que ser reinventado no todo. Mudança de calendário possibilitando os clubes se integrarem ao futebol europeu, mais rico e mais organizado; desconcentração da tv, com um modelo de divisão de cotas de direitos de transmissão mais equilibrado (que tal analisarem o modelo inglês?); seriedade na CBF e no futebol, fazendo o que tem que ser feito (rotatividade do poder; transparência do STJD; arbitragens confiáveis; cumprimento de regras – remember Fluminense e sua blindagem anti série B); e por último mas não menos importante, tirar os clubes de futebol das mãos de amadores descompromissados com as regras de negócios e da boa governança.

Aí pergunto: quem quer liderar isso? Quem vai atacar a causa da febre? O Governo vai querer colocar a mão nessa cumbuca? Nunca.  O Flamengo, 2o maior devedor? O Bom Senso? por favor….

Terá que vir dos líderes dos clubes de futebol. Terá que vir dos Presidentes essa cobrança. De preferência de quem não tem nada a perder, dos que devem menos e não precisam, em tese dessa festança. Dos clubes que não ganharam títulos porque pagaram impostos e não se reforçaram. Porque acreditaram que o sistema punia aos inadimplentes, e não os agraciava.

Simples: passa uma régua a partir do nome do Palmeiras da lista dali de cima. De R$ 1,59 BI nas mãos de 12 clubes, 5 deles (Palmeiras, Santos, Grêmio, Cruzeiro e SPFC) devem R$ 200 milhões.

Esses deveriam ser os primeiros a cobrarem seriedade. Juntos possuem mais de 20 títulos brasileiros. Provavelmente juntos possuem uns 30-40 milhões de torcedores. E vão aceitar passivamente esse passa moleque do Governo a favor dos clubes cariocas e ao Corinthians?

Fica a pergunta!

Saudações Alviverdes! Boa semana.

***

Leia mais:

Na Folha.UOL: Dívidas de 12 grandes do futebol passa de 1,5 BI;

No Estadiovip.com: Ranking de dívidas tem flamengo campeao;

Blog do Rodrigo Mattos: Dívidas dos clubes aumentam em 2014.

 

21 respostas em “A dívida dos clubes; ou então, vocês do fim da lista vão ficar quietos?”

Vicente, suas colunas são sempre no ponto.
Faço votos de ainda te ver presidindo nossa SEP. Qto a essa MP do futebol, isso é 1 descalabro; 1 tapa na cara dos empresários que trabalham honestamente nesse país, bem como dos clubes que levam a sério suas contabilidades. Obviamente, trata-se de MP populista, e q será devidamente alterada na Câmara dos Deputados pela famigerada “bancada da bola”. De tudo, aposto que a única coisa que deverá ser mantida é essa mamata pros clubes renegociarem suas dívidas a perder de vista. Infelizmente.

Augusto obrigado. Desculpe a demora na aprovação da moderação. Nesta 3a e 4a feira a “redação” tirou férias. Abs

Uma pergunta ???? Considerando as dividas acima relacionadas, como que essas tais clubes conseguem buscar recursos na Leis de Incentivos para construir centros de treinamentos, pista de cooper, etc. Os bambis conseguiram 20 milhoes para fazer o CT de Cotia e mais 4 milhões para reformar a pista de cooper do panetone. Idem para Flamengo, Atlético, Cruzeiro, e outros?

Vicente, quase sempre concordo com a suas opiniões, no entanto desta vez vou discordar! Essa MP se passar com os principais pontos, e não ficar nas mãos do STJD definir quem vai perder pontos ou ir para as 2ª divisão por falta de pagamentos é benéfica. Pois, esses times que estão endividados hoje continuariam fazendo a mesma coisa(não pagando impostos) se não houvesse punição esportiva. Acho que diante do contexto atual, a MP é melhor do que nada. Não nos iludamos que o governo iria hoje cobrar imposto e falir um clube. Isso não aconteceria! É só lembrarmos da escravidão, o que veio primeiro? A lei do ventre livre, depois de muito tempo aí veio a abolição e mesmo assim ainda demorou algumas décadas para a pratica ficar restrita a poucos lugares. Na minha opinião essa MP é como a lei do ventre, é um inicio de um processo longo que não terá mais volta, por isso acho melhor isso mesmo que em tese puna os bons pagadores do que continuar na mesma.

De toda a matéria, me causou espanto o sumiço da dívida bambi.

Lembro como se fosse agora que, quando se começou essa discussão (o cara de areia mijada pedia que a dívida fosse perdoada), os bambis tinham uma dívida TRIBUTÁRIA próxima da nossa.

Os números saíram pelo Estadão. Agora a Folha some com a dívida bambi? Folha = Bambi.

Na mosca Criscio !!!!! E o Palmeiras deveria tomar papel de protagonismo desta pendenga… Mas faltam homens, competência e vontade !!!
Abraço, FC

É verdade que houve um amplo favorecimento aos cariocas e ao SCCP e Atlético-MG, mas, de certa maneira, também ao Palmeiras. Com as receitas polpudas que o Verdão terá já a partir de 2015 esse parcelamento nos deixará em situação bastante tranquila. E os R$ 73 milhões acabarão por ser pagos muito antes do prazo de vinte anos. Tudo está favorecendo o Palmeiras de uma maneira impressionante. Dívida com o Pualo Nobre, com juros “de pai para filho” e a longo prazo; dívidas com o governo, idem. Dívidas restantes, acredito eu que sejam de cerca de R$ 100 milhões, serão pagas, no seu devido tempo, sem sustos, com as vultosas receitas do clube. Portanto, o Palmeiras tem tudo para ser hegemônico no Brasil. É só administrar corretamente o clube.

Reynaldo, o final de seu texto “o Palmeiras tem tudo para ser hegemônico, é só administrar corretamente o clube” esbarra no mesmo problema de sempre. Já deveríamos ser hegemônicos há pelo menos duas décadas, quando a Parmalat passou por aqui e deixou um legado que um certo presidente dilapidou em meses. Por acaso você sabe quem ainda manda no clube, e quais as possibilidades da ganância e dos interesses particulares falarem novamente mais alto?

Só há uma saída! A criação de uma liga independente de CBF, RGT, Governo e Andres Sanches.

Texto perfeito, concordo com a opinião exposta. Não é possível que times tenham deixado de pagar impostos para montarem seus times e agora sejam contemplados com tal medida. Enquanto o Palmeiras sofreu para renegociar suas dividas com o governo a fim de obter sua certidão que o possibilita de ter incentivos governamentais para os esportes olímpicos, por exemplo.
Isso é um tapa na cara de quem é honesto neste país, e em nenhuma hipótese essa medida pode passar impune. Me sinto desrespeitado como cidadão e como torcedor de um clube que sempre procurou trabalhar de forma honesta.

Perfeito no exto (como sempre). Ainda bem que temos você como conselheiro da SEP.

Não existe união entre os clubes. Cada um olha pro seu orçamento e nem se preocupa com o rival. O gambá fez isso quando rachou o clube dos 13, mais preocupado em todo esse esquema que os levantaram como uma das maiores potencias às custas da polarização das receitas de TV entre eles e o o Flamengo. Me dói na alma quando alguém fala que queria um presidente no Palmeiras como o Sanchez. Reorganizar os grandes clubes pode emperrar nessa questão pois os 2 maiores beneficiados vão lutar contra a formação de uma liga ou a volta do clube dos 13 como era anteriormente.

Haha. Criscio você perguntou e já respondeu. Se essa medida passar como esta, considero bastante improvável, o Governo já ajudou e muito, mais do que deveria. Agora, as outras questões que você elencou, devem partir dos próprios clubes. Aí a situação fica tão difícil quanto no Congresso. A desunião dos clubes é algo absurdo e retarda o desenvolvimento do futebol brasileiro. Resta esperar pelas cenas dos próximos capítulos.

Perfeito Criscio, na minha opinião talvez um de seus melhores post. Essa é a função da mídia palestrina, fazer seus torcedores pensarem e verem as diferenças de tratamento entre os clubes. Se todos disputam um campeonato com as mesmas regras e neutralidade, aquele que for mais competente e formar a equipe mais equilibrada e objetiva será a campeã. O small club está há 6 meses sem pagar a outra metade do salário do Pato, por exemplo (a rgt deu garantias ao SP de que pagaria a outra metade)……e existe uma lei há anos no Paulista e agora nessa tal lei de responsabilidade, de que quem não pagar salários…perde pontos……… mas ninguém da tupiniquim press lembra disso, pq não é o Palmeiras……………não pagaram imposto de 2010-12 e com a grana poupada foram campeões da Libertadores…. a rgt oferece um serviço péssimo para o torcedor, quando se trata do futebol. Favorece alguns times, só tem comentaristas e torcedores destes nas transmissões, os ajuda nas crises, paga mais para eles e ainda obriga o torcedor a ir ao estádios, sem conforto às 22 h da noite. Para isso, existe um ESTATUTO DO TORCEDOr, mas como tudo no brazil, é apenas um papel. …….. e em 2016, pagará 100 milhões a mais para 2 times, só para ter uma idéia, o Palmeiras precisaria ter 50 jogos com renda líquida de 2 milhões para chegar a essa quantia…. a mais que eles receberão. E poucos de nós tem idéia do que isso representa.

Criscio, não há nem mesmo uma vírgula fora de contexto, sobre a verdade que postou.
Mas não vejo nenhuma mudança, corajosa, diga-se de passagem, que algum presidente da linha final de devedores possam ter.
Quando se tem nessa linha de corte para baixo, um Aidar-SPFC (advogado da CBF e ligado à RGT, que adiantou $$ até 2018), Nobre e seu pai Mustafá-SEP, aliados do conselheiro e presidente da CBF Del Nero), Modesto Roma-SFC (devendo as calças e de importância “modesta” tal qual seu presidente). Cruzeiro sem força na CBF, com um presidente que representa os Perrela, que telhados de vidros, evitam celeumas para ficarem fora da mídia. Resta Grêmio, que sozinho nada poderá fazer…
Minha opinião sobre essa MP é a de que pegarão a grana (10% clube e 90% bolso de dirigentes), não cumprirão as contrapartidas exigidas, recorrerão ao STJD, FIFA, STF, etc. para ninguém cair de divisão e tudo continuará na mesma. Simples assim, infelizmente. Abs.

Os comentários estão desativados.